XP Expert

PIB do 1° tri no Brasil, vagas de emprego nos EUA, recomendações para junho e mais destaques

Divulgação do PIB do 1° trimestre é um dos temas de maior destaque nesta terça-feira, 04/06/2024

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Ouça no Spreaker

IBOVESPA -0,05% | 122.032 Pontos

CÂMBIO -0,29% | 5,23/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa fechou em leve queda ontem, pela quarta sessão consecutiva, aos 122,032 pontos (-0,1%). O dia foi marcado pelas divulgações do PMI e ISM de manufatura nos EUA, referentes ao mês de maio, que recuaram, o que pesou no sentimento do mercado em relação à economia americana em meio a uma inflação persistente.

Os principais destaques negativos na Bolsa brasilera foram as ações do setor de mineração e siderurgia, como CSN (CSNA3, -3,0%), Gerdau (GGBR4, -2,9%), e Vale (VALE3, -2,1%), após o preço do minério de ferro fechar em queda de 2,7% na China – a menor cotação desde 16 de abril deste ano. Os principais destaques positivos foram Pão de Açúcar (PCAR3, +7,3%) e Hypera (HYPE3, +5,4%), após um movimento técnico de recuperação.

Para o pregão desta terça-feira, teremos a divulgação do PIB do 1º trimestre e, globalmente, JOLTS de abril nos EUA, e PMI Caixin de serviços de maio na China.

Renda Fixa

Os juros futuros encerraram a sessão de segunda-feira com um leve fechamento por toda a extensão da curva, aliviado pelo cenário externo. Domesticamente, os números divulgados no Boletim Focus trouxeram um pessimismo maior com a economia brasileira, por meio de expectativas de inflação e taxa Selic maiores para 2024 e 2025. Por outro lado, dados de PMI e ISM industriais dos EUA apontaram encolhimento acima do esperado pelo consenso, o que abriu espaço para o mercado voltar a precificar o ciclo de cortes de juros começando em setembro. Por lá, os rendimentos das Treasuries – títulos soberanos americanos – de 2 anos fecharam em 4,82% (-7,0bps) e as de 10 anos em 4,41% (-10,0bps). DI jan/25 fechou em 10,38% (queda de 1,5bps vs. pregão anterior); DI jan/26 em 10,78% (queda de 1bps); DI jan/27 em 11,13% (queda de 1bps); DI jan/29 em 11,6% (queda de 2bps).

Mercados globais

Nesta terça-feira, os futuros nos Estados Unidos abrem em queda (S&P 500: -0,5%; Nasdaq 100: -0,5%), após dados piores da indústria e deterioração do sentimento do mercado.

Na Europa, as bolsas operam em queda (Stoxx 600: -0,7%), no aguardo de um corte de juros pelo Banco Central Europeu na reunião dessa semana.

Na China, as bolsas fecharam em alta (CSI 300: 0,8%; HSI: 0,2%), dando sequência ao movimento de crescimento após dados indicarem melhora no setor industrial em maio.

Economia

Nos EUA, o índice ISM Industrial caiu para 48,7 em maio de 2024, indicando contração na atividade manufatureira, com produção estável, mas demanda fraca.

No Brasil, o boletim Focus mostrou maiores projeções para a taxa Selic e inflação, com expectativas de inflação para 2026 aumentando de 3,58% para 3,60%, e para 2025, de 3,75% para 3,77%, refletindo incertezas domésticas; as projeções para a Selic subiram para 10,25% em 2024 e 9,18% em 2025, sem alterações no PIB e na taxa de câmbio.

Na agenda de hoje, destaque para a divulgação do PIB do 1º trimestre, com previsão de crescimento nos setores de Agropecuária, Serviços e Indústria, segundo o cálculo do lado da oferta.

Veja todos os detalhes

Economia

Mercado volta às atenções para o PIB do primeiro trimestre

  • Nos Estados Unidos, o índice ISM Industrial – indicador que, baseado em pesquisas com gerentes de compras, mede a saúde do setor industrial – caiu para 48,7 em maio de 2024, de 49,2 em abril, ficando abaixo da projeção de mercado de 49,6. A leitura indica uma contração na atividade manufatureira, com produção estável, mas demanda fraca. O índice é calculado de forma que um valor acima de 50 indica expansão no setor, enquanto um valor abaixo de 50 indica contração. Houve quedas nas novas encomendas (45,4 vs 49,1) e nos estoques (47,9 vs 48,2). Por outro lado, o emprego teve uma recuperação (51,1 vs 48,6), e os preços aumentaram em um ritmo mais lento (57 vs 60,9).
  • Na agenda internacional hoje, teremos os dados de vagas de emprego nos EUA (reportado pelo relatório JOLTS), às 11:00, para avaliar a demanda de trabalho na maior economia do mundo. O mercado espera que o dado mostre uma queda para 8,37 milhões em abril, ante 8,488 milhões em março. Uma diminuição pode sinalizar condições mais frouxas no mercado de trabalho, potencialmente aumentando as esperanças de cortes nas taxas do Fed ainda este ano, ao reduzir as pressões salariais e a inflação. Os diretores do banco central americano provavelmente manterão as taxas de juros estáveis em 5,25% a 5,50% na reunião da próxima semana, já que vários oficiais enfatizaram recentemente a necessidade de mais evidências de desaceleração estável dos preços antes de considerar cortes nas taxas.
  • No Brasil, o boletim Focus mostrou novamente maiores projeções de taxa Selic e inflação. As expectativas de inflação em 2026 aumentaram. Desta vez, de 3,58% para 3,60%. Para 2025, o consenso de mercado seguiu o mesmo movimento: de 3,75% na semana passada para 3,77% nesta semana. Ambos os movimentos refletem a desancoragem das expectativas de inflação, reflexo de maiores incertezas domésticas. Para a taxa Selic, o consenso de mercado se movimentou tanto para o ano corrente (de 10,00% para 10,25%) quanto para 2025 (de 9,00% para 9,18%). A mudança é explicada pelas contínuas mudanças de expectativas de mercado para uma inflação mais alta, que estão resultando em maiores projeções para a taxa Selic. Enquanto isso, PIB e taxa de câmbio não demonstraram alterações. Leia mais aqui.
  • Na agenda de hoje, destaque para a divulgação do PIB do 1º trimestre na 3ª-feira às 9h. Do lado da oferta, prevemos crescimento para os três grandes setores. A Agropecuária se recuperou após a queda registrada no 4º trimestre. O setor de Serviços ganhou ímpeto no último trimestre, enquanto a Indústria deve apresentar tímido crescimento, com sinais mistos entre seus componentes. Do lado demanda, destaque para o consumo das famílias resiliente e a recuperação dos investimentos. Nos Estados Unidos, a pesquisa de oferta de empregos (JOLTS) será publicada nesta terça-feira às 11h.

Empresas

Alupar (ALUP11): Novos projetos arrematados no Chile; Retornos atrativos e alinhados à estratégia de crescimento da Alupar

  • A Alupar anunciou dois projetos de transmissão conquistados no Chile;
  • Os projetos têm RAP de US$ 19,4 milhões e um Capex estimado de US$ 145,9 milhões (média de 13,3% RAP/Capex);
  • A previsão de início das linhas é dezembro de 2027;
  • Vemos a aquisição como positiva devido aos seus retornos atrativos e alinhados com a estratégia de crescimento da Alupar na América Latina;
  • Além disso, acreditamos que os novos projetos podem ter sinergias com a recente aquisição no Chile (TES);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Ambipar (AMBP3): Novo Guidance de alavancagem, crescimento e rentabilidade

  • A Ambipar antecipou sua meta de desalavancagem de atingir 2,5x Dívida Líquida/EBITDA em 18 meses e assumiu o compromisso de aumentar pelo menos 10% sua receita líquida até dez/24 e pelo menos 10% de aumento nas margens EBITDA até jun/25 (ou 3 p.p.);
  • Além disso, a Companhia anunciou um programa de recompra de ações que visa comprar 20,8 milhões de ações até novembro de 2025;
  • Vemos a notícia como positiva, pois demonstra um compromisso com a geração de caixa e a diligência na alocação de capital, que acreditamos ser o caminho certo;
  • Além disso, estas novas orientações são mais restritivas e diminuem a chance de um potencial follow-on, que é a principal preocupação dos investidores;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • BTG Pactual assumirá controle do Banco Nacional, em liquidação extrajudicial há 28 anos (Valor);
    • Bancos dos EUA injetam bilhões para disputar espaço no crédito privado (Estadão);
    • Mercado Pago está na fase de ‘sair da toca’, diz Chaves (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Governo quer restringir uso de créditos do PIS/Cofins para compensar desoneração da folha (Folha de São Paulo);
    • Carrefour congela preços de itens básicos no RS até o fim de junho (Folha de São Paulo);
    • Senado deve votar hoje projeto que inclui imposto de 20% sobre importados de até US$ 50 (O Globo);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário
    • EUA vivem lenta e gradual desaceleração da economia e queda da inflação, diz Megale (Infomoney);
    • Boletim Focus: projeções para inflação e Selic sobem e as do PIB se mantêm na semana (Infomoney);
    • Em 2024, o CUB acumula variação positiva de 1,47% (Sinduscon);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Privatização da Sabesp terá oferta 100% secundária e cláusula de não-concorrência (InfoMoney);
    • Alupar vence leilão para dois projetos de transmissão de energia no Chile (Valor Econômico);
    • Guilherme Lencastre é o novo presidente da Enel SP (Energia Hoje)
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Estratégia

XP Short Scout: Monitor de short selling no Brasil – 31/5/2024

  • No relatório de hoje, atualizamos os dados de short selling dos ativos brasileiros com os dados de fechamento de 31 de maio de 2024. Entre os principais destaques das últimas duas semanas, ressaltamos:
    • Embora valor total de posições vendidas em aberto do Ibovespa tenha diminuído de R$ 97 bilhões para R$ 93 bilhões, o short interest (SI) mediano subiu para 6,2%;
    • As empresas de Transportes vêm passando por uma deterioração significativa das suas métricas de short interest. O percentual de ações alugadas da Gol (GOLL4) atingiu nova máxima no ano, em 18,9%. Também destacamos altas relevantes ​​no SI de Movida (MOVI3), Vamos (VAMO3) e Azul (AZUL4), bem como o aumento no days to cover de Simpar (SIMH3) — todos já tinham níveis elevados dessas métricas anteriormente;
    • Outras ações para ficar de olho: ALUP11, AMBP3, AMER3, AURE3, BEEF3, COGN3, EZTC3, JALL3, MGLU3, MRVE3, RADL3, RRRP3, TAEE11;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Carteiras XP: Top 10, Dividendos e Small Caps – Junho 2024

  • Na Carteira Top 10 Ações, removemos um papel do setor de Transportes, e adicionamos um papel do setor de Óleo, Gás, e Petroquímicos (clique aqui para conferir);
  • Na Carteira Top Small Caps XP, removemos um papel do setor de Varejo, e adicionamos um papel do setor de Agro (clique aqui para conferir);
  • Por fim, na Carteira Top Dividendos XP, removemos um papel do setor de Elétricas, e adicionamos um papel do setor de Óleo, Gás e Petroquímicos (clique aqui para conferir).

Renda fixa

Carteiras recomendadas – Junho 2024

  • Investindo em Junho 2024: Renda Fixa (Clique aqui para acessar a carteira);
  • Investindo em Crédito Privado – Junho de 2024 (Clique aqui para acessar a carteira)

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Comércio com China e União Europeia estará em debate no Fórum Futuro do Agro (Globo Rural);
  • CNA vai ao Supremo contra importação de arroz pelo governo federal (O Globo);
  • Privatização da Sabesp terá oferta 100% secundária e cláusula de não-concorrência (InfoMoney);
  • Ratings da Oi elevados para ‘CCC-’ e ‘brCCC+’ e colocados em CreditWatch positivo (S&P Global);
  • Clique aqui para acessar o clipping.

Alocação & Fundos

Perspectivas por Classe de Ativo + Carteiras Recomendadas: Jun/2024

  • Nesta publicação, divulgamos as nossas perspectivas por classe de ativo, dentre classes domésticas e globais, levando em conta nossa visão do cenário macroeconômico atual.
  • O material inclui também as carteiras recomendadas, com percentuais por classe de ativo, para as políticas de investimentos, que foram simplificadas em três: Conservadora, Moderada e Sofisticada.
  • Neste mês, acompanhamos a evolução das expectativas de cortes das taxas de juros nos EUA e as sinalizações sobre a política monetária doméstica dadas pela última reunião do Copom.
  • Acesse aqui o conteúdo completo.

Carteiras Recomendadas Pessoa Jurídica Jun/2024

  • Publicamos nossas carteiras para pessoas jurídicas para junho de 2024, com as alocações recomendadas para cada política de investimento.
  • Neste mês, seguimos sem alterações nos percentuais alocados por classe de ativo, que vêm acontecendo de forma paulatina.
  • Confira as carteiras pelos links abaixo:

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Com R$ 13 bi em ativos, gestora HSI busca comprador (Estadão);
    • Quase 90% dos Fiagros amargam desvalorização neste ano (Valor Econômico);
    • HGLG11 e XPLG11 “unem forças” e fecham 2 acordos milionários de compra e venda de imóveis (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Japão conclui teste de primeira planta de energia solar offshore | Café com ESG, 04/06

  • O mercado encerrou o pregão de segunda-feira em território misto, com o IBOV registrando leve baixa de 0,05%, enquanto o ISE subiu 0,80%;
  • No Brasil, o presidente Lula disse ontem que os países em desenvolvimento vão precisar de algo entre US$ 4 trilhões e US$ 6 trilhões ao ano para ações de adaptação às mudanças climáticas – o tema, segundo ele, será endereçado na COP 29, marcada para novembro, em Baku, no Azerbaijão;
  • No internacional, (i) a Baía de Tóquio no Japão está se tornando um banco de testes para energia solar gerada a partir da superfície do mar após a Sumitomo Mitsui Construction (SMC) concluir a instalação da primeira fazenda solar offshore do país – construída para uso comercial, a instalação foi conectada a um cabo subaquático que já começou a transmitir energia para a costa; e (ii) segundo a Agência Internacional de Energia, o mundo não está no caminho certo para alcançar a meta de triplicar a capacidade global de produção de renováveis até 2030 – com isso, a COP29 deve dedicar boa parte das discussões para garantir que os planos acordados no ano passado sejam cumpridos;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG. 

Carteira ESG XP: Uma alteração no nosso portfólio para junho

  • Com o objetivo de ajudar os investidores no processo de alocação de recursos, lançamos em setembro/21 nossa carteira recomendada ESG, combinando 10 nomes que gostamos sob uma perspectiva fundamentalista e que possuem altos padrões ESG;
  • Para junho, estamos fazendo uma mudança na carteira: trocando um nome que enfrenta um cenário mais desafiador no curto prazo, além de uma dinâmica de lucro incerta para frente; por outro, com valuation atraente, fundamentos sólidos e forte desempenho operacional, além de um bom desempenho na agenda ESG;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.