XP Expert

Semana começa com expectativas de novo pacote fiscal nos EUA e decisão sobre sucessão no Congresso no Brasil

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 1,30% | 113.750 Pontos

CÂMBIO -0,55% | 5,13/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou em alta de 1,3% a 113.750 pontos na última sexta-feira (4), terminando a semana marcada pelos cronogramas de vacinação contra a Covid-19 e pela disparada das commodities com ganhos de 2,87%.

Nessa segunda-feira, mercados internacionais amanhecem em leve queda. Na Europa (-0,4%), o pessimismo gira em torno das negociações do Brexit, que entram em uma semana decisiva – segundo o governo britânico, as conversas podem colapsar se as negociações não avançarem nas próximas horas. Nos EUA (-0,5%), S&P 500 pausa ganhos após 29º fechamento recorde em 2020 e em meio a expectativas de aprovação de um novo pacote de estímulos à economia. No Congresso norte-americano, alguns senadores apontam que líderes republicanos devem apoiar proposta de grupo bipartidário de USD 908 bilhões, que poderia ser aprovada ainda em dezembro.

No cenário político internacional, em suas últimas semanas na Casa Branca, Donald Trump continua insistindo em linha dura com Beijing. O presidente americano prepara sanções sobre oficiais chineses que tiveram papel na desqualificação de parlamentares da oposição em Hong Kong, que podem ser aplicadas já nesta segunda-feira (7).  

Em economia, a produção industrial alemã subiu 3,2% em outubro, enquanto a previsão do mercado era alta de 1,5%.

Na China, na esteira de fortes indicadores divulgados na semana passada, a balança comercial apresentou superávit na ordem de US$75,4 bilhões (expectativa  US$53,9 bilhões).

No Brasil, o cenário político segue em destaque. Ganham momento as articulações para a escolha dos candidatos do grupo de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre às presidências da Câmara e do Senado, depois da inesperada decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que impede a reeleição da dupla. Alcolumbre, que tinha o caminho mais aberto, foi o mais afetado. O MDB, que tem a maior bancada do Senado – e a tradição de indicar o candidato majoritário – deve trabalhar nesse sentido, com quatro principais nomes: Eduardo Braga (líder do partido), Eduardo Gomes e Fernando Bezerra (líderes do governo) e Simone Tebet (presidente da CCJ). Antonio Anastasia, do PSD, segunda maior bancada, é opção. Na Câmara, o grupo de Maia deixa de ter a reeleição do presidente como carta na manga para unificar todas as candidaturas que vinham sendo estimuladas por ele e passa a ter mais pressa para definir o nome.

No cenário político-econômico, segundo reportagem do jornal Folha de São Paulo, o governo deverá recorrer ao STF contra a derrubada do veto que prorrogou a desoneração de 17 setores da economia até o final de 2021. Tais desonerações representam R$ 4,9 bilhões dos R$ 26 bilhões de pressões adicionais nas despesas obrigatórias em 2021 (frente ao proposta na peça orçamentária – PLOA – enviada em agosto).

Na agenda da semana do Congresso – que pode ser impactada pela decisão de ontem do Supremo, até que as peças se reacomodem na nova configuração –, a Câmara tem hoje na pauta o requerimento de urgência ao PLP 101/2020, que trata da recuperação fiscal dos estados, o PLP 137/2020, que libera estoque de fundos públicos, e o PL 4199/2020, com regras para cabotagem. Já o Senado tem entre as proposições mais importantes da semana a Nova Lei do Gás e a Lei de Licitações.

Já na agenda de indicadores econômicos, semana cheia no Brasil. Nesta segunda, temos dados da ANFAVEA de novembro, na terça-feira temos o IPCA de novembro (expectativa XP de 0,86%), na quarta-feira decisão do COPOM (expectativa de manutenção da SELIC em 2,00% a.a.), na quinta-feira vendas do varejo, PMC, que deverá ter queda no mês de -0,1% (XP) e na sexta-feira vendas no setor de serviços, PMS, que deverá ter alta de 3,5% (XP).

Finalmente, do lado das commodities, o minério de ferro na China teve mais um pregão de alta. Futuros de Singapura (SGX) fecharam em alta de 2% (US$143.6/t). O principal motivo para a alta, em nossa visão, foi o dado mais forte do que o esperado de exportações da China em novembro, com alta de 21% na comparação anual (vs. alta esperada de 12%).

Tópicos do dia

Brasil

  1. Boletim Focus: projeções de câmbio continuam reduzindo, convergindo para os 5,20 que esperamos para 2020 e 4,90 que esperamos para 2021

Internacional

  1. Política internacional: Cresce a expectative por um acordo sobre pacote de estímulo nos EUA e Brexit preocupa na Europa
    Acesse aqui o relatório internacional

Empresas

  1. Pessoas físicas na Bolsa: Nova alta em novembro; total ultrapassa 3,1 milhões
  2. Neoenergia (NEOE3): Vence leilão pela distribuidora CEB com lance de R$ 2,5 bilhões
  3. Irani (RANI3): Aprovação da admissão no Novo Mercado


Veja todos os detalhes

Brasil

Boletim Focus: projeções de câmbio continuam reduzindo, convergindo para os 5,20 que esperamos para 2020 e 4,90 que esperamos para 2021

  • Após a decisão da Aneel de retomar o sistema de bandeiras tarifárias na conta de luz, a projeção de IPCA para 2020 continuou em ritmo de expansão, passando de 3,54% na última semana para 4,21%. Para 2021, no entanto, as projeções foram reduzidas de 3,47% para 3,34%;
  • A projeção de PIB passou de -4,50% para -4,40% para 2020 e de 3,45% para 3,50% para 2021;
  • A projeção da taxa de câmbio passou de 5,36 para 5,22 para 2020 e de 5,20 para 5,10 para 2021. E a projeção de Selic permaneceu em 2,00% ao final de 2020 e 3,00% ao final de 2021. Clique aqui para conferir mais detalhes.

Internacional

Política internacional: Cresce a expectative por um acordo sobre  pacote de estímulo nos EUA e Brexit preocupa na Europa

  • Em suas últimas semanas na Casa Branca, Donald Trump continua insistindo em linha dura com a Beijing. O presidente americano prepara sanções sobre oficiais chineses que tiveram papel na desqualificação de parlamentares da oposição em Hong Kong, que podem ser aplicadas já nesta segunda-feira (7);
  • No lado da política doméstica dos EUA, Trump recebeu mais uma notícia negativa em sua tentativa de reverter resultados da eleição. Membros da legislatura local rejeitaram pedidos do republicano de tentar reverter a vitória de Joe Biden, afunilando ainda mais suas possibilidades. É considerado certo que o democrata irá assumir a presidência dos EUA em janeiro de 2021;
  • Ainda na seara da política doméstica dos EUA, cresce a expectativa por um novo pacote de estímulo à economia em meio a um aumento de casos de Covid-19 no país. Alguns senadores apontam que líderes republicanos devem apoiar proposta de grupo bipartidário de USD 908, que poderia ser aprovada ainda em dezembro;
  • Na Europa, as negociações pelo Brexit entraram em uma semana decisiva – segundo o governo britânico, as conversas podem colapsar se as negociações não avançarem nas próximas horas.

Empresas

Pessoas físicas na Bolsa: Nova alta em novembro; total ultrapassa 3,1 milhões

  • Em novembro, o número de investidores pessoas físicas (PFs) na Bolsa brasileira (B3) atingiu 3.173.411, um crescimento de +0,8% em relação ao mês passado. Comparado ao final de 2019, quando encerramos o ano com 1.681.033 contas ativas na B3, já vemos uma alta expressiva de +88,8% em 2020;
  • Considerando também o número de pessoas jurídicas na Bolsa, que em novembro chegou à 32.460 (+2,3% em relação ao mês passado), o número total de investidores atinge 3.205.871;
  • O número de investidoras na Bolsa alcançou 824.799 em novembro, o que corresponde à apenas 26,0% do número total de investidores pessoas físicas, vs. 2.348.612 homens. No entanto, o número de mulheres vêm crescendo em ritmo acelerado, com alta de +1,9% se comparado ao mês de outubro e +112,3% vs. dezembro de 2019, percentuais esses que se comparam ao aumento de +0,5% e +81,7%, respectivamente, no número de investidores do sexo masculino. Clique aqui para ler o relatório completo.

Neoenergia (NEOE3): Vence leilão pela distribuidora CEB com lance de R$ 2,5 bilhões

  • Na última sexta-feira (04) a Neoenergia, venceu o leilão pela distribuidora de energia elétrica CEB-D, que atende consumidores do Distrito Federal. A empresa ofereceu R$ 2,515 bilhões, o que representou um ágio de 76,63% em relação ao valor mínimo de R$ 1,4 bilhão e superou as concorrentes CPFL Energia e Equatorial. A CEB-D tem cerca de 1,1 milhão de clientes em uma área considerada atrativa, tendo em vista a alta densidade populacional e o alto poder aquisitivo, com PIB per capita quase 2,5 vezes a média brasileira;
  • Além da Neoenergia, também participaram da concorrência pela CEB-D a CPFL e a Equatorial. Na primeira etapa, de abertura de propostas, a CPFL ofertou R$ 1,950 bilhão (ágio de 36,95%), a Neoenergia ofereceu R$ 2,2 bilhões (ágio de 54,51%) e a Equatorial, R$ 1,485 bilhão (ágio de 4,29%). As três companhias foram habilitadas a disputar em viva voz, mas apenas a CPFL aceitou cobrir a proposta inicial da Neoenergia. A CPFL e a vencedora disputaram lance a lance o ativo, sendo que a última oferta da CPFL ficou em R$ 2,508 bilhões;
  • O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, afirmou que o leilão é histórico para a instituição, por ter resultado no maior múltiplo já pago por um ativo no setor de distribuição.

Irani (RANI3): Aprovação da admissão no Novo Mercado

  • Em fato relevante anunciado na sexta-feira (4), a Irani comunicou que a B3 aprovou a admissão da companhia no novo Mercado, segmento de listagem das empresas com mais elevados padrões de governança do Brasil.
  • A migração da Irani para o Novo Mercado ainda em 2020 está prevista pela companhia desde a conclusão de sua oferta subsequente (follow-on) em julho deste ano. A aceitação pelo conselho já havia sido realizada em outubro e a aprovação da B3 trata-se de um passo importante para a melhoria das métricas ESG da companhia.
  • Ressaltamos novamente que esse avanço já era previsto e, portanto, não esperamos fortes reações do mercado no pregão de hoje. Mantemos nossa recomendação de Compra com preço-alvo de R$8,5/ação.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.