Mudança de Regime Fiscal pressiona câmbio e juros; XP revisa Cenário Macro

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Clique para ouvir

IBOVESPA -1,3% | 106.296 Pontos

CÂMBIO -0,2% | 5,65/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou a semana com uma forte correção de -7,3%, maior queda semanal do ano, atingindo os 106.296 pontos, o menor nível até agora em 2021. A queda teria ocorrido devido a um conjunto de notícias no Brasil: a fala de Paulo Guedes de aplicar um “waiver” (uma licença) para ampliar o teto de gastos e viabilizar o Auxílio Brasil, programa social que o governo pretende criar com o valor de R$400 mensais; o anúncio do presidente Jair Bolsonaro da possível criação do auxílio diesel, também no valor de R$400 para os caminhoneiros; a aprovação da PEC dos precatórios pela comissão especial que adia pagamento de parte das dívidas judiciais e altera a regra de correção do teto de gastos; e, por fim, a saída de membros da equipe econômica.

Com essas notícias, o sentimento de preocupação com a situação fiscal do país, que já era alto, piorou ainda mais. A percepção de perda da âncora fiscal deve levar ao aumento de riscos de inflação e, como consequência, as taxas de juros dispararam, indicando que o mercado espera uma resposta mais forte do Banco Central. Nesta semana, o Comitê de Política Monetária (Copom) decidirá sobra a taxa Selic na quarta, e a expectativa é de aumento no ritmo de aperto monetário, com alta de juros mais acentuada (de 1,5p.p., o que resultará em Selic de 7,75%). Na seara de indicadores desta semana, destaque para a divulgação do IPCA-15 e IGP-M de outubro, taxa de desemprego (PNAD) de agosto e geração de empregos formais (Caged) de setembro, além dos resultados primários do Governo Central e Setor Público Consolidado de setembro.

Ainda no Brasil, vale lembrar que a mudança no arcabouço fiscal deve impulsionar uma nova rodada de revisões de projeções econômicas. Nesse cenário, revisamos nossa projeção para a taxa de câmbio para 5,7 reais por dólar no final de 2021 e 2022 (anteriormente em 5,2 e 5,1, respectivamente). Além disso, a deterioração fiscal pressiona a inflação: elevamos nossa projeção para o IPCA de 9,0% para 9,1% em 2021 e de 3,9% para 5,2% em 2022. Por fim, a piora das condições financeiras pesa adicionalmente sobre a atividade econômica: reduzimos nossa projeção de PIB para 2021 de 5,3% para 5,0%; e de 1,3% a 0,8% para 2022. Para conferir o relatório completo de revisão do Cenário Macro, clique aqui.

Hoje, os Mercados Globais amanhecem sem movimentos expressivos (EUA +0,1% e Europa 0%) enquanto investidores aguardam as divulgações de resultados desta semana, com destaque para as grandes empresas de tecnologia (FAAMGs). Até o momento, 117 componentes S&P 500 reportaram seus resultados e 84% superaram as estimativas de lucro do consenso, de acordo com o Refinitiv. Na China (+0,4%), o mercado encerra em campo positivo após a Evergrande (-0,7%) declarar que retomou a construção de 10 projetos em 6 diferentes cidades no país. Os juros de 10 anos nos EUA amanhecem em 1,66% após entrevista da Jenet Yellen ao CNN pontuar que a inflação deverá baixar para 2% no 2º semestre de 2022.

Além disso, Jerome Powell, presidente do Federal Reserve, na sexta-feira, afirmou que está na hora de começar o processo de tapering, mas que ainda não está na hora de subir a taxa de juros enquanto os EUA possuírem 5 milhões de empregos a menos do que o período pré-pandemia. Powell também reiterou sua posição sobre a inflação, afirmando que o nível deve baixar ao passo que as pressões inflacionárias causadas pela pandemia se arrefecem. Nesse sentido, os mercados devem monitorar de perto nesta semana o PIB do terceiro trimestre dos EUA e o núcleo do deflator do consumo de setembro, para avaliar se o Fed vai mudar sua comunicação para sinalizar um aumento antecipado das taxas de juros.

Tópicos do dia

Agenda de resultados

EDP (ENBR3): Após o fechamento do mercado

EcoRodovias (ECOR3): Após o fechamento do mercado

Calendário do 3T21

Temporada de resultados do 3º trimestre 2021 – o que esperar?

Economia

  1. O presidente do Fed, Jerome Powell, disse que a inflação pode ficar mais alta por mais tempo. O mercado vai monitorar de perto os números de crescimento e inflação dos EUA esta semana. No Brasil, a mudança no arcabouço fiscal impulsionou uma nova rodada de revisões de projeções econômicas. Projetamos agora uma taxa de câmbio mais depreciada, inflação mais alta, política monetária mais rígida e crescimento do PIB em 2022 abaixo de 1%. Esperamos alta de 150 bps na Selic no Copom desta semana.

Política

  1. Câmara inclui PEC dos Precatórios na pauta de terça-feira
  2. Democratas se aproximam de acordo por Plano das Famílias Americanas
  3. Nancy Pelosi disse considerar a possibilidade de elevar o teto da dívida via reconciliation
  4. Janet Yellen disse que espera que preços permaneçam altos até o primeiro semestre de 2022

Empresas

  1. Hypera (HYPE3): Resultados recorrentes do 3T21 ligeiramente acima das nossas expectativas
  2. Alliar (AALR3): Proposta para aquisição de 24M ações
  3. Principais notícias dos setores

Mercados

  1. Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Apple vs. Facebook

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 25/10

Veja todos os detalhes

Economia

O presidente do Fed, Jerome Powell, disse que a inflação pode ficar mais alta por mais tempo. O mercado vai monitorar de perto os números de crescimento e inflação dos EUA esta semana. No Brasil, a mudança no arcabouço fiscal impulsionou uma nova rodada de revisões de projeções econômicas. Projetamos agora uma taxa de câmbio mais depreciada, inflação mais alta, política monetária mais rígida e crescimento do PIB em 2022 abaixo de 1%. Esperamos alta de 150 bps na Selic no Copom desta semana

  • O presidente do Fed, Jerome Powell, disse na sexta-feira passada durante um webinar que “as restrições do lado da oferta pioraram” e que “os riscos são claros agora para gargalos mais longos e persistentes e, portanto, para uma inflação mais alta”. Os juros dos títulos do Tesouro dos EUA estão subindo hoje. Os mercados irão monitorar de perto esta semana o PIB do 3T e o núcleo do deflator do consumo de setembro, para avaliar se o Fed vai mudar sua comunicação para sinalizar um aumento antecipado das taxas de juros;
  • A presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, disse em uma entrevista no domingo que os congressistas estão perto de um acordo sobre o pacote de gastos sociais de Biden. Ela disse que está otimista que o Congresso votará o pacote de infraestrutura de US $ 1 trilhão esta semana;
  • O presidente turco Recep Erdogan disse que os embaixadores de 10 nações, incluindo os EUA, não são mais bem-vindos na Turquia. Os juros de longo prazo atingiram o nível mais alto desde março, e a Lira caiu para uma baixa recorde. A forte depreciação do câmbio pode afetar o preço de outras moedas EM hoje;
  • No Brasil, acreditamos que o quadro fiscal brasileiro mudou nas últimas semanas para permitir um caminho de gastos mais elevados à frente. Nesse cenário, revisamos nossa projeção para a taxa de câmbio para 5,7 reais por dólar no final de 2021 e 2022 (anteriormente em 5,2 e 5,1, respectivamente). A deterioração fiscal pressiona a inflação. Elevamos nossa projeção para o IPCA de 9,0% para 9,1% em 2021 e de 3,9% para 5,2% em 2022. Esperamos agora que o Copom acelere o ritmo de alta da taxa de juros para 1,5 pp na próxima semana (antes: 1,0 pp). A taxa Selic deve atingir 11,0% ao final do ciclo de aperto monetário (antes: 9,25%). A deterioração das condições financeiras pesa adicionalmente sobre a atividade econômica. Reduzimos nossa projeção de PIB para 2021 de 5,3% para 5,0%; e de 1,3% a 0,8% para 2022.

Política

Câmara inclui PEC dos Precatórios na pauta de terça-feira

  • O presidente Arthur Lira incluiu na pauta de amanhã a PEC dos Precatórios, instrumento que será usado para a mudança no teto de gastos que abre espaço fiscal para a ampliação do programa de transferência de renda em 2022;
  • A proposta já foi aprovada em comissão especial e precisa do voto sim de 308 dos 513 deputados, em dois turnos, para ser aprovada no plenário, e então seguir para o Senado;
  • O principal risco durante a tramitação segue sendo o de haver pressão extra dos congressistas e do governo para ampliar o espaço aberto pela PEC no orçamento de 2022.

Democratas se aproximam de acordo por Plano das Famílias Americanas

  • No Congresso americano, democratas continuam negociando os pontos finais do Plano das Famílias Americanas. O projeto deve ser diluído de USD 3,5 trilhões a cerca de USD 2 trilhões e a expectativa é que um acordo seja anunciado ainda nessa semana;
  • Devido a resistência de moderados aos aumentos ao imposto de renda para pessoa física, pessoa jurídica e ganhos de capitais, parlamentares estudam um possível imposto sobre lucro não realizado para bilionários e imposto sobre a recompra de ações.  

Nancy Pelosi disse considerar a possibilidade de elevar o teto da dívida via reconciliation

  • Vale destacar que a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, disse considerar a possibilidade de elevar o teto da dívida via reconciliation, ou seja, sem apoio republicano.

Janet Yellen disse que espera que preços permaneçam altos até o primeiro semestre de 2022

  • Ainda no lado da política americana, Janet Yellen disse que espera que preços permaneçam altos até o primeiro semestre de 2022, mas não acredita que os EUA corram o risco de perder o controle da inflação;
  • E regiões da China endurecem restrições após novo surto de Covid-19.

Empresas

Hypera (HYPE3): Resultados recorrentes do 3T21 ligeiramente acima das nossas expectativas

  • O lucro líquido recorrente foi de R$465M no 3T21 (+34,5% A/A; 7,6% acima das nossas estimativas);
  • As receitas aumentaram 50% A/A devido à aquisição dos portfolios da Takeda e Buscopan e um aumento de 13,7% no sell-out (+1,4% vs. mercado);
  • A margem EBITDA recorrente foi de 35,6%, com diluição em todos os componentes de SG&A e redução na linha de outras receitas operacionais;
  • Destacamos o efeito pontual de R$400M no resultado (R$263M líquido de impostos) relativos à disputa da Ontex;
  • Acesse o relatório completo aqui.

Alliar (AALR3): Proposta para aquisição de 24M ações

  • A Alliar anunciou na sexta-feira (22) que recebeu comunicado dos signatários do acordo de acionistas, que a MAM Asset tem a intenção de adquirir até 24M ações dos demais controladores;
  • A MAM Asset atualmente possui 27% de participação na companhia e tem a intenção de adquirir até 20% adicionais;
  • Na proposta, o comprador propõe pagar R$19 por ação para os vendedores que aceitarem a proposta até o dia 3 de novembro de 2021 e R$15 por ação para os vendedores que aceitarem vender sua participação de 4 de novembro de 2021 até 3 de dezembro de 2021, quando esta proposta expira;
  • De acordo com o comunicado, os signatários do acordo de acionistas estão sujeitos a lock-up das ações que detém e se reunirão no dia 27 de outubro para discutir a aceitação ou não da proposta recebida;
  • O preço de fechamento das ações da Alliar na sexta-feira foi de R$14,45 por ação, o que significa que a proposta de R$19 por ação representa prêmio de 31% sobre o valor atual;
  • O anúncio deve impulsionar o preço das ações da Alliar no curto prazo, uma vez que um dos controladores parece enxergar um valor ao menos 31% maior nas ações do que aquele negociado no mercado;
  • Todavia, nossa visão para o segmento de medicina diagnóstica ainda é cautelosa, e portanto reiteramos nossa recomendação neutra para as ações da Alliar.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Banco Inter amplia atuação em ofertas de dívida e ações. Área de mercado de capitais da instituição tem volume financeiro 40 vezes maior ante 2020 (Valor);
    • Furo no teto faz pelo menos R$ 7 bi em IPOs serem cancelados, em um só dia. A decisão do governo Jair Bolsonaro de romper o compromisso com o teto dos gastos públicos fez um strike, nos pinos já cambaleantes das ofertas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês) na B3 (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Reservatórios de hidrelétricas do Sudeste e Centro-Oeste devem terminar outubro com melhora. (Valor Econômico);
    • Compass, do grupo Cosan, vence leilão de privatização da Sulgás. (epbr);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • China Pork: Shortage to glut in two years (Dim Sums);
    • Perdas diárias com embargo chinês à carne superam US$10 milhões (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Marca de moda do Magazine Luiza quer abocanhar mercado de básicos. (Folha);
    • Após queda de 30%, venda de joias cresce (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Apple vs. Facebook

  • Mudanças na política de privacidade da Apple prejudicam anúncios digitais;
  • Walmart anunciou que irá disponibilizar 200 caixas eletrônicos de Bitcoin em suas unidades ao redor dos EUA.
  • BMW revelou o início da produção de seu novo sedã elétrico;
  • Dados apontam que investimentos em venture capital na China estão em alta;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 25/10

  • Na sexta-feira, o mercado encerrou em território negativo, com o Ibov e o ISE recuando -1,3%. Na semana, o Ibov fechou em forte queda de -7,1%, enquanto o ISE -6,9%;
  • No Brasil, o economista Ronaldo Seroa da Motta, consultor do Cbdes (entidade que reúne 60 dos maiores grupos econômicos do país), afirmou que se o PL 528, que visa regularizar o mercado de carbono no país, for votado antes da COP 26, a conferência de mudança do clima da ONU que acontece em Glasgow, em novembro, as críticas ao Brasil seriam minimizadas – segundo ele, “temos a oportunidade de deixar o lugar dos vilões”;
  • No internacional, (i) o Japão anunciou nesta sexta-feira (22) uma nova política energética para reativar suas usinas nucleares e ampliar o uso de outras fontes sustentáveis, em um esforço para cumprir a meta de atingir a neutralidade nas emissões de carbono até 2050; e (ii) um dos maiores produtores de petróleo, a Arábia Saudita se comprometeu a reduzir suas emissões líquidas de carbono a zero até 2060, com o plano de cortar as emissões de carbono em mais de 270 milhões de toneladas por ano, com um investimento de mais de US$ 186 bilhões para atingir essa meta. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.