Bolsa cai com preocupações com a Evergrande e desaceleração econômica chinesa

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Clique para ouvir

IBOVESPA -1,1% | 113.794 Pontos

CÂMBIO +0,6% | 5,25/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou em queda de -1,10% nesta quinta-feira (16), aos 113.794 pontos, enquanto o dólar subiu +0,59% a R$ 5,25. A Bolsa foi pressionada por ações ligadas a commodities, principalmente o minério de ferro que caiu -8,0% para US$ 107 a tonelada, e acumula queda de -30% no mês. O preço da commodity tem sido afetado por restrições de produção de aço na China e temores em relação a à dívida da imobiliária chinesa Evergrande. Preocupações  com um potencial calote e seu impacto na economia chinesa levaram à queda de ações como VALE3 (-4,2%), CSNA3 (-6,2%), GGBR4 (-3,4%) e SUSZB3 (-5,7%). No mercado de juros, dado o compasso de espera quanto a evolução das reformas pendentes e a questão dos precatórios, além da decisão da Selic pelo Banco Central na próxima semana, as taxas futuras de juros encerraram a sessão de ontem em relativa estabilidade frente ao ajuste anterior. DI jan/22 fechou em 7,035%; DI jan/24 foi para 9,725%; DI jan/26 encerrou em 10,26%; e DI jan/28 fechou em 10,64%.

Hoje, as Bolsas internacionais amanhecem levemente negativas (EUA -0,2% e Europa-0,1%) enquanto investidores digerem dados econômicos mistos divulgados ontem, com vendas do varejo nos EUA mais fortes que o esperado (+0,7% vs. -0,8% do consenso), indicando que a demanda doméstica continua sólida, e um salto nos pedidos de seguro desemprego no país (332 mil vs. 320 mil do consenso). Na China (+1,0%) o mercado devolveu parte das perdas, mas segue negativo em -2% na semana ao passo que preocupações com a desaceleração do crescimento econômico e os problemas de crédito no setor imobiliário se estendem. O petróleo(-0,7%) amanhece em leve queda na medida em que a produção no Golfo do México é retomada, atualmente cerca de 72% da produção está em funcionamento.

Na política internacional, em meio a desafios nas negociações entre as diferentes alas do partido democrata sobre o Plano das Famílias Americanas, o presidente dos EUA, Joe Biden, tem assumido um papel mais ativo nas conversas. Nesta quinta-feira, conversou com os presidentes do Congresso, Nancy Pelosi e Chuck Schumer, para alinhar estratégias. E na quarta-feira, se reuniu com dois senadores moderados, Joe Manchin e Kyrsten Sinema, cujo voto é essencial na Casa. Vale lembrar que a Câmara retoma atividades no dia 23 de setembro e tem como compromisso a aprovação tanto da resolução orçamentária do Plano das Famílias Americanas, quanto o Pacote de Infraestrutura. As negociações não serão fáceis diante das divisões internas do partido e se esperam dias ruidosos a frente na Casa. 

Em economia internacional, foi publicada hoje a leitura final da inflação ao consumidor na Zona do Euro, que subiu 3% em agosto, o maior patamar desde novembro de 2011. Na China, o governo injetou USD 14 bilhões de liquidez no sistema financeiro com o objetivo de acalmar os ânimos em meio a receios de que a situação da incorporadora Evergrande gere amplo contágio no mercado de dívida.

No Brasil, destaque para o decreto presidencial que elevou a alíquota do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) sobre as operações de crédito para as pessoas físicas e jurídicas, com o intuito de cobrir as despesas com o novo programa Bolsa Família (Auxílio Brasil) até o final deste ano. Segundo o governo, a mudança vigorará entre a próxima segunda-feira (20/09) e 31 de dezembro, e permitirá arrecadação adicional de R$ 2,14 bilhões no período. A instituição do Auxílio Brasil acarretará acréscimo na despesa obrigatória de R$ 1,62 bilhão neste ano, também conforme nota do Ministério da Economia. Para 2022, por sua vez, a intenção original é financiar o programa de transferências de renda com a tributação sobre lucros e dividendos, proposta que tramita no Senado e enfrenta muitas resistências.

Na agenda de hoje, o destaque será a divulgação do índice de confiança do consumidor da Universidade de Michigan dos EUA relativo a setembro. No Brasil, a agenda de indicadores econômicos está relativamente vazia. Por último, essa sexta será marcada pelo o vencimento de opções de ações, o que pode trazer mais volatilidade no mercado.

Tópicos do dia

Economia

  1. Atividade econômica dos EUA mostra resistência a despeito das preocupações com a variante Delta; no Brasil, decreto presidencial eleva alíquota do IOF para financiar o novo programa Bolsa Família

Política

  1. Em meio a desafios nas negociações entre as diferentes alas do partido democrata sobre o Plano das Famílias Americanas, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, tem assumido um papel mais ativo nas conversas

Empresas

  1. Vale (VALE3): Anúncio de dividendos de R$8,10 por ação
  2. Notícias Diárias do Setor Financeiro
  3. Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia
  4. Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

Internacional

  1. Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Aumenta o risco na China

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 17/09

Veja todos os detalhes

Economia

Atividade econômica dos EUA mostra resistência a despeito das preocupações com a variante Delta; no Brasil, decreto presidencial eleva alíquota do IOF para financiar o novo programa Bolsa Família

  • As vendas no varejo dos Estados Unidos cresceram 0,7% entre julho e agosto, muito acima das expectativas do mercado (-0,8%), em que pese o efeito de revisões baixistas sobre os resultados anteriores. As vendas do grupo de controle do varejo (excluem serviços de alimentação, automóveis, gás e materiais de construção) também vieram significativamente acima das projeções (elevação de 2,5% ante expectativa de recuo de 0,5%). Os gastos dos consumidores expandiram em 9 das 13 categorias em agosto, frente à elevação em 5 das 13 categorias em julho. Os principais destaques positivos foram as atividades de varejo online, móveis e lojas de alimentos. Por outro lado, as maiores quedas foram registradas nos grupos de veículos automotores (vale mencionar a falta de matérias-primas), eletrônicos e eletrodomésticos. Em geral, o consumo das famílias americanas continua a avançar, apesar das maiores preocupações com a disseminação da variante Delta do coronavírus e da diluição dos efeitos dos estímulos fiscais na economia. Com os dados de agosto, as vendas do varejo estão cerca de 18% acima dos níveis pré-pandemia (fev/20);
  • Ainda no campo positivo, o índice de atividade da sondagem industrial do Fed da Filadélfia subiu de 19,4 pontos em agosto para 30,7 pontos em setembro, resultado muito superior à estimativa de mercado de 18,9 pontos. De acordo com a instituição, as empresas mantiveram-se geralmente otimistas quanto ao crescimento econômico nos próximos seis meses, embora o componente de difusão da atividade futura tenha desacelerado na comparação mensal. Conforme temos argumentado, a demanda doméstica nos Estados Unidos permanece sólida, mas os problemas nas cadeias de suprimentos têm limitado a capacidade da indústria de atender às encomendas. Enquanto isso, os novos pedidos de auxílio-desemprego aumentaram ligeiramente na semana passada (de 312.000 na semana anterior para 332.000), principalmente devido aos efeitos do furacão Ida; ainda assim, os pedidos continuam próximos ao patamar mínimo desde e eclosão da pandemia, reforçando o quadro de recuperação do mercado de trabalho americano. Tendo em vista esta retomada, acreditamos que o Federal Reserve iniciará o processo de tapering (redução gradual das compras de ativos) em dezembro;
  • Já publicado nesta manhã, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro subiu 0,4% em agosto ante julho, segundo revisão divulgada hoje pela agência de estatísticas da União Europeia, que confirmou a leitura preliminar e ficou em linha com estimativas do mercado. O índice teve elevação de 3,0% em 12 meses (de 2,2% em julho), o maior patamar desde novembro de 2011. Por sua vez, a medida de núcleo da inflação (exclui preços de energia e alimentos) exibiu alta mensal de 0,3% em agosto e 1,6% em 12 meses, também confirmando a primeira leitura. Ainda na agenda econômica de hoje, destaque para a publicação do índice de confiança do consumidor da Universidade de Michigan relativo a setembro (consenso: 72,0; anterior: 70,3);
  • No Brasil, a agenda de indicadores econômicos está relativamente vazia. Vale mencionar a publicação do Monitor do PIB da FGV relativo a julho. De fato, na cena doméstica, destaque para o decreto presidencial que elevou a alíquota do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) sobre as operações de crédito para as pessoas físicas e jurídicas, com o intuito de cobrir as despesas com o novo programa Bolsa Família (Auxílio Brasil) até o final deste ano. Segundo o governo, a mudança vigorará entre a próxima segunda-feira (20/09) e 31 de dezembro, e permitirá arrecadação adicional de R$ 2,14 bilhões no período. A instituição do Auxílio Brasil acarretará acréscimo na despesa obrigatória de R$ 1,62 bilhão neste ano, também conforme nota do Ministério da Economia. Para 2022, por sua vez, a intenção é financiar o programa de transferências de renda com a tributação sobre lucros e dividendos, proposta que tramita no Senado e enfrenta muitas resistências.

Política

Em meio a desafios nas negociações entre as diferentes alas do partido democrata sobre o Plano das Famílias Americanas, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, tem assumido um papel mais ativo nas conversas

  • Em meio a desafios nas negociações entre as diferentes alas do partido democrata sobre o Plano das Famílias Americanas, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, tem assumido um papel mais ativo nas conversas. Nesta quinta-feira, com os presidentes do Congresso, Nancy Pelosi e Chuck Schumer, para alinhar estratégias. E na quarta-feira, se reuniu com dois senadores moderados, Joe Manchin e Kyrsten Sinema, cujo voto é essencial na Casa;
  • Vale lembrar que a Câmara retoma atividades no dia 23 de setembro e tem como compromisso a aprovação tanto da resolução orçamentária do Plano das Famílias Americanas, quanto o Pacote de Infraestrutura. As negociações não serão fáceis diante das divisões internas do partido e se esperam dias ruidosos a frente na Casa. 

Empresas

Vale (VALE3): Anúncio de dividendos de R$8,10 por ação

  • Em Fato Relevante publicado ontem (16), a Vale informou que aprovou a distribuição de dividendos aos acionistas referentes ao primeiro semestre de 2021. O valor a ser distribuído será de R$40,2 bilhões, equivalente a R$8,1083 por ação (9,2% de dividend yield). O pagamento ocorrerá em 30 de setembro de 2021;
  • Além disso, a Vale também anunciou o cancelamento de mais de 152 milhões de ações em tesouraria, adquiridas em programas de recompra, sem redução do capital social. Dessa forma, a Vale passa a ter 5,13 bilhões de papéis ordinários e 12 ações preferenciais de classe especial;
  • Vemos o comunicado como positivo para Vale. Ainda que a distribuição de dividendos fosse esperada pelo mercado, o montante foi um pouco acima das nossas estimativas. Em 2021, a distribuição acumulada de dividendos pagos irá montar a US$ 13,8 bilhões;
  • Reiteramos a nossa recomendação de Compra (preço-alvo de R$122/ação) com base na combinação de forte geração de caixa e valuation atrativo, mesmo num cenário de realização nas cotações do minério de ferro.

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Radar Energia XP: Notícias diárias do setor de energia

  • Nesta nota diária, compilamos as principais notícias do setor de energia (óleo & gás e elétricas) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre os principais acontecimentos do dia. Além disso, no relatório você encontra o link para nossos últimos relatórios publicados dos setores.
  • Clique aqui para acessar o relatório.  

Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

  • Nesta publicação diária, trazemos as principais notícias do setor de varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre as tendências e acontecimentos mais importantes do dia. Além disso, o relatório contém um resumo dos múltiplos e recomendações para as empresas de nossa cobertura;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Internacional

Radar Global: Análises das principais empresas e tendências sob o nosso Radar | Aumenta o risco na China

  • Oracle reporta receitas abaixo do esperado e ações da companhia encerram o dia no negativo;
  • O caso da Evergrande na China e suas potenciais consequências para os investidores;
  • Microsoft anunciou plano de recompra de ações de US$ 60bi;
  • De acordo com monitoramento do J.P. Morgan, casos do Coronavírus sofrem desaceleração global.
  • Acesse aqui o relatório internacional.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 17/09

  • O mercado continuou operando em território negativo, com o Ibov recuando -1,1% e o ISE -0,8% no pregão de quinta-feira;
  • No Brasil, a BRF e a holding Pontoon anunciaram ontem uma parceria para a construção de um parque de energia solar nos municípios de Mauriti e Milagres, no Ceará, que terá capacidade instalada de 320 megawatts pico (MWp) e geração média de 800 MW a ser comercializada nos próximos 15 anos, com investimento de R$1,1bn;
  • No internacional, (i) o interesse nas compensações de carbono está acelerando, frente à luta das organizações para cumprir as metas de mudança climática, com o comércio de créditos de carbono advindos de projetos de energia renovável chegando a 80mn de unidades entre janeiro e agosto deste ano, depois de quase dobrar para 80,3mn em 2020; e (ii) o presidente Joe Biden se reunirá com líderes mundiais hoje para uma discussão sobre a intensificação dos esforços no combate à mudança climática, buscando criar impulso internacional sobre o aquecimento global antes da conferência climática COP26 da ONU, em Glasgow, em novembro. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.