Minério de ferro e vencimento de opções pressionam o Ibovespa; Vendas no varejo e auxílio-desemprego darão o tom nos EUA

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Clique para ouvir

IBOVESPA -1,0% | 115.063 Pontos

CÂMBIO -0,4% | 5,22/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Depois de dados negativos da economia chinesa, o minério de ferro caiu 3% nesta quarta-feira (15) levando com ele o preço das ações da Vale. Isso contribuiu para o Ibovespa fechar em queda de 1,00%, movimento amplificado pelo vencimento de opções. As taxas futuras de juros fecharam o dia de ontem em alta, principalmente na parte intermediária e longa da curva, levando a ganho de inclinação. Foram motores do movimento, novamente, as preocupações com o cenário fiscal e o aumento dos ruídos políticos, em meio à indefinição para os precatórios e a consequente pressão sobre o teto de gastos. DI jan/22 fechou em 7,01%; DI jan/24 encerrou em 9,665%; DI jan/26 foi para 10,29%; e DI jan/28 fechou em 10,65%.

No Brasil, a imprensa local reporta que a área jurídica do Governo tende a apoiar a proposta da Câmara dos Deputados de retirar do teto de gastos com precatórios. Outra matéria que pressiona o orçamento em 2022 é a extensão do benefício tributário sobre folha de pagamentos para 17 setores da economia até 2026, aprovado ontem em comissão na Câmara. Se aprovada em votação final no Congresso, a proposta representaria uma pressão adicional de R$ 6 bilhões sobre o teto de gastos em 2022. Vale destacar que o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) subiu 0,6% MoM em julho, acima de nossa estimativa e do consenso de mercado que eram de 0,30% e 0,35%, respectivamente.

As Bolsas internacionais amanheceram com sinais mistos nesta quinta-feira enquanto investidores aguardam dados do seguro desemprego e das vendas do varejo nos EUA. O EuroStoxx sobe 0,9%, o futuro do S&P 500 e do Nasdaq100 caem 0,1%. As bolsas na Ásia fecharam em queda com o Nikkei do Japão caindo 0,6% e o Hang Seng de Hong Kong caindo 1,5%. Na China, o mercado encerrou também em queda ao passo que a construtora Evergrande adiciona novas preocupações com seu risco de falência.  As moedas de emergentes operam negativas contra o dólar. Nas commodities, os futuros do minério de ferro seguem em queda, enquanto os de grãos avançam. O petróleo também amanheceu em leve queda, devolvendo parte da sequência de ganhos dos últimos dias. Por fim, a indústria americana continua mostrando sinais de uma recuperação sólida. As vendas no varejo e os pedidos iniciais de auxílio-desemprego semanais que serão divulgadas hoje, no entanto, serão importantes para uma avaliação mais ampla do impacto da variante delta na economia dos EUA.

No marco das discussões sobre o Plano das Famílias Americanas no Congresso americano, a Comissão de Ways and Means da Câmara aprovou nesta quarta-feira (16) USD 2,1 trilhões em novos impostos, que principalmente têm como alvo grandes empresas e os mais ricos. Entre outras medidas, a Comissão aprovou um aumento da alíquota do imposto corporativo de renda de 21% a 26,%, (ao invés dos 28% originalmente aprovados no Senado), sobretaxa de 3% em rendas de mais de USD 5 milhões, aumento do imposto de ganho de capitais de 20% a 25% para indivíduos de alta renda.  

Na agenda ESG, a ONU revelou ontem que o ritmo da mudança climática não foi desacelerado pela pandemia global da COVID-19, que causou apenas uma queda temporária nas emissões e não foi suficiente para reverter os níveis crescentes de gases de efeito estufa na atmosfera, e o mundo continua para trás na batalha para reduzir as emissões de CO2, existindo uma probabilidade crescente de não cumprimento do Acordo de Paris (limitar o aquecimento global em 1,5°C acima dos níveis pré-industriais).

Tópicos do dia

Economia

  1. Os números da indústria continuam mostrando uma recuperação sólida nos EUA. As vendas no varejo que serão divulgadas hoje, no entanto, serão importantes para uma avaliação mais ampla do impacto da variante delta na economia americana. No Brasil, a imprensa local reporta que a área jurídica do Governo tende a apoiar a proposta da Câmara dos Deputados de retirar do teto de gastos com precatórios

Política

  1. No marco das discussões sobre o Plano das Famílias Americanas nos EUA, comissão aprova USD 2.1 trilhões em novos impostos
  2. CCJ deve votar PEC dos Precatórios, e comissão especial analisa Reforma Administrativa

Empresas

  1. Frigoríficos (JBSS3, MRFG3): expectativa para retomada da China
  2. Rede D’Or (RDOR3): Aquisição do Hospital Novo Atibaia
  3. SulAmérica (SULA11): SulAmérica divulga oferta vinculante para aquisição da HB saúde
  4. Americanas (AMER3): Aquisição da Skoob
  5. Notícias Diárias do Setor Financeiro
  6. Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
  7. Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

Internacional

  1. Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Amazon vs. Tesla

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 16/09

Veja todos os detalhes

Economia

Os números da indústria continuam mostrando uma recuperação sólida nos EUA. As vendas no varejo que serão divulgadas hoje, no entanto, serão importantes para uma avaliação mais ampla do impacto da variante delta na economia americana. No Brasil, a imprensa local reporta que a área jurídica do Governo tende a apoiar a proposta da Câmara dos Deputados de retirar do teto de gastos com precatórios

  • Os investidores continuam avaliando as perspectivas de recuperação econômica em meio à disseminação da variante delta. A produção industrial dos EUA em agosto ficou um pouco abaixo das expectativas, em 0,4% mês a mês (0,5% esperado), mas continua mostrando sólida recuperação. O indicador de manufatura Empire State de setembro foi muito superior ao esperado, recuperando-se da queda de agosto. Os destaques hoje são as vendas no varejo de agosto e os pedidos iniciais de auxílio-desemprego semanais;
  • De acordo com a Bloomberg News, a agenda econômica do presidente Biden corre o risco de atrasar no Congresso, pois os membros do Partido Democrata ainda não chegaram a um consenso sobre impostos, saúde e outras questões;
  • No Brasil, a imprensa local se concentram nas discussões orçamentárias sobre pagamentos de ordens judiciais (precatórios). Segundo a Folha de S. Paulo, os representantes legais do governo sinalizaram ser mais favoráveis ​​à retirada dos precatórios do teto de despesas, ao invés de postergar pagamentos como propõe a equipe econômica. A discussão é fundamental para abrir espaço no orçamento de 2022 para atender demandas políticas, como o aumento do programa Bolsa Família e em emendas parlamentares (parcela do orçamento controlada pelos parlamentares);
  • O projeto de lei que estende os benefícios de incentivos fiscais sobre a folha de pagamento a setores selecionados foi aprovado em uma comissão da Câmara dos Deputados ontem. Se a lei for aprovada no Congresso, aumentará as despesas obrigatórias em R $ 6 bilhões no próximo ano, pressionando ainda mais o teto de gastos. A imprensa local diz que o presidente vetaria o projeto, mas é incerto considerando a pressão do setor privado;
  • O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) subiu 0,6% MoM em julho, acima de nossa estimativa e do consenso de mercado (0,30% e 0,35%, respectivamente). Na comparação com julho de 2020, a proxy do PIB mensal cresceu 5,5% (projeção XP: 4,9%; consenso de mercado: 5,0%). O resultado é consistente com nossa projeção de crescimento do PIB de 0,8% no trimestre (5,4% no período) e 5,3% no ano de 2021. Nossa estimativa atualizada para o crescimento do PIB em 2022 é de 1,3%.

Política

No marco das discussões sobre o Plano das Famílias Americanas nos EUA, comissão aprova USD 2.1 trilhões em novos impostos

  • No marco das discussões sobre o Plano das Famílias Americanas no Congresso americano, a Comissão de Ways and Means da Câmara aprovou nesta quarta-feira (16) USD 2.1 trilhões em novos impostos, que principalmente têm como alvo grandes empresas e os mais ricos. Entre outras medidas, a Comissão aprovou um aumento da alíquota do imposto corporativo de renda de 21% a 26,%, (ao invés dos 28% originalmente aprovados no Senado), sobretaxa de 3% em rendas de mais de USD 5 milhões, aumento do imposto de ganho de capitais de 20% a 25% para indivíduos de alta renda;
  • No lado diplomático, o anúncio de uma parceria entre os EUA e Reino Unido para ajudar a Australia na construção de submarino nucleares gerou reação da China. Segundo o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do país, o desenvolvimento “Prejudica a estabilidade regional”.

CCJ deve votar PEC dos Precatórios, e comissão especial analisa Reforma Administrativa

  • A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara tenta votar a admissibilidade da proposta de emenda à Constituição que regula o pagamento de precatórios, ainda sem clareza de como deve sair do Congresso a redação final. A ideia, com a votação de hoje, é avançar com a admissibilidade para superar etapas até a definição. Ontem, o presidente Arthur Lira afirmou que saída vai na direção de incorporar à PEC o texto que originalmente estava em discussão no CNJ, criando um limite para o pagamento de precatórios dentro do teto. A proposta tem concordância de parte da equipe econômica, mas o noticiário registra áreas do governo que avaliam a possibilidade de tirar os precatórios do teto, recalculando o limite desde 2016 – proposta que não tem concordância de Lira. Em paralelo, a comissão especial que analisa a reforma administrativa deve votar hoje o relatório do deputado Arthur Maia, última etapa antes de a proposta seguira ao plenário da Câmara.

Empresas

Frigoríficos (JBSS3, MRFG3): expectativa para retomada da China

  • Após a confirmação de dois casos atípicos de BSE (Encefalopatia Espongiforme Bovina), o Ministério da Agricultura do Brasil impôs a proibição das exportações de carne bovina para a China;
  • Na última vez que o Brasil registrou um caso atípico de BSE, a China levou 13 dias para verificar todos os documentos e retomar as importações. Hoje é o 12º dia do auto-embargo e seguimos otimistas com o apetite da China e com sua celeridade no encerramento deste caso;
  • No entanto, se esse problema levar mais tempo para ser resolvido, poderemos ver uma rápida deterioração nas margens dos frigoríficos brasileiros. JBS e Marfrig, devido às operações nos Estados Unidos e bom momento da indústria de carne bovina lá, devem conseguir compensar parte do efeito.

Rede D’Or (RDOR3): Aquisição do Hospital Novo Atibaia

  • Ontem (15), a Rede D’Or anunciou a compra de pelo menos 90,3% do Hospital Novo Atibaia, um hospital geral de alta complexidade, no interior do estado de SP;
  • O hospital tem 150 leitos e potencial para ter 166 no total e, de acordo com o CNES, atualmente existem apenas dois hospitais privados em Atibaia;
  • Para 2022, a instituição tem uma Receita e um EBITDA esperados de R$283M e R$49M respectivamente – já considerando parte das sinergias esperadas;
  • O valor estabelecido para a firma (EV) foi de R$296,3M (o qual é equivalente a 0,2% do valor de mercado da RDOR), implicando em um EV/leito de R$1,8M e um EV/EBITDA22e de 6,0x, ambos abaixo dos múltiplos pagos pelo mercado neste ano;
  • Nós vemos esse movimento como positivo dado que: i) a companhia fortifica o seu posicionamento no estado de SP, com a aquisição de um hospital geral de alta complexidade, em linha com a nossa tese de investimento; e ii) múltiplos relativamente menores que os pagos pelo mercado em aquisições passadas durante este ano. Nós reiteramos a nossa recomendação de Compra e preço-alvo de R$88,0/ação.

SulAmérica (SULA11): SulAmérica divulga oferta vinculante para aquisição da HB saúde

  • A SulAmérica anunciou hoje que fez uma oferta vinculante para adquirir 100% da HB Saúde pelo valor R$563 milhões (acima dos R$485 milhões da oferta anterior);
  • A transação ainda precisa ser aprovada pelos detentores da maioria (50% mais uma) das ações ordinárias da HB Saúde. Embora o valor seja maior que o anteriormente divulgado, se o negócio se concretizar neste preço, vemos a transação ainda como positiva para a SULA, já que a aquisição aumenta sua presença no interior de São Paulo e tem uma avaliação implícita de EV/beneficiário de R$4,4 mil, que é menor do que a média das negociações recentes de M&A de R$4,6 mil e a avaliação atual da SULA de R$5,4 mil EV/beneficiário (saúde);
  • Por fim, continuamos otimistas com a SulAmérica, pois, apesar da pressão de curto prazo sobre a sinistralidade médica relacionada ao coronavírus, mantemos nossa recomendação de Compra baseado em: i) alavancagem ao ciclo econômico; ii) vantagens competitivas no segmento de saúde; e iii) crescimento de lucro e opcionalidades.

Americanas (AMER3): Aquisição da Skoob

  • A Americanas anunciou a aquisição da Skoob, maior plataforma digital de conteúdo para leitores do Brasil. A empresa possui mais de 8 milhões de usuários e oferece funcionalidades como organização de leituras atuais, concluídas e futuras, acesso a resenhas e avaliações de obras e interação com editoras e autores;
  • A aquisição está em linha com a estratégia da empresa de estar mais presente no dia a dia dos clientes, e contribui para o aumento de conversão da categoria de livros e diminuição do custo de aquisição de clientes;
  • Enxergamos a transação como positiva, mas não deve ter impacto financeiro relevante para os resultados no curto prazo. Mantemos a nossa recomendação de compra e preço-alvo para o fim de 2021 de R$ 82,0/ação.

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia

  • Nesta nota diária, compilamos as principais notícias do setor de energia (óleo & gás e elétricas) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre os principais acontecimentos do dia. Além disso, no relatório você encontra o link para nossos últimos relatórios publicados dos setores.
  • Clique aqui para acessar o relatório.  

Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

  • Nesta publicação diária, trazemos as principais notícias do setor de varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre as tendências e acontecimentos mais importantes do dia. Além disso, o relatório contém um resumo dos múltiplos e recomendações para as empresas de nossa cobertura;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Internacional

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Amazon vs. Tesla

  • Em evento anual, a Apple revelou seus novos produtos;
  • Adobe anunciou que adicionará serviços de pagamentos à sua plataforma de e-commerce;
  • Rivian se torna a primeira empresa a dar início a produção de veículos pickups elétricos;
  • Congestionamento em portos se intensifica de acordo com gráfico da Shangai Shipping Exchange;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 16/09

  • O mercado encerrou o pregão de quarta-feira em território negativo, com o Ibov e ISE recuando -0,96% e -1,04%, respectivamente;
  • No Brasil, (i) o Banco Central divulgou ontem um conjunto de regras relativas a riscos e oportunidades ambientais e climáticas, trazendo a questão ESG para o centro de regulação bancária; e (ii) a demanda de investidores nas 4 emissões de títulos de dívida com compromissos ESG foi de quase 5x em relação ao volume oferecido pelas companhias (Suzano, Movida, B3 e Rumo) – juntas elas levantaram US$2bn, com o volume de interessados nos papéis atingindo US$9,4bn ou 4,7x o emitido;
  • No internacional, a ONU revelou ontem que o ritmo da mudança climática não foi desacelerado pela pandemia global COVID-19, que causou apenas uma queda temporária nas emissões e não foi suficiente para reverter os níveis crescentes de gases de efeito estufa na atmosfera, e o mundo continua para trás na batalha para reduzir as emissões de CO2, existindo uma probabilidade crescente de não cumprimento do Acordo de Paris (limitar o aquecimento global em 1,5°C acima dos níveis pré-industriais). Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.