Panorama dos Fundos de Tijolo

Em razão da rápida deterioração do cenário econômico e das incertezas acerca dos impactos do COVID-19 e da aversão ao risco, revisamos nossas estimativas e preços-alvos para os fundos imobiliários do segmentos de lajes corporativas, galpões logísticos, shopping centers e fundos híbridos.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

•Em razão da rápida deterioração do cenário econômico e das incertezas acerca dos impactos do COVID-19 nos fundos imobiliários, revisamos nossas estimativas e preços-alvos para os fundos imobiliários dos segmentos de lajes corporativas, galpões logísticos, shopping centers e fundos híbridos.

•O objetivo desse relatório é descrever, de forma resumida, o cenário e nossas perspectivas para cada segmento de imóveis físicos, também conhecidos como fundos de “tijolo”. Para mais detalhes, acesse nossos relatórios completos de cada segmento.

Desde o fim de fevereiro, o Brasil e o mundo enfrentam uma crise inédita de saúde publica e econômica. Em razão do agravamento do contágio e das medidas para conter o vírus como a quarentena e isolamento social, o cenário econômico vem se deteriorando rapidamente. Nas últimas semanas, as incertezas acerca da recuperação da economia marcaram a maioria dos mercados com alta volatilidade, com acentuadas quedas nos preços e aversão ao risco.

Em razão da mudança do cenário econômico e dos impactos do coronavírus nos fundos imobiliários, publicamos uma série de relatórios descrevendo nossas perspectivas e revisando as nossas estimativas e preços-alvos de fundos imobiliários do segmento de lajes corporativas, galpões logísticos, shopping centers e os fundos híbridos (fundos de imóveis físicos, também conhecidos como fundos de “tijolo”)

Em nossa opinião, todos os segmentos de fundos imobiliários deverão ser afetados, mesmo que em magnitudes muito diferentes e acreditamos que muito dos efeitos estão parcialmente precificados nos preços das cotas. De modo geral, os fundos mais impactados serão do segmento de shopping centers devido ao fechamento das operações consideradas não-essenciais, seguido, em grau diferente, os fundos de lajes corporativas e, por fim, galpões logísticos.

Lajes Corporativas

Apesar do alto grau de incerteza dos impactos do coronavírus, acreditamos que os impactos serão de curto prazo. Dado isso, não alteramos nossa perspectiva positiva para o segmento imobiliário no médio e longo prazo, principalmente quanto às melhorias operacionais das lajes corporativas (queda da vacância, aumento dos alugueis e queda das concessões aos inquilinos), impulsionadas pela expectativa de crescimento econômico para os próximos anos.

Em nossa opinião, os espaços de coworking vão ser amplamente impactadas no curto prazo devido aos efeitos do COVID-19. Em razão da restrição de fluxo de pessoas e adoção do trabalho remoto, muitos clientes, principalmente aqueles com situação de financeira mais frágil, podem optar por não renovar seus contratos de locação já que uma parte desses contratos são de curta duração, impactando diretamente na taxa de ocupação  dos espaços de coworking.

Após as revisões das estimativas, recomendamos compra dos papeis THRA11, FVBI11, VLOL11 e ONEF11 (para os fundos monoativos corporativos) e BRCR11, HGRE11, VINO11 e XPPR11 (para os fundos multiativos de lajes corporativas). Para mais detalhes sobre nossas perspectivas e das teses de investimento, acesse relatório de monoativos corporativos e lajes corporativas.

Figura 1: Tabela Resumo dos Fundos Imobiliários de Lajes Corporativas

Figura 2: Tabela Resumo dos Fundos Imobiliários de Monoativos Corporativos

Galpões Logísticos

Apesar do alto grau de incerteza acerca do coronavírus, acreditamos o segmento de galpões logísticos será o menos impactado dentre os segmentos de imóveis físicos (também conhecidos como fundos de “tijolo”). Diferente de outros segmentos como shopping centers, a atividade logística manteve seu funcionamento durante o período de reclusão social fomentada pela necessidade de abastecimento de produtos essenciais em farmácias e supermercados (como alimentos e medicamentos) e pela maior adoção do varejo online, que vem reagindo positivamente quando comparado aos outro setores da economia.

Em nossa opinião, vemos o segmento de galpões com grande potencial de crescimento para os próximos anos devido a expectativa positiva de continuidade da recuperação econômica e do consumo, maior migração para galpões com boas especificações técnicas e bem localizados (movimento conhecido como flight-to-quality) e, finalmente, maior adoção do e-commerce pelo brasileiro, que deve aumentar consideravelmente a demanda por galpões logísticos.

Após as revisões das estimativas, recomendamos compra dos fundos LVBI11, XPIN11 e XPLG11. Para mais detalhes sobre nossas perspectivas e das teses de investimento, acesse nosso relatório de galpões logísticos.

Figura 3: Tabela Resumo dos Fundos Imobiliários de Galpões Logísticos

Shopping Centers

Sem dúvida, o segmento de shoppings será um dos mais impactos com a crise do coronavírus devido ao fechamento das operações comerciais consideradas não-essenciais e das recomendações de isolamento social. Nesse momento, grande parte dos shoppings brasileiros estão com suas atividades suspensas e com baixa visibilidade sobre o fim da suspensão. Ainda, não descartamos a possibilidade de impactos mesmo após a reabertura com fluxo de pessoas aquém dos níveis pré-crise e do aumento de concessões aos lojistas como descontos, aumento da vacância e inadimplência.

Apesar da distribuição de rendimentos dos fundos imobiliários continuar pressionado no curto prazo devido aos impactos do contágio do COVID-19 no funcionamento dos shopping centers, acreditamos que alguns fundos imobiliários do segmento passaram a negociar com desconto atrativo ao seu valor patrimonial, que podem gerar ganhos de capital no longo prazo para o investidor. Temos preferência por fundos de shoppings centers com portfólio sólidos com empreendimentos de qualidade e dominantes em suas regiões.

Após a revisão das estimativas, recomendamos a compra dos fundos imobiliários HGBS11 e HSML11. Para mais detalhes sobre nosso panorama de shopping centers e as teses de investimento, acesse nosso relatório de shopping centers.

Figura 4: Tabela Resumo dos Fundos Imobiliários de Shopping Centers

Fundos Imobiliários Híbridos

Fundos imobiliários híbridos são fundos que possuem investimentos em mais de uma classe de ativos como Lajes Corporativas, Galpões Logísticos, Shopping Centers, Edifícios Educacionais, Hospitais, CRIs e até cotas de outros fundos imobiliários. Essa característica se torna interessante para os investidores dado que os fundos híbridos tendem a ter menor nível de risco dado sua diversificação de tipo de ativos e inquilinos (seja risco de crédito e/ou setor da economia).

Revisamos nossas estimativas para os fundos imobiliários e recomendamos a compra do fundo HGRU11 e mantemos nossa visão neutra para o fundo KNRI11. Para mais detalhes da tese de investimento, acesse o relatório completo de fundos híbridos.

Figura 5: Tabela Resumo dos Fundos Imobiliários Híbridos

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este conteúdo tem propósito exclusivamente informativo e se baseia em dados estatísticos, metodologias probabilísticas, fatos concretos do mercado financeiro e em resultados financeiros apurados. Em nenhum momento, o conteúdo desta mensagem representa opiniões pessoais ou recomendações de investimento financeiro de qualquer natureza. Não se configuram, portanto, como ideias, opiniões, pensamentos ou qualquer forma de posicionamento por parte da XP Investimentos CCTVM S/A. É terminantemente proibida a utilização, acesso, cópia ou divulgação não autorizada das informações presentes neste conteúdo. O investimento em ações é um investimento de risco. Na realização de operações com derivativos existe a possibilidade de perdas superiores aos valores investidos, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Para avaliação da performance de um fundo de investimentos é recomendável a análise de, no mínimo, 12 (doze) meses. Leia o prospecto e o regulamento antes de investir. Todas as informações sobre os produtos, bem como o regulamento e o prospecto e regulamento aqui listados, podem ser obtidas com seu agente de investimentos, em nosso site na internet ou no site do referido gestor. Fundos de investimento não contam com garantia do administrador, do gestor, de qualquer mecanismo de seguro ou fundo garantidor – FGC. A taxa de administração máxima compreende a taxa de administração mínima e o percentual máximo que a política do FUNDO admite despender em razão das taxas de administração dos fundos de investimento investidos. Os fundos de ações e multimercados com renda variável /sem renda variável podem estar expostos a significativa concentração em ativos de poucos emissores, com os riscos daí decorrentes. Os fundos de crédito privado estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Os fundos de cotas aplicam em fundos de investimento que utilizam estratégias com derivativos como parte integrante de sua política de investimento. Tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em perdas patrimoniais para seus cotistas. Os fundos de renda fixa estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Para informações e dúvidas, favor contatar seu agente de investimentos. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. As rentabilidades divulgadas não são líquidas de impostos e taxas de saída e performance. As informações publicadas não levam em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Caso os ativos, operações, fundos e/ou instrumentos financeiros sejam expressos em uma moeda que não a do investidor, qualquer alteração na taxa de câmbio pode impactar adversamente o preço, valor ou rentabilidade. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização dessa plataforma. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Investimentos nos mercados financeiros e de capitais estão sujeitos a riscos de perda superior ao valor total do capital investido.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.