XP Expert

XP Morning Call 29/01/2019: Vale, tensões comerciais e preocupação com crescimento global

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Eleição no Congresso; Regime de recuperação fiscal para os estados

Internacional

  1. Tensão entre China e EUA aumentam com acusações criminais contra a Huawei Technologies Co.
  2. EUA impõe sanções à estatal de petróleo da Venezuela

Empresas

  1. Vale (VALE3): Últimas atualizações
  2. Cielo (CIEL3): Estratégia agressiva refletida em fraco 4T18
  3. Petrobras (PETR4): Fontes indicam que Chevron finalizou acordo para aquisição da refinaria de Pasadena

COE News

  1. Nvidia: Investidores seguem preocupados com a queda da demanda por chips
  2. Caterpillar: Demanda na China e divisão de financiamentos impactam negativamente

Resumo

Vale, tensões comerciais e preocupação com crescimento global

Como era de se esperar, o foco no Brasil ontem foi na Vale após tragédia em Brumadinho, que encerrou com queda de 24,5%, equivalente a perda de R$ 72,5 bi em valor de mercado. Excluindo a Vale, o índice teria tido alta de 0,5%. Queda de 3% no petróleo também pesou nas ações da Petrobras. As bolsas operam em território neutro esta manhã.

Em relação à Vale, no aspecto financeiro, as principais questões em aberto se referem ao impacto na produção de curto-médio prazo, assim como o desenrolar dos litígios. Os principais destaques de ontem foram a declaração do Vice-Presidente Mourão sobre afastamento da diretoria (direito que não cabe ao governo, e a frase foi posteriormente retratada), assim como rebaixamento da Fitch de ‘BBB+’ para ‘BBB-’. Abaixo atualização completa dos eventos.

No internacional, destaque para acusações criminais dos EUA contra a Huawei, a maior empresa de tecnologia da China, o que traz alerta em relação a um potencial aumento na tensão entre ambos países em meio às negociações comerciais.

Destaque para os resultados abaixo do esperado da Caterpillar, com queda de 9% nas ações. Preocupa por ser uma das maiores fornecedoras globais de equipamentos para construção, e pelo fato da China representar parte relevante da decepção. Dito isso, reflete ambiente mais fraco no final de 2018. Desde então, uma série de estímulos devem trazer reequilíbrio no crescimento Chinês.

No Brasil, Rodrigo Maia fecha acordo com MDB e PP e eleva chance de vitória para presidência da Câmara no primeiro turno. No Senado, começa hoje reunião do MDB para escolha do candidato do partido à presidência.

Do lado das empresas, a Cielo reportou resultado fraco no 4T18, refletindo a estratégia comercial mais agressiva por parte da empresa e as altas despesas operacionais.


Conteúdo na íntegra

Brasil

Política Brasil: Eleição no Congresso; Regime de recuperação fiscal para os estados

  • Rodrigo Maia fecha acordo com MDB e PP e eleva chance de vitória para presidência da Câmara no primeiro turno. No Senado, começa hoje reunião do MDB para escolha do candidato do partido à presidência;
  • Equipe econômica descarta flexibilização do regime de recuperação fiscal para os estados. Além do RJ, que já está no programa, apenas MG e RS podem acessá-lo.

Internacional

Tensão entre China e EUA aumentam com acusações criminais contra a Huawei Technologies Co.

  • Segundo a Bloomberg, promotores norte-americanos apresentaram ontem acusações criminais contra a Huawei Technologies Co., a maior empresa de tecnologia da China, alegando roubo de segredos comerciais de um rival americano e fraudes bancárias ao violar sanções ao fazer negócios com o Irã;
  • A Huawei tem sido alvo dos EUA em alegações de venda de equipamentos de telecomunicações que poderiam ser usados ​​pelo Partido Comunista da China para espionagem. As acusações apresentadas na segunda-feira também marcam um aumento na tensão entre as duas maiores economias do mundo, que estão envolvidas em um conflito comercial que tem impactado negativamente os mercados;
  • É esperado que o presidente Donald Trump se reúna com a principal autoridade econômica da China, segundo Secretário do Tesouro dos EUA (Steven Mnuchin), em uma breve reunião na segunda-feira em Washington. A rodada de negociações, que deverá acontecer quarta e quinta-feira, focará nas demandas norte-americanas por mudanças estruturais na economia chinesa e na promessa de Pequim de comprar mais produtos americanos.

 
EUA impõe sanções à estatal de petróleo da Venezuela

  • De acordo com o Financial Times, os EUA impuseram sanções à estatal de petróleo da Venezuela, PDVSA, e à sua subsidiária de refino dos EUA, Citgo; 
  • O Tesouro dos EUA disse que todos os ativos da PDVSA em sua jurisdição foram bloqueados e que indivíduos e empresas dos EUA foram impedidos de realizar transações com a empresa. A decisão ainda não obriga a Citgo a parar de operar imediatamente, mas as transferências para sua empresa controladora serão retidas em uma conta bloqueada; 
  • As sanções obrigarão a PDVSA a encontrar outros mercados para seu petróleo, além de forçar as refinarias dos EUA a encontrar alternativas para o petróleo venezuelano. Entretanto, a PDVSA ainda poderia usar rotas diferentes para os EUA, reformulando a origem de seu petróleo por meio de intermediários da mesma forma que o Irã.
     

Empresas

Vale (VALE3): Últimas atualizações

  • No primeiro pregão de negociação após o trágico incidente de Brumadinho, a ação da Vale encerrou com queda de 24,52%, equivalente a perda de R$ 70 bilhões em valor de mercado. No aspecto financeiro, as principais questões em aberto se referem a impacto na produção de curto-médio prazo, assim como o desenrolar dos litígios;
  • Ao longo do dia, o vice-presidente Mourão declarou que o eventual afastamento da diretoria da Vale está sendo estudado. Contudo, as Golden Shares (classe especial de ações que o governo possui) não lhe dão esse direito, e a declaração foi retratada posteriormente;
  • A liminar que pedia bloqueio de R$ 1,6bi foi parcialmente deferida ontem pela manhã, em R$ 800mi. Assim, até o momento, a Vale possui R$ 11,8bi bloqueados pela justiça. Desse total, a Advocacia-Geral de Minas confirmou ontem a noite o depósito feito pela empresa no valor de R$ 1 bi. O restante, bem como o bloqueio de ações da Vale, ainda aguardam apreciação;
  • Em discurso ontem, o CFO da Vale, Luciano Siani, anunciou que a empresa fará uma doação, sem vínculo com futuras indenizações, no valor de R$ 100 mil para cada família que perdeu “um ente querido” na tragédia. Siani também afirmou que a empresa manterá o pagamento dos royalties da mineração para o município de Brumadinho por tempo indeterminado;
  • No final do dia, a agência de classificação de risco Fitch rebaixou o rating da Vale de ‘BBB+’ para ‘BBB-’ em escala global, com perspectiva negativa, frente à expectativa de custos elevados, multas e outros impactos adicionais. Manteremos vocês a par de qualquer evolução. Nossos sentimentos estão com as pessoas da região e suas famílias.

 Cielo (CIEL3): Estratégia agressiva refletida em fraco 4T18

  • A Cielo divulgou ontem os resultados do 4T18 com lucro líquido de R$ 724 milhões, abaixo das estimativas XPe e do consenso em 6,5% e 10,1%, respectivamente, e caindo 10,9% no tri e 30,6% no ano. Os resultados refletiram a abordagem comercial mais agressiva anunciada pela companhia na teleconferência de resultados do 3T18; 
  • De acordo com a equipe de RI da Cielo, os preços estão sendo ajustados para baixo especialmente no segmento de PMEs, a fim de deter as perdas de participação de mercado e até mesmo recuperar alguma parcela até o final de 2019. Os volumes totais (ex-Agro) caíram 1,3%, com débito contraindo 6,8% e crédito expandindo 3,0% no período. Do lado positivo, a base de POS cresceu pela primeira vez em 3 anos e o número de clientes ativos expandiu 9% no trimestre, embora estável na comparação anual; 
  • O yield da receita diminuiu, atingindo 0,96% de 1,01% no 3T18, também devido a menores taxas cobradas em PMEs. Quanto aos custos, não houve surpresas, com as despesas com marketing e pessoal levando a 5,5% de crescimento trimestral. Por fim, a penetração de aquisição de recebíveis subiu para 15,9%, de 15,1% no 3T18, mas o resultado líquido caiu 11,1% no tri e 40% no ano, impulsionado por menores taxas; 
  • Os resultados da Cielo reforçam nossa visão cautelosa nas ações e as mudanças estruturais pelas quais a indústria está passando. Embora reconheçamos os esforços da empresa em preservar sua liderança por meio de melhores serviços, presença de mídia e preços competitivos, não há sinais de que estes fatores impactarão significativamente a nossa visão e a do mercado sobre os resultados da Cielo no médio prazo. Mantemos nossa recomendação Neutra e Preço-Alvo de R$ 12,00.

 Petrobras (PETR4): Fontes indicam que Chevron finalizou acordo para aquisição da refinaria de Pasadena

  • Segundo a Reuters, a Chevron finalizou uma proposta para adquirir a refinaria de Pasadena, localizada em Houston, da Petrobras;
  • A refinaria de 112 mill barris / dia de capacidade se encaixa na estratégia da Chevron, já que a empresa precisa de uma segunda instalação na costa do Golfo do México para abastecer sua rede de postos, após aumento expressivo na produção de óleo de xisto no terceiro trimestre. Além disso, a planta possui capacidade de armazenamento de 5,1 milhões de barris e um terminal marítimo para exportações;
  • Se confirmado, veríamos o desinvestimento como positivo para a Petrobras, sinalizando o avanço do programa de venda de ativos e o fim de um capítulo problemático na história da empresa desde que a refinaria foi adquirida em 2006.

 Lojas Renner (LREN3) abrirá lojas na Argentina

  • A Lojas Renner anunciou ontem a abertura de até 3 lojas na Argentina no 2º semestre de 2019, nas cidades de Buenos Aires e Córdoba, com investimento entre R$ 34-37 milhões. Segundo o Valor Econômico, a empresa prevê investimento de R$ 10 milhões em tecnologia e logística para operar no mercado argentino;
  • Com resultados acima das expectativas e ótima aceitação dos produtos no Uruguai (com 7 lojas Renner), a empresa segue estudando o mercado latino americano e acredita que a Argentina possua ambiente competitivo favorável e oportunidades comerciais do Mercosul, assim como similaridade e proximidade com a região Sul do Brasil, onde a sede administrativa e um dos centros de distribuição da Renner estão localizados;
  • Vemos a estratégia como positiva, mas ainda cedo para ser quantificada. Mantemos nossa recomendação Neutra para o papel.

COE News

Nvidia: Investidores seguem preocupados com a queda da demanda por chips

  • O preço das ações da Nvidia acumulou queda de 14% nesta segunda-feira, após os dirigentes revisarem – suas estimativas para as receitas do 4T18 em -19%, com os resultados do 4T18 a serem divulgados em 14 de fevereiro. Assim como ocorrido no 3T, o destaque negativo está para as vendas de chips gráficos e software nos segmentos de jogos e datacenters;
  • Segundo o presidente da empresa, Jensen Huang, as condições econômicas mais desafiadoras na China prejudicaram a demanda por chips gráficos para jogos online. Já no segmento de datacenters, o impacto negativo foi causado pela falta de efetivação de novas parcerias com clientes, até então previstas para o 4T18;
  • Os investidores podem precisar de alguns trimestres para adquirir maior confiança na recuperação da demanda por chips utilizados nos segmentos de jogos e criptomoedas. Adicionalmente, a Nvidia mantém seu sólido posicionamento de mercado no fornecimento de chips para inteligência artificial e computação de alto desempenho, assegurando o potencial de crescimento no médio prazo.

Caterpillar: Demanda na China e divisão de financiamentos impactam negativamente

  • A acentuada queda das ações da gigante de maquinário refletiu a demanda menor na Ásia e perdas na unidade de financiamento. Os dirigentes da Caterpillar revisaram negativamente suas estimativas para 2019 após a desaceleração da economia Chinesa e consequente enfraquecimento das vendas impactarem negativamente;
  • Assim como outras empresas da indústria, a Caterpillar aumentou os preços do aluguel de seus equipamentos nos últimos meses para tentar compensar os custos mais altos de combustível, mão de obra e materiais sujeitos às tarifas de importação nos EUA. Os dirigentes da empresa planejam elevar entre 1% e 4% em 2019;
  • As receitas aumentaram 11% no 4T18 A/A, atingindo US$ 14,3bi, número em linha com as expectativas de mercado. A empresa também reportou lucro de US$ 1,05bi, enquanto que no 4T17 havia registrado prejuízo contábil para refletir o incentivo fiscal nos EUA.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.