Como investir em BDRs? Saiba como fazer na prática e siga o passo a passo

A mudança e a virada dos BDRs já começou; tenha um breve panorama desses ativos e saiba como investir de forma prática


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Como investir em BDRs? Saiba como fazer na prática e siga o passo a passo

*Este texto foi atualizado às 9h30 em 21/10/2020

Os Brazilian Depositary Receipts (BDRs) nunca foram tão conhecidos como atualmente e tão falados no mercado financeiro. Antes, eram colocados um pouco de lado por não serem tão acessíveis e por ter pouca liquidez, isto é, com baixa procura pela negociação desses papéis. Mas a mudança e a virada dos BDRs já começou: a CVM liberou o acesso a esse tipo de investimento para todos os brasileiros a partir de 22 de outubro e a tendência é que a liquidez vá aumentando e tornando esse investimento cada vez mais atrativo.

Conheça mais sobre os BDRs e saiba exatamente como investir no exterior. E lembre-se sempre de respeitar o seu perfil de investidor e consultar o seu assessor antes de tomar qualquer decisão de investimentos.

O que são e como funcionam os BDRs?

“Os Brazilian Depositary Receipts Patrocinados (BDR) são valores mobiliários emitidos no Brasil, que possuem como lastro ativos, geralmente ações, emitidos no Exterior”. Essa é a definição oficial da B3. Em outras palavras, e de forma mais simplificada, esses ativos funcionam como espelhos das ações de Bolsas internacionais. É, basicamente, um instrumento financeiro disponível na Bolsa brasileira que acessa as ações oficiais de empresas lá fora de uma forma indireta.

Portanto, você pode comprar BDRs das principais empresas do mundo, mas lembre-se: diferentemente das ações, ao investir nos BDRs você não se torna sócio das companhias. O investimento contempla somente a movimentação, ou seja, acompanha a valorização ou desvalorização do ativo oficial.

Os BDRs são uma das formas de empresas estrangeiras expandirem seus horizontes e conseguir que mais investidores tenham acesso, mesmo que indiretamente, aos seus papéis.

Além disso, para os investidores brasileiros interessados em aportar dinheiro nessas companhias, esse instrumento da Bolsa brasileira é ideal considerando as inúmeras dificuldades e barreiras de se investir diretamente lá fora, como a negociação mais complexa e com mais custos, funcionamentos diferentes das corretoras e das regulações de mercado, a língua, os diferentes horários por causa dos fusos, entre outras questões.

Entenda a emissão dos BDRs

Para um BDR existir na Bolsa brasileira, é preciso que uma instituição financeira, neste caso chamada de custodiante ou depositária, se encarregue de emitir esse tipo de investimento. O emissor é a ponte que permite a criação dos BDRs para os investidores brasileiros terem acesso indireto às ações das companhias listadas nas Bolsas internacionais.

A instituição depositária emite os BDRs, estrutura e coordena o lançamento desses ativos na Bolsa brasileira, obtendo o registro do programa de BDRs com a CVM, bem como do registro de emissor estrangeiro perante a CVM, quando esse for exigido. Outras funções dos emissores de BDRs são: coordenar a distribuição no mercado brasileiro de proventos a quem investiu no papel lastreado, como, dividendos, bonificações, direitos de subscrição e outros e, também, divulgar informações sobre as ações da companhia lá fora.

Conheça os tipos de BDR

Há dois grupos de BDR atualmente na Bolsa brasileira e as diferenças entre eles influenciam para os investidores. Você pode se deparar ou com BDRs patrocinados, que são subdivididos em níveis I, II e III, e BDRs não patrocinados.

Nível I

Esse tipo de BDR não precisa do registro na CVM da companhia que tem as ações no exterior. Além disso, os BDRs Nível I só podem ser negociados em mercados de balcão e em segmentos bastante específicos. Nesse caso, a instituição depositária deve replicar, para os investidores do Brasil, todas as informações que a empresa que detém as ações na Bolsa internacional estiver divulgar no país de origem

Níveis II e III

Nesses dois tipos de BDRs, a empresa emissora das ações no exterior precisa ser registrada na CVM. Os BDRs de Nível II e III, além disso, são menos restritos. Portanto são negociados no pregão habitual da Bolsa brasileira ou em balcão.

Assim como as maiores empresas da Bolsa brasileira, que estão no Novo Mercado, a categoria mais alta do mercado acionário nacional, os BDRs desses níveis precisam seguir as mesmas regras.

A diferença entre esses dois tipos de BDRs Patrocinados é a seguinte: os de Nível II só são emitidos por meio de ofertas públicas do tipo “esforços restritos” e as de Nível III não têm essa restrição.

Não Patrocinados

Os BDRs Não Patrocinados são aqueles em que a iniciativa de se criar esse instrumento não parte das empresas estrangeiras. A importância de saber essa diferença é que a maioria dos BDRs na Bolsa são desse tipo.

Nesse caso, a instituição financeira habilitada a criar um BDR tem como principal objetivo ampliar o leque de investimentos aos seus clientes, sem qualquer acordo com a empresa listada lá fora, mas com a premissa de que todas as informações relevantes da companhia, cujo lastro forma o BDR, sejam devidamente divulgadas.

Como investir em BDRs? Saiba o passo a passo

Como já vimos as diferenças entre os tipos de BDRs, para investir se nota também essas distinções. Para a identificação dos BDRs é preciso saber os tickers, isto é, os códigos de negociação de cada um, e isso varia conforme o tipo. Veja o modelo abaixo:

XXXXYY
XXXX = 04 letras maiúsculas que representam o nome da empresa
YY = número que representa o BDR P Nível I

XXXX32
XXXX = 04 letras maiúsculas que representam o nome da empresa
32 = número que representa o BDR P Nível II

XXXX33
XXXX = 04 letras maiúsculas que representam o nome da empresa
33 = número que representa o BDR P Nível III

Agora que você já reconheceu o ticker do BDR que você quer investir, é hora de saber qual é o passo a passo que você deve seguir.

1) Abra uma conta em uma corretora

Primeiramente, para investir em BDRs você deve ter uma conta em uma corretora. No caso, vamos explicar como funciona com a plataforma da XP Investimentos. Se você ainda não tem conta na XP, abra a sua aqui.

2) Entre na sua conta

Entre na sua conta da XP e acesse o Home Broker, a plataforma utilizada para fazer operações na Bolsa. Para acessar é preciso estar na área logada, portanto, insira seu login e senha para entrar na conta. Ao fazer isso, é possível ir direto para o Home Broker se você quiser. Mas antes disso, faça uma transferência para a conta na corretora para investir nos produtos. Feito isso, basta clicar no campo onde está escrito “Direto para o Home Broker”.

tela entrar do home broker

3) Acesse o Home Broker na área logada

É possível acessar o home broker por meio da área logada, caso você não opte por ir da forma direta. Assim que você loga, aparece a página inicial de sua carteira de investimentos. Na parte de cima, clique na aba “Home Broker”. Em seguida, surgirá a página da plataforma de negociação.

página inicial do home broker

tela do home broker

4) Escolha o BDR que você quer comprar ou vender

Chegou a hora de escolher o BDR que você pretende comprar ou vender. Como fazer isso? Na parte de cima do Home Broker há dois botões, um verde e um amarelo, dizendo “vender” e “comprar”.

tela do home broker

Ao clicar em qualquer um dos campos, aparecerá uma caixa de negociação, na qual você pode fazer qualquer ordem básica. Para escolher a ação, insira o ticker do BDR no campo “Ativo”. O ticker é o código de negociação de um ativo na Bolsa. Por exemplo, apenas para fins ilustrativos: Apple (Ticker: AAPL34)

5) Insira a quantidade

O próximo passo é definir a quantidade de compra ou venda. Os BDRs costumavam negociar suas ações por lotes-padrão, que eram pacotes contendo 100 ou 10 títulos, a depender do BDR. Mas para fomentar o investimento e atrair mais investidores, a B3 resolveu não trabalhar com um lote e sim com a unidade. Ou seja, você pode investir, por exemplo, em 80 unidades de um BDR escolhido, não precisando mais adquirir um pacote fechado preestabelecido de 100 ou 10 unidades, como era antes.

Fique atento aos custos de corretagem e operacionais. Verifique com o seu assessor ou leia no regulamento da corretora para saber mais informações. E sempre tenha a diversificação de ativos como um de seus princípios básicos para tentar minimizar os riscos.

6) Confirme sua assinatura eletrônica para enviar a ordem

O último passo, por fim, é inserir a sua assinatura eletrônica para enviar a ordem e confirmar a transação.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.


Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.