XP Expert

Produção industrial dos EUA e mudanças nos subsídios de ICMS no Brasil em destaque

Banco Central Europeu e PMI da zona do euro também são alguns dos temas de maior destaque nesta sexta-feira, 15/12/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Áudio disponível em breve.


IBOVESPA +1,06% | 130.842 Pontos

CÂMBIO -0,08% | 4,91/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa fechou o pregão da quinta-feira em alta de 1,0%, aos 130.842 pontos, alcançando a maior pontuação nominal de sua história. O desempenho positivo refletiu ainda a percepção positiva do mercado em relação ao discurso do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) na quarta-feira. 

Dentre os destaques do dia, tivemos um desempenho positivo de papéis do setor de Óleo e Gás, como Petrobras (PETR4) e Prio (PRIO3), que subiram 2,2% e 4,5% após aumento no preço do petróleo. Além disso, MRV (MRVE3), Lojas Renner (LREN3) e Localiza (RENT3) tiveram altas de 4,2%, 4,3% e 3,8%, nessa ordem, motivadas pelo fechamento da curva de juros. 

Por outro lado, papéis do setor de varejo como Magazine Luiza (MGLU3) e Casas Bahia (BHIA3) tiveram quedas de 4,0% e 5,7%, respectivamente, em um movimento de realização de lucros.

Renda Fixa

As taxas futuras de juros fecharam perto da estabilidade, com o otimismo provocado pelo recuo nos rendimentos (yields) dos títulos do Tesouro americano (Treasuries) e pelos sinais de que o Federal Reserve está mais aberto a flexibilizar sua política monetária em 2024 se dissipando, momentaneamente, por novos indícios de pressão às contas públicas no Congresso Nacional. DI jan/25 fechou em 10,11% (-5bps vs. pregão anterior); DI jan/26 em 9,71% (-2,5bps); DI jan/27 em 9,815% (-3bps); DI jan/29 em 10,24% (-6,5bps).

Mercados globais

Nos Estados Unidos, os futuros operam em alta nesta sexta-feira (S&P 500: 0,2%; Nasdaq 100: 0,3%) em semana positiva impulsionada por falas mais brandas do Federal Reserve.  

Os mercados europeus operam em alta (Stoxx 600: 0,5%), repercutindo a decisão dos bancos centrais locais de manter juros inalterados. Na China, os índices fecharam mistos (CSI 300: -0,3%; HSI: 2,4%), após dados econômicos mistos: a produção industrial surpreendeu positivamente, enquanto as vendas no varejo vieram abaixo das expectativas. O banco central chinês (PBoC) também anunciou expansão de liquidez recorde, do equivalente a US$ 112 bilhões para apoiar a recuperação do crescimento econômico da região em meio à crise do setor imobiliário no país. O anúncio provocou reação positiva do índice de Hong Kong (HSI).

Economia

O Banco Central Europeu decidiu manter as taxas de juros nos atuais níveis e adotou uma postura bastante diferente em relação ao seu congênere norte-americano, sinalizando que o Banco não deve baixar a guarda, já que as pressões internas sobre preços continuam. Enquanto isso, a pesquisa PMI para a zona do Euro mostrou nova queda, que frustrou as expectativas dos economistas e mostrou tanto indústria como serviços em nível de contração. Nos EUA, vendas no varejo mostraram alta na margem, recuperando as perdas de outubro. O resultado é mais um sinal de resiliência da economia norte-americana e afasta temores de uma recessão no curto prazo. Por outro lado, as vendas no varejo no Brasil mostraram resultado muito abaixo do esperado, com redução nas vendas em praticamente todas as aberturas, sinalizando que a economia está perdendo fôlego.

O Congresso Nacional derrubou o veto à desoneração da folha, e o governo agora sinaliza que pode recorrer ao judiciário para barrar a medida, que tem impacto estimado em R$ 18 bilhões. Na agenda do dia, destaque para a divulgação da produção industrial e para os índices de gerentes de compras (PMIs) de manufatura e serviços nos EUA. No Brasil, a Câmara pode votar hoje a MP da subvenção de ICMS, que pode render mais de R$ 35 bilhões ao governo federal.

Veja todos os detalhes

Economia

BCE mantém taxas de juros; PMIs de Manufatura e Serviços dos EUA são os destaques de hoje

  • Como amplamente esperado, o BCE decidiu manter suas três principais taxas de juros estáveis por uma segunda reunião consecutiva. A principal taxa de refinanciamento está em 4,5%, a taxa de depósito em 4,0% e a taxa de empréstimo marginal em 4,75%. A política monetária está em território bem restritivo. O BCE também publicou suas previsões, e agora espera que a inflação medida pelo IHPC seja em média de 5,4% em 2023 (5,6% antes), 2,7% em 2024 (3,2% antes) e 2,1% em 2025. Na coletiva de imprensa, Lagarde reforçou a postura hawkish do BCE e a intenção de manter as taxas elevadas por mais tempo. Ela acrescentou que, apesar da melhora marginal nas perspectivas de inflação, o BCE “não deve baixar a guarda”, uma vez que as pressões internas sobre os preços continuam elevadas. Em suma, a comunicação do BCE foi muito diferente da do Fed. O Conselho continua mais preocupado com a inflação do que com a desaceleração da atividade econômica e está determinado a atingir as metas de estabilidade de preços do BCE. A menos que a atividade econômica sofra uma desaceleração inesperada, acreditamos que as taxas devem permanecer estáveis durante a primeira parte do próximo ano;
  • O PMI Composto preliminar do HCOB da zona do euro, compilado pela S&P Global, caiu para 47,0 neste mês, em comparação com 47,6 em novembro, frustrando as expectativas de uma pesquisa da Reuters de um aumento para 48,0 e marcando seu sétimo mês abaixo do nível de 50, que separa crescimento de contração. Um PMI para o setor de serviços dominante do bloco caiu de 48,7 para 48,1, ficando muito aquém da previsão da pesquisa da Reuters de um aumento para 49,0. A demanda por serviços caiu novamente, uma vez que os consumidores endividados, sentindo o aperto dos custos de empréstimos, que atingiram níveis recorde na união monetária de 20 países, mantiveram gastos em níveis baixos. As indústrias também tiveram outro mês decepcionante. O PMI industrial manteve-se estável em 44,2 em novembro – abaixo da previsão da pesquisa da Reuters de 44,6 e registrando seu 18º mês abaixo de 50;
  • Nos EUA, as vendas no varejo aumentaram 0,3% no mês passado, depois de terem caído 0,2% em outubro, informou o Census Bureau do Departamento de Comércio. Economistas consultados pela Reuters previram que as vendas no varejo caíram 0,1%. As vendas no varejo são principalmente de mercadorias e não são ajustadas pela inflação. As vendas aumentaram 4,1% em relação ao ano anterior em novembro. Excluindo automóveis, gasolina, materiais de construção e serviços de alimentação, as vendas no varejo aumentaram 0,4% no mês passado. O chamado núcleo das vendas no varejo corresponde mais estreitamente ao componente de gastos do consumidor do PIB. Embora o ritmo tenha diminuído à medida que as famílias se ajustam aos custos e preços mais altos dos empréstimos, ele continua sendo suficiente para evitar uma recessão;
  • No Brasil, o núcleo das vendas no varejo caiu 0,3% em outubro em relação a setembro, bem abaixo das expectativas (XP: +0,7%; consenso: +0,4%). O resultado foi impulsionado por uma desaceleração generalizada das vendas no varejo, incluindo Alimentos, Bebidas e Fumo (-0,8% M/M; 1,9% A/A), Informática e Produtos Eletrônicos (-5,7% M/M; -6,8% A/A) e Vestuário e Calçados (-1,9% M/M; -3,4% A/A). Por sua vez, as vendas no varejo amplo caíram 0,4% M/M, também abaixo das estimativas (XP: +0,4%; consenso: +0,3%). As condições de crédito apertadas e o alto endividamento das famílias continuam a pesar sobre os gastos pessoais. Além disso, os impulsos provenientes do alívio da inflação (especialmente dos preços dos alimentos) e da expansão da renda do trabalho devem ser mais moderados nos próximos meses. Assim, espera-se que as despesas de consumo das famílias desacelerem;
  • O Congresso derrubou o veto do presidente à desoneração da folha de pagamento. A medida tem um impacto estimado de cerca de R$ 18 bilhões para o governo. O Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, sinalizou que poderá tomar medidas legais para impedir a medida;
  • Na agenda econômica de hoje, os destaques são a produção industrial dos EUA (consenso 0,2%, anterior -0,6%) e o PMI S&P Global para Manufatura e Serviços dos EUA (consenso 49,5 e 50,8, respectivamente). No Brasil, espera-se que a Câmara dos Deputados vote as mudanças nos subsídios do ICMS, o que poderia adicionar mais de R$ 35 bilhões de receita ao orçamento do governo.

Empresas

Elétricas: Perspectivas do Leilão de Transmissão 02/2023; Capex estimado de R$ 21,7 bilhões

  • O leilão de transmissão 02/2023 será realizado amanhã (15 de dezembro), com três blocos (9 ativos) disponíveis e totalizando um Capex estimado de R$ 21,7 bilhões;
  • Devido ao montante relevante de Capex, especialmente no lote 1, e à tecnologia envolvida (corrente contínua), acreditamos que poucos participantes poderão ofertar neste Leilão;
  • Nesse sentido, vemos a State Grid e a Eletrobras como os principais concorrentes, com maiores chances no lance;
  • Além disso, devido aos desafios envolvidos, acreditamos que o nível de competição provavelmente será moderado.
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alupar (ALUP11):  Soy Loco Por Ti, America; Feedback do Investor Day de 2023

  • O Investor Day da Alupar mostrou que a empresa está apostando mais em projetos fora do Brasil, dada a melhor Taxa Interna de Retorno (TIR) em um ambiente regulatório relativamente seguro.
  • É importante destacar que a Alupar possui alguma experiência nesses mercados, e o Brasil ainda apresenta uma demanda significativa por nova capacidade de transmissão, embora a competição tenha se intensificado.
  • Essa abordagem pode ser uma opção interessante se atingir uma escala que efetivamente “mova a agulha” em seu portfólio atual.
  • Mantemos nossa recomendação neutra na ALUP11, com um preço-alvo de R$33/unit.
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Varejo & Shoppings | eXPlorando os Shoppings: Então é Natal

  • Visitamos ~90 lojas essa semana em cinco shoppings de São Paulo, com perfis diferentes de consumidores (Morumbi, Pátio Higienópolis, Iguatemi SP, Eldorado e Pátio Paulista).
  • Embora nossa amostra apresente algumas limitações, obtivemos insights interessantes: i) Tendências divergentes ao longo da Black Friday, com varejistas mais promocionais com um tom mais otimista; ii) Consumidores estão demonstrando um comportamento de compra mais consciente; iii) Apesar de feedbacks divergentes sobre o desempenho no início de dezembro, o tom para as vendas de Natal permanece positivo; iv) O digital é visto como uma faca de dois gumes para as vendas das lojas físicas; e v) Programas de fidelidade dos shoppings como um destaque.
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

MRV (MRVE3): As principais conclusões do Resia Day

  • A Resia (subsidiária da MRV nos EUA) realizou seu primeiro Investor Day;
  • As principais conclusões foram:
    • O Resia Production System (RPS) deve ser um fator de redução de custos, com o YoC dos projetos potencialmente aumentando para 8,1% (vs. 6. 9% atualmente) após sua implementação completa;
    • A Resia manteve sua política de zero queima de caixa para o ano consolidado de 2024, embora possamos ver uma queima de caixa de ~U$ 50 milhões no 1T24;
    • O momento para um melhor cenário de cap-rate ainda não está claro, embora os sinais do Fed nesta semana pareçam ter aumentado a confiança para 2024; e
    • A venda do projeto Biscayne Drive foi anunciada (como esperado), com um cap rate de 6,1%, YoC de 7% e margem bruta de ~12%.
  • Vemos com bons olhos as iniciativas da Resia para reduzir os custos e melhorar seu cenário de queima de caixa;
  • No entanto, ainda vemos um ambiente de curto prazo pressionado para a Resia, prejudicado pela incerteza em torno da dinâmica de cap rates nos EUA;
  • Mantemos nossa recomendação de compra e preço-alvo de R$ 17,00/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Nubank completa dois anos de IPO com lucro em alta e ação em baixa (Valor);
    • Volume médio negociado em ações cai 24,4% em novembro, diz B3 (Valor);
    • BC terá de rever modelo do cartão de crédito, o que inclui garantir desconto para quem pagar à vista (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Telecom Italia planeja reconduzir Pietro Labriola como CEO, dizem fontes (bloomberglinea);
    • Telefônica vai pagar R$ 850 milhões em juros sobre capital próprio (telesintese);
    • TI no Brasil registra alta de 132% nas fusões e aquisições de empresas no 3T23 (mobiletime);
    • Grupo TIM lança chip italiano de cibersegurança (telesintese);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Lira: reforma tributária e MP da subvenção serão votadas em plenário nesta sexta-feira (15) (Valor)
    • Comissão aprova MP que muda tributação de incentivos fiscais e amplia arrecadação do governo (Globo);
    • Importação da Shein e Shopee cai 54% em outubro após taxação, diz pesquisa (Veja);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Bebidas
      • ‘You should be drinking gallons of Bud Light’: Dana White just stood up for Anheuser-Busch amid long boycott (Yahoo Finance);
    • Alimentos
      • The Biggest Problem With Lab-Grown Chicken Is Growing the Chicken (Bloomberg);
      • Bird flu found on another German poultry farm (Reuters);
    • Agro
      • Vittia muda estratégia de vendas para enfrentar cenário adverso (InfoMoney);
      • Os primeiros números para a temporada de cana 2024/25 (Nova Cana);
    • Biocombustíveis
      • Biden reconhecerá metodologia que pode favorecer etanol para SAF, dizem fontes (Nova Cana);
      • Mais biodiesel no diesel beneficia Petrobras, diz agro (BiodieselBr);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • Hypera aprova a 17a emissão de debêntures (RI da Companhia);
    • Comissão mista aprova relatório da MP que altera a tributação de incentivos fiscais (Câmara);
    • CMED vai revisar precificação de medicamentos e terapias avançadas em 2024 (Futuro da Saúde);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Ministro Rui Costa e ex-presidente da Petrobras estão se mexendo pela indicação de aliados ao posto de Jean Paul Prates (Veja);
    • Governo de AL pede que STF cancele acordos sobre danos da Braskem em Maceió
    • MPF pede bloqueio de R$ 1 bilhão da Braskem para indenizar vítimas em Maceió. (CNN);
    • Copel vende termelétrica a gás para Âmbar Energia por R$ 320,7 milhões. (Valor Econômico);
    • Após reunião, líderes da Venezuela e de Guiana concordam em continuar o diálogo (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário
    • Fed prevê cortes de juros em 2024. Mas ainda é cedo para comemorar? (Neofeed);
    • PAC: “O setor da construção pode esperar muitos investimentos em 2024”, diz Bonfim (CBIC);
    • *‘Terreno em área nobre é matéria-prima escassa; preço continuará em alta’, diz presidente do Secovi (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Copel vende termelétrica a gás para Âmbar Energia por R$ 320,7 milhões (Valor Econômico);
    • PL que dificulta prorrogação de concessões das distribuidoras começa a andar no Congresso (MegaWhat);
    • Procuradoria vê ‘afronta’ em decreto de Tarcísio que facilita privatização da Sabesp (Folha de S. Paulo);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • European Central Bank holds rates and trims its inflation forecast (CNBC);
  • BlackRock vê Brasil entre favoritos em renda fixa de emergentes (Valor);
  • Exportações do agronegócio batem recorde em novembro com US$ 13,48 bilhões (Globo Rural);
  • Juiz de Nova York nega pedido de credores externos da Americanas (Bloomberg Línea);
  • Fitch Rebaixa IDRs da Braskem para ‘BB+’ Devido a Maior Risco de ESG; Ratings em Observação Negativa (Fitch).
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Mais de 40% dos FIIs pagam dividendos acima do CDI após novo corte na Selic; veja os maiores retornos (InfoMoney);
    • Número de investidores de fundos imobiliários de ʽpapelʼ cresce 63% em 12 meses (Valor Investe);
    • SNAG11 adquire novo CRA e entra para o setor de café (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Governo dos EUA estuda conceder créditos fiscais para SAF a base de etanol | Café com ESG, 15/12

  • O mercado encerrou o pregão de quinta-feira em território positivo, com o IBOV e o ISE registrando alta de 1,06% e 0,60%, respectivamente;
  • Do lado das empresas, o financiamento de projetos de energia de baixo carbono em 2022 representou 73% do volume de recursos disponibilizados pelos maiores bancos do mundo para combustíveis fósseis, de acordo com dados da BloombergNEF – isso significa que a cada dólar destinado à indústria de óleo, gás e carvão, outros US$ 0,73 financiaram energia de baixo carbono, uma leve queda em relação a US$ 0,75 em 2021;
  • Na política, (i) o Conselho e o Parlamento Europeu chegaram ontem a um acordo provisório sobre uma diretiva relativa ao dever de sustentabilidade, que visa reforçar a proteção do meio ambiente e dos direitos humanos – em comunicado, o Conselho Europeu apontou que estabelecerá obrigações para as grandes empresas divulgarem  informações ESG nas suas próprias operações e em suas subsidiárias; e (ii) o governo Biden está próximo de permitir créditos fiscais para empresas produtoras de combustível de aviação sustentável (SAF) à base de etanol sob a Lei de Redução da Inflação – a notícia é considerada uma vitória para a indústria de etanol dos EUA, que vê o SAF como uma das rotas para aumentar a demanda por etanol em meio ao crescimento das vendas de veículos elétricos;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.