XP Expert

PIB dos EUA, iene fraco, dados de emprego no Brasil e mais: o que move os mercados hoje

PIB doa EUA e temporada de resultados são alguns dos temas de maior destaque nesta quinta-feira, 28/03/2024

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Ouça no Spreaker


IBOVESPA +0,65% | 127.691 Pontos

CÂMBIO -0,02% | 4,98/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa teve alta de 0,7% na quarta-feira, fechando aos 127.691 pontos. O índice brasileiro acompanhou a alta dos índices norte-americanos, que subiram antes da divulgação do PCE de fevereiro e do PIB do 4º trimestre de 2023 dos EUA.

Na Bolsa, os destaques positivos foram os papéis de maior peso no Ibovespa, com Vale (VALE3; +0,9%), Petrobras (PETR3, +1,2%; PETR4, +0,8%) e Itaú (ITUB4, +0,6%) fechando em alta. Além disso, a maior valorização do dia ficou com Lojas Renner (LREN3; +5,4%), subindo com outras varejistas em meio a um maior otimismo com o setor.

Já os destaques negativos foram CVC (CVCB3; -6,5%), que despencou após reportar seu balanço do 4T23, e JBS (JBSS3; -2,2%), que caiu em razão de seu resultado trimestral, e do anúncio de que Joesley e Wesley Batista foram indicados para compor o conselho da companhia.

Na agenda desta quinta-feira, Azul, Cruzeiro do Sul, G2D, Gol e Mater Dei reportam seus balanços.

Renda Fixa

As taxas futuras de juros fecharam o pregão perto da estabilidade no curto prazo, enquanto os vértices intermediários e longos fecharam o pregão em leve alta. O movimento refletiu, principalmente, os dados mais fortes do Caged de fevereiro, que mantiveram os participantes do mercado com o sinal de alerta acionado, ao terem em vista a maior atenção dada pelo Banco Central aos efeitos do mercado de trabalho aquecido na inflação. DI jan/25 fechou em 9,915% (-1bps vs. pregão anterior); DI jan/26 em 9,9% (2bps); DI jan/27 em 10,155% (3bps); DI jan/29 em 10,655% (5bps).

Mercados globais

Os mercados operam em alta nos Estados Unidos (S&P 500: 0,4%; Nasdaq 100: 0,4%), com índices alcançando novos recordes. Hoje, o mercado acompanha o pronunciamento de Christopher Waller, um dos dirigentes do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano). A semana é mais curta, por conta de um feriado na sexta-feira, dia em que será divulgado o deflator PCE, medida de inflação preferida pelo Fed.

Na Europa, os mercados operam mistos, com o índice pan-europeu em estabilidade (Stoxx 600: 0,0%), após uma série de dados econômicos em diversos países, que revelaram uma leve alta da inflação e uma melhora no sentimento. Na China, os índices fecharam em queda (HSI: -1,4%, CSI 300: -1,2%), após dados de atividade industrial.

Economia

O iene (moeda do Japão) aproximou esta manhã do seu nível mais fraco em décadas, indicando que a política monetária do país permanece acomodatícia mesmo depois de taxas de juro positivas após 17 anos. A ameaça de intervenção das autoridades japonesas no mercado cambial impediu um movimento ainda mais forte de queda da moeda. A fraqueza do iene também reflete uma tendência global de fortalecimento do dólar frente à maioria das moedas, reforçada ontem pelos comentários do membro do board do Fed, Christopher Waller, que disse não que não há pressa para reduzir as taxas de juro.

No Brasil, o relatório Caged apresentou uma criação líquida de 306,1 mil empregos formais em fevereiro, outro mês abertura de vagas consideravelmente acima das estimativas (235 mil). Mais informações sobre o mercado de trabalho hoje – o IBGE divulga a taxa de desemprego de fevereiro (pesquisa Pnad). Também destaque para o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) do banco central. Tanto a Pnad quanto o RTI trazem informações importantes para os analistas de mercado avaliarem os próximos passos da política monetária brasileira.

Veja todos os detalhes

Economia

Iene fraco, mercado de trabalho brasileiro forte

  • O iene (moeda do Japão) aproximou esta manhã do seu nível mais fraco em décadas, indicando que a política monetária do país permanece acomodatícia mesmo depois de as taxas de juro se terem tornado positivas após 17 anos. A ameaça de intervenção das autoridades japonesas no mercado cambial impediu um movimento ainda mais forte de queda da moeda. As três principais autoridades monetárias do Japão realizaram uma reunião de emergência na quarta-feira para discutir o iene fraco, e indicaram que estão prontas para intervir no mercado para impedir o que descreveram como movimentos desordenados e especulativos na moeda;
  • A fraqueza do iene também reflecte uma tendência global de fortalecimento do dólar frente à maioria das moedas, reforçada ontem pelos comentários do membro do board do banco central (Fed), Christopher Waller, que disse não que não há pressa para reduzir as taxas de juro;
  • O calendário de dados dos EUA hoje inclui pedidos semanais de auxilio desemprego, dados do PIB do quarto trimestre e o sentimento do consumidor no Michigan. O foco principal, no entanto, estará na divulgação de amanhã do deflator dos gastos do consumo, o indicador de inflação favorito do Fed, junto com o resultados de gastos e renda dos consumidores. Os mercados estarão fechados pelo feriado da sexta-feira Santa;
  • Na Europa, as vendas no varejo na Alemanha recuaram 1,9% mês a mês em fevereiro, muito abaixo das expectativas (+0,4%). A atividade econômica fraca reforça que o Banco Central Europeu pode começar a cortar taxas em breve;
  • No Brasil, o relatório Caged apresentou uma criação líquida de 306,1 mil empregos formais em fevereiro, outro mês abertura de vages consideravelmente acima das estimativas (235 mil). De acordo com nosso ajuste sazonal, o saldo de empregos atingiu 161 mil em fevereiro e 216 mil em janeiro – ambos bem acima da média mensal de cerca de 120 mil registrada em 2023. O salário nominal de admissão aumentou 5,3% em relação ao ano anterior, repetindo o ritmo registado entre setembro e janeiro. O mercado de trabalho continua a surpreender positivamente e deverá manter a demanda interna aquecida;
  • Mais informações sobre o mercado de trabalho hoje. O IBGE divulga a taxa de desemprego de fevereiro (pesquisa Pnad). Também destaque hoje o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) do banco central. Tanto a Pnad quanto o RTI trazem informações importantes para os analistas de mercado avaliarem os próximos passos da política monetária brasileira.

Empresas

Orizon (ORVR3): Resultados do 4T23; Volume de resíduos fraco, porém margens operacionais continuam sólidas

  • Orizon registrou resultados neutros no 4T23 com EBITDA ajustado de R$ 78,6 milhões, -2% abaixo de nossas estimativas (R$ 80,3 milhões);
  • Do lado negativo, tivemos uma redução no volume de resíduos de -2% A/A e a descontinuação do negócio de Engenharia Ambiental (-45% de receita líquida A/A);
  • Por outro lado, tivemos aumento no volume de biogás, energia vendida e geração de créditos de carbono;
  • Além disso, melhoria na eficiência operacional (redução do custo por tonelada), entrada em operação da planta de biometano e aumento no preço médio de disposição final;
  • Com isso, a margem bruta passou de 45,2% para 50,9% A/A;
  • Mantemos uma visão otimista da empresa com recomendação de Compra e preço-alvo de R$47/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Rede D’Or (RDOR3) – 4T23: Resultados neutros, com margens melhorando em meio a um crescimento desafiador

  • A Rede D’Or (RDOR3) apresentou resultados neutros no 4T23, com um lucro líquido de R$668M:
    • O negócio de hospitais registrou um aumento de 9,3% na receita, impulsionado principalmente pelo aumento do ticket médio, com a margem EBITDA crescendo 1,5 p.p. A/A, principalmente devido a eficiências de custos;
    • O negócio de seguros continua melhorando, especialmente por meio da expansão da receita e de iniciativas para reduzir custos e despesas;
    • O resultado financeiro contribuiu para a melhora do lucro líquido, embora tenhamos notado alguma deterioração no capital de giro da empresa.
  • Vemos a lucratividade e as margens com tendência positiva, mas a aparente dificuldade da empresa em apresentar crescimento e as postergações dos projetos de expansão são um ponto de atenção;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Assaí (ASAI3): Um Importante e esperado passo de governança

  • O Assai anunciou as propostas a serem enviadas para aprovação na próxima reunião anual de acionistas (26 de Abril), com a discussão chave sendo sobre o novo plano de remuneração da Cia.  Os destaques são:
  • Introdução política de investimento em ações para os executivos estatutários;
  • Introdução do programa ‘Sócio Executivo’;
  • Inclusão das metas de EBITDA (ex-IFRS) de para a remuneração de curto prazo;
  • Novo plano de incentivo de longo prazo;
  • Mix de remuneração continua a favorecer metas de longo prazo;
  • Remuneração do conselho agora é 100% fixa;
  • Nós vemos o plano proposto como um passo importante e positivo de governança, com a remuneração dos executivos mais alinhada com os interesses dos acionistas, especialmente devido à introdução de um programa de incentivos de longo prazo e metas de EBITDA (ex-IFRS);
  • Mantemos a nossa recomendação de compra e reiteramos a ação como uma das nossas top-picks;
  • Clique aqui e acesse o relatório completo.

Marfrig (MRFG3) | Resultados do 4T23: resultados em linha, superando seus pares

  • Os resultados da Marfrig ficaram em linha com as expectativas, mas há indicações positivas, uma vez que continua a superar os seus pares mais próximos, tanto na América do Norte (mg. EBITDA aj. de 2,6%) como nas divisões da América do Sul (mg. EBITDA aj. 10,4%). Embora mantenhamos cautela em relação às margens da carne bovina nos EUA devido a uma perspetiva desafiadora para ciclo do gado, os resultados do 4T23 sugerem espaço para um maior otimismo, particularmente porque a National Beef demonstra maior resiliência quando comparada aos seus pares;
  • A queda do preço das acões de hoje reflete a preocupação do mercado com margens mais fracas nos EUA após resultados da JBS, na nossa opinião. Por conseguinte, prevemos uma reação positiva do papel no pregão de amanhã. No geral, mantemos nossa recomendação Neutra, considerando a pressão ainda elevada sobre a alavancagem e as incertezas em torno da venda de ativos à Minerva;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Bens de Capital: Principais Discussões Após os Resultados do 4T23

  • Esta é nossa mais recente edição do Resumo Semanal de Bens de Capital, onde discutimos indicadores recentemente divulgados, níveis de valuation e outros temas-chave. Nesta semana, destacamos:
    • Principais discussões após os resultados do 4T23, com teleconferências de resultados e dados de mercado indicando para o 1T24E
      • Um trimestre sazonalmente melhor para os nomes de Autopeças do que para os Industriais; e
      • Potenciais sinais de normalização de margem para a WEG;
    • Visitas continuamente fortes a oficinas no Brasil em 2024 YTD (+14% A/A), em uma forte base comparável e implicando forte demanda no mercado de reposição, e
    • Marcopolo como potencial candidata a ser incluída no rebalanceamento do Ibovespa para mai’24 (veja aqui).
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Data Expert | Carrinho XP: As oportunidades em Retail Media

  • Nesta edição do Carrinho XP, nós analisamos Retail Media, um modelo de publicidade emergente que conecta diretamente a distribuição de conteúdo com transações comerciais;
  • Como referência, o mercado dos Estados Unidos é estimado em $820 bilhões de dólares com margens entre 70-85%;
  • Olhando para o exterior, nós notamos que a receita de publicidade do Instacart totalizou em $871 milhões em 2023, que a publicidade já representa 9% da receita líquida da Amazon e que o Walmart recentemente anunciou a compra de uma fábrica de TV para acelerar suas campanhas publicitárias;
  • No Brasil, RD, Pague Menos, GPA e Magazine Luiza estão entre os que possuem ofertas de anúncios, com as campanhas já mostrando resultados positivos;
  • Por fim, nós valorizamos as iniciativas de Retail Media dos varejistas, e acreditamos que, apesar de ainda estarem numa fase inicial, deverão gradualmente ganhar relevância nos canais de marketing, servindo de alavanca para aumentar a fidelização dos consumidores, a relação com os fornecedores e melhorar margens a longo prazo;
  • Clique aqui e acesse o relatório completo.

Multi (MLAS3): Resultados fracos no 4T23

  • Hoje, o Grupo Multi encerrou a temporada de resultados do 4T23 de nossa cobertura;
  • A empresa reportou resultados fracos, com a receita líquida e a rentabilidade pressionadas por um contexto macroeconômico desafiador, adiamentos do Governo e baixa de estoque em Mobiles, embora tenha alcançado uma posição de caixa líquido, como resultado da sua estratégia de geração de caixa através do reajuste da posição de estoque ao longo do ano;
  • Clique aqui e acesse o relatório completo.

Oncoclínicas (ONCO3) – 4T23: Resultados levemente negativos, com alavancagem e fluxo de caixa como os principais pontos de atenção

  • A Oncoclínicas (ONCO3) apresentou resultados ligeiramente negativos no 4T23, com lucro líquido ajustado de R$87 milhões:
    • A receita aumentou 18% A/A, impulsionada principalmente por volumes, e a margem EBITDA ajustada ficou estável A/A, com um maior custo-caixa sendo compensado por outras receitas;
    • O lucro líquido foi auxiliado por receitas financeiras não recorrentes resultantes do pré-pagamento de obrigações de aquisições, e o lucro dos minoritários em relação ao EBITDA ajustado diminuiu 12 p.p. T/T;
    • A alavancagem ficou em 4,0x, pressionada por uma deterioração no ciclo de capital de giro, que causou um consumo de caixa operacional de R$41 milhões.
  • Apesar do forte crescimento e da margem estável, vemos os resultados de forma negativa devido ao (i) fluxo de caixa operacional negativo e (ii) alta alavancagem. No entanto, ainda vemos o negócio de forma positiva;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Rumo (RAIL3) – 4T23: Forte final para 2023; EBITDA perto do topo do guidance

  • A Rumo reportou resultados positivos no 4T23 conforme esperado, com EBITDA de R$ 1,2 bilhão (+33% A/A; -6% vs. XPe) apoiado em mais um trimestre com crescimento positivo de yield (+11% A/A) e aumentos de volume devido a uma safra recorde (+9% A/A);
  • O guidance para o ano fiscal de 2023 foi alcançado, com (i) volume e investimentos estritamente alinhados com a indicação do ponto médio, e (ii) EBITDA de R$ 5,65 bilhões próximo ao limite superior da faixa (R$ 5,4-5,7 bilhões);
  • Vemos a Rumo no caminho certo para entregar um ano forte de 2024, para o qual acreditamos que o 1T24 pode ser um gatilho positivo;
  • Reiteramos nossa recomendação de Compra e visão positiva para a Rumo (favorita no segmento de Transportes);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo

Cemig (CMIG4): Desinvestindo de forma inteligente; Cemig vende participação da Aliança Energia para Vale por R$ 2,7 bilhões

  • A Cemig anunciou a venda de sua participação de 45% na Aliança Energia para a Vale por 2,7 bilhões;
  • Após a venda, a Cemig passará a deter 45% da indenização que a Aliança Energia poderá receber pelo Desastre da Barragem de Fundão, que afetou uma de suas UHEs;
  • O valor de venda foi definido de acordo com as demonstrações financeiras de 30 de junho de 2023 e está sujeito a atualização de dividendos e correção monetária do CDI;
  • Este acordo deverá passar por aprovação regulatória e CADE;
  • Este preço implica um múltiplo de 8,3x EV/EBITDA 2023;
  • Esse desinvestimento já estava nos planos da Cemig e não nos surpreendeu;
  • O valor obtido, porém, parece positivo para a Cemig e poderá potencializar o pagamento de dividendos nos próximos períodos;
  • Mantemos nossa recomendação de COMPRA, com preço-alvo de R$16/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Nubank reforça área PJ, que já tem 4 milhões de clientes, e lança capital de giro (Valor);
    • Desenrola: governo prorroga novamente o programa de renegociação de dívidas, desta vez até maio (Estadão);
    • Governo Lula prepara pacote de crédito para pequenos negócios (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • CEO da Renner: ‘Ninguém quer passar por crise, mas ela nos força a sermos melhores’ (O Globo);
    • Perdas contábeis em empresas de consumo e varejo atingem R$ 15,7 bilhões em 2023 (Valor Econômico);
    • Queda de 0,47% do IGP-M indica que inflação para o consumidor deve desacelerar (O Globo);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Alimentos
      • China’s Shrinking Hog Herd to Curb Demand for Soybeans and Corn (Bloomberg);
      • Ministério da Agricultura atende frigoríficos e reduz prazos de certificação sanitária (Agrimídia).
    • Agro
      • Área de soja pode cair pela primeira vez em quase 20 anos (TheAgriBiz);
      • Agroconsult eleva projeção para a safra de soja (Globo Rural).
    • Biocombustíveis
      • Biden’s Biofuel Push Risks Dethroning Corn as King of US Crops (Bloomberg);
      • Be8 amplia investimentos em usina de etanol de Passo Fundo (RS) para mais de R$ 1 bilhão (Nova Cana).
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • Reajuste dos planos PME SulAmérica este ano será de 2 dígitos, mas inferior ao de 2023, diz Rede D’Or (Valor Econômico);
    • Dasa vai se desfazer de ativos deficitários (Valor Econômico);
    • DASA (DASA3): Alteração na Diretoria Estatutária (RI da Companhia);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário
    • Governo anunciará medidas para destravar setor imobiliário na semana que vem, diz Haddad (UOL);
    • Setor imobiliário aprova FGTS Futuro, mas quer ampliação (Valor);
    • FGTS Futuro: Caixa vai iniciar contratação de financiamentos habitacionais em abril (Infomoney);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Vale compra participação de 45% da Cemig na Aliança Energia, por R$ 2,7 bilhões (Estadão);
    • Tadeuzinho quer prêmio maior para abatimento da dívida dos Estados com a União (O Tempo);
    • Megaleilão de transmissão de energia vai definir hoje projetos que somam R$ 18,2 bi em 14 estados (O Globo);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Estratégia

Rebalanceamento dos Índices: Atualizando candidatos ao Ibovespa para maio de 2024

  • O próximo rebalanceamento dos índices da B3 será no dia 6 de maio de 2024 e, antes disso, a primeira prévia das será publicada no dia 1º de abril;
  • Nesta nota, identificamos outras possíveis inclusões e exclusões para o rebalanceamento do Ibovespa com base nos dados recentes de negociação;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • S&P reafirma rating ‘AA+’ dos EUA e mantém perspectiva estável (Valor);
  • Setor de saneamento terá mais 48 leilões nos próximos anos, que vão atrair R$ 105 bi (O Globo);
  • Vale paga R$ 2,7 bi à Cemig para ter 100% da Aliança, de hidrelétricas e parques eólicos (O Globo);
  • Moody’s Local atribui Rating ‘AA-.br’ à Adami; perspectiva estável (Moody’s);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Em breve.

ESG

PL das eólicas offshore deve ser aprovado nos próximos dias, diz Abeeólica | Café com ESG, 28/03

  • O pregão de quarta-feira terminou em território positivo, com o IBOV e o ISE em alta de 0,65% e 0,79%, respectivamente.
  • No Brasil, (i) o primeiro leilão de cessão de áreas para eólicas offshore no Brasil será fundamental para dar o sinal positivo sobre o ambiente de negócios do segmento, segundo a presidente da Abeeólica, Elbia Gannoum – a expectativa da executiva é que o Senado aprove nos próximos dias o PL 576/2021, que cria o marco regulatório do setor, que foi aprovado na Câmara dos Deputados em dezembro; e (ii) segundo o diretor de Sustentabilidade e Relações Institucionais da Prumo, Eduardo Kantz, o Porto do Açu tem vocação para funcionar como um porto-indústria, confirmando a intenção da companhia de atrair fornecedores de bens e serviços do setor eólico para a retroárea do porto, a exemplo do que ocorreu na indústria de óleo e gás;
  • No internacional, a Hyundai anunciou que investirá US$51 bilhões ao longo de três anos para reforçar seu potencial de crescimento em veículos elétricos e novos negócios de mobilidade – a iniciativa contará com a contratação de cerca de 80 mil novos funcionários e mais da metade do investimento será alocada para novas infraestruturas de pesquisa e desenvolvimento e linhas de montagem para veículos elétricos, segundo comunicado do grupo;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.