Ibovespa fecha em alta novamente; Hoje, foco será no anúncio do novo pacote investimentos nos EUA

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:


Clique para ouvir

IBOVESPA 1,20% | 116.850 Pontos

CÂMBIO -0,15% | 5,77/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou em +1,2% a 116.850 pontos, a quarta alta consecutiva, enquanto o dólar teve uma leve queda de -0,15% cotado a R$5,77. A Bolsa brasileira foi impulsionada pela divulgação de dados do CAGED acima das expectativas, com o movimento liderado por ações ligadas ao crescimento econômico e que foram penalizadas pela pandemia.

Já as taxas de juros futuros fecharam em queda, mais acentuada nos vencimentos curtos e médios. O movimento pode ser explicado pela fala do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, de que o ritmo mais intenso de aperto monetário pode fazer com que a alta total da Selic seja menor ao fim do ciclo, além do relativo alívio nos temores envolvendo o rompimento do teto de gastos em relação à sessão anterior. DI jan/22 fechou em 4,66%; DI jan/24 terminou a sessão em 7,54%; DI jan/26 foi pra 8,45% e DI jan/28 encerrou em 8,94%.

Lá fora, os mercados amanhecem sem movimentos expressivos. Ontem, os índices americanos fecharam em queda, com ações de tecnologia pressionadas por mais uma alta nas Treasuries de 10 anos que alcançaram 1,77%, o maior nível desde Janeiro de 2020. Os índices Dow Jones e o S&P 500 caíram -0,3%, enquanto o Nasdaq recuou -0,1%. Já na Europa, as Bolsas fecharam em alta com os bancos europeus recuperando as perdas da segunda-feira causadas por temores em relação à liquidação forçada de US$ 20 bilhões feita pela Archegos Capital Management.

No Brasil, dados do CAGED relativos a fevereiro mostraram criação líquida de empregos muito acima das expectativas, reforçando a avaliação de resiliência do mercado de trabalho formal durante a pandemia. Resultado primário do governo central veio um pouco melhor que o esperado, mas controvérsias acerca do orçamento público aprovado pelo Congresso seguem dominando a pauta.

Na política, o governo ainda procura uma solução para o orçamento. A equipe econômica defende o veto dessas emendas para que as despesas obrigatórias possam ser recompostas, mas há um impasse diante da crise política que a decisão poderia gerar. Destaca-se também o agravamento da crise no Ministério da Defesa com a demissão da cúpula das Forças Armadas.

Hoje, investidores aguardam o anúncio do presidente dos EUA, Joe Biden, com os detalhes de um pacote de infraestrutura que deve ter custo de cerca de US$ 2,25 trilhões em oito anos e deve ser financiando por um aumento da carga tributária. Vale destacar que o pacote deve ser a primeira etapa de um plano econômico de duas fases.  

Ainda na agenda internacional de hoje, destaque para o relatório de criação de postos de trabalho em empresas privadas nos EUA. A inflação na zona do euro veio em linha com estimativas e PMIs da China surpreenderam para cima. Por aqui, foco novamente em indicadores de mercado de trabalho (publicação da PNAD Contínua de janeiro) e contas fiscais (resultados do setor público consolidado de fevereiro).

Tópicos do dia

Acesse aqui o relatório internacional

Agenda de resultados

Cogna Educação (COGN3): antes da abertura
Temporada de Resultados do 4° Trimestre – O que esperar?
Calendário do 4T20
Resumo dos resultados do 4º tri de 2020: Superando nossas estimativas até o momento

Clique aqui para saber mais

Economia

  1. Pacote de infraestrutura nos EUA e mercado de trabalho no Brasil em destaque

Política

  1. Permanece impasse em torno do Orçamento; Demissão dos chefes das Forças Armadas amplia crise na Defesa
  2. Política internacional: Biden deve apresentar hoje pacote de infraestrutura de USD 2 trilhões

Commodities

  1. Petróleo: Comitê Técnico da OPEP + reduz previsão de crescimento da demanda de petróleo

Empresas

  1. Enjoei (ENJU3): Prafrentex; Sólido 4T20 com iniciativas positivas para 2021
  2. Westwing (WEST3): Ho-Ho-Ho e não é Natal; sólido 4T20 e sinais positivos para 2021
  3. Priner (PRNR3): Resultados melhores do que o esperado no 4T20 com custos mais baixos e margens mais altas
  4. Setor financeiro, um grande mercado em disrupção, parte I
  5. Setor Elétrico: Leilão de privatização da distribuidora de energia CEEE-D ocorre hoje
  6. Magalu (MGLU3): Aquisição da ToNoLucro e GrandChef
  7. RD (RADL3): Anúncio de novo Acordo de Acionistas e novos candidatos ao Conselho


Veja todos os detalhes

Economia

Pacote de infraestrutura nos EUA e mercado de trabalho no Brasil em destaque

  • Na cena internacional, a Casa Branca detalhará hoje o pacote de investimentos em infraestrutura nos EUA (custo total estimado ao redor de US$ 2,25 trilhões), outro movimento de destaque do governo de Joe Biden na busca pela aceleração da retomada econômica após o choque da pandemia. Em contrapartida ao aumento de gastos, há proposta de elevação de impostos sobre empresas (alíquota subiria de 21% para 28%) e maior tributação sobre ganhos corporativos no exterior. A próxima fase do programa de estímulos econômicos, com foco em medidas sociais, deverá custar cerca de US$ 1 trilhão e ser financiada por maior tributação sobre a renda das classes ricas;
  • No Brasil, a geração líquida de emprego formal (CAGED) surpreendeu positivamente em fevereiro, com avanços em praticamente todos os setores produtivos. A piora da pandemia deve reduzir o ritmo de recuperação das ocupações nos próximos meses, mas o progresso da vacinação (e normalização gradual da atividade) tende a reverter o quadro no 3º trimestre;
  • O déficit primário do governo central em fevereiro ficou abaixo das expectativas, mas as discussões sobre o orçamento público de 2021 seguem como grande tema do quadro fiscal. Segundo o Tesouro Nacional, a peça orçamentária aprovada pelo Congresso na semana passada subestima despesas obrigatórias e, com isso, gera problemas para o funcionamento do teto de gastos e representa retrocesso para o controle das contas públicas;
  • Governo federal deve divulgar hoje o calendário de pagamento da nova rodada de auxílio emergencial. O programa BEm (preservação da renda e emprego) também deverá ser estendido, com custo aproximado de R$ 10 bilhões;
  • Na agenda de hoje, inflação cheia na zona do euro (CPI) veio em linha com as estimativas e PMIs da China surpreenderam para cima; destaque ainda para a divulgação da criação de postos de trabalho em empresas privadas no EUA. No Brasil, novos indicadores de mercado de trabalho (publicação da PNAD Contínua de janeiro) e contas fiscais (resultados do setor público consolidado de fevereiro) estão no radar.

Política

Permanece impasse em torno do Orçamento; Demissão dos chefes das Forças Armadas amplia crise na Defesa

  • O governo ainda procura uma solução para o Orçamento, que foi aprovado com subestimação de despesas obrigatórias e ampliação de recursos destinados por emendas parlamentares. A equipe econômica defende o veto dessas emendas para que as despesas obrigatórias possam ser recompostas, mas há um impasse diante da crise política que a decisão poderia gerar. O Congresso, por sua vez, diz que o Orçamento aprovado foi elaborado em conjunto com o time econômico e defende que o próprio relator faça as reduções necessárias ao longo do ano;
  • O noticiário de quarta-feira dá destaque também ao agravamento na crise no Ministério da Defesa, com a demissão da cúpula das Forças Armadas. Os chefes do Exército, Marinha e Aeronáutica haviam decidido deixar os postos depois da saída do ministro Fernando Azevedo, mas foram demitidos pelo novo ministro, Braga Netto, por ordem de Bolsonaro. Os novos nomes ainda não foram escolhidos. À noite, o presidente Jair Bolsonaro disse que “joga dentro da Constituição”.

Política internacional: Biden deve apresentar hoje pacote de infraestrutura de USD 2 trilhões

  • O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, deve apresentar hoje em discurso um pacote de infraestrutura. Segundo democratas, o projeto deve ter custo de cerca de USD 2.25 trilhões em oito anos e pode ser financiado por meio do aumento do imposto corporativo de 21% a 28% e imposto mínimo sobre ganhos corporativos globais. Vale destacar que o pacote é o primeira etapa de um plano econômico de duas etapas;
  • No lado da pandemia, a OMS afirmou nesta terça-feira (30) que a China ocultou dados de uma missão internacional que foi ao país para investigar as origens da Covid-19 e criticou relatório que rejeitou possibilidade do vírus ter originado de vazamento de um laboratório. Beijing disse em resposta que as críticas não era “sérias ou responsáveis”;
  • E a Alemanha suspendeu uso da vacina AstraZeneca pessoas com menos de 60 anos, gerando novas criticas sobre a campanha de vacinação no país.  

Commodities

Petróleo: Comitê Técnico da OPEP + reduz previsão de crescimento da demanda de petróleo

  • De acordo com a Reuters, a OPEP + reduziu sua previsão de crescimento da demanda de petróleo para 2021 em 300 mil barris por dia (kbpd), refletindo as preocupações sobre a recuperação do mercado em meio a uma onda de novos lockdowns devido a preocupações com a pandemia da COVID-19. O Comitê Técnico Conjunto, que assessora o grupo de nações produtoras de petróleo que inclui Arábia Saudita e Rússia, se reuniu na terça-feira para decidir sobre a política de produção;
  • Em seu cenário base, a OPEP+ agora espera que a demanda por petróleo cresça 5,6 milhões de barris por dia este ano, uma queda de 300.000 bpd em relação à previsão anterior. A OPEP+ também aumentou sua previsão de crescimento da oferta global de 200.000 bpd para 1,6 milhão de bpd;
  • A OPEP e produtores aliados, um grupo conhecido como OPEP +, estão atualmente praticando uma redução de produção em pouco mais de 7 milhões de barris diários em uma tentativa de apoiar os preços e reduzir o excesso de oferta da commodity. A Arábia Saudita acrescentou a esses cortes 1 milhão de barris ao dia em cortes voluntários adicionais. Segundo a Reuters, a Arábia Saudita defende a manutenção dos níveis atuais de produção até Junho de 2021, tanto do ponto de vista da OPEP+ como em relação a seus cortes voluntários de produção;
  • Nesta quinta-feira o grupo se reúne novamente para rever os cortes de produção e as expectativas são de que a OPEP + decida por manter os cortes. Segundo a Reuters.

Empresas

Enjoei (ENJU3): Prafrentex; Sólido 4T20 com iniciativas positivas para 2021

  • O Enjoei reportou resultados sólidos referentes ao 4T20, 10%-19% acima das nossas estimativas de receita líquida e lucro bruto, apesar de um EBITDA e lucro líquido abaixo dos nossos números, impactados pelo pagamento do plano de remuneração em ações (R$11,5 milhões), um efeito não recorrente e não-caixa. Excluindo esse impacto, EBITDA como lucro teriam vindo acima das nossas estimativas;
  • Esperamos uma reação positiva do mercado. Mais do que o resultado do 4T20 em si, acreditamos que as iniciativas detalhadas no release estão em linha com nossa visão positiva para o papel (veja nosso início de cobertura aqui), uma vez que sinalizam uma perspectiva positiva para 2021;
  • Nós mantemos nossa recomendação de Compra e preço-alvo para o fim de 2021 de R$15,0/ação para ENJU3.Veja o relatório completo aqui.

Westwing (WEST3): Ho-Ho-Ho e não é Natal; sólido 4T20 e sinais positivos para 2021

  • AWestwing reportou resultados sólidos referentes ao quarto trimestre de 2020 (4T20), em linha com nossas estimativas de Receita e EBITDA e um prejuízo menor do que esperávamos, por conta do impacto do reconhecimento de imposto diferido no período;
  • Esperamos uma reação positiva do mercado. A companhia entregou um resultado sólido, com forte performance de GMV e vendas, além de apresentar indicadores operacionais bastante positivos no trimestre, como aumento da comissão (take rate) e melhor retenção/atração de clientes ilustrado pela queda do custo de aquisição de novos consumidores ativos (despesa de marketing dividida por novos consumidores ativos);
  • Nós mantemos nossa recomendação de Compra e preço-alvo para o fim de 2021 de R$17,0/ação para WEST3. Veja o relatório completo aqui.

Priner (PRNR3): Resultados melhores do que o esperado no 4T20 com custos mais baixos e margens mais altas

  • A Priner divulgou resultados melhores do que o esperado no 4T20. A empresa apresentou uma queda menor de receita no trimestre e custos abaixo do esperado, o que fez com que as margens ficassem acima da expectativa, levando a um EBITDA quase 3,4x maior do que nossas projeções;
  • Devido aos impactos da pandemia, a empresa apresentou uma redução da receita líquida de 22% em R$68,1 milhões, mas ficou 2% acima de nossas estimativas;
  • Os custos ficaram 8% abaixo de nossas estimativas (R$51,1 milhões vs R$ 55,5M XPe) e 23,2% abaixo do 4T19 (R$66,5M).
  • Como resultado, a empresa entregou um lucro bruto quase 50% acima de nossas estimativas (R$17M vs R$11,5M XPe) e um EBITDA de R$8,1M vs R$2,4M XPe. A margem EBITDA atingiu 11,9% vs 3,6% XPe e 11,1% no 4T19;
  • O lucro líquido de R$16,7M foi positivamente impactado pelo reconhecimento de R$17,3M sobre créditos fiscais. Excluindo este evento não recorrente, a empresa teria apresentado um prejuízo líquido de R$0,6M, melhor do que nossas estimativas (prejuízo de R$2,0M) e comparado ao prejuízo líquido de R$3M no 4T19;
  • Reiteramos nossa recomendação de compra em PRNR3, com preço alvo de R$13,4/ação, uma vez que a empresa foi capaz de entregar melhorias importantes em custos e esperamos que o crescimento das receitas seja retomado ao longo de 2021.

Setor financeiro, um grande mercado em disrupção, parte I

  • Diante de múltiplos mais altos, enquanto o cenário se deteriora, decidimos atualizar nossa cobertura do setor financeiro. Desde que atualizamos nossa cobertura de bancos incumbentes, em junho de 2020, o preço médio das ações de bancos privados aumentou em média 30%, quase se igualando os preços pré-COVID;
  • Por outro lado, os mesmos enfrentam: i) um cenário de crédito deteriorado; ii) novos entrantes mais competitivos e capitalizados; iii) mudanças relevantes de comportamento do cliente, o que na nossa visão não favorece os bancos incumbentes; e iv) regulamentações bem-sucedidas por parte do Banco Central, em contraste com expectativas de atraso por parte do mercado;
  • Dito isso, decidimos atualizar nossa cobertura do setor financeiro com uma visão mais cautelosa tanto dos incumbentes, quanto dos bancos de médio porte. Por fim, também forneceremos mais detalhes sobre disruptores listados, que acreditamos serem relevantes o suficiente para investidores monitorarem. Clique aqui para acessar o relatório.

Setor Elétrico: Leilão de privatização da distribuidora de energia CEEE-D ocorre hoje

  • Nesta quarta-feira (31/03) ocorrerá o leilão de privatização da distribuidora de energia CEEE-D, realizado pelo governo do Rio Grande do Sul;
  • Segundo a Reuters, até o momento, o leilão da CEEE-D atraiu interesse da Equatorial, CPFL e de um fundo de investimento norte-americano, embora esse último tenha enfrentado algumas dificuldades relacionadas a documentação, que ainda busca resolver;
  • A CEEE-D acumulava, em junho de 2020, 3,38 bilhões de reais em dívidas por ICMS junto ao governo estadual, resultando em patrimônio negativo de 4,8 bilhões de reais. Para viabilizar a privatização, além de definir um preço baixo pela empresa, o governo gaúcho aprovou a transferência de dívidas e passivos da companhia e realizou um aumento de capital.

Magalu (MGLU3): Aquisição da ToNoLucro e GrandChef

  • A Magalu anunciou duas aquisições no segmento de food delivery: ToNoLucro, plataforma de entrega de alimentos e supermercados com forte presença em Tocantins, Goiás e Pará, e GrandChef, uma plataforma destinada a auxiliar na gestão das operações de restaurantes de pequeno e médio porte;
  • As aquisições estão em linha com a estratégia da Magalu de reforçar seu segmento de entrega de alimentos, com a ToNoLucro reforçando a presença da AiQFome em suas principais regiões, ao mesmo tempo em que adiciona novos serviços à plataforma; e a GrandChef permitindo a digitalização das operações de restaurantes da AiQFome;
  • Enxergamos as aquisições como positivas, mas não devem ter impacto financeiro relevante para os resultados. Mantemos a nossa recomendação neutra e preço-alvo para o fim de 2021 de R$ 27,0/ação.

RD (RADL3): Anúncio de novo Acordo de Acionistas e novos candidatos ao Conselho

  • A Raia Drogasil anunciou que celebrou um novo acordo de acionistas, com vigência a partir do dia 10 de novembro de 2021, prorrogando o acordo atual por mais 10 anos. Guilherme Leal, Luiz Seabra e Pedro Passos não farão mais parte do bloco de controle da empresa no novo acordo;
  • A companhia também apresentou uma nova proposta para seu Conselho de Administração, aumentando o número de membros independentes de 3 para 5. Além disso, eles incluíram quatro novos candidatos a membros independentes em seu Conselho: Denise Santos, CEO da Beneficiência Portuguesa; Sylvia Leão, com ampla experiência no setor de varejo; César Gon, fundador e CEO da CI&T; e Phillip Povel, CEO e cofundador do Grupo Dafiti;
  • Enxergamos o anúncio como positivo, principalmente quanto aos novos candidatos ao Conselho de Administração, tendo em vista o potencial de contribuição para o plano estratégico da empresa. Nós mantemos nossa recomendação neutra e preço-alvo para o fim de 2021 de R$27,0/ação.

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências previstas na Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.