XP Expert

Bolsas em baixa após fala do Fed; no Brasil, prévia de Natura (NTCO3) leva ação a cair -16%

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,6% | 114.344 Pontos

CÂMBIO -1,0% | 4,62/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

Os mercados amanhecem em queda avaliando indicações de que o Federal Reserve (Fed) de uma aceleração no ritmo de alta de juros. Na agenda de hoje, teremos dados de atividade econômica medidos pelos PMIs industriais, de serviços e compostos nos EUA.

Brasil

Depois da queda de -0,6% na quarta-feira (20), ontem, a B3 fechou por conta do feriado de Tiradentes, mas as empresas brasileiras negociadas lá fora registraram forte queda acompanhando os mercados globais. O Dow Jones Brazil Titans 20 ADR, índice das principais empresas brasileiras listadas com recibos nos EUA, e o EWZ, ETF negociado no mercado americano, fecharam em baixa de -3,5% e -2,6%, respectivamente. As quedas vieram em meio à fala mais dura do presidente do Federal Reserve (Fed) para conter a inflação em alta.

Mundo

Bolsas internacionais amanhecem negativas (EUA -0,4% e Europa -1,3%) à medida que investidores digerem os últimos comentários do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, e seguem avaliando a temporada de resultados. Nesta quinta-feira, Powell afirmou que, em sua visão, uma alta de juros mais acelerada seria apropriada para combater a inflação. Além disso, indicou que uma alta de 0,5% estará em discussão já na próxima reunião de política monetária americana. Em relação à temporada de resultados, os dados seguem positivos, das 91 empresas do S&P 500 que reportaram seus balanços, 80% superaram as estimativas de lucro, segundo a Bloomberg. Na China, o índice de Hang Seng (-0,2%) encerrou em leve baixa após sinalização do Banco Central da China pontuando que será cauteloso nos próximos estímulos a economia. Por fim, o petróleo (-1,9%) amanhece em queda com as perspectivas de um crescimento global mais fraco e temores sobre uma redução na demanda chinesa devido aos lockdowns.

Política monetária nos EUA

O presidente do Fed, Jerome Powell, sinalizou ontem em um painel organizado pelo FMI que o banco central americano está preparado para aumentar as taxas de juros em 0,5% na reunião do próximo mês. A visão de que o Fed deve apertar o passo, que foi sustentada pelas autoridades mais hawkish no início, passou a ser amplamente aceita. Com isso, o mercado já precifica pelo menos três altas de meio ponto nas próximas reuniões.

Dados de atividade econômica

Na Zona do Euro, o PMI composto de abril veio acima do esperado, marcando 55,8 pontos ante uma previsão de 53,9 – um resultado acima de 50 indica expansão da atividade econômica e, abaixo de 50 indica contração. O resultado foi impulsionado pelo setor de serviços, que subiu a 57,7 de 55,6 em março, em reflexo da normalização da economia no pós-pandemia. Por outro lado, o PMI da indústria caiu para 55,3 de 56,5 em março, mostrando os efeitos da interrupção das cadeias de suprimentos na pandemia agravada pela guerra na Ucrânia.

Orçamento no Brasil

No Brasil, o ministro da economia Paulo Guedes afirmou em discurso ontem que conceder um aumento de 5% aos servidores é possível, mas será preciso fazer ajustes no orçamento. No entanto, continuam as pressões em diversas carreiras por maiores reajustes.

Temporada de resultados do primeiro trimestre

Na quarta-feira, o destaque foi para a prévia dos resultados da Natura (NTCO3) que indicaram um resultado do trimestre fraco e que levaram a uma forte queda de -15,6%. Além disso, Usiminas (USIM5) foi a primeira empresa a divulgar os balanços trimestrais, que vieram abaixo do consenso do mercado e apresentaram tendência de deterioração recorrente. Para mais detalhes sobre a temporada, veja aqui.

Veja todos os detalhes

Economia

O presidente do Fed, Jerome Powell, sinalizou que o banco central dos EUA está preparado para aumentar as taxas de juros em meio ponto na reunião do próximo mês. Na zona do euro, o índice composto do PMI mostra uma aceleração inesperada este mês, impulsionada pela reabertura do setor de serviços. No Brasil, o ministro da Economia Paulo Guedes disse que é possível aumentar os salários dos servidores públicos em 5%, mas isso exigirá cortes de despesas

  • O presidente do Fed, Powell, enviou p sinal mais forte até agora de que o Federal Reserve está preparado para aumentar as taxas de juros em meio ponto percentual em sua reunião no próximo mês, à medida que o banco central dos EUA intensifica os esforços para combater a inflação crescente. Em um painel organizado pelo FMI, Powell afirmou que é apropriado, em sua opinião, avançar um pouco mais rapidamente. A visão de que o Fed deve apertar o passo para aumentar sua taxa básica de juros, de modo que rapidamente atinja um nível “neutro” que não estimule o crescimento foi sustentada apenas pelas autoridades mais “hawkish” no início, mas tornou-se mais amplamente aceita. Os mercados estão precificando três aumentos de taxa de meio ponto para as próximas três reuniões de política até julho, com o banco central passando para aumentos de 0,25 pp. após esse ponto, para que a taxa de fundos federais atinja 2,77% até o final do ano;
  • O número de pessoas que entraram com pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos EUA manteve-se estável na semana passada, refletindo um mercado de trabalho que continua muito apertado. Os pedidos iniciais de seguro-desemprego caíram para 184.000, ante 186.000 revisados para cima na semana anterior, mas permaneceram perto da mínima de 60 anos registrada no início do mês. Os pedidos iniciais ficaram claramente abaixo de 200.000 por semana nas últimas quatro semanas. Enquanto isso, os pedidos contínuos caíram mais do que o esperado, para 1,417 milhão, ante 1,475 milhão na semana anterior;
  • O crescimento dos negócios da zona do euro acelerou inesperadamente este mês, com o setor de serviços do bloco vendo um aumento acentuado na atividade, já que os consumidores ignoraram os aumentos dos preços, mostrou uma pesquisa. A manufatura, no entanto, foi bastante afetada pois as interrupções na cadeia de suprimentos causadas pela pandemia foram exacerbadas pela invasão da Ucrânia pela Rússia e pelos novos bloqueios na China. Como resultado, o S&P Global Flash Composite Purchasing Managers’ Index, visto como um bom indicador da saúde econômica geral, subiu para 55,8 em abril, de 54,9 em março, acima das expectativas da pesquisa Reuters de uma queda para 53,9. Um PMI que cobre o setor de serviços da zona do euro subiu para 57,7 em abril, a maior alta em oito meses, de 55,6 em março. A previsão mediana em uma pesquisa da Reuters era de um declínio para 55,0. Mas o PMI da industrial caiu para 55,3, o mínimo em 16 meses, de 56,5 em março, embora tenha superado a previsão dos analistas de 54,7. Qualquer leitura acima de 50 pontos indica uma expansão;
  • Os principais preços ao consumidor do Japão subiram no ritmo mais rápido em mais de dois anos em março. O núcleo do índice de preços ao consumidor (IPC), que exclui os preços voláteis de alimentos frescos, mas inclui combustíveis e custos mais amplos de energia, saltou 0,8% em março em relação ao ano anterior, mostraram dados do governo nesta sexta-feira;
  • No Brasil, o ministro da Economia Paulo Guedes disse nesta quinta-feira que dar um aumento de 5% para todos os servidores públicos não seria um problema, apesar de ser mais caro. Mas Guedes destacou que seria necessário cortar outras despesas para que o aumento caiba no orçamento, o que deve ser fruto de um acordo político. Mas as pressões de servidores por maiores aumentos devem continuar;
  • Na agenda de hoje teremos PMIs industriais, de serviços e compostos nos EUA. O mercado espera PMIs industrial e de serviços de 57,9 e 58,2, muito acima dos 50 pontos, o que indica uma expansão.

Empresas

Natura&Co. (NTCO3): Prévia dos resultados do 1T22; um trimestre desafiador à frente

  • Nós dividimos nossa prévia dos resultados do 1T22 antes do nosso relatório usual (Vitrine XP). De modo geral, esperamos um trimestre fraco, puxado por uma dinâmica ainda desafiadora em Avon LatAm, desalavancagem operacional na TBS e uma performance mais fraca na Avon Internacional devido ao conflito da Russia e Ucrânia;
  • Esperamos uma queda de 14,5% A/A da receita líquida consolidada com um EBITDA ajustado em R$522mi (margem de 6,5%) e um prejuízo líquido de R$222mi;
  • Apesar de acreditarmos que esse resultado esteja abaixo das expectativas do consenso, já esperávamos um 1S22 difícil e acreditamos que só devemos ver resultados mais concretos da reestruturação da Avon – o principal pilar da tese – a partir do segundo semestre de 2022;
  • Clique aqui para o relatório completo.

Usiminas (USIM5): Siderurgia ainda aterrissando, mas mineração decepciona mercado

  • A Usiminas reportou resultados trimestrais abaixo do consenso de mercado e apresentando tendência de deterioração recorrente. O EBITDA ajustado foi de R$ 1.560 milhões (-15% T/T, -35% A/A), com margem EBITDA de 20% (queda de 3 p.p. T/T). Os principais destaques foram: (i) maiores volumes no segmento siderúrgico; (ii) maior CPV/t caixa de aço devido aos maiores custos de carvão compensados por menores custos de placas (iii) menores volumes de minério de ferro compensados por maiores preços realizados. O EBITDA reportado ficou 17% abaixo das expectativas de mercado devido ao resultado pior do que o esperado na divisão de mineração;
  • Siderurgia: Os volumes totais aumentaram 6,6% T/T em razão de maiores vendas domésticas de 867kt (+9,5% T/T, -25,7% A/A) parcialmente compensadas por menores exportações de 267kt (-1,8% T/T. +207% A/A). Os preços realizados permaneceram estáveis (em dólares), mas foram prejudicados pelo Real mais forte. Adicionalmente, os preços mais altos do carvão contribuíram para um aumento de 5,1% no CPV/t caixa no trimestre, pressionando a margem EBITDA Ajustado para 14,6% (vs 20,9% no 4T21 e 30,1% no 1T21). Em termos absolutos, esse EBITDA Recorrente Ajustado foi de R$ 1.011 milhões -28% T/T e -42% A/A;
  • Mineração: Os volumes caíram 17,4% no trimestre, o que, aliado ao aumento do CPV/t, não foi suficiente para compensar um forte aumento nos preços realizados de 48,7% no trimestre (em dólares), devido tanto aos preços de referência mais altos quanto ao desconto menor para essa referência. Isso resultou em um EBITDA de R$ 345 milhões 35% superior ao trimestre anterior e 10% acima da nossa estimativa, mas 38% abaixo do consenso de mercado;
  • Nossa opinião: Vemos o resultado da Usiminas como levemente negativo, uma vez que ficou abaixo das expectativas do mercado com tendência de queda de margens. Embora ainda vejamos uma margem EBITDA historicamente alta para a companhia de 19,9%, o maior CPV caixa no segmento siderúrgico deve continuar pressionando as margens no 1T22 juntamente com volumes menores. Mantemos nossa recomendação Neutra em USIM5 com preço-alvo de R$15,5 por ação;
  • Para acessar o relatório completo, clique aqui.

Telecom Brasil: O PIX entrou na conta! Finalmente o Closing da Oi Móvel

  • Na quarta-feira (20), compradores (TIM, Vivo, Claro) e vendedor (Oi) anunciaram a conclusão e fechamento do processo de aquisição dos ativos móveis da Oi.  Na nossa visão a conclusão da transação é positiva para todos os players envolvidos especialmente para a Oi (OIBR3) (sem cobertura) e TIM (TIMS3) (recomendação de Compra e preço -alvo de R$ 21 para o final de 2022);
  • A TIM desembolsou R$ 7 bilhões pela compra dos ativos e desembolsará mais R$ 230 milhões até o 1T23 condicionado a determinadas metas de base de clientes. Adicionalmente, a companhia pagou R$ 250 milhões a título de prestação de serviços na fase de transição, além de assumir um compromisso (contrato take or pay) para uso de infraestrutura de transporte por 10 anos com um VPL estimado de R$ 476 milhões;
  • A Vivo desembolsou R$ 5,4 bilhões pela compra dos ativos e desembolsará mais R$ 115 milhões até o 1T23 condicionado a determinadas metas na transição. Adicionalmente, a companhia pagou R$ 179 milhões a título de prestação de serviços na fase de transição, além de assumir um compromisso (contrato take or pay) para uso de infraestrutura com um VPL estimado de R$ 179 milhões;
  • Migração de clientes para TIM, Vivo e Claro ocorrerá em fases e vai durar 12 meses. Nesse período, a Oi vai continuar fazendo o atendimento dos clientes para evitar eventuais rupturas e impactos nas operações. Esse formato foi acordado através de um contrato de Serviços de Transição;
  • Temos recomendação de Compra e preço-alvo de R$21,0/ação para TIMS3 e recomendação Neutra e preço-alvo de R$57,0/ação para VIVT3.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Gigantes do varejo elevam pressão contra camelódromo digital. (Folha);
    • Após rumores de vazamento de balanço, Natura divulga dados preliminares do 1º trimestre. (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • ABI nomeia Ricardo Tadeu ‘chief growth office’ (BrazilJournal);
    • IGC eleva estimativa de produção global de grãos em 2021/22 (Valor);
    • Queda incomum na demanda de soja da China pode preceder contração de carne suína (Reuters);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • “Não se justifica o barril de petróleo acima de US$ 100”, diz sócio da gestora Atmosphere. (Estadão);
    • Em clima de decepção com TCU, governo agora cogita privatização da Eletrobras em julho. (Valor Econômico);
    • Petróleo fecha em alta, com Europa considerando banir importações russas. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Lucro recorde da Tesla

  • Tesla supera estimativas do consenso;
  • ASML reporta em linha, mas afirma não ter sinais de desaceleração de demanda;
  • United Airlines apresenta projeções otimistas;
  • Fabricantes de veículos elétricos aumentam preços na China por conta do aumento nos custos de produção;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Novos fundos imobiliários financiam projetos de retrofit (Valor);
    • O que mudou no FII HCTR11? Gestor da Quatá Imob fala sobre o fundo que chegou a cair 16% em quatro sessões (InfoMoney);
    • Fundos imobiliários com lastro em tijolos demonstram potencial de alta, aponta casa de análise (Valor);

ESG

Cresce a busca por criptoativos verdes no Brasil | Café com ESG, 22/04

  • Com feriado ontem, o mercado fechou o pregão de quarta-feira em campo neutro, com o Ibov e o ISE em leve queda de -0,6% e -0,7%, respectivamente;
  • No Brasil, (i) cresce um dos mercados mais maduros do mundo na comercialização de certificados de energia renovável, segundo um estudo feito pela Similarweb, que apontou que o país é pioneiro no desenvolvimento de tokens de energia no exterior, um tipo de moeda verde que funciona como ativos digitais relacionados a criptoativos e comprova que a energia é, de fato, de origem limpa e renovável; e (ii) a SLC Agrícola anunciou que vai assinar um contrato voluntário de compensação financeira com o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam) para manter preservados 1.358 hectares de vegetação nativa no Mato Grosso, uma área que não faz parte da reserva legal nem de área de preservação permanente (APP) da propriedade;
  • No internacional, o governo chinês aprovou a construção de seis reatores nucleares como parte de um plano para reduzir as emissões de dióxido de carbono em mais do que o dobro da capacidade de energia nuclear nesta década;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.