XP Expert

Discurso da vice-presidente do Fed e início de construções em junho nos EUA são destaque

Inflação recorde na Europa e discurso de Lael Brainard, vice presidente do Federal Reserve, são alguns dos temas de maior destaque nesta terça-feira, 19/07/2022

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 0,4% | 096.916 Pontos

CÂMBIO +0,5% | 5,44/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

Mercados amanhecem mistos, com investidores atentos ao ritmo de aperto monetário dos principais dos bancos centrais do mundo e uma estimativa de queda nos lucros das empresas durante o segundo trimestre de 2022. Em dia de agenda esvaziada, atenções hoje estão voltadas para o discurso da vice-presidente do Fed, Lael Brainard e início de construções em junho nos EUA.

Brasil

Mesmo com os benchmarks americanos caindo em bloco, o Ibovespa fechou em alta de +0,4% aos 96.916 pontos, puxado pelas commodities. O dólar fechou em alta e segue forte frente às demais moedas no mundo. A moeda americana fechou em alta de +0,5%, a R$ 5,44. Os juros futuros apresentaram mais um dia de alta, com o mercado revisando o impacto inflacionário das medidas de estímulos fiscais. A aprovação de “PEC das bondades” influenciou o comportamento das taxas de juros através de dois principais fatores, nos vencimentos curtos o estímulo à uma economia que já apresenta sinais de aquecimento, já na ponta longa, a piora do risco fiscal causada pelo aumento de despesas nas contas públicas. DI jan/23 fechou em 13,915%;  DI jan/24 em 14,0%; DI jan/25 em 13,39%; DI jan/27 encerrou em 13,255%; e DI jan/29 em 13,36%.

Mundo

Bolsas internacionais amanhecem mistas enquanto investidores aguardam novos resultados e avaliam os riscos de recessão em meio às pressões inflacionárias. Nesta segunda-feira, a Apple afirmou que reduzirá o ritmo de contratações e gastos em algumas de suas divisões para lidar com um cenário macroeconômico mais conturbado. Como resultado, o anúncio acabou reduzindo o apetite por risco do mercado. Além disso, em pesquisa do Wall Street Journal, economistas projetam uma probabilidade de recessão em torno de 49% nos próximos 12 meses, um aumento de 5% nas chances vs. o mês anterior. Já em relação à temporada de resultados, hoje teremos a divulgação dos balanços da Netflix, Lockheed Martin e Johnson & Johnson. Na Europa, a Bloomberg relatou que Banco Central Europeu considera uma alta de 50bps já nesta reunião de quinta-feira. Preocupações com o fornecimento de gás também escalam no continente à medida que a Gazprom afirmou que não poderá garantir a retomada de fornecimento no dia 21 por “circunstâncias extraordinárias”. Na China, o índice de Hang Seng (-0,9%) encerra em baixa, reverberando as decepções nas projeções de lucro dos operadores de cassinos em Macau, fortemente impactados pelas restrições locais contra a Covid-19.

Inflação ao consumidor da zona do Euro

A taxa anual de inflação ao consumidor, também conhecida como CPI, da zona do euro atingiu nova máxima histórica de 8,6% em junho, número em linha com as expectativas do consenso, após acelerar de 8,1% em maio, segundo dados finais divulgados nesta terça-feira pela agência de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. O CPI recorde, que segue influenciado pelos efeitos da guerra na Ucrânia, pressiona o Banco Central Europeu (BCE) a seguir adiante com planos de elevar juros pela primeira vez em 11 anos. O BCE, cuja meta de inflação é de 2%, fará anúncio de política monetária na próxima quinta-feira (21). Na última reunião, membros do comitê haviam sinalizado alta de 0,25 p.p. , mas a probabilidade de alta de 0,50 p.p. aumentou significativamente nas últimas semanas.

Mercado em Gráfico

Após a alta das commodities no início do ano, acentuada pela volta da atividade global pós a reabertura econômica e pela guerra entre Rússia e Ucrânia, os preços do cobre caíram para uma baixa de 17 meses, estendendo a queda do último trimestre, com o aprofundamento dos temores sobre uma desaceleração econômica global levando a uma queda nas commodities industriais. O metal, amplamente considerado um bom termômetro da economia mundial, teve queda de cerca de 20% nos últimos três meses, consolidando seu pior trimestre em uma década. Outros metais como alumínio e zinco também aumentaram suas perdas, deixando o trimestre que passou com o fardo de maior queda trimestral do índice de seis metais básicos desde a crise financeira de 2008. Os investidores parecem cada vez mais convencidos de que a demanda pelos materiais metálicos sofrerá com a redução do crescimento econômico global, em meio ao aperto da política monetária e à crise de energia na Europa. A expectativa é que, no curto prazo, os preços ainda devem ser pressionados pelos riscos de desaceleração. Já no longo prazo, acreditamos na transição energética, conforme abordamos no nosso relatório.

Veja todos os detalhes

Economia

FMI estima queda de 1,5% no PIB alemão se Rússia interromper fornecimento de gás ao país

  • O Eurostat confirmou sua estimativa anterior de que os preços ao consumidor nos 19 países que compartilham o euro subiram 8,6% em junho em relação ao ano anterior, marcando outro salto recorde após um aumento de 8,1% em maio e de 7,4% em abril. Os preços da energia contribuíram com 4,19 pontos percentuais para a leitura geral anual, alimentos, álcool e tabaco outros 1,88 pontos e serviços 1,42 pontos;
  • No Reino Unido, o número de pessoas que pedem auxílio-desemprego caiu 20.000 em junho, menos do que o esperado, enquanto o crescimento médio dos rendimentos desacelerou e ficou ainda mais atrás da inflação, disse o Escritório de Estatísticas Nacionais. O Escritório de Estatísticas Nacionais observou uma forte divergência entre a evolução dos setores privado e público: o crescimento médio da remuneração total para o setor privado aumentou 7,2% no período, enquanto o crescimento da remuneração do setor público foi de apenas 1,5%. A queda nos salários reais do setor público – isto é, corrigidos pela inflação – aponta para um risco crescente de que a greve se espalhe durante o verão. O Reino Unido já teve que enfrentar sua maior greve ferroviária em mais de 20 anos por causa de salários neste ano;
  • O FMI divulgou relatório no qual estima perda de 1,5% no PIB alemão caso se concretize um corte total de oferta de gás russo para a Europa. Alguns países poderiam registrar contração de até 6% na atividade. A União Europeia estaria se preparando para dizer aos membros que cortem o consumo de gás o mais rápido possível, tendo em vista a garantia de estoques para o inverno;
  • No Brasil, o governo espera diminuir mais R$ 0,10 no litro do diesel por meio da prorrogação até o fim de 2023 do prazo para que as distribuidoras comprovem as metas de compra de créditos de descarbonização. Com a entrada em vigor da PEC 15, a expectativa é de queda de mais R$0,20 no preço do etanol.

Empresas

Novo piso salarial dos farmacêuticos: Estimando o potencial impacto para as empresas

  • Na semana passada, a Câmara dos Deputados aprovou um projeto de lei (PL) que visa aumentar a base salarial dos farmacêuticos para R$ 6,5 mil/mês vs. a média atual de ~R$3,5 mil/mês;
  • Se aprovado, estimamos que o projeto de lei possa ter um impacto negativo de ~25% na média, no EBITDA das farmácias, além de acelerar a consolidação do setor;
  • No entanto, vemos sua aprovação como improvável, dado que, segundo nossa equipe de análise política, o tema não parece ser uma prioridade do governo neste momento. Continuamos vendo as farmácias como um segmento resiliente em meio ao cenário macro desafiador e reiteramos nossa recomendação de Compra para Panvel e Pague Menos e Neutra para RD e d1000;
  • Clique aqui para o relatório completo.

Trisul (TRIS3) – Prévia operacional 2T22: Dados operacionais brandos afetados por vendas líquidas fracas

  • A Marcopolo sediou o Investor Day 2022, realizado em sua sede em Caxias do Sul/RS e contando com a presença de diversos executivos relevantes;
  • A Trisul apresentou mais um trimestre de dados operacionais fracos no 2T22, prejudicados pelas vendas líquidas atingindo R$ 193 milhões (-22% A/A) e totalizando R$ 312 milhões em 2022 (-26% vs. 1S21). Dito isso, a velocidade de vendas (VSO) atingiu 8% (-7 p.p. A/A e +2 p.p. T/T), explicada pelo cenário desafiador no segmento de média renda devido à inflação mais alta e ao aumento das taxas de juros de imobiliárias;
  • Adicionalmente, os lançamentos tiveram uma recuperação gradual atingindo R$ 383 milhões (-7% A/A). Este volume foi composto por um projeto (Península Vila Madalena). Além disso, os lançamentos caíram -50% em relação ao 1S21, impactados negativamente pelo 1T22, que não teve lançamentos;
  • Dito isto, podemos ver uma reação negativa do mercado para TRIS3;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Construção Civil: Monitor de indicadores de mercado do setor de construção civil

  • Com o objetivo de entender o cenário do segmento de construção civil no Brasil, apresentamos um resumo com os principais destaques do setor;
  • Apesar do cenário macro desafiador, com altas taxas de juros (Selic) e inflação de custos de construção (INCC) sob pressão, as taxas de juros imobiliárias continuam sob controle em relação aos níveis históricos, enquanto os distratos mantiveram níveis saudáveis. Como resultado, vemos concessões de financiamentos imobiliários acima das médias históricas e estáveis com 2021 no acumulado do ano;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Brisanet (BRIT3): Dados Operacionais de Junho

  • Na sexta feira (14) a Brisanet reportou dados operacionais referentes ao mês de junho, registrando uma ligeira aceleração, porém ainda desafiador para alcançar o Guidance para o final do ano (1,1 milhão de clientes; vs. 977 mil clientes em março/22);
  • Ao longo de junho a companhia entrou em mais 3 cidades e expandiu o número de casas passadas em 104 mil HPs (domicílios). Além disso, a Brisanet aumentou o número de clientes de banda larga em 25,9 mil, totalizando 977 mil casas conectadas (HCs) ao final de junho/22. Os números reportados sinalizam uma aceleração de 44% nas adições liquidas de novos clientes (HCs) em relação ao mês anterior;
  • A companhia destacou que espera uma aceleração gradativa nas adições de novas conexões à medida que as cidades recém-ativadas vão ficando mais maduras e, também, pela adição de novos clientes nas 19 cidades adicionadas neste primeiro trimestre. No entanto, para alcançar o guidance a companhia precisa manter a adição de +20 mil assinantes/mês, o que tem sido um desafio nos últimos meses;
  • A companhia também comentou sobre a persistência de uma conjuntura macroeconômica desafiadora afetando a renda de famílias no Nordeste, a despeito do alívio pontual com o aumento do Auxílio Brasil e outros programas sociais do Governo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Bank of America e Goldman Sachs têm queda no lucro no 2º trimestre (Valor);
    • Varejo cresce 5,9% em junho, segundo o ICVA da Cielo (InfoMoney);
    • Número de fusões e aquisições cai 2,3% no primeiro semestre (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • IPCA: Previsão de alta em 2022 cai de 7,67% para 7,54%, diz Banco Central (Estadão);
    • Com demanda menor, supermercados reduzem estoques, e há menos ovos e leite nas prateleiras (Estadão);
    • Luiza Trajano faz vídeo para ‘vender’ carnê do Magazine Luiza, e ação sobe na bolsa (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Cortes de ICMS sobre o etanol devem gerar queda de preços (Valor);
    • Insegurança alimentar deve ser a principal arma no século 21 (Bloomberg);
    • (iii) Perda do poder de compra do público freia reajuste do preço da cerveja nos bares (Guia da Cerveja);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Hidrelétricas reversíveis voltam à discussão. (Canal Energia);
    • Gazprom alega motivos de “força maior” para reduzir fornecimento de gás para empresas da Europa. (Valor Econômico);
    • Petróleo fecha em alta superior a 5% em dia de dólar fraco e menor temor por recessão. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Goldman Sachs lucra com a volatilidade dos mercados e supera consenso

  • Bank of America fica abaixo das expectativas, mas anima mercado com estimativas futuras;
  • Goldman Sachs lucra com a volatilidade dos mercados e supera consenso;
  • IBM relata forte demanda e supera levemente expectativas, mas projeções desanimam;
  • OPEP poderá aumentar a produção em 2023;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

XP Short Scout: Atualizando nosso monitor de short selling no Brasil

  • Estamos atualizando nosso panorama quinzenal de short selling (vendas a descoberto) no mercado brasileiro com dados do fechamento de 15/jul;
  • Através de métodos quantitativos, analisamos 258 ações negociadas na B3 e usamos três indicadores para criar um monitoramento de short selling (ou posições vendidas) no mercado brasileiro: short interest, days to cover e taxa de aluguel;
  • Destaques dessa semana:
    • Construção Civil  é o setor com maior short interest, com um aumento de +2,3 p.p. em relação ao último monitor; EZTC3 se destaca tanto em short interest quando em taxa de aluguel;
    • Enquanto Bancos são menos procurado por investidores para montar posição vendida, Outras Instituições Financeiras aparecem consistentemente nos Top 10 das três métricas analisadas;
    • Mesmo com variação relevante de posições vendidas em alguns nomes, o Ibovespa tem short interest estável em 3,4%.
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • FIIs: Vale a Pena Participar da 7ª emissão do DEVA11? (Investing);
    • Fundo imobiliário aluga edifício para Caixa e indica volta de dividendos; Ifix sobe (MoneyTimes);
    • Fundo imobiliário ‘de papel’ ganha com alta de juros (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Pesquisa XP: O que nossos clientes estão dizendo sobre ESG; Baixo conhecimento + Alto interesse = Grande oportunidade

  • O investimento responsável vem gradualmente ganhando força em todo o mundo nos últimos anos e, mais recentemente, no Brasil, onde vemos essa tendência persistindo e acelerando ainda mais no futuro. No que tange esse tema na XP Inc., vemos a agenda ESG como uma jornada, ao mesmo tempo em que reconhecemos nosso papel em apoiar a transição para um mundo mais sustentável, integrando os tópicos ESG em nossas análises e produtos;
  • Com o objetivo de entender a visão dos clientes pessoa física da XP sobre investimentos ESG e compreender como eles estão respondendo à evolução deste tema, a XP Inc. realiza anualmente uma pesquisa, cujos resultados nós detalhamos neste relatório;
  • De forma geral, a última edição mostrou que os investidores pessoa física estão atrás no relativo aos institucionais quando o tema é conhecimento ESG. Contudo, o interesse dos mesmos em ter investimentos alinhados a essa temática é alto, nos levando a ver uma grande oportunidade adiante, principalmente no que tange educação e desenvolvimento de produtos ESG;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Interesse em ETFs ESG na Europa recua, mas se mantém melhor do que suas contrapartes não ESG | Café com ESG, 19/07

  • O mercado fechou o pregão de segunda-feira em território neutro, com o Ibov em alta de +0,4% e o ISE em leve queda de -0,6%;
  • Do lado das empresas, (i) a fabricante europeia de aviões Airbus e mais de meia dúzia de companhias aéreas disseram ontem que assinaram cartas de intenção para discutir a compra de créditos de remoção de carbono para compensar as emissões de viagens aéreas; e (ii) a Aço Verde do Brasil (AVB), produtora de aços longos, é destaque mundial na agenda ESG por produzir o primeiro aço carbono neutro do planeta, vender tudo o que produz e apresentar rentabilidade superior à dos concorrentes;
  • No internacional, o interesse em fundos negociados em bolsa europeus que investem de acordo com bons princípios ESG se manteve melhor do que contrapartes não ESG, apesar das preocupações de que o sentimento possa estar esfriando – embora as entradas de ETFs ESG tenham caído pela metade no segundo trimestre, em relação aos primeiros três meses do ano, para € 4,2 bilhões, elas caíram menos do que o mercado europeu de ETFs como um todo, de acordo com dados da Morningstar;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.