A semana na Renda Fixa (29/03 a 01/04)

Acompanhe os principais movimentos da semana no mercado de renda fixa e o que esperar para a semana que se inicia.


Compartilhar:


O mercado de renda fixa na semana manteve o sentimento de aversão ao risco fiscal, com o imbróglio ainda em curso do Orçamento de 2021, considerado “inexequível” pelo Ministério da Economia. Também pesaram sobre os negócios locais a valorização do dólar, a alta do petróleo e a piora da pandemia da Covid-19 em diferentes partes do mundo

Como a curva de juros doméstica já possuía um alto grau de inclinação e o câmbio vinha pressionado, os efeitos da deterioração das expectativas fiscais foram limitados: a inclinação da curva de juros acentuou 20 pontos-base, as taxas das NTN-Bs fecharam a semana sem direção única e os títulos públicos apresentaram valorização marginal.

Para a próxima semana, destacam-se na agenda econômica nacional a divulgação de índices de inflação referentes a março, com IGP-DI e IPCA fechado, além de vendas de veículos pela Fenabrave. Além disso, também é esperada a continuação das discussões referentes ao Orçamento de 2021 no Congresso.

No mundo, destaque para taxa de desemprego da Zona do Euro, dados de mercado de trabalho nos EUA, além da ata da última decisão do Comitê de Política Monetária do FED (FOMC), e de PMIs na China e economias desenvolvidas.

Cenário macroeconômico

Conforme relatório publicado, destaque na frente de covid-19 para a continuidade das disputas políticas entre Reino Unido e União Europeia sobre a exportação de vacinas produzidas pelo laboratório AstraZeneca. O bloco afirmou que não deve enviar mais vacinas ao Reino Unido a menos que a farmacêutica entregue sua meta de doses da vacina contra a Covid-19 para países membros. No Brasil, o mês de março ficou marcado por contar com o maior número de óbitos desde o começo da pandemia, exatos 66.573. A média móvel avançou 143% no mês. Do lado positivo, o estado de São Paulo registrou a primeira queda em ocupação de leitos desde o início da atual onda.

Ainda no cenário internacional, destaque para o anúncio pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, de seu mais novo pacote fiscal, com ênfase em infraestrutura em empregos. O pacote é a primeira fase de um plano econômico de duas etapas e deve ter custo de USD 2,25 trilhões. Quanto aos indicadores, a criação líquida de 916 mil postos de trabalho em março veio bem acima do esperado (660 mil). A taxa de desemprego recuou para 6%.

Na China, o PMI do setor manufatureiro calculado pela Caixin caiu para 50,6 em março, de 50,9 em fevereiro, abaixo do consenso de 51,4. Por outro lado, o PMI oficial veio melhor do que o esperado, acelerando frente a janeiro – para 51.9. Na Zona do Euro, destacamos o Índice de confiança econômica, que atingiu em março o nível mais alto desde o início da crise pandêmica, apesar dos lockdowns recentes.

No Brasil, seguiram as discussões sobre a peça orçamentária para 2021, classificada como “inexequível” pelo próprio Ministério da Economia. Apesar do relator aceitar cancelar R$ 10 bilhões dos R$ 26 bilhões remanejados por ele antes da aprovação, o Ministério da Economia defende o veto às emendas de relator para que as despesas obrigatórias possam ser recompostas dentro do teto. Este deve continuar o tema central na semana que vem.

Na política, o presidente Jair Bolsonaro anunciou nessa semana mudanças em sua equipe ministerial, atendendo demandas de aliados do “centrão”.

Entre os indicadores econômicos divulgados, destaque para os números do mercado de trabalho. A criação de postos formais de emprego do Caged surpreendeu em fevereiro, com avanços em praticamente todos os setores produtivos. Já a PNAD Contínua apontou de desemprego em 14,2% no trimestre encerrado em janeiro, queda de 0,1% na população ocupada e queda na renda do emprego, de acordo com nossas estimativas.

Leia tudo o que aconteceu na semana em economia.

Curva DI e NTN-B

As taxas de juros futuros encerraram a semana com baixa nos vencimentos curtos e alta nos vértices longos. Como consequência, a curva de juros apresentou leve ganho de inclinação de cerca de 20 pontos-base.

O ambiente de aversão ao risco fiscal aumentou com o impasse sobre o Orçamento de 2021, com reflexos no mercado de câmbio. Os receios acerca da evolução da covid-19 no país continuaram, com novos recordes diários de casos e óbitos.

Ainda assim, o movimento das taxas de juros futuras foi marginal, sugerindo que boa parte desse cenário adverso já havia sido apreçada na curva.

O movimento das taxas dos títulos do Tesouro indexados à inflação (NTN-B) na semana mais curta de Páscoa não consolidou direção única em comparação com a semana anterior.

Leilões do Tesouro Nacional

Na última semana, o Tesouro Nacional realizou ofertas significativamente maiores que na semana anterior. Dentre os papeis ofertados, as LTNs curtas apresentaram menor procura pelo mercado.

Leilão do dia 30/03 – NTN-B

Na última terça-feira, o Tesouro Nacional realizou leilão de Notas do Tesouro Nacional – Série B (NTN-Bs) no qual os lotes ofertados foram integralmente colocados no mercado. O volume de 1,8 milhão de papeis ofertados representou avanço significativo frente aos 880 mil papeis ofertados no leilão da última semana.

A instituição vendeu 1 milhão de títulos com vencimento em agosto de 2024, a taxas máxima e média de 3,123%, com corte de 45,80%; 500 mil papeis para agosto de 2028, a taxas máxima e média de 3,889%, corte de 66,50%; e 500 mil títulos para agosto de 2040, a taxas máxima e média de 4,2800% e corte de 41,49%.

Fonte: Tesouro Nacional. Elaboração: XP Investimentos.

Leilão do dia 01/04 – LTN, NTN-F e LFT

Após a expressiva redução de lotes das Letras do Tesouro Nacional (LTN) no leilão da quinta-feira passada para apenas 150 mil, o Tesouro voltou a aumentar a oferta nesta quinta-feira para 10 milhões. Enquanto isso, a oferta de Notas do Tesouro Nacional série F (NTN-F) permaneceu estável em relação a semana anterior em 100 mil títulos e a de Letras Financeiras do Tesouro (LTF) apresentou contração de 2,5 milhões para 1,5 milhão.

Ressalta-se que as LTNs e NTN-Fs são ofertadas em lotes individuais, enquanto as LFTs são ofertadas em leilão híbrido, com vencimentos em lotes agrupados.

A demanda para LTNs com vencimento em 2022 foi inferior à oferta, sendo que o Tesouro colocou no mercado 4,3 milhões dos 5 milhões ofertados. Já as LTNs com vencimento em 2023 e 2024 foram absorvidas integralmente pelo mercado, com corte de 1,0% e 4,3%, respectivamente.

Todo o lote de NTNF-s foi colocado no mercado, ao passo que 1,2 milhão de LFTs foram vendidas.

Fonte: Tesouro Nacional. Elaboração: XP Investimentos.

Tesouro Direto

Apesar das preocupações com o cenário fiscal ainda em evidência, na maior parte dos títulos públicos foi observada devolução de parte da desvalorização ocorrida na semana anterior.

O preço dos títulos sobe quando a expectativa de juro futuro cai (e vice-versa) devido à relação inversa entre os dois. Esse mecanismo que mostra o efeito dos juros sobre preços é a marcação a mercado. Entenda mais aqui.

Crédito Privado

Fluxo

Foi registrado um fluxo médio diário de negociações de R$ 700 milhões em debêntures (vs. R$ 879 milhões na semana anterior), R$ 282 milhões em CRAs (vs. R$ 142 milhões) e R$ 173 milhões em CRIs (vs. R$ 135 milhões). Vale lembrar que, como não são disponibilizados a tempo da publicação do relatório, os dados da sexta-feira não são considerados e podem alterar o apresentado.

Os papeis mais negociados por classe de ativos foram debêntures da CTEEP (CTEE29), CRI iTower e CRA BTG Pactual Commodities.

Spreads de crédito

Em virtude do cenário de incertezas, os investidores aumentaram o apetite por debêntures de vencimentos mais curtos classificadas como “AAA” e “AA” (de maior qualidade). Por outro lado, a procura por ativos de menor qualidade ou alta qualidade com vencimentos longos foi inferior. Com isso, todas as curvas de debentures ganharam inclinação expressiva na semana.

Assim como nos dados de fluxo, os números da sexta-feira para os spreads de crédito também não são considerados e podem alterar o apresentado.

As curvas são extraídas a partir de debêntures precificadas diariamente pela ANBIMA (DI Percentual, DI+spread e IPCA+spread) e refletem estruturas de spread zero-cupom sobre a curva soberana para diferentes níveis de risco.

Ações de rating

Fonte: S&P Global, Fitch Ratings e Moody’s. Elaboração: XP Investimentos.

Relatórios publicados na semana de 29/03 a 01/04

Renda Fixa

Início de cobertura

Equatorial

Atualizações de resultados

Atualização 4T20: Banco Original

Atualização 4T20: Rota das Bandeiras

Atualização 4T20: TCP

Outros

Vale conclui venda de participação na Vale Nova Caledônia

Equatorial arremata distribuidora CEEE-D em leilão de privatização

Cemig avalia vender participação na Taesa

Banco Original: Fitch reafirma ratings BB+(bra), remove observação negativa e atribui perspectiva negativa

Outras editorias

Boletim Focus – 29/03/2021

Criação de empregos formais (BEm) acima do esperado em fevereiro

Consumo e a pandemia: qual o tamanho do segundo tombo?

Taxa de desemprego volta a subir em janeiro

Economia em Destaque: seu resumo semanal de economia no Brasil e no mundo

Produção industrial interrompe sequência de nove elevações seguidas

As contas públicas em fevereiro

O que esperar – Semana de 05/04 a 09/04

Agenda econômica

Em relatório publicado pelo time Macro da XP, destacam-se na agenda econômica nacional da próxima semana a divulgação de índices de inflação referentes a março, com IGP-M e IPCA fechado, além de vendas de veículos pela Fenabrave. Além disso, também é esperada a continuação das discussões referentes ao Orçamento de 2021 no Congresso.

Na seara internacional, destaque para taxa de desemprego da Zona do Euro, dados de mercado de trabalho nos EUA, além da ata da última decisão do Comitê de Política Monetária do FED (FOMC), e de PMIs na China e economias desenvolvidas.

Acesse aqui o Boletim Focus do dia 05/04 (disponível a partir de segunda-feira)

Leilões do Tesouro Nacional

Fonte: Tesouro Nacional. Elaboração: XP Investimentos.

Vencimentos de debêntures da próxima semana

Fonte: Anbima. Elaboração: XP Investimentos.

Gostou? Tem alguma sugestão? Não deixe de avaliar e deixar seus comentários!

Veja mais

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “XP”) tem caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como sendo material promocional, solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Os prazos, taxas e condições aqui contidas são meramente indicativas. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados.
Os instrumentos financeiros discutidos neste material podem não ser adequados para todos os investidores. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710.

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.