XP Expert

Morning Call XP (12.set): Melhora nas tensões comerciais e reunião do BCE em foco

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +0,40% | 103.445 Pontos

CÂMBIO -0,3% | 4,07/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ontem o Ibovespa subiu 0,4% atingindo 103.445 pontos, com dados de varejo melhores que o esperado, que impulsionaram as ações do setor. Hoje, a atenção se volta aos mercados internacionais. O grande destaque foi o anúncio de Trump de que adiará em duas semanas o aumento da tarifa sobre produtos chineses originalmente programado para 1º de outubro.

Isso ocorre depois que a China anunciou algumas isenções de tarifas sobre produtos norte-americanos, enquanto relatórios apontam que Pequim está buscando aumentar as compras agrícolas para ajudar a alcançar um melhor acordo comercial. Na nossa visão, a decisão de Trump está em linha com o que temos dito – as circunstâncias devem forçar Trump a diminuir as tensões comerciais, aumentando as chances de reeleição em 2020.

Além disso, o mercado ficará atento nesta manhã à reunião do Banco Central Europeu (BCE) às 8h45 (horário de Brasília), seguida pela conferência de imprensa do presidente da autoridade monetária, Mario Draghi.

Espera-se que a autoridade monetária promova um corte de 10 pontos-base na taxa de depósitos e faça um compromisso mais forte de se encaminharem compras mensais de 30 bilhões de euros em ativos por 9 a 12 meses. Se os estímulos forem maiores que o esperado, seria positivo para os mercados.

Do lado das commodities, o petróleo continua pressionado após anúncio da OPEP de redução em sua previsão para a demanda em 2020, recuando -2,5% ontem e operando em queda de -1% nessa manhã de quinta-feira, em US$60,15/barril. O minério de ferro, por sua vez, segue sustentado no patamar dos US$94/tonelada.

No campo político no Brasil, a tentativa de recriar CPMF derruba chefe da Receita. Paulo Guedes exonerou, a pedido, o chefe da Receita Federal por divergências no projeto da reforma tributária. A recriação da CPMF ou aumento da carga tributária estão fora da reforma tributária por determinação do Presidente. Esse resumo dos eventos é o próprio Tweet de Jair Bolsonaro feito na tarde de ontem. 

Com isso, a reforma tributária deve mesmo tomar a cara das propostas discutidas na Câmara e no Senado, com um Imposto sobre Valor Agregado (IVA). Não obstante, matéria da Folha aponta que Guedes ainda teria interesse na criação do Imposto sobre Transações Financeiras, mas com alinhamento prévio com o presidente.

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Tentativa de recriar CPMF derruba chefe da Receita
  2. Queda de Marcos Cintra reduz sensivelmente as chances de volta da CPMF
  3. Pauta de abertura comercial do Brasil segue evoluindo positivamente
  4. Comércio varejista apresenta expansão em julho e surpreende as expectativas

Internacional

  1. Novo sinal de alívio nas tensões comercias
  2. Preços do petróleo caem com redução da previsão da demanda pela OPEP

Empresas

  1. Aéreas: Regra de distribuição de slots em Congonhas pode ser revisada
  2. Celulose: Preços baixos continuam incentivando cortes de produção
  3. Ambev (ABEV3): IPO da divisão asiática em Hong Kong continua sendo explorado pela AB Inbev


Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: Tentativa de recriar CPMF derruba chefe da Receita

  • “Tentativa de recriar CPMF derruba chefe da Receita. Paulo Guedes exonerou, a pedido, o chefe da Receita Federal por divergências no projeto da reforma tributária. A recriação da CPMF ou aumento da carga tributária estão fora da reforma tributária por determinação do Presidente.” Esse resumo dos eventos é, na verdade, um Tweet de Jair Bolsonaro feito na tarde de ontem;
  • Com isso, a reforma tributária deve mesmo tomar a cara das propostas discutidas na Câmara e no Senado, com um Imposto sobre Valor Agregado (IVA). Não obstante, matéria da Folha aponta Guedes ainda teria interesse na criação do Imposto sobre Transações Financeiras, mas com alinhamento prévio com o presidente.

Queda de Marcos Cintra reduz sensivelmente as chances de volta da CPMF

  • A queda do secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, praticamente reduz a zero as chances da volta da CPMF, pois Cintra era o principal concebedor e articulador da volta do imposto;
  • Resta saber se o ministro da economia, Paulo Guedes, seguirá defendendo a volta da CPMF e como irá adequar seu discurso em face à queda de Cintra. Além de Cintra, Guedes sempre foi um árduo defensor do retorno da CPMF e o noticiário recente confirma que Guedes estava bastante envolvido com a defesa desse imposto e de sua associação necessária à desoneração da folha de pagamentos;
  • Por fim, também resta entender até onde vai a influência da presidência nos assuntos ministeriais. A despeito de entendermos que a volta da CPMF não seria uma boa opção por se tratar de um imposto essencialmente regressivo, acreditamos que o envolvimento presidencial direto em decisões ministeriais não é saudável para a Economia e possui o potencial de contaminar o canal de formação de expectativas dos agentes de mercado.

Pauta de abertura comercial do Brasil segue evoluindo positivamente

  • De acordo com o jornal O Globo, o governo brasileiro já negocia acordos comerciais com Coreia, Canadá e Cingapura, além de seguir negociando maior abertura comercial com os Estados Unidos;
  • Ao que tudo indica o cronograma de negociações já está definido e contempla conversas com Coreia do Sul neste mês, Canadá em outubro e Cingapura em dezembro. As exportações brasileiras atualmente representam um volume ínfimo do que esses países importam do mundo e, portanto, existe um grande potencial comercial com esses países;
  • Entendemos que essa pauta é extremamente positiva e que possui grande capacidade de elevar o crescimento potencial do Brasil. Resta entender quão rápido serão as negociações, que dependem em algum grau da possível participação do Mercosul, e a implementação dessa agenda, que depende do ambiente político interno.

Comércio varejista apresenta expansão em julho e surpreende as expectativas

  • Em julho de 2019, o comércio varejista ampliado apresentou expansão de 7.7% na comparação anual (jul19 / jul18), surpreendendo positivamente tanto as nossas expectativas (4.9%) quanto as expectativas de mercado coletadas pela Bloomberg (4.0%);
  • Na base de comparação mensal (jul19 / jun19), o indicador apresentou expansão de 0.7%, também acima das nossas expectativas (-0.5%) e das expectativas de mercado (-0.8%);
  • O bom resultado do varejo em julho foi generalizado, mas o maior destaque positivo foi a melhora dos indicadores do comércio de bens não-duráveis (como a categoria de supermercados) e de semi-duráveis (como artigos de uso pessoal e doméstico). Clique aqui para ver a análise do varejo na íntegra

Internacional

Novo sinal de alívio nas tensões comercias

  • Ontem à noite, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decidiu adiar em duas semanas a aplicação de tarifas adicionais de US$250 bilhões em produtos chineses como um gesto de “boa vontade”. Assim, as tarifas que seriam aplicadas em 1º de outubro passarão para o dia 15;
  • Segundo Trump, o adiamento foi pedido pelo vice-primeiro-ministro chinês Liu He, em razão da comemoração do 70º aniversário da fundação da República Popular da China, no próximo dia 1º. O anúncio de Trump veio horas depois da decisão chinesa de isentar 16 tipos de produtos dos EUA de tarifas extras por um ano, a partir do dia 17;
  • Hoje, o Ministério de Comércio da China expressou satisfação com a decisão do presidente dos Estados Unidos e disse que empresas chinesas começaram a fazer levantamentos de preços de bens agrícolas americanos para possivelmente retomar as compras desses produtos, que estão suspensas desde o mês passado, quando houve forte deterioração na relação comercial entre as duas maiores economias do mundo. As decisões de ambos os presidentes trouxeram um novo sinal de alívio nas tensões comercias e foram bem recebidas pelos mercados.

Preços do petróleo caem com redução da previsão da demanda pela OPEP

  • Ontem, a OPEP anunciou uma redução em sua previsão para a demanda de petróleo em 2020 devido à desaceleração da economia global. A previsão do grupo é agora um aumento de +1,08 milhões de barris/dia na demanda de petróleo, uma queda de -60 mil barris/dia em relação às expectativas anteriores devido a uma redução no crescimento global para 3,1% vs. 3,2% anteriormente;
  • Em seu relatório mensal, a OPEP destacou que o menor crescimento global combinado com a produção adicional de concorrentes como os EUA reforça a responsabilidade para que o grupo dos maiores produtores estabilize o mercado de petróleo. Segundo o ministro do petróleo do Iraque, o grupo discutirá em uma reunião nesta quinta-feira se são necessários cortes adicionais na produção da commodity;
  • Os preços do Brent caíram -2,5% ontem e caíram -1% nesta manhã.

Empresas

Aéreas: Regra de distribuição de slots em Congonhas pode ser revisada

  • De acordo com o Valor, o governo está preparando uma nova proposta para a alocação de slots no aeroporto de Congonhas (SP), com o intuito de aumentar a concorrência;
  • Atualmente as empresas perdem seus slots apenas em caso de descumprimento da exigência de 90% de regularidade, e no mecanismo sob análise os indicadores semestrais das empresas seriam comparados entre si (duas vezes por ano) e quem tiver o pior desempenho perderia 2,5% dos slots. Dessa forma, seriam redistribuidos 5% dos slots ao ano;
  • Os novos critérios serão discutidos pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em audiência pública que deve ser aberta, segundo o secretário nacional de Aviação Civil, Ronei Glanzmann, no fim de 2019 ou no início de 2020.

Celulose: Preços baixos continuam incentivando cortes de produção

  • De acordo com a consultoria RISI, a chilena CMPC confirmou essa semana que ampliará o número de dias da parada programada prevista para novembro na linha 1 da fábrica de Guaíba, no Rio Grande do Sul, e antecipar para 2019 uma parada programada para 2020 na fábrica de Santa Fé, no Chile. A empresa já havia indicado que medidas dessa natureza poderiam ser avaliadas caso os preços da celulose continuassem em baixa. Detalhes quanto ao volume de produção que poderá ser cortado não foram fornecidos;
  • Somado a isso, segundo fontes de mercado, ainda que a demanda tenha melhorado, os estoques de celulose seguem elevados nos portos chineses, dado que eventos climáticos recentes impactaram negativamente os embarques. A expectativa, com isso, é que os estoques recuem nos próximos dias, frente à normalização desses eventos;
  • Vemos a redução dos estoques adiante e potenciais novos cortes de produção como uma sinalização positiva para os preços e seguimos com uma visão positiva para a dinâmica de oferta/demanda no médio-longo prazo.

Ambev (ABEV3): IPO da divisão asiática em Hong Kong continua sendo explorado pela AB Inbev

  • A AB InBev informou ontem que retomou o pedido de listagem de uma oferta de participação minoritária de ações da sua subsidiária na Ásia-Pacífico, a Budweiser Brewing Company, na Bolsa de Hong Kong;
  • Segundo o comunicado, não há garantias de que a transação será concluída, e a decisão de prosseguir dependerá de um número de fatores e das condições de mercado. Vale lembrar que o IPO (oferta pública inicial) da subsidiária da AB Inbev começou a ser noticiada em julho, com potencial de levantar US$9,8bi, o que ajudaria a reduzir seu endividamento. Em julho, contudo, a empresa desistiu da operação, por conta “das condições prevalecentes no mercado”;
  • Na nossa visão, se concluído, o risco da AB InBev vender ações da Ambev diminuiria, o que vemos como positivo. Vale lembrar que entrou em vigor o novo acordo de acionistas da Ambev, que encerra o período de restrição à venda das ações que a AB InBev detém na Ambev (62%).
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.