XP Expert

IPCA-15 e dados do CAGED na agenda econômica do Brasil; EUA também divulgarão uma série de indicadores econômicos

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,2% | 105.244 Pontos

CÂMBIO -1,5% | 5,66/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Em dia de baixo volume de negociação o Ibovespa encerrou o dia de ontem aos 105.244 pontos, apresentando uma leve queda de 0,2%. Enquanto isso o dólar teve queda expressiva (-1,47%), a maior dos últimos 15 dias, e fechou em R$ 5,66. A taxas futuras de juros fecharam o dia com viés de alta, que possivelmente teve relação com a contínua percepção de risco fiscal elevado no Brasil. Ao final da sessão, a divulgação do Relatório Mensal da Dívida de novembro, que mostrou que o Tesouro Nacional continua sem dificuldades de acesso ao mercado, reduziu o movimento de elevação da curva. DI jan/23 fechou em 11,37%; DI jan/25 encerrou em 10,40%; DI jan/27 foi para 10,34%; e DI jan/29 fechou em 10,44%.

As contas externas do Brasil continuam bastante sólidas. Conforme publicado ontem (22) pelo Banco Central, os superávits na conta financeira do balanço de pagamentos, com destaque aos Investimentos Diretos no País (3,2% do PIB em 12 meses), estão muito acima do déficit em transações correntes (-1,9% do PIB em 12 meses). Na agenda doméstica de hoje, destaque para a divulgação do IPCA-15 de dezembro e dos resultados do CAGED (criação líquida de empregos formais) em novembro.  

As bolsas internacionais amanhecem levemente positivas (EUA +0,2% e Europa +0,5%) em consequência de novos estudos sugerindo que pessoas contaminadas com a nova variante Ômicron, possuem uma probabilidade 70% a 80% menor de hospitalização. Além disso, ontem o FDA aprovou o uso emergencial da pílula desenvolvida pela Pfizer para o tratamento da COVID-19 e ambas, AstraZeneca e Novavax, afirmaram que suas vacinas oferecem proteção contra a nova cepa. Na China, os índices CSI 300 (+0,7%) e Hang Seng (+0,4%) encerraram em alta na esteira do otimismo global, mesmo com o anúncio de confinamento na cidade de Xian, com 13 milhões de habitantes, para a contenção das novas infecções. Por fim, o Bitcoin amanheceu em leve queda de 1,5% e permanece na faixa de US$ 47-49 mil dólares.

Ainda no cenário internacional, o PIB dos Estados Unidos cresceu 2,3% no 3º trimestre de 2021 em comparação ao trimestre imediatamente anterior (taxa anualizada com ajuste sazonal), de acordo com a terceira e última estimativa oficial publicada ontem. O resultado veio um pouco acima do consenso de mercado e da leitura anterior (elevação de 2,1%). Ainda no que diz respeito à maior economia do mundo, a sondagem de confiança do consumidor do Conference Board referente a dezembro superou consideravelmente as projeções, puxada pelo componente de expectativas. Na sessão de hoje, os mercados estarão atentos à divulgação de vários outros indicadores econômicos dos Estados Unidos: deflator das despesas de consumo pessoal (PCE, medida de inflação preferida do Federal Reserve, banco central americano), renda pessoal, encomendas de bens de capital/bens duráveis e vendas de novas moradias em novembro, além da sondagem de confiança da Universidade de Michigan relativa a dezembro e dos pedidos iniciais de seguro-desemprego na última semana.

Na pauta ESG do Brasil, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) publicou ontem a alteração das regras do Formulário de Referência, ampliando a exigência de divulgação de informações sobre os aspectos ESG dos negócios, através de mudanças que vieram em linha com o texto que foi para consulta pública um ano atrás, com algumas alterações pontuais, mas de caráter de orientação para o mercado e não de obrigação.

Tópicos do dia

Economia

  1. Atividade econômica continua sólida nos Estados Unidos. No Brasil, atenções voltadas para o IPCA-15 de dezembro

Empresas

  1. Data Expert | Monitor ANS 3Q21: A ponte Entre Resultados e Operações
  2. MRV (MRVE3): Venda de mais dois projetos da AHS (Pine Groves e Princeton)
  3. Principais notícias dos setores

Mercados

  1. Raio-XP: Retrospectiva 2021
  2. Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Os planos da ExxonMobil

ESG

  1. CVM altera regras e passa a exigir informações ESG no formulário de referência das empresas listadas | Café com ESG, 23/12

Veja todos os detalhes

Economia

Atividade econômica continua sólida nos Estados Unidos. No Brasil, atenções voltadas para o IPCA-15 de dezembro

  • Conforme publicado ontem (22) pelo Banco Central, as transações correntes do Brasil apresentaram déficit de US$ 6,5 bilhões em novembro, resultado mais ou menos em linha com o consenso de mercado (US$ 6,2 bilhões). Com isso, o saldo acumulado em 12 meses ficou negativo em US$ 30,8 bilhões (-1,9% do PIB). Em relação à conta financeira do balanço de pagamentos, os Investimentos Diretos no País (IDP) totalizaram US$ 4,6 bilhões em novembro, levando a soma dos últimos 12 meses para US$ 51,5 bilhões (3,2% do PIB). Os Investimentos em Portfólio também tiveram bom desempenho no mês passado: entradas líquidas de US$ 833 milhões em renda fixa e US$ 155 milhões em ações e fundos de investimento. Em linhas gerais, os superávits na conta financeira cobrem facilmente o atual déficit em conta corrente da economia brasileira. Temos argumentado que, a despeito do enfraquecimento e alta volatilidade da taxa de câmbio, o balanço de pagamentos segue bastante sólido. Na agenda doméstica de hoje (23), destaque para a publicação do (I) IPCA-15 de dezembro (projeção XP: 0,83% m/m e 10,48% em 12 meses; consenso de mercado: 0,81% m/m e 10,46% em 12 meses) e (II) CAGED de novembro – criação líquida de empregos formais (projeção XP: +210 mil vagas; consenso de mercado: +223 mil vagas);
  • No cenário internacional, o PIB dos Estados Unidos cresceu 2,3% no 3º trimestre de 2021 em comparação ao trimestre imediatamente anterior (taxa anualizada com ajuste sazonal), de acordo com a terceira e última estimativa publicada ontem. O resultado veio um pouco acima do consenso de mercado e da leitura anterior (elevação de 2,1%). Esta revisão altista pode ser explicada, em grande medida, pelos números mais fortes de consumo das famílias e recomposição de estoques corporativos ante as estimativas iniciais. Além disso, a sondagem de confiança do consumidor do Conference Board referente a dezembro superou consideravelmente as projeções (efetivo: 115,8; consenso: 111,0), com o componente de expectativas saltando de 90,2 em novembro para 96,9. Por sua vez, as vendas de moradias existentes na economia americana cresceram um pouco abaixo do esperado em novembro (6,46 milhões vs. 6,52 milhões, em termos anualizados e dessazonalizados), mas permanecem em níveis elevados. Na agenda internacional de hoje, os mercados estarão atentos à divulgação de outros indicadores econômicos dos Estados Unidos: (I) deflator das despesas de consumo pessoal (PCE, medida de inflação preferida do Federal Reserve, banco central americano) em novembro; (II) renda pessoal em novembro; (III) encomendas de bens de capital e bens duráveis em novembro; (IV) vendas de novas moradias em novembro; (V) sondagem de confiança da Universidade de Michigan referente a dezembro; e (VI) pedidos iniciais de seguro-desemprego relativos à última semana.       

Empresas

Data Expert | Monitor ANS 3Q21: A ponte Entre Resultados e Operações

  • Estamos lançando o nosso Monitor ANS, para avaliar a saúde das operadoras analisando dados financeiros e operacionais fornecidos ao órgão regulador. Nosso estudo considerou operadoras médias e grandes (>20k beneficiários), e os destaques são:
    • Olhando para os últimos 12 meses 55% das operadoras analisadas tiveram margem EBIT menor que 10% e 72% tiveram sinistralidade maior que 77%;
    • As maiores operadoras do Brasil (>1M beneficiários) não tiveram desempenho substancialmente superior à média do mercado, com margem EBIT entre -29% e 40%, e sinistralidade entre 75% e 97%;
    • Desempenho financeiro (medido por margem) se mostrou um bom indicador de crescimento de carteira de beneficiários.
  • Acesse o relatório completo aqui.

MRV (MRVE3): Venda de mais dois projetos da AHS (Pine Groves e Princeton)

  • A MRV divulgou fato relevante destacando a venda de mais dois projetos da AHS nos EUA (Pine Groves e Princeton), atingindo US$ 95 milhões em VGV, representando lucro bruto de US$ 35,5 milhões, implicando um atrativo cap rate de 4,3% e um yield on cost de 7,6%;
  • Na nossa opinião, embora a empresa tenha mencionado a possibilidade de vender estes projetos no curto prazo, o mercado estava considerando a venda desses projetos no próximo ano, após sua maturação. Dito isso, vemos o negócio como assertivo devido ao (i) impacto positivo nos lucros durante o 4T21; (ii) demanda por projetos da AHS permanece sólida;
  • Portanto, vemos uma possível reação positiva para as ações.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Após ano de recordes, crédito privado vive fase de cautela. (Valor);
    • Mega seguradora encara concorrência com novos produtos. (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Mesmo com vacinação, microempreendedores ainda penam para retomar atividade. (Estadão);
    • Intenção de compra do brasileiro neste Natal cai 24%, o maior recuo em 5 anos. (Estadão);
    • Confiança do consumidor no Brasil tem leve alta em dezembro, aponta FGV. (Exame);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • ‘Fator China’ deve influenciar preços da arroba e da carne bovina em 2022. (Pecsite);
    • China Will Need World’s Grains to Feed Home-Grown Meat Ambitious. (Bloomberg);
    • Whithering Crops Highlight La Nina Fears for Brazil Soy Farmers. (Bloomberg);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • CNPE atualiza cálculos de privatização da Eletrobras. (epbr);
    • EUA se tornarão maior exportador de GNL, em meio a crise energética. (Valor Econômico);
    • Clique aqui aqui para acessar o relatório.

Mercados

Raio-XP: Retrospectiva 2021

  • O início de 2021 foi marcado por uma luz no final do túnel. A esperança era que pudesse ser o ano do fim da pandemia, já que as vacinas começaram a ser disponibilizadas e deu-se início na vacinação em todo o mundo. Pelo lado positivo, a vacina, de fato, permitiu a retomada das atividades e uma sólida recuperação da economia global. Por outro, não chegamos a uma solução definitiva para a pandemia, que continua sendo um risco à medida que caminhamos para 2022, junto com as preocupações com a inflação e com a retirada dos estímulos monetários em todo o mundo e, no Brasil, da dívida pública e das próximas eleições presidenciais;
  • E quanto ao Brasil? O primeiro semestre de 2021 foi marcado pela vacinação, reabertura econômica e expectativa de um superciclo de commodities;
  • Na segunda metade do ano: de volta ao antigo equilíbrio Macro. O segundo semestre de 2021 foi mais desafiador para os mercados à medida que os riscos fiscais e as tensões políticas aumentaram. Os dados econômicos também começaram a decepcionar, com a inflação mais persistente do que o esperado pressionando a política monetária, e as projeções de crescimento revisadas cada vez mais para baixo;
  • Como a Bolsa brasileira reagiu em 2021? O setor com o melhor desempenho foi o Petróleo e Gás em meio à retomada econômica e ao crescimento da demanda por energia. Por outro lado, os piores setores foram aqueles mais impactados pela deterioração macroeconômica, alta de juros e temor de variantes da Covid-19, como Imobiliários e Shoppings, e Varejo;
  • Clique aqui para relembrar os principais acontecimentos de 2021.

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Os planos da ExxonMobil

  • ExxonMobil anuncia plano para corte de gastos e pagamento de dívidas;
  • Empresa de veículos autônomos da Google, Waymo, inicia testes com robô-táxis;
  • Economia chinesa passa por desaceleração em 2021, mas investimentos estrangeiros no país aumentam;
  • Múltiplos do setor farmacêutico americano se encontram no nível mais atrativo dos últimos 15 anos vs. S&P 500.

ESG

CVM altera regras e passa a exigir informações ESG no formulário de referência das empresas listadas | Café com ESG, 23/12

  • O mercado fechou o pregão desta quarta-feira de lado, com o Ibov e o ISE em leve queda de -0,2% e -0,3%, respectivamente;
  • No Brasil, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) publicou ontem a alteração das regras do Formulário de Referência, ampliando a exigência de divulgação de informações sobre os aspectos ESG dos negócios, através de mudanças que vieram em linha com o texto que foi para consulta pública um ano atrás, com algumas alterações pontuais, mas de caráter de orientação para o mercado e não de obrigação;
  • No internacional, (i) os créditos de carbono negociados na China atingiram os maiores valores em quatro meses na última segunda-feira, à medida que as empresas do país correm para comprar crédito e cumprir suas metas de emissão do gás poluente, saltando +5,4% em relação ao dia anterior e fechando em 49,18 yuans (US$ 7,71); e (ii) de acordo com uma pesquisa da Thomson Reuters Practical Law, o número de empresas listadas no FTSE 350 com pelo menos um conselheiro negro mais do que dobrou este ano, mas a maioria ainda são brancos: de 272 empresas do FTSE 350 analisadas, 123 tinham um conselheiro negro em 2021, em comparação com apenas 59 no ano anterior. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.