XP Expert

Decisão do Copom, arcabouço fiscal no Senado e falas de Powell em foco

Decisão do Copom e arcabouço fiscal no Senado são alguns dos temas de maior destaque nesta quarta-feira, 21/06/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0.20% | 119.622 Pontos

CÂMBIO +0,40% | 4,79/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Destaques do dia

A decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) sobre a taxa básica de juros brasileira é destaque hoje (21). Também segue no radar a votação do relatório do arcabouço fiscal. O projeto, que teve algumas alterações em relação ao texto aprovado na Câmara, deve ser levado à apreciação no plenário do Senado ainda nesta quarta-feira. Lá fora, mercados devem acompanhar pronunciamento de Jerome Powell, presidente do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano), no Congresso dos EUA.

Decisão do Copom

Esperamos que o Copom mantenha a taxa Selic em 13,75% pela sétima reunião consecutiva, mas o comunicado pós-decisão deve ser ajustado para incorporar a melhora recente nas perspectivas de inflação. Ao mesmo tempo, como as estimativas de inflação continuam acima da meta, o comitê tende a manter a “guarda alta”, sem se comprometer com a próxima decisão. Com isso, nosso cenário-base considera um corte de 0,25 p.p. na taxa Selic em agosto, seguido de cortes de 0,50 p.p., até o juro básico atingir 11,00% no 1º trimestre de 2024. Veja mais sobre as expectativas do nosso time de macroeconomia no Esquenta do Copom.

Arcabouço fiscal no Senado

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal se reunirá para votar o relatório do arcabouço fiscal apresentado pelo relator Omar Aziz (PSD-AM). Algumas mudanças foram apresentadas em relação ao texto aprovado na Câmara dos Deputados, dentre as quais destacamos a retirada do Fundo Constitucional do Distrito Federal (FCDF), da complementação da União ao Fundeb e das despesas com Ciência e Tecnologia do limite de despesas da nova regra fiscal. A nosso ver, a retirada desses itens acaba por fragilizar todo o arcabouço. Primeiro, porque essas despesas passam a crescer sem qualquer restrição. Além disso, as alterações colocam pressão sobre a possível exclusão de outras despesas do limite. Para uma análise detalhada a respeito das mudanças, clique aqui.

Mercado no Brasil ontem

Na expectativa para a decisão da Selic hoje, o Ibovespa fechou a terça-feira em queda de 0,2%, aos 119.622 pontos. O movimento de baixa foi puxado principalmente pela Vale (VALE3), que caiu 2,6% com a desvalorização nos preços do minério de ferro ao longo do dia. As taxas futuras de juros fecharam sem direção única, com o leilão do Tesouro Nacional sendo bem absorvido pelo mercado e pressionando para baixo os vencimentos mais curtos, enquanto o embate sobre o arcabouço fiscal evitou baixas também nas pontas mais longas. DI jan/24 foi de 13,015% para 13,00%; DI jan/25 passou de 11,135% para 11,095%; DI jan/26 oscilou de 10,515% para 10,525%; e DI jan/27 foi de 10,52% para 10,555%.

Mercados Globais

Bolsas internacionais amanhecem mistas. Nos EUA, os futuros do S&P 500 negociam no zero a zero. Os principais índices americanos tiveram o segundo dia de baixa, interrompendo a sequência de altas impulsionada pelas big techs. Além da participação do presidente do Fed, Jerome Powell, em audiência no Congresso americano, investidores devem ficar atentos a discursos de outros cinco diretores do banco central dos EUA ao longo do dia. Do lado corporativo, o FedEx (FDX) cai quase 3% no pré-mercado, depois de apresentar uma projeção de lucro mais pessimista do que esperado.

As Bolsas europeias operam sem direção definida, com o Stoxx 600 negociando de lado depois que os dados de inflação ao consumidor de maio do Reino Unido vieram acima das expectativas em 8,7% a/a, aumentando pressão para que o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) siga com uma postura dura. O BoE anunciará sua decisão de política monetária amanhã (22), e uma elevação na taxa de juros é amplamente esperada.

Na Ásia, os índices também fecharam mistos. No Japão, o Nikkei 225 subiu 0,6%, mas, na China, o CSI 300 e o Hang Seng fecharam em queda de 1,5% e 2,0%, respectivamente, antes de um feriado, e ainda repercutindo o corte de juros menos agressivo que do esperado.

Super Clássicos da Bolsa 2023

Por fim, hoje teremos o debate entre HAPVIDA (HAPV3) e Rede D’Or (RDOR3), às 13hrs no Super Clássicos da Bolsa. Clique aqui para assistir.

Veja todos os detalhes

Economia

Inflação do Reino Unido continua bastante pressionada; no Brasil, decisão do Copom no centro das atenções  

  • No Brasil, atenções voltadas para a decisão do Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central). A taxa Selic deve ser mantida em 13,75% pela sétima reunião consecutiva, mas o comunicado pós-decisão tende a ser ajustado para incorporar a melhoria recente nas perspectivas de inflação. Segundo as nossas estimativas, a projeção do Copom para o IPCA de 2023 – no cenário de referência – diminuirá de 5,8% para 5,1%, enquanto a projeção para o IPCA de 2024 deve ceder de 3,6% para 3,3%. Ao mesmo tempo, como as expectativas de inflação continuarão acima da meta, o comitê tende a manter a “guarda alta”, sem se comprometer com a próxima decisão. Dito isso, nosso cenário base considera um corte de 0,25pp na taxa Selic em agosto, seguido de cortes de 0,50pp até o juro básico atingir 11,00% no 1º trimestre de 2024; 
  • Ainda sobre a agenda desta quarta-feira, a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal se reunirá para votar o relatório do arcabouço fiscal apresentado pelo relator Omar Aziz (PSD-AM). O projeto deve ser levado à apreciação no plenário do Senado ainda hoje. Algumas mudanças foram apresentadas em relação ao texto aprovado na Câmara dos Deputados, dentre as quais destacamos a retirada do Fundo Constitucional do Distrito Federal (FCDF), da complementação da União ao Fundeb e das despesas com Ciência e Tecnologia do limite de despesas da nova regra fiscal. A nosso ver, a retirada desses itens acaba por fragilizar todo o arcabouço. Primeiro, porque essas despesas passam a crescer sem qualquer restrição. Além disso, porque as alterações colocam pressão sobre a possível exclusão de outras despesas do limite. Para uma análise detalhada a respeito das mudanças, clique aqui (link);  
  • No exterior, os agentes de mercado acompanharão o pronunciamento do Presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, perante a Câmara dos Deputados dos EUA. Outros cinco diretores do Fed têm agenda pública hoje. Conforme já publicado nesta manhã, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) do Reino Unido subiu 0,7% em maio ante abril, novamente acima das expectativas do mercado (consenso: 0,5%), o que manteve a taxa de variação de 8,7% no acumulado em 12 meses. Este resultado representou o quarto mês consecutivo de surpresas altistas. A medida de núcleo da inflação – exclui itens de alimentos e energia – registrou aumento de 0,8% em maio e de 7,1% em 12 meses (estava em 6,8% em abril), o patamar mais alto desde 1992. Com isso, os mercados passaram a atribuir probabilidade ao redor de 40% de que o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) reacelere seu ritmo de alta de juros para 0,50pp na decisão de política monetária a ser anunciada amanhã (22). A inflação do Reino Unido é a mais elevada entre as principais economias desenvolvidas.    

Empresas

Construtoras | Novas atualizações para o programa MCMV aprovadas

  • O Conselho Curador do FGTS aprovou três atualizações para o programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) em uma reunião ordinária na manhã desta terça-feira (20 de junho). Destacamos:
    • Uma redução de 25 pontos-base nas taxas de juros do financiamento imobiliário para mutuários com renda familiar de até R$ 2 mil;
    • Um aumento no limite do subsídio para as faixas 1 e 2, de R$ 47,5 mil para R$ 55 mil;
    • Um aumento no teto de preços para R$ 350 mil para a faixa 3 (unificado para todos os recortes populacionais).
  • Vemos as atualizações como positivas para empresas voltadas para o segmento de baixa renda, e as mudanças nos tetos de preço podem ser positivas para as margens, com um potencial aumento no poder de precificação dentro do programa;
  • Clique aqui para o relatório completo.

Data Expert | Unboxing the Week: Tracking Semanal de Madeira, Papel & Celulose da XP

  • Uma semana mista para empresas de papel e celulose, com as ações subindo 5% na América Latina, 1% na América do Norte e 3% Europa (em dólares);
  • Segundo a Norexeco, os preços da celulose caíram na China e na Europa, com BHKP em US$ 500/t (+4% M/M) e NBSK em US$ 662/t (-2% M/M) na China, enquanto na Europa, BHKP está em US$ 990/t (-9% M/M) e NBSK em US$ 1,250/t (-3% M/M);
  • Apesar disso, vemos a Suzano e a Klabin negociando a múltiplos atraentes com EV/EBITDA 2023 de 5,3x e 6,8x e múltiplos EV/ton de US$ 2,057/te US$ 2,034/t, respectivamente (~ 10 – 13% de desconto vs. média de 5 anos para ambas ações);
  • Clique aqui para o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Por que é tão difícil cortar juros do cartão? (Valor);
    • Caixa suspende cobrança do Pix para pessoa jurídica após determinação de Lula (Estadão);
    • Estrangeiros aportam R$ 357,8 milhões na Bolsa em 16 de junho (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Para captar mais clientes, 2W levanta R$ 22,1 milhões e amplia aposta em tecnologia (Valor);
    • Brasil supera média mundial em engajamento com jogos eletrônicos, diz estudo (Valor);
    • PPPs reivindicam participação em caso de nova dissolução da Oi (telesintese);
    • Telcomp também pede equilíbrio competitivo com empresas de Internet (TELETIME);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • São Paulo trava acordo para unificar cobrança de ICMS de compras feitas em plataformas de vendas online (O Globo);
    • Em processo de reestruturação, Via faz demissões no alto escalão (Estadão);
    • Camicado registra recorde de expansão em programa de vendas corporativas (Mercado e Consumo);
    • Varejistas fecham quase 150 lojas em um ano, na esteira dos juros altos (O Globo);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • BREAKING: Acionistas da Light propõem novo conselho. (Brazil Journal);
    • SG/Cade aprova venda de participações da Cemig em hidrelétricas para Furnas. (Valor Econômico);
    • Reajuste médio da Copel fica em 10,5%. (Canal Energia);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Petrobras distribui dividendos ‘como o Papai Noel’ e a orientação mudou, diz Rui Costa (Valor Econômico);
    • MME defende que corte em preço dos combustíveis chegue aos consumidores (Valor Econômico);
    • Importação de petróleo da Rússia para a China bate recorde em maio (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • Decisão do Copom, falas de Powell no Congresso dos EUA, arcabouço fiscal na CAE do Senado e mais destaques do mercado hoje (Infomoney);
  • Dívida externa de empresas emergentes está mais barata que ações (Valor Econômico);
  • Medidas do FGTS devem impulsionar Minha Casa Minha Vida (Valor Econômico);
  • Moody’s Local coloca ratings do Hospital Care em revisão para rebaixamento (Moody’s Local);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Ainda vale a pena apostar nos fundos imobiliários indexados à inflação? (Money Times);
    • 13º dos FIIs: fundos imobiliários devem ter dividendos turbinados em julho; vale a pena comprar agora? (InfoMoney);
    • Os Fiagros vão pagar menos dividendos com o início do corte dos juros? (Estadão);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Alckmin reafirma compromisso com o mercado regulado de carbono | Café com ESG, 21/06

  • O mercado encerrou o pregão de terça-feira em território misto, com o Ibov em queda de -0,19%, enquanto o ISE subiu +0,59%;
  • Do lado da regulação, um ano após o desenvolvimento de seu selo de investimento sustentável (IS), a Anbima lançou novas regras para fundos multimercados, de direitos creditórios (FIDCs) e ETFs se enquadrarem na modalidade – além disso, no lado da supervisão, a instituição criou um formulário para identificar e corrigir desvios nas alocações dos que já receberam o selo, relatório que deverá ser feito ao fim de cada exercício social do fundo;
  • Na política, (i) o presidente em exercício e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, afirmou ontem que o Brasil pode ter ganho de 5% do PIB com o mercado regulado de carbono, o que seria equivalente a US$ 120 bilhões – segundo ele, o governo tem uma minuta de projeto de lei pronta regulamentando o mercado de carbono em processo de análise pela área jurídica das pastas envolvidas com o tema e deve ser concluída nas próximas semanas; e (ii) o Ministério da Fazenda está empenhado em montar um “Plano de Transição Ecológica”, como vem sendo chamado provisória e internamente um pacote de medidas “verdes”, com foco principalmente nas indústrias grandes e de setores mais poluentes – a criação do mercado regulado de carbono, taxonomia sustentável e regulamentação e emissão de títulos verdes são peças importantes da estratégia;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.