XP Expert

Zeina Latif: Manter a casa arrumada

O próximo presidente do Banco Central assumirá a instituição com a casa bem mais arrumada: sua credibilidade restaurada; o reconhecimento da comunidade internacional; diretoria de grande qualidade técnica; nenhuma necessidade de guinada das políticas monetária e cambial; e uma bem definida (e já iniciada) agenda de medidas estruturais. A gestão de Ilan Goldfajn entregará dois […]

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

O próximo presidente do Banco Central assumirá a instituição com a casa bem mais arrumada: sua credibilidade restaurada; o reconhecimento da comunidade internacional; diretoria de grande qualidade técnica; nenhuma necessidade de guinada das políticas monetária e cambial; e uma bem definida (e já iniciada) agenda de medidas estruturais.

A gestão de Ilan Goldfajn entregará dois anos seguidos de inflação baixa, após 7 anos consecutivos de inflação acima da meta de 4,5%. Como resultado, as projeções de inflação dos analistas de mercado estão em patamares compatíveis com as novas metas para os próximos anos (4,25% para 2019, 4% para 2020 e 3,75% para 2021).

Ainda que não sem tropeços, houve o aprimoramento da comunicação do BC. Ficou mais fácil compreender seu diagnóstico do quadro econômico, os cenários para a inflação e, portanto, as implicações na estratégia de política monetária. De quebra, o Copom, Comitê de Política Monetária, contribui para o avanço da agenda econômica ao explicitar a necessidade de reformas fiscais para garantir o cumprimento das metas de inflação no médio e longo prazos.

Importante reconhecer a independência que o governo Temer deu à instituição, bem diferente do governo anterior.

Não é só de reunião do Copom, porém, que vive o BC. O avanço da agenda estrutural, após anos de letargia, é importante legado da gestão de Ilan. A Agenda BC+ visa a ampliar a cidadania financeira, modernizar a legislação que rege o sistema financeiro, promover a eficiência da intermediação financeira e reduzir o custo do crédito.

Na prestação de contas do primeiro ano de implementação da agenda – algo essencial e com pouca tradição na administração pública no Brasil –, observam-se importantes avanços.

Para citar alguns, ampliou-se a capacidade do BC de apurar e punir infrações no sistema financeiro e estabeleceu-se novas regras para os processos administrativos. Ainda que envolva temas controversos, como na introdução de acordos de leniência com o BC, o passo foi na direção correta.

Para baratear o crédito, o BC avançou em várias frentes: criou um novo instrumento de crédito ao setor imobiliário (regulamentação da Letra Imobiliária Garantida, que conta com isenção de imposto de renda e tem garantias reforçadas ao investidor); limitou o uso do cartão de crédito rotativo (o consumidor não pode mais pagar o valor mínimo da fatura por vários meses consecutivos, o que obriga os bancos a oferecerem uma linha de crédito mais barata); e implementou a diferenciação de preços ao consumidor de acordo com o prazo e o meio de pagamento utilizado (abre-se espaço para redução de preços para a maioria da população que não faz uso de cartão de crédito).

Mais recentemente, o Congresso aprovou o projeto que regulamenta a emissão da chamada duplicata eletrônica. Ao reforçar garantias e evitar fraudes, a medida contribui para a redução da taxa de juros ao tomador final.

Várias outras medidas visaram aumentar a eficiência do sistema financeiro, com impacto no custo do dinheiro, como a simplificação de regras dos depósitos compulsórios que bancos mantêm no BC, a regulação diferenciada das instituições financeiras de acordo com seu porte e o registro eletrônico de garantias.

A agenda é extensa e precisa ter continuidade. Enganam-se os que acreditam que essas medidas microeconômicas são pouco relevantes e de fácil aprovação no Congresso. Elas eliminam obstáculos ao crescimento do crédito e enfrentam resistência de grupos que se beneficiam da burocracia, como cartórios. Um exemplo é a dificuldade de aprovação do projeto do cadastro positivo.

Será necessário o protagonismo do próximo presidente do BC para avançar nesta agenda, assim como foi o de Ilan em importantes pautas legislativas, algumas não diretamente ligadas à instituição, como nas discussões da regra do teto. O mesmo talvez seja necessário na reforma da Previdência, que é essencial para manter a inflação baixa. Ter a casa arrumada dá trabalho.

22 de Novembro de 2018

Fonte: Artigo replicado do Estadão

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório foi preparado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º na Resolução CVM 20/2021. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas neste relatório refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo deste relatório na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e de informar o leitor. O responsável pela elaboração deste relatório certifica que as opiniões expressas nele refletem, de forma precisa, única e exclusiva, suas visões e opiniões pessoais, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a XP Investimentos. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida a sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.