XP Expert

Atenções voltadas para inflação na Alemanha e PMI na China

Situação fiscal no Reino Unido, atividade econômica na China e dados de inflação no Brasil são alguns dos temas de maior destaque nesta quinta-feira, 29/09/2022

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +0,1% | 108.451 Pontos

CÂMBIO -0,1% | 5,37/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaque do dia

O mercado repercute a decisão do governo do Reino Unido de aumentar gastos e reduzir tributos por meio do aumento da dívida pública. Banco da Inglaterra lança programa de compra de títulos para conter crise. Na agenda do dia, os principais eventos temos a divulgação do índice de inflação da Alemanha e dos PMIs (composto, manufatura e serviços) da China. No Brasil, teremos a divulgação do Relatório Trimestral de Inflação do Banco Central.

Brasil

O principal índice da bolsa brasileira encerrou o pregão da quarta-feira (28) com uma leve alta de 0,1%, aos 108.451 pontos, enquanto o dólar caiu 0,1% frente ao real, encerrando o pregão aos R$ 5,37. As taxas futuras de juros registraram leve alta, contrariando o movimento de mercado registrado na quarta-feira. Diante de um cenário externo ainda desafiador, os agentes devolveram parte dos prêmios retirados do mercado de juros após dados positivos do IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15). O movimento aconteceu devido, principalmente, à menor demanda por ativos de risco de países emergentes. Ao mesmo tempo, do lado interno, o mercado aguarda a divulgação do Relatório Trimestral de Inflação (RTI). DI jan/23 fechou em 13,695%; DI jan/24 foi para 12,910%; DI jan/25 encerrou em 11,79%; DI jan/27 fechou em 11,745%; e DI jan/29 encerrou em 11,91%.

Mundo

Bolsas internacionais amanhecem negativas (EUA -1,0% e Europa -1,5%) à medida que os investidores se preocupam com a desaceleração econômica global causada pelos apertos monetários e ponderam os riscos das medidas controversas para estimular a economia no Reino Unido. Nos EUA, hoje teremos o pronunciamento de Loreta Mester e Mary Daly sobre o estado econômico e rumo da política monetária no país. Na Europa, o índice de confiança do consumidor na Zona do Euro registrou 93,7 pontos, marcando uma nova mínima histórica, ao passo que temores com a alta inflação e desaceleração da atividade econômica escalam. Ainda em solo europeu, Liz Truss, primeira-ministra do Reino Unido, defendeu seu pacote de incentivos fiscais mesmo após a forte turbulência causada nos mercados. Na China, o índice de Hang Seng (-0,5%) encerra em baixa e continua próximo das mínimas desde 2011. O sentimento negativo continuou mesmo após o anúncio do Banco Central da China, pontuando que irá acelerar a emissão de empréstimos direcionados para garantir a entrega de projetos imobiliários.

Agenda do dia

Na agenda do dia, os principais eventos são a divulgação do índice de inflação da Alemanha, que deve mostrar uma alta de 1,5% no mês, indicando a continuidade das pressões inflacionárias, e dos PMIs (composto, manufatura e serviços) da China, na qual se espera uma desaceleração adicional, além dos dados semanais de pedidos de auxílio-desemprego. No Brasil, teremos a divulgação do Relatório Trimestral de Inflação do Banco Central, que deve dar sinais sobre eventuais movimentos da política monetária nos próximos meses. Além disso, esperamos a divulgação do IGP-M de setembro, do Caged de agosto (criação de vagas formais) e do resultado primário do governo central, no qual se espera um déficit de R$ 48,2 bilhões graças a gastos extraordinários com precatórios e benefícios sociais.

Mercado em Gráfico

A postura hawkish – mais dura – dos principais bancos centrais mundiais vem aumentando o sentimento de cautela do mercado. No mês de setembro, houve uma série de decisões de política monetária por bancos centrais globais, com destaque ao Federal Reserve que aumentou, mais uma vez, as taxas de juros americana em 0,75 p.p. e indicou que vai continuar apertando a política monetária pra trazer a inflação pra meta. Com isso, aumentaram os temores de recessão global e, consequentemente, o sentimento de aversão à risco do mercado e os principais índices globais voltaram a cair fortemente. Por outro lado, o Brasil, no relativo, vem apresentando uma boa performance no último mês. Seguimos falando que o Brasil, mesmo com a cautela dos mercados, vem ganhando espaço nas carteiras globais, devido à (i) grande exposição a setores que são mais protegidos em relação a alta da inflação e juros, como commodities e bancos, que são as preferências dos investidores no momento; (ii) valuation atrativo, com os ativos brasileiros negociando com um forte desconto em relação às medias históricas; e (iii) altas taxas de juros, já que o Brasil saiu na frente em relação ao aumento das taxas de juros, passando a atrair fluxo de investidores para o mercado local. No mês o Ibovespa tem queda de -1,0% em reais e -3,9% em dólares, enquanto o S&P 500 apresenta baixa de -6,3% e o MSCI ACWI -8,4%.

Veja todos os detalhes

Economia

Banco da Inglaterra lança programa de compra de títulos para conter crise. Inflação na Alemanha e PMI na China na agenda do dia

  • O Banco da Inglaterra tomou medidas de emergência na quarta-feira para evitar um colapso no setor de pensões do Reino Unido, desencadeando um programa de compra de títulos de £ 65 bilhões para conter uma crise nos mercados de dívida do governo. O banco central alertou para um “risco material para a estabilidade financeira do Reino Unido” decorrente da turbulência no mercado de títulos públicos provocada pelos cortes de impostos e plano de empréstimos do ministro Kwasi Kwarteng na semana passada. O BoE suspendeu um programa de venda de títulos – parte de um esforço para controlar a inflação crescente – e, em vez disso, prometeu comprar títulos de longo prazo a uma taxa de até £ 5 bilhões por dia pelos próximos 13 dias. Economistas alertaram que a injeção de bilhões de libras de dinheiro novo na economia poderia alimentar a inflação. Os mercados de títulos do governo do Reino Unido se recuperaram acentuadamente após o anúncio. A libra subiu 1,4 por cento no dia e, na noite de negociação em Londres, atingiu US$ 1,0877 em relação ao dólar;
  • O sentimento econômico da zona do euro caiu acentuadamente e mais do que o esperado em setembro, mostraram dados na quinta-feira, com a confiança caindo entre empresas e consumidores, que também estão pessimistas sobre as tendências de preços nos próximos meses. O índice mensal de sentimento econômico da Comissão Europeia caiu para 93,7 pontos em setembro, de 97,3 pontos revisados ​​para baixo em agosto, em comparação com um declínio para 95,0 previsto por economistas consultados pela Reuters. A confiança caiu em todos os setores econômicos, incluindo indústria, serviços, comércio varejista e entre os consumidores, mostraram os dados da Comissão, em meio a um aumento nas expectativas de inflação em geral. A queda no sentimento foi mais pronunciada entre fabricantes e consumidores, com os gerentes da indústria reduzindo suas expectativas para produção e exportações futuras;
  • O presidente da agência de Atlanta do Federal Reserve apoiou um quarto aumento consecutivo de 0,75 ponto percentual na taxa de juros na próxima reunião de política monetária em novembro, enquanto instou o banco central dos EUA a estar “atento” à turbulência geopolítica e econômica no exterior. Bostic disse que o Fed precisa estar “atento” aos acontecimentos internacionais, mas acrescentou que a economia e o sistema financeiro dos EUA estão bem fortalecidos. Dada a força da economia dos EUA e a inflação alta persistente, ele disse que seu “cenário base” é que o banco central entregue outro aumento de 0,75 ponto percentual na próxima reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto em novembro, seguido por meio ponto de reajuste em dezembro. Isso traria a taxa de fundos federais de seu nível atual de 3% para 3,25% para uma nova faixa de meta de 4,25% a 4,5%;
  • Na agenda de hoje, os principais eventos são a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor na Alemanha, em que o consenso do mercado é de um aumento de cerca de 1,5% ao mês, PMIs na China, onde analistas esperam desaceleração adicional, e pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos EUA. No Brasil, esperamos a divulgação do relatório trimestral de inflação do banco central, que pode mostrar sinais adicionais dos próximos passos da política monetária, índice de inflação IGP-M e saldo primário do governo central, com consenso de mercado esperando um déficit de R$ 48,2 bilhões após gastos extraordinários relacionados a precatórios e benefícios sociais.

Empresas

Bancos & Instituições Financeiras | Data Expert: Dados mensais de crédito (Ago/2022)

  • Apesar do leve aumento na inadimplência, os dados de crédito do BC de julho e agosto reforçaram nossa visão de crescimento gradual da inadimplência ao longo do ano (estabilizando próximo aos níveis pré-pandemia) e aumento da taxa de juros devido ao aperto no ciclo monetário;
  • A manutenção de um crescimento robusto generalizado do saldo de crédito corresponde aos números divulgados pelos bancos listados e seu guidance para o ano, representando uma forte inercia para o crédito, apesar dos atuais desafios macro;
  • Os dados de crédito mais recentes nos levam a reiterar nossa visão positiva com os grandes bancos e nossa preferência pelo Itaú (ITUB4) dentro de nossa cobertura, devido a:
    • i) uma operação mais eficiente em relação aos pares;
    • ii) sua alta exposição às linhas de crédito de crescimento mais rápido e com PDD controlada e;
    • iii) seu valuation descontado versus média histórica (8.2x P/E para 2023).
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Crédito segue aquecido apesar de escalada dos juros (Valor);
    • Juro do cartão de crédito chega a quase 400% ao ano em agosto, diz BC (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • STF declara inconstitucionais artigos de Lei do AM que aumentam ICMS para telecom (Teletime);
    • Anatel homologa orpa de infraestrutura da claro (Telesíntese);
    • Qualcomm inicia distribuição de kits open Ran para testes (Telesíntese);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Magalu, Via e Americanas: o que falta para o varejo voltar a decolar? (Veja);
    • Empresas de varejo são as mais sensíveis ao ambiente de incerteza, diz Fitch (Valor);
    • Shein e McDonald’s estão entre os aplicativos mais instalados do mundo (Mercadoeconsumo);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Alimentos e Bebidas
      • Decisão do Cade não ameaçará domínio e bom fim de ano da Ambev, preveem analistas – Guia da Cerveja;
      • BNDES revê regras de crédito a frigoríficos – Valor;
    • Agro
      • Koppert, de insumos biológicos, define novos passos de sua expansão no Brasil – Valor;
      • Colheita de soja da Argentina deve avançar em 2022/23; trigo e milho recuam – Notícias Agrícolas;
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Starboard compra 15% da Maha, a petroleira ‘mais barata do mundo’ (Valor Econômico);
    • Engie cuidará da iluminação de Curitiba (Valor Econômico);
    • Petrobras: produção de búzios vai aumentar para 2 mi b/d até final da década (Broadcast);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | J.P. Morgan acelera expansão no Reino Unido

  • J.P. Morgan acelera expansão no Reino Unido;
  • Nova internet pré-paga da Verizon;
  • Taiwan diz que empresas produtoras de semicondutores estão em negociações para expansão na Europa;
  • Federal Reserve está realizando os aumentos de juros mais rápidos da história;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

Criptoativos

Hoje em Criptos: Notícias diárias do universo de criptoativos | MasterCard lança cartões customizáveis com NFTs

  • Crypto.com se expande na Europa (BeInCrypto);
  • Pantera Capital planeja arrecadar US$ 1,25 bilhão para segundo fundo (Bloomberg);
  • Circle anuncia protocolo de bridge (The Block);
  • MasterCard lança cartões customizáveis com NFTs (Coin Times);
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • FIIs de papel: ainda vale a pena investir? Gestor do Fator responde (Suno);
    • Do zero a uma renda de R$ 30 mil por mês com FIIs: a estratégia do Professor Mira para a liberdade financeira (InfoMoney);
    • Veja as vantagens de ter FIIs de shoppings e logística na carteira (Suno);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

ESG

Science Based Targets divulga primeira metodologia padronizada para agricultura, pecuária e papel e celulose | Café com ESG, 29/09

  • O mercado fechou o pregão de quarta-feira em território neutro, com o Ibov em alta de +0,1% e o ISE estável
  • No Brasil, (i) a Petrobras quer estar entre as maiores produtoras mundiais do combustível sustentável de aviação, conhecido como SAF, e diesel verde, o HVO, segundo o anúncio do gerente executivo de integração de negócios e participações da companhia, Daniel Pedroso; e (ii) a Shell tem interesse em continuar a expandir o portfólio de exploração e produção de petróleo e gás no Brasil e deve participar da rodada da Agência Nacional do Petróleo, em dezembro, para áreas no pré-sal – além disso, a companhia anglo-holandesa avalia também os mercados de energia eólica no mar e de hidrogênio no país;
  • No internacional, a iniciativa Science Based Targets (SBTi), referência mundial na certificação dos planos net zero corporativos, divulgou ontem a primeira metodologia padronizada para as atividades que dependem diretamente da terra, como agricultura, pecuária e papel e celulose – esses setores respondem por 22% das emissões globais de gases de efeito estufa, mas até agora não existia um método unificado e lastreado na melhor ciência disponível para reduzir o impacto ambiental dessas indústrias. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.