XP Expert

XP Morning Call 31/07/2018

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Tópicos do dia

Brasil

  1.  Brasil Política: Lula fora da TV 

Internacional

  1. Banco do Japão anuncia mudanças na política monetária 
  2. PIB da Zona do Euro desaponta 
  3.  Inflação surpreende, desemprego estável na zona do euro

Empresas

  1. Itaú 2T18: Levemente abaixo do esperado, mas com pontos positivos; Reiteramos COMPRA
  2.  Cielo 2T18: mais um trimestre desafiador
  3. Petrobras: Governo às vésperas de renovar congelamento do diesel; neutro no curto prazo


Conteúdo na íntegra

Brasil

Brasil Política: Lula fora da TV 


Segundo o jornal Folha, o Tribunal Superior Eleitoral, TSE, deve impedir que o ex-presidente Lula apareça como candidato no programa de TV do PT durante a programação do horário Eleitoral, independentemente do fato de seu julgamento não ter sido finalizado. Os mercados devem ter uma reação positiva com o PT com menos ferramentas para voltar ao poder. Gravações feitas antes da prisão ainda poderiam ser mostradas em programa de um outro candidato do PT.
Bolsonaro participou ontem de uma entrevista na TV, Roda Viva. O candidato se anunciou como um candidato liberal, disse que quer privatizar a maioria das empresas estatais e quer aprovar uma reforma previdenciária. Mas o candidato se contradisse quando perguntado sobre a reforma previdenciária dos militares e policiais, ele afirmou que eles precisam de um plano de pensão especial.

Internacional


Banco do Japão anuncia mudanças na política monetária 


O Banco do Japão manteve as taxas de juros e a meta de inflação em 2%, mas fez uma leve mudança na sua política monetária. BoJ afirmou que pretende manter os rendimentos do bônus de referência, o papel de 10 anos, quase a 0%, mas pode aceitar um avanço até 0,2%.  Na prática, a instituição elevou sua meta para o yield (retorno) do bônus de 10 anos do governo japonês. A leitura do mercado é que a política monetária estimulativa não foi alterada, apenas foi estendido a longevidade do programa atual.


PIB da Zona do Euro desaponta 


Segundo a Eurostat, no segundo trimestre a atividade cresceu 0,3% na zona do euro ante o primeiro trimestre, abaixo dos 0,4% projetados. Mesmo com o número mais fraco, analistas seguem calculando um avanço mais forte no segundo semestre.

Inflação surpreende, desemprego estável na zona do euro


A Eurostat também apresentou a inflação ao consumidor (CPI) do mês de julho, resultado preliminar subiu 2,1%, acima dos 2,0% esperados. Outro indicador apresentado hoje foi a taxa de desemprego, indicador ficou estável em 8,3% no mês de junho, como esperado por analistas.


PMI da China desaponta 


Segundo a Markit, o PMI Industrial na China passou de 51,5 para 51,2 no mês de julho. Analistas esperavam uma queda menor, para 51,3. Resultado segue acima da barreira de 50 que separa otimismo de pessimismo, mas a Markit aponta que as tensões comerciais com os EUA já afetaram o indicador.



Empresas

Itaú 2T18: Levemente abaixo do esperado, mas com pontos positivos; Reiteramos COMPRA


Ontem o Itaú divulgou o resultado do 2T18, com R$17,3 bi de Margem Financeira Bruta, +2% vs nosso número e vs 2T17, e R$6,4 bi de lucro líquido (-6% vs XPe), com 21,6% de ROE (contra 22,1% XPe e 22,2% do 1T). Conforme observado nos resultados de Bradesco e Santander na semana passada, a inadimplência e as provisões seguiram melhorando, com a última contraindo 4,9% no trimestre e 19,5% no ano. A receita de tarifas ficou em linha com a XPe em R$8,7bi e as despesas não decorrentes de juros foram o principal destaque negativo devido a eventos pontuais. Embora as ações possam reagir negativamente na margem, uma vez que o consenso de lucro líquido estava acima do reportado, acreditamos que o 2T18 foi sólido e de qualidade. Para saber mais sobre a nossa tese de Itaú, clique aqui.

Cielo 2T18: mais um trimestre desafiador


A Cielo reportou resultados mais fracos do que o esperado no 2T, com o EBITDA 9% abaixo de nossa estimativa e do consenso, -8% no trimestre. O lucro líquido de R$817,5 milhões veio 17,2% abaixo do nosso e 13,4% abaixo do consenso. O custo de serviços (+ 11,2% no 2T) e despesas operacionais (+ 28,4% no 2T), mais que compensaram as receitas mais fortes de R$ 2,9 bilhões, + 2,3% vs XPe e + 5,1% em relação ao trimestre anterior. Esperamos uma reação negativa e reiteramos nossa recomendação neutra nas ações. Para saber mais sobre a nossa tese de Cielo, clique aqui.

Petrobras: Governo às vésperas de renovar congelamento do diesel; neutro no curto prazo


Segundo o Valor Econômico, o governo federal está às vésperas de publicar o decreto que renova o congelamento dos preços de diesel, cujo prazo termina em 1º de Agosto. Segundo a notícia, a nova etapa do programa valerá até o final do ano, mas terá atualização mensal de preços. No curto prazo, vemos a renovação do programa como Neutra para a Petrobras e o setor, haja visto que os preços implícitos no programa correspondem aos que seriam praticados pela Petrobras segundo sua política de preços. No entanto, ainda consideramos incerta a viabilidade de uma política de preços que adequadamente reflete a base de custos da Petrobras, principalmente tendo em vista a proximidade das eleições no Brasil. Temos recomendação Neutra nas ações da Petrobras, com preços-alvo de R$20 (PETR4) e R$19 (PETR3). Para saber mais sobre a nossa tese de Petrobras, clique aqui.


BRF pode ter que vender ativos separadamente na Argentina 


De acordo com Valor Econômico, a BRF pode ter que vender ativos na Argentina em partes, segundo pessoas próximas à companhia. Isso se deve ao fato da Avex, negócio de carne de frango, ser responsável por mais de 50% das perdas da companhia no Cone Sul. Além da falta de habilidades do país para exportar e problemas com as safras de grãos do país vizinho, há problemas operacionais com relação à integração de rede de fornecedores e alta concorrência de outras empresas. Por isso, fontes acreditam que só a Granja Tres Arroyos, também maior produtora de carne de frango na Argentina, teria interesse pela operação da BRF. Ainda assim, por um preço baixo. Nesse cenário, a venda de ativos poderá se dar a partir de uma divisão em três partes, segundo a notícia: a Avex, o negócio de hambúrguer (Quickfood) e as operações de carne suína. Para saber mais sobre a nossa tese de BRF, clique aqui.

Eletrobras – Renova prazo para operar distribuidoras até o final do ano; esperado


Em uma assembleia geral extraordinária sediada ontem, os acionistas da Eletrobras aprovaram a prorrogação do período de operação das 6 distribuidoras em processo de privatização, com a contrapartida que a holding não precise mais injetar recursos nestas empresas. Se não tivesse sido aprovada, a alternativa imediata teria sido liquidar tais companhias, o que poderia gerar um ônus de R$22-23 bilhões à estatal. Vemos a notícia como esperada, mas destacamos que o leilão das distribuidoras remanescentes depende da aprovação do PL1033, para o qual há um espaço de tempo apertado para análise no Senado.

Saúde: ANS revoga resolução sobre franquia e coparticipação


A ANS revogou a Resolução Normativa 433, que estabelecia o limite de 40% sobre o pagamento de valores de procedimento a título de franquia e coparticipação. Após a OAB Nacional entrar com uma arguição no STF sobre a competência da agência para editar a medida, a ministra Cármen Lúcia decidiu liminarmente pela suspensão da resolução, que permaneceu suspensa até o anúncio da ANS que revogou a medida. ANS pretende realizar uma nova audiência pública para debater o assunto.

Telecom: Após conversão de dívida, Oi prepara AGE


Depois de concluir na semana passada a conversão de sua dívida em ações, a Oi prepara a convocação de uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE), a ser realizada entre o fim de agosto e o início de setembro, para deliberar sobre a nova composição do conselho de administração da operadora. Na prática, a conversão significou uma redução da dívida financeira da Oi de R$ 45 bilhões para cerca de R$ 14 bilhões. Com a entrada de novos acionistas, a base de acionistas ficou muito mais pulverizada e alargada. A Pharol (ex-Portugal Telecom) teve sua participação reduzida de 27,49% para menos de 8%.

Destaques do mercado ontem: JBSS3 -5,7%; VVAR11 +6%


Ontem as ações da JBS caíram 5,7% na B3, seguindo revisão de projeções feitas pela americana Tyson Foods. Principal concorrente da JBS nos Estados Unidos, a Tyson Foods cortou em mais de 10% a previsão de lucro para o ano fiscal de 2018, devido à efeitos da guerra comercial nos Estados Unidos. Isso se deve principalmente à sobretaxas aplicadas por China e México que podem afetar as exportações de carne suína e elevar o produto no mercado doméstico. Além disso, a sobreoferta de carne de frango nos EUA e maior concorrência com a carne bovina também vem impactando frigoríficos americanos. Do lado positivo, as ações da Via Varejo subiram 6% seguindo rumores de potenciais compradores para a empresas, que incluem, seguindo notícia da Veja: Magazine Luiza, Amazon e o chinês Tencent.

Embraer – 2T18 abaixo do esperado com não recorrente


A Embraer reportou receita líquida de US$ 1,26 bi, vs. uma média das projeções de US$ 1,38 bi (9% abaixo do consenso coletado pelo Broadcast). A margem operacional no trimestre foi de -1,4%, impactada negativamente pela revisão da base de custos do contrato de desenvolvimento do KC-390, item não recorrente de US$ 127 mi por conta de um incidente envolvendo um protótipo. Excluindo efeitos não recorrentes, a margem teria sido de 8,7%. Com isso, o prejuízo no trimestre atingiu US$ 127 mi. O lucro ajustado teria sido de US$ 6 mi. A companhia reitera o guidance para o ano.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.