XP Expert

Bolsas hoje: Dados inflação dos EUA seguem no radar

Importação da China e Índice de Preços ao Consumidor (CPI) são alguns dos temas de maior destaque nesta terça-feira, 09/05/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Áudio disponível em breve.


IBOVESPA +0,85% | 106.042 Pontos

CÂMBIO +1,42% | 5,01/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaques do dia

Mercados amanhecem em queda, reverberando os dados abaixo do esperado de importação da China, e também aguardando os dados do Índice de Preços ao Consumidor (CPI) da economia americana, que serão divulgados na quarta-feira (10). Na agenda internacional de hoje, teremos discursos de alguns membros do Federal Reserve (Fed), banco central dos Estados Unidos. No Brasil, as atenções estarão voltadas para a divulgação da ata do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom).

Hoje, nomes importantes como Minerva, Yduqs e Vivo reportam resultados.

Mercados globais

Bolsas internacionais amanhecem em queda (EUA -0,33%, Europa -0,62%), aguardando a divulgação do índice de preços ao consumidor (CPI) americano amanhã. Também pressiona os mercados o impasse da dívida americana. O presidente Biden deve se reunir com líderes do legislativo americano hoje, após a secretária do Tesouro dizer na véspera que não há boa opção, a menos que o Congresso eleve o teto da dívida.

A crise bancária ainda preocupa reguladores: em relatório publicado na segunda-feira, o Federal Reserve disse que um corte mais abrangente da oferta de crédito ainda é um risco de curto prazo para o setor, aumentando custos para empresas e famílias, resultando em uma desaceleração da atividade econômica.

Seguindo a temporada de balanços, o Airbnb divulga seu resultado nesta terça-feira após o fechamento do mercado.

Na China, dados de saldo comercial piores que a expectativa mostraram uma diminuição nas importações e crescimento mais lento das exportações — o que foi visto como mais um sinal de que a recuperação no país ainda não engrenou como se esperava. Refletindo as preocupações, o índice de Shangai caiu -1,10% ontem. Em Hong Kong, a bolsa teve queda de -2,12%.

Balança comercial da China

Ainda na China, a balança comercial registrou superávit de US$ 90,21 bilhões em abril. As exportações aumentaram 8,5% em relação ao mesmo mês do ano anterior, impulsionadas principalmente por efeitos de base favoráveis do ano passado. Enquanto isso, as importações caíram significativos 7,9%, bem abaixo das expectativas dos analistas, de -0,2%. Os resultados do setor externo têm sido mais fracos do que o esperado, refletindo a desaceleração da atividade econômica global, e sugerem sinais conflitantes sobre a força da recuperação econômica da China após três anos de restrições pandêmicas. Nosso time de Economia da XP acredita que a China deve crescer acima da meta de 5% estabelecida pelo governo para 2023, embora a recuperação deva ser impulsionada principalmente pelo consumo, que continua moderado.

Nomeação para o Banco Central

O presidente Lula nomeou Gabriel Galipolo para a diretoria do Banco Central. O cargo estava aberto desde o término do mandato do ex-diretor Bruno Serra, em fevereiro passado. Atualmente, Galipolo é Secretário Executivo do Ministério da Fazenda, e teve papel fundamental nas discussões do novo arcabouço fiscal. Ele estabeleceu uma comunicação fluida com os participantes do mercado desde que Lula foi eleito e tem sido visto como uma ponte entre o Ministro da Fazenda e o Banco Central independente. A imprensa local relata que ele tende a ser a favor do corte das taxas de juros mais cedo ou mais tarde.

Veja todos os detalhes

Agenda de resultados

Brasil Agro (AGRO3): Depois do fechamento
Fras-Le (FRAS3): Depois do fechamento
BTG Pactual (BPAC11): Depois do fechamento
Cury (CURY3): Depois do fechamento
Enjoei (ENJU3): Depois do fechamento
Telefônica Brasil (VIVT3): Depois do fechamento
Camil (CAML3): Depois do fechamento
Minerva (BEEF3): Depois do fechamento
YDUQS (QDUQ3): Depois do fechamento
Ecorodovias (ECOR3): Depois do fechamento

Temporada de Resultados 1º trimestre de 2023: veja todas as análises
Calendário do 1T23
Temporada de resultados do 1º trimestre 2023 – o que esperar?

Economia

Dados comerciais mais fracos do que o esperado na China

  • Na China, a balança comercial registrou superávit de US$ 90,21 bilhões em abril. As exportações aumentaram 8,5% em relação ao mesmo mês do ano anterior, impulsionadas principalmente por efeitos de base favoráveis ​​do ano passado. Enquanto isso, as importações caíram significativos 7,9%, bem abaixo das expectativas dos analistas de -0,2%. Os resultados do setor esterno tem sido mais fracos do que o esperado, refletindo a desaceleração da atividade econômica global, e sugerem sinais conflitantes sobre a força da recuperação econômica da China após três anos de restrições pandêmicas. Ainda acreditamos que a China deve crescer acima da meta de 5% estabelecida pelo governo para 2023, embora a recuperação deva ser impulsionada principalmente pelo consumo, que continua moderado;
  • Com uma agenda econômica relativamente calma hoje, os mercados aguardam os números do CPI (dados de inflação) referentes a abril a serem publicados amanhã nos Estados Unidos. Após o (provável) fim do ciclo de aperto monetário, os próximos dados de preços podem ser relevantes para quando o Fed eventualmente encontrará espaço para começar a cortar as taxas. Além disso, representantes de diferentes bancos centrais falarão hoje, incluindo o membro do conselho do Federal Reserve, Philip Jefferson, e do conselho do Banco Central Europeu, Isabel Schnabel;
  • No Brasil, a ata da reunião do Copom será publicada às 8h de hoje, repercutindo os principais pontos discutidos na decisão tomada na última quarta-feira (3). O Copom manteve a taxa juros Selic em 13,75%, conforme amplamente esperado. O comunicado pós-decisão reforçou a necessidade de “paciência e serenidade na condução da política monetária” para a convergência da inflação à meta. Acreditamos que o comunicado pós-reunião foi consistente com uma taxa Selic estável para os próximos meses. Em nossa visão, à medida que a inflação global desacelere e a demanda doméstica perca força, o Copom iniciará um ciclo de flexibilização gradual no segundo semestre. Antevemos um corte de 0,25pp na reunião de agosto, seguido de sucessivos cortes de 0,50pp até a taxa básica atingir 12,00% no final de 2023 e 11,00% no primeiro semestre de 2024. A ata a ser publicada nesta manhã pode dar mais orientações sobre a trajetória futura da política monetária;
  • O presidente Lula nomeou Gabriel Galipolo para a diretoria do Banco Central. O cargo estava aberto desde o término do mandato do ex-diretor Bruno Serra, em fevereiro passado. Galipolo é atualmente Secretário Executivo do Ministério da Fazenda, e teve papel fundamental nas discussões do novo arcabouço fiscal. Ele estabeleceu uma comunicação fluida com os participantes do mercado desde que Lula foi eleito e tem sido visto como uma ponte entre o ministro da Fazenda e o Banco Central independente. A imprensa local relata que ele tende a ser a favor do corte das taxas de juros mais cedo ou mais tarde. No setor privado, Galipolo esteve na academia e foi CEO do Banco Fator (2017-2021).

Commodities

Data Expert | Exportações de Carne Brasil – Abr/23

  • Bovino. Exportações em abril caíram 30% vs. 2022, mas espera-se uma recuperação em maio, após liberação pela China de exportação dos estoques produzidos antes do embargo;
  • Suíno. Exportações cresceram 14% vs, abr/22, com destaque para o Sudeste Asiático, onde a PSA continua sendo um problema. A China planeja aumentar as reservas do governo para dar suporte aos preços dos produtores de suínos;
  • Frango. Retração de 1% vs. abr/22, mas com volumes fortes, 400 mil t entre carne fresca e processada e recuperação de 1,6% no preço de exportação após cinco meses de quedas;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Empresas

Oncoclínicas (ONCO3): Integrando os cuidados no DF

  • A Oncoclínicas (ONCO3) divulgou um fato relevante informando que fará uma parceria com o Grupo Santa Lúcia (GSL) para cuidados oncológicos no Distrito Federal (DF);
    • O acordo envolve uma participação nos lucros em que cada empresa obtiver à um valor proporcional à contribuição do EBITDA;
    • Vemos um potencial para a Oncoclínicas adicionar R$58M ao seu EBITDA em 2025 – um aumento de 3,7% em relação à nossa estimativa.
  • Vemos o anúncio de forma positiva e continuamos com uma visão otimista em relação às ações principalmente devido às perspectivas de crescimento e rentabilidade;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

XP Short Scout: Monitor de short selling de ações brasileiras

  • Nesse relatório, atualizamos os dados de short selling dos ativos brasileiros com os dados de fechamento de 5 de maio de 2023;
  • Entre os principais destaques das últimas duas semanas, ressaltamos:
    • Nas últimas duas semanas, 12 dos 18 setores que monitoramos tiveram um aumento em seu short interest médio (SI). O SI médio do Ibovespa, no entanto, permaneceu estável em 4,9%;
    • Olhando para os setores, o SI de Agro aumentou mais 0,9 p.p. e está em 5,2% atualmente, enquanto o SI de Saneamento aumentou 1,1 p.p. nas últimas duas semanas. Propriedades Comerciais, setor que tinha o segundo maior short interest médio em nosso último relatório, teve uma queda de 0,6 p.p. no seu Si desde então, ocupando agora o 4º lugar em nosso ranking.
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Construção Civil | Data Expert: Monitor de indicadores de mercado de abril de 2023

  • Neste relatório, apresentamos nosso monitor do mercado de construção civil de abril/2023;
  • Nesta edição, destacamos o cenário desafiador para o segmento de média e alta renda com (i) estoques chegando a 55 mil unidades em jan/23, embora o crescimento A/A pareça ter desacelerado (+2% A/A); e (ii) saques mais elevados de contas poupança (-R$ 42 bi no 1T23 vs. -R$ 31 bi no 1T22);
  • Por outro lado, continuamos a ver um cenário positivo para construtoras de baixa renda, explicado pelas concessões do MCMV (acumulado no ano) acelerando para 37% do orçamento anual (vs. 25% na média dos últimos 8 anos), impulsionado por SP atingindo 52% (vs. 27% da média histórica);
  • Clique aqui para o relatório completo.  

São Martinho (SMTO3): Adoçando os gatilhos

  • As ações da São Martinho acumulam alta de 37% no ano, outperformando o setor em 25% e o IBOV em 39;
  • Embora haja um consenso positivo de que a empresa provavelmente experimentará um earnings momentum positivo à frente, recebemos alguns pushbacks de investidores em relação ao atual nível de preço das ações, limitando potenciais upsides à frente;
  • No nosso relatório, analisamos as principais variáveis ​​do nosso modelo e concluímos que ainda há um potencial de upside interessante pela frente, menos na safra 2023/24, mas principalmente na safra 2024/25, o que pode desencadear uma revisão positiva dos resultados. Mantemos nossa recomendação de Compra em SMTO3, como nossa Top Pick dentro da cobertura de Açúcar e Etanol;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Data Expert | The Wood Digester: Visão geral da XP sobre os mercados globais de celulose e papéis de embalagem no Brasil para maio

  • Em abril, os preços da celulose de fibra curta caíram novamente na China, com preços para maio em US$ 450-480/t, enquanto os preços da fibra longa caíram para US$ 660-720/t. O mercado de BCP continuou impactado pela fraqueza da demanda, com preços caindo para todas as fibras: os últimos 2 meses foram a queda mais rápida nos preços de celulose desde a crise financeira de 2008 (os preços de BHKP caíram ~US$ 130/t líquida);
  • O mercado BCP continuou impactado pela fragilidade da demanda, com queda de preços para todas as fibras;
  • Destacamos: (i) apesar da contínua fraca demanda por papel e celulose, a demanda por fibra curta na China melhorou significativamente nos últimos dias, de acordo com as indicações do mercado; (ii) a HW espera que a oferta e a demanda melhorem no terceiro trimestre dese ano, devido ao deslocamento da celulose integrada para celulose de mercado e ao reabastecimento de estoques dos consumidores; e (iii) as importações chinesas de fibra longa aumentaram 40% no mês, com a Finlândia e a Rússia como principais fornecedores incrementais;
  • Reiteramos nossa visão positiva sobre as ações, com Suzano como nossa top pick;
  • Clique aqui para o relatório completo.

TOTVS (TOTS3): Resultados mistos e uma parceria positiva com a Shopify

  • A TOTVS reportou resultados mistos no 1T23, majoritariamente em linha com nossas estimativas, mas com uma queda no EPS. A Receita Líquida Consolidada (líquida de funding) atingiu R$ 1,1 bilhão (+18% A/A e 4% T/T), em linha com a XPe. As receitas recorrentes cresceram 22% A/A, com um ARR de R$ 4,2 bilhões (+25% A/A e 5% T/T). O ARR de Gestão alcançou R$ 3,8 bilhões, com uma adição líquida no valor de R$ 164 milhões no trimestre (R$ 130 milhões ex-corporativo). A margem de contribuição aumentou 0,6pp A/A, atingindo 54,3%;
  • A margem EBITDA aumentou +1,5pp A/A, impulsionada pelas margens de contribuição mais altas nos segmentos de Gestão e Business Performance. No lado negativo, o lucro líquido do controlador atingiu R$ 94 milhões, -39% abaixo do nosso, devido a impostos mais altos e um impacto negativo de R$ 20 milhões na receita de investimento financeiro, referente à perda calculada pelo fundo de investimento exclusivo que tinha exposição a títulos de dívida da Americanas S.A.;
  • Além disso, a empresa anunciou uma parceria estratégica entre RD Station e Shopify no Brasil, a fim de distribuir seu software de e-commerce e expandir a presença no segmento de PMEs. Vemos este anúncio como positivo. Com isso, mantemos nossa recomendação de Compra e preço-alvo para o final de 2023 de R$ 39,0/ação para TOTS3;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Cosan (CSAN3): A Máquina de Alocação de Capital

  • Estamos iniciando a cobertura da Cosan com recomendação de compra e um preço-alvo de R$ 31,80 por ação para o final de 2023 (potencial de valorização de 108%);
  • Nosso preço-alvo é baseado em uma avaliação de Soma das Partes (Sum of the Parts – “SOTP”), que é composta pelas participações da Cosan na Raízen, Vale, Compass, Rumo, Moove e Cosan Investimentos;
  • A tese de investimento pode ser resumida da seguinte forma:
  • (i) uma plataforma diversificada de ativos únicos e irreplicáveis;
  • (ii) um histórico excepcional de alocação eficiente de capital;
  • (iii) uma mentalidade de longo prazo, com várias opções de crescimento entre seus ativos.
  • Em geral, vemos boas razões para investir diretamente na Cosan, para além do valor de suas partes. O investimento direto é a melhor maneira de se alinhar com o acionista controlador e se beneficiar de sua expertise em alocação de capital. Além disso, a Cosan é o único veículo disponível para investir na Compass e Moove;
  • Clique aqui para o relatório completo.

Iochpe-Maxion (MYPK3): Revisão do 1T23 – Resultados pouco inspiradores, refletindo desafios de curto prazo

  • A Iochpe-Maxion continuou apresentando resultados pressionados no 1T23, com EBITDA de R$ 282 milhões -50% A/A e levemente acima do 4T22;
  • Do lado positivo, notamos um desempenho relativamente melhor da Europa, impulsionado principalmente por veículos leves, à medida que os gargalos relacionados à cadeia de suprimentos diminuem;
  • No entanto, a recuperação da região foi mais do que compensada por: (i) vendas pressionadas de veículos pesados no Brasil, à medida que a produção despenca com a implementação do Euro 6, e (ii) condições cambiais desfavoráveis;
  • Quanto à rentabilidade, a margem EBITDA manteve-se pressionada em 7,1%, apesar da melhoria contínua dos custos das matérias-primas (efeito de +3p.p. na margem EBITDA T/T).  Por fim, vemos a piora dos níveis de alavancagem da companhia como um destaque negativo, com a dívida líquida/EBITDA UDM aumentando para 2,77x (vs. 2,06x no 1T22);
  • Reiteramos nossa recomendação Neutra para Iochpe-Maxion;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Direcional (DIRR3) | Forte crescimento de receita, mantendo margem bruta resiliente

  • A Direcional apresentou resultados robustos no 1T23;
  • A receita líquida aumentou 19% em relação ao ano anterior, impulsionada por vendas líquidas sólidas (+27% A/A), sugerindo uma recuperação de receita (receita bruta vs. volume de vendas líquidas) ao longo do ano;
  • A margem bruta manteve níveis saudáveis, atingindo 35,5% (+30bps A/A), devido a um controle consistente de orçamento, agora ajudando a margem bruta reportada devido à desaceleração na inflação de custos de construção;
  • Além disso, destacamos o lucro líquido de R$ 59 milhões (lucro líquido ajustado de R$ 70 milhões);
  • Portanto, reiteramos nossa recomendação de compra para DIRR3 com um preço-alvo de R$ 22,00/ação;
  • Clique aqui para o relatório completo.  

Itaú Unibanco (ITUB4): Resultados sólidos… de novo! | Revisão 1T23

  • Mais uma vez, vemos os resultados do 1T23 do Itaú (ITUB4) como sólidos. Embora em linha com nossas estimativas, o lucro líquido recorrente alcançou R$ 8,4 bilhões (o mais alto desde 2015 – o início da série histórica), +10% T/T e +14,6% A/A, com um ROAE de 20,7% (+140 bps T/T e +30bps A/A);
  • A carteira de crédito total aumentou +11,7% A/A, em grande parte devido ao segmento de pessoas físicas. As receitas operacionais aumentaram em +13,4%, impulsionadas pelo NII com clientes, tarifas, e seguros;
  • Vemos a diminuição do NII com o mercado (-36,0% A/A e -13,8%) como o destaque negativo. A inadimplência permaneceu estável sequencialmente, enquanto as Provisões para Perdas aumentaram dois dígitos A/A (-7,3% T/T) e ficaram 7% acima do nosso número;
  • Como resultado, vemos os resultados gerais do banco como robustos e reiteramos nossa visão positiva sobre a instituição;
  • Clique aqui para acessar o conteúdo completo.

TIM (TIMS3): Resultados do 1T23 em linha, mas com lucro acima do esperado

  • A TIM reportou sólidos resultados no primeiro trimestre, majoritariamente, em linha com nossas estimativas, acompanhado por um aumento no EPS. As receitas de serviço cresceram 20% em relação ao ano anterior, em linha com nossos números;
  • As receitas de serviços móveis (MSR) totalizaram R$5,2 bilhões no 1T, crescendo 21% em relação ao ano anterior, enquanto as receitas do segmento fixo reportaram um crescimento de 6%. O sólido crescimento da receita móvel foi impulsionado principalmente pelas receitas geradas pela base móvel adquirida da Oi e também, pelo desempenho dos segmentos pré e pós-pago;
  • Mantemos nossa classificação de compra e nosso preço-alvo YE23 de R$19/ação para a TIMS3 e reforçamos a TIMS3 como nossa escolha principal dentro da nossa cobertura do setor de telecomunicações do Brasil;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

CBA (CBAV3) | Resultados do 1T23: Desempenho operacional pressionado levou a outro trimestre fraco

  • Hoje (08), a CBA apresentou resultados fracos, ligeiramente abaixo de nossas estimativas;
  • O EBITDA ajustado ficou em R$ 84 milhões, -9% abaixo dos nossos números, refletindo uma estrutura de custos pressionada em meio aos baixos preços do alumínio;
  • Os principais destaques são: (i) resultados abaixo do esperado no segmento de energia; (ii) queima de FCL de R$ 475 milhões, principalmente devido ao maior capital de giro de R$ 313 milhões impactado por um aumento de estoques de R$ 188 milhões com previsão de reversão nos próximos trimestres; e (iii) menores vendas de alumínio primário (-14% T/T), que foram compensadas pelo maior comércio de lingotes (+7kt no 1T23) para atender a demanda de clientes;
  • Embora continuemos vendo valor de longo prazo na CBA, reconhecemos que as perspectivas de curto prazo devem permanecer pressionadas pelos atuais preços spot do alumínio;
  • Mantemos nossa recomendação de compra em CBAV3;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Natura &Co. (NTCO3): Resultados do 1º trimestre melhores, porém mistos

  • Forte expansão de margem mas desafios em Avon/TBS continuam;
  • Mantemos nossa recomendação de compra e preço-alvo de R$22,0/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Grupo SBF (SBFG3): Resultados fracos no 1T23

  • EBITDA acima das expectativas, mas negativamente compensado por despesas e queima de caixa;
  • Mantemos nossa recomendação de compra e preço-alvo de R$16,0/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Pague Menos (PGMN3): Resultados fracos do 1T23

  • Resultados fracos como o esperado; revisão do plano de expansão mas indicativos positivos para a Extrafarma;
  • Mantemos nossa recomendação de compra e preço-alvo de R$7,0/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Pela 1ª vez, Itaú tem lucro maior que Bradesco e Santander somados (Valor);
    • Inter anuncia ex-Safra e Itaú como diretor de concessão e recuperação de crédito (Valor);
    • Aplicativo do PicPay vira agregador financeiro para movimentação de contas bancárias (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo
  • Radar TMT: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Totvs: Lucro cresce 18,5% no 1º tri, para R$ 94 milhões; receita avança (valor);
    • Lucro da TIM no 1º trimestre soma R$ 412 milhões (valor);
    • MCom libera R$ 1,17 bi do Fust para BNDES operacionalizar linhas de créditos (teletime);
    • Vendas na internet caem 4,3% (valor);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Pague Menos corta projeção de novas lojas em 2023 em 66% por cenário macro e estoques (Folha);
    • Alpargatas: os desafios de sucessão de liderança que não cabem em um só cargo (Exame);
    • STF mantém revogação de decreto que reduzia tributos de grandes empresas (Folha);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Alimentos e Bebidas
      • Tyson Foods shares plunge after surprise loss, revenue forecast cut – Reuters;
      • África do Sul abre mercado para subprodutos de origem animal do Brasil – Broadcast.
    • Agro
      • Raízen lança nova marca para atuar no setor de energia elétrica – Raízen;
      • Fertilizantes: entrega ao mercado cresce 6,8% em fevereiro – Broadcast.
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • AES contrata Itaú BBA para buscar sócio no Brasil. (Valor Econômico);
    • Governo questiona regra na Eletrobras e ações caem. (Valor Econômico);
    • Cemig GT e fundações de previdência complementar fecham acordo de R$ 781 milhões. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Produção da 3R Petroleum sobe em abril. (Valor econômico);
    • Termos de oferta da Apollo e da Adnoc por Braskem dividem opiniões, dizem fontes. (Valor econômico);
    • Oil prices ease in cautious trade ahead of U.S. inflation data. (Reuters);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

Tudo sobre Renda Fixa no mês (e o que esperar)

  • A curva de juros encerrou o mês de abril com leve alta nos vértices mais curtos e queda nos vencimentos mais longos, reduzindo a inclinação. As principais diretrizes foram (i) os indicadores econômicos sinalizando resistência da economia aos efeitos da política monetária; e (ii) o texto do arcabouço fiscal enviado pelo governo ao Congresso. Acreditamos que as taxas de renda fixa continuam atraentes, mas há a necessidade de cautela em relação ao prazo do investimento, dados os riscos ainda presentes;
  • No mercado primário, houve aumento das emissões de debêntures no mês de abril frente a março. Entretanto, o volume ainda permanece abaixo no comparativo anual. Para debêntures incentivadas, o volume de março somou R$ 1 bilhão, com apenas uma emissão no mês. Já para os leilões de títulos públicos, nenhum papel conseguiu demanda equivalente a sua oferta em todas as semanas do mês de abril;
  • Enquanto isso, no mercado secundário, todos os títulos públicos terminaram o mês com valorização em decorrência da queda das taxas no período. Em relação aos próximos vencimentos de debêntures, dentro dos próximos seis meses, destacamos o mês de junho com a maior concentração, com R$ 5,2 bilhões a vencer;
  • Para maio, as atenções nos mercados permanecem na política fiscal do novo governo e na ata da última decisão de política monetária do Copom. Além disso, na seara internacional, os mercados permanecem atentos à saúde financeira dos bancos regionais nos EUA e aos dados de inflação nos EUA, China e Europa;
  • Acesse aqui o relatório completo.

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Light e Amazonas Energia correm o risco de não ter concessões renovadas, diz ministro (Valor Econômico);
  • Galípolo representa ‘mudança gradual’ no BC (Valor Econômico);
  • Setor de fundos tem novo mês negativo e acumula saques de R$ 118 bi no ano (Valor Econômico);
  • OPINIÃO: Muito ruído e pouco rumo, os males do Governo são (Brazil Jounal);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Fundos imobiliários mudam código de negociação e Ifix alcança marca após 6 meses (MoneyTimes);
    • FII de “papel” deixa 107 mil investidores sem dividendos pelo terceiro mês seguido (InfoMoney);
    • Fundos imobiliários têm boas perspectivas para maio; entenda os motivos (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Radar ESG | Cosan (CSAN3): Fortalecendo governança e impulsionando a agenda ESG em suas subsidiárias 

  • Com um modelo de gestão de ‘Holding’, a Cosan desempenha ativamente um papel de influência nas políticas de suas subsidiárias no que tange à agenda ESG, definindo direcionadores para os negócios do grupo, visando destravar valor e consolidar uma visão única;
  • No pilar (E), a Cosan vem buscando a diversificação do portfólio para gradualmente estar mais exposta à negócios de baixo carbono, além de buscar fortalecer medidas de mitigação das mudanças climáticas em suas subsidiárias, com metas de redução de emissões e investimento em tecnologia limpa. Na frente (S), destacamos o progresso na melhoria dos programas de gestão da força de trabalho, com uma abordagem de gestão transversal, enquanto no pilar (G), o mais relevante para a empresa, o progresso é evidente, principalmente frente à conclusão da reorganização corporativa, em resposta à pressão dos investidores por uma simplificação, além do desenvolvimento de comitês corporativos, de uma política de remuneração vinculada à critérios ESG, bem como a presença de uma equipe de gestão altamente qualificada, com habilidades complementares;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Fundo ambiental global com US$ 1,3 bilhão para projetos se reunirá no Brasil em junho | Café com ESG, 09/05

  • O mercado encerrou o pregão de segunda-feira em território positivo, com o Ibov e o ISE em alta de +0,8% e +0,7%, respectivamente;
  • No Brasil, o conselho do Global Environment Facility, mais antigo fundo ambiental global e conhecido pela sigla em inglês GEF, fará sua primeira reunião fora de Washington em junho – o encontro será sediado em Brasília, onde deve ser anunciado US$ 1,3 bilhão em projetos ambientais em vários países, podendo marcar o início do fundo para biodiversidade, o primeiro do gênero;
  • No internacional, (i) o financiamento para a Missão de Inovação Agrícola para o Clima (AIM for Climate), uma iniciativa lançada em 2021 e liderada pelos Estados Unidos e Emirados Árabes Unidos alcançou compromissos de mais de US$ 13 bilhões – o objetivo do fundo é contribuir para tornar a agricultura mundial mais sustentável e resiliente às mudanças climáticas; e (ii) os executivos-chefes (CEOs) dos cinco principais grupos de tecnologia da União Europeia pediram que Bruxelas altere a proposta de legislação sobre compartilhamento de dados, com o argumento de que as novas regras obrigariam suas empresas a revelarem segredos comerciais e dariam uma vantagem competitiva à China;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.