XP Expert

Morning Call XP (26.set): Alívio das tensões comerciais e alinhamento de pautas entre Ministério da Economia e Congresso

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 0,6% | 104.481 Pontos

CÂMBIO -0,4% | 4,15/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Mercados europeus e asiáticos operam em alta nesta manhã, assim como os futuros dos EUA, refletindo declaração do presidente americano Donald Trump de que um acordo comercial entre EUA e China estaria mais próximo do que se espera.  

Trump destacou que é de interesse dos chineses assinar um acordo para reduzir os impactos da guerra comercial em sua economia, e que a China já retomou importações de produtos agropecuários, como carne de vaca e porco. Notícias apontam que a China vem mantendo contato próximo com autoridades americanas antes da reunião dos dois países em Washington, prevista para outubro.

Também foi ponto de destaque a assinatura de um acordo comercial limitado entre Japão e EUA, permitindo a abertura do mercado japonês a produtos agropecuários americanos, enquanto tarifas dos EUA sobre produtos japoneses como turbinas e ferramentas serão reduzidas.

Do lado das commodities, as incertezas no cenário internacional e a alta dos estoques de petróleo nos EUA reportado ontem, com aumento de 2,4 milhões de barris, pressionaram os preços na quarta-feira, que fecharam em queda de -1,1%. Nessa manhã, o petróleo tipo Brent recupera parte das perdas, operando em leve alta de +0,2% em US$62,5/barril.

Indo para a agenda brasileira, o ministro da economia, Paulo Guedes, se reuniu com os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, para alinhar os detalhes da pauta econômica que dependerão do consenso político das duas casas e tentar garantir que projetos prioritários ao governo sejam também priorizados por ambos.

De acordo com notícias, ficou acordado que a equipe econômica apoiará a PEC do deputado Pedro Paulo para acelerar e ampliar os gatilhos de ajuste nas despesas obrigatórias, que a Câmara resgatará o Plano Mansueto e que o governo enviará a proposta de reforma tributária na semana que vem em conjunto com as propostas da Câmara e do Senado.

Além disso, o Ministério da Economia e a cúpula do Congresso também chegaram a um acordo na noite de ontem para viabilizar o leilão dos barris excedentes de petróleo da Cessão Onerosa em novembro mesmo se parlamentares alterarem as regras de divisão dos recursos arrecadados de acordo com o projeto de lei em tramitação. Ontem, o Presidente do Senado anunciou a convocação de sessão destinada a promulgação de apenas parte do texto em que há consenso entre parlamentares, referente à parcela de reequilíbrio do contrato original da Cessão Onerosa assinado em 2010.



Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Reta final da negociação para aprovação da Reforma da Previdência
  2. Guedes, Maia e Alcolumbre se reúnem para alinhar pauta econômica
  3. Cessão Onerosa: Acordo do Governo garante que o leilão ocorra em novembro mesmo se o Parlamento mudar as regras de partilha do pré-sal
  4. Banco Central: Concessões de crédito seguem em alta em agosto

Internacional

  1. Petróleo: Aumento nos estoques de petróleo dos EUA

Empresas

  1. Via Varejo (VVAR3): Klein comenta sobre venda do Extra.com e iniciativas da companhia 
  2. Frigoríficos: China concorda em comprar “grandes volumes” de carne de porco dos EUA
  3. Magazine Luiza (MGLU3): Empresa vai subsidiar custo do frete para os vendedores do marketplace 

Fundos de Investimento

  1. Trend Estatais: Empresas surpreendem com lucros no primeiro semestre

COE

  1. Resultados do 1º trimestre fiscal impulsionam as ações da Nike


Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: Reta final da negociação para aprovação da Reforma da Previdência

  • O porta-voz do Planalto comunicou ontem que o presidente Jair Bolsonaro mantém a ideia de seguir com Fernando Bezerra Coelho como líder do governo, mesmo após a operação de que foi alvo. A decisão ajuda a reta final da negociação para a aprovação da reforma da Previdência em plenário, em meio a ruídos sobre possibilidade de desidratação do texto.

Guedes, Maia e Alcolumbre se reúnem para alinhar pauta econômica

  • O ministro da economia, Paulo Guedes, se reuniu com os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, para alinhar os detalhes da pauta econômica que dependerão do consenso político das duas casas e tentar garantir que projetos prioritários ao governo sejam também priorizados nas duas casas;
  • De acordo com o jornal Estadão, ficou acordado que a equipe econômica apoiará a PEC do deputado Pedro Paulo para acelerar e ampliar os gatilhos de ajuste nas despesas obrigatórias, que a Câmara resgatará o Plano Mansueto e que o governo enviará a proposta de reforma tributária na semana que vem em conjunto com as propostas da Câmara e do Senado;
  • Na nossa visão, a reunião é positiva e necessária para que a agenda econômica progrida mais rapidamente. Entendemos que é importante que a janela reformista do primeiro ano de governo não seja desperdiçada.

Cessão Onerosa: Acordo do Governo garante que o leilão ocorra em novembro mesmo se o Parlamento mudar as regras de partilha do pré-sal

  • O Governo e o Congresso chegaram ontem a um acordo para viabilizar a promulgação do trecho da PEC da cessão onerosa necessário para a realização do leilão do pré-sal no início de novembro. Pelo acordo, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, promulgará hoje às 11h a parte da proposta que já foi aprovada tanto pela Câmara quanto pelo Senado. A discussão sobre a divisão dos recursos arrecadados entre Estados e municípios, que não impede a concretização do leilão, será retomada pela Câmara;
  • A preocupação da equipe econômica é principalmente referente a um possível atraso do leilão devido a tramitação do texto da PEC do pré-sal na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara. A PEC foi votada pela Câmara e aprovada posteriormente pelo Senado. Mas, como o texto foi modificado, está novamente em análise na CCJ da Câmara. Com o acordo fica garantido que o leilão ocorra em novembro mesmo se o Parlamento mudar as regras de partilha do pré-sal.

Banco Central: Concessões de crédito seguem em alta em agosto  

  • O Banco Central divulgou ontem os dados de crédito para agosto, com crescimento de 1,1% M/M totalizando R$3,3 trilhões, impulsionado principalmente pela expansão de 1,1% M/M das operações com recursos livres para pessoas físicas. Do lado das pessoas jurídicas, o crédito com recursos livres expandiu 1,0% em agosto;
  • A expansão da concessão de crédito para pessoas jurídicas no período cresceu 0,5% e 0,2% com famílias em relação a julho. A inadimplência apresentou leve alta de 3,03% para 3,09%, impactada por um aumento de 4bps em pessoas físicas e 9bps em pessoas jurídicas, e a taxa média de juros ficou estável em 25,1%. O saldo de crédito livre para pessoas físicas expandiu 1,4% no mês e para pessoas jurídicas expandiu 1,7%;
  • Esperamos que as concessões de crédito sigam crescendo em 2019, sustentadas principalmente pelas concessões a pessoas físicas, e que ganhem um pouco mais de força a partir do 2T20 em virtude dos efeitos do saque aniversário do FGTS.

Internacional

Petróleo: Aumento nos estoques de petróleo dos EUA

  • Ontem, os preços do petróleo caíram (-1,1%), com um aumento inesperado nos estoques de petróleo dos EUA e um retorno dos suprimentos sauditas após ataques;
  • A Agência de Informação de Energia dos EUA (EIA) relatou um aumento de 2,4 milhões de barris nos estoques de petróleo dos EUA, ao contrário das expectativas do mercado, o que explica parte da queda;
  • Nesta manhã de quinta-feira, os preços ainda operam em leve alta de +0,2% em US$62,5/barril.

Empresas

Via Varejo (VVAR3): Klein comenta sobre venda do Extra.com e iniciativas da companhia 

  • Segundo notícias locais, a Via Varejo está avaliando a venda da marca Extra.com para o Grupo Pão de Açúcar. Uma consultoria foi contratada para avaliar o valor desse ativo; 
  • Além disso, em entrevista com jornalistas, o empresário Michael Klein comentou sobre outras iniciativas da companhia, das quais destacamos: (1) expectativa de que grande parte dos ajustes feitos pela nova diretoria estejam concluídos até o primeiro trimestre de 2020; (2) revisão do parque atual de lojas, um processo que deve durar mais de um ano, para melhorar a rentabilidade das unidades problemáticas, como as 36 das 1,066 lojas que já foram identificadas com prejuízo na operação; e (3) lançamento do BanQi (banco digital da empresa) em grande parte das lojas físicas até o Black Friday, que ocorre em novembro; 
  • Na nossa visão, acreditamos que a venda da marca Extra.com ao GPA faz sentido uma vez que a companhia é a dona da operação das lojas físicas da marca Extra. Além disso, vemos as iniciativas mencionadas acima em linha com o processo de reestruturação que a empresa está passando desde que a nova diretoria assumiu o comando. A recuperação do crescimento na operação das lojas físicas é um dos principais motivos por trás da nossa recomendação de Compra para Via Varejo, com preço-alvo de R$8,30/ação. 

Frigoríficos: China concorda em comprar “grandes volumes” de carne de porco dos EUA; Primeira etapa de acordo comercial entre EUA e Japão

  • O Ministério de Comércio da China disse ontem que empresas locais concordaram em comprar “grandes volumes” de carne de porco dos Estados Unidos, antes de autoridades de alto escalão dos dois países retomarem negociações comerciais em Washington no próximo mês;
  • O anúncio se deu após a China ter informado que pretendia isentar importações desses e outros produtos agrícolas americanos de tarifas retaliatórias e de o país sofrer de escassez de carne de porco por causa de um surto de peste suína, que já dura um ano;
  • Além disso, o Japão e os EUA assinaram ontem um acordo comercial limitado, permitindo a abertura do mercado japonês a produtos agropecuários americanos. Pelo acordo, o Japão reduzirá as tarifas sobre US$ 7 bilhões em produtos agrícolas americanos. Em contrapartida, Washington concordou em reduzir suas tarifas sobre US$ 40 bilhões em produtos agrícolas japoneses e reduzir as cotas de carne importada para permitir que o Japão competisse no mercado americano;
  • Quanto à compra de carne de porco dos EUA pela China, vemos a decisão, se confirmada, como positiva para os frigoríficos brasileiros que possuem operação de carne suína nos EUA. Além disso, vemos com bons olhos a abertura ao mercado japonês. Reiteramos nossa visão positiva para o setor.

Magazine Luiza (MGLU3): Empresa vai subsidiar custo do frete para os vendedores do marketplace 

  • Segundo notícias locais, a Magazine Luiza anunciou que de outubro a dezembro vai subsidiar 100% do custo de frete dos vendedores do marketplace para compras acima de R$99 feitas através de seu aplicativo. A iniciativa está restrita aos vendedores que usam o Magalu Entregas e que se comprometam a despachar o produto até um dia útil após a compra, sendo que o subsídio está limitado a R$80 por compra. Além disso, a taxa média de desconto de recebíveis para os vendedores do marketplace foi reduzida de 1,42% para 0,99%;
  • Vemos as iniciativas em linha com a estratégia da Magazine Luiza de investir parte do ganho de margem dos últimos anos para melhorar a experiência de compra do consumidor e aumentar a fidelização dos clientes. Apesar da nossa visão construtiva para a empresa, não vemos um potencial de alta significativo das ações nos patamares atuais e por isso temos uma recomendação de Neutro para a Magazine Luiza com preço-alvo de R$39/ação. 

Fundos de Investimento

Trend Estatais: Empresas surpreendem com lucros no primeiro semestre

  • Encerrado o período de divulgação de resultados do 1° semestre de 2019, as empresas estatais surpreenderam – entre as cinco maiores empresas públicas do país, o lucro acumulado total foi de R$ 60,7 bilhões;
  • Apesar de nem todas essas empresas apresentarem capital aberto – caso de BNDES e Caixa, que não são listadas em Bolsa – ao observar os resultados históricos das ações estatais negociadas, observa-se uma recuperação bem expressiva dos lucros das empresas depois das mínimas atingidas em 2015, com os lucros praticamente triplicando de valor;
  • Neste sentido, o Trend Estatais tende a se beneficiar desse movimento de melhora operacional das empresas estatais e da retomada do lucro das companhias. Clique aqui para ver o conteúdo completo.

COE

Resultados do 1º trimestre fiscal impulsionam as ações da Nike

  • Listadas na Bolsa de Valores de Nova York, as ações da Nike fecharam o pregão de ontem em alta de 4,16%, em US$90,81, frente à divulgação dos resultados do primeiro trimestre do ano fiscal de 2020 acima do esperado pelos analistas;
  • O principal destaque positivo foi o crescimento da receita, principalmente impulsionado pela China. Apesar das tensões comerciais, a receita advinda do país asiático teve alta de 22% no ano contra ano, atingindo US$1,68bi. As receitas apresentaram 7% de crescimento no trimestre, atingindo US$10,6bi, número acima das expectativas de mercado. O lucro do trimestre também surpreendeu maior parte do mercado ao apresentar uma alta de 25% no ano contra ano, implicando em um lucro por ação de US$ 0,86, superando os US$ 0,70 esperados pelo consenso;
  • Indo além, em teleconferência de resultados, a revisão para cima das projeções deu ânimo adicional aos investidores. Segundo o diretor financeiro da Nike, Andrew Campion, a expectativa para todo o ano de 2019 é de crescimento da receita na faixa de um dígito alto e da margem bruta de 0,5-0,75% no ano, ante uma estimativa anterior de alta de 0,5%. Frente às novas projeções mais otimistas da empresa, diversas casas de análise revisaram para cima suas estimativas, o que deu impulso adicional às ações da Nike.



Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.