XP Expert

Saúde do sistema financeiro global pressiona decisões de política monetária dos bancos centrais

Taxas de Juros e Atividade Econômica nos EUA e o novo arcabouço fiscal no Brasil são alguns dos temas de maior destaque nesta quinta-feira, 16/03/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,25% | 102.675 Pontos

CÂMBIO +0,68% | 5,29/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

Na agenda dessa quinta-feira, destaque para a decisão de política monetária do BCE sobre a EU. A aposta majoritária é um aumento de 0,25 pp na taxa principal de refinanciamento, mas não se descarta uma manutenção de alta de 0,5 pp. Também temos a divulgação de dados sobre o mercado imobiliário (início de casas, licenças de construção) e os pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos EUA. No Brasil, analistas estão de olho no novo arcabouço fiscal que deve ser aprovado pelo presidente Lula antes de ser apresentado ao público.

Brasil

Após bater na sua cotação mínima de 2023 o principal índice da bolsa brasileira encerrou o pregão da quarta-feira (15) com uma queda de 0,25%, aos 102.675 pontos. Impactado pela aversão a risco observada no exterior, relacionados à crise do Credit Suisse, o índice chegou a cair 2,17% chegando aos 100.692 pontos. Enquanto o dólar avançou 0,70% frente o real, encerrando o pregão aos R$ 5,29. As taxas futuras de juros fecharam em queda, DI jan/24 recuou de 13,055% para 12,945%; DI jan/25 caiu de 12,22% para 12,06%; DI jan/26 passou de 12,335% para 12,225%; e DI jan/27 recuou de 12,58% para 12,51.

Mundo

Nesta quinta-feira, os mercados globais apresentam um desempenho misto, com o índice S&P 500 futuro registrando queda de 0,1% e as bolsas europeias em alta de 0,8%. Os investidores em todo o mundo estão acompanhando de perto a decisão de juros do Banco Central Europeu (BCE), que é a primeira grande autoridade monetária a se pronunciar desde o início da crise de confiança no setor bancário. A expectativa é que o BCE recue de sua determinação anterior de subir a taxa básica em 0,50 p.p. e se posicione sobre o risco de contágio para o setor financeiro europeu e como a necessidade de estabilização pode atrasar o combate à inflação. Enquanto isso, na China, o índice Hang Seng encerrou o dia com uma queda de 1,7%, pressionado pelo setor financeiro, que afetou negativamente as ações de tecnologia.

Taxas de Juros EUA

Os investidores aumentaram rapidamente as apostas de que o Federal Reserve cortará as taxas de juros dos EUA este ano em um dia frenético de negociações que prejudicou o funcionamento dos mercados. Os movimentos do mercado na quarta-feira ocorreram uma semana antes de o Fed decidir sobre as taxas de juros, após meses de aumentos no ano passado. Muitos operadores de títulos agora esperam que o Fed não aumente as taxas, embora alguns ainda vejam uma chance de um aumento de 0,25 ponto percentual, uma vez que ainda luta contra a inflação persistente. As expectativas de um aumento de meio ponto prevaleceram nos mercados na semana passada. Os preços nos mercados futuros sugeriam que o Fed poderia começar a cortar as taxas em um quarto de ponto em junho e fazer novas reduções para reduzir a taxa de referência do banco central para 3,9%, o que seria mais de 1 ponto percentual abaixo do esperado pico de 4,9% em maio;

Atividade Econômica EUA

As vendas no varejo dos EUA caíram 0,4% em fevereiro em mais um sinal de que um ano de aumentos de preços e o esgotamento das economias da era da pandemia estão afetando o consumidor dos EUA. A queda desfez apenas parcialmente um aumento surpreendentemente forte de 3,2% em janeiro (atualizado de 3,0%), mas corroborou vários relatórios de setores voltados para o consumidor nas últimas semanas de que as famílias estão começando reduzir seu consumo devido aos preços mais altos. Também indica que a tendência crescente de demissões em todo o país começa a afetar os níveis de gastos, embora o desemprego permaneça historicamente baixo. O núcleo das vendas no varejo, que excluem as vendas de automóveis, caíram 0,1% no mês, em linha com as expectativas, enquanto as vendas excluindo gasolina ficaram estáveis. Ao mesmo tempo, houve o sinal mais claro em meses de que as pressões inflacionárias estão sendo eliminadas da manufatura dos EUA. Os preços ao produtor caíram 0,1% em fevereiro, e o aumento de janeiro foi revisado para 0,3%, de 0,7% inicialmente relatado. Economistas consultados pela Reuters previam que o PPI ganharia 0,3% no mês e avançaria 5,4% na comparação anual;

Veja todos os detalhes

Agenda de resultados

Trisul (TRIS3): Depois do fechamento
Vivara (VIVA3):
Depois do fechamento
Track & Field (TFCO4):
Depois do fechamento
Grupo Vittia (VITT3):
Depois do fechamento
Bemobi (BMOB3):
Depois do fechamento
Cyrela (CYRE3):
Depois do fechamento
EcoRodovias (ECOR3):
Depois do fechamento
Plano & Plano Desenvolvimento (PLPL3):
Depois do fechamento
JHSF (JHSF3):
Depois do fechamento
Ez Tec (EZTC3):
Depois do fechamento
Fleury (FLRY3): Depois do fechamento 

Calendário do 4T22
Temporada de resultados do 4º trimestre 2022 – o que esperar?

Economia

Crise bancária pressiona decisões de política monetária dos Bancos centrais

  • Os investidores aumentaram rapidamente as apostas de que o Federal Reserve cortará as taxas de juros dos EUA este ano em um dia frenético de negociações que prejudicou o funcionamento dos mercados. Os movimentos do mercado na quarta-feira ocorreram uma semana antes de o Fed decidir sobre as taxas de juros, após meses de aumentos no ano passado. Muitos operadores de títulos agora esperam que o Fed não aumente as taxas, embora alguns ainda vejam uma chance de um aumento de 0,25 ponto percentual, uma vez que ainda luta contra a inflação persistente. As expectativas de um aumento de meio ponto prevaleceram nos mercados na semana passada. Os preços nos mercados futuros sugeriam que o Fed poderia começar a cortar as taxas em um quarto de ponto em junho e fazer novas reduções para reduzir a taxa de referência do banco central para 3,9%, o que seria mais de 1 ponto percentual abaixo do esperado pico de 4,9% em maio;
  • As vendas no varejo dos EUA caíram 0,4% em fevereiro em mais um sinal de que um ano de aumentos de preços e o esgotamento das economias da era da pandemia estão afetando o consumidor dos EUA. A queda desfez apenas parcialmente um aumento surpreendentemente forte de 3,2% em janeiro (atualizado de 3,0%), mas corroborou vários relatórios de setores voltados para o consumidor nas últimas semanas de que as famílias estão começando reduzir seu consumo devido aos preços mais altos. Também indica que a tendência crescente de demissões em todo o país começa a afetar os níveis de gastos, embora o desemprego permaneça historicamente baixo. O núcleo das vendas no varejo, que excluem as vendas de automóveis, caíram 0,1% no mês, em linha com as expectativas, enquanto as vendas excluindo gasolina ficaram estáveis. Ao mesmo tempo, houve o sinal mais claro em meses de que as pressões inflacionárias estão sendo eliminadas da manufatura dos EUA. Os preços ao produtor caíram 0,1% em fevereiro, e o aumento de janeiro foi revisado para 0,3%, de 0,7% inicialmente relatado. Isso reduziu a taxa anual de inflação no portão da manufatura para 4,6%, a menor em quase dois anos. Economistas consultados pela Reuters previam que o PPI ganharia 0,3% no mês e avançaria 5,4% na comparação anual;
  • Os diretores do Banco Central Europeu se reúnem na quinta-feira em meio a turbulências nos mercados financeiros que podem forçá-lo a desviar-se dos planos de outro forte aumento da taxa de juros, embora a inflação continue muito alta. Depois de embarcar em uma campanha para conter o crescimento dos preços, que aumentou as taxas desde julho em seu ritmo mais rápido já registrado, o BCE caminhava para outro aumento de 50 pontos-base na quinta-feira. Mas o colapso na semana passada do Silicon Valley Bank nos Estados Unidos levantou preocupações sobre o estresse em todo o setor bancário e fez com que as ações despencassem, com o Credit Suisse, há muito perseguido por problemas, no centro da derrocada na Europa. Agora, o BCE deve conciliar sua credibilidade no combate à inflação com a necessidade de manter a estabilidade financeira diante da turbulência predominantemente importada. As apostas de mercado sugerem que os investidores agora veem apenas 30% de chance de um aumento de 50 pontos-base, abaixo dos 90% na quarta-feira. A taxa de pico do BCE, também conhecida como taxa terminal, agora é vista em apenas 3,25%, abaixo dos 4,1% da semana passada, uma reversão excepcional nos preços de mercado;
  • No Brasil, o jornal O Globo noticia que o novo quadro fiscal terá um teto de gastos sem nenhuma exceção como gastos sociais ou de investimento, o que provavelmente enfraqueceria a regra. Além disso, a proposta deve ser apresentada ao presidente Lula amanhã;
  • Na agenda de hoje, destacamos a decisão de política monetária do BCE sobre a UE. Conforme argumentamos acima, a aposta majoritária é um aumento de 0,25 pp na taxa principal de refinanciamento, mas não se descarta uma manutenção de alta de 0,5 pp. Também temos a divulgação de dados sobre o mercado imobiliário (início de casas, licenças de construção) e os pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos EUA. No Brasil, analistas estão de olho no novo arcabouço fiscal que deve ser aprovado pelo presidente Lula antes de ser apresentado ao público.

Empresas

Bens de capital: O que o mundo está dizendo?

  • No 4T22, notamos diferentes implicações para as companhias brasileiras de Bens de Capital quando olhamos para seus respectivos pares globais;
  • Do lado positivo, notamos:
    • (i) cenário saudável de oferta/demanda para produtos EEI, com preços e volumes fortes em geral no 4T (embora vejamos como um sinal de atenção o enfraquecimento para novos pedidos); e
    • (ii) indicações de demanda estável para veículos pesados.
  • Embora ainda prejudicados, vemos uma melhora sequencial:
    • (iii) na indústria aeroespacial (4T impactado por gargalos na cadeia de suprimentos, mas a demanda subjacente desenha um 2023 melhor); e
    • (iv) em veículos leves (empresas mencionam condições de cadeia de suprimentos progressivamente melhores).
  • Finalmente, do lado negativo, notamos que a indústria de energia eólica permanece sob pressão, com rentabilidade comprometida por interrupções na cadeia de suprimentos e custos inflacionados (com preços crescentes mitigando preocupações de longo prazo, na nossa visão);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Mater Dei (MATD3): Começando o ano com uma impressão positiva

  • Esta semana fomos a Belo Horizonte, MG, para conhecer as instalações do Mater Dei (MATD3) e conhecer o CEO e o CFO da empresa;
  • Os destaques das reuniões foram:
    • O hospital de Salvador parece estar maturando mais rápido do que o esperado, com novas fontes pagadoras acelerando a abertura de novos leitos;
    • Os hospitais de Uberlândia já estão financeiramente saudáveis ​​e viabilizarão melhores negociações do Mater Dei com a Unimed local; e
    • Apesar do cenário difícil, o Mater Dei está conseguindo expandir as suas relações com os pagadores.
  • Consideramos as conversas como positivas e estamos otimistas em relação ao desempenho da empresa em 2023;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Méliuz (CASH3): Renúncia do Diretor de Recursos Humanos e do Diretor Financeiro (CFO) e Diretor de Relações com Investidores (DRI)

  • Ontem (15), os Srs. Lucas Marques e Luciano Valle renunciaram dos cargos de Diretor de Recursos Humanos e CFO e DRI, respectivamente;
  • Vemos o anúncio da renúncia do Sr. Luciano do Valle com alguma naturalidade, dado que a empresa vem (e deve continuar) passando por muitas mudanças em sua estrutura;
  • Entretanto, embora seja atribuída a “motivos estritamente pessoais”, a saída do Sr. Lucas Marques chama a atenção, dado que o mesmo além de possuir quase 10 anos de empresa, é também um integrante do chamado Bloco de Referência, detendo cerca de 2% do capital social da empresa;
  • Enxergamos que algumas mudanças possam ser necessárias dadas as mudanças previstas em função da aprovação em Assembleia da aliança estratégica com o BV, mas o excesso de alterações nos cargos de gestão trazem alguma preocupação em relação à condução das transições e, consequentemente, ao dia-a-dia do negócio;
  • Reiteramos nossa visão construtiva em relação ao papel (Compra; Preço-alvo R$ 2,00/ação);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Méliuz (CASH3) | Terceiro Round: A saga da operação entre Méliuz e BV

  • Ontem (15) a Méliuz (CASH3) conduziu sua teleconferência sobre os resultados do 4T22. Durante a apresentação a Administração da Méliuz deu mais detalhes sobre o andamento da deal com o Banco BV;
  • O ponto que mais chamou a atenção foi a sinalização de que até o final do mês de março a venda do Bankly para o BV deverá ser finalizada e que a venda seria em “tranche única”, ou seja, envolveria 100% do capital social da empresa de Banking as a Service (BaaS);
  • Além disso os executivos anteciparam que apesar de ainda depender de aprovações internas, há grande chance de que o valor recebido pela venda do Bankly seria repassado aos acionistas sob a forma de proventos. Caso o pagamento seja através de dividendos e com base no valor da esperado para a venda, estimamos um pagamento potencial de cerca de R$ 0,24/ação ou um Dividend Yield (com base no fechamento de 14/03) de 27%;
  • Vemos a indicação como positiva e atribuímos majoritariamente a este anúncio a expressiva valorização das ações de Méliuz (mais de 14%) no pregão de hoje. Especialmente dada nossa visão negativa em relação aos resultados do 4T22. Dito isso, reiteramos nossa visão construtiva em relação à Méliuz;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Yduqs (YDUQ3) – 4T22: Resultados neutros, com um guidance de curto prazo positivo

  • A Yduqs (YDUQ3) reportou resultados neutros no 4T22, com um prejuízo líquido ajustado de R$8M, além de divulgar o seu guidance para o EBITDA ajustado do 1T23 e o Capex do ano de 2023;
  • Em relação aos resultados do trimestre, os destaques foram:
    • O segmento Premium continuou ganhando relevância, com novas vagas e a maturação de vagas existentes impulsionando a receita;
    • A empresa conseguiu aumentar as captações no segmento Digital, indicando uma abordagem mais disciplinada na precificação; e
    • O segmento Presencial apresentou alguma expansão de margem, apesar de – em nossa visão – ser um negócio já maduro.
  • Apesar de considerar os resultados neutros, o guidance da empresa aponta para uma possível recuperação em 2023, o que pode dar algum alívio para o papel;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

d1000 (DMVF3): Resultados do 4T22 fracos, mas melhorando

  • d1000 reportou resultados mais fracos no 4T22, mas melhorando;
  • Com sólido crescimento de receita, expansão da margem EBITDA por conta de ganhos de eficiência;
  • Geração de caixa positiva, com melhor gerenciamento de estoque;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Credit Suisse eleva tensão no mercado (Valor);
    • Gestão de patrimônio cresce 21% em 2022, diz Anbima (Valor);
    • Estrago causado por SVB e Credit empurram de vez IPOs para 2º semestre (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Vivo encerra oferta de ERBs da Oi Móvel após falta de interessados (Teletime);
    • Poco e Samsung lançam smartphones 5G intermediários (Mobille Time);
    • Einstein inaugura dois laboratórios para testes do 5G na saúde (Teletime).
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Nova governança no Assaí: independente deve presidir conselho e Casino pode ter só uma cadeira (Valor);
    • Americanas tranquiliza bancos com proposta de R$ 10 bi, mas ainda não há consenso (Folha);
    • Parlamentares pedem a Haddad fim de ‘contrabando digital’ por ecommerce chinês (Folha);
    • Filhos ou animais de estimação? Empresas trocam o mercado de bebês pelo segmento pet (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Alimentos e Bebidas
      • Pintos de corte iniciam 2023 com produção inferior a 600 milhões de cabeças – Avisite;
      • Para assegurar o fornecimento de alimentos nos EUA, é preciso pensar pequeno – Bloomberg;
    • Agro
      • Caramuru amplia fábrica e eleva a aposta em biodiesel – Valor;
      • Porto de Paranaguá nega atrasos no embarque de soja – Notícias Agrícolas;
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Petróleo cai por temor de recessão e crise bancária (Valor Econômico);
    • Aneel encerra processo que poderia revogar a concessão da CEEE-D (Canal Energia);
    • Suplentes na Petrobras (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Mercados
    • Pedidos de recuperação judicial aceleram em fevereiro, com alta de quase 90% em um ano (Valor Econômico);
    • Lula já está com proposta do novo arcabouço fiscal e decide sobre regra antes de viagem à China (Infomoney).
  • Noticiário Corporativo
    • Ações do Credit Suisse derretem e crescem os temores sobre o setor bancário; acompanhe a reação dos mercados globais (Valor Econômico);
    • Fitch: pressões de liquidez afetam alguns bancos dos EUA (Broadcast).
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Fundos imobiliários: Aluguéis em alta e o que fez o pior do mês disparar 10%? (MoneyTimes);
    • HAAA11: Confira as novidades no setor de FIIs; Ifix avança (Investing);
    • FIIs de papel e fundos de crédito têm rendimentos menores em fevereiro, mas não se assuste; entenda por quê (Suno);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Melhora de governança no Assaí e carta anual de Larry Fink em destaque | Café com ESG, 16/03

  • O mercado encerrou o pregão de quarta-feira em território misto, com o Ibov em  leve queda de -0,2%, enquanto o ISE fechou subindo +0,9%;
  • No Brasil, (i) o Assaí está prestes a virar uma página com a definição de um novo modelo de governança, a partir de uma relevante redução da fatia acionária do sócio Casino na atacadista – a expectativa é que, nesse desenho em discussão, existam seis ou sete membros independentes no conselho de administração, equivalente a dois terços das cadeiras, enquanto o Cassino pode vir a ter apenas uma cadeira; (ii) a Americanas, uma das maiores varejistas do país e que entrou em recuperação judicial em 19 de janeiro, está suspensa do Instituto Ethos, voltado à disseminação dos conceitos de boas práticas de governança ESG no meio empresarial – é a 13ª companhia a ser suspensa nos 25 anos de história do instituto;
  • No internacional, em sua carta anual, Larry Fink resolveu baixar o tom quase ativista adotado por ele nos últimos anos – desta vez, o fundador e CEO da BlackRock, que administra US$ 8,6 trilhões, reiterou a gravidade da crise climática, mas fez acenos para as empresas que farão a transição para um mundo de baixo carbono em velocidades diferentes;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.