XP Expert

Dados de inflação, decisões de juros e dividendos da Petrobras nos assuntos da semana

Prévia dos resultados da AmBev e expectativa de inflação nos EUA são alguns dos temas de maior destaque nesta segunda-feira, 08/04/2024

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Ouça também no Spreaker.


IBOVESPA -0,50% | 126.795 Pontos

CÂMBIO +0,30% | 5,07/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa fechou a semana com perdas de 1,0% em reais e -2,1% em dólares, aos 126.795 pontos, seguindo o desempenho dos principais índices globais.

Na semana, as maiores altas da Bolsa brasileira foram IRB (IRBR3; +13,4%), que subiu após um banco de investimentos elevar a recomendação do papel, e Hapvida (HAPV3, +7,3%) devido a um balanço do 4º trimestre de 2023 considerado positivo pelo mercado. Já as maiores quedas foram Arezzo (ARZZ3, -12,0%) e Soma (SOMA3, -12,0%), pressionadas pelo avanço da curva de juros futuros. Confira o Resumo Semanal da Bolsa clicando aqui.

Renda Fixa

No comparativo semanal, a curva de juros encerrou em alta, principalmente do miolo em diante. O diferencial entre os contratos com vencimento em janeiro 2026 e 2034 saiu de 98,9 pontos-base na quinta-feira passada para 109,5 pontos nesta semana. A curva, portanto, apresentou aumento de inclinação. Com isso, a curva passou a precificar uma Selic terminal entre 9,75% e 10% para 2024. Mais uma vez, a correlação dos ativos locais com as Treasuries predominou, e o movimento altista acompanhou a maior volatilidade dos títulos americanos ao longo da semana, com os agentes ainda à espera de confirmações acerca do início do ciclo de cortes de juros por lá. DI jan/25 fechou em 10,01% (9,1bps no comparativo semanal); DI jan/27 em 10,39% (23,4bps); DI jan/29 em 10,94% (28,4bps); DI jan/33 em 11,32% (31,8bps); DI jan/37 em 11,39% (32,2bps).

Mercados globais

Nesta segunda-feira, os mercados operam em queda nos Estados Unidos (S&P 500: -0,1%; Nasdaq 100: -0,1%), em semana de divulgação da ata da última reunião do Federal Reserve e da inflação ao consumidor (CPI) referente a março. Na sexta-feira, mercados tiveram uma reação negativa a dados de emprego mais fortes que o esperado (confira mais detalhes no Top 5 Temas Globais da Semana).

Na Europa, os mercados operam em alta (Stoxx 600: 0,2%) em semana de decisão do Banco Central Europeu. Na China, as bolsas de Xangai e Hong Kong voltaram mistas do feriado (HSI: 0,1%; CSI 300: -0,9%), no aguardo da divulgação de dados de inflação e setor externo.

Tensões geopolíticas no Oriente Médio diminuíram durante o fim de semana, provocando alívio no preço do petróleo. Confira nosso especial sobre a commodity, onde exploramos o histórico e as perspectivas para o petróleo, assim como seu potencial impacto sobre a inflação e ativos globais.

Economia

Publicado na sexta-feira passada, o relatório oficial do mercado de trabalho dos EUA reportou criação de 303 mil vagas em março, bem acima das expectativas (consenso: 214 mil). Mercado de trabalho forte reduz a probabilidade de o Fed (banco central do país) reduzir as taxas de juros no primeiro semestre. Esta semana, as atenções se voltam para a inflação dos preços ao consumidor (IPC) de março em diversos países, incluindo EUA e Brasil (IPCA). Outro destaque da semana são as decisões de juros no Canadá (quarta-feira) ​​e na Zona Euro (quinta-feira).

Outro tema importante esta semana é a discussão dentro do governo sobre se a Petrobras deveria distribuir dividendos extraordinários. Considerando que a União é o maior acionista da empresa, o dividendo adicional ajudaria o Tesouro Nacional a se aproximar da meta fiscal neste ano, reduzindo a probabilidade de cortes de despesas à frente – ou a possibilidade de alteração da meta fiscal.

Veja todos os detalhes

Economia

Após os fortes resultados do mercado de trabalho dos EUA na semana passada, os mercados voltaram a atenção para a inflação medida pelo IPC em vários países.

Publicado na sexta-feira passada, o relatório oficial do mercado de trabalho dos EUA reportou criação de 303 mil vagas em março, bem acima das expectativas (consenso: 214 mil). Os números de janeiro e fevereiro foram revisados para cima. A média móvel de 3 meses aumentou pelo quarto mês consecutivo para 276 mil, seu nível mais alto desde março de 2023. Os ganhos por hora trabalhada aumentaram 0,3% no mês. A variação acumulada em 12 meses passou de 4,28% para 4,14%. A inflação de salários parece estar se estabilizando em torno de 4%, acima do nível consistente com a meta de inflação (cerca de 3,0-3,5%, de acordo com nossos cálculos). Mercado de trabalho forte reduz a probabilidade do Fed (banco central do país) reduzir as taxas de juros no primeiro semestre;

Esta semana, as atenções se voltam para a inflação dos preços ao consumidor (IPC). O IPC de março dos EUA sai na quarta-feira; analistas de mercado esperam 0,3% mês contra mês. Na abertura do número, o foco estará em combustíveis, aluguéis e serviços. O IPC também será publicado em diversos outros países, como Brasil (mais detalhes abaixo), China, México, Alemanha e Hungria;

Outro destaque da semana são as decisões de juros no Canadá (quarta-feira) ​​e na Zona Euro (quinta-feira). É amplamente esperado que ambos os bancos centrais mantenham as suas taxas de juros inalteradas. A movimentação de mercado maior pode vir, porém, na comunicação. Principalmente a do Banco Central Europeu, que pode sinalizar um corte nas taxas ainda no primeiro semestre;

Os preços do petróleo caíram esta manhã devido à perspectiva de um possível cessar-fogo no conflito Israel-Hamas, aliviando as preocupações de interrupção do abastecimento no Oriente Médio Oriente. Os futuros do petróleo bruto dos EUA estavam recuando 1,1%, a US$ 85,95 por barril, enquanto o contrato do Brent era negociado a US$ 90,15 por barril;

No Brasil, atenções voltadas para o IPCA na quarta-feira. A média do mercado está em 0,27% no mês, trazendo a inflação anual para 4,0% (de 4,5% antes). A abertura do número, no entanto, irá provavelmente sugerir que a inflação segue acima da meta de 3,0% do banco central. Olhando para frente, a incerteza fiscal e a demanda interna aquecida deverão manter a inflação sob pressão, reforçando o tom de cautela do banco central sobre os passos futuros da política monetária;

Outro tema importante esta semana é a discussão dentro do governo sobre se a Petrobras deveria distribuir dividendos extraordinários. Considerando que a União é o maior acionista da empresa, o dividendo adicional ajudaria o Tesouro Nacional a se aproximar da meta fiscal neste ano, reduzindo a probabilidade de cortes de despesas à frente – ou a possibilidade de alteração da meta fiscal.


Commodities

Data Expert | Exportação de carnes

  • Sólidos volumes de exportação em março, mas ligeiramente abaixo de nossas estimativas, já preços foram neutros/positivos;
  • Carne de frango e bovina continuam encontrando demanda fora da China com o Ramadã e mercado bovino nos EUA. Porém, carne suína teve a maior queda vs. expectativa, refletindo a fraca demanda chinesa, com queda de volume e preços;
  • A perspectiva de exportação de carne bovina ainda não empolga, mas para a avicultura é encorajadora, com aumento sequencial tanto volume como preço, sugerindo uma perspectiva favorável no equilíbrio global de oferta e demanda;
  • Reforçamos, portanto, nossa recomendação de compra com alta convicção para BRF, que deve apresentar resultados fortes no 1T24, também refletindo ventos favoráveis em relação aos custos;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Empresas

Saúde: Data Expert | ANS Tracker de Fevereiro de 2024

  • Este é o nosso ANS Tracker, no qual acompanhamos e analisamos os dados de planos de saúde e odontológicos fornecidos pela ANS. Os destaques são:
    • O mercado de planos de saúde se recuperou, apresentando números positivos, impulsionados principalmente pelo bom desempenho dos planos corporativos e de Medicina de Grupo e Cooperativas;
    • O NE foi o destaque positivo, enquanto RJ e SP apresentaram números negativos nos dois primeiros meses do trimestre (“QTD”);
    • A Hapvida conseguiu apresentar adições líquidas positivas (+49 mil QTD e +26 mil no mês), graças às suas operadoras originais, que conseguiram compensar o desempenho negativo das operadoras legadas do NDI;
    • A SULA também apresentou fortes adições líquidas (+41 mil QTD), principalmente em SP; e
    • O mercado de planos odontológicos adicionou 269 mil vidas QTD, enquanto a Odontoprev entregou 33 mil novos beneficiários QTD.
  • Permanecemos cautelosos com o setor devido à situação financeiramente pressionada das fontes pagadoras. No entanto, a Hapvida continua a surpreender positivamente, e pode apresentar crescimento de base antes do previsto;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

AmBev (ABEV3) | Prévia do 1T24: momentum forte no Brasil; LAS fraco

  • Projetamos que a ABEV apresente resultados não empolgantes no 1T24. Após os fortes dados da indústria de produção de bebidas (fevereiro ficou 4,5% acima da nossa previsão), projetamos que os volumes de Cerveja Brasil aumentem 2,5%, enquanto que o EBITDA ajustado da operação deverá aumentar 24% A/A, beneficiando-se de menores custos;
  • No entanto, os fortes resultados do Brasil não deverão ser suficientes para compensar os fracos resultados de LAS e do Canadá. Esperamos que o EBITDA ajustado consolidado permaneça praticamente estável A/A, enquanto que o lucro por ação (LPA) deverá decrescer perto de 10%, refletindo uma taxa de imposto mais elevada, apesar dos melhores resultados financeiros sequenciais devido a uma menor posição de hedge cambial na Argentina;
  • Na nossa opinião, o mercado estava otimista com os dados da indústria no Brasil, e os resultados não muito animadores devem causar uma reação negativa no preço das ações da AmBev;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Demanda por crédito cai 5% em fevereiro em relação a janeiro e cede 13% ao mesmo mês de 2023 (Broadcast);
    • Visa: transações sobem 15% na semana do consumidor ante mesmo período de 2023 (Valor);
    • Não faz sentido falar que inovação vai tirar espaço dos bancos, diz Febraban (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Carrefour Brasil renegocia linhas com a França e adiciona quase R$ 500 mi ao bottom line (Brazil Journal);
    • Na Natura, foco agora não está em expansão nem aquisição (Valor Econômico);
    • João Apolinário, fundador da Polishop, diz que empresa busca recuperação extrajudicial com credores (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Alimentos
      • Gripe Aviária: Santa Catarina renova decreto de estado de emergência zoossanitária (Broadcast);
      • Major food companies offering deals, new sizes as low-income Americans spend less (Reuters).
    • Agro
      • Funds steadfast in bearish CBOT corn views despite friendly US data (Reuters);
      • 3tentos emitirá até R$ 625 milhões em debêntures (Globo Rural).
    • Biocombustíveis
      • Empresa dos EUA construirá planta comercial de SAF a partir de etanol (Globo Rural);
      • SCA Brasil espera moagem de cana acima de 600 milhões de toneladas em 2024/25 (Nova Cana).
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • Mater Dei aprova programa de recompra de até 9,61 milhões de ações (Valor Econômico);
    • Planos de saúde têm incremento de 944 mil usuários em fevereiro, aponta ANS (Valor Econômico);
    • Cresce a mobilização de planos de saúde para combate às fraudes (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário
    • Diretora do Fed defende cautela para evitar alta dos juros mais à frente (Infomoney);
    • Compra do imóvel usado com FGTS pode ter juros maiores e ficar mais cara (Folha de SP);
    • “Poupança é o recurso de maior relevância no financiamento imobiliário”, diz especialista em debate no ENIC (CBIC);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Nunes Marques prorroga trabalhos da CCAF em ADI da Eletrobras (Energia Hoje);
    • Renovação de distribuidoras deve atualizar atividades previstas em contratos, avalia Enel (Canal Energia);
    • Racha na diretoria da Aneel trava discussões, preocupa agentes e afeta consumidor (InfoMoney);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

Análise (Crédito): Transmissora Aliança de Energia Elétrica S.A. (Taesa)

  • A Transmissora Aliança de Energia Elétrica S.A. (“Taesa” ou “Companhia”) atua na construção, operação e manutenção de ativos de transmissão de energia elétrica, com 15,2 km de extensão de linhas (13,8 km em operação e 1,3 km em construção), e 109 subestações;
  • A Taesa tem ampliado a sua atuação por meio de novos projetos em construção, o que tem garantido a reposição de sua Receita;
  • No 4T23, a Receita Regulatória apresentou crescimento de 6% a/a, impulsionada por: (i) início da operação de Saíra (1ª fase); (ii) entrada em operação de novas fases de Sant’Ana (~95% da RAP total habilitada); (iii) reajuste inflacionário em IPCA do ciclo da RAP 2023/24;
  • Em nossa visão, apesar do maior endividamento, o passivo da Companhia é alongado (prazo médio de 8,1 anos), com apenas 12% da dívida total classificada no curto prazo, e posição de caixa suficiente para fazer frente às amortizações até início de 2025. Ao final do período, a Taesa encontrava-se adimplente com seus covenants;
  • Acesse aqui o conteúdo completo.

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Treasury yields climb as investors weigh state of economy ahead of key data (CNBC);
  • Empresas antecipam pagamento de dívida (Valor);
  • Agrogalaxy planeja lançar novo fundo (Globo Rural);
  • Moody’s Local eleva os ratings do Banco Industrial do Brasil S.A. para AA-.br; perspectiva estável (Moody’s Local);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Os FIIs mais recomendados para abril; TRXF11 entra e VISC11 deixa a lista (InfoMoney);
    • HGBS11: fundo imobiliário conclui compra de shopping por R$ 292,25 milhões; e os dividendos? (FIIs);
    • Fundos imobiliários: Cotista pede AGE para troca de nome e gestora; Ifix não para de renovar recorde (Money Times);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Jorge Paulo Lemann cita fraude contábil na Americanas pela primeira vez durante Brazil Conference 2024 | Café com ESG, 08/04

  • Na semana passada, o Ibovespa e o ISE recuaram 1,0% e 1,2%, respectivamente. O pregão de sexta-feira também terminou em território negativo, com o IBOV caindo 0,5% e o ISE em queda de 0,7;
  • No Brasil, (i) o total de investimentos das montadoras de carros e comerciais leves no país ganhou reforço na última semana com o anúncio da HPE Automotores, representante da Mitsubishi Motors no Brasil, que anunciou um programa de R$4 bilhões na fábrica de Catalão (GO) até 2032 – com isso, os novos ciclos de investimentos da indústria automobilística no país sobe para R$110,85 bilhões para o período que vai de 2021 a 2032; e (ii) durante participação na Brazil Conference 2024, Jorge Paulo Lemann, um dos sócios-fundadores da gestora 3G Capital, falou publicamente pela primeira vez sobre a crise enfrentada pela Lojas Americanas – sem mencionar nomes, citou a fraude contábil na companhia e afirmou que o momento é de recuperar sua governança;
  • Ainda no país, a Enel Green Power Brasil, braço de geração renovável do Grupo Enel no país, anunciou na última sexta-feira a operação comercial do Complexo Eólico Aroeira na Bahia – com investimento de cerca de R$2,1 bilhões, Aroeira será capaz de gerar 1.800 GWh anualmente e terá potencial para evitar a emissão de 757 mil toneladas de CO2 na atmosfera, por ano;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG. 

Vendas de elétricos caem globalmente, enquanto China entra em peso no mercado local; EUA anuncia novo investimento em energia limpa | Brunch com ESG 

  • Pensando em melhor auxiliar os investidores, o Brunch com ESG é um relatório publicado pelo time ESG do Research da XP que busca destacar os principais tópicos da agenda na semana;
  • Nesta edição, destacamos: (i) Vendas de veículos elétricos da Tesla e BYD caem no trimestre; e (ii) EUA anunciam US$20 bilhões em projetos de energia limpa; Cresce a concorrência “verde” com a China;
  • Clique aqui para ler o conteúdo completo.  

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.