XP Expert

Dados de emprego saem bons no Brasil, mas renda encolhe; “Rali de Natal” do S&P500 segue comportamento histórico apesar da Ômicron

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir


IBOVESPA -0,7% | 104.864 Pontos

CÂMBIO -0,07% | 5,63/USD

O que pode impactar o mercado hoje



O mercado de ações brasileiro sofreu ontem forte influência da queda do preço de algumas commodities e o Ibovespa caiu 0,7%, encerrando aos 104.864 pontos, com destaque para queda das ações da Vale e siderúrgicas. Enquanto isso o dólar permaneceu praticamente estável frente ao real, cotado a R$ 5,63. Já as taxas futuras de juros fecharam a sessão de ontem com viés de alta na ponta curta e em leve queda na longa, ainda repercutindo os desdobramentos da disseminação da variante Ômicron e as apostas de que os bancos centrais deverão ser mais cautelosos no processo de retirada de estímulos das economias. DI jan/22 fechou em 9,144%; DI jan/24 foi para 10,915%; DI jan/26 encerrou em 10,44%; e DI jan/28 fechou em 10,53%.

No Brasil, os dados da PNAD Contínua de outubro, divulgados ontem pelo IBGE, reforçaram a avaliação de retomada do emprego na economia brasileira, em linha com a reabertura econômica. Por outro lado, o rendimento real médio encolheu pelo quinto mês seguido, refletindo, em grande medida, a inflação persistentemente elevada e a ociosidade ainda ampla existente no mercado de trabalho. Projetamos que a taxa de desemprego nacional atingirá 11,8% ao final de 2021, na série que já desconta os efeitos da sazonalidade, após ter encerrado 2020 ao redor de 14,5%.

Ainda ontem, o Banco Central do Brasil publicou a nota do mercado de crédito referente a novembro. As concessões de novos empréstimos às famílias recuaram pelo quinto mês consecutivo (dados dessazonalizados e ajustados pela inflação), como reflexo da elevação das taxas de juros no período recente. Do lado positivo, as taxas de inadimplência, tanto para pessoas físicas quanto para pessoas jurídicas, ficaram estáveis em novembro (e próximas às mínimas históricas). Isto posto, chamamos a atenção para o patamar relativamente alto do endividamento das famílias e os efeitos potenciais do ciclo de aperto monetário em curso sobre o comprometimento de renda com o pagamento de juros da dívida. Na agenda econômica de hoje, destaque para as divulgações do IGP-M de dezembro e do resultado primário do governo central em novembro (projetamos superávit mensal de R$ 5,2 bilhões).

As bolsas internacionais amanhecem levemente positivas com EUA subindo +0,2% e Europa também +0,2%, estendendo o rali de Natal, comportamento sazonal no qual o S&P 500 registra um retorno médio de +1,7% nos últimos 5 dias do ano desde 1928. No campo da pandemia, os EUA reportaram 4,1 milhões de novas contaminações apenas neste mês, atingindo uma média de 232 mil casos diários. Em contrapartida, estudos positivos da África do Sul sugerem que pessoas infectadas com a Ômicron podem possuir uma imunidade superior à variante Delta. Na China, ambos os índices CSI 300 (-1,5%) e Hang Seng (-0,8%) encerraram em baixa, reverberando o anúncio governamental que limita a obtenção de investimentos estrangeiros por parte de empresas em indústrias sensíveis para a segurança nacional. Empresas como Meituan (-3,3%), Alibaba (-2,6%) e Tencent (-1,2%) lideraram as perdas. Por fim, o Bitcoin amanhece em campo positivo (+0,8%) após sofrer forte queda nesta terça-feira, em virtude dos contratos de opções que irão expirar ao final desta semana, totalizando um valor de US$ 6 bi, induzindo grandes movimentações no mercado, principalmente por parte dos investidores institucionais.

Na pauta ESG do Brasil, (i) a CVM fez mudanças na norma para a divulgação de dados ESG, que entrará em vigor em 2023 e fará com que as companhias abertas no país sejam mais transparentes em relação às suas práticas ESG, tendo a divulgação da diversidade nas empresas e questões climáticas como as principais novidades do documento; e (ii) apesar do barulho em torno do tema da sustentabilidade, grande parte das gestoras de recursos brasileiras engatinha quando o assunto é a análise de investimentos sob a ótica dos compromissos ESG, de acordo com uma pesquisa feita para a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima).

Tópicos do dia

Economia

  1. Dados do mercado de trabalho mostram recuperação firme do emprego na economia brasileira, mas níveis de renda ainda bastante deprimidos

Empresas

  1. Dados mensais de Crédito – Novembro 2021
  2. Vale e Anglo discutem desenvolvimento conjunto de Serpentina usando Minas-Rio
  3. MRV (MRVE3): Venda de mais um projeto (Lake Worth) da AHS por US$ 54 milhões
  4. CYRELA (CYRE3): Cyrela vende projetos para HBR Realty, atingindo R$ 284,7 milhões
  5. Principais notícias dos setores

Mercados

  1. Mudanças das nossas carteiras recomendadas para o mês de janeiro
  2. Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | O destaque das FAAMGs

ESG

  1. Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para janeiro
  2. CVM faz mudanças na norma para a divulgação de dados ESG | Café com ESG, 29/12

Veja todos os detalhes

Economia

Dados do mercado de trabalho mostram recuperação firme do emprego na economia brasileira, mas níveis de renda ainda bastante deprimidos

  • Conforme publicado ontem (28) na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Contínua (PNAD-Contínua) do IBGE, a taxa de desemprego brasileira atingiu 12,1% no trimestre móvel encerrado em outubro ante 12,6% no 3º trimestre, resultado ligeiramente melhor do que a nossa estimativa (12,2%) e o consenso de mercado (12,3%). Considerando a série com ajuste sazonal (método próprio), calculamos que a taxa de desemprego recuou de 12,5% em setembro para 12,2% em outubro. Vale lembrar que a taxa de desocupação estava ao redor de 11,5% nos meses imediatamente anteriores à pandemia. A população ocupada total apresentou o sétimo aumento consecutivo na margem, puxada tanto pelos empregos formais quanto informais. A reabertura econômica tem propiciado uma recuperação consistente – ainda que gradual – do nível de emprego doméstico. Do lado negativo, o rendimento real efetivo médio encolheu pelo quinto mês consecutivo. A inflação persistentemente alta, a ociosidade existente no mercado de trabalho e mudanças significativas na composição da população ocupada (participação crescente das categorias de emprego informal que, em média, possuem rendimentos mais baixos) são as principais razões por trás dos níveis deprimidos do rendimento médio na economia doméstica, que está cerca de 5,5% abaixo dos patamares vistos antes da crise de saúde pública. Projetamos que a taxa de desemprego nacional atingirá 11,8% ao final de 2021, na série com ajuste sazonal, após ter encerrado 2020 ao redor de 14,5%. Para o final de 2022, por sua vez, prevemos 12,4%. A nosso ver, a taxa de desocupação subirá – ainda que modestamente – no 2º semestre do próximo ano, na esteira do enfraquecimento da demanda doméstica;
  • Ainda ontem, o Banco Central do Brasil publicou a nota do mercado de crédito referente a novembro. As concessões de novos empréstimos recuaram novamente, com base nos resultados deflacionados e dessazonalizados. O crédito novo às famílias exibiu contração pelo quinto mês consecutivo, como reflexo da elevação das taxas de juros no período recente. Do lado positivo, as taxas de inadimplência, tanto para pessoas físicas quanto para pessoas jurídicas, ficaram estáveis em novembro (e próximas às mínimas históricas). Isto posto, chamamos a atenção para o patamar relativamente alto do endividamento das famílias. O ciclo de aperto monetário em curso tende a aumentar o comprometimento de renda com o pagamento de juros da dívida, podendo gerar alguma elevação nos atrasos e inadimplência em 2022. Na agenda econômica de hoje (29), destaque para as divulgações do IGP-M de dezembro e do resultado primário do governo central em novembro (projetamos superávit mensal de R$ 5,2 bilhões);
  • Enquanto isso, a agenda internacional de hoje não traz indicadores de grande destaque. Nos Estados Unidos, haverá divulgação das vendas pendentes de moradias e dos estoques no atacado/varejo referentes a novembro. Ontem, a sondagem industrial do Federal Reserve de Richmond apresentou fortalecimento da atividade manufatureira local entre novembro e dezembro. O índice geral subiu de 12 para 16 pontos no período, puxado principalmente pelo componente de novas encomendas. O componente de emprego permaneceu em território expansionista, em que pese o ritmo mais moderado de avanço. Além disso, os empresários reportaram, mais uma vez, expansão dos gastos com investimentos.

Empresas

Dados mensais de crédito – Novembro/2021

  • O Banco Central publicou ontem os dados de crédito referentes ao mês de novembro/2021. Confira abaixo os principais destaques dos dados:
    • Saldo de credito: o saldo total de crédito brasileiro aumentou 15,6% A/A e 1,8% M/M, impulsionado principalmente pelo segmento de Pessoas Físicas. No segmento de crédito PJ, o principal destaque positivo foi a linha de Cheque Especial, enquanto no segmento PF, o principal destaque positivo foi a linha de crédito do Agronegócio;
    • Concessão: a concessão de crédito aumentou 17,4% A/A e 4,5% M/M. No segmento de crédito corporativo, o principal destaque positivo foi a linha de crédito imobiliário, enquanto o destaque negativo foi a linha de Capital de Giro. No segmento de pessoas físicas, o principal destaque positivo foi a linha de crédito do agronegócio, enquanto o destaque negativo foi a linha de crédito consignado;
    • Taxa de juros: a taxa de juros de crédito do Brasil aumentou 564bps A/A e 111bps M/M. O principal destaque positivo foi a linha de cheque especial tanto para o segmento de PJ quanto para PF;
    • Inadimplência: a inadimplência de crédito total do Brasil permaneceu estável. No segmento de crédito corporativo, o principal destaque foi a inadimplência da linha de crédito de Capital de Giro. No segmento de crédito pessoa física, o principal destaque positivo foi a inadimplência da linha de cheque especial, enquanto o destaque negativo foi a linha de financiamento de automóveis.
  • Clique aqui para acessar o conteúdo completo.

Vale e Anglo discutem desenvolvimento conjunto de Serpentina usando Minas-Rio

  • A Vale divulgou nota à imprensa informando que mantém discussões preliminares (embora não exista qualquer decisão, acordo ou compromisso relativamente ao tema) manteve conversas preliminares com a Anglo American sobre a possibilidade de desenvolver, em parceria, recursos minerários do Projeto Serpentina, detidos pela Vale, visando dessa forma potencializar a infraestrutura de processamento e logística já existente nas operações de Minas-Rio e da Vale;
  • O Projeto Serpentina localiza-se nos municípios de Conceição do Mato Dentro, Santo Antônio do Rio Abaixo e Morro do Pilar, no estado de Minas Gerais, e compreende direitos minerários contíguos à operação Minas-Rio, da Anglo American;
  • Minas-Rio é uma operação de minério de ferro totalmente integrada, com uma mina no Estado de Minas Gerais, uma planta de beneficiamento e um mineroduto com 529 km que chega ao Porto do Açu, no Estado do Rio de Janeiro. O projeto ainda não atingiu sua capacidade total de produção de 26,5 milhões de t/ano. Adquirida da MMX Mineração e Metálicos SA em 2008, a Minas-Rio custou à Anglo American cerca de US$ 14 bilhões entre aquisição e investimento em obras de construção.

MRV (MRVE3): Venda de mais um projeto (Lake Worth) da AHS por US$ 54 milhões

  • A MRV divulgou fato material destacando a venda de mais um projeto da AHS nos EUA (Lake Worth), atingindo US$ 54 milhões em VGV, representando lucro bruto de US$ 27,4 milhões, implicando um atrativo cap rate de 3,5% e um yield on cost de 8,3%;
  • Dito isso, vemos o negócio como positivo devido ao (i) impacto positivo nos lucros durante o 4T21; (ii) demanda por projetos da AHS permanece sólida, com ramp-up da operação melhor do que o esperado;
  • Portanto, vemos uma possível reação positiva para as ações.

CYRELA (CYRE3): Cyrela vende projetos para HBR Realty, atingindo R$ 284,7 milhões

  • A Cyrela divulgou comunicado ao mercado, destacando a venda de 3 projetos para a HBR Realty, alcançando R$284,7 milhões em VGV;
  • Em nossa opinião, o mercado não estava considerando a venda desses projetos para este ano. Além disso, vemos o negócio como assertivo devido ao impacto positivo na velocidade de vendas, e no DRE do 4T21;
  • Por fim, reiteramos nossa visão positiva sobre CYRE3 negociando a 0,9x P/BV em 2022, o que vemos como atraente.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Crescem concessões de crédito mais caro a pessoas físicas. (Valor);
    • Criptoativos entram no radar das grandes instituições financeiras. (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Reajuste de energia pode ficar em 9% com crédito de R$ bi a elétricas. (Estadão)
    • Petróleo opera em alta diante da expectativa de que ômicron não afete demanda da commodity. (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Mercados

Mudanças das nossas carteiras recomendadas para o mês de janeiro

  • Publicamos as mudanças das nossas carteiras recomendadas para o mês de janeiro. Dado o atual cenário macroeconômico mais desafiador no Brasil, fizemos mudanças nas nossas carteiras recomendadas no sentido de torná-las menos expostas aos riscos do cenário local;
  • Na Carteira Top 10 XP, estamos realizando duas mudanças, retirando dois nomes mais expostos à esse ambiente, para dar espaço a duas ações sobre as quais temos perspectivas mais otimistas (veja link);
  • Na Carteira Top BDR XP, realizamos duas mudanças, uma para nos dar exposição à transição para veículos elétricos e outra no mercado de arquitetura e design de semicondutores (veja link);
  • Na Carteira Top Small Caps XP, realizamos uma alteração, retirando um nome do setor de Varejo, e adicionando um nome mais resiliente diante do cenário macroeconômico no Brasil (veja link);
  • E por fim, na Carteira Top Dividendos XP, não realizamos nenhuma alteração em sua composição para janeiro. (veja link).

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | O destaque das FAAMGs

  • SpaceX reporta dificuldades no desenvolvimento do seu novo foguete, Starship;
  • Ações da Google superam o desempenho das FAAMG’s em 2021;
  • Bitcoin tem seu pior desempenho mensal desde maio;
  • TSMC domina a produção dos 4 tipos de chips mais avançados do mundo;
  • Acesse aqui o relatório internacional.

ESG

Carteira ESG XP: Sem alterações no nosso portfólio para janeiro

  • Com o objetivo de ajudar os investidores no processo de alocação de recursos, lançamos em setembro/21 nossa carteira recomendada ESG, combinando 10 nomes que gostamos sob uma perspectiva fundamentalista e que possuem altos padrões ESG;
  • Para janeiro, não estamos fazendo nenhuma mudança na nossa Carteira ESG XP, por mantermos nossa visão positiva para os 10 nomes que compõem o nosso portfólio, tanto do ponto de vista fundamentalista, quanto na perspectiva ESG;
  • Clique aqui para acessar o conteúdo completo.

CVM faz mudanças na norma para a divulgação de dados ESG | Café com ESG, 29/12

  • O mercado fechou o pregão desta terça-feira em território negativo, com o Ibov e o ISE em leve queda de -0,7% e -0,2%, respectivamente;
  • No Brasil, (i) a CVM fez mudanças na norma para a divulgação de dados ESG, que entrará em vigor em 2023 e fará com que as companhias abertas no país sejam mais transparentes em relação às suas práticas ESG, tendo a divulgação da diversidade nas empresas e questões climáticas como as principais novidades do documento; e (ii) apesar do barulho em torno do tema da sustentabilidade, grande parte das gestoras de recursos brasileiras engatinha quando o assunto é a análise de investimentos sob a ótica dos compromissos ESG, de acordo com uma pesquisa feita para a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima);
  • No internacional, a China se comprometeu a cortar as emissões de carbono das fundições de alumínio e reduzir a capacidade de aço sob um plano de cinco anos que adiciona alguns detalhes sobre a iniciativa de Pequim de remodelar as indústrias pesadas, tendo como meta a redução de 5% das emissões do setor de alumínio até 2025. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.



Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.