XP Expert

Ambiente político pesa e Ibovespa não consegue acompanhar o otimismo das bolsas americanas

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,4% | 126.802 Pontos

CÂMBIO 0,3% | 4,97/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou em queda (-0,41%) na quarta-feira (30), mas encerrou o primeiro semestre de 2021 com uma alta acumulada de 6,54%, enquanto o dólar caiu 4,16% no mesmo período. O que movimentou o mercado ontem, foram a repercussão de indicadores de emprego aqui e nos Estados Unidos e o noticiário político, com a informação de que o representante de uma empresa vendedora de vacinas teria recebido o pedido de propina de US$ 1 por vacina de um funcionário do Ministério da Saúde.

As taxas futuras de juros fecharam o dia de ontem em alta, refletindo a percepção de maior risco político e os receios em relação à variante delta da covid-19 sobre a economia global, o que prejudica ativos emergentes. DI jan/22 fechou em 5,385%; DI jan/24 encerrou em 7,595%; DI jan/26 foi para 8,225%; e DI jan/28 fechou em 8,49%.

Nesta manhã, mercados globais amanhecem levemente positivos (EUA+0,1% e Europa +0,4%) enquanto investidores aguardam dados do auxílio desemprego e atividade industrial americanos, indicando se a retomada econômica permanece forte. O S&P fechou ontem em alta histórica pela 34ª vez no ano. O petróleo sobe +1,2% em antecipação da reunião entre membros do OPEC+, que determinará a produção futura da commodity.

Nos Estados Unidos, indicadores de atividade econômica apontam para crescimento sólido no segundo trimestre. Os dados de criação de vagas no setor privado superaram as projeções do mercado, aumentando as expectativas para o Relatório de Emprego (Nonfarm Payroll) a ser divulgado amanhã. Na Europa, há sinais adicionais de aceleração da recuperação econômica, com melhora expressiva dos índices de confiança e recuo da taxa de desemprego. Por sua vez, a atividade industrial da China mostra arrefecimento no período recente. Destaque ainda para a reunião ministerial da OPEP+ (Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados), na qual são aguardadas novas decisões sobre a produção da commodity, cujos preços fecharam em forte elevação ontem.  

Em relação ao Brasil, a taxa de desemprego permaneceu ao redor de 14% em abril, já que o crescimento do contingente de pessoas em busca de emprego superou o aumento da população ocupada no período. Acreditamos em recuperação gradual dos principais indicadores do mercado de trabalho brasileiro nos próximos meses. Neste sentido, o relatório do CAGED (na agenda econômica de hoje) deve mostrar sólida criação líquida de empregos formais em maio. No lado fiscal, o resultado primário do setor público voltou a surpreender positivamente, e as projeções para a dívida pública no final deste ano têm viés de baixa, podendo ficar ainda mais próximas a 80% do PIB. Por fim, publicamos nesta manhã um relatório sobre a provável expansão do “Bolsa Família”, abordando tópicos como a adequação dos novos gastos às regras fiscais vigentes, impacto potencial na atividade econômica e pertinência do programa.

Do lado político, o clima deve continuar contaminado pelas suspeitas envolvendo as negociações para compra de vacina contra o coronavírus. A CPI da Pandemia toma hoje o depoimento de Luiz Paulo Dominguetti, que acusou o ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde Roberto Dias de ter cobrado propina de US$ 1 por dose de vacina para concluir a compra de 400 milhões de doses que o vendedor dizia negociar. A comissão marcou depoimentos do deputado Luís Miranda e do líder Ricardo Barros para a próxima semana, estendendo o clima de tensionamento na política.

Tópicos do dia

Acesse aqui o relatório internacional

Economia

  1. Mercado de trabalho em destaque (no Brasil e no mundo)

Política

  1. Política internacional: Casa Branca busca apoio por pacote de infraestrutura
  2. CPI ouve hoje vendedor que acusou integrante do ministério da Saúde de pedir propina para comprar vacina
  3. Senado tem programa de refinanciamento de dívidas na pauta

Empresas

  1. Raio-XP da Bolsa: Liderança em transição
  2. Usiminas (USIM5): Impacto positivo de R$ 1,5 bilhão no EBITDA com exclusão de ICMS
  3. Ânima (ANIM3): Mais um passo para a desalavancagem
  4. G2D (G2DI33): Softbank faz aporte no Mercado Bitcoin
  5. Hapvida (HAPV3): Juros sobre capital próprio
  6. Notícias Diárias do Setor Financeiro
  7. Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 01/07


Veja todos os detalhes

Economia

Mercado de trabalho em destaque (no Brasil e no mundo)

  • O relatório de criação de vagas no setor privado dos Estados Unidos (ADP) apresentou resultados acima das expectativas em junho, com 692 mil postos gerados (o consenso de mercado apontava para 600 mil empregos). Os números de maio foram revisados para baixo, de 978 mil para 886 mil. De acordo com o time de estratégia macro global da XP, os resultados do ADP estão em linha com a expectativa de que o Relatório de Emprego (Nonfarm Payroll) – destaque da agenda semanal, a ser divulgado amanhã – mostre criação de 805 mil vagas na economia americana em junho;
  • O índice de vendas pendentes de moradias nos Estados Unidos, também publicado ontem, registrou forte elevação de 8% entre abril e maio, surpreendendo bastante as expectativas do mercado, que indicavam queda mensal de 0,8%. Os contratos residenciais pendentes são considerados um bom indicador antecedente do mercado imobiliário americano, pois se traduzem em vendas um ou dois meses depois. Por sua vez,  o Índice de Gerentes de Compras (PMI) de Chicago recuou de 75,2 pontos em maio para 66,1 pontos em junho, o número mais baixo desde fevereiro (o consenso de mercado estava em 70). Vale ressaltar, entretanto, que a divulgação anterior do indicador havia mostrado o patamar mais elevado em quase 50 anos. O PMI de Chicago é o último dos índices regionais de atividade manufatureira antes da publicação (programada para hoje) das estatísticas nacionais do ISM industrial de junho;
  • Ainda na agenda econômica internacional de hoje, destacamos a publicação de outros indicadores importantes da economia americana: gastos com construção em maio; leitura final do PMI Industrial (Markit) de junho; e pedidos semanais de seguro-desemprego. Já publicado nesta manhã, o PMI Industrial (Markit) da zona do euro subiu de 63,1 pontos em maio para 63,4 pontos em junho (consenso: 63,1), atingindo recorde pelo quarto mês consecutivo, um sinal adicional da recuperação sólida da economia da região. Na mesma linha, a taxa de desemprego da zona do euro declinou de 8,1% em abril para 7,9% em maio, segundo dados com ajustes sazonais divulgados pela Eurostat hoje cedo (agência oficial de estatísticas da União Europeia). O resultado veio um pouco melhor do que os analistas esperavam (taxa de desocupação de 8%). Também publicadas nesta manhã, as vendas no varejo da Alemanha cresceram 4,2% entre abril e maio, acima da mediana das projeções do mercado (4,0%). Por fim, o PMI Industrial da China recuou de 52 pontos em maio para 51,3 pontos em junho, menor valor em três meses, o que corrobora o quadro de desaceleração da atividade econômica chinesa no período recente;
  • Segundo dados divulgados ontem pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/IBGE), a taxa de desemprego brasileira atingiu 14,7% no trimestre encerrado em abril, exatamente em linha com nossa expectativa e a mediana das projeções do mercado. Descontadas as influências sazonais (nossa forma preferida de avaliar o indicador), estimamos que a taxa de desocupação subiu de 13,8% no 1º trimestre para 14,1% no trimestre móvel até abril. Acreditamos que os indicadores do mercado de trabalho acompanhados pela PNAD exibirão recuperação gradual nos próximos meses. O aumento da mobilidade, a melhora da confiança dos empresários e as perspectivas mais favoráveis para o setor de serviços (intensivo em mão de obra) no 2º semestre são os principais fatores explicativos deste cenário. Projetamos que a taxa de desemprego atingirá 13,0% ao final de 2021;
  • Do lado fiscal, o setor público consolidado registrou déficit primário de R$ 15,5 bilhões em maio, levando o acumulado em 12 meses para 5,4% do PIB (de 7,8% em abril). O resultado veio um pouco acima das estimativas (R$ -18,5 bilhões), especialmente devido ao desempenho robusto dos governos regionais. No acumulado deste ano, o setor público mostra superávit primário de 1,8% do PIB, que tem contribuído para a queda da dívida bruta como proporção do PIB (84,5% em maio). Atribuímos um viés baixista à nossa projeção de 82,2% para a razão entre dívida bruta do governo geral e PIB no final de 2021;
  • No calendário de indicadores econômicos, destacamos hoje a publicação do relatório do CAGED referente maio (10h30) e da balança comercial de junho (15h00). Em relação ao primeiro, esperamos criação líquida de 160 mil empregos formais (consenso de mercado ao redor de 150 mil);
  • Por fim, publicamos nesta manhã um relatório sobre a provável expansão do “Bolsa Família”, com ampliação do total de famílias contempladas e valor mais alto para o benefício mensal (Novo Bolsa Família: Cabe no arcabouço fiscal atual (teto, LRF)? Qual o impacto na economia?). Abordamos tópicos como a adequação dos novos gastos às regras fiscais vigentes, o impacto potencial na atividade econômica e a pertinência do programa. Julgamos que o programa de transferência de renda representa um “bom gasto”, haja vista sua efetividade para a redução de dois dos principais problemas econômicos brasileiros: a má distribuição de renda e a extrema pobreza. Isso torna-se particularmente importante no cenário pós-pandemia. Além disso, se aprovado nos moldes sinalizados recentemente (e respeitando as regras fiscais vigentes), estimamos um impacto de até 0,15 ponto percentual no crescimento real do PIB de 2022.

Política

Política internacional: Casa Branca busca apoio por pacote de infraestrutura

  • Joe Biden continua buscando apoio pelo seu pacote pacote de infraestrutura, cujo futuro esta em cheque no Congresso. Reutilizando estratégia utilizada para aprovar o pacote de estímulo,  a Casa Branca procura juntar apoio pelo projeto com apelo direto ao público em distritos republicanos;
  • Na seara diplomática, o centenário da fundação do Partido Comunista chinês coloca as tensões entre as maiores economias do mundo sob os holofotes. Xi Jinping comemorou o evento nesta quinta-feira com um discurso nacionalista. Apesar de não apresentar novas iniciativas ou cronogramas para os objetivos políticos, alertou contra violações da soberania chinesa, reiterando mensagem enviada a poderes ocidentais;
  • Em paralelo, parlamentares democratas e republicanos expressaram sua preocupação pela linha dura da China em Hong Kong e pediram que o presidente coordene uma estratégia com aliados para garantir que autoridades do país sejam responsabilizadas.

CPI ouve hoje vendedor que acusou integrante do ministério da Saúde de pedir propina para comprar vacina

  • O clima político desta quinta-feira deve continuar contaminado pelas suspeitas envolvendo as negociações para compra de vacina contra o coronavírus. A CPI da Pandemia toma hoje o depoimento de Luiz Paulo Dominguetti, que acusou o ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde Roberto Dias de ter cobrado propina de US$ 1 por dose de vacina para concluir a compra de 400 milhões de doses que o vendedor dizia negociar. A comissão marcou depoimentos do deputado Luís Miranda e do líder Ricardo Barros para a próxima semana, estendendo o clima de tensionamento na política.

Senado tem programa de refinanciamento de dívidas na pauta

  • O Senado tem na pauta desta quinta-feira dois projetos de lei que criam regras para um programa de refinanciamento de dívidas. Ainda há discussões com o time econômico sobre o formato final do texto e os pareceres ainda não foram apresentados pelo líder do governo, Fernando Bezerra Coelho.

Empresas

Raio-XP da Bolsa: Liderança em transição

  • Em junho, a Bolsa brasileira continuou a se recuperar, atingindo máximas históricas no começo do mês reagindo a dados econômicos melhores do que esperado. Mas no Brasil, temos sempre mais emoção, as ações voltaram cair novamente após a divulgação da 2a fase da reforma tributária, que propôs ajustes no imposto de renda para Pessoas Física, Pessoa Jurídica e investimentos;
  • Nesse Raio XP de julho, falamos sobre as constantes e rápidas rotações que estão acontecendo nos mercados entre setores: valor e crescimento, defensivos e cíclicos, large caps e small caps;
  • Rotação entre valor e crescimento: Em 2021, com a reabertura econômica global, as ações mais cíclicas e consideradas “de valor” por negociarem à múltiplos menores finalmente começaram a parecer mais atrativas aos investidores e ter uma performance melhor, na medida em que o mercado ficou mais animado com a aceleração da vacinação no mundo e o forte crescimento econômico esperado. Nas últimas semanas, porém, o movimento começou a perder um pouco de força, desde que o Federal Reserve adotou uma postura mais dura em relação aos juros nos EUA, e com a aceleração de casos da COVID-19, por conta da variante Delta. Seguimos otimistas com as commodities, mas é importante ficar de olho nesse tema valor vs. crescimento;
  • Rotação para temas de reabertura: Com perspectivas melhorando para o restante do ano, estamos construtivos em relação aos nomes ligados à recuperação econômica. Setores como o financeiro, shoppings, educação e varejo físico devem se beneficiar. Trazemos uma lista de ações que continuam atrativas e que podem ver um bom desempenho com essa rotação em direção à temas de reabertura, caso o tema siga ganhando tração;
  • Rotação entre large caps e small caps: Estamos vendo também uma rotação de ações de large cap para small caps acontecer. No ano, as small caps têm tido uma performance melhor que o Ibovespa;
  • Para o mês de julho, estamos fazendo alterações em todas as carteiras e mantendo o target do Ibovespa. Clique aqui para acessar o relatório completo.

Usiminas (USIM5): Impacto positivo de R$ 1,5 bilhão no EBITDA com exclusão de ICMS

  • Em Fato Relevante publicado ontem (30), a Usiminas anunciou que a exclusão da base do ICMS do cálculo do PIS e da COFINS, decidida pelo Supremo Tribunal Federal em maio, irá gerar impacto positivo em seu resultado consolidado de, aproximadamente, R$ 2,4 bilhões, antes dos efeitos fiscais;
  • Segundo a companhia, essa quantia terá um efeito positivo de R$ 1,5 bilhão no EBITDA que deverá ser reconhecido nas informações trimestrais da companhia;
  • Apesar de provavelmente precificado pelo mercado, esperamos uma reação positiva. Mantemos nossa recomendação neutra, na medida em que não vemos muito espaço para mais aumentos de preços no curto prazo.

Ânima (ANIM3): Mais um passo para a desalavancagem

  • A Ânima anunciou um acordo de sale and leaseback com a Vinci Real Estate referente a dois campi localizados no Rio Grande do Sul por R$171,4M;
  • O contrato de locação tem cap rate de 7,5% e prazo de 15 anos;
  • Em poucos dias a Ânima reduziu sua alavancagem em mais de R$200M (considerando também a venda de sua operação de ensino básico à Bahema), o que a nosso ver é positivo para a empresa;
  • Agora, estimamos uma relação dívida líquida/EBITDA para o final de 2021 de 2,5x em comparação a estimativa anterior de 2,7x;
  • Reiteramos nossa recomendação de Compra para ANIM3 e o preço alvo de R$15/ação.

G2D (G2DI33): Softbank faz aporte no Mercado Bitcoin

  • De acordo com a mídia, a Softbank realizou um aporte de US$200 milhões na holding detentora do Mercado Bitcoin, avaliando a empresa em US$2,1 bilhões;
  • O aporte deverá ser utilizado principalmente para a aceleração do crescimento da companhia, podendo ser utilizado para ampliar equipe e estrutura, internacionalizar a operação expandir os negócios para outras atividades;
  • Lembramos que durante a última rodada de investimento, na qual a G2D adquiriu 3,5% da 2TM por US$2,5 milhões, a empresa havia sido avaliada em ~US$71 milhões. Com o aporte, a empresa se torna o primeiro unicórnio do segmento de criptoativos na América Latina. Portanto, nossa visão é positiva para a notícia e, estimando que a participação da G2D tenha diluído de 3,5% para 3,0%, sua posição ainda teria valorizado consideravelmente em mais de 20x.

Hapvida (HAPV3): Juros sobre capital próprio

  • Ontem (30), a Hapvida anunciou a distribuição de juros sobre capital próprio de R$68,8M (R$0,02/ação), a ser pago no dia 30 de julho de 2021;
  • As ações serão negociadas excluindo a distribuição a partir de 7 de julho;
  • Se anualizado, o total a ser pago é equivalente a 0,2% do valor de mercado da companhia (“dividend yield”);
  • Nós reiteramos a nossa recomendação de Compra e preço-alvo de R$19/ação.

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

  • Nesta publicação diária, trazemos as principais notícias do setor de varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre as tendências e acontecimentos mais importantes do dia. Além disso, o relatório contém um resumo dos múltiplos e recomendações para as empresas de nossa cobertura.
  • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 01/07

  • Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança;
  • Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance histórica do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP; Por que essas informações são importantes?
  • Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.