XP Expert

Novo arcabouço fiscal aprovado na Câmara; IPCA-15 é destaque na agenda desta quinta

Ato do Fed Reserve e novo arcabouço fiscal são alguns dos temas de maior destaque nesta quinta-feira, 25/05/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

IBOVESPA -1,03% | 108.800 Pontos

CÂMBIO -0,36% | 4,95/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

Mercados amanhecem positivos, ainda em meio ao impasse do teto da dívida americana. Na agenda internacional de hoje, destaque para a segunda prévia do Produto Interno Bruto (PIB) do 1º trimestre deste ano nos Estados Unidos. No Brasil, atenções voltadas para a divulgação do IPCA-15 de maio.

Ata do Federal Reserve

A ata da última reunião do comitê de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos), publicada ontem, reforçou o cenário de juros estáveis até o início do próximo ano. Na reunião de maio, a autoridade elevou sua taxa básica de juros em 0,25 p.p., para o intervalo entre 5,00% e 5,25%. Embora não tenha descartado aumento adicional, a ata trouxe que, se a economia evoluir de acordo com as perspectivas atuais, não será necessário maior aperto da política monetária. O documento também reiterou que o Fed não planeja cortar juros em 2023, mantendo a abordagem dependente de dados. Os mercados seguem precificando redução de juros até o final deste ano.

Novo arcabouço fiscal

No Brasil, a Câmara dos Deputados concluiu a votação do novo marco fiscal (PLP nº 93/2023), após rejeitar todos os destaques apresentados ao texto. A proposta segue ao Senado, onde será relatada por Omar Aziz (PSD-AM).

Mercados globais

Futuros da Nasdaq (+1,9%) amanhecem em forte alta hoje após a Nvidia (NVDA), fabricante de semicondutores, apresentar resultados acima das expectativas ontem. As ações da empresa sobem 23% no pre-market, e impulsionam outras empresas de tecnologia expostas ao tema de inteligência artificial.  Nesta quinta-feira, varejistas como Costco (COST) e Best Buy (bby) reportam seus resultados. S&P 500 (+0,7%) e Europa (+0,2%) também sobem após Kevin McCarthy, líder da Câmara, sinalizar que está otimista de que chegará a um acordo com a Casa Branca antes que o país dê um calote. Ontem no fim do dia, a agência Fitch Ratings colocou o rating de crédito AAA do país sob observação dada a falta de um acordo até o momento. Na China (Hang Seng -1,9%, CSI 300 -0,2%), sentimento dos mercados continua afetado pelas incertezas sobre a força da recuperação econômica e problemas persistentes no mercado imobiliário local, com dados recentes sugerindo que PIB do país pode terminar o ano mais fraco que o esperado.  

Mercado no Brasil ontem

O Ibovespa fechou o dia de ontem em queda de -1,03%, aos 108.800 pontos, puxado pelas atenções ao impasse do teto da dívida americana. O dólar, por sua vez, fechou o dia em R$ 4,95 após queda de -0,4%.

As taxas futuras de juros fecharam em ligeira queda ao longo de toda a curva, em mais um dia de otimismo com arcabouço. DI jan/24 passou de 13,295% para 13,265%; DI jan/25 recuou de 11,68% para 11,63%; DI jan/26 cedeu de 11,155% para 11,115%; e DI jan/27 caiu de 11,195% para 11,14%.

 

Economia

Ata do Fed reforça cenário de pausa no processo de aperto monetário; no Brasil, atenções voltadas ao IPCA-15 de maio

  • A ata da última reunião do comitê de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos), publicada ontem, reforçou o cenário de juros estáveis até o início do próximo ano. Na reunião de maio, a autoridade elevou sua taxa básica de juros em 0,25pp, para o intervalo entre 5,00% e 5,25%. Embora não tenha descartado aumento adicional, a ata trouxe que “se a economia evoluir de acordo com as perspectivas atuais, não será necessário maior aperto da política monetária” (tradução própria). O documento também reiterou que o Fed não planeja cortar juros em 2023, mantendo a abordagem dependente de dados. Os mercados seguem precificando redução de juros até o final deste ano. Ao longo das últimas duas semanas, entretanto, a precificação de corte variou de aproximadamente 0,75pp para 0,25pp. Vários membros do Fed afirmaram que a batalha contra a inflação está longe de terminar, sugerindo que a política monetária terá que permanecer restritiva por bastante tempo. Neste sentido, projetamos início do ciclo de flexibilização no 1º trimestre de 2024, em linha com a expectativa de enfraquecimento da atividade econômica e sinais mais consistentes de desinflação. O ciclo de afrouxamento deve ser gradual – prevemos taxa de juros de 3,5% ao final do ano que vem. O mercado estará bastante atento ao núcleo do deflator das despesas de consumo pessoal (indicador de inflação favorito do Fed), que será divulgado amanhã;     
  • Na agenda internacional desta quinta-feira, destaque para a divulgação de indicadores de atividade econômica nos Estados Unidos: PIB do 1º trimestre (segunda leitura); pedidos de auxílio desemprego na semana passada; Sondagem Industrial do Fed de Kansas referente a maio; Índice de Atividade Nacional do Fed de Chicago e vendas pendentes de moradias relativos a abril. Conforme já publicado nesta manhã, o PIB da Alemanha contraiu 0,3% no 1º trimestre de 2023 ante o 4º trimestre de 2022 (estimativa final), resultado inferior à leitura preliminar e à expectativa do mercado, que apontavam para estabilidade na margem. Com isso, a economia alemã entrou em recessão técnica, já que havia retraído 0,4% no último trimestre do ano passado. Em relação ao 1º trimestre de 2022, o PIB recuou 0,5%. Por sua vez, o índice GfK de confiança do consumidor da Alemanha melhorou de -25,8 em maio para -24,2 em junho (leitura preliminar), o maior patamar desde abril de 2022, em linha com a previsão do mercado de -24,3;
  • No Brasil, a Câmara dos Deputados concluiu a votação do novo marco fiscal (PLP nº 93/2023), após rejeitar todos os destaques apresentados ao texto. A proposta segue ao Senado, onde será relatada por Omar Aziz (PSD-AM). Na agenda de hoje, atenções voltadas à divulgação do IPCA-15 de maio. A equipe econômica da XP prevê elevação de 0,67% ante abril e 4,24% no acumulado em 12 meses, enquanto o consenso de mercado espera aumentos de 0,64% e 4,21%.    

Empresas

Arezzo&Co. (ARZZ3): A marca Simples dá mais um passo; Reserva abre uma loja dedicada para a marca e ajusta os preços

  • Neste relatório, olhamos mais uma vez para a proposta de valor da marca Simples, fazendo uma comparação com a Hering e sua marca mãe (Reserva), já que a marca abriu hoje a sua primeira loja no Rio de Janeiro;
  • Destacamos: i) um aumento relevante no número de SKUs em todos os segmentos (masculino, feminino, infantil); ii) posicionamento de preços revisado fortemente para baixo, ficando praticamente em linha com a Hering vs. um prêmio de ~50% anteriormente (veja nossa última análise aqui); e iii) um desconto de preços relevante vs. Reserva, na média de 60%;
  • Mantemos nossa recomendação de Compra por continuarmos enxergando a ARZZ como um player de alta qualidade e com diferentes avenidas de crescimento;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Raízen (RAIZ4): Visão positiva de longo prazo reiterada; potenciais catalisadores no curto prazo

  • O Raízen Day 2023 foi uma continuação do que foi apresentado em 2022. Saudamos a prestação de contas sobre o que está em linha com o plano do IPO e o que frustrou as expectativas, sendo a principal delas o atual nível de produtividade agrícola (prioridade atual top 1 da Raízen);
  • Sempre que interagimos com a alta administração da Companhia, saímos com nossa visão positiva de longo prazo reiterada, pois vemos a Raízen como provavelmente a empresa brasileira mais bem preparada para aproveitar a atual tendência mundial de transição energética. Compartilhamos as preocupações dos investidores sobre o risco de execução e que a precificação de todos os projetos de transição energética pode demorar para acontecer;
  • No entanto, a empresa apresentou alguns fatores que podem ser importantes catalisadores para o desempenho das ações no curto prazo, a nosso ver, notadamente (i) captura de valor em ganhos de produtividade agrícola; (ii) alocação de capital; e (iii) desinvestimentos;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Mercado de crédito privado dá sinais de retomada após três meses parado (Valor);
    • Inadimplência das empresas bate recorde em abril, revela Serasa (Valor);
    • Crédito rotativo no cartão pode acabar? Governo e bancos discutem o fim da modalidade (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • NEO recorre contra aprovação do acordo entre Winity e Vivo (telesintese);
    • Confira as novidades apresentadas na Abrint 2023 (telesintese);
    • Oi propõe redução salarial para conselho e diretoria estatutária (telesintese);
    • Tray beneficia lojistas com atualizações nas integrações com Shopee e Via Marketplace (ecommercebrasil);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Receita: mais de 15 mil empresas somaram R$ 50,6 bilhões em isenções fiscais em 2021(Estadão);
    • Presidente da CVC renuncia (Valor);
    • Americanas perde caixa e fecha 5 mil postos de trabalho em 4 meses (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Alimentos e Bebidas
      • Mercado do boi travado, com frigoríficos comprando ‘da mão para a boca’ e pecuaristas vendendo por necessidade, diz analista – Pecsite;
      • JBS apresentou marcas premium na maior feira de alimentos da Asia – Euromeat.
    • Agro
      • Raízen avalia venda de ativos e parcerias para impulsionar crescimento – Reuters;  
      • Ministro da Agricultura sinaliza que recursos para equalização do Plano Safra 2023/24 devem ser de R$ 20 bilhões – Valor.
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Setor de saneamento tem alívio sobre votação de MP dos ministérios, mas risco não foi totalmente mitigado. (InfoMoney);
    • Copel GeT é autorizada a fazer reforços e melhorias. (Canal Energia);
    • Chesf reduzirá vazão da UHE Sobradinho para 1.200 m/s. (Canal Energia);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Se há petróleo, será difícil barrar, dizem analistas (Valor Econômico);
    • Petrobras vai pedir que Ibama reconsidere a negação da licença para a Foz do Amazonas (Petróleo Hoje);
    • Assinado aditivo para cessão de participação da 3R Areia Branca (Petróleo Hoje);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Estratégia

Cautela com renda variável e investimentos internacionais continuam no radar – Pesquisa com assessores XP

  • A maioria dos clientes ainda tem baixa alocação em Renda Variável. Segundo os assessores, 80% de seus clientes possuem entre 0% e 25% de alocação em Renda Variável (+8p.p. M/M), 14% possui entre 25% e 50% (-3p.p. M/M), 4% entre 50% e 75% (-4p.p. M/M) e por fim, apenas 1% entre 75% e 100% (-2p.p. M/M);
  • O percentual dos assessores que disseram que seus clientes visam diminuir a alocação em Renda Variável aumentou em 11p.p. M/M atingindo um patamar de 33%. Enquanto isso, a proporção de interessados em manter seus investimentos nessa classe de ativos ficou em 58%, -2p.p. M/M. Por fim, 9% dos clientes pretendem aumentar seus investimentos em Renda Variável, -10p.p. M/M;
  • Nos últimos meses, o destaque continua sendo o alto interesse em Renda Fixa, que segue oferecendo um retorno atrativo para investidores com a manutenção da taxa de juros Selic em 13,75%. Por outro lado, recentemente começamos a observar uma diminuição no interesse em Investimentos Internacionais, o que pode ser explicado pela maior volatilidade em meio à crise bancária e, mais recentemente, pelas preocupações com o teto da dívida dos Estados Unidos;
  • Maior parte dos respondentes acredita que o índice ficará entre 120 e 130 mil pontos ao final de 2023. Segundo a pesquisa desse mês, 40% dos assessores acreditam que o Ibovespa ficará entre os 120.000 e 130.000 pontos até o final de 2023, um aumento de 18p.p. em relação a pesquisa do mês anterior. Em seguida, 34% acreditam que o índice deve fechar o ano entre 110.000 e 120.000 pontos, -6p.p. M/M. A média calculada dos palpites foi de 120.936 pontos, um aumento de 2,4% em relação à pesquisa realizada em abril;
  • Em relação aos riscos, o destaque para 2023 continua sendo o risco fiscal no Brasil, chegando a 57%, -5p.p. M/M. Riscos relacionados a uma recessão global foram vistos como a segunda maior preocupação em 18%, +0p.p. M/M, seguidos de alta nas taxas de juros americanas com 10%, +7p.p. M/M;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Mercado de crédito privado dá sinais de retomada após três meses parado (Valor Econômico);
  • Ata do Fed mostra divisão entre pausar e seguir com altas de juros (Valor Econômico);
  • Por que essas empresas perderam metade do caixa em 12 meses  (Estadão);
  • Fitch Rebaixa Ratings da Oi para ‘D’/’D(bra)’ (Fitch);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Arcabouço fiscal é fator positivo para FIIs, mas mercado fecha em queda, após 19 dias de alta; por quê? (InfoMoney);
    • Fundos imobiliários: Fim da maior sequência de ganhos desde 2019; E agora? (MoneyTimes);
    • O que pode mudar após a assembleia do fundo imobiliário PVBI11? (FIIs);
    • Fundo imobiliário com desconto de 15% tem retorno duas vezes superior ao IFIX; Confira qual (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Raízen (RAIZ4): Feedback ESG do Raízen Day 2023

  • Hoje participamos do Raízen Day 2023, contando com a presença de Ricardo Mussa (CEO) e executivos da alta liderança, com a temática ESG se fazendo presente nas mais variadas frentes de negócio;
  • O evento reforçou o principal tema da Raízen de repensar o futuro da energia, buscando reduzir a exposição aos riscos climáticos por meio de um sólido plano de investimentos envolvendo (i) etanol de segunda geração (E2G); (ii) expansão do portfólio de energias renováveis; e (iii) soluções por meio de estações de recarga elétrica;
  • De forma geral, encerramos o dia com uma visão positiva do progresso da Raízen na agenda ESG, principalmente no pilar (E), ao mesmo tempo em que sentimos falta de uma maior abordagem das frentes (S) e (G). Temos recomendação de Compra para RAIZ4 (preço-alvo de R$7,10/ação);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Câmara anula alterações do Senado e afrouxa Código Florestal | Café com ESG, 25/05

  • O mercado encerrou o pregão de quarta-feira em território negativo, com o IBOV e o ISE em queda de -1,03% e -1,05%, respectivamente;
  • No Brasil, (i) a Câmara dos Deputados rejeitou as emendas propostas pelo Senado na Medida Provisória que altera a Lei da Mata Atlântica – com isso, volta a valer o texto que afrouxa as regras para desmatamento de áreas protegidas, previstas no Código Florestal, com a matéria agora sendo direcionada para a sanção do presidente da República; e (ii) a Iniciativa Brasileira para o Mercado Voluntário de Carbono, coordenada pela McKinsey junto à diversas empresas, inicia a fase de implementação de ações para potencializar o financiamento de uma ampla restauração florestal e a geração de benefícios socioeconômicos para o Brasil a partir da geração de créditos de carbono – segundo dados da McKinsey, o potencial do país no mercado de crédito de carbono é um dos maiores do mundo, podendo gerar até 15% da oferta global – muito acima de outros países, como Peru (4%) e Estados Unidos (3%);
  • No internacional, antes das eleições no Parlamento Europeu em junho do ano que vem, a União Europeia está correndo para concluir a legislação que inclui dois projetos de lei ambientais históricos: metas obrigatórias para os países restaurarem habitats naturais danificados e uma meta de reduzir pela metade o uso de pesticidas químicos até 2030;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.