Radar Energia XP | 29/10

Criamos este relatório com notícias do setor de energia que complementam nossos comentários publicados no Morning Call.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre os principais assuntos, tendências e companhias que formam o setor. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo que tem impactos diretos ou indiretos no setor; e (ii) Nossos últimos relatórios publicados.

Gostaria de receber esse conteúdo por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!

Elétricas e Saneamento

XP mira mercado elétrico com estruturação de opções de energia
A XP reforçou sua aposta no mercado elétrico nesta semana com a estruturação de opções de energia. No início do ano, a empresa revelou seus planos para se aproximar do mercado livre de energia elétrica com a criação de uma comercializadora e agora deu mais um passo com o lançamento dos derivativos. (Valor Econômico)

Equatorial paga R$ 6,7 bilhões pela Echoenergia, especializada em fontes renováveis
A Equatorial Energia anunciou nesta quinta feira (28) a compra da Echoenergia, especializada em energias renováveis, pelo valor aproximado de R$ 6,7 bilhões. O acordo da operação foi assinado com o fundo de investimentos Ipiranga. De acordo com a companhia, a compra permitirá a ampliação da sua capacidade operacional, contribuindo para a consolidação de sua posição no setor. (Estadão)

Lucro da ISA Cteep cai no 3º trimestre para R$ 723 milhões
A transmissora ISA Cteep obteve um lucro líquido atribuído aos acionistas controladores de R$ 723 milhões, queda de 12,8% no comparativo anual. A receita líquida atingiu R$ 1,49 bilhão, aumento de 47,9% no comparativo anual. (Valor Econômico)

ISA Cteep atinge novo patamar de investimentos no país
Uma das maiores transmissoras de energia do país, a ISA Cteep vem elevando o volume de aportes para ampliar e modernizar sua rede. De janeiro a setembro deste ano, a companhia investiu cerca de R$ 2,6 bilhões em projetos de reforços e melhorias, empreendimentos “greenfields” (do zero) e aquisições. O montante representa um aumento expressivo em relação aos patamares de 2020, de 182,9%. (Valor Econômico)

Cemig avalia fazer emissão de dívidas para financiar investimento bilionário
A Cemig estuda fazer uma emissão de dívidas para fortalecer o caixa no momento em que a companhia põe em prática um programa de investimentos de R$ 22,5 bilhões de 2021 a 2025. Para 2022, os investimentos previstos são da ordem de R$ 3 bilhões. (Valor Econômico)

Comissão da crise hídrica no Senado quer debate ‘técnico e econômico’ do cenário energético
Eleito presidente da Comissão Temporária da Crise Hídrica no Senado, o senador Jean Paul Prates (PT-RN) assegurou que os trabalhos do colegiado serão conduzidos de forma a privilegiar o debate “técnico e econômico” sobre o cenário energético do país, afetado pela estiagem severa na região centro-sul. A nova comissão temporária conta com 11 membros e terá um prazo inicial de funcionamento de 180 dias. (Valor Econômico)

Oposição fica com comando da Comissão da Crise Hídrica no Senado
O Senado instalou nesta quinta (28) a Comissão Temporária Externa de Acompanhamento da Crise Hídrica, que terá duração de 180 dias. O colegiado será presidido pelo líder da Minoria no Senado, Jean Paul Prates (PT/RN), e com relatoria de José Aníbal (PSDB/SP). A vice-presidência será ocupada pelo senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB/PB). (epbr)

Avanços firmes dos investimentos em energia eólica
Na última década, as plantas de energia eólica receberam investimentos próximos a US$ 35,8 bilhões, o que permitiu ao setor multiplicar em quase 11 vezes sua capacidade instalada, saindo de 1.524 megawatts (MW) em 2011 para 17.747 MW em 2020, segundo Elbia Gannoum, presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica).

Mercado regulado pode deslanchar no país
Uma agenda central da COP26 deve ajudar a destravar um mercado novo no Brasil. A criação de um comércio regulado internacional de crédito de carbono, prevista no artigo 6 do Acordo de Paris, é vista por especialistas como urgente e necessária para equalização das emissões de gases do efeito-estufa (GEE) no mundo. Mas, para participar dessas negociações compensatórias, o Brasil precisa antes estabelecer seu próprio marco regulatório. (Valor Econômico)

Aneel altera regras sobre indisponibilidade de termelétricas
A Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou a revisão da Resolução Normativa nº 614, na parte que trata dos critérios de indisponibilidade e inflexibilidade de usinas termelétricas. A mudança acontece após sete anos de vigência da norma, em razão de alterações no sistema, na legislação e no arcabouço regulatório nesse período. (Canal Energia)

Bandeira tarifária verde só em seis ou oito meses, diz CEO da Neoenergia
Diante da pior crise hídrica em quase um século, o diretor-presidente da Neoenergia, Mario Ruiz Tagle, afirmou em teleconferência com analistas que a expectativa da bandeira tarifária de energia se mantenha em patamares elevados nos próximos meses para diminuir o impacto de um futuro empréstimo das distribuidoras. (Canal Energia)

Senado instala comissão para avaliar crise hidroenergética
O Senado criou uma comissão temporária externa para averiguar as causas e os efeitos da crise hidroenergética no país. O grupo composto por 11 titulares e 11 suplentes foi instalado nesta quinta-feira, 28 de outubro, e aprovou requerimento convidando o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, para a primeira de uma série de audiências públicas a serem promovidas nas próximas semanas. (Canal Energia)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$84,39/Barril +0,08%

CÂMBIO

R$5,62/USD +1,26%

Bolsonaro defende “papel social” e um “lucro não muito alto” para Petrobras
O presidente Jair Bolsonaro criticou hoje o fato de o preço dos combustíveis no Brasil estar atrelado à paridade internacional, defendeu que a Petrobras precisa ter um “papel social” e realizar lucro “não muito alto”. (Valor Econômico)

Petrobras reverte prejuízo e registra lucro de R$ 31,14 bilhões no 3º trimestre
A Petrobras teve lucro de R$ 31,14 bilhões no terceiro trimestre deste ano. No mesmo período do ano passado, a estatal reportou prejuízo de R$ 1,5 bilhão. No segundo trimestre, a companhia teve lucro de R$ 42,855 bilhões. (Valor Econômico)

Pacheco volta a falar em “ajuste” na política de preços da Petrobras
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), voltou a defender hoje que a Petrobras analise a possibilidade de um “ajuste” na sua política de preços de combustíveis, em especial no que se refere à vinculação ao dólar. Pacheco afirmou que deve ter uma reunião com a diretoria da Petrobras sobre este tema na semana que vem, após o feriado de Finados, e pretende levar consigo representantes dos governadores. (Valor Econômico)

FGV: Câmbio e combustíveis devem manter IGP-M pressionado até o fim do ano
O avanço dos combustíveis, sobretudo o diesel, da energia elétrica e a desvalorização cambial devem manter o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) pressionado pelo menos até o fim do ano. O cenário agora, porém, é um pouco mais benigno por causa da perda de fôlego das commodities, e taxas mensais na faixa entre 2% e 3%, como observado até meados. (Valor Econômico)

Petrobras: Dividendos de 2021 pagos à União chegam a R$ 23,3 bilhões
A estatal destacou que a União receberá em dividendos entre agosto e dezembro um valor equivalente, por exemplo, ao custeio de dois meses e meio do Benefício Emergencial em 2021. (Valor Econômico)

Rio quer abater pendência da Petrobras de dívida
O governo do Rio planeja usar débitos da Petrobras com o Estado para abater dívida com a União no novo Regime de Recuperação Fiscal (RRF). Em evento da Associação Comercial (ACRJ), ontem, o secretário da Fazenda, Nelson Rocha, disse que a estatal tem a maior parcela na dívida ativa do Estado e por ser controlada pela União, reforça a coerência da estratégia. (Valor Econômico)

Câmara aprova auxílio gás e mantém Cide como fonte de financiamento
Os deputados aprovaram a maior parte das mudanças sugeridas pelos senadores ao texto, de autoria do deputado Carlos Zarattini (PT/SP) e outros. A estimativa do custo do benefício, que será concedido a cada dois meses e deve durar cinco anos, é de cerca de R$ 592 milhões. (epbr)

ANP define novas tarifas de transporte extraordinário para 2022
Os novos valores, que valem para a TAG e NTS, incorporam o fator locacional, que introduz a distância como um dos elementos para o cálculo tarifário. (Petróleo Hoje)

Preços da gasolina e do gás de cozinha no Brasil caminham para recorde no século, diz OSP
Os preços da gasolina e do gás liquefeito de petróleo (GLP), o gás de cozinha, no Brasil caminham para atingir, em outubro, os patamares mais altos deste século, tanto em valores nominais quanto reais (ajustado à inflação), aponta o monitor de preços do Observatório Social da Petrobras (OSP). (Valor Econômico)

ANP aprova regulamento de novo modelo para venda de biodiesel
A diretoria da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou, nesta quinta-feira (28/10), a resolução que regulamenta o novo modelo de comercialização de biodiesel. O sistema entrará em operação em 2022 em substituição aos leilões públicos, para atendimento do percentual de mistura obrigatória ao diesel de origem fóssil. (Valor Econômico)

Petróleo fecha sem direção única, com oferta e atividade econômica no radar; gás recua
O WTI terminou em alta, reagindo ao dado do PIB dos EUA, e o petróleo tipo Brent fechou em baixa, com os investidores monitorando as negociações do Irã sobre o acordo nuclear; gás natural tem forte queda. (Valor Econômico)

Petroleira Karoon dobra a aposta no Brasil
A petroleira australiana Karoon anunciou um novo planejamento estratégico, com foco na expansão no mercado brasileiro. O plano prevê investimentos de cerca de US$ 300 milhões para mais que dobrar a produção até 2023, ao mesmo tempo em que a companhia busca novas oportunidades de aquisições no país. Com o aumento da pressão de investidores pela transição energética na indústria petrolífera, a empresa começará a comprar, nos próximos meses, créditos de carbono, como compensação para as emissões. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.