XP Expert

Dados do IBC-Br no Brasil em foco nesta sexta-feira

Estimativa do PIB de abril no Brasil é um dos temas de maior destaque nesta sexta-feira, 14/06/2024

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Ouça no Spreaker


IBOVESPA -0,31% | 119.568 Pontos

CÂMBIO -0,74% | 5,37/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

Na quinta-feira o Ibovespa fechou em queda de 0,3%,, aos 119.568 pontos, apesar das falas do ministro da Fazenda sobre um possível corte de gastos do governo com redução de privilégios e supersalários da máquina pública, o que provocou quedas por toda a curva de juros, e queda do dólar de 0,7%.
O principal destaque positivo da sessão foi a Raízen (RAIZ4, +4,9%), recuperando da queda do pregão passado. No ano, a ação acumula queda de 30,5%. Já o destaque negativo foi a MRV Engenharia (MRVE3, -4,5%), continuando momento negativo, acumulando queda de 41,1% no ano até o momento.

Para o pregão de sexta-feira, teremos a decisão de juros do Banco do Japão, e sentimento do consumidor e expectativas de inflação da Universidade de Michigan referente ao mês de junho.

Super Clássicos da Bolsa 2024

O Super Clássicos da Bolsa 2024 continua com debates sobre ações da Bolsa para você realizar as melhores decisões nos investimentos, de 10 a 14 de junho. Hoje, a conversa será sobre Banco do Brasil (BBAS3) x Itaú (ITUB4), a partir das 18h. Ontem, o duelo foi entre Grupo SBF (SBFG3) x Arezzo (ARZZ3). Assista a todos os debates aqui.

Renda Fixa

Os juros futuros encerraram a sessão de quinta-feira (13) com fechamento por toda extensão da curva. Domesticamente, falas de membros do governo sinalizaram para a confiança no caráter técnico do Banco Central, e para a possibilidade de revisão da trajetória de gastos do país. Além disso, elogios por parte do presidente Lula ao ministro Haddad, afastaram a especulação de que o ministro teria perdido prestígio com a cúpula governista. Nos EUA, a divulgação de preços no atacado em queda, renovou as expectativas de corte de juros em setembro desse ano. Por lá, os rendimentos das Treasuries – títulos soberanos americanos – de 2 anos fecharam em 4,68% (-7,0bps) e as de 10 anos em 4,24% (-7,0bps). DI jan/25 fechou em 10,65% (queda de 7bps vs. pregão anterior); DI jan/26 em 11,23% (queda de 9bps); DI jan/27 em 11,59% (queda de 11bps); DI jan/29 em 12,02% (queda de 10bps).

Mercados globais

Nesta sexta-feira, os futuros nos Estados Unidos abrem em queda (S&P 500: -0,3%; Nasdaq 100: -0,6%), em um dia sem importantes divulgações econômicas e após os índices atingirem máximas históricas. Ontem, dados de inflação ao produtor americano referentes a maio vieram abaixo do esperado.

Na Europa, as bolsas operam em queda (Stoxx 600: -1,1%), em cenário de tensão política exacerbada pelas eleições parlamentares francesas. Na China, as bolsas fecharam mistas (CSI 300: 0,4%; HSI: -0,9%), e no Japão a bolsa fechou em alta (Nikkei 225: 0,2%) após o banco central manter a taxa de juros inalterada e indicar redução de seu programa de compra de títulos do governo

Economia

No Brasil, o BCB divulga a proxy do PIB de abril. Na seara internacional, o Japão manteve suas taxas de juros estáveis e a agenda de sexta-feira terá poucos indicadores.

Veja todos os detalhes

Economia

BCB divulga o IBC-BR de abril

  • As vendas no varejo ampliado ficaram muito abaixo das expectativas em abril, marcando a segunda queda consecutiva. No entanto, em nossa opinião, a abertura setorial foi positiva. Por exemplo, as vendas de veículos continuaram em tendência de crescimento sólido e as vendas de materiais de construção se recuperaram após três meses com números fracos. Além disso, o varejo restrito aumentou pelo quarto mês consecutivo, com cinco dos seus oito segmentos avançando na margem (notadamente Produtos Eletrônicos, Móveis e Eletrodomésticos). Mais uma vez, a surpresa entre a projeção e o resultado efetivo das vendas no varejo decorreu principalmente da queda no Atacado Especializado em Alimentos e Bebidas (conhecido como “Atacarejo”) – componente bem volátil e com série de dados curta. Os resultados dessazonalizados do varejo ampliado devem ser interpretados com cautela, a nosso ver. Em suma, a surpresa baixista com os dados das vendas varejistas de abril não altera nossa visão otimista para o consumo pessoal no curto prazo. Afinal, o mercado de trabalho está aquecido e as transferências fiscais permanecem altas. Nosso XP Tracker para o PIB do 2º trimestre indica crescimento de 0,5% ante o 1º trimestre de 2024 (alta de 1,3% ante o 2º trimestre de 2023). Projetamos que o PIB do Comércio registrará elevação de 0,3% no 2º trimestre versus o 1º trimestre de 2024 (1,7% versus o 2º trimestre de 2023). Por fim, prevemos expansão de 2,2% para o PIB total em 2024.
  • Hoje, o BCB publica o IBC-Br de abril, a proxy do PIB, com o mercado projetando alta de 0,30% m/m e 3,95% a/a e a XP, de 0,20% m/m e 3,90% a/a.
  • O Banco do Japão manteve por unanimidade a sua taxa de juro de curto prazo entre 0% e 0,1% na sua reunião de junho, como amplamente esperado. O comunicado trouxe que a economia japonesa se recuperou moderadamente, apesar da fragilidade em alguns setores. O consumo privado foi resiliente, com a melhoria dos lucros das empresas. Em relação à inflação, as variações interanuais têm se situado entre 2 e 2,5%, com as expectativas a aumentando ligeiramente. O BC espera elevação na inflação corrente para possíveis novas altas de juros. – Nos EUA, o PPI (Índice de Preços ao Produtor) de maio veio abaixo das expectativas tanto para o índice cheio (-0,2% m/m) quanto para seu núcleo (0%). Trata-se de mais um indicador de inflação benigno na margem, o que trouxe ânimo adicional aos mercados para que o Fed inicie o ciclo de corte de juros já em setembro. Na agenda de hoje, haverá a divulgação dos preços de importação de maio e da sondagem do consumidor de Michigan deste mês.

Empresas

Papel e Celulose: Volumes de embalagens de papelão ondulado aumentaram 3% A/A em maio’24; Futuros para Jul’24 a US$730/t

  • Nesta semana, notamos:
    • Os volumes de embalagens de papelão ondulado aumentaram 3% A/A em maio’24, de acordo com dados preliminares da Empapel;
    • A Suzano anunciou a aquisição de 15% de participação na Lenzing;
    • Em nosso encontro, o CFO da Klabin, Marcos Ivo, indicou uma perspectiva positiva para os próximos anos;
    • Os futuros chineses de BHKP estão atualmente em US$ 730/t para Jul’24 (estável S/S) e abaixo dos preços spot da BHKP de US$ 740/t na China e, finalmente;
    • Suzano está sendo negociada a 5,0x EV/EBITDA a termo quando excluído Cerrado, um desconto de 28% quando comparado à sua média histórica de 7,0x e -3% de desconto em relação aos players do mercado de celulose;
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

CBA (CBAV3): Feedback do evento sobre descarbonização

  • Ontem, participamos do evento da CBA focado no papel do alumínio na transição para a energia limpa, que contou com a presença do Sr. Luciano Alves (CEO) e demais lideranças da empresa;
  • As principais mensagens foram: (i) conquistando a liderança de baixo carbono através da produção de alumínio; (ii) perspectiva de demanda positiva impulsionada pela descarbonização; e (iii) combatendo a pegada de carbono nas cadeias de valor;
  • De modo geral, o evento mostrou a estratégia da CBA para liderar a indústria de alumínio rumo a um futuro mais verde, conforme descrito na nossa última nota sobre a empresa (link);
  • Temos uma recomendação de Compra para a CBAV3, com preço-alvo de R$ 9,0/ação;
  • Clique aqui para ler o conteúdo completo. 

Análise (Crédito): BRF

  • A BRF S.A. (“BRF” ou “Companhia”) é a maior fabricante de alimentos processados e produtora de frangos e suínos do Brasil, além de uma das maiores empresas globais de alimentos em termos de representatividade no mercado global de proteínas;
  • A Companhia atua nos segmentos de proteínas (aves e suínos), alimentos industrializados (margarinas e massas) e produtos lácteos, com marcas reconhecidas no Brasil, como Sadia, Qualy e Perdigão;
  • No 1T24, a redução do preço das commodities utilizadas como insumos, assim como a normalização dos preços das proteínas animais, ajudaram a BRF a ter fortes resultados operacionais;
  • Com isso, a companhia não apenas apresentou lucro líquido no trimestre, como também reduziu sua alavancagem para 1,4x (ante 3,3x no mesmo período do ano anterior), patamar considerado saudável;
  • Acesse o relatório completo em PDF.

Klabin (KLBN11): Feedback da Reunião com CFO – Perspectivas positivas para os próximos anos

  • Na semana passada, realizamos uma reunião com o CFO da Klabin, Marcos Ivo. Principais conclusões:
    • Os resultados devem ser impactados positivamente pela combinação de um melhor mix de vendas (dado o aumento dos projetos em andamento), redução de custos (após a aquisição do projeto Caetê) e condições sólidas de mercado para seus principais negócios (celulose, papel e embalagens);
    • Os projetos em andamento estão progredindo bem, com o aumento do PM#27, PM#28 e Figueira vindo como esperado;
    • As perspectivas para os preços da celulose permanecem positivas, com uma oferta vs. demanda apertada continuando a apoiar os preços em níveis elevados no curto prazo, e custos estruturalmente mais altos de fibra de madeira e CAPEX potencialmente mudando as expectativas de longo prazo do mercado para cima;
    • Mantemos nossa recomendação Neutra, por enquanto;
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Carf decide manter autuação bilionária do Santander (Valor);
    • Cartão de crédito é cada vez mais usado para despesas do dia a dia (Neofeed);
    • Febraban propõe melhorias em ferramenta do Pix para devolução de dinheiro de golpe (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Remessas de até US$ 50 batem recorde e chegam a 16,6 milhões antes de volta da taxação (Exame);
    • Shein e Shopee entram para grupo de maiores locadores de galpões no País (Estadão);
    • Rio Grande do Sul: vendas de produtos de necessidades básicas seguraram grande queda do varejo em maio (O Globo);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • Amil e Dasa assinam a fusão de suas áreas de hospitais (O Globo);
    • Kora tenta reverter decisão da B3 sobre acionistas fundadores (Valor Econômico);
    • ANS concede portabilidade para clientes da operadora Med Life Saúde Ata Ltda (ANS);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário
    • A Resia planeja um complexo de apartamentos com 1.300 unidades em North Miami Beach, em meio a um recorde de construção multifamiliar no sul da Flórida (The Real Deal);
    • Multiplan (MULT3) pagará R$ 145 milhões em juros sobre capital próprio – Money Times
    • Secovi-SP explica na Câmara os efeitos da reforma tributária no setor – Secovi
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Sabesp divulga informações sobre etapa prévia do processo de privatização (Valor Econômico);
    • MP ‘salva’ concessão e viabiliza venda da Amazonas Energia (Valor Econômico);
    • Medida Provisória altera regra de sistemas isolados de energia (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Estratégia

Por que o Brasil tem se descolado dos mercados globais | Gráfico da semana

  • Nos últimos anos, o desempenho do Ibovespa tem mostrado forte correlação com as taxas de juros americanas de longo prazo — quando as taxas lá fora subiam, o Ibovespa acompanhava na direção oposta, e vice-versa;
  • Porém essa relação perdeu a força recentemente, como mostramos no Gráfico da Semana;
  • Isso é devido ao cenário americano melhorando, meio a dados econômicos positivos renovando expectativas de corte de juros, enquanto o cenário brasileiro tem deteriorado, pressionado em 2024 por uma combinação de política monetária, fiscal, e interferência em empresas relevantes da Bolsa;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • EU bonds fall after MSCI declines to include them in sovereign debt indices (Financial Times);
  • Mercado de capitais tem captação recorde em 2024 até maio puxado por renda fixa (Valor Econômico);
  • Fusão de hospitais da Dasa e Amil será assinada ainda nesta quinta, segundo fontes (Valor Econômico);
  • Fitch Afirma IDRs ‘BB’ da XP Inc. e Ratings Nacionais do Banco XP; Perspectiva Estável (Fitch);
  • Clique aqui para acessar o clipping.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • XPLG11 acerta compra de galpão no RS; qual o impacto nos dividendos? (FIIs);
    • FII negocia em volume 6 vezes acima da média em dia de derrocada do IFIX (FIIs);
    • FII SNEL11 acelera estudos para alocação de recursos da 2ª emissão de cotas (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

B3 adota nova metodologia para índice de emissões de carbono (ICO2 B3) | Café com ESG, 14/06

  • O mercado encerrou o pregão de quinta-feira em baixa, com o IBOV e o ISE caindo 0,30% e 0,42%, respectivamente.
  • No Brasil, a B3 adotou uma nova metodologia para o ICO2 B3, índice que engloba empresas que divulgam suas emissões de gases de efeito estufa (GEEs) – com essa mudança, mais empresas poderão ser incluídas e os critérios de avaliação serão mais rígidos, com foco na eficiência e qualidade da gestão das emissões e levando em consideração o coeficiente entre emissões de GEEs e a receita bruta. 
  • No internacional, (i) a Comissão Europeia divulgou os resultados do primeiro Leilão do Banco Europeu do Hidrogênio (EHB), tendo sido comprometido €720 milhões em subsídios para 7 projetos, a serem dispendidos nos próximos 10 anos – os licitantes vencedores assumiram o compromisso de produzir hidrogênio renovável na Europa e receberão subsídios equivalentes à diferença entre os seus custos de produção e o preço de mercado do hidrogênio; e (ii) a reunião anual da Convenção do Clima, que acontece no meio do ano e serve como uma espécie de prévia da COP, terminou ontem na Alemanha – de forma geral, tudo aponta para uma conferência tensa no Azerbaijão, em novembro, com destaque para discussões sobre um mecanismo chamado de nova meta coletiva e quantificada, ou NCQG, na sigla em inglês. 
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.