XP Expert

Dados de atividade na China, serviços no Brasil e mais: veja o que impacta o mercado hoje

Economia chinesa e desempenho do setor de serviços no Brasil são alguns dos temas de maior destaque nesta sexta-feira, 15/09/2023

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +1,03% | 119.392 Pontos

CÂMBIO -0,85% | 4,87/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ibovespa

Após um dia marcado pela alta do preço das commodities, o Ibovespa teve alta de 1,0%, fechando o dia aos 119.392 pontos, puxado principalmente pelo desempenho de Petrobras (PETR4) e Vale (VALE3), com desempenhos de 2,5% e 4,1%, respectivamente. Além disso, a expectativa de que os ciclos de alta de juros nas economias desenvolvidas estão chegando ao fim também impulsionou o mercado.

Renda Fixa

A curva de juros futuros fechou o dia próxima à estabilidade, com leve viés de alta, em um pregão com agenda doméstica esvaziada e performances divergentes no mercado global (alta das Treasuries nos EUA e queda nas taxas dos títulos públicos europeus). Os agentes permanecem em compasso de espera acerca da decisão do Copom, prevista para a próxima quarta-feira. DI Jan/24 passou de 12,28% para 12,29%; DI Jan/25 oscilou de 10,365% para 10,39%; DI Jan/27 saiu de 10,235% para 10,24% e DI Jan/31 permaneceu em 11,11%.

Mercados globais

Nos Estados Unidos, os futuros negociam mistos nesta sexta-feira (S&P 500: 0,1%; Nasdaq 100: -0,1%), após alta no dia de ontem relacionada ao fim do “jejum” de IPOs de empresas de tecnologia. Ontem, a empresa de semicondutores Arm realizou seu IPO e teve alta de cerca de 25% em seu primeiro dia de negociação. Do lado de dados econômicos, o índice de preço ao produtor (PPI) veio acima das expectativas do mercado, mas a medida de índice (mais relevante para a política monetária) permaneceu em linha. Hoje se inicia uma greve de trabalhadores de montadoras nos Estados Unidos, que impacta plantas da GM, Ford e Stellantis.

Na Europa, os mercados sobem (Stoxx 600: 0,8%), com ganhos disseminados entre os setores. Ontem, o Banco Central Europeu (BCE) elevou a taxa básica de juros em 0,25 p.p. e sinalizou que a alta foi a última do atual ciclo de aperto monetário.

Na China, a bolsas tiveram comportamentos mistos. A Bolsa de Shangai apresentou queda (CSI 300: -0,7%), puxado para baixo pelo setor de utilities, enquanto a de Hong Kong teve alta (HSI: 0,8%) se beneficiando de dados econômicos mais fortes na China (notadamente, vendas no varejo e produção industrial). O setor imobiliário segue sob pressão: o Sino-Ocean Group suspendeu o pagamento de suas dívidas offshore. Na geopolítica, as tensões são crescentes após anúncio de sanções chinesas às empresas americanas Lockheed e Northrop por vendas de armas a Taiwan, e pedidos de senadores americanos de sanções à Huawei e SMIC.

Economia

A produção industrial da China cresceu 4,5% em agosto em relação ao ano anterior, acelerando de 3,7% de julho. As vendas no varejo também aceleraram, avançando 4,6% em agosto (2,5% em julho e 3,0% esperado), impulsionadas pela temporada de viagens de verão. Foi o crescimento mais forte desde maio. Os resultados animaram os mercados, e sugerem que a recente onda de medidas de apoio pode estar a começar a funcionar.

Numa decisão apertada, o Banco Central Europeu (BCE) aumentou as suas taxas de juros em 0,25 p.p., marcando a décima alta consecutiva das taxas. A comunicação que acompanhou a decisão sugere que o ciclo de alta terminou, apontando que os juros já estão em níveis suficientemente elevados. O comunicado oficial acrescentou, contudo, que as taxas de juros serão mantidas nos níveis atuais por “um período suficientemente longo”.

No Brasil, a receita real do setor de serviços aumentou 0,5% em julho em relação a junho, em linha com o consenso de mercado e um pouco acima da nossa estimativa de 0,3%. A principal mensagem sobre o setor de serviços é: crescimento consistente, com leve desaceleração ao longo de 2023.

Veja todos os detalhes

Economia

Dados da atividade chinesa melhores do que o esperado impulsionam o sentimento.

  • A produção industrial da China cresceu 4,5% em Agosto em relação ao ano anterior, acelerando de 3,7% de Julho. As vendas no varejo também aceleraram, avançando 4,6% em agosto (2,5% em julho e 3,0% esperado), impulsionadas pela temporada de viagens de verão. Foi o crescimento mais forte desde maio. Os resultados sugerem que a recente onda de medidas de apoio pode estar a começar a funcionar. Ontem o Banco Popular da China (banco central) de reduziu a taxa de depósitos compulsórios para bancos locais em 0,25 pp – o seu segundo corte deste tipo este ano – a fim de libertar mais liquidez para a economia e estimular o crescimento. Os bons dados chineses reduzem o risco de retomada fraca da China pós-Covid. Os mercados globais de ações e de commodities estão reagindo positivamente aos números. Os futuros do petróleo bruto dos EUA, por exemplo, sobem 0,6%, a US$ 90,72 o barril, enquanto o contrato do Brent atingiu US$ 94,22;
  • Numa decisão apertada, o Banco Central Europeu (BCE) aumentou as suas taxas de juros em 0,25pp, marcando a décima alta consecutiva das taxas. A decisão veio em linha com as nossas expectativas, embora o mercado estivessem muito divididos entre uma pausa e alta de 0,25pp. A comunicação que acompanhou a decisão sugere que o ciclo de alta terminou, apontando que os juros já estão em níveis suficientemente elevados. O comunicado oficial acrescentou, contudo, que as taxas de juros serão mantidas nos níveis atuais por “um período suficientemente longo”;
  • No calendário econômico de hoje o destaque é a produção industrial dos EUA em agosto. A previsão de consenso do mercado é de crescimento de 0,1% em relação a julho. Os números da atividade publicados ontem sugerem que a economia continua forte. As vendas no varejo aumentaram 0,6% mês a mês em agosto, mais do que o esperado (0,4%). Os pedidos iniciais de auxílio desemprego também ficaram um pouco abaixo das expectativas (220 mil vs. 225 mil), permanecendo em nível historicamente baixo. Os números alimentaram as previsões dos mercados de outra taxa de juro por parte do Fed (banco central dos EUA);
  • No Brasil, a receita real do setor de serviços aumentou 0,5% em julho em relação a junho, em linha com o consenso de mercado e um pouco acima da nossa estimativa de 0,3%. Como resultado, o setor terciário cresceu 1,1% em relação ao trimestre anterior no trimestre móvel encerrado em julho, levando a um carrego estatístico de igual magnitude para o terceiro trimestre. A principal mensagem sobre o setor de serviços é: crescimento consistente, com leve desaceleração ao longo de 2023;
  • Hoje o foco está nas vendas no varejo de julho. A previsão de mercado espera um aumento de 0,3% mês após mês.

Empresas

Açúcar e Etanol: A tentativa do Brasil de liderar a transição energética – Programa Combustível do Futuro

  • O Ministério de Minas e Energia pretende acelerar medidas de transição energética no setor de combustíveis, e o projeto segue para o Congresso. A proposta poderia ser dividida em 6: 2 novos programas, 1 mudança de política e 3 regulamentos. O destaque é a mudança na política de etanol na mistura de gasolina, que esperamos aumentar a demanda por etanol em 4,5%;
  • Os novos programas procuram fomentar combustíveis de aviação sustentáveis ​​(SAF) e diesel verde, mas podem criar escassez de matérias-primas, utilizando as mesmas matérias-primas que o biodiesel, vítima de intervenção governamental no passado. Além disso, a mais recente tecnologia de diesel verde é mais amplamente aceita entre os fabricantes de motores, mas poderia criar atrito com o parque industrial de biodiesel instalado;
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Carrefour (CRFB3): Ainda não parece barato; Varejo e Banco Carrefour ofuscando o brilho do Atacarejo

  • O Carrefour vem consistentemente performando abaixo de seus pares, tanto em termos de resultados como de performance das ações, com a companhia enfrentando um processo de integração mais difícil que o esperado com o Grupo BIG. Com isso, os investidores parecem ter passado a não acompanhar o papel, tendo um com interesse bem reduzido na tese;
  • Nesse relatório, analisamos o que está precificado nos níveis atuais de valuation, enquanto aproveitamos para atualizar nossas estimativas e atualizar o nosso preço-alvo para a data-base de fim de 2024, agora em R$14,0/ação;
  • Mantemos nosso Neutro, uma vez que esperamos um curto prazo ainda pressionado e ofuscado pelo processo de integração do Grupo BIG, enquanto o valuation não parece tão atrativo, com a ação negociando a um prêmio (em 11x P/L 2024) para os nossas preferências no setor (ASAI/GMAT);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Principais notícias dos setores

Nestas publicações diárias, trazemos as principais notícias nacionais e internacionais dos setores: Financeiro, Varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.), Agro, Alimentos e Bebidas e Energia (óleo & gás e elétricas).

  • Notícias Diárias do Setor Financeiro
    • Fintech UP Vendas capta R$ 6 milhões na primeira tokenização de recebíveis de cartão (Valor);
    • Estrangeiros sacam R$ 161 milhões da Bolsa em 12 de setembro (Valor);
    • Itaúsa vende 3,1 milhões de ações Classe A da XP por R$ 390 milhões (Valor);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Tech XP: Notícias diárias do setor de Telecom e Tecnologia
    • Novo espectro para 6G e 5G deve ser planejado pelo Brasil agora (TELETIME);
    • “Vai sobrar muito dinheiro da migração [da TVRO]”, prevê Moisés Moreira (telesintese);
    • Arm deve levantar US$ 5 bilhões no maior IPO de 2023 (telesintese);
    • Relatório sobre fair share da UE sugere pagamento de big techs pelo uso da rede (mobiletime);
    • Clique Aqui para acessar o relatório.
  • Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo
    • Shein é certificada no Remessa Conforme, e compras de até US$ 50 passam a ter isenção de imposto (Valor);
    • Nova fase do Desenrola Brasil vai ajudar a destravar consumo no país (O Globo);
    • Varejo farmacêutico brasileiro deve movimentar até R$ 209 bi (Panorama Farmacêutico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Agro, Alimentos & Bebidas: confira as principais notícias
    • Bebidas
      • TST condena Ambev por assédio moral estrutural (Valor);
    • Alimentos
      • Custo de produção de frangos e suínos caiu em agosto, aponta Embrapa (GloboRural);
      • Pintos de corte abrem 2º semestre com a segunda menor produção diária dos últimos 12 meses (AviSite);
    • Agro
      • India tightens wheat stocks limits, no plan to axe import tax (Reuters);
      • Governo lança ‘Combustível do Futuro’ após superar divergências internas sobre programa (GloboRural);
    • Clique aqui para acessar o relatório completo.
  • Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
    • Petrobras assina acordo com TotalEnergies e Casa dos Ventos para estudos em energias renováveis (Valor Econômico);
    • AES Brasil inicia operação para vender ações detidas em tesouraria (Valor Econômico);
    • Alupar obtém autorização para operação comercial do parque eólico AW Santa Régia (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.
  • Combustível XP: As principais notícias que movem o setor de Óleo & Gás
    • Investimento em Abreu e Lima vai duplicar a capacidade da refinaria, diz CEO da Petrobras (Valor Econômico);
    • Petrobras negocia parceria com a 3R no Polo Potiguar (Petróleo Hoje);
    • Petrobras assina acordo com TotalEnergies e Casa dos Ventos para estudos em energias renováveis (Valor Econômico);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

Estratégia

Fluxo estrangeiro negativo em agosto; investidores locais foram compradores – Fluxo em foco

  • Em agosto, os mercados tiveram uma maior volatilidade devido a um aumento nas taxas de juros globais. Especificamente, a taxa do Tesouro de 10 anos americano subiu 20pps, atingindo notáveis 4,34%, um nível não visto desde 2007. Essa elevação nas taxas teve um impacto direto em diversos ativos de risco globais, com o Brasil não sendo exceção;
  • Consequentemente, diante do atual cenário macroeconômico, os investidores estrangeiros foram vendedores líquidos em agosto, com um total de R$ 10,4bi de vendas líquidas. Em contrapartida, investidores institucionais e PFs se destacaram como compradores líquidos, com R$ 5,4 bi e R$ 4,6 bi, respectivamente, durante o mesmo período;
  • Os fundos de ações apresentaram uma tendência mais leve de saída de recursos, enquanto os fundos multimercado se recuperaram após dois meses consecutivos de saídas;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Renda fixa

De Olho na Renda Fixa: principais notícias de crédito privado, mercados e renda fixa

  • China: BC reduz taxa de juros de curto prazo de 2,15% para 1,95% (Valor);
  • BCE eleva juros ao maior nível da história e sinaliza fim de ciclo (Valor);
  • Governo lança ‘Combustível do Futuro’ após superar divergências internas sobre programa (Globo Rural);
  • Minerva faz oferta adicional de US$ 100 milhões em títulos de dívida no exterior (Valor);
  • Fitch Afirma Rating ‘AAA(bra)’ da M. Dias Branco; Perspectiva Estável (Fitch);
  • Clique aqui para acessar o relatório completo.

Alocação & Fundos

Principais notícias

  • Fundos Imobiliários (FIIs): confira as principais notícias
    • Fundos imobiliários de logística: Shein, Shopee e AliExpress podem deixar o que está bom ainda melhor (Money Times);
    • FAMB11B consegue nova locação, mas vacância ainda fica perto de 90%; Ifix fecha estável (InfoMoney);
    • Dividendo de fundo imobiliário aumenta perdas com atraso de aluguel; HCTR11 já tomba 35% na semana (Money Times);
    • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Governo avança com o PL ‘Combustível do Futuro’ | Café com ESG, 15/09

  • O mercado encerrou o pregão de quinta-feira em território misto, com o IBOV registrando alta de +1,02%, enquanto o ISE andou de lado (+0,09%);
  • Do lado das empresas, a Petrobras assinou um memorando de entendimento não vinculante com TotalEnergies e Casa dos Ventos para avaliar projetos em energias renováveis no Brasil por dois anos – o objetivo do acordo é desenvolver estudos conjuntos para estudar oportunidades de negócios em eólica “onshore” (em terra) e “offshore” (no mar), solar e hidrogênio de baixo carbono no país, utilizando os expertises de cada empresa;
  • Na política, (i) após três meses de negociação conduzida pela Casa Civil, o governo encerrou as discussões internas sobre o texto do projeto de lei (PL) do programa “Combustível do Futuro” e encaminhou a proposta ao Congresso Nacional – a ideia é que o PL torne os meios de transporte no país, especialmente o rodoviário e aéreo, mais sustentáveis do ponto de vista ambiental, integrando os compromissos de descarbonização dos programas RenovaBio e Rota 2030; e (ii) o ministro da Fazenda, Fernando Haddad viaja no fim de semana a Nova York, onde apresentará para investidores as linhas gerais do ‘Plano de Transição Ecológica’, que inclui seis eixos e mais de cem ações – o primeiro compromisso do ministro será um painel na próxima segunda-feira, em evento da Confederação Nacional da Indústria (CNI) na bolsa de valores de Nova York;
  • Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG. 

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.