XP Expert

Mais um dia de quedas nos mercados globais, enquanto o Ibovespa sobe com aprovação da PEC Emergencial

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 1.40% | 112.690 Pontos

CÂMBIO 0,81% | 5,67/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Mercados globais fecharam em queda, pressionados novamente por uma subida nos rendimentos dos títulos do Tesouro americano, enquanto Ibovespa foi na contramão impulsionado pela aprovação em segundo turno da PEC Emergencial no Senado. A Bolsa brasileira fechou quinta-feira com uma alta de +1,4% a 112.690 pontos. Enquanto isso, o dólar fechou com uma valorização de 0,81% a R$ 5,67. E as taxas futuras de juros fecharam o dia de ontem em queda, o DI jan/22 fechou em 3,83%; DI jan/24 encerrou em 6,57%; DI jan/26 foi para 7,49%; e DI jan/28 fechou em 8,03%.

Lá fora, os mercados globais terminaram o dia em território negativo, repercutindo comentários de Jerome Powell, presidente do Federal Reserve. Em um evento organizado pelo Wall Street Journal, Powell reconheceu que a subida rápida nas taxas de juros de longo prazo chamou a sua atenção, mas disse que o banco central precisaria ver uma subida mais abrangente antes de considerarem intervir. Comentários considerados vagos por investidores, que buscavam uma fala mais amenizadora, levaram a outra alta nas taxas de juros do Tesouro americano de 10 anos, que  fecharam o dia em 1,54%. A Nasdaq recuou -2,1%, chegando perto de entrar em território de correção (quando o índice cai 10% do pico). Já o S&P 500 e Dow Jones caíram -1,3% e -1,1% respectivamente.

E hoje marcou o início do Congresso Nacional do Povo (NPC) na China, reunião anual do legislativo. Na abertura do evento, o governo revelou que a meta de crescimento para este ano será acima de 6%, menor do que projeções de economistas em 8,4%. Também foi divulgado o 14o plano quinquenal, que traça as prioridades do país para os próximos 5 anos. E foi anunciado ainda uma linha mais dura em relação a Hong Kong.

No Brasil, a PEC Emergencial foi aprovada em segundo turno no Senado e vai para votação na Câmara dos Deputados. O presidente Arthur Lira pretende levar o tema diretamente ao plenário e votar a primeira fase do projeto, chamada de admissibilidade, na terça-feira. E na quarta, seriam votados os dois turnos da emenda constitucional. A expectativa é que o empenho de Lira e a pressão pelo início do pagamento do auxílio possibilitem uma aprovação rápida e sem alterações que exijam nova votação pelos senadores.

No mercado de commodities, os preços de petróleo tiveram uma forte alta após a OPEP e membros aliados concordarem em estender os corte de produção até abril, com base em incertezas em relação à recuperação da demanda. A Arábia Saudita também estenderá seu corte voluntário de 1 milhão de barris por dia. Com isso, o Brent subiu +4,2% a US$ 66,74 e por barril, e o WTI teve uma alta de +4,0% a US$ 63,78 por barril.

Por fim, ontem tivemos o terceiro dia da Expert ESG, que foi focado na amplitude de caminhos, ideias e soluções promovidos pela governança (G). Destacamos três principais assuntos discutidos: (i) Empresas e lideranças devem se questionar sobre suas intenções e metas; (ii) ESG não pode ser um processo de “checking the boxes”; e (iii) Entre a ganância e a generosidade, a generosidade sempre vencerá.

Na agenda do dia, destaque para os números do mercado de trabalho de fevereiro nos EUA. Por aqui, a produção industrial de janeiro será divulgada hoje.

Tópicos do dia

Agenda de resultados

Temporada de Resultados do 4° Trimestre – O que esperar?
Calendário do 4T20
Resumo dos resultados do 4º tri de 2020: Superando nossas estimativas até o momento

Clique aqui para saber mais

Internacional

  1. Política internacional: Senado dos EUA inicia debate sobre pacote de estímulo à economia
  2. Petróleo: OPEP + estende a maior parte dos cortes na produção de petróleo até abril; Arábia Saudita também mantém redução voluntária de produção

Empresas

  1. Expert ESG: Feedback do 3º dia do evento; A inquestionável importância da governança
  2. B3 (B3SA3): Em linha, porém com sinais positivos | Revisão 4T20
  3. Lojas Americanas e B2W (LAME4 / BTOW3): Resultados fracos de 4T20 como esperado, mas bons sinais para 2021 no ecommerce
  4. Iguatemi (IGTA3) – Resultado 4T20: Resultados em Recuperação
  5. MRV (MRVE3) – 4T20: Mais um trimestre sólido
  6. Vale (VALE3): Vale fecha acordo comercial com Mitsui


Veja todos os detalhes

Internacional

Política internacional: Senado dos EUA inicia debate sobre pacote de estímulo à economia

  • Após meses de discussões, o pacote de estímulo à economia americana de USD 1,9 trilhões está perto de se tornar lei. Com voto decisivo da vice-presidente Kamala Harris, o Senado abriu ontem o debate sobre o projeto e deve continuar analisando emendas nesta sexta-feira (5);
  • Segundo o líder da maioria democrata, Chuck Schumer, a votação do pacote deve ocorrer neste fim de semana. A expectativa é que o pacote seja promulgado até 14 de março. Leia mais aqui;
  • Na reunião do Congresso do Povo chinês, as principais autoridades do país apresentaram projeções de crescimento de 6% ou mais em 2021 e plano de 5 anos de desenvolvimento tecnológico. Foi anunciado ainda uma linha mais dura em relação as eleições de Hong Kong, que praticamente impossibilita a vitória de candidatos “anti-China”.

Petróleo: OPEP + estende a maior parte dos cortes na produção de petróleo até abril; Arábia Saudita também mantém redução voluntária de produção

  • Ontem os preços do petróleo tipo Brent encerraram o pregão alta de +4,17% em US$ 66,74/barril impulsionado pela notícia de que a OPEP e seus aliados concordaram em estender a maioria dos cortes na produção de petróleo até abril, após decidir que a recuperação da demanda pela commodity ainda é frágil, tendo em vista os contínuos impactos da COVID-19. Adicionalmente, a Arábia Saudita, disse que estenderia seu corte voluntário de produção de petróleo de 1 milhão de barris por dia (bpd) e que decidirá nos próximos meses quando eliminá-lo gradualmente;
  • A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados vinham debatendo se deviam restaurar até 1,5 milhão de barris por dia de produção em abril. No entanto, na reunião desta quinta-feira os membros da OPEP+ concordaram em se manter nos níveis atuais – com exceção dos modestos aumentos concedidos à Rússia e ao Cazaquistão. A Rússia foi autorizada a aumentar a produção em 130 mil bpd em abril e o Cazaquistão em mais 20 mil bpd para atender às necessidades domésticas. Como resultado, a organização ainda manterá cortes de produção de cerca de 7 milhões de barris por dia do mercado – o equivalente a cerca de 7% da demanda global;
  • O Brent já subiu cerca de 30% este ano, para quase US$ 68 o barril. Ao longo do primeiro trimestre, a OPEP + manteve a produção abaixo da demanda para reduzir o excesso de estoques que se acumulou durante o pior momento de bloqueios da pandemia. Sem oferta adicional, esse déficit aumentará significativamente até abril, segundo estimativas internas da própria organização. O vice-primeiro-ministro russo, Alexander Novak afirmou que eles devem monitorar de perto para evitar qualquer superaquecimento do mercado;
  • Nesta manhã, os preços do petróleo Brent sobem mais +213%, aos US$68,16/barril.

Empresas

Expert ESG: Feedback do 3º dia do evento; A inquestionável importância da governança

  • Após dedicar um dia às discussões em torno do pilar ambiental (E) e social (S), o terceiro dia da Expert ESG focou na amplitude de caminhos, ideias e soluções promovidos pela governança (G). Vários foram os tópicos abordados ao longo do dia, e destacamos três principais conclusões:
  • (i) Empresas e lideranças devem se questionar sobre suas intenções e metas. Nesse processo, quatro pilares são chave: propósito (uma missão, além do lucro), stakeholders (no sentido amplo, tendo-os como sociedade), liderança (com a função de servir) e cultura (que permita desenvolvimento de pessoas);
  • (ii) ESG não pode ser um processo de “checking the boxes”. É importante que a abordagem do tema ESG e sua implementação prática se deem além das práticas mínimas, se integrando na governança das instituições de forma estratégica e transparente – é um processo de medir e demonstrar o real impacto das ações evoluindo para o mais alto patamar de transparência frente à sociedade. ESG, atualmente, é questão de sobrevivência;
  • (iii) Entre a ganância e a generosidade, a generosidade sempre vencerá. Enfrentar e superar os desafios atuais requer uma profunda transformação na forma com que os negócios operam e, principalmente, em como os líderes atuam. Indo além, faz-se necessário mudar “quem” faz as coisas para mudar “como” as coisas são feitas e, de fato, cada um de nós pode fazer a diferença e mudar o mundo. Nas palavras de Halla Tomasdóttir: “Precisamos ser os líderes que o mundo precisa”;
  • Clique aqui para ler o relatório com o feedback completo do terceiro dia da Expert ESG. Hoje teremos o último dia do evento, com debates focados nos investimentos ESG – clique aqui para se inscrever.

B3 (B3SA3): Em linha, porém com sinais positivos | Revisão 4T20

  • B3 acaba de postar resultados em linha com as expectativas de mercado para o quarto trimestre de 2020 (4T20), com lucro de R$ 1,16 bilhão (vs. expectativa de mercado de R$1,13 bi e R$ 865 mi do 4T19). Porém com bons sinais advindos de margem EBITDA, que melhorou 4 pontos percentuais anualmente para 79% e o volume diário de negociações, que bateu seu quinto record seguido para R$ 32 bilhões no 4T20;
  • Além disso, a bolsa ainda declarou que o conselho aprovou: i) a recompra de até 27,6 milhões de ações, representando 1,4% das ações em circulação no mercado; ii) o desdobramento de suas ações de 1 para 3; e iii) o cancelamento de parte das ações que detém em tesouraria, que representam 0,8% de suas ações totais;
  • Nossa visão é positiva tanto para os resultados, que apresenta consecutivas melhoras, quanto para as aprovações societárias. Acreditamos que as mudanças societárias podem sinalizar a confiança do board no valor da companhia, além de ser significativo em impacto (~2% das ações) e ir de encontro com o movimento de pessoas físicas na bolsa ao desdobrar as ações, o que facilita a compra pelos investidores;
  • Por fim, mantemos nossa recomendação neutra baseada no atual patamar de preços das ações, que acreditamos já refletirem boa parte da melhora operacional e crescimento futuro que esperamos para a companhia.

Lojas Americanas e B2W (LAME4 / BTOW3): Resultados fracos de 4T20 como esperado, mas bons sinais para 2021 no ecommerce

  • Lojas Americanas e B2W reportaram resultados referentes ao quarto trimestre de 2020 (4T20) levemente acima das nossas estimativas, por conta de uma margem bruta um pouco acima na B2W e menores despesas operacionais na LASA. No entanto, de modo geral, o resultado veio muito em linha com nossa prévia, confirmando um resultado fraco para as companhias, com B2W tendo crescimento ainda baixo (+38% A/A) e LASA negativamente impactada pelas restrições de Covid no fim do ano. B2W divulgou uma prévia de crescimento de GMV para o 1T21, com forte aceleração para +83% A/A em Janeiro e +90% A/A em Fevereiro;
  • Esperamos uma reação mista do mercado. Após nossa prévia de resultados, tivemos diversos questionamentos de investidores sobre nossa estimativa de crescimento de GMV (em +40% A/A), pois estava abaixo das expectativas deles (em torno de +50% A/A). Como nosso número foi confirmado, isso pode trazer algum tipo de reação negativa pelo mercado, apesar de já ter sido sinalizada em nossa prévia. No entanto, a B2W divulgou os números de crescimento de GMV em Jan/Fev21, tendo acelerado de forma relevante vs. o 4T20 para +83% e +90% A/A, respectivamente. Isso se compara à nossa estimativa de +81% A/A para o 1T21. Importante destacar que nossas estimativas estão acima do consenso da Bloomberg para 2021;
  • Vemos a aceleração do ritmo de crescimento do GMV de B2W nos primeiros meses do ano como positiva e está em linha com nossa expectativa de que a B2W se destaque em 2021 em termos de ganhos de participação de mercado devido a uma base de comparação “mais fácil” (já que seu marketplace foi mais prejudicada em 2020) aliada a melhores condições oferecidas aos seus vendedores parceiros do marketplace e consumidores. No entanto, é importante monitorarmos como será a performance das demais companhias no setor no 1T21 para termos uma melhor interpretação desse resultado. Mantemos nossa recomendação de Compra e preço alvo de R$121,0 e R$36,0 por ação para o fim de 2021 para BTOW e LAME, respectivamente. Clique aqui para ver nosso relatório.

Iguatemi (IGTA3) – Resultado 4T20: Resultados em Recuperação

  • Como reportado anteriormente, a Iguatemi apresentou um conjunto de números operacionais em recuperação à medida que as autoridades atenuaram as restrições de capacidade durante o quarto trimestre, o que aumentou as horas de funcionamento de 51,3% para 91,1% no quarto trimestre. As vendas nas mesmas lojas caíram 11,8% em ao ano passado (vs. -37,5% no terceiro trimestre), os alugueis mesmas lojas caíram 3,3% (vs. -28,5% no trimestre passado) dado que a companhia vem removendo gradualmente os descontos concedidos, cobrando 97,6% do aluguel no quarto trimestre (vs. 66,5% no terceiro trimestre);
  • Apesar da receita líquida abaixo do esperado (-10% vs. nossas estimativas), a receita líquida foi parcialmente compensada principalmente pela venda de terrenos no Galleria Shopping e Iguatemi Esplanada, que geraram o resultado líquido de R$18,9 milhões. Dito isso, o EBITDA foi de R$162 milhões (-19% ano contra ano) e o FFO atingiu R$120 milhões (-17% ano contra ano). No balanço patrimonial, a Iguatemi encerrou o trimestre com dívida líquida de 1.705 milhões, o que levou sua alavancagem para 3,1x dívida líquida/EBITDA;
  • Apesar da receita de aluguel abaixo do esperado, o resultado final foi um pouco mais forte do que os nossos números devido às vendas não recorrentes de terrenos no Galleria Shopping e no Iguatemi Esplanada. Dito isso, não vemos isso como um gatilho para as ações e mantemos nossa recomendação de compra e preço-alvo de R$41,0/ação), visto que continuamos a ver valor de longo prazo nos valuations atuais (2021E FFO Yield de 6,9% e 2022E FFO Yield de 7,1%). No entanto, destacamos que o fluxo de notícias negativas sobre novos fechamentos de shopping centers e restrições no horário de funcionamento em diversos Estados brasileiros deve continuar pressionando as ações no curto prazo. Para mais detalhes, acesse o link.

MRV (MRVE3) – 4T20: Mais um trimestre sólido

  • A MRV divulgou um sólido resultado referente ao quarto trimestre de 2020. Conforme previamente anunciado, a companhia publicou forte resultado operacional como R$2.036 milhões em vendas líquidas (+47,3% ano contra ano e +3,5% trimestre contra trimestre) e R$2.128 milhões em lançamentos (-10,2% ano contra ano e +2,6% trimestre contra trimestre). Ainda, a MRV reiterou seu robusto plano de crescimento fora do programa CVA (Casa Verde e Amarela). Apesar da menor concessão de descontos, a margem bruta permaneceu estável em relação aos trimestres anteriores dado a pressão da inflação de materiais no segundo semestre de 2020. O lucro líquido atingiu R$196 milhões, impulsionado pela venda do empreendimento Deering Groves pela AHS;
  • Além disso, a MRV reiterou seu plano robusto de crescimento de 80 mil unidades por ano até 2025, que deve atingir cerca de R$18 bilhões em VGV anuais. A companhia espera lançar 40 mil unidades sob o programa Casa Verde e Amarela e outros 40 mil unidades fora do programa habitacional através da Sensia, Luggo, Urba e AHS, diversificando as fontes de financiamento fora do FGTS (como o SBPE, REITs e FIIs);
  • Apesar da performance sólida, o resultado foi amplamente em linha com as nossas estimativas e as estimativas do consenso de mercado. Dito isso, não esperamos que seja um gatilho para a ação e mantemos nossa recomendação neutra e preço-alvo de R$23/ação. Para mais detalhes, confira o relatório completo.

Vale (VALE3): Vale fecha acordo comercial com Mitsui

  • De acordo com o Broadcast, a Vale informou sobre o fechamento de um contrato comercial de 750 mil toneladas de minério de ferro para a Mitsui, terceira maior acionista da mineradora. O valor total do contrato poderá variar conforme as variações do preço do minério, volume e câmbio;
  • Segundo a companhia, essa estrutura traz benefícios adicionais, como a redução do risco de crédito e performance tendo como contraparte uma empresa do porte da Mitsui. Mantemos nossa recomendação de compra para Vale com preço-alvo de R$122 por ação.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.