XP Expert

Bolsa brasileira descola dos mercados globais com temores sobre a inflação

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -2,1% | 106.420 Pontos

CÂMBIO +0,2% | 5,57/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Na contramão das bolsas americanas que bateram novos recordes de pontuação na sessão de ontem (26/10), o Ibovespa fechou na sua segunda pior pontuação do ano aos 106.420 pontos, com uma queda de -2,11%. Enquanto isso, o dólar fechou com alta de 0,19% aos R$ 5,57. As taxas futuras de juros, fecharam em forte alta até os vencimentos intermediários na sessão de ontem. Todo esse movimento acontece por uma reação do mercado ao IPCA-15 de outubro que ficou acima das estimativas na véspera da decisão do Copom. DI jan/22 fechou em 8,568%; DI jan/24 foi para 12,00%; DI jan/26 encerrou em 11,96%; e DI jan/28 fechou em 12,02%.

Nesta quarta-feira, bolsas internacionais amanhecem levemente negativas (EUA -0,1% e Europa -0,3%) após o S&P 500 registrar máxima histórica pela 57ª vez em 2021, impulsionado pela forte temporada de balanços. Até o momento 30% dos membros do índice reportaram seus resultados e 82% das companhias superaram as expectativas de lucro. Na China (-1,3%), o mercado encerra em campo negativo ao passo que a Comissão Federal de Comunicações dos EUA, suspendeu a autorização para a subsidiária local da China Telecom operar no país, alegando riscos à segurança nacional e alimentando temores sobre um novo escrutínio americano sobre as empresas chinesas. O petróleo (-1,2%) amanhece em queda, após fechar em máxima dos últimos sete anos, devido a um aumento mais alto que o esperado de 2,2 milhões de barris nos estoques americanos vs. 1,9 milhões projetados pelos analistas.

Em economia, os preços das ações e das commodities caem com as preocupações sobre a recuperação global devido à escassez de matérias-primas e ao aumento dos salários e dos custos de energia. No Brasil, o foco hoje está na reunião do Copom. As expectativas do mercado variam de 1,25 a 3,00 pp de alta da taxa Selic, refletindo as incertezas causadas pelo risco fiscal. Os números do IPCA-15 de outubro divulgados ontem bem acima das expectativas, complicaram ainda mais o quadro.

Além disso, em política internacional, no Congresso americano, cresce a preocupação entre democratas sobre a possibilidade de não haver acordo sobre o Plano das Famílias Americanas até quinta-feira, dia no qual Joe Biden deve viajar a Europa para reunião do G-20. O presidente tem importante papel em mediar reuniões e aproximar posições das diferentes alas do partido, portanto sua presença em Washington é considerada relevante para um acordo. Além disso, parlamentares relatam inquietações sobre perda de ímpeto uma vez ultrapassado o prazo simbólico.

Por fim, na frente ESG, do lado das empresas brasileiras, a Petrobras vem desenvolvendo tecnologias para garantir produção de óleo e gás com emissões reduzidas, afim de contribuir com a meta de redução de emissões absolutas operacionais totais em 25% até 2030; e o Itaú anunciou a adesão ao Net-Zero Banking Alliance (NZBA), acordo mundial liderado pela ONU – desde 2016, o banco já “zera” as emissões de suas operações (escopo 1) e da energia que consome (escopo 2), mas agora vai zerar também o que é gerado pela sua carteira de crédito, ou seja, as empresas que financia (escopo 3); o Bradesco aderiu a esse compromisso em julho e o Santander, por fazer parte do conglomerado espanhol, também já participa do programa.

Tópicos do dia

Agenda de resultados

Gerdau (GGBR34): Antes da abertura
Santander (SANB11): Antes da abertura
WEG (WEGE3): Antes da abertura
Movida (MOVI3): Após o fechamento
Multiplan (MULT3): Após o fechamento

Calendário do 3T21

Temporada de resultados do 3º trimestre 2021 – o que esperar?

Economia

  1. Os preços das ações e das commodities caem com as preocupações sobre a recuperação global devido à escassez de matérias-primas e ao aumento dos salários e dos custos de energia. No Brasil, o foco está na reunião do Copom. As expectativas do mercado variam de 1,25 a 3,00 pp de alta da taxa Selic, refletindo as incertezas causadas pelo risco fiscal

Política

  1. Nos EUA, cresce a preocupação entre democratas sobre a possibilidade de não haver acordo sobre a agenda econômica de Biden

Empresas

  1. WEG (WEGE3) 3T21 Resultados: Fortes Resultados Seguindo Dinâmica Positiva de Receita
  2. Gerdau (GGBR4): Quebrando novos recordes; Resultados acima do esperado, novamente
  3. Marfrig (MRFG3): quebrando recordes novamente, como esperado
  4. CESP (CESP6): Resultado do 3T31 ligeiramente positivo, boa execução superando desafios
  5. Concessões Rodoviárias: Analisando a Dutra; O Maior Leilão de Rodovia do Mundo
  6. Klabin (KLBN11): Anúncio de dividendos de R$0,37 por ação
  7. Principais notícias dos setores

Mercados

  1. Pesquisa assessores XP: Riscos políticos e fiscais continuam deterioramento sentimento em relação à Bolsa
  2. Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Microsoft e Google surpreendem

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 27/10

Veja todos os detalhes

Economia

Os preços das ações e das commodities caem com as preocupações sobre a recuperação global devido à escassez de matérias-primas e ao aumento dos salários e dos custos de energia. No Brasil, o foco está na reunião do Copom. As expectativas do mercado variam de 1,25 a 3,00 pp de alta da taxa Selic, refletindo as incertezas causadas pelo risco fiscal

  • Os analistas de mercado estão cada vez mais preocupados com a recuperação global, devido à escassez de matérias-primas e ao aumento dos salários e dos custos de energia. A crise da dívida no setor imobiliário da China também continua pairando sobre o mercado. Como consequência, mesmo com ganhos corporativos relativamente sólidos, os índices de ações e os preços das commodities estão caindo generalizadamente hoje;
  • O governo alemão cortou a previsão de crescimento do PIB do país para 2021 de 3,5% para 2,6% devido a restrições de oferta. As autoridades alemãs esperam uma recuperação de 4,0% no ano que vem, na esperança de que as cadeias de abastecimento globais se normalizem gradualmente;
  • No front de dados, o destaque são os pedidos de bens duráveis ​​de setembro nos EUA, um importante indicador antecedente para a produção industrial;
  • No Brasil, atenções voltadas para a reunião do Copom. O aumento da inflação global e a decisão do governo de mudar o arcabouço fiscal tornam a tarefa do Copom de trazer a inflação para  a meta muito mais desafiadora. Os números do IPCA-15 de outubro divulgados ontem bem acima das expectativas, complicaram ainda mais o quadro. Diante desse cenário, o mercado espera que o Comitê acelere o ritmo de aperto, mas não há consenso sobre o novo ritmo. A expectativa é de alta de 1,25 a 3,00 pp na taxa Selic hoje à noite. Esperamos alta de 1,50 pp e projetamos a Selic em 11% ao final do ciclo de ajuste monetário;
  • O índice de preços ao consumidor IPCA-15 subiu 1,20% em outubro, acima da nossa estimativa e da mediana das expectativas de mercado (em 0,96% e 1,0%), impulsionado por altas acentuadas nos preços dos serviços. O índice de preços anual subiu para 10,34% de 10,05% no mês anterior. Itens como aluguel, passagem aérea, hospedagem, cabeleireiro, entre outros, apresentaram reajustes de preços bem maiores do que o esperado. O grupo de serviços representou um desvio de 0,14 pp (de 0,24 pp de desvio do título). Os números do IPCA-15 levaram o mercado a elevar a projeção do IPCA para 2021. Ajustamos nossa projeção de 9,5% para 9,1%;
  • A pesquisa CAGED registrou adição líquida de 314 mil empregos formais em setembro, abaixo de nossa previsão e do consenso de mercado (335 mil e 355 mil, respectivamente), mas ainda em níveis muito encorajadores. Em termos dessazonalizados (estimativas próprias), o saldo de empregos desacelerou de 280 mil em agosto para 260 mil em setembro. O mercado de trabalho formal provavelmente permanecerá em uma trajetória ascendente consistente no futuro, embora em um ritmo mais moderado a partir do primeiro trimestre de 2022.

Política

Nos EUA, cresce a preocupação entre democratas sobre a possibilidade de não haver acordo sobre a agenda econômica de Biden

  • No Congresso americano, cresce a preocupação entre democratas sobre a possibilidade de não haver acordo sobre o Plano das Famílias Americanas até quinta-feira, dia no qual Joe Biden deve viajar a Europa para reunião do G-20. O presidente tem importante papel em mediar reuniões e aproximar posições das diferentes alas do partido, portanto sua presença em Washington é considerada relevante para um acordo. Além disso, parlamentares relatam inquietações sobre perda de ímpeto uma vez ultrapassado o prazo simbólico;
  • Apesar dos correligionários de Biden terem avançado nas negociações nas últimas duas semanas, ainda permanecem divergências relevantes a serem resolvidas sobre o financiamento do projeto e medidas para Saúde. Nesse contexto, o senador Ron Wyden divulgou uma nova proposta para ajudar financiar o projeto – um novo imposto sobre ganhos de capitais para bilionários;
  • Além das divergências sobre o texto, parlamentares notam preocupações pelo calendário apertado para mais negociações. No fim do mês, o Congresso deve retomar discussões sobre orçamento para estradas e, no fim do ano, sobre o orçamento público e teto da dívida;
  • Vale destacar ainda que tanto o Plano das Famílias Americanas quanto o projeto de Infraestrutura de USD 1,2 trilhão – cujo andamento segue bloqueado pela ala mais à esquerda do partido democrata, que vincula o andamento de uma matéria ao da outra na Câmara – ganham mais destaque em meio a duas disputas eleitorais para governador acirradas nos estados de Virginia e New Jersey.

Empresas

WEG (WEGE3) 3T21 Resultados: Fortes Resultados Seguindo Dinâmica Positiva de Receita

  • A WEG reportou sólidos números no 3T21, com receita líquida de ~ R$6,2 bilhões refletindo um desempenho de receita positiva tanto do mercado interno (+ 41% A/A) quanto externo (+ 20% A / A);
  • No nível de rentabilidade, a margem EBITDA em ~18,5% apresentou leve contração de 1p.p. A/A, refletindo a pressão de custo já esperada sobre as matérias-primas, com ROIC permanecendo em um nível forte de ~ 31%;
  • Finalmente, o lucro líquido de ~R$813 milhões ficou ~ 9% acima das estimativas de XP e +4% acima das estimativas de consenso, mostrando crescimento de 26% A/A.

Gerdau (GGBR4): Quebrando novos recordes; Resultados acima do esperado, novamente

  • Nessa manhã, a Gerdau reportou seus números operacionais referentes ao 3T21. Os números apresentados foram novamente muito fortes e acima do esperado pelo mercado, com EBITDA ajustado em R$7,023 bilhões (+19% T/T e +228% A/A). Tanto o EBITDA quando a margem EBITDA do 3T21 foram recordes, refletindo o cenário de alta demanda do setor de aço nos países que a Gerdau atua.
  • A receita líquida atingiu R$21,317 bilhões (+11% T/T, +11% vs XPe) acompanhando a maior receita por tonelada vendida, reflexo do momento favorável da indústria do aço combinado com o portfólio de produtos de maior valor agregado otimizado pela companhia nos últimos anos.
  • Já o lucro líquido foi de R$5,594 bilhões (+58% T/T, +54% vs XPe), também recorde histórico para a companhia, impulsionado por um EBITDA também forte.

Marfrig (MRFG3): quebrando recordes novamente, como esperado

  • No 3T21, a Marfrig apresentou números recordes em suas operações nos Estados Unidos e na América do Sul.
  • A receita líquida atingiu R$ 23,6bi (+40% A/A e + 8% vs. XPe), com um ligeiro aumento nos volumes, mas preços mais altos em toda as frentes.
  • A margem EBITDA ajustada veio em linha com nossas expectativas de 20,0% (vs. XPe de 20,4%). O Lucro Líquido de R$ 1,765bi (+79% A/A, mas -40% vs. XPe), entretanto, veio abaixo do esperado, parte pela marcação a mercado das ações da BRF, mas também pela provisão de taxas de juros mais altas para a dívida em moeda local (BRL), embora ambos sem efeito caixa.
  • A alavancagem caiu para o nível mais baixo da história da Marfrig em 1,10x em BRL (1,07x USD) e, em nossa opinião, tal estrutura tem valor estratégico face a maior inclinação da curva de juros no Brasil.
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

CESP (CESP6): Resultado do 3T31 ligeiramente positivo, boa execução superando desafios

  • No dia (26), a CESP divulgou seu resultado do 3T21 após o fechamento do mercado. O EBITDA ajustado atingiu R$ 143,6 milhões, 5,8% acima da nossa estimativa de R$ 135,7 milhões e 4,0% acima do consenso de mercado de R$ 138,0 milhões. O desempenho reflete principalmente: (i) a deterioração das condições hídricas ao longo do trimestre e os altos cortes de GSF associados; (ii) maiores custos de aquisição de energia (crescimento de 95,5% A/A e 10,2% acima de nossas estimativas); parcialmente compensado por (iii) aumento nas vendas no mercado livre e de curto prazo (crescimento de 32% A/A e 10,6% acima de nossas estimativas);
  • Quanto ao lucro líquido, a empresa registrou R$ 395,3 milhões, bem acima da nossa estimativa de R$ (58,9) milhões e do consenso de R$ (48,0) milhões, principalmente devido ao reconhecimento de ganhos não recorrente de extensões de concessão de R$ 483 milhões (líquido de impairment) e R$ 240 milhões em reversão de provisões de processos judiciais;
  • Vemos como ligeiramente positivo o resultado da CESP no 3T21. Apesar do resultado operacional majoritariamente em linha com nossas estimativas, a CESP ainda conseguiu entregar uma geração de caixa operacional de R$ 106 milhões, mesmo com a pior hidrologia dos últimos meses. Além disso, também entregou uma redução de riscos com o fim do contencioso GSF e gerenciamento de passivos contingentes. Mantemos CESP6 como nossa Top Pick com um preço-alvo de R$ 33/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Concessões Rodoviárias: Analisando a Dutra; O Maior Leilão de Rodovia do Mundo

  • CCR e Ecorodovias estão confirmados entre os participantes do leilão;
  • O maior processo competitivo de rodovias do mundo, a Dutra (atualmente uma concessão da CCR), está programada para ser leiloada pelo governo federal em 29 de outubro (R$14,8 bilhões em investimentos e 626km de extensão);
  • Analisamos o projeto e concluímos que ele agregar valor para as empresas da cobertura (nossas análises de sensibilidade pré-leilão indicam um potencial de VPL inicial de ~R$1,4-1,8 bilhões [~7% e ~26% do valor de mercado atual da CCR e da Ecorodovias, respectivamente]);
  • As propostas foram apresentadas na manhã desta terça-feira e, apesar desse ser um ativo bastante desejado e conhecido, a competição estará limitada apenas à CCR e Ecorodovias (os únicos a apresentarem proposta);
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

Klabin (KLBN11): Anúncio de dividendos de R$0,37 por ação

  • Em Fato Relevante publicado ontem (26), a Klabin anunciou a aprovação do pagamento de dividendos e juros sobre capital próprio (JCP) aos acionistas. O valor total a ser distribuído será de R$402 milhões, sendo R$102 milhões referente à JCP e R$300 milhões referente aos dividendos. O valor corresponde à R$0,36597 por unit (1,5% de dividend yield);
  • Os detentores das ações deverão receber o pagamento dos dividendos e JCP no dia 11 de novembro de 2021 (data ex em 1 de novembro);
  • Temos recomendação de Compra para a Klabin.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Shopee chega a 1 milhão de vendedores brasileiros. (Revista PEGN);
    • Com marcas oficiais, Mercado Livre continua buscando confiança do cliente. (Exame);
    • Americanas S.A. lança serviço de importação da China para vendedores do marketplace. (E-commerce Brasil);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • China pode voltar a aceitar carne brasileira (Valor);
    • National Beef turbina resultados da Marfrig (Valor);
    • Betânia-Embaré quer investir em aquisições (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Consumo de energia elétrica no país cai 7,9% na primeira quinzena de outubro. (Valor Econômico);
    • Petróleo fecha em alta, com o WTI em nova máxima desde outubro de 2014. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Pesquisa assessores XP: Riscos políticos e fiscais continuam deterioramento sentimento em relação à Bolsa

  • Nos últimos dias, realizamos uma nova edição da nossa pesquisa com os assessores da XP e assessores de investimento de escritórios autônomos filiados à XP Investimentos. Nesta edição, obtivemos 570 respostas únicas;
  • Em outubro, o percentual dos assessores que disseram que seus clientes visam diminuir a alocação em Renda Variável continuou a subir, em +7p.p. M/M para 58%, um novo recorde na nossa série histórica. Esse nível supera o número de clientes que pretendem aumentar sua exposição (10%, -1p.p. M/M) e clientes que pretendem manter seus investimentos nessa classe de ativos (33%, -6p.p. M/M);
  • Os investimentos que os assessores e seus clientes se mostraram mais interessados foram: 1) Tesouro Direto e Renda Fixa (74%, +5p.p. M/M); 2) Investimentos Internacionais (67%, 0p.p. M/M); 3) Fundos de Renda Fixa (49%, +2p.p. M/M); 4) Criptoativos (41%), 5) Fundos Imobiliários (32%, +2p.p. M/M); 6) Fundos Multimercado (19%, -1p.p. M/M ); 7) Fundos de Renda Variável (10%, -3p.p. M/M); e 8) Ouro (7%, +1p.p. M/M). Pela primeira vez, incluímos criptoativos na nossa pesquisa;
  • Em outubro, os assessores e seus clientes ficaram mais cautelosos em relação à Bolsa. Neste mês, a maioria dos assessores, 41% deles, acreditam que o Ibovespa ficará entre os 120.000 e 130.000 pontos ao final de 2021, enquanto que 37% deles acreditam que o Ibovespa ficará entre os 110.000 e 120.000 pontos ao final de 2021;
  • A média de palpites calculada foi de 119.533 pontos, uma redução de -5,4% em relação ao mês anterior (126.319 pontos na pesquisa passada);
  • Em relação aos riscos, o destaque continuou sendo o risco político e fiscal no Brasil, chegando a 84%. A alta da inflação foi vista como o segundo maior risco em 5%, seguido da alta da Taxa Selic e desaceleração global, ambas em 4%;
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Microsoft e Google surpreendem

  • Google reporta forte resultado em receitas e afirma não ter sofrido impacto relevante com as mudanças na política de privacidade na Apple;
  • AMD registra faturamento acima das projeções e expansão de margens, em consequência da forte demanda por seus chips. 
  • Dados apontam que a forte temporada de resultados do 3º trimestre volta a trazer otimismo para os modelos dos analisas ao passo que projeções de lucros voltam a subir;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 27/10

  • Ontem o mercado fechou mais um pregão em território negativo, com o Ibov e o ISE em queda de -2,1% e -1,8%, respectivamente;
  • No Brasil, do lado das empresas, (i) a Petrobras vem desenvolvendo tecnologias para garantir produção de óleo e gás com emissões reduzidas, afim de contribuir com a meta de redução de emissões absolutas operacionais totais em 25% até 2030; e (ii) o Itaú anunciou a adesão ao Net-Zero Banking Alliance (NZBA), acordo mundial liderado pela ONU – desde 2016, o banco já “zera” as emissões de suas operações (escopo 1) e da energia que consome (escopo 2), mas agora vai zerar também o que é gerado pela sua carteira de crédito, ou seja, as empresas que financia (escopo 3); o Bradesco aderiu a esse compromisso em julho e o Santander, por fazer parte do conglomerado espanhol, também já participa do programa;
  • Além disso, na política, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, defendeu a união do setor produtivo para regular a compra e venda de créditos de carbono no País (PL 528). Segundo ele, a regulamentação não impõe nenhuma obrigatoriedade na compra dos mesmos, preferindo que o mercado seja voluntário – “Não temos intenção de fazer a competição de brasileiros ricos contra brasileiros pobres”. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.