Commodities seguem ditando o tom no Brasil, enquanto investidores aguardam dados de inflação nos EUA

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Clique para ouvir

IBOVESPA 0,9% | 122.964 Pontos

CÂMBIO -0,1% | 5,22/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou em alta de 0,90% no dia de ontem, puxado pelos expressivos ganhos de Petrobras (PETR3; PETR4), que avançou 1,82% e de Vale (VALE3), que teve alta de 3,51%. Com mais um dia de euforia sobre os papéis ligados a commodities, a Bolsa por aqui acabou se descolando do ambiente de forte queda das bolsas nos Estados Unidos, e o dólar encerrou o dia em queda, a R$ 5,22.

No mercado de juros, as taxas futuras fecharam a sessão de ontem em queda, principalmente no miolo da curva, com a divulgação da ata do Copom. O documento reforçou a sinalização de ajuste parcial nas condições monetárias, e entendemos ser consistente com nosso cenário de taxa Selic em 5,50% a.a. no final de 2021. DI jan/22 fechou em 4,80%; DI jan/24 encerrou em 7,55%; DI jan/26 foi pra 8,41%; e DI jan/28 fechou em 8,88%.

Nessa manhã, mercados globais amanhecem sem direção definida (EUA -0,2% e Europa +0,4%) após a queda de ontem. O principal foco de atenção é a divulgação dos dados de inflação nos EUA em abril. A recuperação robusta da economia americana tem sustentado preocupações a respeito da persistência e magnitude da pressão inflacionária no país.

No Brasil, a inflação medida pelo IPCA de abril exibiu elevação de 0,31% em relação a fevereiro, ligeiramente acima da nossa expectativa (0,28%) e do consenso de mercado (0,29%). O resultado trouxe sinais mistos, com a desaceleração em serviços contrabalanceada por bens industriais ainda pressionados.

Destaque na seara doméstica também para o cenário político. O Senado aprovou o projeto que torna permanente o Pronampe, programa de crédito subsidiado pelo Tesouro Nacional para pequenas e médias empresas, e pressiona governo para dobrar aporte. Ainda ontem, o relator da medida provisória da Eletrobrás apresentou versão preliminar de seu parecer, que precisa ser votado até semana que vem, enquanto o relator da reforma administrativa apresentou parecer favorável, com expectativa que o texto seja votado na comissão na semana que vem.

Do lado das empresas, destaque para a temporada de resultados. O GNDI apresentou um crescimento robusto em receita devido a um aumento sólido no número de beneficiários de planos de saúde; no entanto, a maior sinistralidade pressionou as margens levando a uma queda de 51% no EBITDA, embora absolutamente em linha com nossas estimativas. Reiteramos nossa recomendação de compra para GNDI3 e nosso preço-alvo de R$117/ação. Já a os resultados da Marfrig vieram, em geral, em linha com nossas expectativas, mas ainda assim muito fortes. O EBITDA ajustado ficou em R$ 1,7 bi, 8% abaixo do que esperávamos mas ainda 40% acima do 1T20.

Ainda, publicamos o relatório Fluxo em Foco: Cenário mais favorável traz estrangeiros de volta à Bolsa, destacando que o fluxo de capital estrangeiro na Bolsa brasileira foi positivo em abril e nos primeiros dias de maio de 2021. Apesar das saídas no início do ano, o saldo em 2021 permanece positivo em +R$ 23,9 bilhões.

Finalmente, na agenda de hoje, destaque no Brasil para os resultados do setor de serviços em março, que devem refletir o aperto das medidas de distanciamento social para contenção da pandemia.

Tópicos do dia

Acesse aqui o relatório internacional

Agenda de resultados

YDUQS (YDUQ3): Após o fechamento
Aeris (AERI3): Após o fechamento
Estapar (ALPK3): Após o fechamento
Banrisul (BRSR6): Após o fechamento
Equatorial (EQTL3): Após o fechamento
MRV (MRVE3): Após o fechamento
Via (VVAR3): Após o fechamento
EDP (ENBR3): Após o fechamento
Locaweb (LWSA3): Após o fechamento
BRF (BRFS3): Após o fechamento
d1000 (DMVF3): Após o fechamento
Calendário do 1T21
Temporada de resultados do 1º trimestre 2021 – o que esperar?

Economia

  1. Mercados globais atentos à inflação nos EUA; no Brasil, ata do Copom reforça ajuste parcial na taxa de juros

Política

  1. Ex-secretário de Comunicação do Planalto depõe na CPI
  2. Relator apresenta parecer prévio para medida provisória da Eletrobrás
  3. Senado aprova linha de crédito para pequenas e médias empresas e pressiona governo para dobrar aporte
  4. Relator da reforma administrativa na CCJ apresenta parecer

Commodities

  1. Petróleo: Preços sobem com fechamento de gasoduto nos EUA; OPEP mantem projeção de alta demanda em 2021
  2. Papel & Celulose: Mercado de papelão cresce 13,5% e bate novos recordes em abril

Empresas

  1. Fluxo em foco: Cenário mais favorável traz estrangeiros de volta à Bolsa
  2. GNDI (GNDI3) – 1T21: Pressão de margem com sinistralidade alta
  3. RD – Raia Drogasil (RADL3): Sólido resultado de 1T21; sinalização positiva para 2T21
  4. Carrefour Brasil (CRFB3): Investindo em crescimento; Rentabilidade do 1T21 abaixo do esperado
  5. SulAmérica (SULA11): Abaixo das expectativas, impactado pela pandemia | Revisão 1T21
  6. Marfrig (MRFG3): mais uma vez, forte desempenho nos EUA compensa desafios na América do Sul no 1T21
  7. Vulcabras (VULC3): Dando o primeiro passo; expansão de margem entregue no 1T21
  8. Bancos: Câmara aprova projetor que reduz margem consignável
  9. Mosaico (MOSI3): Fique de olho; Cashback está ON e aquisição do Vigia de Preço
  10. Notícias Diárias do Setor Financeiro
  11. Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

ESG

  1. Locaweb (LWSA3): Empresa nomeia Aline Goldsztejn e Simony Morais como Diretoras Executivas; Avanço na pauta de diversidade fortalece agenda ESG da companhia
  2. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 12/05

Veja todos os detalhes

Economia

Mercados globais atentos à inflação nos EUA; no Brasil, ata do Copom reforça ajuste parcial na taxa de juros

  • Na cena internacional, o PIB do Reino Unido contraiu 1,5% na comparação entre o 1T21 e o 4T20 (-5,2% ante o 1T20), resultado ligeiramente acima das estimativas (-1,6%). Já a produção industrial do Reino Unido registrou expansão mensal de 2,1% em março, superando com folga as projeções do mercado (0,8%). Os dados mais recentes sobre a atividade econômica britânica vêm mostrando recuperação acelerada, na esteira dos avanços do programa de imunização da população contra a Covid-19;
  • Por sua vez, a produção industrial da zona do euro ficou praticamente estável em março (alta sutil de 0,1% em relação a fevereiro), frustrando as expectativas do mercado. Apesar disso, um conjunto mais amplo de indicadores de atividade também vem apontando para uma retomada robusta da economia do bloco no período recente. Neste sentido, a Comissão Europeia publicou, hoje cedo, projeções atualizadas para as principais variáveis econômicas da região, com destaque ao aumento expressivo das expectativas de crescimento do PIB (subiram para 4,3% em 2021 e 4,4% em 2022, frente às estimativas anteriores de 3,8% em ambos os anos);
  • Ainda na agenda econômica de hoje, os mercados estarão muito atentos à divulgação dos dados de inflação nos EUA relativos a abril. O mercado projeta inflação cheia de 3,6% em 12 meses, e núcleo de inflação de 2,3% na mesma base de comparação. A forte recuperação da economia americana – impulsionada por massivos estímulos fiscais e avanços notórios na vacinação contra a Covid-19 – vem alimentando as preocupações do mercado com relação ao quadro inflacionário no país;
  • No Brasil, a ata da última reunião do Copom reforçou a sinalização de ajuste parcial na taxa básica de juros. Segundo o Banco Central, ajustes ininterruptos na taxa Selic até o patamar neutro (equilíbrio de longo prazo) levariam a projeções de inflação “consideravelmente abaixo da meta” no ano que vem. Entendemos que a ata é consistente com nosso cenário de taxa Selic em 5,50% a.a. no final de 2021. Sobre a conjuntura econômica, a autoridade afirmou que a atividade mostra evolução mais positiva do que o esperado, e que deve aos poucos retornar à normalidade; sobre inflação, o Banco Central ressaltou o efeito da alta das commodities sobre alimentos e bens industriais, embora tenha mantido o diagnóstico de que os choques são temporários;
  • A propósito, o IPCA de abril exibiu elevação de 0,31% em relação a fevereiro, ligeiramente acima da nossa expectativa (0,28%) e do consenso de mercado (0,29%). Tivemos uma leitura neutra sobre os resultados. Por um lado, os preços de serviços vieram aquém do esperado, desacelerando nas principais métricas; por outro lado, os preços de bens industriais seguiram pressionados. As próximas divulgações mensais devem mostrar aceleração do IPCA, sobretudo devido ao aumento da tarifa de energia elétrica e dos preços de alimentos. Projetamos alta de 5,4% para o IPCA de 2021;
  • Na agenda de hoje, destaque para a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) referente a março. Esperamos queda de 3,3% na comparação com fevereiro, como reflexo da intensificação das medidas de distanciamento social naquele mês, que devem ter impactado bastante os serviços prestados às famílias. Ainda assim, estimamos crescimento do setor de serviços no 1º trimestre. Além disso, os próximos dados mensais tendem a apresentar recuperação gradual do setor terciário, em linha com o aumento da mobilidade social e retomada da confiança de consumidores e empresários.

Política

Ex-secretário de Comunicação do Planalto depõe na CPI

  • O ex-secretário de Comunicação da Presidência Fábio Wajngarten presta depoimento hoje à CPI da Pandemia. O governo avalia seu testemunho como imprevisível e teme que ele culpe o Executivo pela demora na campanha de vacinação. Ontem, o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, foi ouvido e surpreendeu ao criticar a conduta de Jair Bolsonaro.

Relator apresenta parecer prévio para medida provisória da Eletrobrás

  • O deputado Elmar Nascimento apresentou ontem a líderes uma versão preliminar de seu parecer para a medida provisória da Eletrobrás. O texto mantém linhas gerais do modelo proposto pelo Executivo, mas amplia o escopo e a duração dos aportes em programas regionais demandados por parlamentares. Para que o calendário possa ser cumprido (a medida provisória perde a validade em 23 de junho), o precisa ser votado pelos deputados até a semana que vem.

Senado aprova linha de crédito para pequenas e médias empresas e pressiona governo para dobrar aporte

  • Senadores concluíram ontem a votação do projeto que torna o Pronampe permanente e abre espaço para que o governo edite créditos extraordinários na casa dos R$ 5 bilhões para custear o fundo garantidor dos empréstimos – o Congresso ainda demanda que o governo dobre o valor do aporte. O texto aguarda a sanção de Bolsonaro.

Relator da reforma administrativa na CCJ apresenta parecer

  • O deputado Darci de Matos apresentou seu relatório para a reforma administrativa na CCJ. O parecer é favorável com duas alterações: retira a permissão para que autarquias e fundações sejam extintas por decretos; e suprime a vedação ao exercício de outra atividade remunerada ao titular de cargo típico de estado. A expectativa é que o texto seja votado na comissão na semana que vem.

Commodities

Petróleo: Preços sobem com fechamento de gasoduto nos EUA; OPEP mantem projeção de alta demanda em 2021

  • Nesta terça-feira os preços do petróleo (Brent) fecharam em em alta de +0,34% a US$68,55 barril, devido a gargalos na oferta de derivados de petróleo na Costa Leste dos Estados Unidos por conta do fechamento de um dos maiores gasodutos do país, após um ataque cibernético;
  • Adicionalmente, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) manteve sua projeção de alta na demanda global por petróleo em 2021, segundo relatório mensal publicado nesta terça-feira. A organização segue prevendo que o consumo da commodity aumentará 6 milhões de barris por dia (bpd) este ano, a 96,5 milhões de bpd. O grupo ainda cortou a sua previsão para a produção de petróleo fora da Opep em 2021, e elevou em 0,1 ponto porcentual, a 5,5%, a sua projeção de crescimento para o Produto interno Bruto (PIB) global neste ano;
  • Por fim, o relatório oficial de fornecimento da Agência de Informação de Energia dos EUA (EIA) deve ser publicado hoje às 11:30 da manhã (horário de Brasília), com expectativas do mercado de uma redução de -0,600 milhões de barris nos estoques dos EUA

Papel & Celulose: Mercado de papelão cresce 13,5% e bate novos recordes em abril

  • Segundo dados preliminares divulgados pela Empapel, a expedição de caixas, acessórios e chapas de papelão ondulado foi de 323.878 toneladas em abril, alta de 13,5% em relação à abril de 2020. O mercado de papelão ondulado segue batendo consecutivos recordes mensais. Novamente, esse foi o maior volume expedido entre os meses de abril desde 2005, além de ser a décima vez consecutiva em que o crescimento interanual do volume expedido é recorde;
  • Com relação à produção por dia útil, a Empapel registrou uma alta de 13,5%, na comparação anual, para 13.495t/du, sendo a maior expedição diária entre os meses de abril;
  • Quando consideramos os dados ajustados sazonalmente, a expedição de papelão ondulado apresentou nova queda de 0,6%;
  • Mantemos nossa recomendação de Compra para Irani e Klabin, com preço-alvo de R$ 8,50/ação para RANI3 e R$ 32/ação para KLBN11.
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

Empresas

Fluxo em foco: Cenário mais favorável traz estrangeiros de volta à Bolsa

  • O mês de abril foi marcado por uma redução dos riscos fiscais com a aprovação do orçamento de 2021, sinalizando responsabilidade fiscal pelo governo que, juntamente com um cenário externo mais favorável, trouxe os estrangeiros de volta à Bolsa brasileira;
  • Depois de dois meses registrando saída de capital, o fluxo de capital estrangeiro na Bolsa brasileira foi positivo no mês de abril e nos primeiros dia de maio de 2021, com um saldo de +R$7,9 bilhões;
  • Em março, dado disponível mais recente, a alocação dos fundos de investimentos em ações teve um fluxo positivo de +R$23,4 bilhões. Com isso, a alocação em ações subiu +2,7% no patrimônio líquido das gestoras. Porém, ela ainda representa apenas 14,5% do total. Em contraste, os fundos têm R$4,4 trilhões alocados em renda fixa, correspondente a 85,4% do seu patrimônio;
  • Vimos também um aumento na posição total de investidores pessoas físicas, que cresceu +4,7% M/M, chegando à R$505,0 bilhões;
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

GNDI (GNDI3) – 1T21: Pressão de margem com sinistralidade alta

  • O GNDI apresentou um crescimento robusto em receita devido a um aumento sólido no número de beneficiários de planos de saúde; no entanto, a maior sinistralidade pressionou as margens levando a uma queda de 51% no EBITDA;
  • Em nossa opinião, essa pressão deve continuar ao longo do 1S21, uma vez que a sinistralidade do 1S20 teve o benefício do cancelamento e/ou adiamento de procedimentos eletivos. No entanto, vemos esse impacto como transitório e não estrutural e acreditamos que a empresa deve continuar crescendo organicamente e deve ser capaz de reduzir estruturalmente a sinistralidade em breve. Portanto, reiteramos nossa recomendação de compra para GNDI3 e nosso preço-alvo de R$117/ação;
  • O número de beneficiários de planos de saúde atingiu 3.8M, um aumento de 6.5% A/A (+2% organicamente) e 1.5% abaixo de nossas estimativas;
  • A receita líquida atingiu R$2.9B, alta de 13% A/A e apenas 1.9% abaixo de nossas estimativas;
  • Em termos de margens, esperava-se uma pressão nos custos médicos em função de: i) aumento de custos em relacionados ao tratamento da Covid-19; e ii) aumento de procedimentos/tratamentos eletivos, já que apesar da segunda onda da Covid-19 no início de 2021, não houve postergação de tratamentos/procedimentos este ano como ocorrera em 2020. A sinistralidade caixa atingiu 78%, 10pp maior vs 1T20 e 1pp acima de nossas estimativas;
  • Este impacto foi parcialmente compensado por menores despesas de comerciais e administrativas, consequentemente, o EBITDA Ajustado atingiu R$189M no trimestre, 51% abaixo do 1T20 e em linha com nossas estimativas. O lucro líquido ajustado atingiu R$28M, redução de 87% A/A;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

RD – Raia Drogasil (RADL3): Sólido resultado de 1T21; sinalização positiva para 2T21

  • A RD reportou sólidos resultados referentes ao primeiro trimestre de 2021 (1T21), acima das nossas estimativas porém em linha com o consenso. O forte desempenho de vendas mesmas lojas (+8,6% A/A sendo +4,6% de lojas maduras), a penetração de vendas digitais em um nível recorde (em 7,7%) e ganho de participação de mercado nacional e em todas as regiões foram os principais destaques positivos;
  • Esperamos uma reação positiva do mercado devido à sólida performance de vendas de lojas maduras, alta penetração do digital, manutenção de margem EBITDA apesar dos investimentos no digital e estratégia da companhia e sinalização positiva para o 2T21 com os dados preliminares de vendas de abril;
  • Mantemos nossa recomendação Neutra e preço alvo de R$27,0 por ação para o fim de 2021 para RADL3. Veja nosso relatório completo aqui.

Carrefour Brasil (CRFB3): Investindo em crescimento; Rentabilidade do 1T21 abaixo do esperado

  • Carrefour Brasil reportou resultados referentes ao primeiro trimestre de 2021 (1T21) abaixo das nossas estimativas e do mercado, decorrente de uma queda de margem bruta mais forte do que as nossas expectativas. O lucro líquido veio bastante acima da nossa estimativa, por conta de um impacto não recorrente. Ajustando para esse efeito, o lucro veio abaixo do nosso, devido ao resultado operacional mais fraco;
  • Esperamos uma reação negativa do mercado uma vez que, apesar da sólida performance de vendas já divulgada no dia 19/abr, o resultado de hoje mostrou um impacto mais forte do que o esperado em rentabilidade. Olhando para seus pares, o Atacadão apresentou um crescimento de receita líquida abaixo do Assaí (+17,6% A/A vs. +21% respectivamente) com uma margem EBITDA também abaixo (em 6,6% vs. 6,8%);
  • Já no Carrefour, o crescimento de receita líquida foi bastante acima do GPA Brasil (+5,8% A/A vs. -2,9% A/A respect.), porém com uma margem EBITDA bastante abaixo (em 5,5% vs. 8,2%). Mantemos nossa recomendação Neutra e preço alvo de R$28,0 por ação.

SulAmérica (SULA11): Abaixo das expectativas, impactado pela pandemia | Revisão 1T21

  • A SulAmérica reportou resultados abaixo do esperado, com lucro líquido de R$ 54 milhões (vs. R$ 71 milhões do consenso Bloomberg), implicando em um ROE de 11,6%;
  • No trimestre, destacamos o desempenho negativo do segmento de Vida, impactado principalmente pelo aumento no número de óbitos relacionados à Covid-19, e da maior alíquota de imposto devido ao não reconhecimento de créditos tributários. Por outro lado, os segmentos de Saúde e Odonto foram destaques positivos, beneficiados pelas medidas mais restritivas de isolamento e pela postergação de procedimentos eletivos, compensando o maior volume de sinistros relacionados a pandemia;
  • Esperamos uma reação negativa aos resultados no pregão de hoje, mas reiteramos nossa recomendação de Compra e preço-alvo de R$ 58,00/ação para SULA11 devido a: i) fundamentos de longo prazo; ii) o trimestre não deve ser tratado como recorrente; e iii) a retomada da economia deve beneficiar prêmios. Clique aqui para acessar o relatório completo.

Marfrig (MRFG3): mais uma vez, forte desempenho nos EUA compensa desafios na América do Sul no 1T21

  • A Marfrig reportou seus resultados do 1T21 e, no geral, os números vieram em linha com nossas expectativas, mas ainda assim muito fortes. O EBITDA ajustado ficou em R$ 1,7 bi, 8% abaixo do que esperávamos mas ainda 40% acima do mesmo trimestre em 2020;
  • O resultado foi, mais uma vez, impulsionado por um forte desempenho nos EUA, onde os níveis de abate permaneceram praticamente estáveis ​​ao mesmo tempo em que o preço do gado diminui, com isso a empresa registrou um aumento de 368 pontos-base na margem EBITDA atingindo 12%, em linha com nossa projeção;
  • Já a América do Sul, por outro lado, registrou resultados mais fracos do que o esperado, com um EBITDA ajustado de R$ 211 milhões que ficou 20% abaixo da nossa projeção;
  • No geral, foi um resultado forte e impulsionado pela operação dos EUA, que já representa 89% do EBITDA ajustado da empresa. Reiteramos nossa recomendação de Compra, com preço-alvo de R$ 24 por ação;
  • Clique aqui para o relatório completo.

Vulcabras (VULC3): Dando o primeiro passo; expansão de margem entregue no 1T21

  • Vulcabras divulgou um sólido resultado no 1° trimestre de 2021 (1T21) com forte crescimento de receita e expansão de margem, embora abaixo de nossas estimativas otimistas. Apesar do cenário desafiador no trimestre, a empresa apresentou crescimento de receita de 30,7% vs o 1T20, impulsionada pelo aumento do volume de vendas de calçados esportivos (+22% a/a), outros calçados (+87,7% a/a) e vestuário e acessórios (+9,9% a/a). Além disso, a empresa apresentou uma melhora de 1,71 pontos percentuais na margem bruta e 0,57pp na margem EBITDA quando comparado ao 1T20, o que reforça o principal pilar da nossa tese de investimento: expansão da margem;
  • Devemos observar, no entanto, que a empresa apresentou um alto consumo de caixa no trimestre impulsionado por maiores necessidades de capital de giro (o fechamento de lojas devido à pandemia exigiu prazos de pagamento mais longos) e Cape;.
  • Esperamos uma reação neutra do mercado dado que o sólido crescimento da receita e expansão da margem bruta foram compensados pelo consumo de caixa de R$92,7 milhões no trimestre, devido ao aumento de R$62,6 milhões das necessidades de capital de giro e R$47,2 milhões em Capex;
  • Reiteramos nossa recomendação de Compra e preço alvo de R$12,0/ação;
  • Clique aqui para o relatório completo.

Bancos: Câmara aprova projetor que reduz margem consignável

  • A Câmara aprovou ontem o PL 3515/15, que reduz a margem consignável de 35% para 30% (+5% para cartão consignado);
  • A mudança reduz a capacidade de originação de crédito consignado por bancos em 15%, o que é um grande impacto, uma vez que crédito consignado é a maior linha de empréstimo pra pessoa física e representa mais de 10% do crédito do sistema financeiro nacional. A linha ainda é relevante pra virtualmente todo segmento de banco, incluindo incumbentes, bancos médios e digitais;
  • A mudança ainda poderia ser vista como judicialmente mais arriscada para bancos, uma vez que o projeto sugere que o judiciário interprete o texto em favor dos consumidores, o que poderia aumentar provisões operacionais;
  • Por fim, acreditamos que o movimento seja negativo para o setor, especialmente considerando o momento de pouca visibilidade econômica. Como ainda existem incertezas fiscais, de vacinação e outras, uma linha que tem inadimplência estruturalmente baixa (~2-3% p.a.) e juros alto (~20% p.a.) ajuda o sistema a conseguir originar crédito de maneira saudável.

Mosaico (MOSI3): Fique de olho; Cashback está ON e aquisição do Vigia de Preço

  • Ontem, a Mosaico fez dois anúncios: (i) lançamento da sua plataforma de cashback e (ii) aquisição do Vigia de Preço por R$7,5 milhões (1,4x EV/Receita ou abaixo de 0,1x EV/GMV originado, vs. MOSI em 7x EV/Receita 2021e);
  • Vemos os anúncios como positivos pois enxergamos o cashback como um risco positivo para nossas estimativas, através de um aumento da retenção e/ou recorrência dos consumidores, enquanto a aquisição complementa a proposta de valor da companhia ao mesmo tempo em que reforça o time da Mosaico;
  • Mantemos nossa recomendação de Compra e preço-alvo para o fim de 2021 de R$38,0/ação para MOSI3. Leia o relatório completo aqui.

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

  • Nesta publicação diária, trazemos as principais notícias do setor de varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre as tendências e acontecimentos mais importantes do dia. Além disso, o relatório contém um resumo dos múltiplos e recomendações para as empresas de nossa cobertura.
  • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Locaweb (LWSA3): Empresa nomeia Aline Goldsztejn e Simony Morais como Diretoras Executivas; Avanço na pauta de diversidade fortalece agenda ESG da companhia

  • A Locaweb, via comunicado ao mercado ontem (link), anunciou que foram nomeadas as Sras. Aline Goldsztejn e Simony Morais para os cargos de Diretora Jurídica Corporativa e Diretora de Gente e Gestão Corporativa, respectivamente. A Sra. Aline Goldsztejn construiu carreira na área jurídica, a começar na Salgado Freitas Advogados e posteriormente na Procuradoria do Estado. Na Locaweb há 16 anos, agora torna-se Diretora Jurídica Corporativa da Companhia. A Sra. Simony Morais é uma executiva com mais de 15 anos de carreira em Recursos Humanos, está na companhia desde 2017 e agora assume a posição de Diretora de Gente e Gestão Corporativa;
  • A Diretoria da Locaweb passa a ser composta por 8 membros, dos quais, agora, duas são mulheres (vs. a ausência de membros femininos anteriormente). Com a recente nomeação, a empresa avança em relação à agenda de diversidade na liderança, com mulheres representando 25% da diretoria. Frente ao anúncio, a Locaweb passa a fazer parte dos somente 14,5% de empresas listadas na Bolsa brasileira* que possuem ao menos uma mulher no Conselho de Administração (Sra. Andrea Gora Cohen) e pelos menos duas na diretoria;
  • Vemos o anúncio como positivo e importante para o avanço tanto da pauta social, quanto de governança, dentro da companhia, ao mesmo tempo em que reconhecemos a importância da agenda de diversidade e inclusão. Reiteramos nossa recomendação de Compra para a Locaweb, com preço-alvo de R$ 32/ação para final de 2021.

* Fonte: Teva Indices. A Teva Indices considera no estudo um universo de 179 empresas brasileiras listadas, com três critérios de elegibilidade: (i) Free Float: Não são consideradas as empresas que possuem menos de 4,0% de suas ações em circulação; (ii) Valor de Mercado: Não são consideradas empresas abaixo de R$ 300 milhões e (iii) Volume negociado: Não são consideradas empresas abaixo de R$ 100 milhões.

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 12/05

  • Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança;
  • Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance histórica do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP;
  • Por que essas informações são importantes? Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.