XP Expert

Morning Call XP (21.out): Expectativas para o Brexit e início da temporada de resultados

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,3% | 104.729 Pontos

CÂMBIO -1,3% | 4,11/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa encerrou a semana passada em alta de 0,86%. Nesta manhã, mercados na Ásia, Europa e futuros dos EUA abrem em alta generalizada.

O grande ponto de destaque nesta manhã se refere ao Brexit, nome pelo qual é conhecido o processo de saída do Reino Unido da União Europeia. No último sábado, o Parlamento britânico aprovou uma emenda que adia a votação do acordo de Brexit anunciado na semana passada. Entretanto, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, deve pedir que o acordo seja colocado em votação hoje, e insiste que é possível concluir o processo até a data limite de 31 de outubro.

O pedido pode ser recusado pelo presidente da Câmara dos Comuns caso não tenha ocorrido alteração alguma no texto, uma vez que as regras impedem que uma mesma medida seja considerada duas vezes durante a mesma sessão no Parlamento.

Do lado das commodities, os preços de minério de ferro tiveram forte queda na semana passada, recuando -7,6% e fechando em US$86,2/t na sexta-feira – patamar atrativo para a Vale. Mesmo com o recuo, os preços ainda acumulam alta de +19% no ano. Já o petróleo Brent inicia a semana em queda de -0,93%, aos US$58,9/barril.

Voltando para o Brasil, a semana começa com a continuidade da crise no PSL no campo político. A ex-líder do governo Joice Hasselmann trocou ofensas com os filhos 02 e 03 do presidente, Carlos e Eduardo Bolsonaro, durante todo o fim de semana. A deputada federal, que chegou a fazer insinuações contra o governo e será entrevistada no programa “Roda Viva” hoje à noite – com a expectativa de novidades que ela pode apresentar sobre o governo e a campanha de Bolsonaro. Joice também deve ser convidada por parlamentares petistas a dar depoimento na CPI das Fake News.

Há a possibilidade de acentuação da crise caso seja concretizado o afastamento de Eduardo Bolsonaro do PSL Ele se juntaria a outros cinco deputados que já foram afastados do partido, o que inviabilizaria também sua tentativa de ser eleito líder da bancada. Ao mesmo tempo, um caso de aluguel do PSL pago a uma empresa de Luciano Bivar, presidente da legenda, foi exposto.

Na agenda das empresas, o destaque vai para o início da temporada de divulgação dos resultados do terceiro trimestre de 2019 (3T19). Nesta semana, serão divulgados os resultados de: (i) WEG, Localiza, EDP e CSN no dia 23 (quarta); (ii) Lojas Renner, Petrobras e Vale no dia 24 (quinta); e (iii) Usiminas e Ambev no dia 25 (sexta). Na nossa plataforma de conteúdos, você pode conferir as expectativas dos resultados das empresas da nossa cobertura neste link.

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: A semana começa com a continuidade da crise no PSL 
  2. Pagamento de auxílio-doença pode se tornar responsabilidade das empresas
  3. Mercado diminui projeção de inflação para 2020

Empresas

  1. Grupo Pão de Açúcar (PCAR4): GPA dá início à OPA do Éxito na Colombia
  2. Petrobras (PETR4): Empresa informa sobre provisionamentos não recorrentes; expectativas para os resultados do 3T19 mantidas
  3. B3 (B3SA3): B3 recebe multa de R$4,2 bilhões
  4. Elétricas: Novo pacote de privatizações de elétricas estaduais

Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: A semana começa com a continuidade da crise no PSL 

  • A semana começa com a continuidade da crise no PSL. A ex-líder do governo Joice Hasselmann trocou ofensas com os filhos 02 e 03 do presidente, Carlos e Eduardo, durante todo o fim de semana. A deputada federal, que chegou a fazer insinuações contra o governo e será entrevistada no programa “Roda Viva” hoje à noite – com a expectativa de novidades que ela pode apresentar sobre o governo e a campanha de Bolsonaro. Joice também deve ser convidada por parlamentares petistas a dar depoimento na CPI das Fake News;
  • Há a possibilidade de acentuação da crise caso seja concretizado o afastamento de Eduardo Bolsonaro do PSL Ele se juntaria a outros cinco deputados que já foram afastados do partido, o que inviabilizaria também sua tentativa de ser eleito líder da bancada. Ao mesmo tempo, um caso de aluguel do PSL pago a uma empresa de Luciano Bivar, presidente da legenda, foi exposto;
  • O secretário de Previdência, Leonardo Rolim, disse que a inclusão de um sistema de capitalização na Previdência poderia ser feito sem uma PEC, o que facilitaria as chances de aprovação e o tempo de tramitação no Congresso, já que precisaria de menos apoios que uma emenda à Constituição. O Ministério da Economia divulgou uma nota em seguida; diz que ainda estudará qual a forma legislativa e quando será enviado.

Pagamento de auxílio-doença pode se tornar responsabilidade das empresas

  • De acordo com o Estadão, o pagamento de auxílio-doença poderá deixar de ser feito pelo INSS e virar responsabilidade das empresas. A proposta de alteração na regra foi incluída pelo deputado Fernando Rodolfo em seu relatório na Medida Provisória 891, e será discutida pelo Congresso Nacional;
  • Hoje em dia, o funcionário que fica mais de 15 dias sem trabalhar por motivo de doença passa a receber o benefício pelo INSS. O pagamento, entretanto, só ocorre depois da realização de uma perícia, que costuma demorar cerca de 40 dias. Para os defensores da medida, a alteração na regra eliminaria o risco de o empregado ficar sem salário à espera de uma perícia e abriria espaço no orçamento da União para novos gastos;
  • De acordo com o deputado Fernando, as empresas não teriam prejuízo com a alteração na regra, uma vez que todo o valor desembolsado em auxílio-doença poderia ser abatido dos tributos devidos à União, como acontece atualmente com o salário-maternidade.

Mercado diminui projeção de inflação para 2020

  • De acordo com o Relatório Focus divulgado hoje pelo Banco Central, o mercado reduziu sua projeção de inflação para 2020 de 3,73% na última semana para 3,66%. Para 2019, a projeção também foi levemente reduzida, passando de 3,28% para 3,26%;
  • A projeção de PIB para 2020 permaneceu estável em 2,00%, enquanto a projeção para 2019 passou de 0,87% para 0,88%;
  • A projeção da taxa de câmbio para 2019 permaneceu estável em 4,00, enquanto a projeção para 2020 passou de 3,95 para 4,00. Enquanto isso, a projeção da taxa Selic permaneceu estável em 4,75% em 2020 mas passou de 4,75% para 4,50% em 2019. Clique aqui para acessar a nossa análise completa.

Empresas

Grupo Pão de Açúcar (PCAR4): GPA dá início à OPA do Éxito na Colombia

  • Em 19 de Outubro, o Grupo Pão de Açúcar (GPA) deu mais um passo no seu processo de reorganização societária. A empresa anunciou o início da Oferta Pública de Ações (OPA) de até 100% das ações do Éxito pelo preço por ação previamente anunciado de 18,000 pesos colombianos. De acordo com o anúncio, os acionistas do Éxito deverão entre 28 de outubro e 19 de novembro manifestar o interesse em aderir ou não à oferta;
  • Conforme destacamos no nosso relatório publicado na semana passada, a administração do GPA espera que o percentual de adesão dos acionistasminoritários seja de 70% a 80%. Assumindo o ponto médio de 75%, estimamos que o GPA desembolse um total de R$ 8,5 bilhões na aquisição do Éxito, incluindo a compra da participação de 55,3% do Grupo Casino na empresa colombiana;
  • Nossa recomendação para o GPA é de Compra, com preço-alvo de R$124/ação para final de 2020. Para saber mais detalhes sobre os próximos passos da reorganização societária e nossa visão para o papel, acesse o conteúdo completo clicando aqui.

Petrobras (PETR4): Empresa informa sobre provisionamentos não recorrentes; expectativas para os resultados do 3T19 mantidas

  • Na última sexta, a Petrobras informou que provisionará R$ 3,2 bilhões em decorrência de: (i) litígios envolvendo a empresa Sete Brasil; (ii) processo ambiental do Estado do Paraná; e (iii) litígios sobre participação especial e royalties envolvendo a ANP;
  • O efeito decorrente desses provisionamentos será reconhecido no resultado consolidado da Petrobras do 3º trimestre de 2019. No entanto, por serem efeitos não-recorrentes (ou seja, que não fazem parte das operações da empresa tradicionalmente), tais provisionamentos não afetam nossas expectativas para os resultados da empresa no 3T19, e não serão incorporados às nossas estimativas. Clique aqui para saber mais sobre as nossas expectativas para o 3T19 da Petrobras.

B3 (B3SA3): B3 recebe multa de R$4,2 bilhões

  • A B3 recebeu, na última sexta-feira, uma multa no valor de R$ 4,2 bilhões. A multa é baseada no fato de que a B3 utilizou o ágio gerado na fusão da Bovepsa com a BM&F para pagar menos impostos (IRPJ e CSLL). A Receita Federal questiona o ágio e acredita que a amortização foi indevida;
  • Este é o quarto processo de uma série que questiona a amortização do ágio gerado na fusão entre Bovespa e BM&F. Juntos, os processos somam R$ 11,5 bilhões e são referentes as amortizações realizadas nos exercícios fiscais entre 2008 e 2016. Lembrando que a B3 também utilizou o ágio da mesma transação para amortização fiscal em 2017, e a Receita possui até 2023 para atuar a B3 referente a este ágio, mas este seria o último processo da série;
  • Todos os processos ainda estão em alguma esfera judicial (DRK, câmara baixa do CARF, câmara superior do CARF e poder judiciário), sem conclusão final. A primeira atuação que a B3 levou, por exemplo, foi em 2010 e só agora está na justiça comum (que possui três instâncias). Ou seja, mesmo que a B3 perca os processos, levará anos até que isso aconteça;
  • O departamento jurídico da B3 acredita que as chances de perda são mínimas,ao ponto de a empresa não ter realizado qualquer provisão. Porém, em caso de perda, o valor das multas é mais de três vezes o que estimamos de lucro para a B3 em 2020 e representaria 12% do valor de mercado da mesma.

Elétricas: Novo pacote de privatizações de elétricas estaduais

  • Segundo o Valor Econômico, um novo pacote de privatizações de elétricas no âmbito estadual se aproxima. Em estágio mais avançado estão os processos da CEEE (RS), CEB (DF), CEA (AP) e Cemig (MG);
  • Considerando os dados das quatro estatais estaduais, estão em jogo um mercado de 11,4 milhões de clientes e um parque gerador de mais de 8 mil megawatts (MW) de capacidade, com uma força de trabalho de 10,7 mil empregados;
  • Os grupos estrangeiros que já sinalizaram interesse em ativos do tipo no Brasil são a italiana Enel e a chinesa State Grid, o que aumenta a expectativa de que o novo conjunto de privatizações atraia investimento estrangeiro.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.