XP Expert

IPCA de agosto no Brasil, juros na Europa e inflação nos EUA na agenda da semana

Inflação nos EUA e preço do petróleo são alguns dos temas de maior destaque nesta segunda-feira, 11/09/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,58% | 115.313 Pontos

CÂMBIO -0,04% | 4,98/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

Em uma semana com baixa liquidez devido a uma segunda-feira de Dia do Trabalho nos EUA e a uma quinta-feira de Dia da Independência no Brasil, o Ibovespa acumulou queda de 2,2%, fechando a sexta-feira com 115.313 pontos. O desempenho do Ibovespa foi novamente afetado por questões externas, como novas expectativas do prolongamento da política restritiva nos EUA, economia chinesa com nível de atividade abaixo do esperado e aumento do preço do petróleo. No Brasil, Programa Desenrola também é destaque.

Renda Fixa

A curva de juros futuros encerrou a semana com nova elevação dos vértices intermediários e longos, principalmente, aumentando a inclinação. A baixa liquidez ao final da semana devido ao feriado da Independência não foi suficiente para reverter o movimento observado ao longo dos primeiros dias. Permanecem o receio dos agentes em relação à trajetória da dívida no Brasil, além da pressão das taxas das Treasuries sobre o mercado local. No comparativo semanal, DI Jan/24 passou de 12,384% para 12,345%; DI Jan/25 saiu de 10,582 para 10,545%; DI Jan/27 passou de 10,362% para 10,455%; e DI Jan/31 subiu de 11,074% para 11,24%.

Mercados globais

Nos Estados Unidos, os futuros negociam em alta na sexta-feira (S&P 500: 0,4%; Nasdaq 100: 0,5%), com expectativa de que a taxa básica de juros será mantida inalterada na reunião da próxima semana. As ações da Tesla sobem 6,5% no pré-mercado devido a um aumento no preço alvo pelo Morgan Stanley, que revisou sua recomendação por conta de avanços no sistema de direção autônoma. O fim de semana foi marcado pelo encontro do G20 na Índia.

Na Europa, os mercados operam em alta (Stoxx 600: 0,4%), com alta entre os principais setores. A semana é de decisão de juros pelo Banco Central Europeu (BCE), mas não há consenso sobre qual será a postura adotada pelos dirigentes do banco.

Na China, as bolsas fecharam mistas. Enquanto a bolsa de Shangai avançou (CSI 300: 0,7%) por conta de alta nos setores de saúde e consumo cíclico que reagiram bem a dados de inflação de volta em território positivo, a bolsa de Hong Kong apresentou queda (HSI: -0,6%), após ter ficado fechada na sexta-feira devido à uma tempestade.

Economia

O comitê de política monetária do Banco Central Europeu (BCE) se reúne esta semana, em meio a atividade econômica fraca e inflação ainda acima da meta. A presidente do BCE, Christine Lagarde, não deu qualquer sinal claro do próximo passo da política monetária nos seus discursos recentes. Os números da inflação nos EUA também serão chave esta semana. O índice de preços ao consumidor de agosto (CPI) será divulgado na quarta-feira e o índice de preços ao produtor (PPI), na quinta-feira.

No Brasil, o IPCA de agosto sai na terça-feira. Esperamos 0,24% mês a mês, levando a variação anual para 4,62%, ante 3,99% em julho. Este resultado seria consistente com o cenário do banco central manter o ritmo de corte de juros em 0,50 p.p. nas próximas reuniões do Copom. A produção do setor de serviços (na quinta-feira) e as vendas no varejo (na sexta-feira), ambos referentes a julho, também serão monitoradas de perto pelos analistas de mercado.

Veja todos os detalhes

Economia

Reunião do BCE e inflação nos EUA e no Brasil em destaque

  • O comitê de política monetária do Banco Central Europeu (BCE) se reune esta semana, em meio a atividade econômica fraca e inflação ainda acima da meta. Dados divulgados na semana passada mostraram que o produto interno bruto da zona euro cresceu apenas 0,1% no segundo trimestre em comparação com o primeiro, enquanto os preços ao consumidor na Alemanha subiram 6,1% ano/ano em agosto, mais de três vezes. acima da meta de médio prazo de 2% do banco central. A presidente do BCE, Christine Lagarde, não deu qualquer sinal claro do próximo passo da política monetária nos seus discursos recentes;
  • Os números da inflação nos EUA também serão chave esta semana. O índice de preços ao consumidor de agosto (CPI) será divulgado na quarta-feira e o índice de preços ao produtor (PPI), na quinta-feira. Os membros do Fed (banco central dos EUA) tem dito que poderá ser necessária outra alta das taxas de juros para garantir que a inflação convergirá para a meta de 2%. Esperamos que a inflação continue a diminuir, o que acabaria convencendo o Fed a não aumentar novamente os juros. Mas reconhecemos que os recentes números de atividade mais fortes do que o esperado são um risco para esta previsão;
  • Divulgada na última sexta-feira, a inflação de preços ao consumidor (IPC) de agosto na China ficou  em 0,1% ano a ano, em linha com as expectativas do mercado. O governo também publicou bons resultados de concessão de crédito, o que reduziu um pouco a percepção de uma forte desaceleração da atividade econômica no país;
  • Os preços do petróleo estão em leve queda, recuando das máximas dos últimos 10 meses gerada pelo anúncio recente de cortes de oferta por parte de grandes produtores como Arábia Saudita e Rússia. A Agência Internacional de Energia e a Organização dos Países Exportadores de Petróleo devem divulgar os seus relatórios mensais esta semana; – A inflação também é destaque no calendário econômico brasileiro. A inflação ao consumidor do IPCA de agosto sai na terça-feira. Esperamos 0,24% mês a mês, levando a variação anual para 4,62%, ante 3,99% em julho. Este resultado seria consistente com o cenário do banco central manter o ritmo de corte de juros em 0,50pp nas próximas reuniões do Copom. A produção do setor de serviços (na quinta-feira) e as vendas no varejo (na sexta-feira), ambos referentes a julho, também serão monitoradas de perto pelos analistas de mercado.

Empresas

Data Expert | Acompanhamento do Mercado de Energia; Fraca geração de energia eólica e solar

  • Apesar da estação seca, os níveis dos reservatórios permaneceram muito confortáveis em agosto. Tivemos chuvas acima da média na região Sul e abaixo da média no litoral do Nordeste (característica do fenômeno El Niño);
  • Apesar disso, o mês de agosto foi fraco na geração de energia eólica e solar, com uma deterioração de -1,7% A/A na geração eólica, contra um aumento de +19,8%¹ A/A na capacidade instalada. Esse comportamento contraintuitivo pode refletir não apenas os recursos eólicos, mas também possíveis restrições de despacho por parte da ONS;
  • Com relação à demanda total de energia do SIN, a variação foi positiva (+5,0%) A/A;
  • Confira aqui o os destaques.

Data Expert | A Força dos Ventos; Um mês misto para as empresas sob nossa cobertura

  • Em geral, o mês de agosto teve uma geração de energia eólica fraca;
  • O desempenho consolidado dos complexos eólicos de propriedade das empresas sob nossa cobertura aumentando em +6% A/A, enquanto a capacidade instalada aumentou em +8% A/A no mesmo período;
  • Essa fraca geração pode refletir não apenas os recursos eólicos, mas também possíveis restrições de despacho por parte da ONS;
  • Confira aqui o os destaques.

Vamos (VAMO3) anunciou a aquisição da frota do Grupo Petrópolis

  • A Vamos anunciou a aquisição da frota de caminhões do Grupo Petrópolis;
  • Vemos o anúncio como positivo porque:
    • Proporciona uma oportunidade de crescimento relevante em um momento de acomodação dos preços dos caminhões Euro6;
    • A empresa espera retornos atrativos (2,8% de yield marginal e ~23% de TIR real desalavancada);
    • O risco de crédito/ativos parece sob controle (cerca de R$ 140 milhões em garantias e caminhões adquiridos têm perfil de alta liquidez ao serem de carga geral);
  • A transação consiste em 2.926 caminhões adquiridos por R$ 576 milhões, dos quais 2.392 serão alugados para a Petrópolis;
  • Reiteramos nossa visão positiva para a Vamos;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo

Petroquímicos | Iniciando cobertura de Unipar e Braskem

  • Estamos iniciando a cobertura da Unipar com uma recomendação de compra (preço-alvo de R$ 105/UNIP6; R$ 95/UNIP3) e da Braskem com uma recomendação neutra (preço-alvo de R$ 27/BRKM5);
  • Estamos cautelosos em relação ao setor, uma vez que o ambiente de preços/spreads baixos deverá permanecer nos próximos trimestres, e ainda não vemos isso totalmente refletido nos números de consenso;
  • Atualmente, favorecemos a Unipar, pois a consideramos mais bem posicionada para navegar nesses tempos turbulentos e achamos que negociar de acordo com o fluxo de notícias de fusões e aquisições da Braskem é perigoso;
  • Neste relatório, nos concentramos em fornecer uma visão completa do setor petroquímico (do básico do setor às tendências atuais e incluindo uma visão do cenário brasileiro) e também das empresas, cobrindo todos os fundamentos tanto da Unipar quanto da Braskem, comparando diferentes avaliações e métricas ESG e avaliando profundamente as alavancas de valor. Apresentamos também um panorama completo da saga da venda da participação da Novonor na Braskem;
  • Clique aqui para o relatório completo.

Eletromidia (ELMD3): Preço de aquisição da Globo é finalmente revelado

  • Na sexta-feira, foi anunciado o preço que a Globo pagou para a HIG e Guerrero (CEO): R$22,56 por 12 milhões de ações da Eletromidia (R$270,8 milhões);
  • sso representa um prêmio de 27% em relação ao preço do IPO e 91% com base no valor de fechamento antes da data do anúncio da transação (6 de março de 2023). Vemos a aquisição de forma positiva, já que o prêmio significativo indica o valor estratégico da companhia para a Globo, e a entrada do maior conglomerado de mídia do Brasil deve acelerar o crescimento da Eletromidia. É importante destacar que a Globo atingiu o limite de participação acionária de 27%, estabelecido como o limite para a nova disposição do “poison pill“. Com base em nossas estimativas, a Globo teve preço médio de R$ 17,13 nos dois leilões e em sua compra inicial pelos controladores;
  • Reiteramos a recomendação de Compra e o preço-alvo de R$ 17,0/ação para ELMD3 em 2023;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Grupo Pão de Açúcar (PCAR3): Uma solução inesperada para Cnova

  • O GPA Brasil anunciou que seu controlador, Casino, propôs iniciar negociações para a venda de sua participação de 34% na CNova para uma entidade do grupo, embora nenhum detalhe sobre o valuation tenha sido divulgado até este momento;
  • Vemos o anúncio como marginalmente positivo, dado que se a transação ocorrer, pode destravar a monetização da participação do GPA em um ativo ilíquido e non-core ainda em 2023, embora estimemos que os recursos líquidos da venda sejam limitados;
  • Mantemos nosso Neutro no papel;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Vittia (VITT3): outra aquisição com múltiplo elevado no setor de biológicos

  • Após um longo período de especulações, foi anunciada ontem a venda da Biotrop (não listada), um dos maiores players do segmento de biológicos no Brasil, por R$ 2,8 bilhões. A empresa é controlada pelo fundo de private equity Aqua Capital, que também controla a AgroGalaxy;
  • O múltiplo de aquisição ainda não está claro, embora o mercado especule que tenha ficado na faixa de 12x-16x EV/EBITDA, considerando o EBITDA estimado de 2023. Mesmo considerando o fundo do range, a aquisição implica em um upside relevante para a Vittia, que estimamos estar sendo negociada em 5,3x EV/EBITDA para 2023. Desta forma, esperamos uma reação positiva das ações no pregão de hoje, embora a baixa liquidez seja um fator limitante;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Em uma semana, empresas brasileiras captam US$ 4,25 bi com emissão de dívida no exterior (Valor);
    • Com atualização de acordo, BTG poderá comprar até R$ 20 bilhões em carteiras do Pan (Valor);
    • Pix bate novo recorde com 152,7 milhões de transações em um único dia (InfoMoney);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Antes do novo iPhone, Apple perde US$ 190 bilhões (Valor);
    • Para XP, Vivo e TIM são os novos “príncipes” da Bolsa (NeoFeed);
    • Meta trabalha em novo sistema de IA para competir com ChatGPT (Valor);
    • Ex-CEO do Alibaba surpreende e deixa chefia da divisão de nuvem (Valor);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • A executiva que está revitalizando a Animale com base na cartilha do luxo (NeoFeed);
    • Desenrola: 10 milhões com dívidas de até R$ 100 já limparam o nome (O Globo);
    • AliExpress adere ao programa Remessa Conforme; tributação esperada é de 92% (Ecommerce Brasil);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Bebidas
      • O vinho chinês pode competir no mercado global? (Pipeline);
    • Alimentos
      • World food price index back at two-year low despite rice surge, FAO says (Reuters);
      • China reduz compras e derruba preço da carne exportada pelo Brasil em 30% em agosto (Globo Rural);
    • Agro
      • Identifying possible US corn, soy surprises ahead of USDA report (Reuters);
      • Lula diz que acordo sobre etanol será uma prioridade no G20 (epbr);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • CCEE e Dcide assinam acordo para divulgação de curva futura de preços da energia (Valor Econômico);
    • Eletrobras conclui venda do complexo termelétrico de Candiota à Âmbar Energia, por R$ 72 milhões (Valor Econômico);
    • Copel vende ações suplementares e OPA soma R$ 5,13 bilhões (Canal Energia);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Petroquímica:  XP prefere Unipar à Braskem  (Brazil Journal);
    • Calor extremo se torna ameaça para fornecimento de combustíveis (Valor Econômico);
    • Príncipe saudita promete investimentos no Brasil (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Em contexto difícil, fusões podem ser saída para bancos médios nos EUA (Valor);
  • Cresce compra de ações por gestoras em empresas que precisam de capital (Valor);
  • Poder de compra do avicultor sobe em agosto com aumento nos preços do frango (Globo Rural);
  • Fitch Afirma Rating ‘AAA(bra)’ do Assaí; Perspectiva Revisada Para Negativa (Fitch);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Fundos imobiliários: Na volta do feriado, índice prepara terreno para máxima histórica (Money Times);
    • Mercado de fiagros teme concentração e menos IPOs com novo piso de cotistas (InfoMoney);
    • VISC11 anuncia lucro de R$ 16,36 milhões e estimativa de dividendos para o restante do ano; Veja valores (FIIs);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

G20 quer aumentar investimento em renovável, mas evita estabelecer metas específicas | Café com ESG, 11/09

  • Em semana marcada pelo feriado, o mercado registrou queda, com o IBOV e o ISE recuando -2,2% e -2,8%, respectivamente. O pregão de sexta-feira também encerrou em território negativo, com o IBOV e o ISE em queda de -0,57% e -0,46%, respectivamente;
  • No internacional, (i) líderes do G20 concordaram no sábado em triplicar a capacidade de energia renovável globalmente até 2030, aceitando reduzir gradualmente a energia a carvão, mas sem estabelecer metas climáticas específicas, tampouco um plano de ação; e (ii) governos do mundo inteiro estão muito aquém dos cortes de emissões de gases de efeito estufa necessários para que as metas climáticas globais sejam alcançadas, segundo um relatório divulgado pela ONU – na trajetória atual, a temperatura do planeta será 2,6°C mais alta em 2100 em comparação com o início da Revolução Industrial;
  • No mercado de fundos europeus, gestores estão tendo cada vez mais dificuldade em vender seus fundos de investimento a menos que eles estejam classificados como ESG, segundo um estudo realizado pelo Goldman Sachs –  desde 2019, os artigos 8 e 9 receberam 3,4 vezes mais fluxo de clientes do que suas contrapartes não-ESG (artigo 6);
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG. 

Radar ESG | Unipar (UNIP3) e Braskem (BRKM5): Entendendo os desafios (e oportunidades) do setor petroquímico no Brasil

  • O setor petroquímico enfrenta inúmeros desafios ESG, principalmente no pilar (E), o mais material, além de vermos espaço para melhoria nos padrões de governança;
  • Sob uma perspectiva por empresa, reconhecemos pontos fortes e fracos em ambos os casos, embora vejamos que a Braskem está à frente em termos de divulgação e transparência;
  • Na frente (E), vemos com bons olhos os investimentos das companhias em soluções inovadoras e sustentáveis, com destaque para o foco da Unipar em aumentar o consumo de energia de fontes renováveis visando reduzir a pegada de carbono, ao mesmo tempo em que a Braskem está expandindo a produção de eteno verde (a partir do etanol da cana-de-açúcar), além de estar liderando as iniciativas em reciclagem;
  • No pilar (S), saúde e segurança ficam em destaque, com a Unipar registrando uma taxa de acidentes mais baixa (0,77) do que a BRKM5 (0,85), embora ambas estejam abaixo da média industrial local e global;
  • Por fim, no (G), vemos este como o pilar com maior espaço para melhoria, fazendo-se válido monitorar de perto as evoluções adiante;
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

1° título verde soberano do Brasil avança; ORVR3 emite SLB no valor de R$130M; Bancos públicos de desenvolvimento se encontram | Brunch com ESG

  • Pensando em melhor auxiliar os investidores, o Brunch com ESG é um relatório publicado todos os domingos pelo time ESG do Research da XP que busca destacar os principais tópicos da agenda na semana;
  • Na última semana, destacamos: (i) Brasil lança guia para emitir primeiro título soberano sustentável; (ii) IFC (International Finance Corporation) ancora empréstimo vinculado à sustentabilidade para ORVR3 no valor de R$130 milhões; e (iii) Colômbia recebe a quarta edição da Finance in Common Summit (FiCS), a grande reunião dos bancos de desenvolvimento públicos;
  • Clique aqui para ler o conteúdo completo.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.