XP Expert

Raio-XP: O caminho a seguir – riscos políticos no Brasil e reabertura econômica na China

Nesse Raio-XP da Bolsa, iremos destacar e relembrar os principais acontecimentos do mês que serão relevantes para entender o que virá pela frente. Além disso, destacaremos o Valuation da Bolsa brasileira, que segue barata. Atualizamos nossas carteiras recomendadas.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

O que você vai encontrar nesse relatório:

Janeiro foi marcado por uma alta forte nos mercados globais impulsionada principalmente pelas expectativas de que o Federal Reserve esteja desacelerando o ritmo de alta dos juros. Além disso, a economia global tem se mostrado mais resiliente, e a temporada de resultados do 4T22 para as empresas americanas está indo melhor do que o esperado. No Brasil, o mês também foi positivo, mas marcado por muita volatilidade. A Bolsa subiu 3,4% em reais, e, ajudada por uma valorização do real contra o dólar, 7,3% em dólares.

A política está sempre nas notícias no Brasil, mas ela realmente afeta os mercados? Desde os anos 2000, o país passou por alguns momentos marcantes na esfera política: 1) a invasão do Congresso Nacional em 2013; 2) o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (iniciado em dezembro/2015 e encerrado em agosto/2016); 3) Joesley Day (quando o presidente Michel Temer teve áudios de suas conversas com o presidente da JBS (JBSS3) vazados, em 2017); e agora 4) a recente invasão dos Três Poderes em janeiro de 2023. Mas a pergunta é: esses momentos de instabilidade política afetam a Bolsa brasileira? Analisamos mais a fundo nesse Raio-XP.

No mundo, a reabertura da China tem sido um tema muito relevante. O fim da política de zero-Covid levou a um rali em commodities, como cobre e minério de ferro, e tem contribuído para alguns setores da bolsa brasileira. Uma lista de ações brasileiras com grande exposição à China subiu +36% desde outubro, contra apenas +4% do Ibovespa no período.

Nós continuamos enxergando a Bolsa brasileira como atrativa, negociando em um P/L de 6,9x, mais de 40% de desconto em relação à média histórica. Porém, mantemos o valor justo do Ibovespa em 125 mil pontos ao final de 2023. As altas taxas de juros no Brasil atualmente (juros reais dos títulos NTN-B acima de 6,4%) acabam por limitar o potencial de valorização das ações brasileiras. Logo, para vermos uma alta mais forte da Bolsa, é necessário que vejamos uma queda nas taxas de juros ao longo do ano – principalmente as taxas de longo prazo, que variam mais com a política fiscal e expectativas. Por isso, a seleção de ações bem feita deverá ser mais importante do que nunca.

Por fim, para o mês de fevereiro, estamos fazendo alterações nas nossas carteiras Top 10 XP, Top Small Caps XP, Top Dividendos XP e a Carteira ESG XP.

Conteúdo exclusivo para clientes XP
A conta XP é gratuita. Abra a sua agora!

Cadastrar

Já é cliente XP? Faça seu login

Invista melhor com as recomendações
e análises exclusivas dos nossos especialistas.

Janeiro foi marcado por uma alta nos mercados globais impulsionada principalmente pelas expectativas de que o Federal Reserve esteja desacelerando o ritmo de alta dos juros. Além disso, a temporada de resultados do 4T22 para as empresas americanas está indo melhor do que o esperado, com cerca de 70% das empresas do S&P 500 superando as estimativas, mas as expectativas já haviam sido revisadas para baixo e a barra já estava mais baixa. Como resultado, os mercados globais subiram 7,1% no mês passado, com o S&P 500 encerrando seu melhor janeiro desde 2019 e o Nasdaq registrando seu melhor janeiro desde 2001.

No Brasil, o mês também foi positivo, mas marcado por muita volatilidade. Nos primeiros dias de 2023, os mercados reagiram de forma muito negativa ao primeiro discurso do recém-eleito presidente Lula. E no dia 8 de janeiro, os investidores foram surpreendidos com a invasão do Congresso Nacional, do Palácio do Planalto e do Supremo Tribunal Federal (STF). Na mesma semana, a Americanas (AMER3) divulgou um fato relevante anunciando a renúncia do CEO e do CFO, devido a inconsistências contábeis da ordem de R$ 20 bilhões (Veja todos os detalhes aqui).

Apesar desses eventos, os ativos brasileiros ainda tiveram um janeiro sólido. O Ibovespa subiu 3,4% em reais e 7,4% em dólares, ainda amparado pelo fluxo de capital estrangeiro de mais de R$ 10 bilhões no mês passado. E o real continuou se valorizando em relação ao dólar, subindo 4,1%.

Fonte: Bloomberg, XP Research. Dados até 31/01/2023.

Olhando para os setores, vimos em Janeiro alguma reversão do desempenho do ano passado. O setor de Varejo acumula agora a melhor performance, depois de alguns anos em território negativo, seguido pelo setor Imobiliário, que tem mostrado grande resiliência. Em commodities, Mineração e Siderurgia continua a subir impulsionado pelo fim da política zero-Covid na China.

Fonte: Bloomberg, Economatica, Reuters e XP Research. Desempenho dos setores em 30/1/2023.

No Brasil, a política está sempre nas notícias, mas ela realmente afeta os mercados?

Uma semana após a posse do presidente Lula, manifestantes invadiram e destruíram o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal (STF). Embora houvesse uma preocupação inicial de uma crise institucional, o evento foi contornado pelos mercados com bastante facilidade, depois que a invasão foi rapidamente contida pela polícia e as autoridades condenaram os atos. No entanto, a instabilidade política não é novidade no Brasil.

Fonte: Economic Policy Uncertainty, XP Research. Dados até 31/1/2023.

Desde os anos 2000, o país passou por alguns momentos marcantes na esfera política: 1) a invasão do Congresso Nacional em 2013; 2) o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (iniciado em dezembro/2015 e encerrado em agosto/2016); 3) Joesley Day (quando o presidente Michel Temer teve áudios de suas conversas com o presidente da JBS (JBSS3) vazados, em 2017); e agora 4) a recente invasão dos Três Poderes em janeiro de 2023.

Mas a pergunta é: esses momentos de instabilidade política afetam o mercado brasileiro?

Analisamos o desempenho das ações e do Real contra o Dólar nos eventos mencionados acima, comparando-o com os desempenhos do MSCI ACWI e MSCI EM no mesmo período:

Fonte: Bloomberg, XP Research.

Pela tabela, eventos menores que foram rapidamente contidos pela polícia, como as invasões de 2013 e 2023, não tiveram impacto forte ou duradouro no Ibovespa ou na moeda brasileira.

Eventos mais intensos, como o Joesley Day e a greve dos caminhoneiros, impactaram negativamente o Ibovespa, que teve um desempenho bem pior que seus pares. Quando analisamos o Real nesses dois eventos, apenas o primeiro teve um impacto significativo sobre a moeda, possivelmente porque ameaçou diretamente o gabinete presidencial, sendo Michel Temer um presidente bem visto pelo mercado.

Já no caso do impeachment de Dilma Roussef, o impacto foi relativamente positivo tanto para o Ibovespa – que superou seus pares globais – quanto para a moeda brasileira, tendo em vista que o governo e suas políticas fiscais não foram muito bem vistos pelo mercado.

Fora do Brasil, a reabertura da China tem sido um dos principais temas

A postura do governo chinês está finalmente clara: o país, após três anos de rígidas restrições de mobilidade, vai reabrir. Espera-se agora que a China passe pelo período de recuperação econômica visto em outras regiões do mundo anteriormente, quando reabriram.

Com o fim da política de zero-Covid, o país deve finalmente entrar em um ciclo de recuperação econômica. Nossa equipe de Economia Global espera que o PIB cresça 5,5% em 2023. Esperamos uma forte recuperação da atividade econômica devido ao dinamismo interno do país, e que ela consiga compensar uma possível queda nas exportações globais com a perspectiva de desaceleração de outras economias. A reabertura deve ser impulsionada principalmente pelo consumo, já que os chineses economizaram um recorde de 33% de sua renda disponível em 2022 como resultado das restrições.

Como mencionamos em nosso último Xpresso: Onde está o consenso do mercado agora?, um dos principais temas para os investidores globais adicionarem ativos brasileiros em sua carteira, é que o Brasil é visto como um beneficiário direto da reabertura da economia chinesa em 2023, dada a alta exposição a commodities no índice e na balança comercial. O Ibovespa tem 38% de exposição a commodities e a China responde por 25% da balança comercial do país.

Olhando para as empresas mais diretamente expostas à reabertura econômica da China, vemos que elas se recuperaram bastante com as notícias de flexibilizações no país. Uma cesta de ações brasileiras – distribuídas com pesos iguais – com mais de 10% de seu faturamento vindo da China subiu 36% desde outubro do ano passado, comparado a apenas 4% do Ibovespa no mesmo período.

Fonte: Bloomberg, Economatica, Factset, XP Research. Dados até 30/1/2023.
Fonte: Bloomberg, Economatica, Factset, XP Research. Dados até 30/1/2023.

Como se posicionar nesse cenário?

Mesmo com sinais de reabertura econômica da China, os riscos de recessão ainda estão presentes na economia global e os riscos políticos e fiscais no Brasil permanecem. Devemos continuar vendo alta volatilidade nos mercados e, portanto, preferimos nos posicionar de forma mais defensiva.

Continuamos a evitar ações com altos valuations, portanto, ações de Crescimento, como e-commerce, ações do setor de Varejo em meio a um cenário macro ainda muito desafiador, e ações que se correlacionaram muito negativamente com taxas crescentes de juros, como Construtoras, que também são afetadas pelas incertezas na política fiscal.

Seguimos posicionados em exportadores com receita em dólar como JBSS3, e substituímos empresas com upside limitado no curto prazo (como BEEF3) por empresas com perfil defensivo para 2023 (como BLAU3).

Por fim, continuamos a focar nos principais temas: 1) commodities; 2) histórias de crescimento secular e 3) Qualidade a um preço razoável (“QARP”).

Continuamos a ver as ações brasileiras como atrativas

Continuamos a ver as ações brasileiras negociando em níveis de valuation atraentes, com um P/L projetado para os próximos 12 meses de 6,9x, um desconto de quase 40% em relação a média de 15 anos em 11,0x. Quando retiramos Commodities ou Vale e Petrobras do índice, o P/L vai para 9,5x e 9,1x, respectivamente, ambas abaixo de suas médias históricas. Também vemos que a maioria dos setores está negociando com múltiplos P/L projetados abaixo ou em suas médias históricas.

Por fim, o Prêmio de Risco para ações brasileiras, que compara o rendimento dos rendimentos com taxas de juros reais, mostra que as ações brasileiras estão baratas mesmo considerando o alto nível dos juros locais. O valor atual do Prêmio de Risco está em 8,8%, ainda acima da média histórica.

Fonte: Bloomberg, XP Research. Dados de 31/1/2023
Fonte: Bloomberg, XP Research. Commodities são os setores Materiais e Energia. Dados de 31/1/2023
Fonte: Bloomberg, MSCI, XP Research. Dados de 31/1/2023.

Mantemos o nosso valor justo do Ibovespa em 125.000 pontos

Neste mês, mantemos nosso valor justo para o Ibovespa em 125.000 para o ano de 2023. Nosso valor justo para o Ibovespa é calculado como uma média de três metodologias: 1) um modelo de Fluxo de Caixa Descontado, que atualmente assume um Custo Médio Ponderado de Capital (WACC) de 12,2% 2) um modelo P/L alvo, que assume um múltiplo de 8x, ainda abaixo da média histórica de 11x, e 3) modelo de EV/EBITDA de 5,5x, também abaixo da média histórica de 6,5x.

Para ver mais vantagens no valor justo do Ibovespa, precisaríamos ver: 1) estimativas de consenso de lucro por ação subindo e/ou 2) múltiplos revaluations, que podem vir de fortes entradas, bem como juros reais locais mais baixos cotações.

Fonte: Bloomberg, XP Research. Dados de 31/01/2023

Top 10 ações XP

Essa carteira de ações é composta por 10 papéis que são os top picks dos nossos analistas do Research XP. A composição da carteira é analisada mensalmente pelos analistas da equipe, e ela pode ou não sofrer alterações a cada mês. O objetivo da Carteira Top 10 é superar o desempenho do índice Ibovespa no horizonte de longo prazo.

Na Carteira Top 10 Ações desse mês, trocamos um papel do setor de Transportes por outro do mesmo setor.

Clique aqui para ver todos os detalhes da nossa Carteira Top 10 XP.

Top Dividendos XP

Para quem é essa carteira: para o investidor em busca de ações que têm boa perspectiva de distribuição contínua de lucros. O investimento em dividendos oferece uma alternativa para quem busca menor volatilidade e oportunidade de criar um fluxo de renda recorrente, além do crescimento do valor de mercado do portfólio pela valorização das ações.

Na Carteira Top Dividendos XP desse mês, optamos por não realizar nenhuma alteração.

Clique aqui para ver todos os detalhes da nossa Carteira Top Dividendos XP.

Top Small Caps XP

Para quem é essa carteira: para o investidor que busca alocação em ações com alto potencial de crescimento. A carteira Top Small Caps XP é composta pelas ações de menor valor de capitalização que são as top picks dos nossos analistas do Research.

Na Carteira Top Small Caps XP desse mês, retiramos um papel do setor de Agro e substituindo por um papel do setor de Saúde.

Clique aqui para ver todos os detalhes da nossa Carteira Top Small Caps XP.

Top ESG XP

Esta carteira é composta pelas 10 principais ações (com peso semelhante de 10% cada) que combinam altos padrões ESG e fundamentos sólidos, com o objetivo de superar o índice B3 ISE no longo prazo. Ela é revisada mensalmente e pode ou não mudar a cada mês.

Na Carteira Top ESG XP desse mês, estamos tirando um nome do setor de Bebidas e adicionando um papel do setor de Papel e Celulose.

Clique aqui para ver todos os detalhes da nossa Carteira Top ESG XP.

XP Expert
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.