XP Expert

Foco nas decisões de novos patamares de juros nos EUA e no Brasil

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,3% | 110.672 Pontos

CÂMBIO -0,5% | 4,15/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ontem o Ibovespa caiu 0,3%, a 110.672 pontos, enquanto o dólar subiu 0,5% a R$ 4,15. O que animou brevemente o mercado durante o pregão foi a notícia de que as autoridades chinesas veem como provável que os Estados Unidos adiem as tarifas que entram em vigor neste domingo (15).

Nesta manhã, mercados internacionais operam em direções mistas à espera de desdobramentos das negociações comerciais entre EUA e China e da decisão de política monetária do Banco Central americano, Fed.

A expectativa é que o BC americano mantenha seus juros básicos na faixa atual de 1,50% a 1,75%, após cortá-los três vezes entre julho e outubro. O foco, então, será no comunicado do Fed e nos comentários de seu presidente, Jerome Powell, que poderá sinalizar como a instituição poderá se comportar mais adiante.

No Brasil, o Banco Central também divulgará hoje o novo patamar de juros. Esperamos redução da taxa Selic em 0,5% para sua nova mínima histórica, a 4,50%.

No campo político, Sessão do Congresso, que reúne Câmara e Senado, se estendeu e impediu que os deputados apreciassem ontem o novo marco do saneamento. A votação foi adiada para hoje, a partir das 15h. O relator, deputado Geninho Zuliani (DEM-SP), publicou ontem o texto final do novo marco regulatório com alterações feitas a partir de acordos realizados nos últimos dias. As principais mudanças foram com relação aos prazos dos contratos de programa e concessões não formalizadas.

Além disso, a CCJ do Senado aprovou a prisão em segunda instância. O texto passará por nova votação hoje e poderia ir direto à Câmara, mas houve acordo entre senadores, inclusive com a participação do líder do governo, para que o texto seja levado ao plenário do Senado em abril. Parlamentares defensores da Lava Jato resistem ao que consideram uma protelação.

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Lava Jato investiga pagamentos feitos pela Oi para empresas do filho de Lula
  2. PEC Emergencial começa a ser desidratada no Congresso

Internacional

  1. Petróleo: API relata acúmulo em estoques de petróleo dos EUA, foco no EIA hoje

Empresas

  1. Saneamento: Votação do novo marco do saneamento no Congresso deve acontecer nesta quarta-feira
  2. JBS (JBSS3): MPF mira empresa, mas auditoria do BNDES não encontra corrupção
  3. JBS (JBSS3): Empresa anuncia sucesso na obtenção na reprecificação de US$1,9 bilhão em dívidas na JBS USA
  4. Banco do Brasil (BBAS3): BB deve integrar duas vice presidências e criar uma nova
  5. Seguradoras: SUSEP deve segmentar seguradoras para aplicação regulatória

Renda Fixa

  1. Fitch atribui rating ‘BB-‘ às notas seniores sem garantias do Banco Daycoval
  2. Vendas de etanol hidratado crescem 5,8% no Centro-Sul


Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: Lava Jato investiga pagamentos feitos pela Oi para empresas do filho de Lula

  • A operação Mapa da Mina, a 69ª fase da Lava Jato em Curitiba, fez ontem 47 buscas para reunir elementos que possam ligar os pagamentos suspeitos feitos pela Oi para empresas que pertencem ao filho de Lula, Fabio Luis Lula da Silva, e que têm entre os sócios dois proprietários formais do sítio de Atibaia, Fernando Bittar e Jonas Suassuna;
  • CCJ do Senado aprovou a prisão em segunda instância. O texto passará por nova votação hoje e poderia ir direto à Câmara, mas houve acordo entre senadores, inclusive com a participação do líder do governo, para que o texto seja levado ao plenário do Senado em abril. Até lá, a Câmara poderia avançar com a PEC que tramita na Casa com o mesmo objetivo. Parlamentares defensores da Lava Jato resistem ao que consideram uma protelação;
  • Sessão do Congresso, que reúne Câmara e Senado, se estendeu e impediu que os deputados apreciassem ontem o novo marco do saneamento. A votação foi adiada para hoje, a partir das 15h.

PEC Emergencial começa a ser desidratada no Congresso

  • De acordo com o noticiário local, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) emergencial, que cria instrumentos para conter os gastos públicos em situações de extrema crise, começou a ser desidratada no Congresso;
  • O relator da matéria no Senado, senador Oriovisto Guimarães, apresentou ontem um parecer que blinda servidores públicos que recebem menos de três salários mínimos da possibilidade de redução de salário e carga horária. O trecho que prevê a proibição de novas contratações também foi flexibilizado, abrindo exceção para médicos do programa Médicos pelo Brasil;
  • O texto original, elaborado pelo Ministério da Economia, não estipulava nenhuma linha de corte e, portanto, permitia a redução para todos os funcionários públicos. O resultado seria uma economia de até R$ 7 bilhões em 12 meses, pelos cálculos da equipe do ministro Paulo Guedes.

Internacional

Petróleo: API relata acúmulo em estoques de petróleo dos EUA, foco no EIA hoje

  • Os preços do petróleo Brent operam nesta manhã em leve queda de -0,5%, no patamar de US $ 64 / bbl, refletindo a estimativa do American Petroleum Institute (API) de um aumento nos estoques de petróleo bruto dos EUA de 1,41 milhão de barris na semana de 6 de dezembro;
  • O foco do mercado está no relatório de inventário da Agência de Informação sobre Energia dos EUA (tradução livre da EIA), que serão publicados hoje (11 de dezembro), às 10:30 do horário de NY (12:30 horário de Brasília). O mercado espera uma queda de -2,763 milhões de barris nos estoques de petróleo, em comparação com a redução de -4,856 milhões de barris divulgada no relatório da semana passada;
  • Temos uma estimativa de preços de petróleo Brent no longo prazo de US$60/barril.

Empresas

Saneamento: Votação do novo marco do saneamento no Congresso deve acontecer nesta quarta-feira

  • Ontem, a sessão do Congresso, que reúne Câmara e Senado, se estendeu e impediu que os deputados apreciassem ontem o novo marco do saneamento (Projeto de Lei 3261/2019). A votação foi adiada para hoje, a partir das 15h. Ainda se busca um acordo para formação de uma maioria segura que viabilizaria a votação;
  • O relator, deputado Geninho Zuliani (DEM-SP), publicou ontem o texto final do PL 3261/2019 com alterações feitas a partir de acordos realizados nos últimos dias. As principais alterações foram (i) os contratos vigentes terão o prazo de até 2022 para serem renovados e os não formalizados terão o mesmo prazo para serem regularizados (ii) os contratos de programa vigentes terão prazo máximo de vigência de 30 anos e devem conter expressamente o regime de metas que cobra a universalização dos serviços até 31 de dezembro de 2033;
  • A aprovação do PL 3261/2019 é determinante para as teses de investimento de Sabesp e Copasa, duas empresas cujas ações negociam com base em expectativas de privatização. Temos recomendação Neutra em Sabesp e Copasa, e de Compra na Sanepar.

JBS (JBSS3): MPF mira empresa, mas auditoria do BNDES não encontra corrupção

  • Segundo o Valor Econômico, ontem de manhã, a Polícia Federal deflagrou a segunda fase da Operação Porteira Aberta, uma investigação contra fiscais federais da agricultura que foi iniciada a partir de documentos entregues pela J&F à Justiça; a empresa reiterou que não é alvo da ação;
  • Além disso, ontem o procurador do Ministério Público Federal, Ivan Marx, pediu na Justiça R$ 21 bilhões à JBS para ressarcir o BNDESPar por irregularidades que teriam sido cometidas entre 2007 e 2011.
  • No entanto, ontem de noite, o BNDES revelou as conclusões da auditoria externa que examinou as operações do banco com a JBS: não foram encontradas evidências de corrupção ou influência indevida sobre a instituição;
  • No comunicado no qual questionou a atuação de Marx, a J&F informou que o procurador não quis assinar o acordo feito com o MPF por discordar da destinação dos recursos da leniência. Fontes próximas à J&F avaliam que o procurador tenta, por via judicial, resolver divergências internas do MPF, sobretudo com a força-tarefa da Operação Greenfield.

JBS (JBSS3): Empresa anuncia sucesso na obtenção na reprecificação de US$1,9 bilhão em dívidas na JBS USA

  • Segundo comunicado, a empresa obteve consentimento dos credores para reprecificar aproximadamente US$ 1,9 bilhão em dívidas (Term Loans);
  • A taxa desses empréstimos deve ser reduzida em 0,5% e, a partir de agora, custarão LIBOR + 2%;
  • A iniciativa está em linha com a estratégia da empresa de gestão de passivo, o que vemos como positivo.

Banco do Brasil (BBAS3): BB deve integrar duas vice presidências e criar uma nova

  • De acordo com o Estadão, o BB está próximo de realizar uma reestruturação em suas vice presidências, que hoje são nove e devem ser reduzidas para sete;
  • As previdências que devem ser incorporadas são: i) varejo e tecnologia, que devem ; e ii) governo e agro;
  • Por fim, o banco também deve criar uma nova vice presidência, para consolidar outros negócios da instituição.

Seguradoras: SUSEP deve segmentar seguradoras para aplicação regulatória

  • De acordo com o Valor, a SUSEP pretende classificar seguradoras em segmentos. A medida serveria para aplicação regulação proporcional ao tamanho e risco percebido das seguradoras;
  • Uma medida similar já é adotada pelo Banco Central, que classsifica bancos entre S1 e S5;
  • Acreditamos que a medida seja negativa para as seguradoras sob nossa cobertura, uma vez que devem ser classifcadas no segmento com maior grau de regulação prudencial.

Renda Fixa

Fitch atribui rating ‘BB-‘ às notas seniores sem garantias do Banco Daycoval

  • A agência de classificação de risco Fitch Ratings atribuiu a nota ‘BB-‘ (escala global) às notas seniores sem garantias emitidas pelo Banco Daycoval, no montante de US$ 350 milhões, com vencimento em dezembro de 2024. Os recursos da emissão serão utilizados para fins corporativos gerais do banco;
  • O rating da emissão se equipara àquele atribuído ao banco, que por sua vez reflete o sólido perfil sustentado pela franquia estável do banco e pela diversificação dos negócios. Na opinião da agência, esta é relativamente maior do que em outros bancos de médio porte da região;
  • Além disso, a Fitch destacou o consistente e forte histórico de desempenho do banco, mantido ao longo dos ciclos, e pela capitalização confortável.

Vendas de etanol hidratado crescem 5,8% no Centro-Sul

  • De acordo com o Valor Econômico, as vendas de etanol hidratado somaram 1,942 bilhão de litros ao mercado interno em novembro, o que representa aumento de 5,8% em relação ao mesmo mês do ciclo passado. Já em relação ao mês anterior, as vendas caíram 9%;
  • As exportações também cresceram, atingindo 143,8 milhões no mês (+38% em relação ao mesmo período do ciclo anterior);
  • As informações são da União das Indústrias de Cana-de-Açúcar (Única);
  • As informações são indicativo positivo sobre os resultados das usinas que operam na região Centro-Sul.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.