XP Expert

Temores de altas mais fortes nos juros dos EUA seguem no radar

Possível alta de juros mais forte é um dos temas de maior destaque nesta sexta-feira, 17/02/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +0,31% | 109.941 Pontos

CÂMBIO -0,10% | 5,22/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

Mercados amanhecem negativos, com investidores preocupados que o Federal Reserve (Fed) possa promover altas de juros mais fortes, após falas de seus integrantes e dados de inflação e atividade econômica acima das expectativas. Em dia de agenda internacional e doméstica esvaziadas, destaque para discurso de membros do Fed.

Brasil

O Ibovespa fechou em alta de 0,31%, a 109.941 pontos. O principal índice da Bolsa brasileira conseguiu se descolar do que foi visto nos Estados Unidos, com novas notícias do cenário político local. O dólar comercial teve queda de -0,10%, a R$ 5,22. As taxas futuras de juros fecharam em queda à medida que a temperatura do conflito entre o governo e o Banco Central esfria. Os agentes ajustaram suas posições no mercado de juros e retiraram parte dos prêmios incorporados na curva nos últimos dias. DI jan/24 caiu de 13,27% para 13,205%; DI jan/25 recuou de 12,59% para 12,535%; DI jan/26 passou de 12,69% para 12,675%; DI jan/27 oscilou de 12,865% para 12,87%; e DI jan/33 recuou de 13,395% para 13,37%.

Mundo

Bolsas internacionais amanhecem negativas (EUA -0,7% e Europa -0,7%) à medida que dados de inflação elevados e pronunciamentos de membros do Federal Reserve alimentaram preocupações com novos aumentos na taxa de juros americana. Nesta quinta-feira, a inflação ao produtor (PPI) veio acima do esperado ao registrar um aumento de 0,7% m/m vs. 0,4% das estimativas do consenso. Na Europa, Isabel Schinabel, membro do Banco Central Europeu, disse que o mercado está subestimando os riscos de uma inflação mais persistente na região e ainda há um longo caminho de aperto monetário. Na agenda econômica, o destaque ficará por conta da divulgação dos dados da inflação ao produtor (PPI) da Alemanha. Na China, o índice de Hang Seng (-1,3%) encerra sua terceira semana consecutiva em campo negativo, ao passo que os temores com as tensões geopolíticas seguem no radar.

Inflação nos EUA

O Índice de Preços ao Produtor (PPI) dos Estados Unidos subiu 0,7% em janeiro, aumentando 6,0% nos 12 meses encerrados em janeiro de 2023 – ambos acima da expectativa do consenso. Após fortes dados de atividade e inflação nos últimos dias, os mercados começaram a discutir se o Federal Reserve precisará aumentar os juros em 0,50pp em sua próxima reunião de política monetária. Em janeiro a autoridade monetária optou por reduzir o ritmo de alta para 0,25pp. A presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, disse que havia argumentos econômicos convincentes para ter mantido o ritmo de 0,50pp em janeiro. James Bullard, presidente do Fed de St. Louis, disse que não descartaria defender a alta de 0,50pp em março. Ainda assim, o dólar se fortaleceu e os mercados acionários caíram com essa discussão.

IBC-Br no Brasil

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) – uma proxy mensal para o PIB do Brasil – subiu 0,3% em dezembro em relação a novembro, encerrando uma sequência de quatro quedas consecutivas. Esse resultado foi um pouco melhor do que a estimativa do consenso de mercado (0,1%). A estimativa do time de Economia da XP para crescimento do PIB do quarto trimestre é de 0,1% no trimestre. Com o resultado de ontem, IBC-Br registrou expansão de 2,9% em 2022.

Entrevista do presidente Lula

No Brasil, o presidente Lula disse, mais uma vez, que não há razão para os juros estarem tão altos, pois – a seu ver – a atual alta da inflação não é impulsionada pela demanda. Em entrevista à CNN Brasil, Lula reafirmou que vai esperar o fim do mandato do presidente do Banco Central, Roberto Campos, para então avaliar se a independência do BC foi positiva para a economia brasileira. Ele também anunciou o aumento do salário mínimo a partir de maio e redução do imposto de renda da pessoa física.

Veja todos os detalhes

Agenda de resultados

Calendário do 4T22
Temporada de resultados do 4º trimestre 2022 – o que esperar?

Economia

Fed vai reacelerar o ritmo de alta de juros?

  • Após fortes dados de atividade e inflação nos últimos dias, os mercados começaram a discutir se o Federal Reserve – Fed, o banco central dos EUA – precisará aumentar os juros em 0,50pp em sua próxima reunião de política monetária. Em janeiro a autoridade monetária optou por reduzir o ritmo de alta para 0,25pp. A presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, disse que havia argumentos economicos convincentes para ter mantido o ritmo de 0,50pp em janeiro. James Bullard, presidente do Fed de St. Louis, disse que não descartaria defender a alta de 0,50pp em março. Como os presidentes regionais do Fed, Mester e Bullard participam do comitê de política monetária, mas nenhum deles vota nas decisões deste ano. Ainda assim, o dólar se fortaleceu e os mercados acionários  caíram com essa discussão;
  • No Brasil, o presidente Lula disse mais uma vez que não há razão para os juros estarem tão altos, pois – a seu ver – a atual alta da inflação não é impulsionada pela demanda. Em entrevista à CNN Brasil, Lula reafirmou que vai esperar o fim do mandato do presidente do BC Roberto Campos para então avaliar se a independência do banco central foi positiva para a economia brasileira. Ele também anunciou o aumento do salário mínimo a partir de maio e redução do imposto de renda da pessoa física;
  • O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) – uma proxy mensal para o PIB do Brasil – subiu 0,3% em dezembro em relação a novembro, encerrando uma seqüência de quatro quedas consecutivas. Esse resultado foi um pouco melhor do que nossa estimativa (0%) e do consenso de mercado (0,1%). Nossa estimativa de crescimento do PIB do quarto trimestre é de 0,1% no trimestre – os resultados oficiais serão divulgados em 2 de março. Com o resultado de ontem, IBC-Br registrou expansão de 2,9% em 2022. Nossa estimativa preliminar para o IBC-Br de janeiro aponta para 0,1% mes contra mês (4,4% ano contra ano). Por fim, atribuímos um leve viés de alta à nossa projeção atual de que o PIB total crescerá 1% em 2023.

Empresas

Vale (VALE3) | Resultados em linha, com dividendos decentes, embora FCF discreto

  • A Vale reportou resultados em linha no 4T22. O EBITDA Proforma ajustado foi de US$ 5,0 bilhões, acima de nossas estimativas e consenso em 3,0% e 0,4%, respectivamente;
  • O FCF chegou a quase zero, reduzido pelo consumo de capital de giro de US$ 1,8 bilhão;
  • A Vale anunciou dividendos + JCP de R$ 2,12/ação (~2,4% dividend yield no 4T, ou 9,5% anualizado) a serem pagos no dia 22 de março;
  • Os maiores preços realizados de minério de ferro, níquel e cobre, apesar dos custos estáveis de C1 para o minério de ferro, foram os destaques;
  • Ainda gostamos da tese de investimento de longo prazo da Vale e é por isso que mantemos nossa recomendação de compra, mas no curto prazo estamos receosos com a discrepância da alta do preço do Minério de Ferro em relação a outras commodities (principalmente petróleo);
  • Clique aqui para o relatório completo.

Lojas Renner (LREN3): Resultados fracos no 4T22 – Realize desaponta mais uma vez

  • A Lojas Renner divulgou resultados fracos do 4T22, com faturamento estável A/A no varejo e com forte impacto no EBITDA da Realize devido ao cenário macro desafiador. A receita consolidada cresceu 4% A/A, impulsionada pelos serviços financeiros, enquanto o varejo ficou estável A/A e cresceu +24% vs. o 4T19, principalmente pelo clima desfavorável, pressão macroeconômica e renda disponível apertada. No varejo, a despesa operacional foi o destaque;
  • Margem bruta foi mais fraca do que esperado, recuperando vs. 3T22 e 4T22 mas ainda abaixo dos níveis prá-pandemia (-2,3p.p.), mas as despesas operacionais surpreenderam positivamente com eficiências em fretes e marketing. Dessa forma, o EBITDA ajustado veio em linha e subiu 10% A/A (nós excluímos R$47mi relacionado à recuperação de créditos fiscais). A Realize se manteve como o destaque negativo do resultado, com crescimento de receita abaixo das expectativas dada a redução do apetite dos consumidores e ofertas de crédito mais restritas, enquanto o EBITDA se manteve pressionado pelas altas taxas de inadimplência e despesas relacionadas a descontos concedidos na renegociação de créditos vencidos;
  • Além disso, a companhia vendeu mais uma carteira de crédito nesse trimestre por R$19,8mi, que excluímos do nosso EBITDA Ajustado dado que vemos a transação como não-recorrente. Por fim, o lucro líquido foi de R$482mi, 16% acima A/A;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

CCR (CCRO3) – 4T22: Performance Estável nas Rodovias com Melhoras nos Aeroportos e Mobilidade Urbana

  • Os números ficaram próximos de nossas estimativas, com o destaque positivo sendo o forte crescimento da receita, impulsionado por um aumento de dois dígitos no sell-out orgânico, bem como a aquisição do portfólio da Sanofi e vendas no segmento institucional – compensando a base forte do 4T21;
  • Pelo lado negativo, observamos um aumento em despesas administrativas e perdas em P&D, o que prejudicou a expansão da margem;
  • Por fim, a empresa divulgou seu guidance para 2023, muito próximo do que havíamos estimado anteriormente;
  • A CCR apresentou resultados neutros, com EBITDA recorrente de R$ 1,995 bilhão (+26% A/A, +1% T/T), refletindo um desempenho estável de rodovias com melhorias aeroportuárias e de mobilidade urbana. Destacamos:
    • A melhoria contínua do tráfego nos aeroportos e a mobilidade urbana, ainda impactada positivamente pela flexibilização das restrições de mobilidade (tráfego comparável +23% e +22% A;A, respectivamente);
    • aumento do EBITDA de 26% A/A impactado por: (a) crescimento do EBITDA de aeroportos e mobilidade urbana; e (b) inclusões de concessões mais recentes (excluindo impactos não recorrentes, conforme detalhado abaixo).
  • Reiteramos nossa recomendação neutra para a CCR;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Hypera (HYPE3) – 4T22: Resultados e Guidance Próximos das Nossas Estimativas

  • A Hypera (HYPE3) reportou resultados neutros no 4T22, com lucro líquido de R$432M;
    • Os números ficaram próximos de nossas estimativas, com o destaque positivo sendo o forte crescimento da receita, impulsionado por um aumento de dois dígitos no sell-out orgânico, bem como a aquisição do portfólio da Sanofi e vendas no segmento institucional – compensando a base forte do 4T21;
    • Pelo lado negativo, observamos um aumento em despesas administrativas e perdas em P&D, o que prejudicou a expansão da margem;
    • Por fim, a empresa divulgou seu guidance para 2023, muito próximo do que havíamos estimado anteriormente.
  • Apesar de vermos os resultados como neutros, consideramos o guidance da empresa levemente positivo;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Engie Brasil (EGIE3): Resultados 4T22 – Qualidade e Estabilidade; Não Decepciona nos Dividendos

  • A Engie divulgou seus resultados do 4T22 um pouco acima das nossas expectativas e do consenso do mercado. A empresa apresentou resultados sólidos, impulsionados principalmente pelo segmento de geração, que teve maior volume de energia vendida e preços médios mais elevados;
  • O lucro líquido foi impactado positivamente pelos melhores resultados da TAG e pelo alívio nos resultados financeiros;
  • Mantemos nossa recomendação neutra para Engie Brasil, com preço-alvo de R$49/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Sanepar (SAPR11): Resultados 4T22; Sem surpresas operacionais; Continuamos aguardando o desfecho da revisão tarifaria

  • Os resultados do 4T22 da Sanepar vieram em linha com nossa estimativa e com o consenso de mercado. O volume faturado veio acima do esperado, o que surpreendeu positivamente, porém foi parcialmente compensado ​​por maiores custos gerenciáveis ​​(PMSO);
  • Embora a Sanepar esteja negociando atualmente a um múltiplo EV/RAB implícito de 0,6x, continuamos acreditando que o risco regulatório persiste e ainda há incertezas sobre a 2ª e última fase da revisão tarifária, prevista para abril de 2023;
  • Mantemos nossa recomendação Neutra em SAPR11, com preço-alvo de R$ 26,0/unit;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Auren (AURE3): Resultados 4T22 – Resultados Operacionais Sólidos; R$ 1,5 bi do poder de fogo se transformou em dividendos

  • Temos uma avaliação neutra dos resultados do 4T22 da Auren porque seu EBITDA veio um pouco abaixo de nossas estimativas, mas os resultados operacionais surpreenderam positivamente. No entanto, destacamos que as ações devem reagir positivamente ao anúncio de fortes dividendos (R$1,5/sh ou 10% div. yield);
  • Apesar do resultado poluído devido a itens não recorrentes, a empresa apresentou resultados operacionais sólidos refletindo um melhor cenário hidrológico e normalização das atividades no parque eólico Ventos do Araripe III. Por outro lado, os resultados do braço de comercialização foram inferiores em 19% A/A devido aos preços de energia mais baixos;
  • Mantemos nossa recomendação Neutra em Auren, com preço-alvo de R$17/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Elétricas e Saneamento – Prévia de resultados do 4T22

  • Do lado das distribuidoras de energia, esperamos que os resultados do 4T22 reflitam uma pequena queda nos volumes de energia faturada na comparação anual. Segundo dados da ONS, a demanda de energia caiu 1,5% A/A, devido a temperaturas mais amenas e um aumento da geração distribuída (“GD”);
  • Já as Geradoras vivem um momento de hidrologia favorável com a alta dos reservatórios e incremento da geração hídrica. Por outro lado, o PLD no piso durante o trimestre tende a prejudicar os resultados da operação de trading das companhias, devido à falta de volatilidade. Olhando para a geração eólica, os efeitos do fenômeno meteorológico La Nina ainda impactaram negativamente a incidência de ventos no período;
  • Por fim, não deverá haver grandes surpresas no segmento de transmissão de energia. Quanto às companhias de Saneamento deve postar resultados com baixa variação frente ao trimestre anterior;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Vittia (VITT3): prévia dos resultados no 4T22

  • Prevemos que os resultados da Vittia caiam marginalmente no 4T22 em relação ao ano anterior, devido aos atrasos nas safras e incertezas políticas que adiaram as decisões de compra de insumos dos agricultores. Em nossa visão, a galinha dos ovos de ouro (defensivos biológicos) deve continuar se destacando, para a qual projetamos alta de 22% na receita bruta;
  • Portanto, projetamos margens ligeiramente superiores em relação ao ano anterior, devido ao aumento das linhas de margens mais altas no mix de receitas. No consolidado, projetamos uma queda de 4% na receita líquida em relação ao ano anterior e EBITDA Aj. de R$ 59 milhões (-2% A/A), traduzindo em uma margem EBITDA Aj. de 22,5% (+40bps A/A);
  • Apesar do 4T mais fraco, acreditamos que os fundamentos permanecem sólidos e, portanto, reiteramos nossa recomendação de compra para VITT3;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

AgroGalaxy (AGXY3): continuando o forte momentum de resultados no 4T22

  • Esperamos que a AGXY mantenha seu momentum de 2022 no 4T22 devido a preços e volumes mais altos apoiados no aumento do SSS juntamente com a maturação das lojas abertas recentemente;
  • Portanto, esperamos um aumento de 49% na receita em relação ao ano anterior. Embora esperamos que um mix melhor deva aumentar a margem bruta, as despesas com SG&A mais altas após as recentes fusões e aquisições devem reduzir a margem EBITDA, a qual esperamos em 9,2% (-50 bps em relação ao ano anterior);
  • Prevemos que a DFL/EBITDA termine 2022 em 2,2x e esperamos ver a evolução das linhas de capital de giro ao longo de 2023, uma vez que terão um papel crucial na alavancagem da AGXY considerando nossa estimativa de ~EBITDA estável em 2023 e despesas financeiras ainda alto dadas as expectativas de taxa de juros;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Data Expert | Tracker Açúcar & Etanol

  • Os players de açúcar e etanol registraram resultados fracos no 3T23. No entanto, esperamos um momentum positivo na safra 23/24. Com o cenário mais desafiador em 22/23, juntamente com a incerteza em torno das políticas governamentais já precificados, achamos que o setor deve navegar por aguas mais calmas olhando à frente;
  • Cana de açúcar. Na expectativa para a safra 23/24, esperamos que os canaviais aumentem a produtividade em 5-10%. Já na safra atual, o açúcar ainda é amplamente favorecido no mix de produção;
  • Açúcar. Apesar da competitividade logística dos embarques recordes de grãos, as exportações de açúcar seguem fortes na entressafra, impulsionadas pelos preços elevados do Nº 11;
  • Etanol de Milho. Em janeiro, o milho supera a cana-de-açúcar como principal matéria-prima para a produção de etanol, devido à entressafra da cana. As margens recuaram, mas continuam positivas para suportar a contínua expansão das usinas de etanol de milho;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Frigoríficos: nossa visão para o risco da gripe aviária (HPAI) no Brasil

  • Após a notícia de que o atual surto de HPAI atingiu o Uruguai e a Argentina, países próximos à principal região produtora de aves do Brasil, fizemos uma série de channel checks com pessoas por dentro do assunto e as principais conclusões foram: o impacto mais relevante ocorreria se a HPAI atingisse lotes de aves comerciais;
  • se atingisse aves selvagens, as informações sobre como, quando e onde desempenhariam um papel crucial na avaliação dos impactos; e
  • devido aos diferentes níveis de biossegurança nas cadeias, parte relevante do risco recai sobre os produtores de ovos;
  • Embora o Brasil nunca tenha sido atingido pela HPAI e a segurança seja maior do que países vizinhos – e esteja sendo fortalecida já há algum tempo -, o risco da HPAI no Brasil deve se tornar cada vez mais um overhang para as ações da BRF e JBS (devido à Seara), em nossa visão;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Fras-le (FRAS3): Aquisição da AML Juratek no Reino Unido Reforça Estratégia de Exposição a Mercados Maduros; Neutro

  • Ontem (16), a Fras-le anunciou via fato relevante a aquisição da AML Juratek, dona das empresas Bettaparts e Juratek, voltadas ao segmento de reposição de auto peças no mercado europeu, com sede em Doncaster, no Reino Unido, em linha com a estratégia da companhia de aumento de exposição a mercados externos (e mais maduros, como a Europa);
  • Vemos a aquisição como neutra para a Fras-le, dado:
    • (i) o tamanho, que acaba sendo pequeno – considerando os números de 2022, a AML Juratek representaria em torno de 5% e 3% da nossa expectativa de receita e EBITDA para a Fras-le, respectivamente, com uma margem EBITDA de 10% que se compara a ~16% de margem para a Fras-le (apesar de darem indicativos de bons níveis de ROIC para a AML Juratek pelo seu perfil asset-light); e
    • (ii) múltiplo mais elevado vs. o múltiplo da Fras-le, mas que deveria ser justificado pela expectativa de captura de sinergias e o perfil de alto retorno da companhia adquirida (preço pago na aquisição é de £18.2 milhões, ou ~R$116 milhões, que implica em um múltiplo EV/EBITDA em 2022 de 7,3x, vs. 5,8x para a Fras-le).
  • Quanto às sinergias, a companhia menciona uma expectativa de £5.0 milhões para os próximos 5 anos, que aumentaria em 3x o EBITDA das companhias adquiridas (~40% por redução de custos e ~60% devido a sinergias de receita);
  • Assumindo o mesmo múltiplo EV/EBITDA da Fras-le, vemos um potencial de ~R$160 milhões de valor a ser capturado na aquisição pela Fras-le, o que resulta em 5,6% da sua capitalização de mercado;
  • Reiteramos nossa recomendação Neutra e preço-alvo de R$11,00/ação para FRAS3.

Santander (SANB11): Renúncia do Diretor Financeiro (CFO) e Diretor de Relações com Investidores (DRI)

  • Ontem (16), o Sr. Angel Santodomingo, CFO, DRI e membro do Conselho de Administração do Santander Brasil anunciou sua renúncia;
  • Vemos o movimento como natural, dado que o mesmo retornará para a Espanha para ocupar um cargo no controlador, onde entrou em 2005 e ocupou cargos como Head de Desenvolvimento Internacional na Administração de Ativos, e posteriormente passou a ser Responsável Global pela área de Relações com Investidores do Grupo;
  • Em relação ao sucessor, embora não tenhamos informações adicionais sobre o perfil, enxergamos sua indicação como coerente, dado que sua experiência no segmento de Varejo tende a complementar a atuação do atual CEO, Mario Leão, que tem histórico no segmento de Atacado do banco;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Plano da Americanas é rechaçado pelos bancos credores (Valor);
    • Valor transacionado com cartão sobe 25% em 2022 (Valor);
    • Crédito deve recuar em janeiro após 11 meses de expansão, aponta Febraban (Valor);
    • XP registra queda de 21% no lucro no 4º trimestre (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Vivo Money termina 2022 com R$ 183 milhões em empréstimos concedidos (Mobile Time);
    • Receita da Vivo com serviços de nuvem B2B cresce 79% em 2022 (Mobile Time);
    • Plano Tático: Anatel busca pôr Brasil entre as 20 nações mais desenvolvidas em conectividade até 2027 (Telesíntese);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Em crise de identidade, Natura &Co avaliará propostas por Aesop no começo de março (Exame);
    • Gigante de fast fashion chinesa, Shein se prepara para iniciar produção no Brasil (O Globo);
    • Americanas: Lemann, Sicupira e Telles propõem aporte de R$ 7 bilhões na varejista (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Alimentos e Bebidas
      • Bird flu alarm drives world towards once-shunned vaccines – Reuters;
      • Consumidores estão dispostos a comprar mais produtos plant-based se preço cair – Valor;
    • Agro
      • Talks on extending Black Sea grain deal start in a week – Reuters;
      • Bolsa de Cereais fará novo corte em projeção para soja argentina por efeito da seca – Notícias Agrícolas.
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • CEO da Neoenergia confirma possível interesse na Coelce (Canal Energia);
    • Ultrapar: Novo conselho de administração tem perfil mais financeiro, diz presidente (Valor Econômico);
    • Setor elétrico: hora de cooperação pelo interesse comum (EPBR);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Tencent desiste de aposta em hardware de realidade virtual para o metaverso

  • Tencent desiste de aposta em hardware de realidade virtual para o metaverso;
  • China sanciona Lockheed Martin e Raytheon por venderem armas a Taiwan;
  • Tesla faz recall de 362.758 veículos, alegando que o software de direção autônoma pode causar acidentes;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Mercados
    • Crédito deve recuar em janeiro após 11 meses de expansão, aponta Febraban (Valor Econômico);
    • Mercado vê tendência de desaceleração da economia em 2023 após ‘prévia do PIB’ apontar recuo (Estadão). 
  • Noticiário Corporativo
    • Plano da Americanas é rechaçado pelos bancos credores (Valor Econômico);
    • Transferência de R$ 1,5 bilhão para corte arbitral do caso Oi é suspensa (Valor Econômico). 
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Em retomada, fundos apresentaram captação positiva na semana passada (Investing);
    • Fundos imobiliários: Calote da Tok&Stok derruba cotas; aluguel fica ainda mais caro (MoneyTimes);
    • GGRC11 estima impacto de possível inadimplência da Americanas no fundo; veja (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Lojas Renner é destaque em ranking internacional de sustentabilidade | Café com ESG, 17/02

  • O mercado encerrou o pregão de quinta-feira ainda em território positivo, com o Ibov e o ISE em leve alta de +0,31% e +0,17%, respectivamente;
  • Do lado das empresas, (i) pelo sexto ano consecutivo, a Lojas Renner foi selecionada para compor o S&P Global Sustainability Yearbook 2023, um dos principais anuários de ESG do mundo que reúne as empresas de capital aberto com as melhores práticas sustentáveis – a companhia é a única do setor varejista brasileiro a estar no ranking; e (ii) o Grupo Assaí passa por um momento de mudanças em sua governança diante de uma gradual perda de influência do acionista controlador Casino sobre a companhia – o presidente do Grupo, Belmiro Gomes, disse que a empresa caminha para se tornar uma “corporation”, empresa de capital pulverizado, o que pode refletir na adoção de boas práticas no pilar (G);
  • Na política, o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Aloizio Mercadante, continua dando sinais de que irá priorizar uma agenda de baixo carbono, reconhecendo que as práticas ambientais das empresas do agronegócio terão que mudar a partir desse contexto de transição e ressaltando que o crédito agrícola poderá ser uma ferramenta de estímulo a essas novas práticas na agropecuária;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.