XP Expert

Radar Energia XP | Dezembro

Criamos este relatório com notícias do setor de energia que complementam nossos comentários publicados no Morning Call.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre os principais assuntos, tendências e companhias que formam o setor. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo que tem impactos diretos ou indiretos no setor; e (ii) Nossos últimos relatórios publicados.

Gostaria de receber esse conteúdo por e-mailClique aqui.
Gostou do conteúdo, tem alguma dúvida ou quer nos enviar uma sugestão? Basta deixar um comentário no final do post!

Sexta-Feira, 31 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

Eletrobras: Resolução publicada nesta quinta-feira traz mudanças no processo de privatização
Ajustes incluem a criação de faixa para emissão de novas ações da companhia, além da aprovação do valor para a separação da Itaipu Binacional e atualização do valor aplicável à Eletronuclear. (Valor Econômico)

Privatização da Eletrobras fica fora do Orçamento de 2022
A lei orçamentário não preve receitas cm a venda de parte da estatal, o que indica falta de consenso político. A privatização está prevista para acontecer no primeiro semestre do ano seguinte. (Estadão)

ONS terá orçamento de R$ 2,4 bi de 2022 a 2024
A Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou o orçamento do Operador Nacional do Sistema Elétrico para o período de janeiro de 2022 a dezembro de 2024, em reunião extraordinária nesta quinta-feira, 30 de dezembro. O valor estabelecido para os próximos três anos é de R$ 2,391 bilhões, 11,4% maior que o do ciclo 2019/2021. (Canal Energia)

Oferta de energia deve crescer 4,8% em 2021, aponta MME
A Oferta Interna de Energia Elétrica (OIEE), incluindo todo o consumo e perdas na transmissão e distribuição, deve crescer 4,8% em 2021, aponta o Boletim Mensal de Energia de outubro do Ministério de Minas e Energia. (Canal Energia)

Reservatórios do SE/CO devem fechar janeiro com volume de 37%
Os reservatórios do Sudeste/ Centro-Oeste devem terminar o ano com volume de 25%, de acordo com dados do Informe do Programa Mensal da Operação. Os níveis na região Nordeste devem encerrar 2021 com a marca de 51,6%. No Sul, a expectativa é que os reservatórios operem com 43% ao fim do ano. Já na região Norte, a projeção do ONS indica que os reservatórios operem com 52,6% da capacidade. (Canal Energia)

Energisa inaugura fábrica de religadores em SP para atender mercado nacional e internacional
Equipamentos são responsáveis por isolar trechos onde ocorre falta de energia e permitir a continuidade de fornecimento de eletricidade em outras regiões. (Valor Econômico)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 78,98/Barril -0,69%

CÂMBIO

R$ 5,57/USD -2,06%

Óleo & Gás

Petróleo estende rali e fecha em alta nesta quinta-feira
Investidores ainda avaliam o possível impacto da disseminação da variante ômicron do coronavírus sobre a recuperação econômica. (Valor Econômico)

Governo lança programa para incentivar exploração de gás de xisto
O presidente Jair Bolsonaro aprovou nesta quinta-feira (30) o lançamento de um programa de incentivo à exploração e produção de petróleo em jazidas não convencionais, como o gás de xisto que mudou o cenário energético nos Estados Unidos. (Valor Econômico)

Cenário para o setor de distribuição de gás canalizado é preocupante, diz Abegás
Entidade que presenta as empresas do setor se refere à renovação dos contratos de suprimento das concessionárias locais de distribuição de gás canalizado com a Petrobras. (Valor Econômico)

Ações das distribuidoras de gás colocam em risco abertura do mercado, diz Petrobras
A estatal afirmou que foi surpreendida pelas ações judiciais depois de meses de engajamento em negociações. As ações das distribuidoras estaduais de gás natural abalam a segurança jurídica do ambiente de negócios, “interferindo na livre formação de preços, colocando em risco a implementação da própria abertura do mercado de gás natural no Brasil e atração de investimentos no país’. (epbr)

Petrobras declara comercialidade de sete campos em águas profundas de Sergipe
A Petrobras anunciou nesta quinta (30) que declarou a comercialidade dos campos de Budião, Budião Noroeste, Budião Sudeste, Palombeta, Cavala, Agulhinha e Agulhinha Oeste, nas áreas dos blocos exploratórios BM-SEAL-4 e do BM-SEAL-4A, BM-SEAL-10 e BM-SEAL-11, em águas profundas da Bacia de Sergipe-Alagoas. A empresa não informou o volume de petróleo e gás dos campos.  (epbr)

Petroleiras pedem mudanças em projeto de lei sobre serviços de gás canalizado no Ceará
A Abpip e o IBP também argumentam que são necessárias alterações relativas à alocação de tarifas para uso dos gasodutos, taxas de retorno e a possibilidade de reclassificação de dutos novos e existentes. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quinta-Feira, 30 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

ONS: carga no SIN em janeiro deve crescer 1,8%
A carga no SIN tem previsão de crescimento de 1,8% em janeiro de 2022, com 73.652 MW med, de acordo com a previsão feita pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico durante a reunião mensal do Programa Mensal da Operação. Para dezembro de 2021, a carga deve recuar 1,4%. (Canal Energia)

EDP Brasil pagará R$ 454,8 milhões em juros sobre capital próprio em 2022
A EDP Brasil pagará o valor bruto de R$ 454,8 milhões em juros sobre capital próprio (JCP), o equivalente a R$ 0,7886 por ação, aos acionistas posicionados em 4 de janeiro de 2022. Com isso, as ações da companhia serão negociadas como “ex-juros sobre capital próprio” a partir do dia 5. O pagamento será realizado até 31 de dezembro do próximo ano sem correção monetária, diz o comunicado da companhia. (Valor Econômico)

Águas do Brasil vence leilão de último bloco da Cedae
Grupo controlado pela família Beckhauser fez uma oferta de R$ 2,2 bilhões, com ágio de 90% sobrre preço mínimo, e derrotou a Aegea. A Aegea Saneamento, que em abril já havia conquistado outros dois blocos de saneamento no Rio de Janeiro, também participou da disputa pelo contrato. Com proposta de R$ 1,57 bilhão (ágio de 35,72%), a empresa não se classificou para a etapa de viva-voz e perdeu o leilão. (Valor Econômico)

Saneamento soma R$ 42 bilhões de investimentos após nova lei
Ritmo de leilões desacelera em 2022, mas estoque de projetos terá renovação; um dos destaques previstos é o IPO da Corsan. A onda de leilões de saneamento básico deverá seguir em 2022, porém, em um ritmo menor, após dois anos bastante intensos. Contando com o último bloco da Cedae, no Rio de Janeiro, licitado nesta quarta-feira, o setor chegou a uma soma de R$ 42,2 bilhões de investimentos contratados desde a aprovação do novo marco legal, em julho de 2020 – desse valor, R$ 32 bi serão feitos no Rio. (Valor Econômico)

Aneel aprova modelo computacional para ONS e CCEE
A Superintendência de Regulação da Aneel aprovou o uso da versão 31 do modelo computacional Decomp e da versão 9 do modelo computacional Gevazp, pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico e pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, para fins de planejamento e programação da operação eletroenergética do SIN e de formação do PLD, a partir de 1 de janeiro de 2022. (Canal Energia)

Com crescimento de 1,9 p.p, reservatórios do Norte operam com 47,6% da capacidade
Os reservatórios da região Norte apresentaram o maior crescimento dentre os submercados, com 1,9 ponto percentual na última terça-feira, 28 de dezembro, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), e estão operando com 47,6% de sua capacidade. A energia armazenada está em 7.217 MW mês e ENA é de 21.933 MW med, equivalente a 168% da média de longo termo armazenável no mês até o dia. A UHE Tucuruí segue com 47,33%. (Canal Energia)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 78,71/Barril -0,66%

CÂMBIO

R$ 5,69/USD +0,94%

Óleo & Gás

EUA: Estoques de petróleo recuam 3,576 milhões de barris na semana passada
Os estoques americanos de petróleo caíram em 3,576 milhões de barris na semana passada, para 419,995 milhões de unidades, de acordo com dados divulgados há pouco pelo Departamento de Energia dos EUA (DoE, na sigla em inglês). O valor foi um pouco maior do que a expectativa dos analistas consultados por “The Wall Street Journal”, de queda de 3,2 mil de barris no período. (Valor Econômico)

Preço da gasolina sobe 46% em 2021 e do etanol, 56%, aponta Ticket Log
Encarecimento dos combustíveis foi bem maior do que o IPCA-15, prévia da inflação oficial, que em dezembro acumulou alta de 10,42%% em 12 meses. Levantamento feito pela Ticket Log aponta que o preço da gasolina fechou 2021 com alta de 46,7% nos postos brasileiros. Em dezembro, porém, houve queda de 0,52%, refletindo redução nos preços de refinaria promovida pela Petrobras e pela Acelen. De acordo com os dados da Ticket Log, o preço do etanol hidratado subiu 56,5% nos postos em 2021, chegando em dezembro a uma média de R$ 5,779 por litro. (Valor Econômico)

Petróleo sobe após dados positivos de estoques nos EUA
Contrato do petróleo Brent para fevereiro fechou em alta de 0,36%, a US$ 79,23 por barril, enquanto o do WTI para o mesmo mês subiu 0,76%, a US$ 76,56 por barril. Os contratos futuros do petróleo fecharam em alta, com os dados de estoques nos EUA – que indicaram uma queda nas reservas de petróleo e gasolina na semana passada – compensando o nervosismo com a disseminação da variante ômicron da covid. (Valor Econômico)

Petrobras reajusta preços do diesel para distribuidoras em várias regiões do país
De acordo com a companhia, as ações visam aumentar eficiência das operações e competitividade. A Petrobras realizou esta semana ajustes pontuais nos preços de venda de diesel para as distribuidoras em algumas regiões. A partir de terça-feira, a estatal aplicou uma redução de R$ 0,010 por litro nos preços de diesel S10 e diesel S500 em Ribeirão Preto (SP), Uberaba (MG) e Uberlândia (MG). (Valor Econômico)

Petrobras conclui venda de 27 campos terrestres no Espírito Santo
Com a conclusão da operação, a empresa recebeu US$ 27 milhões, que se juntam aos US$ 11 milhões recebidos na assinatura do contrato. As operações foram vendidas para a Karavan SPE Cricaré, uma sociedade de propósito específico (SPE). A Karavan O&G Participações e Consultoria deterá 51% da SPE, enquanto a empresa Seacrest Capital Group Limited, que figura como “equity provider” (provedora de capital), deterá os 49% remanescentes. (Valor Econômico)

Bahiagás contrata novos supridores de gás natural
A partir do próximo ano, mais de 70% do energético adquirido pela Bahiagás será entregue por novos fornecedores.A partir de 1º de janeiro de 2022, a Companhia de Gás da Bahia – Bahiagás passa a receber gás natural de novos supridores. Os contratos com as empresas Shell, Galp e Equinor, vencedoras de chamada pública iniciada em junho já foram assinados e passam a vigorar a partir do início do ano. (epbr)

Santa Catarina também vai à Justiça contra Petrobras
O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (sem partido), anunciou nesta quarta (29) que o estado vai à Justiça contra o reajuste no preço do gás natural proposto pela Petrobras para as distribuidoras de gás a partir do próximo sábado (1/1).  (epbr)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quarta-Feira, 29 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

Reajuste de energia pode ficar em 9% com crédito de R$ bi a elétricas
Os consumidores terão de continuar a conviver com o aumento das contas de luz em 2022, mas o socorro financeiro bilionário ao setor elétrico estruturado pelo governo deve evitar um “tarifaço” no ano em que o presidente Jair Bolsonaro pretende disputar a reeleição. (Estadão)

Elétricas se preparam para o mercado livre
Com a possibilidade de um aumento expressivo de consumidores que querem migrar para o mercado livre de energia, empresas já se mobilizam para absorver essa demanda represada, oferecendo ferramentas que aceleram a comercialização, além de já se mobilizam para absorver essa demanda represada, oferecendo ferramentas que aceleram a comercialização, além de aprimorar o relacionamento com clientes. Pelas regras atuais, quase 70 mil unidades consumidoras de grande e médio porte já poderiam migrar, o que mostra uma demanda represada. (Valor Econômico)

Aneel abre discussão sobre indicadores DEC e FEC
A Agência Nacional de Energia Elétrica decidiu abrir discussão sobre o aperfeiçoamento da metodologia usada na definição dos limites de indicadores de qualidade do serviço de distribuição. A revisão dos critérios de apuração do DEC e do FEC, que medem a duração e a frequência das interrupções no fornecimento de energia elétrica, será avaliada a partir desta segunda-feira, 27 de dezembro, por meio de Tomada de Subsídios. (Canal Energia)

STF empurra para 2024 proibição de ICMS maior para energia e telecom
O plenário do Supremo Tribunal Federal decidiu por maioria que a proibição da aplicação de alíquota maior do ICMS sobre o fornecimento de energia elétrica e serviços de telecomunicações vai valer a partir do exercício financeiro de 2024. (Canal Energia)

Paes sobre leilão da Cedae: Tomara que ‘se matem e paguem fortuna de outorga variável’
O prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), foi questionado há pouco sobre expectativas para o leilão da segunda fase da concessão dos serviços públicos de saneamento da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae) amanhã na B3 (Bolsa de Valores), em São Paulo. “Tomara que se matem amanhã e paguem uma fortuna de outorga variável”, disse Paes. (Valor Econômico)

Copel avança com marketplace para GD usando blockchain
Em entrevista à Agência CanalEnergia o Engenheiro Eletricista e Gerente de P&D do projeto pela estatal paranaense, Frank Toshioka, disse que a ideia agora é avançar na cadeia de inovação com os resultados obtidos, a partir de evoluções na possibilidade de transação da parte energética com o canal de geração da empresa a partir da tecnologia de blockchain. (Canal Energia)

EDP conclui venda de transmissoras para Actis por R$ 1,32 bilhão
A EDP concluiu a operação de venda à Actis Assessoria de Investimentos LTDA, de 100% do capital de três dos empreendimentos de transmissão EDP Transmissão S.A, a EDP Maranhão I S.A. e a EDP Maranhão II S.A. Os ativos, que somam 439 quilômetros de extensão, têm valor estimado de R$ 1,32 bilhão. A operação foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica, Agência Nacional de Energia Elétrica, além do Banco do Nordeste do Brasil e debenturistas. (Canal Energia)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 79,04/Barril +0,13%

CÂMBIO

R$ 5,63/USD +0,02%

Óleo & Gás

Petróleo opera em alta diante da expectativa de que ômicron não afete demanda da commodity
Os preços dos contratos começam a se aproximar de seus níveis pré-descoberta da ômicron, no fim de novembro. À época, o contrato Brent era negociado a pouco mais de US$ 82 por barril. (Valor Econômico)

Petróleo fecha em alta e estende os fortes ganhos de segunda-feira
Contrato do petróleo Brent para fevereiro fechou em alta de 0,43%, a US$ 78,94 por barril na ICE, enquanto o do WTI para o mesmo mês subiu 0,54%, a US$ 75,98 por barril na Bolsa de Mercadorias de Nova York. (Valor Econômico)

Distribuidoras tentam “vantagem diferenciada” no mercado de gás, diz Petrobras; empresa vai recorrer contra liminares
Petrobras afirmou nesta terça (28) que vai recorrer contra as decisões liminares obtidas por estados e distribuidoras de gás natural. Com as ações, as empresas tentam reduzir reajustes que entram em vigor em 1º de janeiro de 2022. Segundo a Petrobras, são “movimentos junto ao plantão judiciário com ações em caráter de urgência, com pedido de liminar, para adquirir vantagem diferenciada das que foram obtidas nos processos regulares de chamadas públicas para aquisição de gás natural”. (epbr)

Petrobras sela acordos no mercado livre de gás
A Petrobras fechou ontem contrato com a petroquímica Unigel para fornecer gás no mercado livre, e suprir as fábricas de fertilizantes operadas pela empresa no Nordeste. Fruto das atualizações regulatórias dos últimos anos, o contrato é um dos maiores no mercado livre de gás natural brasileiro. (Valor Econômico)

Justiça proíbe aumento de 50% no preço do gás canalizado, industrial e GNV veicular no Rio de Janeiro
O Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) acaba de determinar em decisão liminar que a Petrobras não vai poder reajustar os preços em 50% do gás canalizado vendido pela Naturgy (antiga Ceg) a partir deste sábado, dia 1º de janeiro. Outros estados como Sergipe, Alagoas e Ceará também recorreram à Justiça para barrar a correção. (Valor Econômico)

Envio diário sobre estoques à ANP pode aumentar custos, apontam entidades
Entidades do setor de combustíveis apontaram que a obrigatoriedade do envio de dados diários de estoques à Agência Nacional do Petróleo (ANP) pode levar a um aumento de custos para as empresas do setor. Representantes das empresas criticam, principalmente, a proposta da agência que prevê o envio dos dados até as 12h do dia útil seguinte ao fechamento do estoque. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Petrobras (PETR4): Barata demais para ignorar, mas cuidado com os riscos políticos; veja o início de cobertura e nossa recomendação (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Terça-Feira, 28 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

Em SP, alerta sobre baixo nível dos reservatórios
Enquanto o volume de chuvas bate recordes na Bahia, especialistas alertam para uma perspectiva de chuvas abaixo da média com possíveis reflexos para os reservatórios de água que abastecem principalmente a população na região metropolitana de São Paulo. As regiões centro, Sudeste e Sul também devem sofrer os efeitos de uma temporada com menos chuvas. (Valor Econômico)

Justiça cobra compensações para linhão de Tucuruí
A Justiça Federal do Amazonas condicionou a continuidade do processo de licenciamento para a construção do linhão de Tucuruí ao acolhimento da proposta de compensação apresentada pelo povo indígena Kinja. A ação tramita na 1ª Vara Cível da Justiça Federal do Estado. Cabe recurso da decisão. (Valor Econômico)

Allonda planeja expansão em saneamento básico
A empresa de engenharia Allonda Ambiental, que recentemente conquistou sua primeira concessão de saneamento básico, planeja expandir sua presença no setor. Os alvos preferenciais são projetos regionais, que agrupam diversas cidades. Porém, neste momento há ao menos dois leilões municipais no radar: as concessões de Crato, no Ceará, e de São Simão, em Goiás. (Valor Econômico)

Chuvas põem barragens em risco na BA e MG, diz agência
A Defesa Civil Nacional avalia o risco de rompimento de barragens na Bahia e em Minas Gerais em função do grande volume de chuvas que atingiu a região nos últimos dias. Com a previsão de continuidade das precipitações de até 100 milímetros ainda esta semana, os órgãos responsáveis já consideram evacuar algumas áreas mais vulneráveis. (Valor Econômico)

Aegea e Águas do Brasil vão disputar leilão
O leilão da segunda fase da concessão de saneamento no Rio, marcado para amanhã na B3, será protagonizado pelas empresas que dominam o setor no país e têm negócios no Estado. O Valor apurou que Aegea e Águas do Brasil apresentaram ontem propostas para participar do leilão. Ganha quem oferecer a maior outorga a partir de lance mínimo fixado em R$ 1,16 bi. (Valor Econômico)

Projeto Novo Estado, da Engie, inicia operação comercial
A Engie informou que o Projeto Novo Estado (PNE), localizado nos estados do Pará e Tocantins, obteve autorização do Operador Nacional do Sistema para o início da operação comercial da Subestação Serra Pelada e seus reatores. (Canal Energia)

MME publica diretrizes do A-4 de 2022
O Ministério de Minas e Energia publicou portaria com as diretrizes e a sistemática do leilão de energia nova A-4 de 2022. O certame previsto para 27 de maio é destinado à contratação de energia de empreendimentos hidrelétricos, eólicos, solar fotovoltaicos e termelétricos a biomassa com início de suprimento em janeiro de 2026. (Canal Energia)

CCEE: Custo de Déficit para formação de preço para 2022 fica em R$ 7.643,82
A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica calculou o novo valor da função de Custo de Déficit para formação de preço em 2022. Conforme memória de cálculo disponibilizada no site da instituição, a variação do Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna, parâmetro para reajuste do patamar, foi de 17,16% nos últimos meses, elevando o valor para R$ 7.643,82. (Canal Energia)

Decreto que regulamenta novo empréstimo a distribuidora deve sair no começo de janeiro
O texto em discussão, que complementa a Medida Provisória 1.078/21 editada pelo governo no último dia 13, autoriza a criação e gestão da Conta Escassez-Hídrica pela CCEE para receber os recursos das operações estimadas a serem realizadas por volta de abril de 2022. (Agência Infra)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 78,99/Barril +0,50%

CÂMBIO

R$ 5,63/USD -0,42%

Óleo & Gás

Petróleo apaga perdas do dia e fecha em alta, apesar dos temores sobre a ômicron
Os contratos futuros do petróleo fecharam em alta, revertendo as perdas vistas nesta segunda-feira, em meio aos temores sobre a disseminação da variante ômicron do coronavírus. Contrato do Brent para fevereiro fechou em alta de 3,23%, a US$ 78,60 por barril, enquanto o do WTI para o mesmo mês subiu 3,39%, a US$ 75,57 por barril. (Valor Econômico)

Petróleo opera em queda ante cancelamentos de voos devido à ômicron
Com o impacto da variante ômicron chegando ao setor aéreo, a expectativa pela decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) na semana que vem cresce. (Valor Econômico)

Shell firma mais quatro contratos de fornecimento de gás
Segunda maior produtora de gás natural do país, brasileiro, dentro do processo de abertura do setor. Com os novos negócios, a multinacional assegura um destino imediato para os volumes que produz no pré-sal. Lista de novos clientes da multinacional se concentra no Nordeste e inclui a Unigel, distribuidoras como Bahiagás, além de térmicas. (Valor Econômico)

Petrobras vende concessão de bloco na Bacia Potiguar por US$ 750 mil
Do montante, US$ 150 mil foram pagos nesta segunda-feira e os demais US$ 600 mil serão pagos no fechamento da transação, sem considerar os ajustes da operação. (Valor Econômico)

“O resultado da chamada pública frustra a ideia do Novo Mercado de Gás”, diz presidente da ES Gás
A ES Gás declarou a Petrobras vencedora da chamada pública para o fornecimento de gás natural a partir de 1o de janeiro 2022 após ampla negociação de preço, que envolveu Abegás, Abrace e Cade. Depois de a Petrobras apresentar uma proposta que previa reajuste de até 300%, a distribuidora capixaba afirmou que conseguiu fechar contrato prevendo reajuste de 29%, que será repassado ao consumidor a partir de fevereiro. (epbr)

Gás Petrobras elege novo Diretor de Transformação Digital e Inovação
A Petrobras informou que seu Conselho de Administração, em reunião realizada na última quinta-feira, 23 de dezembro, aprovou a dispensa de Nicolás Simone e elegeu Juliano de Carvalho Dantas para o cargo de Diretor Executivo de Transformação Digital e Inovação, que tomará posse no dia 01 de janeiro de 2022. (Canal Energia)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Segunda-Feira, 27 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

Fontes de energia eólica e solar vão continuar a se expandir com força em 2022
As fontes de energia eólica e solar devem se manter como protagonistas da expansão da matriz elétrica brasileira em 2022. A expectativa é que juntas elas injetem mais da metade da energia prevista para entrar em operação no sistema, trazendo mais segurança ao sistema e afastando o risco de um possível racionamento e apagão. (Valor Econômico)

Eólica e solar vão manter ritmo de expansão
As fontes de energia eólica e solar devem se manter como protagonistas da expansão da matriz elétrica brasileira em 2022. A perspectiva é que juntas elas injetem mais da metade da energia prevista para entrar em operação no sistema, trazendo mais segurança e afastando o risco de um possível racionamento e apagão. (Valor Econômico)

CCEE aponta que consumo de energia no início de dezembro se mantém estável
A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica divulgou os dados preliminares do seu Boletim InfoMercado Quinzenal, onde aponta que o consumo de energia elétrica no Brasil na primeira quinzena de dezembro foi de 67.973 MW médios, recuo de 0,2% na comparação com o mesmo período do ano passado. (Canal Energia)

Ano inovador para energias renováveis, como energia solar residencial e energia eólica onshore em 2021
As instalações globais de energia renovável quebraram as tendências do setor em 2021, conforme a energia solar residencial ultrapassou as adições de capacidade comercial e industrial (C&I) pela primeira vez e as novas eólicas em terra diminuíram, mostra a pesquisa da Rystad Energy. (Rystad Energy)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 76,16/Barril +0,03%

CÂMBIO

R$ 5,66/USD -0,08%

Óleo & Gás

FT: Ativistas fecham o cerco e deixam grandes petrolíferas sob pressão
Durante décadas, ativistas ambientais fizeram piquetes nos prédios das empresas de petróleo e gás, bloqueios nas refinarias e se empenharam em interromper suas operações. Agora, o setor se depara com um novo tipo de ativismo: o dos próprios acionistas. Investidores consideram deficiente o planejamento feito para a transição energética e têm hoje como alvo ExxonMobil, Shell, Glencore e SSE. (Valor Econômico)

Combustíveis sustentáveis são o futuro da aviação?
Em 2019, a frota aérea mundial consumiu 360 bilhões de litros de combustíveis fósseis e lançou mais de 900 milhões de toneladas de emissões de carbono na atmosfera. Este ano, o impacto da covid-19 irá reduzir as emissões em 60%. Mas apesar de vivermos um momento de crise, ele também é de oportunidades. Sabemos que a longo prazo temos de reduzir a pegada de carbono da nossa indústria, em prol da nossa própria sobrevivência, bem como do bem-estar do planeta. (Valor Econômico)

Petrobras deve manter dividendo alto
O ano de 2021 marcou uma virada de página no processo de reestruturação financeira da Petrobras. Após pagar US$ 70 bilhões em dívida desde 2014, a empresa, enfim, abriu espaço para aumentar a remuneração aos acionistas e bateu recorde de distribuição de dividendos, neste ano. A expectativa, para 2022, é que os proventos cresçam mais e que a companhia entre também em um ciclo de aumento dos investimentos. (Valor Econômico)

Petrobras vende Carmópolis por US$ 1,1 bilhão
A Petrobras anunciou que fechou com a Carmo Energy, afiliada do grupo espanhol Cobra, a venda 11 campos de produção incluídos no Polo Carmópolis, em Sergipe. O negócio foi fechado em  US$ 1,1 bilhão, sendo US$ 275 milhões como sinal; US$ 550 milhões no fechamento da transação e US$ 275 milhões 12 meses após o fechamento. (epbr)

FPSO de Polvo na rota de Maromba
O grupo BW utilizará o FPSO de Polvo no projeto de desenvolvimento do campo de Maromba, na Bacia de Campos. Após 14 anos em operação no campo de Polvo, operado pela PetroRio, a unidade será levada para o Oriente Médio entre final do ano e inócio de 2022. (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Sexta-Feira, 24 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

Consumo de energia no país cai 0,2% na 1º quinzena de dezembro, na comparação anual
O consumo de energia elétrica no Brasil caiu 0,2% na primeira quinzena de dezembro, ante igual período do ano passado, segundo dados preliminares da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Ao todo, foram consumidos 67.973 megawatts médios (MWm) na primeira metade deste mês. (Valor Econômico)

Cemig conclui compra de participação na Sete Lagoas Transmissora de Energia, em operação de R$ 48 milhões
A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) informou nessa quinta-feira (23) que concluiu a aquisição de participação societária na Sete Lagoas Transmissora de Energia (SLTE). As participações eram detidas pela Cobra Serviços. (Valor Econômico)

MME define cronograma de leilões de energia para o triênio 2022 – 2024
O Ministério de Minas e Energia (MME) publicou nesta segunda-feira (20/12), duas portarias que definem os cronogramas de leilões para contratação de geração e concessão para transmissão de energia elétrica ao longo do triênio 2022 – 2024. (epbr)

Itaipu terá tarifa de repasse provisória de US$ 24,73
A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica estabeleceu tarifa de repasse provisória da potência contratada de Itaipu Binacional para 2022 no valor de US$24,73/kWh/mês. O resultado preliminar representa redução de 11,89%, com impacto médio também negativo na energia comercializada com as distribuidoras cotistas da usina de 1,28%. O valor atual é de US$28,07/kWh/mês. (Canal Energia)

Reservatórios do Nordeste contam com 46,4% de capacidade
Operando com 46,4% de sua capacidade de armazenamento, os reservatórios do Nordeste apresentaram um aumento de 0,2 ponto percentual na última quarta-feira, 22 de dezembro, se comparado ao dia anterior, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A energia armazenada marca 23.929 MW mês e ENA de 9.372 MW med, equivalente a 81% da MLT. A hidrelétrica de Sobradinho marca 45,48%. (Canal Energia)

ONS prevê recuo de 0,6% na carga em dezembro
De acordo com dados do Informe do Programa Mensal de Operação relativos ao período de 25 de dezembro, a carga no Sistema Interligado Nacional deve ter um recuo de 0,6%. No Sudeste/ Centro-Oeste, a expectativa é de queda de 1,7%, mas o maior tombo é do Nordeste, que cai 2,7%. A maior alta fica no Sul, onde a carga deve crescer 3,6%. Na região Norte, a alta deve ficar em 2,3%. (Canal Energia)

Governo comemora resultado do leilão, mas lida com impasse judicial junto a 7 usinas vencedoras
O primeiro leilão de reserva de capacidade disponibilizará 4,6 GW de potência para ser utilizada a partir de 2026, mediante necessidade do ONS. Um impasse junto a parte das usinas vencedoras, porém, pode demandar contratações entre as participantes do certame ou até mesmo a realização de um novo leilão (Agência Infra)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 76,00/Barril -1,11%

CÂMBIO

R$ 5,66/USD -0,08%

Óleo & Gás

Bolsonaro aprova modelo de ‘oferta permanente’ na licitação de campos de petróleo e gás
Os preços do petróleo fecharam em alta de mais de 1% nesta quinta-feira, avançando na faixa de US$ 70, em meio a relatos animadores sobre a eficácia de vacinas e tratamentos contra a covid-19 para combater a variante ômicron. (Valor Econômico)

Bolsonaro aprova modelo de ‘oferta permanente’ na licitação de campos de petróleo e gás
O presidente da Jair Bolsonaro (PL) aprovou resolução do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) que autoriza a adoção do modelo de “oferta permanente” na licitação de blocos exploratórios de óleo e gás em bacias terrestres ou marítimas, exceto as grandes reservas no polígono do pré-sal e em áreas estratégicas, sempre pelo regime de concessão. (Valor Econômico)

Setor de biocombustível dos EUA pede veto a incentivos a quem usa petróleo
Fabricantes de biocombustíveis dos Estados Unidos pediram que o Congresso americano exclua dos incentivos fiscais os combustíveis renováveis de aviação (SAF, na sigla em inglês) dos produtores que processam biomassa junto com derivados do petróleo, técnica conhecida como coprocessamento. (Valor Econômico)

Petrobras assina contrato para venda do Polo Carmópolis, em Sergipe, por US$ 1,1 bi
A Petrobras comunicou ao mercado nessa quinta-feira (23) que assinou contrato de venda de sua participação em 11 concessões do Polo Carmópolis, em Sergipe, por US$ 1,1 bilhão. Os ativos serão vendidos à Carmo Energy. (Valor Econômico)

Petrobras vai aumentar produção de Tupi, o maior campo de óleo e gás do país
A Petrobras apresentou à ANP nessa quarta (22/12) a revisão do Plano de Desenvolvimento Integrado da Jazida Compartilhada de Tupi (ex-Lula) e da Área de Iracema. Na revisão, o Consórcio de Tupi – formado por Petrobras (operadora, 67,216%), Shell (23,024%), Petrogal (9,209%) e PPSA (0,551%) – propõe novos investimentos para o aumento da produção. (epbr)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quinta-Feira, 23 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

CNPE atualiza cálculos de privatização da Eletrobras
O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) atualizou para R$ 67 bilhões o valor adicionado dos novos contratos de concessão de geração para 22 hidrelétricas da Eletrobras atingidas pela lei de privatização da empresa. Decisão foi divulgada após a reunião desta terça (21).Os contratos que a União pretende assinar para a privatização, tinham, a princípio, valor estimado pelo governo em R$ 62,47 bilhões. (epbr)

Racionamento, palavra maldita
Desde que o racionamento de energia de 2001 e 2002 teve forte impacto no resultado da eleição presidencial daquele período, a palavra foi banida do vocabulário dos governantes. De lá para cá, eventuais crises ganham nomes mais sofisticados e têm seus custos repassados aos pequenos consumidores com ainda menos transparência. (Valor Econômico)

Grandes consumidores criticam liminares das térmicas a óleo
Sete usinas a óleo participaram do leilão de reserva amparadas por liminares e com custos maiores. Usando palavras duras, o presidente da entidade, Paulo Pedrosa, disse que este ano foi complicado para o meio ambiente e para os consumidores. O executivo afirmou que as térmicas que participaram com liminar têm Custo Unitário (CVU) acima de R$ 2 mil por MWh, preço de empreendimentos que operaram durante a crise hídrica. (Valor Econômico)

Governo de São Paulo planeja instalar 80 usinas solares até 2023
Por meio de PPP, Estado quer aproveitar áreas públicas ociosas com potencial para geração distribuída. O governo do Estado de São Paulo pretende instalar cerca de 80 usinas de geração distribuída solar fotovoltaica com capacidade total de 250 megawatts (MW) até o fim de 2023. O objetivo é aproveitar imóveis e terrenos públicos ociosos do governo que tenham potencial para geração de energia elétrica. (Valor Econômico)

AES Brasil e Unipar fecham acordo para construção de projeto eólico no Rio Grande do Norte
A AES Brasil e a Unipar anunciaram nesta quarta-feira um acordo para a construção de um novo projeto de geração de energia eólica no Rio Grande do Norte. De acordo com as empresa, o empreendimento será desenvolvido no Complexo Eólico Cajuína e terá capacidade instalada de 91 megawatts (MW). (Valor Econômico)

Reservatórios do SE/CO tem crescimento de 0,2 p.p e operam com 23% da capacidade
Os reservatórios da região Sudeste/Centro-Oeste apresentaram crescimento em seus níveis de armazenamento, com 0,2 ponto percentual na última terça-feira, 21 de dezembro, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), e estão operando com 23% de sua capacidade. A energia armazenada está em 46.912 MW mês e ENA é de 49.789 MW med, equivalente a 76% da média de longo termo armazenável no mês até o dia. Furnas marca 26,65% e a usina de Nova Ponte marca 14,65%. (Canal Energia)

CCEE apresenta proposta sobre salvaguardas financeiras no MCP
A Câmara de Comercialização da Energia Elétrica finalizou uma nova nota técnica propondo a criação de uma Estrutura de Salvaguardas Financeiras com mecanismos de mitigação de perdas decorrentes da inadimplência no Mercado de Curto Prazo. A proposta está baseada na prática do monitoramento prudencial. instalada de 91 megawatts (MW). (Canal Energia)

Setor termina ano na expectativa de avanço na regulamentação de baterias
A votação do Projeto de Lei 1.917/15 em comissão especial da Câmara na última semana trouxe expectativas de avanço no uso das baterias, para os defensores de sua implantação no sistema elétrico brasileiro. (Agência Infra)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 75,39/Barril +0,13%

CÂMBIO

R$ 5,66/USD -1,24%

Óleo & Gás

EUA se tornarão maior exportador de GNL, em meio a crise energética
Exportações americanas devem superar as do Catar e da Austrália em 2022. Principal mercado é a Àsia, Brasil também está ampliando a compra de GNL dos EUA. Em um ano em que a China e outras grandes economias da Europa e da Ásia precisaram se esforçar para obter suprimentos para aquecimento e geração de energia, os Estados Unidos estavam sentados em uma pilha de gás. (Valor Econômico)

Unigel vai produzir hidrogênio verde no país a partir de 2023
Grupo já iniciou as negociações com fornecedores dos eletrolisadores, equipamento-chave no processo produtivo do “combustível do futuro”. A caminho de registrar em 2021 o melhor resultado em mais de 50 anos de história, a petroquímica Unigel está pavimentando a estrada para novo salto de crescimento nos próximos anos. (Valor Econômico)

Gás de xisto é estratégico para os EUA, mas poluente
Com o gás natural, extraído principalmente de campos de xisto, Biden faz uma manobra geopolítica, antiecológica e mira pressões domésticas. No debate em torno do tema nos EUA, ambientalistas resumem assim a polêmica: acusam o governo americano de exportar CO2. (Valor Econômico)

Petróleo fecha em alta firme, após dados de estoques dos EUA
Os contratos futuros do petróleo encerraram em alta o pregão desta quarta-feira, encontrando apoio nos dados que mostraram uma queda maior que o esperado nos estoques da commodity nos Estados Unidos. Com isso, o petróleo ampliou a forte recuperação engatada ontem, após a liquidação de dois dias em meio aos temores com a disseminação da variante ômicron do coronavírus. (Valor Econômico)

Óleo combustível e diesel devem perder espaço para gás natural e biomassa em 2022, prevê ONS
A participação das termelétricas a óleo combustível e diesel na matriz elétrica que abastece os sistemas isolados do país deve cair para 80,5% em 2022, contra os 94,6% previstos anteriormente, de acordo com o Plano Anual da Operação Eletroenergética dos Sistemas Isolados (Plano SISOL 2022), publicado nessa quarta-feira (22) pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). (Valor Econômico)

Petrobras apresenta plano para aumentar produção de Tupi, seu maior campo de exploração de gás e óleo
A Petrobras apresentou à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP) nessa quarta-feira (22) a revisão do plano de desenvolvimento (PD) integrado da jazida compartilhada de Tupi e Iracema, no pré-sal da Bacia de Santos. A proposta é de novos investimentos para aumentar a produção do ativo e, a longo prazo, maximizar a geração de valor do campo. (Valor Econômico)

Petrobras flexibiliza acordo com TAG para entrada de outros agentes em sistema de gás
A Petrobras assinou nesta quarta-feira um acordo com a Transportadora Associada de Gás (TAG) de redução de flexibilidade de uso e também aditivos aos contratos de transporte de gás natural na malha Nordeste, Gasene e Pilar-Ipojuca, refletindo a limitação de flexibilidade. (Valor Econômico)

MME e EPE apontam necessidade de expansão do refino até 2031
A previsão de importação de derivados de petróleo até 2031 vai exigir investimentos na ampliação de capacidade de refino no país ou na expansão e melhoria da infraestrutura logística do país. É o que aponta o novo caderno do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 (PDE 2031), sobre a oferta de derivados, publicado pelo Ministério de Minas e Energia (MME) e a Empresa de Pesquisa Energética (EPE). (epbr)

B10 foi meio-termo; Economia queria 6% de biodiesel na mistura obrigatória de 2022
Na redução da mistura obrigatória de biodiesel para 10% (B10), ao longo de todo o ano de 2022, o Ministério da Economia foi voto vencido: defendeu que o mandato fosse reduzido para 6%, com objetivo de conter o impacto da política de descarbonização nos preços finais do diesel. (epbr)

O preço do gás sobe, criando ‘crise nacional’ no Reino Unido, alertam as empresas de energia
Os preços “estratosféricos” do gás e da energia no atacado ameaçam uma “crise nacional” na Grã-Bretanha, alertam as empresas de energia, à medida que aumentam a pressão sobre os ministros do Reino Unido para proteger clientes e fornecedores da volatilidade nos mercados de commodities. (ft)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quarta-Feira, 22 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

Contratação de usinas fósseis afasta setor dos objetivos climáticos
A grande crítica foi o governo ter excluído da disputa fontes renováveis como eólica e solar, em expansão no Brasil. O leilão de reserva de capacidade para a contratação de energia e potência para 2026 e 2027 realizado ontem terá como resultado uma emissão anual de 1,6 milhão de toneladas de CO2 equivalente. O valor corresponde a 4% do total das emissões do setor elétrico em 2020. (Valor Econômico)

Equatorial Energia assina contrato de concessão com Companhia de Saneamento do Amapá
A Equatorial Energia comunicou ao mercado nessa terça-feira (21) que concluiu o processo para concessão de prestação de serviços de saneamento no Amapá. A Equatorial Participações III, controlada da companhia, venceu a licitação por meio do Consórcio Marco Zero. (Valor Econômico)

Governo contrata 4,6 GW de potência em leilão de reserva com deságio de 15%
Certame teve como objetivo garantir o fornecimento de energia elétrica ao SIN por meio da contratação de potência elétrica e de energia associada. O leilão de reserva de capacidade realizado nesta terça-feira contratou de 4,6 GW de potência, ao preço médio de R$ 824,5 mil por MW ano, deságio de 15,34% em relação ao preço máximo inicial, que era de R$ 974 mil por MW ano. (Valor Econômico)

Evipar, da família Vieira, vai investir em geração solar no próximo ano
Em parceria com a Solar Americas, grupo de aplicar 50 milhões de libras em fazendas solares de 100 MW para grandes consumidores. O grupo pernambucano Evipar, que reúne investimentos da família Vieira, aplicará recursos em produção de energia solar no próximo ano. A família será o principal investidor da primeira fase de um projeto da Solar Americas, empresa sede em Londres e fundada por brasileiros. (Valor Econômico)

Eneva negocia dois projetos termoelétricos no leilão da Aneel
A Eneva informou que conseguiu negociar os projetos termelétricos de Azulão (AM) e Parnaíba IV (MA) no leilão para a comercialização de reserva de capacidade realizado nessa terça-feira (21) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). As duas usinas somam uma capacidade de 334 megawatts (MW). (Valor Econômico)

Após termelétricas participarem de leilão do governo por liminar, Aneel vai questionar na Justiça
Das 17 usinas termelétricas contratadas no leilão de Reserva de Capacidade, que aconteceu nesta terça-feira (21), sete empreendimentos participaram do certame com custo de operação superior ao limite fixado na portaria de diretrizes do Ministério de Minas e Energia (MME) de R$ 600MWh. Do total, duas usinas a óleo diesel e cinco usinas a óleo combustíveis participaram do leilão por decisão judicial. (Valor Econômico)

UE vai destinar € 900 milhões para financiar hidrogênio verde pelo mundo
A Comissão Europeia aprovou nesta segunda (20) a liberação de € 900 milhões para financiar projetos de produção de hidrogênio verde (H2V) em países fora da União Europeia (UE).Os recursos fazem parte da estratégia da Alemanha para o hidrogênio, que prevê um total de investimentos de € 2 bi em parcerias internacionais com países onde o H2V pode ser produzido com menor custo, a exemplo do Brasil.  (epbr)

MME critica liminares em leilão e estima custo de R$ 22,6 bi para consumidor
O Ministério de Minas e Energia criticou em nota a presença de usinas a óleo e a diesel que participaram do leilão de potência e acabaram viabilizando contratos. De acordo com o MME, em 16 anos de leilão os agentes solicitaram algo inédito: que houvesse exigência de limite para o Custo Variável Unitário, em detrimento do interesse do consumidor e da política pública defendida. A consequência disso é que o custo para o consumidor poderá chegar a casa dos R$ 22,6 bilhões. (Canal Energia)

Equatorial vende térmica ao Vulcan Fundo de Investimento por R$ 85 mi
A Equatorial Energia celebrou o contrato de venda de toda sua participação societária na Gera Maranhão – Geradora de Energia do Maranhão S/A, para o Vulcan Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia, informa comunicado divulgado na noite da última segunda-feira, 20 de dezembro. Negócio envolvendo 25% do capital social da Gera Maranhão ainda depende de aprovação do Cade e dos próprios credores da empresa. (Canal Energia)

Eletrobras: CNPE define valor adicionado de R$ 67 bi para UHEs
O Conselho Nacional de Política Energética definiu nesta terça-feira, 21 de dezembro, o novo valor do benefício econômico dos novos contratos de concessão da Eletrobras, visando o processo de capitalização. O CNPE definiu em R$ 67 bilhões o valor adicionado pelos novos contratos de concessão para 22 hidrelétricas. (Canal Energia)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 74,19/Barril +0,28%

CÂMBIO

R$ 5,73/USD -0,07%

Óleo & Gás

EPE: Produção de petróleo deve saltar 53% em dez anos, mas Brasil manterá dependência de importações
Do lado da demanda por derivados, a EPE projeta um crescimento de 2,3% ao ano para o diesel e uma queda de 0,2% ao ano para a gasolina. A produção nacional de petróleo deve saltar 53,8% entre 2022 e 2031, de 3,36 milhões de barris/dia para 5,17 milhões de barris/dia, de acordo com estimativas da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). (Valor Econômico)

Rystad: volume de descobertas é o menor registrado nos últimos 75 anos
De acordo com relatório divulgado pela Rystad Energy na segunda-feira (20/12), o volume de descobertas petrolíferas em 2021 está se encaminhando para o menor patamar dos últimos 75 anos. Em relação ao ano anterior, a queda é de 62,4%. (Petróleo Hoje)

Petróleo fecha em alta de mais de 3% e barril do WTI volta à casa de US$ 70
As atenções seguem voltadas às condições globais de oferta e demanda da commodity e derivados. Os preços do petróleo fecharam em forte alta, de mais de 3%, devolvendo parte das perdas recentes, quando preocupações crescentes sobre o impacto da variante ômicron na demanda derrubaram o barril do tipo WTI, a referência americana, para abaixo de US$ 70. As atenções seguem voltadas às condições globais de oferta e demanda da commodity e derivados. (Valor Econômico)

A importância de um sistema de transporte de gás integrado
Há confronto entre dois modelos de desenvolvimento da indústria de gás no Brasil. Todos os países que possuem um grande mercado de gás liberalizado e competitivo têm em comum uma infraestrutura de transporte de gás integrada. Esta característica permite que todos os consumidores possam ter acesso a todas as fontes de suprimento de gás, independentemente da sua localização na rede de gás. (Valor Econômico)

Gás natural dispara 17% na Europa depois que Rússia reverte fluxo de gasoduto
Valor do TFF para janeiro subiu 17,5%, para 157,25 euros por megawatt-hora, maior já registrado. Os preços do gás natural na Europa dispararam nesta terça-feira, diante de informações de que a Rússia reverteu o fluxo de seu gasoduto Yamal que deveria levar o combustível para a Alemanha. Da Alemanha, o gás seguiria para os demais países europeus que precisam do gás para aquecer casas durante o inverno. (Valor Econômico)

Os preços da gasolina na Europa atingem novas altas à medida que piora a crise energética
O gás para entrega na Europa no mês que vem, que já estava sendo negociado em níveis recordes, saltou mais de 20 por cento na terça-feira, fechando a € 181 por megawatt-hora. Depois de quatro meses em que a diminuição da confiança no abastecimento russo já havia empurrado os preços do gás no atacado para os mais altos da história, o último aumento de preço ameaça aumentar ainda mais as contas de energia das famílias e da indústria em todo o continente e aumentar as pressões inflacionárias, assim como as temperaturas são projetadas derrubar. (ft)

Petrobras sozinha no Gasbol em 2022
A Petrobras contratou toda a capacidade de entrada e saída na Oferta de Produto Extraordinário para contratação de Capacidade Firme Anual no Regime de Entrada e Saída para 2022, realizada pela TBG. A empresa ofertou 19,7 milhões de m3/dia de capacidade de entrada e 17,7 milhões de m3/dia de capacidade de saída. (epbr)

Neoenergia negocia Termope em leilão e consumirá gás da Shell
A Neoenergia confirmou que negociou a energia da usina Termopernambuco (Termope) no primeiro Leilão de Reserva de Capacidade, realizado nessa terça-feira (21) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A empresa tem compromisso para comprar o gás natural da Shell Energy do Brasil a preços competitivos, segundo a geradora de energia. (Valor Econômico)

Leilão contrata óleo e diesel para suprir capacidade de energia
Realizado nesta terça (21), o primeiro leilão de reserva de capacidade de energia do país contratou 5,1 GW de potência, com predominância de térmicas a gás natural e combustível fóssil. A concorrência, aberta apenas a termelétricas, teve 17 usinas vencedoras para fornecimento de energia, sendo nove delas a gás natural. (epbr)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Terça-Feira, 21 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

BNDES adia audiência pública da Eletrobras para 2022
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) adiou a Audiência Pública referente ao processo de desestatização da Eletrobras, passando do dia 22 de dezembro para 5 de janeiro de 2022.  (Canal Energia)

Ao virar fornecedor de energia, consumidor é empoderado
Um dos vetores da maior digitalização e eficiência do setor elétrico poderá ser a sofisticação do sistema com o avanço da geração distribuída, mas esse processo também traz desafios. “Há uma complexidade maior da matriz, mais intermitência, há a figura do prosumidor, ou seja, não se tem apenas preocupação com consumo, mas com venda de excedente, então o dado se torna muito mais importante”, diz Sergio Jacobsen, vice-presidente da Siemens Energy. (Valor Econômico)

Ganho potencial
A crise hídrica, a migração crescente de consumidores para o mercado livre, as questões climáticas e os custos elevados da energia elétrica têm aumentado a procura por soluções de eficiência energética, mas o potencial ainda é muito grande diante de um desperdício considerável. Na transição energética, o setor elétrico deverá ser ancorado em três pilares: digitalização, descentralização e descarbonização. (Valor Econômico)

Troca de equipamentos antigos pode movimentar R$ 30 bilhões
No parque nacional de transmissão, há grandes oportunidades de maior digitalização e eficiência em subestações e linhas pelas quais escoam a eletricidade consumida nas regiões Sudeste e Sul, o que poderá criar um nicho de mais de R$ 30 bilhões em investimentos. (Valor Econômico)

Transmissoras reforçam oportunidade após vitória em leilão
As vencedoras do Leilão de LTs avaliaram os seus êxitos na disputa e revelaram estratégias. A vitória no lote 5 do leilão de transmissão realizado na última sexta-feira, 17 de dezembro, faz parte da estratégia de diversificação da Energisa na área de transmissão, chegando ao estado do Amapá. Para a Taesa, que levou o lote 1, a vitória consolida o posicionamento da transmissora como uma das maiores do Brasil. (Canal Energia)

Plano de Negócio da Eletrobras prevê investimentos de R$ 49,3 bilhões até 2026
A Eletrobras aprovou em reunião do seu conselho realizada na última sexta-feira, 17 de dezembro, o seu Plano Diretor de Negócios e Gestão 2022-2026. O PDNG contempla investimentos totais de R$ 48,3 bilhões e a transmissão assume um papel de destaque, uma vez que vai ser o destino de R$ 19,9 bilhões, o maior por área e superando o da geração, área de atuação mais conhecida da estatal. (Canal Energia)

Inflação eleva margens para renováveis em 2022
A inflação da energia elevou as margens das renováveis a níveis historicamente altos e aumentaram as perspectivas de um crescimento mais rápido do aumento de capacidade em 2022, diz o S&P Global Platts Analytics Energy Outlook 2022(epbr)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 72,08/Barril +0,78%

CÂMBIO

R$ 5,74/USD +1,02%

Óleo & Gás

ANP recomenda ao Cade vetar a aquisição da Gaspetro pela Compass
A Agência Nacional de Petróleo (ANP) recomendou que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) vete a aquisição da Gaspetro pela Compass e que a Petrobras abra um novo processo de oferta de seu braço de distribuição de gás natural. Em nota técnica enviada ao órgão antitruste, a ANP sugere que a petroleira permita que os interessados apresentem ofertas em separado por cada uma das concessionárias estaduais que compõem a Gaspetro. (Valor Econômico)

ANP se aproxima do fim do ano com quatro de cinco diretorias indefinidas
Nem sequer a relação de novos diretores substitutos é conhecida. A lista tríplice foi definida há meses, mas ainda depende de uma decisão de Jair Bolsonaro, que se filiou ao PL e entrou de vez nas articulações mirando o rateio dos palanques eleitorais para 2022. (epbr)

Recuo do etanol na entressafra alivia os preços de combustíveis nos postos
O consumidor começou a sentir algum alívio nos preços de combustíveis nas últimas semanas, em boa medida por causa da redução dos preços do etanol hidratado (que abastece diretamente os tanques) e também do efeito do etanol anidro no preço da gasolina – antes, inclusive, de a Petrobras reduzir a gasolina A (pura) nas refinarias. (Valor Econômico)

Mais de 50% das distribuidoras ainda têm que comprovar metas do RenovaBio
Setenta e cinco distribuidoras de combustível ainda não provaram ter alcançado as metas de compra de Créditos de Descarbonização (CBios) que são obrigadas a cumprir neste ano, conforme regra do programa RenovaBio. Elas representam 52% das empresas do setor. (Valor Econômico)

Comissão Europeia facilita entrada de gases de baixo carbono no mercado de energia 
A Comissão da União Europeia apresentou esta semana novas regras para facilitar o acesso de gases renováveis e com baixo teor de carbono à rede de gás existente, eliminando as tarifas das conexões transfronteiriças e reduzindo as tarifas nos pontos de injeção. Europa aposta em hidrogênio e biometano para descarbonizar energia e reduzir dependência do gás natural. (epbr)

Enauta fecha acordo com Yinson para converter FPSO OSX-2 para Atlanta
A Enauta assinou uma carta de intenções com a Yinson Holdings Berhad para engenharia de detalhamento e compromissos de long lead items para o FPSO OSX- 2. A Enauta tem uma opção de compra exclusiva da unidade, que deverá integrar o sistema definitivo do campo de Atlanta, no pós-sal da Bacia de Santos. A Enauta tem 100% de participação na área. (epbr)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Segunda-Feira, 20 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

Plano de negócios da Eletrobras mostra maior foco em transmissão
A Eletrobras divulgou na sexta-feira o plano diretor de negócios e gestão aprovado pelo conselho de administração para 2022 a 2026, com previsão de investimentos de R$ 48,3 bilhões. O documento aponta que a companhia quer ganhar espaço principalmente no segmento de transmissão depois da privatização, prevista pelo governo para ocorrer em 2022. (Valor Econômico)

Guedes reitera otimismo com privatização da Eletrobras e diz que falou com ministros do TCU
A privatização da Eletrobras está encaminhada, disse o ministro da Economia, Paulo Guedes, em balanço de fim de ano. Sua equipe está otimista em relação ao processo, disse. A venda da estatal está em análise no Tribunal de Contas da União (TCU). (Valor Econômico)

Leilão de LTs termina com deságio de 50% e disputa em todos os lotes
Taesa, Sterlite Brazil, Rialma, Neonergia e Energisa foram as vencedoras do Leilão de Transmissão realizado nesta sexta-feira, 17 de dezembro. O certame teve competição em todos lotes, sendo que em três deles -1, 2 e 4 – o pregão foi para o viva-voz. O deságio médio ficou em 50%, representando uma economia de R$ 5 bilhões para o consumidor ou 3% na tarifa, de acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica. Os investimentos somados chegam a R$ 2,9 bilhões. (Canal Energia)

Leilão de transmissão de energia atinge R$ 2,9 bilhões em investimentos
Como previsto, o segundo leilão de transmissão promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na sede da B3, em São Paulo, teve ampla concorrência e um deságio médio de 50% nos lotes leiloados. Os projetos alcançaram R$ 2,9 bilhões previstos em investimentos em obras nos estados do Amapá, Bahia, Minas Gerais, Paraná e São Paulo, ampliando a conexão do Sistema Interligado Nacional (SIN). (Valor Econômico)

Matriz renovável ajuda a cortar emissões
Com uma matriz predominantemente renovável, com destaque para grandes hidrelétricas com reservatório (17 GW instalados, uma vez e meia a usina hidrelétrica de Itaipu) e a ascensão forte e rápida da energia solar, Minas Gerais está na corrida pela redução de emissão de gases efeito-estufa. MG é o quinto maior emissor de gases de efeito-estufa do Brasil. (Valor Econômico)

Estado atrai projetos de geração solar com isenção tributária
Governo sancionou lei que amplia a redução do ICMS sobre equipamentos para geração distribuída. De uma participação ínfima em 2012, a energia solar chegou a um marco no país em novembro desse ano: 11,6 GW instalados, sendo 63% desse total, ou 7,3 GW, em projetos de geração distribuída. Minas Gerais é líder em geração distribuída, com 1,3 GW instalados, ou 20% do total erguido no país, de acordo com dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar). (Valor Econômico)

Leilão Aneel: Taesa, Sterlite Brazil, Rialma, Neoenergia e Energisa vencem disputas pelos lotes
Juntos, os cinco lotes de projetos vão injetar 902 quilômetros de linhas de transmissão ao Sistema Interligado Nacional (SIN), além de subestações com capacidade de transformação de 750 Megavolt-ampere (MVA). (Valor Econômico)

SE/CO deve fechar o ano com 22,6% da capacidade
O nível dos reservatórios do subsistema Sudeste/Centro-Oeste deve fechar o ano em 22,6% da capacidade, segundo a segunda revisão do Programa Mensal de Operação do Operador Nacional do Sistema Elétrico. Os maiores níveis ficarão no Norte e Nordeste, com 48,7% e 47,1%, respectivamente. (Canal Energia)

CMSE aprova curvas de armazenamento para 2022
O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico aprovou as curvas de referência de armazenamento do Sistema Interligado para 2022. Para o SIN e para o subsistema Sudeste/Centro-Oeste foram utilizadas três curvas, com valor de armazenamento mínimo de 21,3% e de 20%, respectivamente, no final de novembro. (Canal Energia)

Cemig assina convênio de R$ 112 milhões para implantar iluminação de LED em MG
A Cemig assinou um convênio com o governo de Minas Gerais para substituir em 2022 mais de 100 mil pontos de luz ineficientes por iluminação de LED em mais de 600 municípios do Estado. O projeto vai demandar investimento de R$ 112 milhões, com previsão de ser concluído no ano que vem. (Valor Econômico)

Geração a carvão deve aumentar 9% em 2021, aponta relatório da Agência Internacional de Energia
Fonte de energia deve atingir recorde histórico no mesmo ano em que as nações concordaram em retirá-la gradualmente. (Valor Econômico)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 71,11/Barril -3,28%

CÂMBIO

R$ 5,68/USD +0,10%

Óleo & Gás

Petróleo fecha semana em queda, com maior apreensão por aperto monetário
Os preços dos contratos para fevereiro do Brent terminaram a sexta (17) em queda de 1,99%, enquanto os preços dos contratos para janeiro do WTI caíram 2,11%; na semana, o Brent perdeu 2,17% e o WTI caiu 1,13%. (Valor Econômico)

Em oito anos, pré-sal já rendeu R$ 118 bi à União
O leilão dos volumes excedentes da cessão onerosa de Sépia e Atapu, realizado pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) na sexta-feira, marcou o fim dos grandes leilões do pré-sal. Levantamento do Valor mostra que, passados oito anos após a licitação da área de Libra (hoje Mero), a primeira rodada sob o regime de partilha do país, 15 empresas diferentes pagaram R$ 117,9 bilhões à União para se posicionarem no pré-sal brasileiro. (Valor Econômico)

Último leilão do pré-sal oferta excedente de Sépia e Atapu
Esse pode ser o último leilão no modelo convencional; o governo decidiu, recentemente, adotar a oferta permanente como solução para contratação de áreas de exploração e produção de petróleo e gás. Sépia e Atapu produziram 43 mil barris e 157 mil barris por dia de petróleo, respectivamente, em novembro. Todos os campos da cessão onerosa juntos – Búzios, Atapu, Sul de Tupi e Sépia – superaram pela primeira a marca de 1 milhão de boe/dia. Somente Búzios produz 740 mil boe/dia. (epbr)

Análise: Leilão de Sépia e Atapu mostra forte interesse no pré-sal, mesmo com transição energética
O leilão dos volumes excedentes da cessão onerosa de Sépia e Atapu se tornou o terceiro maior da história da indústria de óleo e gás do Brasil, em arrecadação de bônus de assinatura. A licitação levantou R$ 11,1 bilhões, atrás apenas da 1ª rodada dos excedentes, em 2019 (R$ 69,9 bilhões) e o leilão de partilha de Libra, de 2013 (R$ 15 bilhões) e mostrou que, mesmo diante dos esforços crescentes das petroleiras em descarbonizar seus negócios, o pré-sal brasileiro continua a atrair o olhar das multinacionais no processo de transição energética. (Valor Econômico)

Grandes petrolíferas sob pressão enquanto ativistas circulam
Durante décadas, os ativistas fizeram piquetes em escritórios de petróleo e gás, bloquearam refinarias e interromperam as operações. Agora o setor de energia enfrenta um novo tipo de ativismo: de seus próprios acionistas. Os investidores variam em perfil e objetivos, mas todos vincularam suas campanhas ao que dizem ser o fracasso da administração em planejar adequadamente a transição energética. (ft)

Gás natural recua na Europa nesta sexta, mas se mantém em patamares recordes
Mesmo com a queda de hoje, os preço acumulam alta de 50% em um mês e de 600% em um ano. Os preços do gás natural fecharam pressionados nesta sexta-feira (17) na Europa, saindo dos níveis extraordinariamente elevados dos últimos dias, mas ainda em níveis recordes. (Valor Econômico)

Briga por verba de petróleo pode crescer
O Brasil não é a Nigéria, onde a geração de riqueza do petróleo suscita uma intrincada trama de conflitos federativos que opõem etnias e regiões do país. Mas, conforme a produção brasileira sobe, com a exploração dos campos do pré-sal, a tendência é que disputas pela distribuição de recursos entre entes da federação aumentem, com crescente risco para a estabilidade institucional. (Valor Econômico)

Preço da gasolina nos postos cai pela segunda semana
De acordo com a ANP, o litro da gasolina foi vendido esta semana pelo preço médio de R$ 6,679, queda de 0,43% em relação ao verificado na semana anterior. O movimento acompanha tanto a queda na cotação do etanol hidratado quanto o corte promovido pela Petrobras em suas refinarias. (Valor Econômico)

Shell: Com aquisição na cessão onerosa, empresa aumenta posição em águas profundas no Brasil
A petroleira anglo-holandesa tem 25% de participação no consórcio que levou a área de Atapu, formado também pela Petrobras, a operadora com 52,5% de participação, e pela TotalEnergies, com 22,5%. (Valor Econômico)

Enauta anuncia perfuração de novo poço no Campo de Atlanta
Enauta anunciou nesta sexta-feira que aprovou a perfuração de um poço adicional no Campo de Atlanta, localizado na Bacia de Santos (RJ). A previsão é que, ao entrar em operação no início de 2023, aumente significativamente a produção que será adicionada ao sistema de bombeio dos poços. A empresa afirma que o valor estimado do novo poço é de US$ 75 milhões. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Sexta-Feira, 17 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

Leilão para novos linhões de energia atrai investidores
O leilão de linhas de transmissão de energia, segundo de 2021, que será realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) hoje na sede da B3, deve atrair investidores, ter bastante concorrência e forte deságio, além da expectativa de investimento de R$ 2,9 bilhões. (Valor Econômico)

Eneva diz que manterá alavancagem
A aquisição da Focus Energia não comprometerá a alavancagem financeira da Eneva, afirmou ontem o diretor financeiro da companhia, Marcelo Habibe. A expectativa da empresa é que, mesmo após concluir a transação e terminar os investimentos na construção do projeto de energia solar Futura 1 (670 megawatts), na Bahia, o indicador se mantenha próximo dos patamares atuais. (Valor Econômico)

Estados conseguem maioria no STF para adiar redução do ICMS de luz e telefone
O Supremo Tribunal Federal (STF) já tem maioria para restringir a decisão que reduziu o ICMS das contas de luz, telefone e internet, o que prejudica o contribuinte. Os ministros estão prestes a bater o martelo sobre um novo modelo de modulação de efeitos – quando há definição de data futura para que uma decisão da Corte entre em vigor. (Valor Econômico)

Câmara aprova marco legal da geração própria de energia
A Câmara dos Deputados aprovou nessa quinta-feira (16), em votação simbólica, o projeto do marco legal da geração própria de energia. A proposta visa dar mais segurança jurídica e previsibilidade as unidades consumidoras da Microgeração e Minigeração Distribuída (MMGD), com ampliação de oportunidades de acesso ao segmento. (Valor Econômico)

O que falta para eólica offshore participar dos leilões de energia no Brasil
“Uma coisa é permitir que eólicas offshore participem do leilão. Isso é fácil. Mas, aparentemente, não é suficiente”, assim Juliana Melcop, sócia da área de Energia do Souto Correa Advogados, resume a expectativa do governo de ter projetos do tipo participando já dos próximos certames. Em novembro, o ministro de Minas e Energia, anunciou que o governo federal pretende lançar um decreto ainda em dezembro regulamentando a contratação de áreas offshore para instalação de parques eólicos. (epbr)

Engie Brasil e Neoenergia mantém-se no Índice de Sustentabilidade da B3
As ações da Engie Brasil Energia e da Neoenergia foram incluídas na carteira do Índice de Sustentabilidade (ISE) da B3 para o ano de 2022. Considerado uma das mais importantes métricas empresariais do Brasil e a quarto do mundo, o ISE apoia os investidores na tomada de decisão de investimento e induz as empresas a adotarem as melhores práticas ESG. A nova carteira terá vigência de janeiro a dezembro de 2022. (Canal Energia)

Reservatórios do Nordeste contam com 43,2% de capacidade
“Uma coisa é permitir que eólicas offshore participem do leilão. Isso é fácil. Mas, aparentemente, não é suficiente”, assim Juliana Melcop, sócia da área de Energia do Souto Correa Advogados, resume a expectativa do governo de ter projetos do tipo participando já dos próximos certames. Em novembro, o ministro de Minas e Energia, anunciou que o governo federal pretende lançar um decreto ainda em dezembro regulamentando a contratação de áreas offshore para instalação de parques eólicos. (Canal Energia)

Reservatórios do SE/CO seguem em crescimento e operam com 20,9% da capacidade
Os reservatórios da região Sudeste/Centro-Oeste apresentaram crescimento em seus níveis de armazenamento, com 0,1 ponto percentual na última terça-feira, 14 de dezembro, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), e estão operando com 20,9% de sua capacidade. A energia armazenada está em 42.597 MW mês e ENA é de 35.334 MW med, equivalente a 68% da média de longo termo armazenável no mês até o dia. Furnas marca 23,2% e a usina de Nova Ponte marca 13,79%. (Canal Energia)

BNEF: Pandemia fez investimentos verdes caírem em mercados emergentes
Apesar de um ano recorde para investimentos na transição energética em 2020, investidores alocaram US$ 67 bilhões a menos para energia limpa em mercados emergentes do que em países mais ricos, conforme revela um novo estudo da BloombergNEF (BNEF). Os dados sugerem que os investidores se retiraram às pressas dos mercados menos desenvolvidos para se concentrarem nos países mais ricos, à medida que a pandemia se alastrou. (Canal Energia)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 73,87/Barril -1,53%

CÂMBIO

R$ 5,67/USD -0,51%

Óleo & Gás

Novonor e Petrobras chegam a acordo sobre venda da Braskem
Duas semanas depois de a Novonor, antiga Odebrecht, confirmar que planeja vender as ações que detém na Braskem em bolsa, a Petrobras, segunda maior acionista da petroquímica, tornou público o plano de acompanhar a sócia na operação. Com ofertas em bolsa, sócias levantariam R$ 32 bi ao preço atual da ação. (Valor Econômico)

Petrobras aprova venda de participação na Braskem via oferta pública de ações 
A Petrobras informou nesta quinta-feira (16) que seu Conselho de Administração aprovou o modelo para vender “até 100% das ações preferenciais” que a petroleira detém na Braskem. “Esta operação está alinhada à gestão do portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, visando à maximização de valor e maior retorno à sociedade”, declarou a empresa.(epbr)

Deputados do Rio de Janeiro criam nova taxa para setor de petróleo e gás
Empresas do Rio de Janeiro voltaram a ser assombradas pela Taxa de Fiscalização da Exploração e Produção de Petróleo e Gás (TFPG). Essa cobrança havia sido instituída no Estado em 2016. No ano passado, em abril, no entanto, foi declarada inconstitucional pelo STF. Só que agora, nesta semana, a Assembleia Legislativa resolveu recriar a mesma taxa. E enviou o texto ontem para sanção do governador. (Valor Econômico)

Petróleo é commodity com maior impacto sobre inflação, estima BC
Um aumento temporário de um ponto percentual na taxa Selic, com duração de quatro trimestres, gera um efeito máximo de redução na inflação, medida pelo IPCA, acumulada em quatro trimestres de aproximadamente 0,33 ponto percentual, alcançado no sexto trimestre após o choque inicial. (Valor Econômico)

Óleo e gás: ANP abre 3º ciclo da oferta permanente para 2022
A Agência Nacional de Petróleo (ANP) marcou para abril a próxima sessão de apresentação de propostas da “oferta permanente” – mecanismo de licitação sob demanda, no qual o órgão regulador oferece ao mercado um cardápio de ativos que ficam permanentemente disponíveis para que as petroleiras manifestem interesse a qualquer momento. (Valor Econômico)

Eneva ganha mais exposição ao mercado livre de energia com a compra da Focus
Atualmente, 91% da garantia física da Eneva, de 2,3 gigawatts médios (GWm), está contratada no ambiente regulado; já a garantia física da carteira da Focus está 100% contratada no ambiente livre. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quinta-Feira, 16 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

ONS descarta racionamento e apagão em 2022
O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) afastou as chances de racionamento de energia e de um apagão em 2022, dentro do atual cenário hidrológico do país, disse ontem o diretor-geral da entidade, Luiz Carlos Ciocchi. Segundo ele, com a melhora do regime de chuvas a expectativa é que o despacho termelétrico caia em dezembro, embora ainda se mantenha em patamares elevados. (Valor Econômico)

TCU adia decisão sobre privatização da Eletrobras
Tribunal retomará discussão em 2022 e pode frustrar  planos do executivo de concluir desestatização até maio. O governo apresentou informações incompletas e gerou dúvidas sobre as motivações e cálculos submetidos para análise do tribunal, segundo o relator. (epbr)

Geradoras enviam carta de apoio às garantias físicas da Eletrobras em capitalização
As empresas de EDP Brasil, Enel Brasil, Neoenergia e Light enviaram na última sexta feira uma carta ao Ministério de Minas e Energia, à EPE (Empresa de Pesquisa Energética) e ao TCU afirmando que apoiam as garantias físicas das hidrelétricas da Eeletrobras dentro do processo de capitalização. (Agência Infra)

Reservatórios do SE/CO seguem em crescimento e operam com 20,9% da capacidade
Os reservatórios da região Sudeste/Centro-Oeste apresentaram crescimento em seus níveis de armazenamento, com 0,1 ponto percentual na última terça-feira, 14 de dezembro, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), e estão operando com 20,9% de sua capacidade. A energia armazenada está em 42.597 MW mês e ENA é de 35.334 MW med, equivalente a 68% da média de longo termo armazenável no mês até o dia. Furnas marca 23,2% e a usina de Nova Ponte marca 13,79%. (Canal Energia)

Senado aprova marco da geração própria de energia, que volta à Câmara
O Senado aprovou nesta quarta-feira, com alterações, o projeto do marco legal da geração própria de energia. A proposta visa dar mais segurança jurídica e previsibilidade às unidades consumidoras da Microgeração e Minigeração Distribuída (MMGD), com ampliação de oportunidades de acesso ao segmento. (Valor Econômico)

White Martins e Rio Grande do Sul assinam acordo para produção de hidrogênio verde
A White Martins assinou um Memorando de Entendimento (MoU) com o governo do Rio Grande do Sul para viabilizar a produção de hidrogênio verde no Estado. O acordo, firmado nessa terça-feira (14), está ainda em fase preliminar e prevê um estudo do governo gaúcho sobre a viabilidade do uso do energético na região. (Valor Econômico)

Custo do hidrogênio verde precisa cair a US$ 3/kg para ser competitivo, diz diretor da Prumo
Para Mauro Andrade, diretor executivo de Desenvolvimento de Negócios da Prumo, o hidrogênio verde (H2V) só será competitivo quando seu custo estiver entre US$ 3 e US$ 4 o quilo. Hoje, esse preço está em média de US$ 6, chegando a quase US$ 9 em algumas regiões do mundo, segundo levantamento da PWC.  (epbr)

Eneva compra Focus Energia
A Eneva anunciou nesta quarta-feira, 15 de dezembro, uma combinação de negócios com a Focus Energia. O investimento é de R$ 960 milhões e permitirá à companhia diversificar fontes de energia e modelos de negócio, em linha com sua estratégia de crescimento para liderar uma transição energética justa e inclusiva, com energia mais limpa, econômica e eficiente. A Focus Energia atua em três linhas de negócio: Comercialização de Energia Elétrica, Geração e Geração Distribuída. No ano passado, a Eneva já  havia tentado comprar a AES Brasil. (Canal Energia)

Alupar vê próximos leilões com mais cautela
Na avaliação da empresa, que realizou nessa quarta-feira, 15 de dezembro, um evento para analistas e investidores, os retornos financeiros nos últimos anos foram negativos e o setor de construção passa por um momento nebuloso com o aumento no custo das matérias-primas para implementação dos projetos. (Canal Energia)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 74,68/Barril +1,10%

CÂMBIO

R$ 5,70/USD +0,25%

Óleo & Gás

ANP realiza último leilão convencional de petróleo
A Agência Nacional do Petróleo (ANP) realiza, amanhã, a licitação dos volumes excedentes da cessão onerosa de Sépia e Atapu, no pré-sal da Bacia de Santos. Ao todo, onze empresas estão aptas a participar da rodada, que envolve um potencial de arrecadação de R$ 11,1 bilhões, em bônus de assinatura, e deve marcar o fim do ciclo de grandes leilões de petróleo no país. (Valor Econômico)

Expectativa com a volta do leilão de Sépia e Atapu
Dois anos após os fiascos da 6ª rodada e do leilão do excedente, governo volta a licitar as duas áreas com aposta de venda dos ativos. (Petróleo Hoje)

Petrobras ainda domina gás natural no Centro-Sul
A Petrobras vai se manter como única fornecedora de gás natural para as distribuidoras do Centro-Sul. Apenas a estatal conseguiu apresentar condições de suprimento viáveis, na reta final da chamada pública conjunta aberta pelas distribuidoras MSGás (MS), Gas Brasiliano (SP), Compagas (PR), SCGás (SC) e Sulgás (RS), para contratação de gás para a partir de janeiro 2022. (Valor Econômico)

Petróleo fecha em alta, com temor sobre ômicron e aperto monetário do Fed
O petróleo passou a maior parte da sessão desta quarta-feira em terreno negativo, mas encerrou em alta. O dia também foi marcado pelo dado de estoque de gasolina nos EUA, bastante abaixo do projetado por economistas. Os preços dos contratos para fevereiro do Brent terminaram o dia em alta de 0,24%, a US$ 73,88 por barril, enquanto os preços dos contratos para janeiro do WTI subiram 0,20%, a US$ 70,87 por barril. (Valor Econômico)

Estoques semanais de petróleo dos EUA diminuem em 4,6 milhões de barris
Os estoques americanos de petróleo caíram em 4,6 milhões de barris na semana encerrada no dia 10 de dezembro, para 428,3 milhões de barris, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos (DoE, na sigla em inglês). A queda superou a expectativa de alguns analistas, que previam um recuo menor, da ordem de 2 milhões de barris. (Valor Econômico)

Petrobras coroa ciclo de reestruturação com dividendo recorde, mas desafios permanecem
A Petrobras finalizou nesta quarta-feira um ciclo histórico ao pagar R$ 42,4 bilhões em dividendos e juros sobre capital próprio (JCP), movimento que coroa o processo de reestruturação que a empresa vem realizando desde 2017 e que foi impulsionado pela alta nos preços do petróleo no último ano. (Valor Econômico)

Acelen não acompanhará redução do preço da gasolina da Petrobras, num primeiro momento
A Acelen, empresa criada pelo fundo Mubadala para gestão da Refinaria Mataripe (ex-Landulpho Alves – Rlam), na Bahia, preferiu não acompanhar, num primeiro momento, o movimento da Petrobras, de reduzir em 3,1%, na média, o preço da gasolina nas refinarias a partir de ontem. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quarta-Feira, 15 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

TCU vê falhas e venda da Eletrobras pode atrasar
O ministro Aroldo Cedraz, do Tribunal de Contas da União (TCU), deve propor hoje uma nova rodada de ajustes na privatização da Eletrobras antes de autorizar o prosseguimento do processo. Se a sugestão sair vencedora do plenário, o cronograma do governo para a desestatização da companhia será comprometido. (Valor Econômico)

Impacto sobre energia elétrica depende de regulação
O impacto do 5G no setor elétrico deve ser gradual ao longo dessa década. Com a maior capacidade de transmissão de dados, as empresas ganharão mais informações que poderão contribuir para negócios futuros. Hoje a banda não é um limitador para o setor, mas questões regulatórias ainda trazem obstáculos para a agenda de modernização. (Valor Econômico)

Encargo pode disparar e puxar alta da energia
A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) indicou ontem que um dos principais encargos da conta de luz, representado pela Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), poderá aumentar em 47% em 2022. Isso ocorre porque o déficit no orçamento da conta para o ano que vem pode atingir R$ 28,791 bilhões. O saldo negativo deste ano, já considerado alto, ficou em R$ 19,574 bilhões. A CDE é usada em programas de desenvolvimento do setor energético. (Valor Econômico)

Tarifas de Angra 1 e 2 sobem quase 40% e devem pressionar contas de luz em 2022
Segundo a Aneel, o impacto médio tarifário para as distribuidoras de energia será de 0,75%. Esse percentual deve ser repassado para as tarifas de energia dos consumidores. (Valor Econômico)

Três passos para a transição energética
André Leite, diretor de Eólicas Offshore da Equinor, e Daniel Elias, CEO da Galp Brasil, contam como as empresas de energia estão enxergando a transição. “Temos que parar de emitir [carbono], simplesmente. Não é só reduzir. Temos que parar de emitir para conseguir estabilizar e não deixar o planeta ultrapassar os 2 ºC”, alerta André Leite, diretor de Eólicas Offshore da Equinor. (epbr)

AES Brasil estima US$ 2 bi de investimento em produção de hidrogênio verde no Ceará
A AES Brasil, subsidiária da AES Corp, e o governo do Ceará assinaram nesta segunda (13) um memorando de entendimento para implementação de um projeto de produção de hidrogênio verde (H2V) no estado, com investimento estimado em até US$ 2 bilhões, nos cinco primeiros anos. (epbr)

Penalidades por falha no suprimento de UTEs terão novas regras
A Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou mudança do Módulo de Penalidade de Energia das Regras de Comercialização, na parte de penalidade por falha no suprimento de combustível. O tema estava em consulta pública.Na falta do insumo, UTEs movidas a combustível fóssil e com despacho centralizado poderiam ser multadas por indisponibilidade de geração por falta de combustível. (Canal Energia)

CDE aumenta 28,2% e pode chegar a R$ 30,7 bi em 2022
Confirmando as expectativas pessimistas, o orçamento da Conta de Desenvolvimento Energético vai alcançar seu maior valor na história do fundo setorial em 2022, atingindo R$30,667 bilhões. As despesas devem aumentar em R$6,751 bilhões, 28,2% a mais que em 2021, e a parcela a ser paga pelo consumidor pode chegar a R$28,791 bilhões, 47,1% maior que as cotas desse ano. O impacto na tarifa deve ficar em média em 2,1% no Norte e Nordeste e em 4,2% no Sul, Sudeste e Centro-Oeste. (Canal Energia)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 72,99/Barril -0,96%

CÂMBIO

R$ 5,69/USD +0,34%

Óleo & Gás

Petrobras reduz preço da gasolina em 3% a partir de quarta (15)
A Petrobras vai reduzir os preços médios da gasolina A entregue às distribuidoras em 3% a partir de quarta (15). O litro do combustível entregue pela companhia passará de R$ 3,19 para R$ 3,09, corte de 10 centavos. (epbr)

Petróleo fecha em queda após dado de inflação dos EUA acima do esperado
Os contratos futuros do petróleo fecharam em queda nesta terça-feira (14), pressionados pelos temores em torno da variante ômicron da covid-19 e após a divulgação de mais um dado de inflação acima do esperado nos Estados Unidos. O contrato do petróleo Brent para fevereiro fechou em queda de 0,92%, a US$ 73,70 por barril, enquanto o WTI para janeiro recuou 0,78%, a US$ 70,73 por barril. (Valor Econômico)

Distribuidoras começam a repassar reajuste de 50% no gás encanado e no GNV no Rio
Embora não confirme o percentual, a Naturgy (antiga Ceg) disse que a partir de janeiro vai repassar o reajuste do gás comprado da Petrobras para o consumidor; a medida pode ser seguida por outras empresas. Em chamadas públicas para negociar contratos de longo prazo, com vigência de quatro anos, a Petrobras estipulou que o aumento de 50% vai vigorar a partir de 1º de janeiro de 2022, segundo a Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás). (Valor Econômico)

Petróleo tem queda pressionado por redução na demanda provocada por ômicron
Investidores seguem atentos ao cenário macroeconômico. Os preços do petróleo aceleraram a queda nesta manhã de terça-feira, com o relatório mensal da Agência Internacional de Energia (AIE) no radar. O relatório indicou que a ômicron irá causar uma redução na demanda por petróleo em 2022. (Valor Econômico)

AIE: EUA, Canadá e Brasil devem registrar produção recorde de petróleo em 2022
A Agência Internacional de Energia (AIE) estima que, apesar de ter reduzido sua previsão de oferta para 2022, a produção dos Estados Unidos, Canadá e Brasil devem registrar níveis recordes no ano que vem, elevando a produção diária de países fora da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) em 1,8 milhão de barris por dia. Expectativa é de que o consumo de petróleo volte a níveis de antes da pandemia ainda durante o próximo ano. (Valor Econômico)

AIE: Ômicron irá fazer com que oferta de petróleo ultrapasse demanda
Agência reduziu sua previsão de oferta para 2022 de produtores fora da Opep em 100 mil barris diários e reduziu sua previsão de demanda no mesmo volume. A expansão da variante ômicron irá permitir que a oferta de petróleo ultrapasse a demanda, reduzindo o aperto na oferta registrada nos últimos meses, informa relatório da Agência Internacional de Energia (AIE). (Valor Econômico)

CADE e Petrobras: a lenta transição rumo ao cenário concorrencial, por Aline Bagesteiro e Felipe Fernandes Reis
Transição para mercado mais competitivo é marcada por insegurança, falta de transparência e quebra de compromissos do TCC. Dentre as medidas desenhadas para a estruturação do “Novo Mercado de Gás”, em 2019, o Ministério da Economia anunciou uma redução no preço do gás natural de até 40%. (epbr)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Terça-Feira, 14 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

Leilão de Alagoas consolida primeira onda de novos grupos de saneamento
Com ofertas agressivas, consórcios da Allonda e da Cymi fazem estreia no setor. O mercado de saneamento básico vive sua primeira leva de novos operadores privados. Se grupos estrangeiros ainda não apareceram diretamente nos leilões, empresas de outros segmentos, já presentes no país, têm pagado prêmios agressivos para entrar no setor. (Valor Econômico)

Região Norte tem maior crescimento em seus níveis e armazenamento conta com 36,2%
Os reservatórios da Região Norte apontaram maior crescimento, de 0,9 ponto percentual, no último domingo, 12 de dezembro, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), e estão operando com 36,2% da capacidade. A energia armazenada mostra 5.492 MW mês e a ENA aparece com 13.310 MW med, o mesmo que 126% da MLT. A UHE Tucuruí segue com 33,09%. (Canal Energia)

“País precisa de mecanismos para controlar a volatilidade dos combustíveis”, diz ministro
Bento Alburquerque, afirmou que tem dito “com clareza”, há mais de dois anos: “Um país como o Brasil precisa ter mecanismos para controlar a volatilidade do preço dos combustíveis” Em entrevista, o ministro explicou que apoia a criação de um fundo de estabilização utilizado como forma complementar à questão tarifária. (Agência Infra)

MP garante até R$ 17 bi para elétricas
Medida Provisória publicada ontem garante novo empréstimo bilionário ao setor elétrico para cobrir gastos com geração mais cara de energia durante a escassez hídrica deste ano. O setor espera ter acesso a até R$ 17 bi. (Valor Econômico)

Câmara aprova projeto que obriga contratação de termelétricas a carvão até 2040
Combustível que está sendo abandonado em todo o planeta e que é considerado um dos principais poluidores da atmosfera, o carvão mineral ganhou uma sobrevida no Brasil por conta de um projeto aprovado pela Câmara dos Deputados na noite desta segunda-feira. (Valor Econômico)

Corsan, empresa de saneamento do RS, protocola pedido de IPO
Nos primeiros nove meses de 2021 a Corsan acumulou uma receita líquida de R$ 2,494 bilhões, o que representa um crescimento de 9,01% ante igual período do ano passado. Será uma oferta tanto primária, na qual os recursos captados entram para o caixa da empresa, quanto secundária, na qual os acionistas vendem fatias das suas participações no capital da companhia. (Valor Econômico)

Omega Energia: B3 aprova pedido de listagem e papéis serão negociados sob código ‘MEGA3’
O conselho de administração da Omega Energia agora irá deliberar sobre a implementação ou renúncia das condições suspensivas da operação e fixar a data na qual a incorporação das ações produzirá efeitos. (Valor Econômico)

AGE da Equatorial em janeiro vai votar compra da Echonergia
A Equatorial Energia informou que convocou Assembleia Geral Extraordinária para o próximo dia 4 de janeiro às 11 horas para aprovar a compra da Echoenergia Participações S.A. A compra da Echoenergia foi anunciada no fim de outubro, por mais de R$ 6 bilhões. Na ocasião, a Equatorial justificou a compra como objetivo de diversificação dos negócios e reforço na comercialização de energia. (Canal Energia)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 74,24/Barril -0,13%

CÂMBIO

R$ 5,67/USD +1,07%

Óleo & Gás

Petróleo recua ante menor temor com ômicron; gás avança com receio de desabastecimento
O petróleo encerrou a sessão desta segunda-feira em baixa, num dia em que a Opep demonstrou, em relatório mensal, menor preocupação com a variante ômicron do coronavírus. A queda ocorre também às vésperas do encontro do Fed para decidir se a acelera ou não a redução de estímulos à economia americana. Já o gás natural avançou, hoje, na Europa e durante o dia chegou a atingir o patamar recorde de 117,50 euros por megawatt-hora na Holanda, preço de referência para todo continente europeu. (Valor Econômico)

Fundo de descarbonização da Petrobras pode receber reforço
O fundo de descarbonização criado pela Petrobras – e que envolve um valor de US$ 248 milhões para o período 2022-2026 – destinará recursos para iniciativas que permitam à empresa abater emissões de carbono não só dentro das operações da petroleira, mas também poderá beneficiar projetos de reflorestamento, caso eles se mostrem mais eficazes. (Valor Econômico)

Gás dispara mais de 10% com queda de estoques na Europa e tensão entre Rússia e Ucrânia
Os preços do gás natural disparam mais de 10% hoje na Europa impulsionados por queda nos estoques e pela contínua tensão em relação à disponibilidade do combustível nos meses de inverno, quando a demanda aumenta. Além disso, problemas na fronteira entre Rússia e Ucrânia podem reduzir o fluxo de gás da Rússia para o continente europeu. (Valor Econômico)

3R Petroleum e Petrobras renegociam contratos de gás natural na Bacia Potiguar
A 3R Petroleum assinou, via suas subsidiárias 3R Macau e 3R Pescada, aditivos aos contratos de compra e venda de gás natural junto à Petrobras. Os aditivos se referem ao gás produzido no campo de Sanhaçu (Polo Macau) e no Polo Pescada, antes do tratamento nas Unidades de Processamento de Gás Natural (UPGNs), localizadas em Guamaré (RN). (epbr)

Reajuste de preços do gás reflete mercado global, afirma Petrobras
O gerente executivo de Estratégias da Petrobras, Rafael Chaves, defendeu nesta segunda-feira (13/12) a posição da companhia em relação ao reajuste no preço do gás natural, proposto para vigorar a partir do próximo ano e que vem gerando severas críticas do setor. (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Segunda-Feira, 13 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

Recuo na carga deve chegar a 0,6% em dezembro
A carga em dezembro de 2021 no Sistema Interligado Nacional deve ter um recuo de 0,6% na comparação com o mesmo mês de 2020. Dados do Informe do Programa Mensal de Operação da semana operativa de 11 a 17 de dezembro indicam que no Sudeste/ Centro-Oeste, essa queda fica em 0,8%, enquanto no Nordeste chega a 1,4% e no Norte, em 1,8%. A região Sul tem a menor redução na carga, de apenas 0,2%. (Canal Energia)

Engie defende revisão de garantias físicas da Eletrobras no processo de capitalização
O diretor-presidente da Engie Brasil Energia, Eduardo Sattamini, defendeu nesta sexta-feira (10) a revisão dos critérios utilizados no cálculo da garantia física das usinas da Eletrobras, dentro do processo de capitalização da estatal elétrica. Diretor-presidente da empresa, Eduardo Sattamini afirma que os números definidos para a estatal elétrica estão superestimados, o que pode criar uma “situação injusta para os demais agentes”. (Valor Econômico)

Engie pretende continuar direcionando investimentos em projetos de energias solar e eólica
O diretor de novos negócios da Engie Brasil Energia, Guilherme Ferrari, disse que as fontes de energia solar e eólica direcionarão os novos investimentos da companhia em geração. Engie pretende continuar direcionando investimentos em projetos de energias solar e eólica. Empresa pretende alcançar uma capacidade global de 50 GW em 2030 e o Brasil é peça-chave nos planos de expansão. (Valor Econômico)

Foz do Rio Claro Energia, da Alupar, pede registro de companhia aberta na CVM
A Foz do Rio Claro Energia apresentou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pedido de registro de companhia aberta. Subsidiária integral da Alupar, a empresa é uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) constituída com a finalidade de explorar o potencial de energia hidrelétrica localizada no Rio Claro. É concessionária da usina hidrelétrica Foz do Rio Claro, com potência instalada de 68,4 megawatts (MW), no Estado de Goiás. (Valor Econômico)

Multiplicidade de rotas e usos desafiam regulação do hidrogênio no Brasil
Para Luiz Gustavo Bezerra, sócio da área de Meio Ambiente e Mudanças Climáticas do Tauil & Chequer Advogados, o desafio regulatório do hidrogênio no Brasil está na multiplicidade de rotas e aplicações. (epbr)

Renovação de contratos da Sanepar entra na mira do governo
Técnicos veem risco de burla a novo marco do setor com decisão da estatal de renovar contratos atuais até 2048. O veto à prorrogação de contratos de saneamento fechados sem licitação passa por um teste de fogo. O alerta foi acionado com a movimentação da Sanepar, que divulgou planos de estender seus contratos de prestação de serviços de água e esgoto em municípios paranaenses até 2048. (Estadão)

Reservatórios da região Sul seguem com recuo e operam com 49,1% da capacidade
A região Sul segue apresentando recuo nos níveis de seus reservatórios, com 0,2 ponto percentual e opera com 49,1% de sua capacidade de armazenamento, na última quinta-feira, 09 de dezembro, comparado ao dia anterior, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A energia retida é de 9.770 MW mês e ENA aponta 2.652 MW med, valor que corresponde a 36% da MLT. As UHEs G.B Munhoz e Passo Fundo funcionam com 54,26% e 50,95%, respectivamente. (Canal Energia)

Consumo de energia elétrica em novembro tem queda de 1,3%, aponta CCEE
Dados preliminares do Boletim InfoMercado Quinzenal, da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, destacaram que o consumo de energia elétrica no Brasil recuou pelo segundo mês consecutivo, somando, em novembro, 64.242 MW médios, volume 1,3% menor em relação ao mesmo período do ano passado. (Canal Energia)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 75,29/Barril +0,19%

CÂMBIO

R$ 5,61/USD +0,72%

Óleo & Gás

Petrobras atinge profundidade recorde em perfuração de poço no pré-sal
A Petrobras bateu o recorde de poço exploratório de petróleo mais profundo do Brasil, com 7,7 mil metros de profundidade. A perfuração foi na região do pré-sal da Bacia do Espírito Santo, a 145 quilômetros (km) da costa, em uma área conhecida como Monai. A notícia foi divulgada pela companhia nesta sexta-feira (10). (Valor Econômico)

Petróleo termina em alta de 1% e tem melhor semana desde agosto
O petróleo terminou em alta nesta sexta-feira, encerrando a semana com ganhos acumulados superiores a 7,5%, no melhor desempenho semanal para os contratos da commodity desde agosto deste ano. Os preços seguiram em recuperação nesta semana, após forte tombo causado pela descoberta da variante ômicron na África do Sul. (Valor Econômico)

Diversificação das petroleiras deve ganhar impulso em 2022
Enquanto a Petrobras busca um “novo motor de geração de caixa”, para complementar a produção de petróleo a longo prazo, as petroleiras devem se manter ativas na diversificação de portfólio em 2022. O ano que vem tem tudo para ser transformacional para a indústria de óleo e gás, numa intensa movimentação das petroleiras rumo à transição energética, segundo a Wood Mackenzie. (Valor Econômico)

Na busca por corte de CO2, Petrobras perde corrida para seus pares
Diante da pressão ambiental sobre as petroleiras no mundo, a Petrobras aumentou, de US$ 1 bilhão para US$ 2,8 bilhões, os investimentos em descarbonização no seu novo plano de negócios 2022-2026, em relação ao planejamento anterior. Levantamento do Valor, com base na estratégia de um grupo de multinacionais do setor (BP, Chevron, Eni, Equinor, ExxonMobil, Shell e TotalEnergies) mostra, no entanto, que o orçamento da estatal para o baixo carbono ainda é tímido ante os pares globais. (Valor Econômico)

3R renegocia contratos de compra e venda de gás com a Petrobras
A 3R Petroleum e a Petrobras renegociaram os termos contratuais de compra e venda de gás do campo de Sanhaçu e do Polo Pescada. Os aditivos contratuais, que entrarão em vigor a partir de 1º de janeiro de 2022, dizem respeito ao gás natural produzido antes do seu tratamento no Polo de Processamento de Guamaré. (PetróleoHoje)

CNPE autoriza 11 blocos de partilha na Oferta Permanente da ANP
O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) aprovou nessa quinta (9/12) resoluções que autorizam a inclusão de áreas em regimes de concessão e 11 blocos da partilha na Oferta Permanente da ANP. Em tese, significa o fim dos leilões promovidos regularmente pela agência – ao menos para concessão. (epbr)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Sexta-Feira, 10 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

Mercado livre fecha agosto com 9.580 agentes consumidores
O mercado livre de energia fechou o mês de agosto de 2021 com 9.580 consumidores, volume que representa um crescimento de 18,2% quando comparado o mesmo período de 2020, segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e mostram que o interesse na modalidade continua se expandindo. (Canal Energia)

ANA e Aneel abrem discussão sobre estações hidrológicas
Uma consulta pública conjunta das agências de Águas (ANA) e de Energia Elétrica (Aneel) vai por em discussão o aperfeiçoamento da norma que trata da instalação, operação e manutenção de estações hidrológicas e da atualização das curvas Cota Área Volume dos reservatórios das hidrelétricas. (Canal Energia)

A força da biomassa
O crescimento médio de energia gerada com biomassa foi de 2,9% entre 2015 e 2018 no país. No levantamento, o IBGE detalhou que, só em 2018, a produção de energia elétrica oriunda da biomassa foi de 54,4 mil gigawatts-hora (GWh) e representou 9% de toda a eletricidade gerada no Brasil. (Valor Econômico)

Crescimento da energia gerada com biomassa foi de 2,9% ao ano de 2015 a 2018, diz IBGE
O crescimento médio de energia gerada com biomassa foi de 2,9% entre 2015 e 2018 no país. O cálculo é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que anunciou há pouco os resultados para o período da pesquisa Contas Econômicas Ambientais de Energia (CEAE) Produtos da Biomassa – Brasil. Valor da produção de matérias-primas energéticas originadas da biomassa foi de R$ 84 bilhões. (Valor Econômico)

Light vende participações na Lightger e Guanhães Energia para Brasal por R$ 206,4 milhões
A Light anunciou nesta quinta-feira (9) que, em conjunto com sua controlada Light Energia, vendeu suas participações na Lightger e Guanhães Energia para a Brasal Energia por um montante total de R$ 206,4 milhões. (Valor Econômico)

Copel terá capex de R$ 2,1 bilhões em 2022
De acordo com a Copel, o objetivo na concessionária é o aprimoramento da eficiência operacional e a redução de custos através de projetos como o Paraná Trifásico e Smart Grid, já iniciados em 2021. Esses programas visam a renovação dos ativos depreciados em áreas rurais, melhoria no atendimento, integração com cidades inteligentes e melhoria com sensoriamento das redes. (Canal Energia)

São Paulo negocia chamada pública para contratação de energia direto pelas distribuidoras
O governo do estado de São Paulo estrutura um programa com as distribuidoras de energia elétrica para promover chamadas públicas para contratação de energia distribuída. O objetivo é estimular as soluções renováveis e limpas, conta Ricardo Cantarani, coordenador de Petróleo, Gás e Biocombustíveis da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado (SIMA). (epbr)

Frentes da bioenergia vão levar propostas para presidenciáveis
Políticas públicas para bioenergia, transição energética e economia verde devem entrar no escopo de questionamentos aos presidenciáveis em 2022, defende o deputado federal Arnaldo Jardim (Cidadania/SP). (epbr)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 74,45/Barril +0,04%

CÂMBIO

R$ 5,57/USD +0,70%

Óleo & Gás

Petróleo fecha em queda e interrompe rali de três dias de fortes ganhos
Os contratos futuros do petróleo fecharam em queda acentuada nesta quinta-feira (9), interrompendo um rali de vários dias em meio ao alívio sobre o impacto econômico da variante ômicron da covid-19. O contrato do petróleo Brent para fevereiro fechou em queda de 1,84%, a US$ 74,42 por barril, já o contrato do WTI para janeiro recuou 1,96%, a US$ 70,94 por barril. (Valor Econômico)

Após 20 anos, governo altera modelo de leilão de petróleo e gás para evitar blocos encalhados
Em vez de realizar rodadas anuais, governo agora poderá oferecer as áreas de exploração quando houver manifestações de interesse das empresas, em um novo regime de ‘oferta permanente’, na última rodada só 5 de 92 blocos foram arrematados. (Estadão)

CNPE autoriza inclusão de 11 blocos do pré-sal na oferta permanente e sinaliza que 2022 pode não ter leilões convencionais
O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) aprovou nessa quinta-feira (9) a inclusão de onze blocos exploratórios localizados no pré-sal na oferta permanente – mecanismo de licitação sob demanda no qual a Agência Nacional de Petróleo (ANP) oferece ao mercado um cardápio de ativos que ficam permanentemente disponíveis para que as petroleiras manifestem interesse a qualquer momento. Os blocos somam R$ 1,283 bilhão em bônus de assinatura. (Valor Econômico)

Preços em alta: gás natural segue sustentado por temor de desabastecimento na Europa
Os preços do gás natural negociados no continente europeu fecharam em alta nesta quinta-feira (9), mantendo os ganhos conquistados nos últimos dias, em seu nível mais alto em quase dois meses. Em Londres, os futuros de gás perderam a força no fim do dia depois de serem negociados por todo o pregão em alta. (Valor Econômico)

Gás encanado terá reajuste de até 25% em São Paulo
As tarifas de gás encanado vão subir no estado de São Paulo nesta sexta-feira (10). O aumento das tarifas no caso da Comgás varia de 15,5% a 22,3%. Em 2022, novos reajustes virão. (Valor Econômico)

Estoques de gás natural dos EUA caem mais que o esperado na semana passada
Os estoques de gás natural dos Estados Unidos caíram 59 bilhões de pés cúbicos, na semana encerrada na última sexta-feira (3), levando o total estocado para 3,5 trilhões de pés cúbicos, segundo o Departamento de Energia (DoE) dos EUA. (Valor Econômico)

Obrigações e CBIOs: desafios da regulamentação do mercado de carbono
Passada a COP26, o projeto de lei que cria o mercado regulado de carbono brasileiro segue em discussão na Câmara, em regime de urgência, e a expectativa do mercado é que seja votado ainda este ano, seguindo para análise do Senado em 2022. (epbr)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quinta-Feira, 09 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

TCU adia análise de privatização da Eletrobras
Ministro Aroldo Cedraz, relator do processo, não encaminhou seu voto para os colegas, o que inviabilizou o julgamento. O MP, por exemplo, quer a revisão do adiantamento de R$ 5 bilhões programado para ser feito à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) já no ano que vem. (Valor Econômico)

Eletrobras, Copel e Noenergia recebem Selo Empresa Pró-Ética 2021
Eletrobras, Copel e Neoenergia receberam da Controladoria Geral da União o selo de Empresa Pró-Ética 2021. o prêmio é concedido para as empresas que se engajam no combate à corrupção e se esforçam em possuir programas de integridade efetivos. (Canal Energia)

Aneel consolida regras para consumidores e usuários do serviço de distribuição
Após duas fases de consulta pública com 2.651 contribuições, o conjunto de resoluções que tratavam de direitos e deveres do consumidor e de demais usuários do serviço de distribuição de energia elétrica foi consolidado em uma única norma pela Agência Nacional de Energia Elétrica. A aprovação aconteceu na última terça-feira, 7 de dezembro, em um processo que, segundo a Aneel, simplifica e deixa a regulação do tema mais clara e acessível à população. (Canal Energia)

Fundações questionam Cemig em arbitragem
Um procedimento arbitral entre a empresa de energia Cemig e oito fundos de pensão discute o pagamento de uma opção de venda (“put”) prevista no contrato de fundos de investimentos em participações (FIPs). Para as entidades, a companhia deveria pagar R$ 600 milhões devido à liquidação antecipada dos FIPs Malbec e Melbourne, criados para financiar a construção da Santo Antônio Energia. (Valor Econômico)

Fundações questionam Cemig em arbitragem Copel aprova investimentos de R$ 2,1 bilhões em 2022
O conselho de administração da Companhia Paranaense de Energia (Copel) aprovou o valor de R$ 2,1 bilhões destinado ao programa de investimentos previsto para 2022. Deste montante, R$ 1,63 bilhão será investido na Copel Distribuição. (Valor Econômico)

Isa Cteep investirá cerca de R$500 milhões por ano até 2030 em SP
Companhia tem um portfólio aprovado no plano de autorizações da Aneel de R$ 2,8 bilhões em reforços e melhorias. Responsável por quase 100% pelaa transmissão do estado, o presidente da companhia, Rui Chammas, em entrevista exclusiva à Agência CanalEnergia, contou que o plano da transmissora visa o investimento em tecnologia e digitalização para dar mais segurança e robustez ao sistema. (Canal Energia)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 75,40/Barril -0,55%

CÂMBIO

R$ 5,53/USD -1,49%

Óleo & Gás

Opep: Petrolíferas precisam investir US$ 11,8 tri em produção até 2045 para que não falte petróleo
O secretário-geral da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), Mohammad Barkindo, afirmou que a indústria petrolífera precisa investir US$ 11,8 trilhões até 2045 para que o mundo tenha o petróleo necessário para atender a demanda futura. Secretário-geral da Organização afirma que as tentativas de reduzir os investimentos na exploração de petróleo e gás para combater as mudanças climáticas estão sendo mal conduzidas. (Valor Econômico)

IHS e IEF alertam sobre necessidade de aumentar investimentos em O&G
Os investimentos no upstream retraíram pelo segundo consecutivo, enquanto a demanda global por óleo e gás se manteve estável. Segundo relatório, investimentos precisam retornar aos níveis pré-pandemia e permanecerem estáveis até 2030 para restaurar o equilíbrio do mercado. (Petróleo Hoje)

Petróleo fecha em alta, apesar de dados negativos dos estoques dos EUA
O contrato do petróleo Brent para fevereiro fechou em alta de 0,50%, a US$ 75,82 por barril, enquanto o do WTI para janeiro subiu 0,43%, a US$ 72,36 por barril. Os contratos futuros do petróleo fecharam em alta, esticando a sequência de ganhos no terceiro fechamento positivo, ainda recebendo suporte do alívio em relação à variante ômicron da covid-19. (Valor Econômico)

Petróleo segue volátil após dados sobre estoques nos EUA
Os preços do petróleo alternam altas e baixas, digerindo os dados mistos do Departamento de Energia dos Estados Unidos sobre os estoques semanais americanos. De um modo geral, a queda nos estoques de petróleo foi menor que a esperada, mas os estoques de gasolina e outros combustíveis subiram. (Valor Econômico)

Grandes empresas de petróleo e gás competem para recrutar talentos na mudança para um futuro mais verde
Cinco dias antes do início da conferência climática COP26, o departamento de geografia da Universidade de Oxford encaminhou um e-mail aos alunos convidando-os para uma palestra sobre carreira da empresa de energia Royal Dutch Shell. Contudo, não foi bem recebido pelos alunos e o incidente destaca um desafio duradouro para os supermajors, enquanto eles competem para recrutar os talentos de que precisam para um futuro mais verde. (ft)

Petrobras aprova 300 mil auxílios na compra de gás para famílias vulneráveis
A Petrobras anunciou nesta quarta-feira que aprovou a entrega de 300 mil auxílios para aquisição de botijões de gás de cozinha para famílias vulneráveis até este mês. Nesta primeira fase, serão investidos R$ 30 milhões do total de R$ 300 milhões aprovados pelo conselho da empresa para uso até o fim de 2022. (Valor Econômico)

Sem orçamento definitivo, vale-gás vai ter apenas R$ 300 milhões em dezembro
A Comissão Mista de Orçamento (CMO) aprovou nessa terça (7/12) a destinação de R$ 300 milhões para o Ministério da Cidadania começar a pagar o vale-gás a cerca de 5,5 milhões de famílias que serão beneficiadas pelo Programa Gás dos Brasileiros, sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), em dezembro. (epbr)

Governo prepara MP da Desverticalização do transporte de combustíveis
Objetivo da MP da Desverticalização é promover a “concorrência no mercado de combustíveis”, diz minuta. O governo federal trabalha em uma nova medida provisória para o mercado de combustíveis, para colocar na legislação regras para livre acesso aos terminais aquaviários e dutos de transporte de petróleo, derivados e biocombustíveis. (epbr)

Petrobras e descarbonização, por Viviana Coelho
Na COP 26, a Petrobras teve a oportunidade de apresentar seus resultados da última década e são resultados que demonstram a importante trajetória de descarbonização da Petrobras na última década e evidenciam que o petróleo produzido nos campos do pré-sal (notadamente Tupi e Búzios) esteja entre os mais descarbonizados do mundo. (epbr)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quarta-Feira, 08 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

Governo finaliza MP que garante mais R$ 13 bi para cobrir custos da crise hídrica
O governo finalizou o texto da nova medida provisória (MP) que deverá garantir mais um empréstimo para o setor elétrico honrar o pagamento de despesas remanescentes da atual crise hídrica. Ao menos R$ 13 bilhões serão demandados junto aos bancos para cobrir custos com geração térmica, contratos emergenciais e programas de redução da demanda. (Valor Econômico)

STF retoma julgamento sobre redução de ICMS para contas de luz, telefone e internet
Ministro Gilmar Mendes incluiu o tema na pauta do Plenário Virtual da última semana de trabalho na Corte. A proposta que está na mesa foi apresentada pelo ministro Dias Toffoli. Ele sugere que os Estados sejam obrigados a reduzir as alíquotas de ICMS a partir de 2022. Mas os Estados querem mais tempo para ajustar as finanças. Pedem que a redução comece a valer somente em 2024 – e estão fazendo pressão para isso. (Valor Econômico)

Tribunal de Contas da União tende a avalizar privatização da Eletrobras sem alterar outorga
Valor da outorga a ser paga pela mudança no modelo de contrato entre a empresa e o governo deve ser mantido no valor atual, de R$ 29 bilhões. O plenário do Tribunal de Contas da União (TCU) vai finalizar hoje a primeira etapa das análises sobre a desestatização da Eletrobras. Apesar de alguns alertas, o órgão de controle deve aprovar sem grandes alterações a proposta apresentada pelo governo. (Valor Econômico)

Venda da Eletrobras pode render até R$ 20 bi a mais para o governo por uso de dados defasados
Os maiores geradores e os principais consumidores de energia encaminharam uma carta ao Ministério de Minas e Energia, BNDES e EPE (Empresa de Pesquisa Energética) para reclamar que a modelagem de privatização da Eletrobras considera dados que permitirão ao governo receber entre R$ 10 bilhões e R$ 20 bilhões a mais do que o devido no processo de venda de ações, previsto para o próximo ano. (Valor Econômico)

BNDES marca audiência pública sobre privatização da Eletrobras
Com o objetivo de prestar informações e receber contribuições ao processo de desestatização da Eletrobras, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) irá realizar uma audiência pública virtual no dia 22 de dezembro, a partir das 10 horas. (Canal Energia)

Armazenamento sobe e submercado SE/CO chega a 20,2%
Os reservatórios do Sudeste/Centro-Oeste registraram acréscimo de 0,1 ponto percentual e operam com 20,2% da capacidade, segundo dados do ONS referentes à última segunda-feira, 6 de dezembro. A energia armazenada é de 41.051 MW mês e a Energia Natural Afluente é de 31.714 MW med, que equivale a 66% da média de longo termo armazenável no mês até o dia. A usina de Furnas opera com 21,15% da sua capacidade e a de Nova ponte, com 11,13%. (Canal Energia)

MME publica garantias das UTES que vão ao leilão de capacidade
O Ministério de Minas e Energia publicou nesta terça-feira, 7 de dezembro, a portaria 1.098, que define os montantes e garantias físicas para os empreendimentos térmicos que vão participar do leilão de capacidade. São usinas movidas a gás natural, biogás, óleo combustível, carvão mineral nacional e importado, óleo diesel e resíduos sólidos urbanos. O certame será realizado no próximo dia 21. A lista com os valores das garantias e as usinas participantes estão neste link. (Canal Energia)

Evento virtual discute transição do país para economia verde
última temporada dos Diálogos da Transição em 2021 começa na quarta (8/12), com um debate sobre o papel sobre políticas públicas para transição brasileira para a economia verde, descarbonização da produção energética e novos rumos da política energética nacional. (epbr)

Fundo privado quer financiar concessionárias para reduzir o consumo de energia e água
Um fundo com recursos para financiar investimentos que possam reduzir o consumo de água e energia de indústrias e concessionárias do setor de infraestrutura. É o que o Integral Group, gestora de fundos, lançou para ampliar a capacidade das empresas em vários setores de ampliarem a eficiência. (Agência Infra)

Raízen aposta em inovação ao oferecer soluções de energia limpa no mercado livre
O Mercado Livre de energia elétrica segue em rápida expansão pelo país e seu consumo atual já representa cerca de 32% da carga do setor elétrico nacional. Segundo dados da CCEE, no primeiro semestre de 2021, o segmento registrou alta de 19% (a.a.). Atenta à ágil evolução do mercado, a Raízen tem reforçado cada vez mais sua atuação no setor. Empresa integrada de energia e referência global em biocombustíveis e bioeletricidade, a Raízen segue comprometida em entregar diferentes soluções em energia. (Canal Energia)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 75,80/Barril +0,48%

CÂMBIO

R$ 5,61/USD -1,26%

Óleo & Gás

Guedes descarta privatização da Petrobras ‘pelo menos neste primeiro governo’
Ministro diz que sugeriu ao presidente levar petroleira para novo mercado – um processo similar ao da Eletrobras, que é desestatizar a companhia: “Sou sempre a favor disso, de ir para a coisa real”. A Petrobras não está na lista de privatizações, “ao menos neste primeiro governo”, disse nesta terça-feira (7) o ministro da Economia, Paulo Guedes, em evento da Eurasia. (Valor Econômico)

Comissão do Senado vota projeto que altera política de preços dos combustíveis
Após negociações na bancada do PT, o relator Jean-Paul Prates, do Rio Grande do Norte, chegou a uma proposta de alíquota marginal, que parte de 2,5% e pode chegar a 20% a depender do preço do barril de óleo – incide sobre as parcelas, em faixas de US$ 45 a US$ 100 por barril. (epbr)

Petróleo fecha em alta com alívio em relação à variante ômicron
O contrato do petróleo Brent para fevereiro fechou em alta de 3,22%, a US$ 75,44 por barril, enquanto o do WTI para janeiro subiu 3,68%, a US$ 72,05 por barril. Os contratos futuros do petróleo fecharam em forte alta nesta terça-feira (7), acompanhando o otimismo dos principais mercados acionários globais, em meio ao alívio sobre os impactos econômicos da variante ômicron. (Valor Econômico)

Petróleo amplia ganhos e é cotado no maior valor em duas semanas
O petróleo amplia os ganhos e subia mais de 4% nesta terça-feira, com o barril dos tipo WTI e Brent sendo cotado acima de US$ 70, cada, nos níveis mais altos em cerca de duas semanas. O movimento reflete a diminuição dos temores em relação ao impacto da nova variante do coronavírus na demanda. (Valor Econômico)

O que diz o projeto que pode dar desconto em combustíveis e taxar exportações de óleo
O projeto estabelece uma política de preços para comercialização de combustíveis no mercado interno, que deverão ter como referência as cotações médias do mercado internacional e os custos internos de produção ou de importação. Atualmente, as empresas têm liberdade para definir a política de preços. (epbr)

Por que governos ao redor do mundo estão reduzindo a mistura de biodiesel?
A recente decisão do governo de Jair Bolsonaro de manter a mistura obrigatória de biodiesel no diesel em 10% (B10) até o final de 2022 – abaixo dos 13% até março e 14% a partir de então, como previsto em resolução do CNPE – vem causando um embate entre governo e indústria. Mas a medida não é um caso isolado no Brasil, o relatório da IEA mostra um tendência na redução do combustível produzido a partir da esterificação de óleos vegetais por dois motivos principais: custo de matéria-prima e disputa com o diesel renovável, cuja demanda deve triplicar até 2026.(epbr)

A difícil descarbonização e suas implicações para o petróleo
A transição energética não pode ir de encontro a outros objetivos de sustentabilidade como energia acessível para todos. O preço do petróleo superou o nível pré-pandemia, abrindo brechas para discussões não usuais para quem acompanha o setor. Para alguns, o patamar reflete uma recuperação cíclica e, portanto, temporária, sendo a tendência secular ainda de queda com a transição energética. Para outros, já existe uma preocupação estrutural com a insuficiência de oferta de petróleo na busca de acelerar essa transição. (Valor Econômico)

Executivos de petróleo dos EUA rejeitam críticas de funcionários de Biden sobre oferta restrita
O governo Biden, sob pressão nas pesquisas de uma espiral inflacionária, buscou maneiras de reduzir os preços dos combustíveis e altos funcionários começaram a questionar por que os produtores não aumentaram a produção. Mas no Congresso Mundial do Petróleo na terça-feira, alguns executivos disseram que o governo não estava levando a sério sua pressão por mais petróleo doméstico, alegando que as autoridades estavam apenas tentando desviar as críticas depois de recorrer à Arábia Saudita e outros para aumentar o fornecimento. (ft)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Terça-Feira, 07 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

Eólica tem expansão recorde no Brasil em 2021
A expansão da capacidade instalada de energia elétrica a partir de fonte eólica no Brasil chegou a 3 mil megawatts (MW) em 2021, considerando os dados de novembro. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), é o maior incremento da fonte desde 2014 (2.786 MW). (epbr)

Tarifas devem ter aumento médio de 19% em 2022, estima TR Soluções
A TR Soluções estima que as tarifas de energia poderão ter alta média de 19% em 2022. A previsão vale para os consumidores de todo o país, considerando as 53 concessionárias de distribuição de energia elétrica. (Canal Energia)

Prévia do ISE B3 para 2022 traz nove empresas do setor elétrico
A B3 divulgou a prévia da 17ª carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial da B3. A nova carteira vale de 3 de janeiro a 30 de dezembro de 2022. O ISE B3 reúne 34 ações, de 34 empresas de 15 setores. Juntas, as companhias somam R$ 1,6 trilhão em valor de mercado (fechamento de 30.11.2021). No setor elétrico, AES Brasil, Cemig, Copel, Cosan, CPFL, EDP, Light , Vibra e WEG entraram na carteira. Da lista do ano anterior, ficaram de fora Petrobras, Eletrobras, Engie e Neonergia. (Canal Energia)

Orizon vai emitir debêntures incentivadas e mira leilões de energia
A Orizon Valorização de Resíduos espera participar dos próximos leilões da Aneel, de energia nova A-4 e de capacidade, caso o Ministério de Minas e Energia (MME) inclua a geração de eletricidade a partir de resíduos sólidos urbanos (RSU) nos novos certames. No radar da empresa, está a inclusão de resíduos sólidos urbanos (RSU) na contratação de energia nova. (epbr)

Furnas vai inaugurar planta de hidrogênio verde para pesquisas em Goiás
Furnas, subsidiária da Eletrobras, vai inaugurar na quarta (8), na usina hidrelétrica (UHE) de Itumbiara, em Goiás, sua primeira planta para produção de hidrogênio verde, parte de um projeto de pesquisa e desenvolvimento (P&D). (epbr)

Energias eólica e solar viram protagonistas no processo de descarbonização do planeta
Vistas como principais fornecedores de energia para a produção de hidrogênio, fontes renováveis devem dar um salto de crescimento nas próximas décadas. (Estadão)

Impacto socioambiental positivo impulsiona ações da Isa Cteep
Companhia tem mais de 60% da diretoria composta por mulheres e vincula metas ESG ao bônus e remuneração variável dos executivos. Meta da transmissora agora é avançar mais na questão racial e na pauta ambiental. (Canal Energia)

Energisa vai investir R$ 29,5 bilhões até 2026
A Energisa anunciou nesta segunda-feira, 6 de dezembro, em encontro para investidores, a estratégia de diversificação dos negócios para os próximos cinco anos. A empresa pretende ampliar suas atividades não relacionadas aos negócios regulados de distribuição de energia elétrica. Até 2026 serão investidos cerca de R$ 29,5 bilhões, o que representa 1,6 vez o volume de aportes de 2017 até este ano. (Canal Energia)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 74,88/Barril +2,46%

CÂMBIO

R$ 5,68/USD +0,18%

Óleo & Gás

CVM abre processo contra Petrobras após fala de Bolsonaro sobre preço de combustíveis
Após as mais recentes declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre a Petrobras, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu novo processo administrativo envolvendo a companhia. Em entrevista ao site “Poder 360” publicada ontem, Bolsonaro comentou que a petroleira iria começar esta semana com “redução de preço do combustível”. Em comunicado, a empresa disse que não antecipa decisões sobre o tema. (Valor Econômico)

Petrobras rebate Bolsonaro e diz que ‘não há decisão tomada’ sobre preço de combustível
Comunicado foi enviado à CVM, após o presidente Bolsonaro dizer que a empresa está para anunciar redução dos preços dos combustíveis. (Valor Econômico)

Bolsonaro anuncia redução de preços dos combustíveis da Petrobras
O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou ao Poder 360 nesse domingo (5/12) que a Petrobras vai anunciar diminuição no preço dos combustíveis a partir desta semana. Ele não deu detalhes sobre o percentual de redução, mas disse que a queda no preço deve seguir por algumas semanas. (epbr)

Preço do petróleo será menos volátil em 2022
Os preços do petróleo devem ser menos voláteis em 2022 com a oferta de mais barris por parte da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) e com o retorno dos investimentos por parte das empresas produtoras depois de um período de gastos limitados, informa relatório do Citi sobre o setor. (Valor Econômico)

Demanda por petróleo e gás permanecerá firme, dizem executivos do setor
A empresa de consultoria IHS Markit disse que a ômicron cortará apenas 100 mil barris por dia do consumo de combustível de aviação, menos de 1% de um mercado global que consome 99 milhões de barris diários. (Valor Econômico)

Ajustes melhoram expectativa para leilões da cessão onerosa
Após o governo ter realizado mudanças na oferta dos volumes excedentes da cessão onerosa, melhoraram as perspectivas no leilão do pré-sal no dia 17, que oferecerá ao mercado os campos de Sépia e Atapu. Na primeira oferta, em 2019, não apareceram interessados nas duas áreas da Bacia de Santos. (Valor Econômico)

Petrobras conclui venda de usinas termelétricas de Camaçari por R$ 61 milhões
A Petrobras comunicou ao mercado que concluiu a venda de três usinas termelétricas em Camaçari (BA), pelo valor de R$ 61 milhões. O montante já considera ajustes previstos em contrato. As usinas Arembepe, Bahia 1 e Muricy foram vendidas à São Francisco Energia, subsidiária da Global Participações em Energia (GPE). (Valor Econômico)

Produção da 3R cresce 19% em novembro
A 3R Petroleum registrou produção de 7,9 mil boe/dia em novembro, o que representa aumento sequencial de 19%, refletindo crescimento em todos os ativos da companhia e a entrada do Polo Areia Branca em seu portfólio. (Petróleo Hoje)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – Um presente de natal dos céus (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Segunda-Feira, 06 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

Conta de luz pode subir 19% em 2022, segundo TR Soluções
As tarifas de energia elétrica podem subir 19%, na média, em 2022, devido à crise hídrica, de acordo com estimativa da TR Soluções. O levantamento da empresa de tecnologia, especializada em tarifas de energia, vale para os consumidores de todo o país, de 53 concessionárias de distribuição. (Valor Econômico)

Competitividade verde do país está em declínio, diz estudo
O Brasil tem forte vocação em energia renovável e pontos fortes que o tornam competitivo, por exemplo, na exportação de turbinas hidráulicas. Por outro lado, a competitividade verde do país está diminuindo por causa da postura controversa do governo em relação ao desenvolvimento de tecnologias verdes. Essas são algumas das conclusões de um estudo e elaborado pelo banco suíço Lombard Odier e pela universidade de Oxford. (Valor Econômico)

Consumo aumenta e a previsão para dezembro é de alta de 0,9%
A primeira revisão semanal do Programa Mensal de Operação para dezembro aponta uma reversão na expectativa de consumo e a carga deverá apresentar crescimento em relação ao mesmo período do ano passado. A projeção apresentada nesta sexta-feira, 3 de dezembro, é de que haja aumento de 0,9% na carga. Até mesmo no submercado Sudeste/Centro-Oeste deverá ser verificado aumento, de 0,5%. No Norte a previsão é de alta de 3,2%, no Sul de 1,6% e no Nordeste está em 0,3%. (Canal Energia)

Área técnica do TCU identifica falhas de R$ 16,2 bi em desestatização da Eletrobras
Um despacho do ministro Aroldo Cedraz, relator do processo que analisa a privatização da Eletrobras no Tribunal de Contas da União (TCU), informa que o corpo técnico da instituição identificou falhas na modelagem econômico-financeira da privatização que totaliza R$ 16,2 bilhões. (Jota Info)

Ministro defende privatização na Eletrobras e minimiza nova ação no STF
O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, defendeu nesta sexta-feira o processo de privatização de parte dos negócios da Eletrobras e sua consequente capitalização. Em seguida, ele minimizou uma nova ação de inconstitucionalidade para barrá-la no Supremo Tribunal Federal (STF). (Valor Econômico)

Capitalizar a Eletrobras, descapitalizar o consumidor?
A privatização da Eletrobras tem enorme valor real e ainda maior valor simbólico para o país. Mas os consumidores vão pagar um preço por ela. Isso porque em sua tramitação no Congresso, a MP da Eletrobras recebeu emendas que ficaram conhecidas como “jabutis”. Elas encareceram as contas da energia ao prorrogar contratos caros, criar reservas de mercado e promover subsídios. (Valor Econômico)

O fardo elétrico
Ex-diretor da Aneel explica se o consumidor teve vantagem com o trade-off entre racionamento e tarifas elevadas. Nada foi dito sobre qual é a estratégia para que restrições de oferta, motivadas pela escassez de água, não repitam os efeitos esperados para 2022. (Valor Econômico)

Rio é forte concorrente para basear 4ª usina nuclear do país, diz ministro de Minas e Energia
O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou nesta sexta-feira (3) que há boas chances de a quarta usina nuclear do país ser instalada no Rio de Janeiro. Albuquerque fez as afirmações em lançamento de um laboratório de redes elétricas inteligentes (smart grids, em inglês), em unidade do Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel), em Nova Iguaçu, na região metropolitana do Rio. (Valor Econômico)

Conta de luz: não há previsão para bandeira de escassez hídrica ser prorrogada além de abril, diz Albuquerque
“Não há hipótese alguma de racionamento ou apagão por falta de energia”, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, voltou a afirmar que não existe risco de desabastecimento de energia no país. Segundo ele, não há indicação hoje de que a bandeira tarifária de escassez hídrica seja prorrogada para além de abril, mês previsto para o término de sua vigência. (Valor Econômico)

Entre famílias mais pobres, 17,4% do orçamento vão para gás, energia e água e esgoto, aponta IBGE
O comprometimento do rendimento com gás doméstico é 12 vezes maior no quinto mais pobre da população do que no quinto mais rico. (Valor Econômico)

Taesa não tem estratégia de vender ativos
A Transmissora Aliança de Energia Elétrica (Taesa) não tem a estratégia de vender ativos e espera uma forte geração de caixa para 2022, disseram executivos da companhia durante evento para investidores. (Valor Econômico)

Isa Cteep está de olho no Lote 4 do próximo leilão de transmissão
Presidente da empresa conta que uma das estratégias é a busca de crescimento em projetos dos certames. (Canal Energia)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 71,38/Barril +2,15%

CÂMBIO

R$ 5,68/USD +0,35%

Óleo & Gás

Bolsonaro diz que Petrobras vai anunciar redução de preços de combustíveis
Presidente afirma que haverá uma série de reduções a partir desta semana. O chefe do Executivo, no entanto, não informou quais seriam os percentuais de redução e nem os prazos. A alta de preços dos combustíveis vem sendo um dos principais motores da inflação, que já ultrapassou os dois dígitos o acumulado em 12 meses e é um problemas econômicos enfrentados pela gestão Bolsonaro. (Valor Econômico)

Petróleo fecha sem direção única e contratos acumulam 6ª semana seguida de perdas
Os preços do petróleo terminaram a sessão desta sexta-feira (3) sem direção única, mesmo tendo ensaiado uma alta de mais de 2% durante o pregão. Com o fechamento de hoje, a commodity acumula sua sexta semana consecutiva de perdas. Os preços para fevereiro do Brent terminaram o dia em alta de 0,30% e os para janeiro do WTI caíram 0,36%; na semana, o Brent acumulou perda de 3,90% e o WTI, de 2,77%. (Valor Econômico)

Retomada de obras da refinaria Abreu e Lima, alvo da Lava-Jato, ainda está indefinida
A Petrobras ainda não definiu quando abrirá a licitação para as obras de conclusão da Refinaria Abreu e Lima, suspensas desde que a Operação Lava Jato expôs um esquema de corrupção envolvendo dirigentes da estatal e empreiteiras responsáveis pela construção, entre elas Odebrecht, Camargo Corrêa e OAS. (Valor Econômico)

O choque de energia cara
Redução dos investimentos e aumento do custo de capital pressionam a oferta de combustíveis. Após o afundamento dos preços do petróleo e derivados em 2020 causado pelo severo avanço da pandemia da covid-19, veio a vertiginosa escalada dos preços das commodities. (epbr)

Produção de óleo cai com manutenção no pré-sal
A produção nacional de petróleo e gás natural em outubro totalizou 3,606 milhões de barris de óleo equivalente por dia, sendo 2,777 milhões de barris/dia de petróleo e 132 milhões de m3/d de gás natural. Houve redução de 7,4% na produção de óleo em comparação com o mês anterior e de 3,3% na comparação anual. Já no gás houve queda de 1,3% sobre setembro e aumento de 1,3% sobre outubro de 2020. De acordo com a ANP, os principais motivos para a queda foram paradas programadas no pré-sal da Bacia de Santos. (epbr)

Indústria de biodiesel cobra alívio tributário na Justiça
Desde o primeiro semestre deste ano, empresas produtoras de biodiesel vinham pedindo ao governo federal a restituição dos valores pagos de PIS e Cofins sobre o biocombustível durante o período em que o diesel fóssil teve isenção e redução nas alíquotas desses impostos – e, agora, a demanda acaba de chegar à Justiça, apurou o Valor. Nas contas do setor, se todas as usinas acionarem o judiciário, a cobrança pode chegar a R$ 400 milhões. (Valor Econômico)

Estímulos ao etanol turvam preços do açúcar
O avanço de programas estatais de incentivo ao etanol para reduzir o uso de combustíveis fósseis, notadamente no Brasil e na Índia, está alimentando a expectativa de executivos e analistas do mercado de que a maior competição do biocombustível pela cana poderá limitar a oferta de açúcar na próxima década, após anos sem grandes investimentos na produção. (Valor Econômico)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Sexta-Feira, 03 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

Conta de luz: bandeira tarifária de 2022 dependerá ‘unicamente do cenário hidrológico’, diz CCEE
O presidente do conselho de administração da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), Rui Altieri, disse que o leilão de reserva de capacidade de energia, marcado para 21 de dezembro, não terá efeito sobre a revisão da bandeira tarifária de 2022, mas prepara para a redução dos custos ao consumidor no futuro. (Valor Econômico)

Custo de segurança energética em 2021 é de R$ 24,3 bi, aponta CCEE
A Energisa e sua controlada direta Energisa Transmissão de Energia anunciaram a aquisição de 100% das ações da Geogroup Paranaíta Transmissora de Energia por R$ 100,7 milhões. A SPE Paranaíta é detentora de uma subestação de 500/138 kV, 150 MVA, fica na divisa dos Estados de Mato Grosso e Pará, e faz conexão com a Energisa Mato Grosso e tem uma receita anual permitida (RAP) de R$ 10.908.743,94, além de não possuir dívidas de curto e longo prazo. (Canal Energia)

Crise hídrica foi revertida de maneira confortável, diz presidente do conselho da CCEE
O presidente do conselho de administração da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), Rui Altieri, disse que o país conseguiu reverter a crise hídrica “de maneira confortável”, mas que as medidas emergenciais terão um custo elevado para o consumidor. (Valor Econômico)

Transição energética no Brasil depende de descentralização do planejamento, aponta estudo
Para haver uma transformação relevante do setor seria necessário a integração de diferentes níveis de governança local e regional e com políticas públicas intersetoriais. (Canal Energia)

Crise no setor de energia na Europa evidencia complexidade da transição energética, por Ana Carolina Chaves
Nos últimos anos, os sistemas energéticos mundiais vêm atravessando um processo de transição, no sentido de tornarem suas matrizes energéticas cada vez mais renováveis e limpas. Esse processo de caráter global levou diversos países a adotarem medidas direcionadas à descarbonização e a redução da participação de combustíveis fósseis. Atualmente, o crescimento da demanda energética, em função da retomada da economia pós-pandemia, vem contribuindo para o desequilíbrio entre a oferta e demanda dos combustíveis fósseis. (epbr)

Taesa mira leilão e promete “ajuste fino” em novo plano estratégico
A Transmissora Aliança de Energia Elétrica (Taesa) espera lançar, no início do ano que vem, o novo plano estratégico 2022-2031, com “pequenos ajustes finos” em relação ao planejamento atual. O presidente da companhia, André Moreira, conta que um dos pilares do plano será a aposta no crescimento da carteira de ativos, com base tanto na participação nos futuros leilões de transmissão de energia quanto em aquisições de projetos “brownfield” (já existentes). (Valor Econômico)

Energisa compra transmissora por R$ 100 milhões
O Encargo ao consumidor é de R$ 39/MWh um valor que representa 20% do que é cobrado, formação de preços da energia é um dos temas a serem enfrentados. (Canal Energia)

Geração térmica em dezembro ficará limitada a 15 mil MW médios
O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico vai manter as medidas excepcionais para o atendimento à carga e a garantia do atendimento em 2022. A geração termelétrica estará, no entanto, limitada a 15 mil MW médios ao longo do mês de dezembro. (Canal Energia)

Níveis no Sul recuam e chegam a 52,7%
Os reservatórios da região Sul operam com volume de 52,7%, de acordo com dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico referentes ao último dia 1º de dezembro. Houve queda nos níveis de 1,1% na comparação com o dia anterior. A energia armazenada é de 10.493 MW mês, enquanto a ENA chega a 2.039 MW med, o mesmo que 4% a média de longo termo armazenável no mês até o dia. A usina de Salto Santiago está com 46,32% da capacidade. (Canal Energia)

Por 7 a 3, STF decide manter novo marco legal do saneamento
Por 7 votos a 3, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu declarar a constitucionalidade do novo marco legal do saneamento básico, conforme o voto do relator, o presidente da Corte, ministro Luiz Fux. (Valor Econômico)

. . .

BRENT CRUDE

US$ 71,40/Barril +2,48%

CÂMBIO

R$ 5,60/USD -0,19%

Óleo & Gás

Petróleo fecha em alta, apesar da decisão da Opep+ de ampliar a produção
O contrato do petróleo Brent para fevereiro subiu 1,16%, a US$ 69,67 por barril, e o do WTI para janeiro avançou 1,41%, a US$ 66,50 por barril. Os contratos futuros do petróleo fecharam em alta nesta quinta-feira (2), apesar da decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) ter decidido ampliar os limites de produção em 400 mil barris diários em janeiro. (Valor Econômico)

Sauditas mantêm oferta de petróleo para agradar EUA
Líder de fato da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), a Arábia Saudita concordou em continuar aumentando a produção mensal de petróleo bruto após uma ofensiva de persuasão lançada por autoridades do governo Biden. O movimento incluiu um esforço para reestruturar as relações entre os EUA e o reino. (Valor Econômico)

Wellington Dias afirma que estados podem descongelar ICMS se combustível ficar mais barato
O governador do Piauí, presidente do Consórcio Nordeste e coordenador do Fórum Nacional de Governadores, Wellington Dias (PT), disse à epbr que o valor de referência precificado, para efeito de ICMS, é o teto. “Se houver queda de preços, ficando abaixo do preço de referência, pelos estados, com muito prazer, reduzimos também [a base de cálculo do ICMS]”, garantiu. (epbr)

IBP: Fundo de estabilização de preços dos combustíveis demandaria R$ 1 bi para cada centavo de subsídio
O Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) informou que enxerga com cautela a tramitação, no Congresso, da proposta de criação do fundo de estabilização dos preços dos combustíveis no país. A entidade estima que, para cada centavo em subsídio no preço final dos principais derivados (gasolina, diesel e gás de cozinha) seria necessário um colchão de cerca de R$ 1 bilhão/ano e que a criação de um imposto de exportação sobre o petróleo bruto como solução para financiamento do fundo traria um “problema ainda mais sério” para a economia brasileira. (Valor Econômico)

Bolsonaro assina decreto que libera vale-gás a famílias de baixa renda
O presidente Jair Bolsonaro (PL) assinou nesta quinta-feira (2), em cerimônia no Palácio do Planalto, decretos que regulamentam as leis que viabilizaram o pagamento de um vale-gás a famílias de baixa renda e a criação do “Alimenta Brasil”. A ação substituirá o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) — em que o governo adquire produtos produzidos pela agricultura familiar, com a proposta de garantir renda mínima aos produtores. (Valor Econômico)

Estoques de gás natural dos EUA recuam na semana passada
Com a queda de 59 bilhões de pés cúbicos nos estoques, o total está 9,5% abaixo dos estoques de 3,939 trilhões de pés cúbicos registrados em igual período do ano passado. A queda de 59 bilhões de pés cúbicos nos estoques é quase o dobro da média de cinco anos para o período, que é um recuo de 31 bilhões de pés cúbicos. (Valor Econômico)

ANP aprova programa para controlar qualidade do biodiesel
PMQBio prevê testes regulares e publicação de análises em boletim semestral. O programa vai monitorar o cumprimento das especificações de qualidade dos biocombustíveis na cadeia de abastecimento do Ciclo Diesel. O objetivo é assegurar que o biodiesel e o óleo diesel A (diesel sem adição de biodiesel, cuja mistura conduz ao óleo diesel B, vendido ao consumidor por distribuidores e revendedores de combustíveis líquidos) atendam aos limites exigidos para os seus respectivos parâmetros físico-químicos. (Valor Econômico)

TAG vai transportar gás de Equinor, Shell, Galp, Compass, PetroRecôncavo, Origem e Proquigel
A TAG conseguiu definir espaço na sua malha de dutos para o transporte de gás natural por Equinor, Shell, Galp, Compass, PetroRecôncavo, Origem Energia e Proquigel, da Unigel. Juntas, as empresas solicitaram acesso para transporte de 11,7 milhões de m3/dia, sendo 5,1 milhões de m3/d em capacidade de entrada e 6,5 milhões de m3/d em capacidade de saída. (epbr)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Quinta-Feira, 02 de Dezembro

Elétricas e Saneamento

Luz deve subir 19% em 2022, diz levantamento; seca é maior responsável
A conta de luz deve sofrer, em média, um reajuste de 19% em 2022, de acordo com cálculos da TR Soluções, empresa de tecnologia especializada em tarifas de energia. As informações são do UOL. Segundo o estudo, a maior parte desse aumento, 12%, será necessária por conta da alta de custos da geração de energia provocada pela seca. (IstoÉ)

Reservatórios terão 56% da capacidade em maio, diz CMSE
Carga de energia para 2022 deve crescer 2,7%. Os reservatórios do subsistema Sudeste/Centro-Oeste devem chegar em maio de 2022 com 55,9% de sua capacidade máxima, terminando o período de chuvas com um nível de armazenamento 12,9 pontos percentuais superior ao de 31 de maio de 2021, segundo estimativas feitas pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE). (Valor Econômico)

Brasil bate recorde na compra de gás dos EUA após crise hídrica
A crise hídrica fez o Brasil comprar volumes recordes de gás dos Estados Unidos, com o país passando do sétimo lugar no ranking de maiores importadores de gás natural liquefeito (GNL) americano, em 2020, para o quarto neste ano. As importações de GNL, que respondem por quase um quarto da oferta de gás hoje no Brasil, mais que dobraram no último ano e devem se manter alta no médio prazo, afirmam analistas. (Valor Econômico)

Carga de energia do sistema deve crescer 2,7% em 2022
A carga de energia do Sistema Interligado Nacional (SIN) deve crescer 2,7% em 2022, para 71.373 megawatts médios, de acordo com projeções do Planejamento Anual da Operação Energética para o período entre 2022-2026. Projeção leva em consideração um crescimento de 1,3% no Produto Interno Bruto no ano que vem, ante a estimativa original de 2,3%. No horizonte dos próximos cinco anos, a expectativa é que haja um aumento médio de 3,4% por ano. (Valor Econômico)

Consumo de gás em térmicas pode aumentar 60% em 10 anos
A demanda por gás natural para fins de geração de energia em termelétricas poderá apresentar uma elevação de 59,4% até 2031 quando comparado a 2021. Os dados são do caderno de gás natural do PDE 2031, elaborado pela Empresa de Pesquisa Energética e publicado pelo Ministério de Minas e Energia. (Canal Energia)

Omega Energia recebe registro de companhia aberta com possibilidade de emissão de ações
A combinação de negócios da Omega Geração e da Omega Desenvolvimento foi aprovada pelos acionistas em assembleia geral extraordinária, realizada em outubro deste ano. Além disso, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) deferiu o registro de companhia aberta da Omega Energia, resultante da reestruturação da Omega Geração. O registro, na categoria A, permite a emissão de ações. (Valor Econômico)

Pesquisa indica caminhos para transição energética com integração de redes na América do Sul
Estudo divulgado nesta terça (30) pelo ClimaInfo indica que a integração de fontes renováveis na América do Sul abre a possibilidade de prescindir de fontes fósseis a partir do potencial de complementaridade horária e sazonal. A pesquisa analisou dados publicados dos setores elétricos da Argentina, Brasil e Chile e identificou regiões entre os países com maior potencial de complementariedade a ser explorado: Solar no Brasil. (epbr)

Regulamentação de usinas híbridas anima setor
A notícia de que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) regulamentou o funcionamento de Centrais Geradoras Híbridas (UGH) e centrais geradoras associadas para janeiro de 2023, causou boas expectativas entre os agentes do setor. Diversas fontes ouvidas pela reportagem convergem que a decisão da Agência será um marco para o melhor aproveitamento dos diferentes potenciais energéticos no Brasil. (Canal Energia)

Equatorial suspende rede elétrica em terra indígena, em linha com a recomendação do MPF
Os trabalhos, segundo o MPF, são realizados sem a autorização da Funai e da licença ambiental do Ibama, como determina a legislação. O Ministério Público Federal (MPF) em Paragominas (PA) recomendou que a distribuidora Equatorial Energia interrompa a instalação de rede elétrica, feita sem respaldo legal, para atender a invasores da Terra Indígena Alto Rio Guamá, no nordeste do Pará. (Valor Econômico)

Valgroup, de embalagens de plástico, e Casa dos Ventos firmam acordo de energia renovável
O contrato prevê a entrega de 25 megawatts (MW) médios ou cerca de metade do consumo de energia das operações do grupo no Brasil durante 15 anos. (Valor Econômico)

Novembro termina com Sudeste/Centro-Oeste em níveis acima de 2020
Os níveis na região Sudeste terminaram novembro com volume de 19,7%, de acordo com dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico. Apesar da forte crise hídrica que assolou o país em 2021, os números da região são melhores que os de 2020, quando ao fim de novembro tinha 17,7%, dos pontos percentuais abaixo do nível atual. (Canal Energia)

Aneel e Anatel vão rever norma de compartilhamento de postes
Uma proposta elaborada pelas agências reguladoras de energia elétrica e de telecomunicações prevê a revisão das regras de compartilhamento de infraestrutura entre distribuidoras e prestadoras de serviços de telecom. Ela entrará em consulta pública na página da Aneel nesta quinta-feira, 2 de dezembro, e também deverá ser debatida em consulta a ser lançada pela Anatel. (Canal Energia)

Anges da Costa é cotada para vaga na ANEEL em 2022; diretor Hélio Guerra deve ser reconduzido
A Agência Infra apurou que a chefe da assessoria especial em assuntos reguçatórios do Ministério de Minas e Energia, Agnes da Costa, é a favorita para ocupar uma cadeia que ficará vaga na agência em maio do próximo ano, com o término do mandato do diretor Sandoval Feitosa. Sua indicação já teria sido encaminhada do MME para a casa civil, segundo fontes. (Agência Infra)

. . .

BRENT CRUDE

US$70,19/Barril +1,92%

CÂMBIO

R$5,51/USD +0,57%

Óleo & Gás

Petróleo mantém forte volatilidade à espera da Opep+
Investidores também mostram-se preocupados com impacto da nova variante do coronavírus. Os preços do barril de petróleo são negociados em alta firme nesta quarta-feira, de mais de 4%, à espera da reunião da Organização dos Países Exportadores da commodity e aliados (Opep+). Também pesa nos negócios a preocupação com a nova variante do coronavírus. (Valor Econômico)

Gás para distribuir prejuízos
Indústrias não viram reflexo dos baixos preços do gás comprado lá fora em suas tarifas na pré-pandemia. A nova proposta da Petrobras em relação aos preços do gás natural, de aumentar em até 50% o valor do insumo fornecido às distribuidoras, segue inadequada tendo em vista que a empresa ainda ocupa um papel dominante no mercado brasileiro, além de ter consequências muito preocupantes para a economia brasileira. (Valor Econômico)

Produtores vão a Bolsonaro pedir aumento da mistura de biodiesel no diesel
Os produtores de biodiesel estão tentando marcar uma reunião ainda esta semana com o presidente Jair Bolsonaro para expor os impactos da decisão tomada pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) de fixar a mistura do biocombustível no diesel fóssil em 2022 em 10%. O setor reclama de desinformação por parte do governo federal para adotar tal posição, considerada “inesperada e inexplicável”, e acredita na reversão da medida, sem descartar uma ação na Justiça para isso. (Valor Econômico)

ExxonMobil define novas metas para emissão de CO2
A ExxonMobil ampliou as metas de redução da quantidade de dióxido de carbono liberado com cada barril de petróleo produzido, aplicando-as em todas as suas operações, mas evitou os cortes mais profundos nas emissões endossados por companhias de petróleo concorrentes da Europa. Petroleira americana almeja reduzir a intensidade dos gases de efeito estufa que produz em 20% a 30% até 2030. (Valor Econômico)

Sob efeito do petróleo, inflação da indústria acelera
Com influência da alta do preço do petróleo, a chamada inflação de “porta de fábrica”, sem impostos e fretes, voltou a acelerar em outubro. Índice de Preços ao Produtor atingiu 26,57% no acumulado até outubro, o maior para o período de toda a série histórica. (Valor Econômico)

Petrobras tem capacidade para ser uma potência em dividendos, diz Citi
Para os analistas, o múltiplo EV/Ebitda da Petrobras tem mais desconto do que seus pares devido, principalmente, ao risco de interferência política nos preços e na alocação de capital da empresa. A Petrobras tem capacidade para se tornar uma potência em dividendos, avalia o Citi, após a companhia fazer uma apresentação a investidores em Nova York, ontem. (Valor Econômico)

Petrobras: venda da Repar e da Refap deve ficar para depois das eleições de 2022
O diretor-executivo Financeiro e de Relacionamento com Investidores da Petrobras, Rodrigo Araujo, disse nessa terça (30/11) que a venda das refinarias Getúlio Vargas (Repar), no Paraná, e Alberto Pasqualini (Refap), no Rio Grande do Sul, provavelmente ocorrerá depois das eleições de 2022. A fala do diretor ocorreu em encontro com investidores na Bolsa de Nova York, informa a Reuters. (epbr)

Os gastos com xisto dos EUA devem se livrar das incertezas e saltar 19% em 2022, chegando a US $ 83 bilhões
As despesas com xisto dos EUA devem aumentar 19,4% no próximo ano, saltando de US $ 69,8 bilhões em 2021 para US $ 83,4 bilhões, o nível mais alto desde o início da pandemia Covid-19 e sinalizando o surgimento da indústria de um período prolongado de incerteza e volatilidade, de acordo com um relatório da Rystad Energy. (Rystad Energy)

. . .

Nossos últimos relatórios

  • Data Expert | Sensor Elétrico XP – O pior passou, por enquanto (link)
  • AES Brasil (AESB3): Cenário hidrológico deteriorado ataca novamente (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultado do 3T21 abaixo de nossas estimativas; Negativo (link)
  • Equatorial (EQTL3): A Gigante Continua Crescendo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adeus Omega Geração, Olá Omega Energia; Reiteramos Compra (link)
  • CTEEP (TRPL4): Sem surpresas no resultado do 3T21 e pagamento de bons dividendos (link)
  • CESP(CESP6): Reestruturação a caminho, mas ainda é cedo para ficar otimista (link)
  • Energias do Brasil (ENBR3): Energias do Brasil adquire plataforma de crescimento em transmissão no Centro-Oeste (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.