XP Expert

Ibovespa ultrapassa 127 mil pontos novamente diante de dados econômicos robustos e otimismo internacional

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 1,5% | 127.019 Pontos

CÂMBIO 0,6% | 5,23/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa fechou em alta nesta quarta-feira (7) ganhando impulso dos índices americanos em mais um dia de recorde histórico do S&P 500, que subiu 0,34% a 4.358 pontos. Hoje, bolsas internacionais amanhecem negativas (EUA -1,4% e Europa -1,6%) após Japão (-0,9%) declarar estado de emergência antes das Olimpíadas devido às novas infecções por COVID-19, revivendo preocupações com a volta dos confinamento em massa. O NASDAQ 100 também cai -1,5% depois de mais um fechamento recorde enquanto os juros americanos de 10 anos ficam abaixo de 1,3%, o menor valor desde fevereiro.

Do lado da Renda Fixa, as taxas futuras de juros fecharam o dia de ontem em queda, após resultados do IGP-DI e vendas do varejo pela manhã e divulgação da ata do Fed à tarde. A autoridade monetária norte-americana não repetiu o tom hawkish do comunicado de duas semanas atrás, trazendo alívio aos mercados. Além disso, não houve piora na percepção de risco local, o que permitiu a queda nas taxas. DI jan/22 fechou em 5,735%; DI jan/24 encerrou em 7,865%; DI jan/26 foi para 8,46%; e DI jan/28 fechou em 8,91%.

Do lado de Economia, destaque para a ata da última reunião do comitê de política monetária do Federal Reserve, divulgada ontem, a qual mostrou algumas divergências nas avaliações dos seus membros sobre o quadro inflacionário na economia americana e o início do processo de redução de compras de ativos. Nesse sentido, dados do mercado de trabalho serão fundamentais para a definição dos próximos passos do Fed na condução da política monetária. Ainda na cena internacional, o Banco Central Europeu (BCE) realiza hoje um anúncio formal sobre sua revisão de estratégia de política monetária (a primeira desde 2003), que agora deverá envolver  uma meta explícita de inflação de 2% (versus a meta atual de “abaixo, porém próximo a 2% no médio prazo”).

No Brasil, as vendas no varejo exibiram resultados sólidos em maio, apesar de terem vindo abaixo das expectativas. Praticamente todos os segmentos do comércio registraram crescimento no mês, como reflexo do aumento da mobilidade, dos pagamentos de auxílio emergencial e da retomada da confiança dos consumidores. Para conferir o que os dados do varejo de Maio querem dizer para as ações do setor, clique aqui. Hoje, as atenções do mercado estarão voltadas para a divulgação do IPCA de junho (XP e consenso de mercado esperam elevação de 0,59% em comparação a maio e de 8,41% em 12 meses).   

Por fim, do lado de Política, a CPI da Pandemia teve seu dia de maior tensionamento com a prisão do ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias, acusado de mentir ao colegiado. Ele acabou solto depois de pagar R$ 1,1 mil de fiança, mas o incidente acabou por contaminar o plenário e expôs divergências entre o presidente da CPI, Omar Aziz, e o do Senado, Rodrigo Pacheco, sobre o tom empregado às Forças Armadas durante a sessão. Outro destaque do dia foi a fala de Arthur Lira: o presidente da Câmara afirmou que a reforma tributária não será votada enquanto não estiver madura, o que vai confirmando tendência de que não haja votação antes do prazo para início do recesso na semana que vem.  

Tópicos do dia

Acesse aqui o relatório internacional

Economia

  1. Ata do FED traz avaliações divergentes entre os seus membros, mas paciência e cautela devem prevalecer; no Brasil, atenções voltadas aos dados de inflação

Política

  1. CPI tem dia de maior tensionamento com prisão de ex-diretor do Ministério da Saúde
  2. Arthur Lira diz que reforma tributária não será votada enquanto não estiver madura
  3. Política internacional: Pacote de infraestrutura pode ser pautado já na semana do dia 19  

Empresas

  1. Magalu (MGLU3): Aquisição da Juni
  2. Cury (CURY3): Anúncio de parceria comercial com a HBR Realty
  3. Infraestrutura: Leilão da BR-163 agendado para hoje 10h00 (leituras possíveis para CCR/ECOR/RUMO/Hidrovias)
  4. Notícias Diárias do Setor Financeiro
  5. Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 08/07

Veja todos os detalhes

Economia

Ata do FED traz avaliações divergentes entre os seus membros, mas paciência e cautela devem prevalecer; no Brasil, atenções voltadas aos dados de inflação

  • A publicação da ata da última reunião do comitê de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central americano) foi o grande evento econômico de ontem. A maioria dos dirigentes do Fed expressou surpresa com a velocidade e a extensão da pressão inflacionária, destacando que fatores de oferta e demanda têm contribuído para o aumento dos preços. Vários membros sublinharam que restrições na cadeia de suprimentos e escassez de insumos podem exercer pressão altista sobre os preços domésticos até o ano que vem, enquanto outros dirigentes afirmaram que as expectativas inflacionárias de longo prazo permanecem em intervalos consistentes com os objetivos da autoridade monetária. De forma geral, a ata reforçou a visão do Fed de que, embora a inflação tenha subido mais fortemente do que o originalmente previsto, sua tendência atual é transitória;
  • Segundo a ata, os participantes do Comitê Federal do Mercado Aberto (FOMC) concordam que a recuperação econômica está incompleta e que riscos para as perspectivas econômicas permanecem. O objetivo de “progresso adicional substancial” da recuperação do país ainda não fora atingido, embora os participantes do colegiado esperem que avanços continuem. Ademais, a ata destaca o elevado grau de incerteza em torno das perspectivas para o crescimento econômico e os níveis de preços, expressando que é “muito cedo para tirar conclusões firmes sobre a trajetória do mercado de trabalho e da inflação”. A esse respeito, alguns dirigentes do Fed demonstraram intenção de esperar pela publicação de um conjunto maior de indicadores ao longo dos próximos meses antes da tomada de qualquer decisão. Por sua vez, “vários participantes” acreditam que as condições para iniciar a redução gradual das compras de ativos (tapering) serão atingidas mais cedo do que as expectativas existentes nas reuniões anteriores. Dito isso, o banco central americano provavelmente manterá a postura paciente e cautelosa em relação aos próximos passos de política monetária. Dados sobre o mercado de trabalho americano serão cruciais para a definição da postura do Fed. Segundo o time de estratégia macro global da XP, o Fed provavelmente divulgará informações sobre o cronograma do tapering no simpósio de Jackson Hole (26 a 28 de agosto), encontro anual de banqueiros centrais;   
  • O Banco Central Europeu (BCE) fará hoje um anúncio formal sobre os resultados de sua revisão de estrutura de política monetária. O BCE adotará uma meta explícita de inflação de 2% (versus a meta atual de “abaixo, porém próximo a 2% no médio prazo”), enfatizando a simetria deste objetivo. Os agentes de mercado irão monitorar se o BCE estará disposto a permitir que a inflação ultrapasse a meta após períodos de baixo crescimento de preços. A autoridade monetária também irá incorporar objetivos de mudanças climáticas em seu arcabouço, penalizando empresas com altas emissões de carbono. Ainda na agenda econômica desta quinta-feira, destaque para a divulgação de dados referentes à economia dos Estados Unidos: pedidos semanais de auxílio desemprego, crédito ao consumidor em maio e variação dos estoques de petróleo;
  • No Brasil, o comércio varejista mostrou resultados sólidos em maio, com expansão de vendas em praticamente todos os segmentos. Após contração acentuada em março, causada sobretudo pela piora da crise sanitária e restrições de mobilidade, o varejo brasileiro emite sinais de retomada relativamente rápida. O crescimento do volume de vendas em maio ficou aquém das estimativas (resultado observado do varejo ampliado: 3,8%; projeção XP: 4,8%; consenso de mercado: 4,7%), mas não o suficiente para alterar a avaliação positiva sobre a dinâmica recente do setor. E as vendas no varejo devem continuar em trajetória altista ao longo do 2º semestre, respaldadas pelos avanços na vacinação da população contra a Covid-19 (logo, reabertura da economia), pagamentos de auxílio emergencial e elevação da confiança do consumidor. No entanto, acreditamos que o ritmo de crescimento do comércio será mais moderado nos próximos meses, já que uma maior proporção do consumo das famílias tende a ser direcionada ao setor de serviços (gastos com restaurantes, viagens, eventos, entre outros);
  • No calendário econômico de hoje, grande destaque para a divulgação do IPCA de junho. XP e consenso de mercado esperam elevação de 0,59% em comparação a maio, levando a inflação em 12 meses para 8,41%. Projetamos que o IPCA subirá 6,4% em 2021.

Política

CPI tem dia de maior tensionamento com prisão de ex-diretor do Ministério da Saúde

  • A CPI da Pandemia teve seu dia de maior tensionamento com a prisão do ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias, acusado de mentir ao colegiado. Ele acabou solto depois de pagar R$ 1,1 mil de fiança. O ambiente acabou por contaminar o plenário e expôs divergências entre o presidente da CPI, Omar Aziz, e o do Senado, Rodrigo Pacheco, sobre o tom empregado às Forças Armadas durante a sessão. O acirramento do clima dificulta ainda mais a vida do governo na Casa.

Arthur Lira diz que reforma tributária não será votada enquanto não estiver madura

  • Em meio às diversas pressões e discussões sobre o relatório do deputado Celso Sabino para a proposta de reforma tributária sobre a renda, o presidente Arthur Lira deu importante sinal ontem ao afirmar que o projeto não será votado enquanto não estiver maduro, o que vai confirmando tendência de que não haja votação antes do prazo para início do recesso na semana que vem.

Política internacional: Pacote de infraestrutura pode ser pautado já na semana do dia 19  

  • O presidente do Senado, Chuck Schumer, pode pautar o pacote de infraestrutura de USD 1.2 trilhão logo na semana do dia 19, após volta do recesso no dia 12. Segundo fontes ouvidas pelo Politico, o democrata procura avançar também uma resolução orçamentária, o primeiro passo para iniciar o tratamento do pacote de medidas sociais conhecido como Plano das Famílias Americanas via reconciliation (manobra que permite esquivar obstruções da minoria).  O calendário do líder busca aprovação das duas matérias até o próximo recesso na segunda semana de Agosto;
  • A falta de acordo pelo segundo pacote, cujo andamento é essencial para reunir apoio da ala mais à esquerda do partido democrata pelo pacote de infraestrutura, coloca em cheque o plano de Schumer. Portanto, as negociações na próxima semana, quando senadores retornam a Washington, são consideradas essenciais

Empresas

Magalu (MGLU3): Aquisição da Juni

  • A Magalu anunciou a aquisição da Juni, startup especializada na otimização da taxa de conversão de vendas para e-commerce. Segundo a empresa, a Juni possui um time de especialistas capaz de mapear e analisar diferentes comportamentos dos clientes durante todas as etapas de uma compra online, aumentando a rentabilidade do canal digital;
  • A aquisição está em linha com a estratégia da empresa de aprimorar a experiencia do cliente no SuperApp e de promover o crescimento das vendas do e-commerce;
  • Enxergamos a transação como positiva, mas não deve ter impacto financeiro relevante para os resultados no curto prazo. Mantemos a nossa recomendação neutra e preço-alvo para o fim de 2021 de R$ 27,0/ação.

Cury (CURY3): Anúncio de parceria comercial com a HBR Realty

  • Ontem, a Cury anunciou uma parceria comercial com a HBR Realty visando promover sinergias entre as companhias com o intuito de fortalecer o plano estratégico de expansão e rentabilidade das operações das duas companhias;
  • O acordo comercial visa oferecer o direito de preferência para a HBR atuar na execução e co-desenvolvimento dos projetos futuros com foco em áreas classificadas como não residenciais e fechadas ativas destinadas à utilização comercial;
  • Apesar de esperarmos um impacto limitado, vemos o anúncio como positivo para a Cury e mantemos a recomendação de compra e preço-alvo de R$15/ação.

Infraestrutura: Leilão da BR-163 agendado para hoje 10h00 (leituras possíveis para CCR/ECOR/RUMO/Hidrovias)

  • O leilão da BR-163, está agendado para hoje as 10h00 (horário de Brasilia)
    • A estrada, recentemente pavimentada pelo governo federal, conecta os estados do MT (Sinop) e PA (Miritituba) sendo um dos principais canais de escoamento da produção de grãos do centro-oeste.
    • O trecho possui: (i) ~1.000 km de extensão; (ii) investimentos previstos de R$1.9 bilhões; e (iii) R$1.2 bilhões de previsão de gastos operacionais (manutenção, etc);
  • A relação do trecho com Rumo e Hidrovias:
    • Hidrovias: o trecho da BR-163 a ser leiloado conecta exatamente o coração da produção de grãos do MT (Sinop) ao porto hidroviário de Miritituba, onde a Hidrovias do Brasil possui seu principal terminal (vizinho às grandes tradings), para conexão fluvial com os portos marítimos do norte (formando o conhecido “Arco Norte”);
    • Rumo: ja no caso da ferrovia, o trecho a ser leiloado representa um canal alternativo ao seu transporte em direção ao sudeste (Porto de Santos);
  • O que se espera do leilão:
    • Segundo o Valor Economico, apenas um player entregou envelope de proposta para a rodovia. Portanto, espera-se que o leilão seja bem sucedido, e a concessão de fato ocorra;
  • Leitura para as ações:
    • Rumo/Hidrovias (leitura neutra): o mercado tem feito a leitura de que o sucesso do leilão é positivo para a Rumo (e negativo para a Hidrovias), uma vez que implica no início de cobrança de pedágio (e encarecimento do custo logístico) no trecho que hoje possui fluxo gratuito. Nos vemos o evento como neutro para ambas as empresas, uma vez que apesar do aumento do custo no trecho, a concessão implica em manutenção e melhorias na qualidade do trecho portanto gerando maior eficiência para os caminhões que nele trafegam;
    • CCR/ECOR (leitura neutra): novos leilões são uma fonte de crescimento para o portfolio dessas empresas. Nesse caso, porém, por ser uma concessão atipicamente curta (10 anos, versus ~20-30 anos normalmente), vemos menor probabilidade de interesse por parte da CCR e da Ecorodovias (e vemos a eventual não-participação delas no leilão como algo já esperado pelo mercado);

Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias de hoje do setor

  • Quais tópicos costumamos abordar? Notícias relevantes para os segmentos de proteínas (bovina, suína e frango); açúcar & etanol; milho e soja; exportações brasileiras; dentre outras. Confira os destaques de hoje:
    • Globalmente, preços de alimentos caem em junho pela primeira vez em um ano (Reuters)
    • No Brasil, safra 21/22 da cana deve ser marcada por excelentes margens para as usinas, vê Pecege (Notícias Agrícolas)
    • Em Chicago, soja avança com piora das lavouras nos EUA (Valor Econômico)
  • Clique aqui para acessar o relatório completo: Clipping XP Agro, Alimentos e Bebidas, edição #36

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

  • Nesta publicação diária, trazemos as principais notícias do setor de varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre as tendências e acontecimentos mais importantes do dia. Além disso, o relatório contém um resumo dos múltiplos e recomendações para as empresas de nossa cobertura;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 08/07

  • Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança;
  • Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance histórica do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP;
  • Por que essas informações são importantes? Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.