XP Expert

Pandemia começa a perder força na Europa e impulsiona mercados

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -3,76% | 69.538 Pontos

CÂMBIO -1,83% | 5,35/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Após uma semana negativa para o Ibovespa, mercados internacionais amanhecem em alta, impulsionados pela redução do número de novas infecções e mortes por coronavírus na Alemanha, Espanha, França e Itália.

Futuros do S&P 500 nos EUA e bolsas na Europa sobem 3,8%, e mercados asiáticos também fecharam em alta; Hong Kong +2,2%, Japão +4,2%, e bolsas na China fechadas devido ao feriado nacional.

Outro fator positivo para esta semana é que a Rússia e a Arábia Saudita concordaram em negociar um corte na produção de petróleo. Porém, os preços de petróleo caem cerca de -3,6% nesta manhã, com o Brent operando no patamar de US$32,87/barril, devido ao adiamento da reunião virtual da OPEP+, que era esperada para hoje, para quinta-feira (9 de abril).

No Brasil, durante uma live exclusiva realizada pela XP na noite de sábado, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou que alguns mecanismos estão sendo criados e acelerados junto aos bancos para garantir que os recursos cheguem logo aos indivíduos mais prejudicados pela pandemia do coronavírus.

Campos Neto afirmou ainda que é muito difícil estimar o impacto da pandemia na economia neste momento, mas disse que o BC tem um arsenal “muito grande” de medidas a serem feitas, como uma nova liberação de compulsórios, o direcionamento de novos créditos para micro e pequenas empresas (MPEs) e a continuidade da atuação no câmbio para controlar a liquidez. Clique aqui para assistir a Live na íntegra.

Além disso, durante uma videoconferência com parlamentares do DEM, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o projeto de reforma tributária do governo deverá ser enviado ao Congresso em 30 ou 40 dias e estimou que a crise provocada pelo coronavírus poderá ter duração de três ou quatro meses. Durante uma live com líderes varejistas, Guedes afirmou ainda que o governo deseja implementar a linha do BNDES para oferecer crédito a empresas que faturam até R$ 300 milhões e citou a possibilidade de implementação de uma espécie de “passaporte de imunidade” no Brasil, para que pessoas que tenham imunidade ao vírus possam voltar a trabalhar normalmente quando houver reabertura econômica.

Na política, a semana se inicia com a expectativa de avanço em votações no Congresso. Os deputados aprovaram na sexta à noite a PEC do Orçamento de Guerra e do Banco Central, que começa agora a tramitar no Senado. Na Câmara, há expectativa de discussão em torno do Plano Mansueto, que presta socorro aos Estados.

Mais uma vez, há ruído na relação do presidente Jair Bolsonaro com seus ministros. Em entrevista no domingo, ele afirmou que integrantes do governo “viraram estrelas” e que não tem medo de “usar a caneta” para demiti-los se for o caso. E há novo ruído com a China, depois de o ministro da Educação postar mensagem em que usa o Cebolinha, da Turma da Mônica, para fazer chacota com o país. Ela foi considerada ofensiva pela Embaixada da China no Brasil.

Por fim, na última sexta-feira, a Gerdau anunciou o encerramento de várias operações em suas unidades de negócios em abril, com menor demanda seguindo impactos do Covid-19. No curto prazo, esperamos pressão nas ações das siderúrgicas no Brasil. Porém, mantemos recomendação de compra na Gerdau (preço-alvo de R$13,00/ação), com visão positiva para o longo prazo.

Tópicos do dia

Coronavírus

Tempos de guerra – revisando o target da Bolsa
Revisão setorial: Novas estimativas e Preços alvo
Live com o Ministro Paulo Guedes
Os efeitos do coronavírus na economia
Pesquisa XP Março: Qual é o impacto do coronavírus nas empresas do Brasil?
Medidas econômicas para combater o coronavirus no Brasil

Para ler mais conteúdos, clique aqui.

Brasil

  1. Guedes defende congelamento de salário de servidores e passaporte de imunidade
  2. Mercado reduz projeção de PIB para -1,18% em 2020

Internacional

  1. Petróleo: Brent opera em leve queda com adiamento de reunião da OPEP+

    Acesse aqui o relatório internacional

Empresas

  1. BRF (BRFS3): Confira os principais destaques da LIVE com o CEO e o CFO da empresa
  2. Setor Elétrico: Principais destaques da LIVE com 6 das maiores distribuidoras de energia do Brasil
  3. Movida (MOVI3): Destaques da Teleconferência com a Companha
  4. Itaú Unibanco (ITUB4): Fecha temporariamente 400 agências
  5. Bancos: Banco Central questiona bancos sobre pagamento de dividendos
  6. B3 (B3SA3): Aumento do número de investidores ativos
  7. Bancos: C6 demite 60 funcionários


Veja todos os detalhes

Brasil

Guedes defende congelamento de salário de servidores e passaporte de imunidade

  • Durante uma videoconferência com parlamentares do DEM no Congresso, o ministro da Economia Paulo Guedes, afirmou que, devido aos riscos desinflacionários provocados pela pandemia do coronavírus, os salários de servidores públicos não deveriam ser cortados, mas sim congelados;
  • De acordo com o Ministro, a economia feita com possíveis cortes seria a mesma economia obtida caso os salários fossem congelados por dois anos, com a vantagem de não existirem riscos desinflacionários adicionais;
  • Guedes estimou que a crise provocada pelo coronavírus poderá ter duração de três ou quatro meses e defendeu a manutenção da agenda de reformas estruturantes. O ministro afirmou ainda que o projeto de reforma tributária do governo deverá ser enviado ao Congresso em 30 ou 40 dias e disse e, durante uma live com líderes varejistas, citou a possibilidade de ser implementada uma espécie de “passaporte de imunidade” no Brasil, para que pessoas que tenham imunidade ao vírus possam voltar a trabalhar normalmente quando houver reabertura econômica.

Mercado reduz projeção de PIB para -1,18% em 2020

  • O mercado reduziu sua projeção de inflação para 2020 de 2,94% para 2,72%. Para 2021, a projeção passou de 3,57% para 3,50%; 
  • A projeção de PIB para 2020 passou de -0,48% para -1,18% e para 2021 permaneceu estável em 2,50%;
  • A projeção da taxa de câmbio permaneceu em 4,50 em 2020 e passou de 4,30 para 4,40 em 2021. Enquanto isso, a projeção da taxa Selic passou de 3,50% para 3,25% em 2020 e de 5,00% para 4,75% em 2021. Clique aqui para acessar a análise completa.

Internacional

Petróleo: Brent opera em leve queda com adiamento de reunião da OPEP+

  • Os preços de petróleo caem cerca de -3,6% nesta manhã, com o Brent operando no patamar de US$32,87/barril. O destaque no campo de notícias vai para o adiamento da reunião virtual da OPEP+ esperado para hoje para quinta-feira (9 de abril). Segundo a Bloomberg, o adiamento reflete tensões diplomáticas entre Arábia Saudita e Rússia, conforme uma nação culpa a outra pelo fim das negociações entre os maiores países produtores de petróleo e subsequente colapso dos preços da commodity;
  • O noticiário continua muito incerto, mencionando um potencial acordo que poderia levar a uma redução da oferta global em -10%. A Saudi Aramco adiou a divulgação de preços oficiais de venda de petróleo para maio em vista das negociaões em +urso. O presidente do Fundo de Investimento Direto da Rússia, Kirill Dmitriev, afirmou em entrevista à CNBC que Rússia e Arábia Saudita estão “muito próximas” de um acordo de cortes de produção. Por outro lado, a Bloomberg menciona que ambas as nações desejam que os Estados Unidos participem dos acordos de corte de produção, o que é um desafio tendo em vista a fragmentação desta indústria nas mãos do setor privado no país;
  • Além disso, o presidente Trump – que intermediou a conciliação entre russos e árabes – adotou uma postura mais agressiva durante o final de semana, afirmando que pode impor tarifas sobre importações de petróleo caso preços permaneçam muito baixos, embora acredite que isso não será necessário;
  • Mesmo que um acordo de cortes de produção de grande magnitude seja possível, ele só atenuaria parcialmente a elevação significativa de estoques diante da queda expressiva de demanda global de cerca de 25%. Assim sendo, continuamos a ter uma visão cautelosa para preços de petróleo até que existam sinalizações positivas do lado da demanda, com um arrefecimento das restrições à economia e à movimentação de pessoas.

Empresas

BRF (BRFS3): Confira os principais destaques da LIVE com o CEO e o CFO da empresa

  • Na sexta-feira (3), realizamos uma reunião por Zoom com o CEO e o CFO da BRF, Sr. Lourival Luz e Sr. Carlos Moura. O impacto do coronavírus no setor de proteínas foi o principal tema discutido, assim como a estratégia da BRF em seus diferentes segmentos de atuação e regiões;
  • A empresa trouxe detalhes de sua operação nesse período, reiterando o compromisso de abastecer a população com produtos de qualidade e priorizando a saúde de seus colaboradores. Mantemos nossa recomendação de Compra para BRF, com preço-alvo de R$ 22/ação;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo com os destaques da live com o CEO e o CFO da BRF.

Setor Elétrico: Principais destaques da LIVE com 6 das maiores distribuidoras de energia do Brasil

  • Na sexta feira realizamos uma LIVE com participação dos CEOs das 6 maiores distribuidoras de energia do Brasil sendo elas: Copel, Energisa, Equatorial, Light, Neoenergia e Cemig;
  • Todas as empresas enfatizaram que se dedicam a garantir a continuidade do fornecimento de energia em um ambiente desafiador. Apesar disso, a maior preocupação de todos os executivos é o caixa de suas companhias, tendo em vista que a crise do coronavírus levou a um aumento abrupto de inadimplência. Por fim, outra importante preocupação mencionada por várias empresas é que a crise em curso possa acarretar impactos de maior duração para o setor elétrico, como aumento de inadimplência e perdas não-técnicas, devido à deterioração da atividade econômica e da renda das famílias.
  • Todas as empresas destacaram que o governo e a agência reguladora ANEEL estão trabalhando ativamente para apresentar soluções para mitigar os impactos da crise do COVID-19, com executivos mencionando um pacote de R$ 15-20 bilhões já citado em jornais. Dito isto, todos os executivos enfatizaram que o conjunto de medidas a ser apresentado pelo governo deve ser o mais abrangente possível, garantindo ao mesmo tempo que o modelo regulatório do setor de serviços públicos de energia seja preservado. 
  • Confira as principais propostas para o setor apresentadas pelos executivos em nosso relatório completo.

Movida (MOVI3): Destaques da Teleconferência com a Companha

  • Realizamos na última sexta-feira uma teleconferência com o Diretor Financeiro da Movida, o Sr. Edmar Prado Lopes. Os principais tópicos discutidos foram os impactos do coronavírus e das políticas mais restritivas de circulação nas operações, bem como as ações que a companhia têm adotado para mitigar esses impactos.
  • Para acessar o relatório completo, basta acessar esse link. Temos recomendação de Compra para as ações da Movida, com preço-alvo de R$ 14,0/ação.

Itaú Unibanco (ITUB4): Fecha temporariamente 400 agências

  • Segundo a mídia, o Itaú Unibanco deve fechar temporariamente 400 agências;
  • O motivo seria o surto do coronavírus, que diminui a necessidade de tais agências continuarem operando;
  • Nossa visão é positiva, principalmente devido a: (1) com a queda nas receitas, o banco deve se concentrar em custos mais baixos; (2) deve acelerar o processo de digitalização dos clientes; e (3) alguns dos fechamentos, se tiver baixo impacto nas operações, podem ser permanentes, reduzindo assim as despesas no pós-surto.

Bancos: Banco Central questiona bancos sobre pagamento de dividendos

  • Segundo a mídia, o Banco Central do Brasil está investigando as instituições financeiras sobre possíveis pagamentos de dividendos;
  • Além disso, nenhum dividendo deve ser pago sem divulgação prévia ao órgão regulador. A medida deve ter como objetivo a preservação do capital pelos bancos;
  • Nossa visão é negativa, pois deve reduzir a flexibilidade do pagamento pelos bancos. No entanto, não acreditamos que o impacto será grande, pois acreditamos que o comportamento dos bancos tende a ser conservador ao distribuir dividendos em momentos de tanta incerteza.

B3 (B3SA3): Aumento do número de investidores ativos

  • Segundo a mídia, os destaques operacionais da B3 em março devem mostrar outro recorde no número de investidores ativos;
  • A bolsa teria alcançado 2,3 ​​milhões de investidores ativos no final de março, enquanto o índice da bolsa caiu e tivemos uma série de circuit breakers. Vale relembrar que o número de investidores ativos em fevereiro de 2019 foi de 0,9 milhão;
  • Nossa visão é positiva, pois esses investidores devem ajudar a recuperar os volumes no pós-surto.

Bancos: C6 demite 60 funcionários

  • De acordo com a mídia, o banco digital C6 demitiu 60 funcionários desde o início da crise do coronavirus;
  • A notícia vem como uma certa surpresa, uma vez que o banco, criado em 2018, vinha crescendo acentuadamente o número de funcionários para cerca de 1000 antes da crise;
  • Nossa visão é positiva para os bancos sob nossa cobertura, uma vez que a crescente competição vinda de novos entrantes poderia desacelerar.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.