XP Expert

Elevamos projeção de IPCA em 2021 para 6,4% devido à alta de energia elétrica

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,08% | 127.327 Pontos

CÂMBIO 0,62% | 4,96/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa encerrou o pregão de ontem em virtual estabilidade (ligeira variação negativa de 0,08%), atingindo 127.327 pontos, após recuar quase 1% na mínima do dia. Enquanto isso, o dólar comercial fechou em alta de 0,28% a R$ 4,941 na compra e a R$ 4,942 na venda. As taxas futuras de juros encerraram a sessão de ontem em queda, observada com maior intensidade nos vencimentos curtos, beneficiados pela divulgação do IGP-M de junho e definição do valor da bandeira vermelha 2 pela Aneel abaixo das estimativas do mercado. Enquanto isso, dados fiscais e a emissão externa pelo Tesouro Nacional trouxeram alívio aos aplicadores na ponta longa da curva. DI jan/22 fechou em 5,60%; DI jan/24 foi para 7,58%; DI jan/26 encerrou em 8,19%; e DI jan/28 fechou em 8,55%.

Nesta manhã, os principais mercados globais amanhecem negativos (EUA -0,1% e Europa -0,8%). Ações europeias apresentam queda na medida em que preocupações com a nova variante do COVID-19 superam a confiança na reabertura econômica. O índice futuro americano está levemente negativo, após seu 33º fechamento recorde em 2021. O petróleo permanece em níveis elevados (US$ 74/barril) enquanto investidores aguardam reunião da OPEP nesta quinta-feira, que decidirá sobre o aumento da oferta da commodity.

Nos EUA, com o futuro do pacote de infraestrutura em cheque, a Casa Branca procura consolidar apoio entre democratas por um segundo pacote com medidas sociais. No entanto, as demandas da ala mais à esquerda do partido, que hoje defende um pacote de USD 6 trilhões, e as dos moderados, que demandam responsabilidade fiscal e menores aumentos tributários, não serão fáceis de conciliar.  

Em paralelo, Joe Biden estaria estudando uma ordem executiva que instrui agências do Estado a fiscalizar setores dominados por grandes empresas. A ordem pode gerar tensões com grupos de republicanos e pressão sob o governo por grandes empresas.  

Os indicadores de confiança na economia continuam melhorando nos Estados Unidos e na Europa. A disseminação da variação do delta do coronavírus, entretanto, representa um desafio para a recuperação econômica global. E na China, os números do Índice de Gerentes de Compra (PMI) de junho indicam que o país continua desacelerando gradualmente.

No Brasil, a Aneel aprovou reajuste de 52% no valor da bandeira tarifária para julho por conta da crise hídrica, e prepara novo aumento para os próximos meses. Elevamos nossa projeção para o IPCA de 6,2% para 6,4% (link). Além disso, segundo o noticiário local, o governo federal discute utilizar R$ 20 bilhões de arrecadação adicional de impostos oriunda da proposta de reforma tributária para financiar o novo (e maior) Bolsa-Família. Na agenda econômica de hoje, destaque para a publicação dos dados do mercado de trabalho referentes ao trimestre móvel até abril (PNAD/IBGE). Projetamos taxa de desemprego de 14,7% no período.

Do lado político, o governo segue às voltas com as suspeitas sobre as negociações para compra de vacinas contra o coronavírus. Duas reportagens de terça-feira adicionam novos componentes à crise, ligando as suspeitas ao líder do governo, deputado Ricardo Barros, que refuta as acusações. O governo trabalha para evitar que o ambiente de mais turbulência contamine as discussões de temas econômicos no Congresso.

E o ministro Paulo Guedes abriu ontem a possibilidade de que a redução de 5 pontos percentuais no imposto de renda da pessoa jurídica seja efetivada em um único ano, e não mais em dois anos como previsto na proposta original do governo. A fala se soma a outras manifestações no Congresso por suavização do texto enviado pelo Planalto e corrobora linha de que os deputados e senadores promoverão ajustes na reforma tributária até sua aprovação.

Do lado das empresas, iniciamos a cobertura de G2D (G2DI33) com recomendação de Compra e preço-alvo de R$7,0/ação. Considerando o acesso ainda limitado ao mercado de Venture Capital (VC), acreditamos que a G2D seja um ótimo veículo para pessoas físicas ganharem exposição a empresas em estágio inicial e pré-IPO com liquidez. Nossa visão positiva é baseada no portfólio de alto crescimento da G2D, embora compensado pelos riscos do mercado de Venture Capital (VC) e da empresa, que acreditamos que deve levar seu desconto ao Valor Líquido dos Ativos (NAV) para 0%, vs. desconto atual de 4,0%.

Além disso, publicamos um relatório com a análise ESG da G2D (link). Destacamos de forma positiva que o compromisso da empresa com essa agenda ocorre de forma praticamente intrínseca ao negócio, principalmente no que se refere aos pilares S e E, respectivamente, dada a participação de ~15% da G2D na empresa The Craftory – um Venture Capital focado no investimento em empresas disruptivas do setor de consumo (CPG) e ESG, que possuem uma grande causa e impacto socioambiental positivo, com sede em Londres e São Francisco. Por fim, no pilar G, vemos o conselho e a gestão da G2D como o principal ativo da empresa no longo prazo, enquanto vemos espaço para melhorias na diversidade de gênero na liderança, além de avanço na independência do conselho (29%), e esperamos ver mais avanços em ambos os tópicos adiante.

Tópicos do dia

Acesse aqui o relatório internacional

Economia

  1. A confiança na economia continua melhorando nos Estados Unidos e na Europa. A disseminação da variação do delta do coronavírus, entretanto, representa um desafio para a recuperação econômica global. Os números do Índice de Gerentes de Compra (PMI) de junho indicam que a China continua desacelerando gradualmente. No Brasil, elevamos nossa projeção para o IPCA de 6,2% para 6,4%, devido aos preços mais altos da energia elétrica. Segundo a Folha de São Paulo, o governo discute usar as receitas fiscais adicionais provenientes da proposta de reforma tributária para financiar um novo programa Bolsa Família.

Política

  1. Clima político segue contaminado pelas suspeitas sobre negociações para compra de vacina
  2. Política internacional: Casa Branca procura consolidar apoio entre democratas por pacote de medidas sociais.
  3. Guedes sinaliza possibilidade de reduzir de uma vez os 5 p.p. no imposto de renda da pessoa jurídica

Empresas

  1. Estimando os impactos da reforma tributária nas empresas
  2. Enjoei (ENJU3): Tornando o usado algo novo
  3. Magalu (MGLU3): Abertura de pelo menos 50 lojas no Rio de Janeiro nas próximas semana
  4. Setor Elétrico: ANEEL define aumento da bandeira vermelha 2; Neutro
  5. Klabin (KLBN11): Anúncio de 23 projetos de expansão para acelerar crescimento
  6. G2D (G2DI33): Democratizando o acesso ao mercado de Venture Capital; Iniciando com Compra
  7. Blau (BLAU3): Juros sobre Capital Próprio
  8. Concessões Rodoviárias no Brasil: Dados de Tráfego Sugerem Recuperação Contínua em Junho
  9. Ânima (ANIM3) : Pequeno desinvestimento para ajudar a estratégia de desalavancagem
  10. CCR (CCRO3): A César o que é de César; CCR Assina Aditivo para Reequilíbrio Financeiro e Elimina Disputa Judicial Pendente
  11. BB Seguridade (BBSE3) : CEO renuncia ao cargo
  12. Notícias Diárias do Setor Financeiro
  13. Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

ESG

  1. Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto
  2. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 30/06

Veja todos os detalhes

Economia

A confiança na economia continua melhorando nos Estados Unidos e na Europa. A disseminação da variação do delta do coronavírus, entretanto, representa um desafio para a recuperação econômica global. Os números do Índice de Gerentes de Compra (PMI) de junho indicam que a China continua desacelerando gradualmente. No Brasil, elevamos nossa projeção para o IPCA de 6,2% para 6,4%, devido aos preços mais altos da energia elétrica. Segundo a Folha de São Paulo, o governo discute usar as receitas fiscais adicionais provenientes da proposta de reforma tributária para financiar um novo programa Bolsa Família.

  • A confiança na economia continua aumentando nos países desenvolvidos. Na Zona do Euro, o índice de confiança econômica de junho ficou em 117,9, acelerando de 114,5 em maio. É o nível mais alto desde seu pico em maio de 2000 (118,2). Nos EUA, o indicador de confiança do consumidor do Conference Board acelerou de 120 para 127 em junho, bem acima das expectativas (119);
  • De acordo com notícias da Bloomberg, os mercados de ações globais estão negativos hoje, pois aumentam os riscos de que a variação altamente infecciosa do delta Coronavirus afetará a economia global;
  • O PMI de manufatura oficial da China caiu ligeiramente em junho, de 51 em junho para 50,9. A queda do PMI de serviços foi mais intensa, de 55,2 para 53,5, embora o nível permaneça forte (leituras acima de 50 indicam expansão). Os números estão em linha com nossa tese de que o crescimento continua robusto, mas em uma trajetória clara de acomodação. Mantemos nossas projeções de crescimento do PIB para 2021 e 2022, em 9% e 6%, respectivamente;
  • No Brasil a Aneel aprovou reajuste de 52% no valor da bandeira tarifária para julho por conta da crise hídrica e prepara novo aumento para os próximos meses. Elevamos nossa projeção para o IPCA de 6,2% para 6,4%(veja aqui);
  • De acordo com o jornal Folha de São Paulo, governo discute usar R $ 20 bilhões de arrecadação adicional de impostos vinda da proposta de reforma tributária para financiar o novo (e maior) Bolsa Família;
  • Os dados do mercado de trabalho de abril serão publicados esta manhã (PNAD). Projetamos taxa de desemprego em 14,6%.

Política

Clima político segue contaminado pelas suspeitas sobre negociações para compra de vacina

  • O governo segue às voltas com as suspeitas sobre as negociações para compra de vacinas contra o coronavírus. Duas reportagens de terça-feira adicionam novos componentes à crise, ligando as suspeitas ao líder do governo, deputado Ricardo Barros, que refuta as acusações. O governo trabalha para evitar que o ambiente de mais turbulência contamine as discussões de temas econômicos no Congresso.

Política internacional: Casa Branca procura consolidar apoio entre democratas por pacote de medidas sociais.

  • Com o futuro do pacote de infraestrutura em cheque, a Casa Branca procura consolidar apoio entre democratas por um segundo pacote com medidas sociais. No entanto, as demandas da ala mais à esquerda do partido, que hoje defende um pacote de USD 6 trilhões, e as dos moderados, que demandam responsabilidade fiscal e menores aumentos tributários, não serão fácil de conciliar;
  • Em paralelo, Joe Biden estaria estudando uma ordem executiva que instrui agências do Estado a fiscalizar setores dominados por grandes empresas. A ordem pode gerar tensões com grupos de republicanos e pressão sob o governo por grandes empresas;
  • Na Alemanha, a candidata a chanceler do partido, Annalena Baerbock, enfrenta acusações de plágio. O mais recente obstáculo para a líder que já enfrenta críticas por não declarar pagamento de EUR 25 mil e erros no currículo complicam o panorama para o partido, que registra queda nas pesas após chegar a liderar a disputa por um breve período. Hoje, os Verdes se encontram em segunda colocação com 20%, atrás do CDU/CSU, partido de Angela Merkel, que registra 30%. O cenário esperado de melhoria continua da pandemia até a eleição em setembro pode favorecer ainda mais o CDU/CSU;
  • No entanto, vale ressaltar que o apoio registrado pelo partido Verde ainda significa um crescimento relevante para o partido e implica que será difícil formar uma coalizão parlamentar sem seu apoio – ou seja, o partido caminha para ter uma presença maior na política nacional Alemã.

Guedes sinaliza possibilidade de reduzir de uma vez os 5 p.p. no imposto de renda da pessoa jurídica

  • O ministro Paulo Guedes abriu ontem a possibilidade de que a redução de 5 pontos percentuais no imposto de renda da pessoa jurídica seja efetivada em um único ano, e não mais em dois anos como previsto na proposta original do governo. A fala se soma a outras manifestações no Congresso por suavização do texto enviado pelo Planalto e corrobora linha de que os deputados e senadores promoverão ajustes na reforma tributária até sua aprovação.

Empresas

Estimando os impactos da reforma tributária nas empresas

  • Nessa semana, o foco dos investidores tem sido a segunda fase da reforma tributária, entregue pelo governo ao Congresso na última sexta-feira;
  • A proposta trouxe mudanças no imposto de renda em três frentes: Pessoa Jurídica (PJ), Pessoa Física (PF) e investimentos.  A reforma traz a ampliação da faixa de isenção do imposto de renda para Pessoas Físicas e redução na alíquota para Pessoas Jurídicas. Para custear essas alterações, o governo promove uma série de alterações em outras tributações;
  • Como o nosso time de Política já enfatizou, há um longo processo de trâmite no Congresso ainda para acontecer, e podemos esperar modificações à medida que o projeto é debatido;
  • Nesse relatório, avaliamos o impacto das três principais medidas que afetam a Bolsa: 1) o fim do Juros sobre Capital Próprio (JCP), 2) a redução do imposto de renda para PJs, e 3) tributação nos dividendos. Consideramos as empresas sob a nossa cobertura e que seriam impactadas de forma relevante por mudanças nessas regras de tributação. Clique aqui para acessar o relatório completo.

Enjoei (ENJU3): Tornando o usado algo novo

  • Nós trazemos os principais destaques da live que fizemos com a co-fundadora da enjoei, Ana Luiza McLaren (assista aqui);
  • Seguimos com uma visão positiva por conta (i) da baixa penetração digital do segmento de moda; (ii) do alto engajamento dos consumidores devido à experiência divertida e única da plataforma e do seu vasto sortimento, (iii) sólida base ESG; e (iv) por vermos a companhia como uma combinação de um case de tech e retomada;
  • Mantemos nossa recomendação de Compra e preço alvo de R$15,0 por ação. Clique aqui para o relatório completo.

Magalu (MGLU3): Abertura de pelo menos 50 lojas no Rio de Janeiro nas próximas semanas

  • De acordo com o Brazil Journal (link), a Magazine Luiza irá abrir pelo menos 50 lojas no Estado do RJ nas próximas semanas, um mercado responsável por 15% do varejo nacional. O movimento será feito em três ondas, com a primeira no dia 5/julho quando serão abertas 23 novas lojas. Hoje, a companhia possui apenas quiosques dentro de lojas Marisa e lojas virtuais (sem estoque) e, portanto, marca a entrada efetiva da Magalu no Estado;
  • A campanha de marketing irá incluir 44 mil guarda-sóis adesivados assim como todos quiosques da orla, colar a marca no BRT com wifi gratuito nos próximos 6 meses e um laser a partir do Cristo para as 23 lojas em sua noite de inauguração;
  • Vemos o movimento como positivo para Magalu, pois agrega capilaridade à companhia em um estado com forte concentração de renda. Acreditamos que o papel deva reagir positivamente à notícia, enquanto outros players podem sofrer devido ao aumento de concorrência em um estado com forte participação no varejo.

Setor Elétrico: ANEEL define aumento da bandeira vermelha 2; Neutro

  • Ontem (29), a ANEEL realizou uma reunião de diretoria extraordinária para discutir o aumento da tarifa para a Bandeira Vermelha 2. A agência decidiu por um aumento provisório da tarifa para R$9,49/100KWh (aumento de 52%) para julho e agosto, enquanto uma consulta pública é realizada nos próximos 30 dias. Somente após a consulta uma tarifa será decidida para o resto do ano;
  • Embora seja relevante para a inflação, não acreditamos que isso afete diretamente as empresas de energia. O aumento tarifário pode incentivar alguma redução no consumo de energia, mas isso tem impacto limitado sobre as empresas de distribuição;
  • Por outro lado, o fato dessa medida ser necessária sinaliza uma hidrologia desafiadora à frente, o que pode impactar algumas empresas de geração como CESP, Engie e AES, como já mencionamos neste relatório.

Klabin (KLBN11): Anúncio de 23 projetos de expansão para acelerar crescimento

  • Em Comunicado ao Mercado divulgado ontem (29), a Klabin anunciou a aprovação de 23 projetos de expansão, totalizando R$ 342 milhões. Segundo a companhia, grande parte dos investimentos (R$ 251 milhões) será destinado ao aumento de capacidade de conversão de papéis em embalagens;
  • Entre os principais projetos anunciados pela Klabin, estão duas novas impressoras que serão instaladas nas unidades de Betim (MG) e Goiana (PE) e uma nova linha de sacos para miscelânea na unidade de Lages (SC). Os demais projetos estão distribuídos em todos os segmentos de atuação da Klabin e focados substancialmente na otimização de custos;
  • Vemos o anúncio como positivo, uma vez que contribuem para o ciclo de crescimento e aceleração da desalavancagem da Klabin. Mantemos nossa recomendação de Compra, com preço-alvo de R$ 32 por ação.

G2D (G2DI33): Democratizando o acesso ao mercado de Venture Capital; Iniciando com Compra

  • Iniciamos a cobertura de G2DI com recomendação de Compra e preço-alvo de R$7,0/ação, implicando em potencial de 7,2%. Considerando o acesso ainda limitado ao mercado de Venture Capital (VC), acreditamos que a G2D seja um ótimo veículo para pessoas físicas ganharem exposição a empresas em estágio inicial e pré-IPO com liquidez;
  • Nossa visão positiva é baseada no portfólio de alto crescimento da G2D, embora compensado pelos riscos do mercado de Venture Capital (VC) e da empresa, que acreditamos que deve levar seu desconto ao Valor Líquido dos Ativos (NAV) para 0%, vs. desconto atual de 4,0%;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Blau (BLAU3): Juros sobre Capital Próprio

  • Hoje (30), a Blau anunciou a distribuição de juros sobre capital próprio de R$3,5M (R$0,02/ação), a ser pago no dia 15 de julho de 2021;
  • As ações serão negociadas excluindo a distribuição a partir de 6 de julho;
  • Nós continuamos otimistas em relação à tese conforme a companhia: (i) deve se aproveitar do bônus demográfico brasileiro; (ii) deve aumentar sua capacidade de produção; e (iii) apresenta um forte cronograma de lançamentos de novos medicamentos. Nós reiteramos a nossa recomendação de Compra e preço-alvo de R$64/ação.

Concessões Rodoviárias no Brasil: Dados de Tráfego Sugerem Recuperação Contínua em Junho

  • Os dados mais recentes da ABCR (Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias) mostraram que o tráfego nas concessões rodoviárias no Brasil foi de -2,1% em Maio de 2021 contra Maio de 2019 (nível pré-pandêmico) – link para o relatório completo
    • CCR e Ecorodovias, que têm superado o tráfego geral (+4,5% em Maio contra Maio de 2019), publicaram dados continuamente positivos para a maior parte de Junho (+3,0% em média contra Junho de 2019).
    • Vemos esses resultados como encorajadores para a recuperação contínua do setor, à medida que o Brasil reforça sua resiliência relativa em relação a outras regiões (tráfego das concessões rodoviárias europeias -9% em Junho contra Junho de 2019).
  • Reiteramos nossa recomendação de Compra na CCR e nossa recomendação Neutra na Ecorodovias.

Ânima (ANIM3) : Pequeno desinvestimento para ajudar a estratégia de desalavancagem

  • A Ânima anunciou a venda de suas escolas de ensino fundamental e médio para a Bahema Educação por R$36M, incluindo um earnout de R$6M;
  • O pagamento será feito em duas parcelas: i) R$18M no fechamento da transação; ii) R$12M até maio de 2022; enquanto os earnouts serão pagos em 2022, 2023 e 2024, de acordo com o resultado operacional das escolas;
  • O acordo inclui o compromisso da Bahema de sublocação de espaços em outras instituições Ânima, o que é positivo por garantir a utilização mais eficiente dos ativos da Ânima em horário ocioso;
  • Embora seja uma transação pequena, vemos como positiva, dado que ajuda a empresa em duas frentes após a aquisição da Laureate: i) foco no seu negócio principal (graduação e pós-graduação); e ii) desalavancagem;
  • Reiteramos nossa recomendação de Compra para ANIM3 e o preço alvo de R$15/ação.

CCR (CCRO3): A César o que é de César; CCR Assina Aditivo para Reequilíbrio Financeiro e Elimina Disputa Judicial Pendente

  • Conforme amplamente discutido em nosso relatório de início de cobertura de Infraestrutura Brasil, a CCR anunciou um acordo preliminar com o governo do estado de São Paulo para resolver (link para o relatório completo):
    • (i) reequilíbrios econômico-financeiros pendentes; e
    • (ii) disputa judicial de longa data em torno dos aditivos de 2006;
  • Estimamos R$8,5 bilhões de VPL (Valor Presente Líquido) para a CCR (R$4,20/ação, um pouco abaixo do nosso caso-base anterior de R$4,60/ação – ver Figura 2)
    • Apesar do leve downside de ~3% para nosso preço-alvo, vemos o anúncio como uma grande notícia positiva (o principal catalizador que esperávamos para a convergência das ações para seu valor justo).
  • Reiteramos nossa visão positiva para a CCR.

BB Seguridade (BBSE3) : CEO renuncia ao cargo

  • BB Seguridade anunciou ontem que o Hamilton Ferreira renunciou da posição de presidente da empresa. O atual Diretor Comercial e de Marketing da Brasilprev, Ullisses Christian Silva Assis, foi indicado para o cargo com um mandato até 2023;
  • Ulisses Assis é um diretor da Brasilprev, mas essa é sua primeira posição na diretoria do BBSeguridade, diferentemente de Hamilton Ferreira que já era mais experiente e conhecido do mercado;
  • No entanto vemos a troca como esperada, dado que o Fausto Ribeiro, CEO do BB, alterou C level do BB e agora está fazendo o mesmo nas subsidiarias, incluindo Cielo e BB Seg. Com isso em mente, vemos o impacto como negativo porém limitado e mantemos a nossa recomendação de compra com um TP de R$35.

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

  • Nesta publicação diária, trazemos as principais notícias do setor de varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre as tendências e acontecimentos mais importantes do dia. Além disso, o relatório contém um resumo dos múltiplos e recomendações para as empresas de nossa cobertura;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Radar ESG | G2D (G2DI33): Abraçando os pilares S e E através do portfólio de investimentos de impacto

  • Dado o IPO recente da empresa, era de se esperar que a G2D carecesse de uma divulgação detalhada de dados referente à agenda ESG. Ainda assim, destacamos de forma positiva que o compromisso da empresa com essa agenda ocorre de forma praticamente intrínseca ao negócio, principalmente no que se refere aos pilares S e E, respectivamente, dada a participação de ~15% da G2D na empresa The Craftory – um Venture Capital focado no investimento em empresas disruptivas do setor de consumo (CPG) e ESG, que possuem uma grande causa e impacto socioambiental positivo, com sede em Londres e São Francisco;
  • Por fim, no pilar G, vemos o conselho e a gestão da G2D como o principal ativo da empresa no longo prazo, enquanto vemos espaço para melhorias na diversidade de gênero na liderança, além de avanço na independência do conselho (29%), e esperamos ver mais avanços em ambos os tópicos adiante;
  • Ao longo deste relatório, destacamos os tópicos ESG que vemos como os mais importantes para o G2D e analisamos como essa empresa se posiciona quando o tema é ESG;
  • Clique aqui para ler o relatório completo.

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 30/06

  • Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança;
  • Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance histórica do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP;
  • Por que essas informações são importantes? Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.