Economia em Destaque: Crise hídrica aumenta inflação e reduz crescimento no Brasil

Seu resumo semanal de economia no Brasil e no mundo


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Resumo

No Brasil, a divulgação do PIB do segundo trimestre surpreendeu negativamente o mercado. Além disso, riscos associados à crise hídrica, envio do orçamento e aprovação na câmara da reforma tributária do imposto de renda acendem riscos para o final de ano.

No cenário internacional, destaque para inflação e possibilidade de tapering na Europa, além de dados mistos de atividade econômica nos EUA.

Para semana que vem, destaque no Brasil para a continuidade das discussões da agenda fiscal no Congresso e inflação medida pelo IPCA. No cenário internacional, discurso de dirigentes do Fed e reuniões dos bancos centrais da Zona do Euro e da China.

Clique aqui para receber por email os conteúdos de economia da XP

Atualizações Covid-19

No Brasil, a média móvel de 7 dias de novos diagnósticos voltou a recuar no comparativo semanal, de 26.190 para 21.991, uma queda de 16%. O número de óbitos também caiu, de uma média móvel de 703 na última semana para 621.

A vacinação segue avançando. 62,9% da população já tomou ao menos a primeira dose e 30,6% já estão com o esquema vacinal completo. Diversos estados já vacinam adolescentes e se preparam para aplicar dose de reforço na população acima de 70 anos e imunossuprimida.

Cenário Internacional

Estados Unidos

Nesta semana tivemos dados mistos de atividade econômica nos EUA. Por um lado, o índice ISM manufaturas ficou em 59,9, sugerindo que o setor industrial segue crescendo em bom ritmo (leituras acima de 50 indicam expansão). Por outro lado, o índice de confiança do consumidor nos EUA caiu para 113,8 em agosto, de 125,1 em julho, provavelmente afetado pelo avanço da variante delta do Coronavírus.

Dados de mercado de trabalho também vieram fracos. Foram criados 235 mil vagas de emprego, contra uma expectativa de mercado de 733 mil. A decepção ficou exatamente nos setores mais ligados às medidas restritivas à Covid, como lazer e turismo.

Nesse ambiente ainda incerto, o Banco Central provavelmente não terá pressa para reduzir os estímulos monetários, mantendo a ampla liquidez global – que reduz taxas de juros e impulsionam a bolsa ao redor do mundo.

Europa

O destaque foi a inflação de agosto na zona do euro, que subiu para 3% no acumulado em 12 meses até agosto (2,2% em julho). Com a inflação mais alta e a economia normalizando, o Banco Central Europeu (BCE) sinalizou que começa a pensar em reduzir os estímulos monetários. Mas, assim como nos EUA, não há urgência uma vez que a incerteza da pandemia ainda é elevada.

China

Os indicadores econômicos chineses também vieram mistos esta semana. A sondagem industrial PMI mostra que o setor segue firme. Já para o setor de serviços, a pesquisa mostrou retração – provavelmente por conta das medidas para conter o avanço da variante delta.

Enquanto isso no Brasil…

Cenário Político Econômico

Crise Hídrica leva a mais inflação…

Nesta semana, foi anunciada revisão da bandeira vermelha 2 e criação da bandeira de escassez hídrica. A falta de chuvas comprometeu o nível das represas hidrelétricas. Com a medida, elevamos nossa projeção de IPCA para este ano de 7,3% para 7,7%. (mais detalhes aqui). 

… E menos PIB.

A alta de energia pressiona custos de produção e reduz a renda disponível de consumidores. Isso acaba pesando sobre a atividade econômica.

Além disso, o risco fiscal continua gerando incertezas e o PIB do segundo trimestre ficou abaixo do esperado (detalhes mais abaixo).

Diante destes fatores, reduzimos nossa projeção de crescimento da economia de 5,5% para 5,3% em 2021, e de 2,3% para 1,7% em 2022 (mais detalhes aqui).

Orçamento não contempla demandas políticas

O orçamento de 2022 foi enviado ao Congresso. Por conta da recente alta das despesas com ações judiciais (precatórios), o governo não conseguiu incluir demandas políticas importantes, como o aumento do programa Bolsa Família e as emendas do Relator. Além disso, a inflação projetada para estimar as despesas do ano que vem está subestimada.

O governo tentará aprovar a chamada PEC dos precatórios para abrir espaço no orçamento para os necessários ajustes. Vale acompanhar de perto. Movimentos do Congresso que afrouxem as regras fiscais para permitir mais gastos em 2022 tende a provocar volatilidade nos mercados brasileiros.

Reforma tributária

Outro tema da semana foi a reforma do imposto de renda, votada esta semana na Câmara. Para reunir apoio à empreitada, o relator Celso Sabino (PSDB-PA) excluiu a regra que restringiria a opção pela declaração simplificada do IRPF a quem recebe até R$ 40.000 por ano, manteve benefícios tributários do setor aéreo e de embarcações. Foi aprovada redução na proposta de tributação sobre lucros e dividendos, que passou para 15%. FIIs estão fora da proposta, seguem isentos.

A proposta segue para o Senado, onde deve enfrentar novas resistências.

Indicadores

O PIB do segundo trimestre

O PIB do Brasil apresentou queda de 0,05% no segundo trimestre de 2021 em comparação ao trimestre anterior (consenso: +0,2%; expectativa XP: +0,3%). O resultado reflete descasamento na cadeia produtiva, ainda como consequência das barreiras sanitárias

A despeito da surpresa baixista trazida pelos resultados do 2º trimestre, esperamos recuperação importante do PIB na segunda metade do ano, puxada sobretudo pela retomada dos serviços prestados às famílias e normalização gradual dos serviços públicos

Produção industrial

O número da produção industrial de julho veio abaixo do esperado, com contração de 1,3%. A alta dos custos de produção e a falta de alguns insumos de produção, como semicondutores para produção de veículos, vem freando a atividade industrial no país.

Mercado de Trabalho

Nesta semana tivemos uma surpresa positiva com a divulgação da taxa de desemprego abaixo do esperado, em 14,1% (média das projeções era 14,3%). O destaque ficou para as contratações no setor de serviços e volta dos empregos formais.

Clique aqui para receber por email os conteúdos de economia da XP

O que esperar para semana que vem?

No cenário internacional, os destaques serão a inflação ao produtor nos EUA, a reunião do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco do Povo da China (BPOC). Além disso, discursos de dirigentes do Fed e dados de setor externo na China também podem agitar o mercado.

No cenário doméstico, a reforma tributária e discussões sobre a Pec dos Precatórios ocupam a pauta do congresso. Entre os indicadores, destaque para a inflação do IPCA de agosto e a Pesquisa Mensal do Comércio referente a julho. Além disso, teremos também o feriado nacional na terça-feira, que promete ser agitado do ponto de vista político…

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório foi preparado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º na Resolução CVM 20/2021. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas neste relatório refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo deste relatório na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e de informar o leitor. O responsável pela elaboração deste relatório certifica que as opiniões expressas nele refletem, de forma precisa, única e exclusiva, suas visões e opiniões pessoais, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a XP Investimentos. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida a sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.