XP Expert

Inflação nos EUA e Europa, ata do Copom e medidas fiscais no Congresso na agenda da semana

Decisão de juros no Japão e divulgação do IFO Business Climate na Alemanha são alguns dos temas de maior destaque nesta segunda-feira, 18/12/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,49% | 130.197 Pontos

CÂMBIO +0,43% | 4,94/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

O Ibovespa fechou a semana com um desempenho positivo de 2,4% em reais e 2,2% em dólares, aos 130.197 pontos. O índice chegou a alcançar o maior patamar durante a semana, antes de um movimento de realização de lucros na sexta-feira. Grande parte da alta da semana é explicada pelo tom menos duro na decisão de juros nos EUA na quarta-feira. Clique aqui para acessar o resumo semanal.

Renda Fixa

Ao final da semana, a curva de juros encerrou em queda expressiva ao longo de toda a sua estrutura a termo, em uma semana marcada por decisões monetárias ao redor do mundo. O diferencial entre os contratos com vencimento em janeiro 2025 e 2033 permaneceu praticamente estável, variando de 55,4 pontos-base na sexta-feira passada para 55,0 pontos nesta semana. A curva foi impactada, principalmente, pelos sinais mais suaves (“dovish”) emitidos pelo Federal Reserve (Fed) em sua última decisão de política monetária do ano de 2023, ocorrida na quarta-feira. DI jan/24 fechou em 10,22% (28,5bps no comparativo semanal); DI jan/25 em 10,11% (30,9bps); DI jan/27 em 10,54% (32,2bps); DI jan/33 em 10,9% (26bps); DI jan/37 em 10,93% (25bps).

Mercados globais

Nos Estados Unidos, os futuros operam em alta nesta segunda-feira (S&P 500: 0,3%; Nasdaq 100: 0,3%), em semana que se inicia positiva com continuidade do impulso da semana anterior.

Os mercados europeus operam mistos, com o índice pan-europeu de lado (Stoxx 600: 0,0%) após queda inesperada da confiança do consumidor na Alemanha. Na China, os índices fecharam em queda (CSI 300: -0,4%; HSI: 1,0%), com perspectivas negativas para a região e notícias preocupantes do setor imobiliário, à medida que nova incorporadora, a China South City, alerta para default.

Economia

Dados importantes sobre a inflação serão divulgados esta semana nos EUA, Europa e Inglaterra. Os dados podem confirmar a visão mais benigna que o Fed forneceu em sua reunião na semana passada ou a visão mais cautelosa indicada pelos bancos centrais da zona do euro e do Reino Unido. Hoje, os destaques são a decisão de política monetária no Japão e a divulgação do indicador IFO Business Climate na Alemanha.

As autoridades russas afirmaram que iriam aprofundar os cortes nas exportações de petróleo em dezembro em cerca de 50 mil barris por dia, visando reverter a tendência de queda de preços das últimas semanas. Os preços do petróleo estão em alta esta manhã.

No Brasil, atenções voltadas para a ata do Copom na terça feira, e para as medidas de aumento de arrecadação que foram aprovadas na semana passada na Câmara, e agora vão ao Senado.

Veja todos os detalhes

Economia

A inflação nas economias desenvolvidas é destaque esta semana. No Brasil, atenções voltadas para a ata do Copom e para as medidas fiscais no Congresso

  • Dados importantes sobre a inflação serão divulgados esta semana nas economias desenvolvidas. Nos EUA, o índice de preços de despesas de consumo pessoal (também conhecido como PCE Deflator) será publicado na sexta-feira. É o indicador de inflação favorito do Fed (banco central).  Analistas de mercado projetam 0,0% mês a mês, sugerindo que o processo de desinflação continua no país. No Reino Unido, o último dado de inflação do ano será publicado na quarta-feira e deverá mostrar que a inflação permanece mais do dobro da meta de 2% do Banco de Inglaterra. Na Europa, o índice de preços ao produtor da Alemanha também será divulgado na quarta-feira. Dado que o país é um dos maiores fabricantes de produtos manufaturados do mundo, o indicador é considerado uma proxy da inflação mundial de custos. Na semana passada, os bancos centrais dos EUA, Reino Unido e zona euro mantiveram suas as taxas de juro inalteradas. Mas eles soaram diferentes. Enquanto a Fed dos EUA discutiu cortes de juros no futuro, o Banco de Inglaterra e o Banco Central Europeu mostraram-se mais cautelosos, sugerindo que as taxas permanecerão elevadas durante mais tempo;
  • Hoje, os destaques são a decisão de política monetária no Japão e a divulgação do indicador IFO Business Climate na Alemanha;
  • Os preços do petróleo estão em alta esta manhã, pressionados pela redução das exportações da Rússia e por preocupações crescentes com a interrupção do fornecimento de petróleo no Mar Vermelho. No domingo, as autoridades russas afirmaram que iriam aprofundar os cortes nas exportações de petróleo em dezembro em cerca de 50 mil barris por dia, visando reverter a tendência de queda de preços das últimas semanas;
  • No Brasil, o Copom publica a ata de sua última reunião de política monetária na terça-feira. O comunicado pós-reunião, na semana passada, foi considerado sóbrio, continuando a sinalizar que o ritmo de corte de 0,50 p.p. é adequado para as próximas reuniões. Parte dos analistas de mercado acredita que a ata pode soar mais otimista, incorporando a sinalização de cortes de juros no futuro feita pelo Fed dos EUA;
  • Na frente fiscal, a Câmara dos Deputados aprovou na semana passada medidas governamentais para aumentar a arrecadação no próximo ano, como a limitação da subvenção do ICMS às empresas e a tributação das apostas esportivas. As medidas serão votadas no Senado esta semana. Nosso cenário contempla a maior parte dessas medidas, mas ainda assim projetamos um déficit primário de 0,7% do PIB em 2024. O Congresso também precisa aprovar esta semana o orçamento fiscal para 2024.
  • Em votação separada, a Câmara dos Deputados deu a aprovação final da emenda constitucional da reforma tributária. O projeto de lei simplifica o sistema tributário brasileiro e pode ajudar a aumentar o crescimento potencial do país ao longo do tempo. O próximo passo da reforma é a lei complementar que fornece detalhes como a alíquota e quais produtos serão incluídos nos regimes de alíquotas diferenciadas descritos na emenda constitucional. Essa lei provavelmente será discutida ao longo de todo o ano de 2024.

Empresas

Elétricas: Ruído desnecessário; Projeto de lei para renovação de concessões de distribuidoras

  • O projeto de lei (PL 4831/2023) de renovação das concessões de distribuição teve como relator o Deputado Ícaro de Valmir;
  • A definição ocorreu um dia depois de o Tribunal de Contas da União (TCU) decidir adiar a apreciação da matéria de renovação das concessões enviada pelo Ministério de Minas e Energia (MME);
  • Acreditamos que esta proposta acrescenta ruído desnecessário à discussão da renovação das concessões das distribuidoras, que parecia estar resolvida.
  • Como analisamos a seguir, a proposta apresenta algumas questões problemáticas que diminuiriam significativamente a atratividade do setor;
  • Acreditamos que esta discussão poderá não ser concretizada e o Governo Federal apresentaria pequenas alterações na proposta mais recente para acomodar algumas questões do processo de renovação das concessões;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Elétricas: Resultado do Leilão de Transmissão 02/2023; Competição Moderada

  • O leilão de transmissão 02/2023 realizado hoje encerrou com um deságio médio sobre a receita anual permitida (RAP) de 40,9%, o que consideramos um desconto menos agressivo em comparação com leilões anteriores devido ao significativo investimento em Capex (especialmente no lote 1) e à tecnologia envolvida (CC);
  • Sem surpresas, a State Grid ganhou o bloco 1, dado que são os únicos players com conhecimento necessário em DC;
  • Por outro lado, a Eletrobras, uma das favoritas à vitória, não levou nenhuma concessão no leilão.;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Mercado de Capitais: Destaques Operacionais da B3 – Novembro 2023

  • No dia 14 de dezembro, a B3 divulgou os números operacionais de nov/23. De maneira geral, consideramos esses números positivos, pois observamos uma melhora nos volumes após o período de férias de verão no hemisfério norte, que, historicamente, ocorre em outubro. Esta melhora ocorreu em novembro, levando a um aumento de 18% M/M no ADTV para o segmento de Renda Variável, atingindo R$ 26,5 bilhões;
  • Com isso, foi o segundo melhor mês do ano. Além disso, o giro dos ativos se recuperou, atingindo 147%, representando um significativo aumento de 1.530bps M/M. No lado da Renda Fixa, as novas emissões cresceram 2% A/A, impulsionadas pelos Depósitos Interfinanceiros (DI) e instrumentos do Agronegócio. Como resultado, o volume financeiro em circulação manteve seu ritmo forte (+15,2% A/A);
  • Em suma, consideramos os números de novembro neutros, reforçando nossa visão conservadora para a ação (Recomendação Neutro e preço-alvo de R$ 13,60/ação);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • ‘Reforma tributária é positiva, mas aumenta custo do crédito’, diz Rodrigo Maia (Estadão);
    • Setor financeiro comemora permissão para retomada extrajudicial de veículos (Valor);
    • Presidente da Caixa nega interferência de Lula em gestão do banco (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Concorrentes Claro, TIM e Vivo avaliam ativo da Oi (Valor);
    • Vivendi abre processo contra Grupo TIM por venda da rede fixa (telesintese);
    • Black Friday 2023: Tray totalizou cerca de R$ 260 milhões em vendas online (ecommercebrasil);
    • Infracommerce levanta R$ 400 milhões para colocar casa em ordem (NeoFeed);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Carrefour não tem interesse em comprar GPA, operação que pertence ao Casino, segundo fontes (Valor)
    • Câmara aprova MP do ICMS, principal medida de Haddad para elevar receitas em 2024 (Folha);
    • Haddad comemora aprovação de reforma após ‘40 anos’ e prevê alíquota do IVA ‘em torno de 27,5%’ (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Bebidas
      • Depois de credores, MP do Rio sai derrotado em disputa contra RJ do Grupo Petrópolis (O Globo);
      • Com reforma aprovada, debate sobre Imposto Seletivo dominará pauta cervejeira (Guia da Cerveja)
    • Alimentos
      • Novos casos de IAAP atingem quase a metade dos países europeus (AviSite);
      • Rússia renova cotas para importação de carnes brasileiras com desoneração (Globo Rural);
    • Agro
      • Russia is not interested in extending Black Sea grain deal (RIA) (Reuters);
      • No maior produtor de soja do Brasil, nove cidades têm “perigo elevado” de quebra na produção (Globo Rural);
    • Biocombustíveis
      • Índia permitirá desvio de até 1,7 mi t de açúcar para etanol (Notícias Agrícolas);
      • Entenda como a importação de biodiesel do Brasil afetaria cadeia da soja (Globo Rural);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Saúde: XP Daily | Sua dose diária de notícias
    • Hapvida aprova a 5a emissão de Debêntures (RI da Companhia);
    • Hypera aprova distribuição de JCP (RI da Companhia);
    • Relator da reforma tributária exclui seis regimes específicos criados pelo Senado (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Governador de Alagoas pede ao STF que invalide acordos da Braskem por danos ambientais. (Valor Econômico);
    • Lira diz que jogará no lixo ‘versão’ de que Maceió está afundando por mina em colapso. (O Globo);
    • Caos em Maceió não abalou venda da Braskem à Adnoc, que aceita dividir gestão com a Petrobras. (O Globo);
    • Sucessão na Vale avança, com Luiz Henrique Guimarães, ex-número 1 da Cosan como preferido do conselho de administração. (O Globo);
    • André Esteves continua se reunindo com acionistas da Vibra buscando apoio para uma nova oferta de fusão a ser feita pela Eneva. (O Globo);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • XP Daily: As principais notícias do setor Imobiliário
    • Mercado imobiliário deve ficar estável ou ter pequena expansão em 2024 (InfoMoney);
    • Câmara aprova texto-base da reforma tributária em primeiro turno (Valor Investe)
    • Mercado lança projetos de olho na faixa 3 do MCMV (Extra Globo)
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • MME defende renovação e não relicitação de concessões de distribuição (Canal Energia);
    • Com deságio de 39,9% em leilão, State Grid acredita em antecipação de projeto (Canal Energia);
    • Parlamentares ‘jogam contra’ tarifa de energia, diz levantamento (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Fed’s John Williams says the central bank isn’t ‘really talking about rate cuts right now’ (CNBC);
  • Reforma tributária ficou longe da ideal, mas é avanço e deve aumentar produtividade, dizem economistas (Valor);
  • Impulso ao crédito: corte dos juros já chega às famílias e favorece consumo em 2024 (O Globo);
  • Safra recua e adere ao plano de recuperação judicial da Americanas (Valor).;
  • Fitch Affirms Brazil at ‘BB’; Outlook Stable(Fitch).
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Economista Sincero aponta caminhos para surfar boa fase dos FIIs em 2024 (InfoMoney);
    • Fundo imobiliário da semana reduz vacância com aluguel em região ‘desafiadora’; FII caminha para liquidação (Money Times);
    • Com aposta em tijolo, veja os fundos imobiliários favoritos da XP para 2024 (Money Times);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Eletrobras mira no potencial de hidrogênio verde | Café com ESG, 18/12

  • O mercado fechou a semana passada em território positivo, com o IBOV e o ISE registrando forte alta de 2,4% e 2,7%, respectivamente. Já o pregão de sexta-feira encerrou com ambos os índices em leve queda, com o IBOV caindo 0,49% e o ISE 0,78%;
  • Do lado das empresas, (i) o BNDES aprovou uma nova regra que veda a concessão de crédito rural a clientes com embargo ambiental vigente, mesmo que em imóveis não diretamente associados ao financiamento – a medida vale a partir de março de 2024, somando a um conjunto de medidas já adotadas pelo banco para restringir o financiamento a proprietários rurais ligados ao desmatamento ilegal; e (ii) a Eletrobras acredita que o hidrogênio verde pode funcionar como armazenamento de energia e complementar o papel das hidrelétricas como baterias do sistema – segundo o vice-presidente de Comercialização e Soluções em Energia, Ítalo Freitas, a forma mais competitiva no mundo de produzir hidrogênio com zero emissões é via hidrelétrica;
  • Na política, as decisões de aumentar o Imposto de Importação para elétricos e prorrogar os incentivos para carros a combustão no Nordeste e Centro-Oeste tomadas pelo Poder Executivo e Congresso devem adiar a eletrificação dos carros no Brasil;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.

Emissões líquidas zero em foco para 2024; Negociação de crédito de carbono pela B3; PETR4 de olho no SAF | Brunch com ESG 

  • Pensando em melhor auxiliar os investidores, o Brunch com ESG é um relatório publicado todos os domingos pelo time ESG do Research da XP que busca destacar os principais tópicos da agenda na semana;
  • Na última semana, destacamos: (i) Jornada rumo a emissões líquidas zero ganhará força em 2024; (ii) B3 faz parceria com a ACX para lançar plataforma de negociação de crédito de carbono; e (iii) Petrobras (PETR4) de olho em combustível de aviação sustentável (SAF);
  • Clique aqui para ler o conteúdo completo.  

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.