XP Expert

Mercados globais aguardam dados de emprego nos EUA; no Brasil, reforma do IR é a aprovada na Câmara

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 0,5% | 119.396 Pontos

CÂMBIO 0,7% | 5,19/USD

O que pode impactar o mercado hoje

No primeiro dia útil do mês de setembro, com cenário externo favorável e em compasso de espera sobre a evolução dos principais temas que preocupam no Brasil, o Ibovespa encerrou o pregão de ontem (01/09) no campo positivo (+0,52%). Enquanto isso, o dólar fechou com alta de 0,7%, aos R$5,19.

Já as taxas de juros fecharam o dia de ontem novamente em alta, seguindo os mesmos temores das últimas sessões em relação aos cenários fiscal, político e à inflação. A divulgação do PIB do segundo trimestre abaixo do esperado, a nova bandeira tarifária de energia e novos rumores sobre auxílio emergencial, além da questão ainda não resolvida dos precatórios foram os principais motores para o movimento da curva. Destaques para o DI jan/26 encerrou em 9,80%; e DI jan/28 fechou em 10,17%.

As Bolsas internacionais amanhecem levemente positivas (EUA +0,2% e Europa +0,2%) enquanto os investidores aguardam o relatório de emprego dos EUA a ser divulgado amanhã. Ontem, a pesquisa ISM Manufacturing dos EUA ficou em 59,9, acima das expectativas (58,8), sugerindo que o setor industrial continuam crescendo em ritmo sólido (leituras acima de 50 indicam expansão). O componente ‘Novos Pedidos’ também surpreendeu positivamente, em 66,7. É uma evidência de que as perspectivas do setor manufatureiro continuam boas, apesar da disseminação da variante Delta da Covid-19. A criação de empregos, entretanto, parece ser afetada pela nova variante. O emprego ISM ficou em 49, sugerindo contração.

Na China (0,0%), o mercado encerra de lado, mas com nova movimentação dos reguladores, que por sua vez alegaram que empresas de carona estariam recrutando motoristas e veículos não aprovados no país e investigam empresas como a Didi, T3 e Meituan.

No Brasil, foi divulgado ontem o PIB do 2T21 que permaneceu praticamente estável (-0,05% trimestre/trimestre; 12,4% ano/ano), abaixo da nossa estimativa (0,3% T/T; 13,0% A/A) e do consenso de mercado (0,2% T/T; 12,7% A/A). O Consumo das Famílias permaneceu estável no 2T (0% T/T), muito abaixo da nossa expectativa – o comportamento favorável das vendas no varejo e dos serviços prestados às famílias nos levou a projetar uma expansão de 1,2% T/T. Ainda esperamos que o PIB retome o crescimento ao longo do segundo semestre de 2021, impulsionado principalmente pela retomada dos serviços prestados às famílias e pela normalização dos serviços públicos. Ainda assim, na esteira dos números um pouco mais fracos do 2T, revisamos o crescimento do PIB em 2021 de 5,5% para 5,3%.

No campo político brasileiro, essa quinta-feira amanhece tendo como principal destaque a aprovação, na Câmara dos Deputados, do texto-base da reforma do imposto de renda. O relatório modificado de Celso Sabino (PSDB-PA) passou por 397 votos a 77, numa articulação exitosa do presidente Arthur Lira (Progressistas-AL) e patrocinada, inclusive, por partidos da oposição como PT, PCdoB e PSOL. Apenas PSD, Novo e Cidadania foram contrários. As principais diretrizes da reforma permanecem: criar imposto sobre dividendos, reduzir o imposto de renda para empresas e pessoas físicas. Os juros sobre o capital próprio (JCP) estão extintos, na proposta. O projeto segue agora para o Senado.

Tópicos do dia

Economia

  1. A perspectiva do setor manufatureiro dos EUA permanece positiva, apesar da variante delta. No Brasil, o crescimento do PIB no segundo trimestre ficou aquém das expectativas, levando a cortes nas projeções do mercado para o crescimento em 2021 e 2022. A Câmara dos Deputados aprovou a reforma do imposto de renda. O projeto segue para o Senado

Política

  1. Arthur Lira emplaca reforma do IR na Câmara; governo tem dupla derrota no Senado 
  2. Se na Câmara a agenda econômica avançou à revelia do governo – com créditos ficando sobretudo com o presidente da Casa Legislativa, o Senado imputou ao Palácio do Planalto uma dupla derrota

Empresas

  1. Setor Elétrico: Sensor Elétrico XP | Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível
  2. Hapvida (HAPV3): Aquisição fortalece expansão em MG
  3. C&A Modas (CEAB3): O desempenho recente está chamando nossa atenção e a dos investidores também
  4. Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses
  5. Notícias Diárias do Setor Financeiro
  6. Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

Internacional

  1. Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Chips do Google

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 02/09

Veja todos os detalhes

Economia

A perspectiva do setor manufatureiro dos EUA permanece positiva, apesar da variante delta. No Brasil, o crescimento do PIB no segundo trimestre ficou aquém das expectativas, levando a cortes nas projeções do mercado para o crescimento em 2021 e 2022. A Câmara dos Deputados aprovou a reforma do imposto de renda. O projeto segue para o Senado

  • A pesquisa ISM Manufacturing dos EUA ficou em 59,9, acima das expectativas (58,8), sugerindo que o setor industrial continuam crescendo em ritmo sólido (leituras acima de 50 indicam expansão). O componente ‘Novos Pedidos’ também surpreendeu positivamente, em 66,7. É uma evidência de que as perspectivas do setor manufatureiro continuam boas, apesar da disseminação da variante delta;
  • A criação de empregos, entretanto, parece ser afetada pela nova variante. O emprego ISM ficou em 49, sugerindo contração. A consultoria ADP registrou 374 mil novos empregos privados em agosto, muito abaixo do esperado (625 mil). Todas as atenções se voltam agora para os números oficiais do mercado de trabalho, a serem publicados amanhã;
  • O PIB do Brasil permaneceu praticamente estável no 2T21 (-0,05% trimestre/trimestre; 12,4% ano/ano), abaixo da nossa estimativa (0,3% T/T; 13,0% A/A) e do consenso de mercado (0,2% T/T; 12,7% A/A). O Consumo das Famílias permaneceu estável ​​no 2T (0% T/T), muito abaixo da nossa expectativa – o comportamento favorável das vendas no varejo e dos serviços prestados às famílias nos levou a projetar uma expansão de 1,2% T/T. Ainda esperamos que o PIB retome o crescimento ao longo do segundo semestre de 2021, impulsionado principalmente pela retomada dos serviços prestados às famílias e pela normalização dos serviços públicos. Ainda assim, na esteira dos números um pouco mais fracos do 2T, revisamos o crescimento do PIB em 2021 de 5,5% para 5,3%;
  • Mais importante, são crescentes os ventos contrários para 2022. Primeiro, o aumento da percepção de risco fiscal e a incerteza política pioraram substancialmente as condições financeiras nas últimas semanas. Em segundo lugar, os impactos da crise hídrica em curso (e o subsequente aumento na tarifa de eletricidade) aumentam a pressão para a redução da produção econômica. Nesse contexto, vemos agora um crescimento menor do PIB em 2022 – de 2,3% para 1,7%;
  • A Câmara dos Deputados aprovou a reforma do imposto de renda, com cortes adicionais de impostos. As principais diretrizes da reforma permanecem: criar imposto sobre dividendos, reduzir o imposto de renda para empresas e pessoas físicas. Os juros sobre o capital próprio estão extintos, na proposta. O projeto segue agora para o Senado.

Política

Arthur Lira emplaca reforma do IR na Câmara; governo tem dupla derrota no Senado 

  • A quinta-feira amanhece tendo como principal destaque a aprovação, na Câmara dos Deputados, do texto-base da reforma do imposto de renda (IR). O relatório modificado de Celso Sabino (PSDB-PA) passou por 397 votos a 77, numa articulação exitosa do presidente Arthur Lira (Progressistas-AL) e patrocinada, inclusive, por partidos da oposição como PT, PCdoB e PSOL. Apenas PSD, Novo e Cidadania foram contrários;
  • Para reunir apoio à empreitada, Sabino excluiu a regra que restringiria a opção pela declaração simplificada do IRPF a quem recebe até R$ 40.000 por ano, manteve benefícios tributários do setor aéreo e de embarcações e assinalou concordar com a redução da alíquota incidente sobre lucros e dividendos de 20 para 15%. Hoje, os deputados votam os destaques (xpi.la/2Y9mjuP), valendo enfatizar, além da redução supracitada, as propostas de aumento da faixa de isenção do IRPF para até 3 salários-mínimos (PT), de reajuste do teto de despesas dedutíveis com instrução e dependentes (PDT) e alternativas veiculando progressividade à tributação de lucros e dividendos (PSOL). 

Se na Câmara a agenda econômica avançou à revelia do governo – com créditos ficando sobretudo com o presidente da Casa Legislativa, o Senado imputou ao Palácio do Planalto uma dupla derrota

  • Por 47 votos a 27, os senadores rejeitaram ontem à noite a Medida Provisória (MP) nº 1.045/21, que mudava a legislação trabalhista e instituía políticas públicas de fomento à empregabilidade de jovens e de profissionais com mais de 50 anos (programas “Priore” e “Requip”). A deliberação foi bastante controvertida, prevalecendo a retórica – endossada por partidos como PSD e MDB – de *fragilização aos direitos dos trabalhadores* no texto aprovado pelos deputados. Para evitar devolução à Câmara, os senadores fulminaram a MP rejeitando sua compatibilidade com pressupostos constitucionais de “relevância e urgência”, decisão essa de natureza “terminativa” e que implicou o arquivamento sumário da matéria;
  • E, na sequência, o plenário senatorial também sustou a eficácia duma resolução que introduziria novos critérios atuariais e regras de coopartipação nos planos autogeridos por empresas governamentais (CGPAR 23). Nos cálculos da área econômica, a reviravolta pode impactar:
  • R$ 387,4 milhões na Caixa/CEF, 
  • R$ 274,5 milhões na Petrobrás, 
  • R$ 267,4 milhões no BB, 
  • R$ 219,9 milhões nos Correios (ECT); 
  • R$ 182,2 milhões na Eletrobrás (ELET); e 
  • R$ 69,2 milhões no Serpro.

Empresas

Setor Elétrico: Sensor Elétrico XP | Risco de racionamento aumenta significativamente, governo adota medidas preventivas e apagão é possível

  • O cenário hidrológico ficou abaixo de nossas estimativas em agosto, a ENA (quantidade de água que chega às hidrelétricas, em unidade de energia) ficou 27% abaixo de nossos números, e a geração hídrica e térmica 8% abaixo de nossa projeção. O que resultou em um nível de reservatório consolidado de 2,2p.p.;
  • Para evitar cenários mais adversos, o Ministério de Minas e Energia (MME) publicou algumas medidas preventivas: (i) os consumidores do mercado livre podem vender seus contratos de energia para o mercado cativo via redução do consumo; (ii) contratação de usinas ociosas; (iii) importação de energia de países vizinhos; (iv) postergação de paradas de manutenção em usinas; e (v) incentivos financeiros para redução da demanda no mercado regulado;
  • A geração hídrica mais baixa no Sudeste exige trazer mais energia das regiões Norte e Nordeste, o que coloca mais pressão no sistema de transmissão e exige uma operação com menos backups para atender a demanda de energia. Isso significa que o sistema ficará mais vulnerável a distúrbios como queimadas, tempestades e falhas humanas, tornando os apagões possíveis;
  • Como resultado, atualizamos nossas estimativas e vemos a probabilidade de racionamento nos próximos 12 meses aumentar para 17,2% de 5,5% no relatório anterior. Caso as medidas adotadas sejam efetivas e se economize até 2,5GWmed, nossa probabilidade de racionamento de energia cai para 11%;
  • Para acessar o relatório completo clique aqui.

Hapvida (HAPV3): Aquisição fortalece expansão em MG

  • A Hapvida divulgou ontem por fato relevante a aquisição de 94% do Hospital Madrecor, em Uberlândia, por aproximadamente R$113 milhões. O hospital oferece assistência médica completa e conta, entre outros serviços, com atendimentos laboratoriais, centros cirúrgico e de oncologia;
  • O Madrecor possui atualmente 115 leitos, sendo 20 de UTI – o que implica em um EV/leito de R$1,04M, em linha com o caráter mais premium da praça e com a última aquisição do GNDI em MG de R$1,17M EV/leito com o Hospital Lifecenter;
  • A região de saúde de Uberlândia e cidades próximas possui população de 1,7 milhão de habitantes e 630 mil beneficiários, e a companhia espera sinergias geográficas e operacionais com as operações recém integradas em Uberaba;
  • Vemos o movimento como positivo, pois: i) fortalece sua consolidação em Minas Gerais; e ii) reforça um dos pilares da nossa tese sobre crescimento inorgânico, e mostra que mesmo durante o processo de fusão com o GNDI a empresa continua com uma agenda ativa de aquisições. Reiteramos nossa recomendação de Compra e preço-alvo R$19/ação.

C&A Modas (CEAB3): O desempenho recente está chamando nossa atenção e a dos investidores também

  • As ações da C&A caíram 35% desde Junho, apresentando um desempenho muito abaixo dos seus pares. Como resultado desse movimento, a companhia é atualmente uma das varejista mais baratas da nossa cobertura e entre seus pares;
  • Nós não vemos uma razão para isso do ponto de vista de fundamento da empresa, uma vez que a perspectiva da empresa tem inclusive melhorado, através de (i) melhorias logísticas que devem começar a dar resultados no segundo semestre de 2021; (ii) a reabertura da economia favorece a recuperação das vendas; e (iii) o fim da parceria com o Bradesco seria positivo do ponto de vista estratégico, uma vez que vemos a oferta de crédito proprietária como uma vantagem competitiva para varejistas;
  • Nós reiteramos nossa recomendação de Compra e ajustamos nosso preço alvo para R$14,0 por ação;
  • Clique aqui para ver o relatório completo.

Taesa (TAEE11): Companhia antecipa a linha de transmissão Janaúba em 5,5 meses

  • Ontem, a Taesa divulgou um comunicado ao mercado informando que concluiu a linha de transmissão Janaúba 5,5 meses antes do prazo regulatório, com um desconto de 18% para o Capex da ANEEL;
  • Isso adiciona um VPL de R$117 milhões em nossos cálculos, o que representa aproximadamente 1% do valor de mercado da Taesa;
  • Vemos essa antecipação como positiva não só pelo VPL agregado, mas ajuda o sistema a lidar com a crise de energética. Mantemos nossa recomendação neutra com um preço alvo de R$ 37/ação.

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

  • Nesta publicação diária, trazemos as principais notícias do setor de varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre as tendências e acontecimentos mais importantes do dia. Além disso, o relatório contém um resumo dos múltiplos e recomendações para as empresas de nossa cobertura;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Internacional

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Chips do Google

  • O Google anunciou neste mês que pretende incluir chips proprietários em seus laptops Chromebook a partir de 2023;
  • Rumores sugerem que o novo smartphone da Apple poderá estabelecer conexão direta com satélites na órbita do planeta;
  • Zoom desaponta com desaceleração de crescimento e ações encerram o dia em queda acentuada;
  • Investimentos em soluções futuras para o setor aéreo sofrem aumento expressivo ao longo dos últimos 5 anos;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 02/09

  • Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança;
  • Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance histórica do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP;
  • Por que essas informações são importantes? Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.