XP Expert

Reforma Tributária: evento da XP debate propostas e desafios

XP Investimentos promove painel com especialistas sobre perspectivas, propostas em discussões e entraves políticos da reforma tributária.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Acompanhe o evento AO VIVO
  • Passada a Reforma da Previdência na Câmara, a atenção do mercado e do mundo político se voltou para uma reforma que reduzisse o chamado custo Brasil.
  • Este é o tema central do painel que a XP Investimentos promove nesta segunda-feira, em São Paulo, reunindo especialistas do mercado financeiro e do mundo político.
  • Após o evento publicaremos nossas impressões e opiniões sobre as discussões.

Um contexto econômico

O Brasil possui elevada carga tributária, uma alta complexidade de impostos e um sistema regressivo, isto é, no qual pessoas de baixa renda pagam mais impostos como proporção da renda que pessoas de renda mais alta.

Tais características não vêm sem custo ao país e são responsáveis em grande medida pela baixa produtividade e pelo aumento da desigualdade econômica.

No que diz respeito à complexidade do nosso sistema tributário, o Brasil ocupa a 7a posição (entre 190 países) no ranking de dificuldade em se pagar impostos do Banco Mundial. Entre países latinos, o Brasil só não fica atrás da Bolívia e da Venezuela.

Já em termos de carga tributária, o Brasil ocupa a 34a posição (entre 174 países) no ranking da Heritage Foundation, com aproximadamente 33% do PIB pago em impostos diretos e indiretos (média simples e mediana entre países se situam em torno de 20%).

As propostas conhecidas neste momento não tratam da alta carga tributária (apontada como principal problema pela população, de acordo com a última pesquisa XP), uma vez que o país enfrenta a maior crise fiscal de sua história.

O foco central tem sido a redução da complexidade tributária através da unificação de impostos federais, estaduais e municipais que incidem em diversas partes da cadeia produtiva.

Um contexto político

O desafio de aprovar reformas no Congresso não pode ser subestimado. A da previdência, que tem sido discutida desde 2016, encaminha-se apenas agora para aprovação final pelo Senado. A reforma tributária, por sua vez, não é diferente.

O primeiro desafio é explicar para a população que a reforma não reduzirá a carga tributária, justamente o problema mais citado, como mostrado pela pesquisa XP/Ipespe sobre o tema. Em cenário no qual as contas públicas estão no vermelho, não há espaço para cortar impostos.

O segundo desafio é vencer resistências originadas do processo de formação de ganhadores e perdedores da reforma. Nessa dimensão, são dois conflitos principais: (i) a disputa entre setores que pagarão mais impostos e setores que pagarão menos impostos após a reforma e (ii) entre estados e municípios, que também serão divididos entre aqueles que ficarão melhor ou pior após a mudança nas regras.

Por fim, o principal desafio é o de obter coordenação política entre governo e Congresso para que sejam superadas as dificuldades ao longo da tramitação. Será um processo de idas e vindas e que deve se alongar para 2020.

O contraponto é que existe, de fato, apoio parlamentar à ideia de simplificação do sistema tributário e um desejo da equipe econômica para que ela avance o mais rápido possível. Esses são os ingredientes necessários para manter a pauta viva e, eventualmente, para que acordos sejam feitos para sua aprovação.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório foi preparado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º na Resolução CVM 20/2021. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas neste relatório refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo deste relatório na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e de informar o leitor. O responsável pela elaboração deste relatório certifica que as opiniões expressas nele refletem, de forma precisa, única e exclusiva, suas visões e opiniões pessoais, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a XP Investimentos. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida a sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.