XP Expert

Resultado do leilão da Cessão Onerosa no Brasil e Negociações comerciais no internacional

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,3% | 108,360 Pontos

CÂMBIO 2,0% | 4,07/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ontem o Ibovespa fechou em queda de 0,33% aos 108.360 pontos, impactado principalmente pelo resultado do megaleilão do petróleo da Cessão Onerosa, que decepcionou investidores.

Apenas dois blocos foram leiloados com sucesso: (1) Búzios, adquirido por um consórcio formado pela Petrobras (90%), CNODC (5%) e CNOOC (5%) e (2) Itapu, adquiridos somente pela Petrobras. Atapu e Sépia não receberam nenhuma oferta, implicando uma decepção de R$ 36,6 bilhões na arrecadação de recursos do governo.

Com arrecadação menor que a esperada, a União deve ficar com R$ 23,7 bilhões, os estados com R$ 5,3 bilhões, municípios também com R$ 5,3 bilhões e o estado do Rio de Janeiro com mais R$ 1,1 bilhão. Com isso, o governo federal poderá descontingenciar recursos nesse ano com algumas arrecadações extraordinárias, realizando assim um déficit fiscal de aproximadamente -90 bilhões de reais ante meta de -139 bilhões de reais. Para o ano de 2020, o resultado primário deve cair para -86 bilhões de reais com a menor arrecadação com o leilão, ainda dentro da meta de 124 bilhões de reais.

Temos uma avaliação ligeiramente negativa dos resultados do leilão para a Petrobras. Apesar da qualidade dos ativos do leilão da Cessão Onerosa, a predominância da empresa nas ofertas sinalizou um desvio pontual na estratégia atual de redução do endividamento. Mesmo assim, mantemos nossa recomendação de Compra por não enxergarmos uma reversão estrutural na estratégia da companhia. Clique aqui para mais detalhes.

Ainda no Brasil, ontem a mudança na previdência dos militares passou na Câmara e texto segue para o Senado. No mesmo dia, os senadores aprovaram em primeiro turno a PEC paralela da previdência, na qual está prevista a inclusão de estados e municípios, que precisariam aderir por meio de votação com maioria simples nas assembleias estaduais ou câmaras municipais. Segue a votação de destaques e a apreciação em segundo turno está prevista para dia 12, para quando está marcada cerimônia de promulgação da PEC principal, já aprovada em ambas as casas.

No internacional, os índices futuros das bolsas de Nova York e da Ásia e bolsas europeias operam em alta nesta manhã após o Ministério de Comércio chinês anunciar que China e Estados Unidos concordaram em remover tarifas a importações um do outro “em etapas”. Se a chamada “fase 1” do acordo for de fato assinada, as tarifas serão removidas simultaneamente e em montantes iguais, acrescentou o ministério.

Do lado das empresas, ontem tivemos a divulgação dos resultados do terceiro trimestre acima das expectativas para Ultrapar, Carrefour e Movida. O IRB reportou resultados em linha com o consenso.

Na agenda de indicadores econômicos, o destaque de hoje será a divulgação da inflação (IPCA) brasileira de outubro, que, de acordo com as nossas expectativas, deve apresentar expansão de 0,04% na comparação mensal. O indicador trará sinalizações importantes de quais serão os próximos passos do Banco Central na condução da política monetária.

Tópicos do dia

Agenda de resultados hoje

Azul (AZUL4): Antes da aberura
B3 (B3SA3): Após fechamento
Iguatemi (IGTA3): Após fechamento
SulAmérica (SULA11): Após fechamento
Clique aqui para acessar o calendário completo
Clique aqui para acessar nossa visão sobre a temporada de resultados

Brasil

  1. Politíca Brasil: Maior leilão de petróleo da história, mas frusta governo
  2. Produção nacional de veículos surpreende positivamente em outubro

Empresas

  1. Petrobras (PETR4): Leilão da Cessão Onerosa: controvérsia do começo ao fim
  2. Ultrapar (UGPA3) Resultados 3T19: Visão positiva; Seria o início da reviravolta?
  3. Movida (MOVI3): 3T19 Margens e Lucro Acima do Esperado
  4. Azul (AZUL4): Margens em Linha, mas EBIT levemente abaixo; Mantemos Compra
  5. Carrefour Brasil (CRFB3): Resultados sólidos no 3T19; As operações de varejo e banco são os destaques
  6. IRB (IRBR3): Vantagens competitivas ainda entregando resultados
  7. Petrobras (PETR4): Fontes indicam proposta de R$ 3,7 bilhões pela Liquigás, potencialmente positivo
  8. JBS (JBSS3): Aquisição do Frigorífico Marba
  9. JBS (JBSS3): BNDES avalia venda de tranche na JBS este ano mas pode ter desafio com bancos
  10. Banco Inter (BIDI11): SuperApp deve ser lançado hoje

Veja todos os detalhes

Brasil

Politíca Brasil: Maior leilão de petróleo da história, mas frusta governo

  • Leilão de petróleo de R$ 70 bilhões é o maior da história, mas frustra governo, que esperava ao menos R$ 106 bilhões. Petrolíferas chinesas vão pagar ao Tesouro R$ 6,8 bilhões e a Petrobras R$ 63,1 bilhões. Como a empresa tem a receber R$ 34,6 bilhões do governo por negociação referente a uma operação antiga, a Petro vai pagar, liquidamente, cerca de R$ 29 bilhões de reais;
  • Com arrecadação menor que a esperada, a União deve ficar com R$ 23,7 bi, os estados com R$ 5,3 bi, municípios também com R$ 5,3 bi e o estado do Rio de Janeiro com mais R$ 1,1 bi. Com isso, o governo federal poderá descontingenciar recursos nesse ano e realizar um déficit fiscal entre -90 e -80 bilhões de reais ante a meta de déficit primário de R$ 139 bilhões. O problema fica para o ano de 2020, quando a meta de déficit será de R$ 124 bilhões, mas que agora não contará com recursos provenientes do leilão;
  • Mudança na previdência dos militares passa na Câmara e texto segue para o Senado. No mesmo dia, os senadores aprovaram em primeiro turno a PEC paralela da previdência, na qual está prevista a inclusão de estados e municípios, que precisariam aderir por meio de votação com maioria simples nas assembleias estaduais ou câmaras municipais. Segue a votação de destaques e a apreciação em segundo turno está prevista para dia 12, para quando está marcada cerimônia de promulgação da PEC principal, já aprovada em ambas as casas.

Produção nacional de veículos surpreende positivamente em outubro

  • A produção nacional de autoveículos, divulgada mensalmente pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos (Anfavea), surpreendeu positivamente em outubro, em linha com as melhores performances apresentadas recentemente pelo comércio de produtos duráveis. Na série que desconsidera as flutuações sazonais, a produção total de autoveículos apresentou expansão de 4,7% em outubro (out 19 / set 19);
  • Apesar da surpresa positiva, o licenciamento de autoveículos (que funciona como uma proxy das vendas) mostrou certo arrefecimento. O crescimento mais acelerado da produção e menos acelerado das vendas resultou em um descompasso levemente superior entre oferta e demanda. Consequentemente, o nível de estoque apresentou expansão, o que não é boa notícia para a produção de autoveículos futura. Em outubro, o estoque chegou a alcançar o equivalente a 1 mês e meio de vendas;
  • Ainda assim, a leitura de outubro foi boa notícia e trouxe um viés positivo para as nossas projeções de produção industrial. Em linhas gerais, os dados reforçaram o nosso entendimento de que a economia brasileira segue em ritmo gradual de recuperação. Clique aqui para acessar a nossa análise completa do resultado.

Empresas

Petrobras (PETR4): Leilão da Cessão Onerosa: controvérsia do começo ao fim

  • Em 6 de novembro, o governo brasileiro realizou o leilão de barris excedentes da Cessão Onerosa. Apenas dois blocos foram leiloados com sucesso: (1) Búzios, adquirido por um consórcio formado pela Petrobras (90%), CNODC (5%) e CNOOC (5%) e (2) Itapu, adquiridos somente pela Petrobras. Atapu e Sépia não receberam nenhuma oferta;
  • Temos uma avaliação ligeiramente negativa dos resultados do leilão para a Petrobras. Apesar da qualidade dos ativos do leilão da Cessão Onerosa, a predominância da empresa nas ofertas sinalizou um desvio pontual na estratégia atual de redução do endividamento;
  • Além disso, vemos o resultado do leilão como negativo para o governo brasileiro, uma vez que os blocos da Atapu e da Sépia não foram leiloados, implicando uma decepção de R$ 36,6 bilhões na arrecadação de recursos;
  • Mantemos nossa recomendação de compra na Petrobras com preços-alvo de R$ 36,0 e R$35,0 para PETR4 e PETR3. Nossas estimativas ainda não refletem o impacto dos resultados do leilão da Cessão Onerosa. Clique aqui para acessar o relatório completo.

Ultrapar (UGPA3) Resultados 3T19: Visão positiva; Seria o início da reviravolta?

  • Em 6 de novembro, a Ultrapar divulgou os resultados do 3T19. O Lucro Líquido divulgado foi de R$ 311,9 milhões, bem acima da nossa estimativa de R$169,6 milhões e da estimativa do consenso de mercado de R$ 255,3 milhões. O EBITDA ajustado de R$ 862,0 milhões veio acima dos nossos R$814,5milhões (+5,8%) e acima do consenso de R$773,4 milhões (+2,8%), refletindo resultados maiores do que o esperado na Ipiranga e da Ultragaz, enquanto os resultados de outros negócios vieram em linha com as nossas estimativas.
  • Temos uma avaliação positiva dos resultados da Ultrapar, que superaram as nossas expectativas e as do consenso do mercado. Em particular, destacamos o desempenho positiva da Ipiranga, que apresentou melhores margens que o esperado em termos de EBITDA por metro cubico de combustível vendido.
  • Continuamos a ter uma recomendação neutra e um preço alvo de R$ 22/ação para UGPA3. Clique aqui e confira o relatório completo a nossa opinião sobre o resultado e o desempenho operacional e financeiro de cada subsidiária.

Movida (MOVI3): 3T19 Margens e Lucro Acima do Esperado

  • Os resultados da Movida vieram em geral acima das expectativas. O lucro líquido reportado foi de R$62,7mi (sem considerar os efeitos do IFRS16), acima do consenso e ~10% acima do nosso número. Acreditamos que os esforços da companhia em aprimorar a eficiência e manter o giro da frota em níveis saudáveis estão gerando resultados sequencialmente melhores;
  • Mantemos nossa recomendação de Compra para as ações, baseada (i) na melhora sequencial de margens, (ii) maior geração de valor com o amadurecimento do segmento de Seminovos, e (iii) múltiplos atrativos em nossa visão. Clique aqui para acessar o comentário completo sobre os resultados.

Azul (AZUL4): Margens em Linha, mas EBIT levemente abaixo; Mantemos Compra

  • Os resultados da Azul vieram levemente abaixo do esperado, refletindo um yield (valor médio pago por passageiro para cada quilômetro voado) ~2% abaixo da estimativa, impacto que se carregou para as outras linhas do resultado. A receita líquida consolidada atingiu R$3,03bi (+25% a/a), 2% abaixo do esperado, e o EBIT (resultado operacional) ficou em R$559mi, 3% abaixo do esperado. Apesar disso, a margem operacional no trimestre ficou em 18,5%, apenas 0,1 p.p. abaixo da nossa estimativa e em linha com as estimativas do consenso;
  • Em geral, mesmo com números levemente abaixo em termos absolutos, a Azul manteve um nível alto de rentabilidade, sustentado por (i) tendências positivas da demanda, que permitiram a manutenção de yields saudáveis apesar do forte crescimento de oferta; (ii) controle de custos, com custos unitários (CASK) caindo -2% A/A; e (iii) sólido crescimento nas outras receitas, de + 38% A/A. Mantemos nossa recomendação de Compra. Clique aqui para acessar nosso relatório completo.

Carrefour Brasil (CRFB3): Resultados sólidos no 3T19; As operações de varejo e banco são os destaques

  • O Carrefour divulgou resultados sólidos referentes ao terceiro trimestre de 2019 (3T19). O lucro reportado foi 6,6% acima da nossa expectativa, principalmente em função de um desempenho forte nas operações de varejo e banco da companhia, enquanto o resultado do atacarejo (Atacadão) continua pressionado pela queda na inflação de alimentos;
  • Nossa visão: Nós esperamos uma reação positiva do mercado em relação aos resultados. O desempenho operacional dos segmentos de varejo e banco da empresa mais que compensaram a desaceleração vista no atacarejo. Portanto, acreditamos que os resultados possam levar os investidores a revisar suas estimativas positivamente. Entretanto, a compressão vista na margem da operação de atacarejo levanta preocupações em relação à competição e ao perfil de produtividade e rentabilidade das novas safras de lojas. Nós mantemos a nossa recomendação Neutra para as ações do Carrefour Brasil;
  • Clique aqui para acessar a nossa análise completa.

IRB (IRBR3): Vantagens competitivas ainda entregando resultados

  • O IRB acaba de reportar seus resultados do terceiro trimestre de 2019 (3T19). Sem grandes surpresas, o resultado do IRB veio em linha com o consenso. A resseguradora reportou lucro de R$ 393 milhões, 4% abaixo do consenso e implicando em um retorno sobre o patrimônio de 37%. A queda no crescimento do lucro é principalmente devido ao aumento dos prêmios retrocedidos;
  • Ainda assim, a resseguradora conseguiu entregar um crescimento anual de 29% nos lucros, principalmente devido a despesas estarem crescendo menos do que as receitas e ao forte resultado financeiro entregue pela área de gestão de recursos;
  • No geral, o IRB demonstra que ainda é capaz de entregar rentabilidade e crescimentos anormais devido a suas vantagens competitivas. Veja aqui o nosso relatório completo.

Petrobras (PETR4): Fontes indicam proposta de R$ 3,7 bilhões pela Liquigás, potencialmente positivo

  • Segundo notícias (Valor Econômico e Estadão), um consórcio formado liderado pela Copagaz ofereceu à Petrobras uma proposta de R$3,7 bilhões de aquisição da Liquigás, divisão de GLP (gás de cozinha);
  • A proposta é superior ao valor de R$2,8 bilhões apresentado pelo Grupo Ultra para adquirir a subsidiária em 2018, e que acabou sendo vetada pelo Cade. Notamos que ainda não foi emitido comunicado oficial da Petrobras referente à conclusão da operação;
  • Caso a transação seja confirmada, estimamos uma entrada de recursos líquida de impostos de R$ 2,7 bilhões para a Petrobras, o que corresponde a uma redução de (0,024x) na Dívida Líquida / EBITDA da companhia, atualmente em 1,96x (ou 2,22x após o pagamento dos bônus de outorga do leilão da Cessão Onerosa), e uma adição de R$0,21/ação a nossos preços-alvo de PETR4 e PETR3;
  • Ainda que pouco significativa, teríamos uma visão positiva da transação, caso confirmada. A razão é que as cifras mencionadas surpreenderam positivamente nossas expectativas, além da sinalização do compromisso da Petrobras com a agenda de venda de ativos que não são o foco da companhia. Mantemos a recomendação de Compra das ações.

JBS (JBSS3): Aquisição do Frigorífico Marba

  • Ontem à noite, a JBS anunciou a aquisição do Frigorífico Marba, uma das marcas mais tradicionais no segmento de frios e embutidos e referência no segmento de mortadelas no Estado de São Paulo;
  • O montante não foi divulgado, mas a Marba tem faturamento anual de cerca de R$350 milhões, 2% da receita da Seara. Apesar de pequena, a aquisição está em linha com a estratégia da JBS de ampliar a participação de produtos de maior valor agregado e de marcas em seu portfólio, o que vemos como positivo. Mantemos compra.

JBS (JBSS3): BNDES avalia venda de tranche na JBS este ano mas pode ter desafio com bancos

  • Segundo o Valor Econômico, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) discute internamente vender uma parte de suas ações na JBS no curto prazo. Como detém cerca de 22% da JBS, o banco de fomento avalia potencial oferta de tranche em dezembro, com definição até o dia 18 de novembro, aproveitando o patamar elevado de preço das ações;
  • Segundo uma fonte, a posição em JBS é a única em discussão interna atualmente no banco. Porém, o BNDES pode ter um desafio para formar um sindicato robusto, se optar por uma oferta de maior porte que dependa da demanda de grandes investidores estrangeiros devido à lei americana anticorrupção (Foreign Corrupt Practices Act);
  • Por outro lado, as instituições podem ter diferentes interpretações disso – o que abriria caminho para algumas delas entrarem na composição de oferta. O pedido recente de dois senadores americanos, em outubro, para uma investigação sobre as operações da JBS no país tem gerado ruído e pode pesar nesse processo também, o que deve ser monitorado com atenção pelos investidores. Apesar disso, mantemos nossa visão positiva e recomendação de Compra para JBS, que tem evoluído nas medidas de governança e ainda deve se beneficiar de fortes resultado à frente.

Banco Inter (BIDI11): SuperApp deve ser lançado hoje

  • Banco Inter deve lançar hoje o seu SuperApp. Entre outras funcionalidades, o app vai ofertar entrega de alimentos, transporte compartilhado e ingressos para cinema;
  • O banco digital, que já possuía mais de 3,3 milhões de clientes no fechamento do último trimestre, não mostrou ainda que pode monetizar essa base. Segundo João Menin, CEO, a maneira de monetizar é através do engajamento que o SuperApp deve criar nos clientes. Menin ainda afirmou que o superapp pode inclusive aumentar a originação de crédito;
  • Embora relevante, o movimento já era esperado. O banco já oferece seguros, recarga de celular, acesso a varejistas com cashback, investimentos e outros. Um SuperApp que aglomera todos estes produtos era um caminho natural, que se tornou ainda mais evidente conforme o SoftBank passou a integrar a base de investidores;
  • Acreditamos que o movimento seja positivo, e necessário. O Inter precisa rentabilizar sua base de clientes, e a originação de crédito em si não conseguirá trazer lucros o suficientes para justificar seu valuation atual. A esperança dos investidores é de que o banco vai ser capaz de gerar receitas de serviços através dos vários produtos que o banco oferece e o SuperApp vai nessa direção;
  • O lançamento será transmitido ao vivo via YouTube as 12h00.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.