Radar Energia XP | 14/10

Criamos este relatório com notícias do setor de energia que complementam nossos comentários publicados no Morning Call.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre os principais assuntos, tendências e companhias que formam o setor. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo.

Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo que tem impactos diretos ou indiretos no setor; e (ii) Nossos últimos relatórios publicados.

Elétricas e Saneamento

Tarifa já não cobre custos das térmicas, diz ministério

Secretária-executiva do Ministério das Minas e Energia, Marisete Pereira, diz que alta preço do gás tem pesado mais nas contas das distribuidoras e que o governo tenta solução. (Valor Econômico)

Governo estuda como tratar custos extras apontados por distribuidoras de energia com escassez hídrica

As distribuidoras apontaram ao governo que os custos do Brasil para o abastecimento elétrico, em meio a maior seca nos reservatórios de hidrelétricas em mais de 90 anos, foram mais altos do que o esperado, devido a um aumento dos preços dos combustíveis em todo o mundo, explicou Marisete Dadald. (IstoÉ)

Fase quer prioridade para aprovação de PL de modernização do setor

Demora na aprovação de PL 414 ou 1.917 pode deixar modernização do setor defasada. Em painel do Encontro Nacional de Agentes do Setor Elétrico realizado nesta quarta-feira, 13 de outubro, o presidente do Fase, Mario Menel, pediu prioridade para aprovação do PL 414 ou mesmo a fusão do seu conteúdo com o PL 1.917, de modo a fazer um marco legal. (Canal Energia)

Operador Nacional do Sistema Elétrico descarta risco de racionamento em 2021

Mesmo durante o período seco com o menor volume de chuvas dos últimos 91 anos no Brasil, diretor-geral do ONS afirma que resultados das ações adotadas para lidar com a crise sustentam a projeção. (Valor Econômico)

Chuvas e menor consumo dão alívio a reservatórios, mas cenário ainda é de cautela

Segundo especialistas, situação das usinas nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste é delicada, mas quadro “despiorou” e risco de racionamento de energia ficou menor; uso das térmicas deverá se estender até 2022. (Estadão)

Modernização do setor elétrico precisa sair do papel, defendem associações

Discutida já há vários anos, a modernização do setor elétrico precisa avançar no Congresso Nacional, na avaliação de associações setoriais que participam, na tarde desta quarta-feira (13), do Encontro Nacional de Agentes do Setor Elétrico (Enase). (Valor Econômico)

Empresa de Pesquisa Energética está finalizando estudos sobre expansão da transmissão

Objetivo é acomodar a ampliação da oferta de geração de energia elétrica, segundo o presidente da EPE, Thiago Barral. O executivo explicou que o estudo é fundamental para a segurança energética do país e que as análises levarão em consideração não somente os atributos físicos de cada fonte, como também os atributos econômicos. (Valor Econômico)

Estatal ENBpar vai assumir operações de Luz Para Todos e Mais Luz Para Amazônia

A ENBpar é uma estatal criada para receber ativos, programas e contratos que não poderão ser mantidos pela Eletrobras após a privatização. (Valor Econômico)

Grandes consumidores prometem redução maior de consumo

Grandes consumidores se comprometeram a deixar de consumir 720 megawatts (MW) de energia elétrica no horário de pico em outubro por meio do programa de resposta à demanda, segundo o diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Carlos Ciocchi. (Valor Econômico)

. . .

Óleo & Gás

BRENT CRUDE

US$84,23/Barril +1,26%

CÂMBIO

R$5,50/USD -0,51%

Petróleo encerra em queda após relatório da Opep e fala de Putin

Os preços dos contratos para dezembro do Brent terminaram o dia em queda de 0,28%, a US$ 83,18 por barril, e os preços dos contratos para novembro do WTI caíram 0,24%, a US$ 80,44 por barril. (Valor Econômico)

Não seria o caso de privatizar a Petrobras?”, questiona Lira

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), questionou nesta quarta-feira se “não seria o caso de privatizar a Petrobras”. Em entrevista à CNN Rádio, ele afirmou que a estatal hoje atua num limbo entre o público e o privado, criticou o “monopólio absurdo” no mercado de gás e defendeu que a política de preços da empresa para os combustíveis não seja alterada. A proposta deverá diminuir a volatilidade dos preços e reduzir o custo da gasolina, do etanol e do diesel em 2022, mas também pode causar efeito inverso para o próximo governo, em 2023, com a manutenção artificial de um preço mais alto. (Valor Econômico)

Estados apontam perda de R$ 24 bi com projeto que muda ICMS sobre combustíveis

Os Estados calcularam que sofrerão perda de 24 bilhões de reais com projeto em discussão na Câmara dos Deputados que muda o cálculo do ICMS sobre combustíveis, e apontaram a política de preços praticada pela Petrobras como a verdadeira responsável pelos preços altos praticados no país. (IstoÉ)

Câmara aprova mudança em ICMS sobre combustíveis que pode reduzir o valor em 2022

A proposta deverá diminuir a volatilidade dos preços e reduzir o custo da gasolina, do etanol e do diesel em 2022, mas também pode causar efeito inverso para o próximo governo, em 2023, com a manutenção artificial de um preço mais alto. (Valor Econômico)

PetroRecôncavo vence chamada pública da PBGás

A PetroRecôncavo anunciou nesta quarta-feira (13) que venceu a chamada pública para aquisição de gás natural feita pela Companhia Paraibana de Gás (PBGás). A chamada prevê a entrega de 50 mil m³/dia de gás natural a partir de janeiro de 2022 e 150 mil m³/dia de gás natural a partir de janeiro de 2023. (epbr)

Consórcio liderado pela Aguila Energia propõe US$ 1,5 bi por Polo Bahia Terra

Um consórcio liderado pela Aguila Energia apresentou a melhor proposta para o Polo Bahia Terra da Petrobras, em valor superior a US$ 1,5 bilhão de dólares, afirmaram duas fontes à Reuters. Procurada, a Petrobras informou que não vai comentar. (epbr)

Nossos últimos relatórios

  • Omega Geração (OMGE3): Aprovada uma nova (e melhor) relação de substituição na combinação de negócios (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: O risco de racionamento diminui pela primeira vez (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra (link)
  • Setor Elétrico: E Se Ocorrer Racionamento de Energia? (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Equatorial Vence Leilão de Concessão de Saneamento do Amapá (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível. (link)
  • Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses (link)
  • Cemig (CMIG4): Resultado do 2T21 acima de nossas estimativas, mas abaixo do consenso; Mantemos Neutro (link)
  • Orizon (ORVR3): Volumes mais fortes no 2T21; Mantemos Compra (link)
  • Sabesp (SBSP3): Resultados do 2T21 Abaixo do Esperado; Mantemos Neutro (link)
  • Sanepar (SAPR11): Entregando mais do que água no resultado do 2T21; Mantemos Neutro (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): Bons volumes trazem bons resultados no 2T21 (link)
  • Copel (CPLE6): Resultado do 2T21 sólidos em meio à crise; Mantemos a recomendação de compra (link)
  • TAESA (TAEE11): Resultados do 2T21 em linha com nossas estimativas; Mantemos Neutro (link)
  • Engie Brasil (EGIE3): Resultado Operacional do 2T21 em linha, mas lucro afetado por não recorrente; Mantemos Neutro (link)
  • AES Brasil (AESB3): Resultados do 2T21 abaixo de nossas estimativas, mas acima do consenso; Neutro (link)
  • Data Expert | Sensor Elétrico XP: Risco de racionamento aumenta, mas ainda é baixo (link)
  • Omega Geração (OMGE3): 2T21 Fraco por maiores despesas operacionais e compras de energia (link)
  • Copasa (CSMG3): Resultados do 2T21 abaixo do esperado; Negativo (link)
  • CTEEP (TRPL4): Resultados do 2T21 ligeiramente abaixo das nossas estimativas (link)
  • Cesp (CESP6): Resultado do 2T21 mais fraco devido à hidrologia (link)
  • Omega Geração (OMGE3): Adquire 50% do Complexo Eólico da EDF, novamente (link)
  • Copel (CPLE6): Crescimento de 12% A/A no consumo de energia no 2T21 (link)
  • EDP Energias do Brasil (ENBR3): Resultado do 2T21 em linha com nossas expectativas; Neutro (link)
  • EdP Energias do Brasil (ENBR3): Destaques operacionais do 2T21 (link)
  • Teremos racionamento de energia? Risco é menor do que 3% (link)
  • Equatorial Energia (EQTL3): CEA, uma pequena mas positiva aquisição (link)
  • Petróleo: Preços sobem e atingem US$ 70/barril antes da reunião da OPEP+ (link)

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.