No Brasil, foco da semana continua na política monetária

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Clique para ouvir

IBOVESPA -0,7% | 113.283 Pontos

CÂMBIO +0,6% | 5,33/USD

O que pode impactar o mercado hoje

A semana passada foi repleta de eventos e o Ibovespa acumulou uma alta de +1,7%, aos 113.283 pontos. Os mercados foram afetados principalmente por decisões de política monetária e por preocupações com a incorporadora chinesa Evergrande. Nesta semana, do lado internacional, destaque para discursos de dirigentes do Fed e para a ata da reunião do FOMC nos Estados Unidos. Já no Brasil, serão publicados a ata da última reunião do Copom, o Relatório Trimestral de Inflação e o Relatório Mensal da Dívida Pública. Além disso, no campo político, a CPI da Pandemia deve se encaminhar para um desfecho no Senado; também devem continuar as discussões sobre a PEC dos Precatórios na Câmara.

Hoje, os Mercados Globais amanhecem levemente positivos (EUA +0,1% e Europa +0,3%) após semana de alta volatilidade causada pela falta de liquidez da Evergrande, que poderia causar um problema sistêmico na China. Nesse sentido, os mercados devem monitorar de perto os resultados da pesquisa PMI de setembro no país asiático, que serão divulgados na quarta-feira. Os números de agosto já ficaram abaixo das expectativas e outro resultado fraco em setembro pode levar a uma onda de revisões para baixo nas projeções de crescimento do PIB chinês. O petróleo amanhece em campo positivo mais uma vez (+1,3%): analistas do Goldman Sachs definiram o último furacão nos EUA como o mais bullish para o preço da commodity, devido à drástica redução da produção, e aumentaram seu preço-alvo para US$ 90.

Do lado da Economia, no Brasil, o foco continua na política monetária, com a ata do Copom na terça-feira e o relatório de inflação do BCB na quinta-feira. Vale lembrar que, na semana passada, o Copom elevou a taxa Selic pela quinta vez neste ano, para 6,25%. Outro destaque é que o governo segue discutindo como implantar o novo programa Auxílio Brasil (versão ampliada do atual programa Bolsa Família). Segundo o jornal Valor, a Equipe Econômica vê o novo programa como despesa obrigatória e, portanto, sua implantação demandaria uma fonte permanente de financiamento, para atender a Lei de Responsabilidade Fiscal. O “Plano A” do governo para financiar o programa é a reforma do Imposto de Renda. No entanto, o senador Ângelo Coronel, relator da reforma no Senado, disse nesta sexta-feira que o projeto poderá ser votado apenas em 2022.

Já na seara Política, segundo resultados preliminares, o tradicional partido de centro-esquerda SPD venceu a eleição alemã em disputa acirrada. Com 25.7%, o partido teria pequena margem sobre o CDU/CSU, partido de Angela Merkel, que pela primeira vez em anos teve desempenho abaixo dos 30%. Conforme esperado, os resultados apertados devem complicar as negociações pela formação da próxima coalizão de governo, um processo que ainda pode levar semanas ou meses. Já nos Estados Unidos, o Congresso se prepara para um semana chave de votações: vale lembrar que parlamentares tem até quinta-feira para evitar um shutdown (paralisação) do governo e entes públicos e, segundo Janet Yellen, o país pode atingir o teto da dívida em outubro.

Por fim, do lado das Empresas, no sábado (25), os Conselhos de Administração da Omega Geração e Omega Desenvolvimento aprovaram a fusão das empresas. A empresa combinada, denominada Omega Energia, pretende ser listada no Novo Mercado da B3 e tem a ambição de ultrapassar 4.500 MW em geração renovável operacional até dezembro de 2024. Vemos a transação como positiva devido a: (i) potenciais sinergias estimadas pela empresa em R$ 1 bilhão; (ii) aquisição do pipeline em desenvolvimento da Omega Desenvolvimento em uma transação sem caixa e com um retorno atraente; e (iii) um prêmio de 18% sobre o valor de mercado das ações da Omega Geração. Reiteramos nossa recomendação de Compra para o Omega, com preço-alvo de R$ 50/ação  – clique aqui para acessar o relatório.

Tópicos do dia

Economia

  1. Os mercados vão monitorar de perto os dados econômicos da China esta semana. No Brasil, foco continua na política monetária, com a ata do Copom e relatório de inflação do BC
  2. Boletim FOCUS

Política

  1. Segundo resultados preliminares, o tradicional partido de centro-esquerda SPD venceu a eleição alemã em disputa acirrada.  Negociações pela formação da próxima coalizão de governo ainda pode levar semanas ou meses
  2. Senado americano tem na agenda hoje projeto que evita o shutdown do governo no fim do mês e suspende o teto da dívida até o fim de 2022

Empresas

  1. Rede D’Or (RDOR): Pedido para aumento de participação na Qualicorp
  2. Carrefour Brasil (CRFB3): Divulgação projeções do segmento de atacarejo para 2021 e 2024
  3. Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra
  4. Principais notícias dos setores

Mercados

  1. Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Nova aposta do Netflix

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 27/09

Veja todos os detalhes

Economia

Os mercados vão monitorar de perto os dados econômicos da China esta semana. No Brasil, foco continua na política monetária, com a ata do Copom e relatório de inflação do BC

  • Em meio às incertezas sobre os efeitos dos problemas da dívida de Evergrande, os mercados monitorarão de perto os resultados da pesquisa PMI de setembro da China, que serão divulgados na quarta-feira. Os números de agosto já ficaram abaixo das expectativas. Outro resultado fraco em setembro pode levar a uma onda de revisões para baixo nas projeções de crescimento do PIB chinês;
  • Entre os destaques nos Estados Unidos esta semana, o presidente do Fed, Jerome Powell e a secretária do Tesouro, Janet Yellen, testemunham na terça-feira no Comitê Bancário do Senado. O deflator do núcleo PCE de agosto, o indicador de inflação favorito do Fed, será publicado na sexta-feira;
  • No Brasil, o foco continua na política monetária, com a ata do Copom na terça-feira e o relatório de inflação do BCB na quinta-feira. Na semana passada, o Copom elevou a taxa Selic pela quinta vez neste ano, para 6,25%;
  • Governo discute como implantar o novo programa Auxílio Brasil (versão ampliada do atual programa Bolsa Família). Segundo o jornal Valor, a Equipe Econômica vê o novo programa como despesa obrigatória e, portanto, sua implantação demandaria uma fonte permanente de financiamento, para atender a Lei de Responsabilidade Fiscal. O “Plano A” do governo para financiar o programa é a reforma do Imposto de Renda. No entanto, o senador Ângelo Coronel, relator da reforma no Senado, disse nesta sexta-feira que o projeto poderá ser votado apenas em 2022.

Boletim FOCUS: Data de Referência 24/09

  • Destaque: Mais uma vez, projeções de inflação em alta e de PIB em baixa;
  • A mediana das expectativas do mercado para a variação do IPCA em 2021 segue em trajetória de alta, variando de 8,35% na semana passada para 8,45% na divulgação de hoje (estava em 7,27% há quatro semanas). No mesmo sentido, o consenso para o IPCA de 2022 registrou elevação de 4,10% para 4,12% (3,95% há 1 mês), ficando ainda mais distante da meta de inflação estabelecida para o próximo ano (3,50%). Com base em atualizações nos últimos 5 dias úteis, a previsão para o IPCA de 2021 aumentou de 8,40% para 8,52%, enquanto a mediana para 2022 ficou estável em 4,14%;
  • Por sua vez, a previsão do mercado para o crescimento real do PIB em 2021 permaneceu em 5,04%. Para o PIB de 2022, por sua vez, a projeção recuou novamente, de 1,63% para 1,57% (estava em 2,00% há 1 mês);
  • As medianas das expectativas para a taxa Selic ficaram estáveis em 8,25% para o final de 2021 (7,50% há 4 semanas) e 8,50% para o final de 2022 (também 7,50% há 4 semanas);
  • Por fim, a projeção do mercado para a taxa de câmbio no final de 2021 continuou em R$/US$ 5,20. Para o final de 2022, a mediana das expectativas subiu suavemente de R$/US$ 5,23 para R$/US$ 5,24.

Política

Segundo resultados preliminares, o tradicional partido de centro-esquerda SPD venceu a eleição alemã em disputa acirrada.  Negociações pela formação da próxima coalizão de governo ainda pode levar semanas ou meses.  

  • Segundo resultados preliminares, o tradicional partido de centro-esquerda SPD venceu a eleição alemã em disputa acirrada. Com 25.7%, o partido teria pequena margem sobre o CDU/CSU, partido de Angela Merkel, que pela primeira vez em anos teve desempenho abaixo dos 30%. Conforme esperado, os resultados apertados devem complicar as negociações pela formação da próxima coalizão de governo, um processo que ainda pode levar semanas ou meses;
  • Tanto Olaf Scholz (SPD), quanto Armin Laschet (CDU/CSU) afirmaram que buscariam formar alianças e liderar governos. O cenário mais provável é de uma aliança que não inclua o CDU/CSU – entre o SPD, Verdes e FDP – mas ainda não se descarta a possibilidade de uma aliança com partido de Merkel na liderança – ex. CDU, Verdes, FDP;
  • Vale notar que apesar de representarem agendas distintas, os quatro partidos são centristas e não buscam grandes mudanças na política ou visão econômica do país. A coalizão sem o CDU/CSU teria uma tendência mais expansionista na seara fiscal, mas essa teria que ser negociada com o FDP, de cunho liberal. Com os Verdes no governo, a agenda ambiental tende a ganhar mais peso na região.

Senado americano tem na agenda hoje projeto que evita o shutdown do governo no fim do mês e suspende o teto da dívida até o fim de 2022

  • Nos Estados Unidos, o Congresso se prepara para um semana chave de votações. Vale lembrar que parlamentares tem até quinta-feira para evitar um shutdown (paralisação) do governo e entes públicos e, segundo Janet Yellen, o país pode atingir o teto da dívida em outubro. Com intuito de evitar esse cenários, o Senado tem na agenda do dia o projeto aprovado na Câmara que evita o shutdown do governo no fim do mês e suspende o teto da dívida até o fim de 2022. No entanto, sem acordo com republicanos, os democratas ainda não tem os 60 votos necessários para aprovar a iniciativa.  

Empresas

Rede D’Or (RDOR): Pedido para aumento de participação na Qualicorp

  • Na última sexta-feira (24), a Rede D’Or anunciou que submeteu um pedido ao CADE para aumento da participação que tem na Qualicorp (atualmente em 22%);
  • De acordo com a companhia, ainda não foi decidido se ela de fato aumentará a participação, e, caso ela decida pelo aumento, a quantidade de ações a serem adquiridas dependerá do parecer do órgão antitruste e das condições de mercado;
  • Em nossa visão, o anúncio é neutro, uma vez que a Rede D’Or já é o maior acionista da Qualicorp, e a participação de mercado remanescente – cujo valor de mercado é R$4,7b – representa 3,3% do valor de mercado da Rede D’Or (R$139,3b);
  • Nós reiteramos nossa recomendação de Compra para RDOR e preço alvo de R$88 por ação.

Carrefour Brasil (CRFB3): Divulgação projeções do segmento de atacarejo para 2021 e 2024

  • A companhia anunciou o guidance da receita bruta do segmento de atacarejo (Atacadão) em R$60bn esse ano e de R$100bn em 2024. Esses números incluem o faturamento do segmento de atacarejo do Grupo BIG, que ainda aguarda aprovação da autoridade concorrencial brasileira, e refletem uma taxa de crescimento anual média de 18.5% ao ano. Nenhuma projeção foi compartilhada referente ao segmento de varejo;
  • Isso se compara à nossa estimativa atual (sem Grupo BIG) de R$58.7bn para 2021 e uma taxa de crescimento médio de 12% ao ano até 2024. No entanto, incorporamos em nosso preço alvo R$3,6/ação decorrente da aquisição do Grupo BIG, que reflete uma taxa de crescimento anual média de 15% para a receita do grupo consolidado;
  • Vemos o anúncio como positivo por trazer uma maior visibilidade do segmento de atacarejo após a aquisição do Grupo BIG, porém está alinhado com nossas projeções enquanto pode trazer algum desconforto para os investidores por não ter nenhuma projeção referente ao segmento de varejo (~30% da receita). Mantemos Neutro e preço alvo de R$28,0 por ação.

Omega Geração (OMGE3): Combinação de negócios pode destravar muito valor; Reiteramos Compra

  • Em 25 de setembro, os Conselhos de Administração da Omega Geração e Omega Desenvolvimento aprovaram a fusão das empresas. A empresa combinada, denominada Omega Energia, pretende ser listada no Novo Mercado da B3 e tem a ambição de ultrapassar 4.500 MW em geração renovável operacional até dezembro de 2024;
  • A fusão proposta prevê uma relação de troca de 1,4898:1 novas ações ordinárias da Omega Energia para cada 1 (uma) ação da Omega Geração. Dessa forma, os atuais acionistas da Omega Geração deterão 74,4% da Omega Energia;
  • A assembleia geral extraordinária que deliberará sobre a incorporação de ações será realizada em 28 de outubro de 2021. Esta aprovação será determinada apenas pelos acionistas minoritários da Companhia;
  • Vemos a transação como positiva devido a: (i) potenciais sinergias estimadas pela empresa em R$ 1 bilhão, dos quais ~R$ 740 milhões são atribuídas aos acionistas da Omega Geração; (ii) aquisição do pipeline em desenvolvimento da Omega Desenvolvimento em uma transação sem caixa e com um retorno atraente (2p.p de prêmio sobre o custo de capital próprio da Omega Geração); e (iii) um prêmio de 18% sobre o valor de mercado das ações da Omega Geração.

Reiteramos nossa recomendação de Compra para o Omega, com preço-alvo de R$ 50/ação (que ainda não incorpora a transação analisada neste relatório). Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Cooperativas avançam e já são quase 11% do mercado de crédito. Se fosse um banco, segmento seria o sexto maior do país, atrás do Santander. (Valor);
    • BC divulga condições especiais de oferta de liquidez para instituições financeiras. Oferta está no escopo das Linhas Financeiras de Liquidez (LFL), nova fonte de recursos para as instituições, que poderão dar títulos privados à autoridade monetária como garantia. (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Lojas de departamento da Amazon podem ter robôs, códigos QR e telas sensíveis ao toque. (Mercado e Consumo);
    • Fabricantes de sapatos elevam exportação para os EUA. (Folha);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Após seca e geadas, chuva de granizo atinge áreas de café em Minas Gerais (Notícias Agrícolas);
    • Demanda por seguro é alta, mesmo sem verba extra para a subvenção (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Reservatórios do Sudeste e Centro-Oeste devem chegar em outubro com 12,6% de capacidade. (Valor Econômico);
    • Defasagem nos preços do diesel chega a 13%, diz Abicom. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Nova aposta do Netflix

  • Reguladores da China decretam proibição geral de todas as transações envolvendo criptomoedas;
  • O Netflix fecha maior aquisição de conteúdos da história da empresa ao adquirir obras de Roald Dahl;
  • Nike decepciona em receitas e reduz projeções futuras ao passo que a variante delta prejudica o funcionamento de suas fábricas;
  • Dados da Wind revelam a importância do setor imobiliário para economia chinesa, visto que 62% do patrimônio das famílias, em regiões urbanas, está concentrado em imóveis;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 27/09

  • Na sexta-feira, o mercado encerrou levemente em queda, com o Ibov e o ISE recuando -0,7% e -0,6%, respectivamente. Na semana, o Ibov fechou em alta de +4,1%, enquanto o ISE +4,3%;
  • No Brasil, (i) o Estado do Rio pretende fomentar a criação de uma bolsa para negociação de créditos de carbono, com atuação tanto no mercado voluntário como no regulado pelo artigo 6 do Acordo de Paris, que deve ser objeto de discussões na COP 26, em novembro; e (ii) a Confederação Nacional da Industrial (CNI) apontou que o Código Florestal, embora seja uma legislação moderna e das mais rigorosas do mundo, ainda enfrenta desafios em sua implementação, sendo um dos principais a necessidade urgente de análise dos dados declarados no Cadastro Ambiental Rural (CAR) para identificar, inclusive, sobreposições com terras públicas, unidades de conservação e terras indígenas;
  • Além disso, no campo político, em entrevista ao Estadão, Joaquim Leite, ministro do Meio Ambiente e chefe da delegação brasileira na Conferência do Clima, explicou que pretende falar antes da COP-26 com cerca de 70 representantes dos demais países participantes, em linha com o objetivo de fazer o Brasil um ator ativo do evento, aproveitando as atenções do mundo para as questões sustentáveis e tentando melhorar a imagem do País no exterior. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.