XP Expert

XP Morning Call 26/02/2019: Mercados realizam após alta de ontem

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Bolsonaro começa a formar base de apoio, governadores querem fatia de leilão do pré-sal
  2. Principais destaques da pesquisa da XP Investimentos junto ao Congresso
  3. Estratégia do BNDES será focar em infraestrutura

Internacional

  1. Mercados realizam após alta de ontem
  2.  Fed: Powell fala com legisladores hoje e amanhã
  3. Petróleo afunda mais de -3% após tweet de Trump

Empresas

  1. Preço de celulose de fibra curta tem alta de US$19,7/t na semana, para US$681,62/t
  2. Zema sanciona novas regras para barragens em MG; Exportação de minério segue firme apesar de paradas da Vale
  3. Unidas (LCAM3): Bons resultados do 4T18, em linha com o consenso

COE News

  1. Tesla: SEC segue com novo processo judicial contra Elon Musk
  2.  GE: Avanço no plano de desinvestimento e venda de ativos

Resumo

Mercados realizam após alta de ontem

Os mercados realizam após forte alta na segunda-feira e com falta de novos avanços nas negociações comerciais entre os EUA e a China. Nos EUA, a política monetária está em foco.
 
No seu discurso semestral ao Congresso hoje e amanhã, o presidente do Banco Central Americano (Fed), Jerome Powell, deve reforçar tom suave em relação à alta de juros, assim como dar avaliação otimista em relação às perspectivas de crescimento americano. Qualquer sinalização diferente dessa pode trazer volatilidade.
 
Nas commodities, os preços do petróleo caíram -3,5% ontem, com incertezas nos mercados após Tweet do presidente Trump afirmando que os preços do petróleo estão altos demais e que poderiam representar riscos para a economia global.
 
No Brasil, Jair Bolsonaro recebe líderes de bancadas na Câmara no Palácio da Alvorada às 18h, seguindo convite endossado por Rodrigo Maia. O gesto é simbólico para a formação de sua base de apoio e terá efeito se a Casa Civil e os demais ministérios forem de fato empoderados para melhorar a relação com os parlamentares.
 
Os governadores, que são uma das principais apostas do Planalto para o convencimento de deputados em favor da reforma da Previdência, agora pedem fatia da arrecadação com o megaleilão do pré-sal, estimada em R$ 100 bilhões em troca do apoio à proposta.
 
Além disso, os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, vão se reunir para um almoço com o ministro da Economia, Paulo Guedes amanhã para tratar da proposta de Previdência para militares.
 
Nesse contexto, nosso time político realizou pesquisa que indica que 77% dos deputados e 64% dos senadores vem como necessária a Reforma da Previdência, com 58% e 64% respectivamente esperando votação na Câmara ainda no primeiro semestre. Além disso, 47% dos deputados e 32% dos senadores ouvidos avaliam manter uma relação ótima ou boa com o Governo Bolsonaro. Por outro lado, somente 27% dos deputados se colocaram a favor da idade mínima de 62 e 65 anos, o que sinaliza o desafio adiante.


Conteúdo na íntegra

Brasil

Política Brasil: Bolsonaro começa a formar base de apoio, governadores querem fatia de leilão do pré-sal

  • Jair Bolsonaro receberá líderes de bancadas na Câmara no Palácio da Alvorada às 18h. O convite desta vez foi endossado por Rodrigo Maia. O gesto é simbólico para a formação de sua base de apoio e terá efeito se a Casa Civil e os demais ministérios forem de fato empoderados para melhorar a relação com os parlamentares;
  • Os governadores, que são uma das principais apostas do Planalto para o convencimento de deputados em favor da reforma da Previdência, agora pedem em troca de seu apoio uma fatia da arrecadação com o leilão dos barris excedentes das áreas da Cessão Onerosa, estimada em R$ 100 bilhões.

Principais destaques da pesquisa da XP Investimentos junto ao Congresso

  • A segunda rodada da pesquisa XP Investimentos com o Congresso mostra que 47% dos deputados e 32% dos senadores ouvidos avaliam manter uma relação ótima ou boa com o Governo Bolsonaro;
  • 57% dos deputados acham que a Câmara tem boa ou ótima relação com o governo, enquanto 50% dos senadores dividem a mesma opinião;
  • Finalmente, quanto a necessidade de aprovação da reforma da Previdência, a percepção de que a sua aprovação é necessária continua alta, com 77% dos deputados concordando com essa visão (ante 79% na nossa edição anterior) e 64% dos senadores (ante 73% anteriormente, notando-se que a amostra desse levantamento foi menor). 58% dos deputados e 64% dos senadores esperam que a primeira votação na Câmara ocorra ainda no primeiro semestre.

Estratégia do BNDES será focar em infraestrutura

  • Em entrevista ao Valor Econômico, o presidente do BNDES Joaquim Levy afirmou que o banco de fomento focará em infraestrutura nos próximos anos, setor que demanda crédito de longo prazo. Em contrapartida, a instituição deverá focar menos em financiamentos corporativos tradicionais;
  • Segundo o presidente da instituição, o BNDES está pronto para junto ao mercado, dar sustentação ao ciclo de investimentos que virá após a reforma da previdência e com a votação de agendas setoriais, como gás e saneamento. Focando nesse último setor, o Sr. Levy acredita que a uniformização da regulação (resultante de uma eventual aprovação da MP do saneamento, por exemplo) permitirá a entrada do setor privado mediante o aumento de escala dos projetos;
  • Finalmente, o presidente do BNDES afirmou que é cedo para dizer qual será o volume de recursos a ser devolvidos para o Tesouro, mas que esse processo deve continuar para reduzir a dívida bruta do governo.

Internacional

Mercados realizam após alta de ontem

  • De acordo com o Financial Times, investidores receberam positivamente o progresso anunciado ontem pelo presidente Trump, no entanto o ceticismo dos mercados ainda prevalece;
  • De acordo com a notícia, há razões para os mercados conterem seu entusiasmo. Uma é que, apesar do fato de que Memorandos de Entendimento estão sendo discutidos cobrindo áreas-chave, os detalhes de um acordo permanecem desconhecidos. Sua implementação e monitoramento serão fundamentais para o alivio das tensões entre Washington e Pequim no longo prazo;
  • Os mercados realizam após forte alta na segunda-feira e com falta de novos avanços nas negociações comerciais entre os EUA e a China.

Fed: Powell fala com legisladores hoje e amanhã

  • Jerome Powell, presidente do Banco Central Americano, vai testemunhar perante o Comitê Bancário do Senado ainda hoje, a primeira de uma apresentação de dois dias perante os legisladores;
  • Segundo a Reuters, participantes do mercado esperam que ele descreva a sensibilidade do Fed aos preços dos ativos e faça uma avaliação otimista das perspectivas de crescimento doméstico;
  • Powell e outros membros do Fed indicaram que são favoráveis à paciência antes de elevar novamente as principais taxas de empréstimos devido aos recentes sinais de desaceleração do crescimento econômico. O mercado futuro implica que os investidores estão apostando que o Banco Central não aumentará as taxas de juros em 2019.

Petróleo afunda mais de -3% após tweet de Trump

  • Os preços do Brent caíram -3,5% ontem, com incertezas nos mercados após Tweet do presidente Trump afirmando que os preços do petróleo estão altos demais e que poderiam representar riscos para a economia global;
  • A mensagem vem na esteira da recuperação do preço do petróleo como resultado dos cortes de produção realizados pela Opep (com a Arábia Saudita no centro das atenções, e prometendo reduzir ainda mais a produção em março). Os investidores estão agora cautelosos sobre se a Opep vai desafiar o Sr. Trump, que poderia retaliar com o apoio militar para as regiões;
  • Acreditamos que os efeitos de tais mensagens serão de curta duração e que a OPEP cumprirá suas metas de redução de produção. No entanto, o crescimento implacável da produção de petróleo xisto nos EUA e os riscos de demanda em vista do menor crescimento global das tensões comerciais (que reconhecidamente são menores seguindo a evolução das discussões EUA-China) ainda poderiam pressionar os preços negativamente no médio-longo prazo. Por estas razões, estamos mantendo nossa estimativa de preço do Brent de longo prazo de US $ 60 / bbl adotada em nossas estimativas para a Petrobras.
     

​Empresas

Preço de celulose de fibra curta tem alta de US$19,7/t na semana, para US$681,62/t 

  • Depois de uma queda forte no final do ano, os preços de celulose vêm recuperando semana após semana. Na China, os preços de celulose de fibra curta, material produzido pela Suzano, tiveram alta de US$19,7/t na semana, para US$681,62/t. Os preços de fibra longa também tiveram alta, subindo em US$13,7/t para US$708,48/t, ficando o diferencial de preços em US$26,86/t;
  • Na Europa, os preços da celulose de fibra curta tiveram pequena queda, US$0,2/t, para US$987,88/t. Os preços de fibra longa também recuaram, com queda de US$1,3/t, para 1.140,50/t;
  • Em nossa visão, o aumento de quase US$20/t nos preços de celulose de fibra curta devem dar suporte ao desempenho das ações da Suzano hoje.

Zema sanciona novas regras para barragens em MG; Exportação de minério segue firme apesar de paradas da Vale

  • O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, sancionou ontem lei que estabelece novas regras para o licenciamento e a fiscalização de barragens no Estado, com pontos que vinham sendo defendidos pelo Ministério Público, pelo Ibama e por ambientalistas;
  • Dentre as medidas, a nova lei proíbe: 1. concessão de licenças para barragens a montante; 2. barragens desse tipo que já não estão mais recebendo rejeito, mas que continuam cheias, deverão ser esvaziadas; 3. no caso das que ainda recebem rejeitos, as empresas terão de investir em um método alternativo, com prazo de três anos; e 4. proibição, no Estado, da construção, instalação, ampliação ou alteamento de barragem onde existam famílias nas proximidades;
  • Além disso, dados divulgados ontem pela Secex revelam que as exportações de minério do Brasil seguem firmes em fevereiro apesar de paradas da Vale. A média diária nas primeiras quatro semanas de fevereiro teve alta de 7,8% A/A, com 1,4mt de minério de ferro exportadas por dia, vs. 1,3mt em 2018. Além disso, o preço também teve alta, com a cotação média do mês em US$52,6/t, ante US$51,4/t em janeiro. 

Unidas (LCAM3): Bons resultados do 4T18, em linha com o consenso

  • A Unidas reportou números fortes no 4T18, em linha com o consenso e ligeiramente abaixo das nossas expectativas. O EBITDA recorrente consolidado atingiu R$ 260 milhões, +~144% A/A, impactado positivamente pelo desempenho melhor que o esperado no segmento de aluguel de carros (RAC), mas uma performance mais fraca que a esperada no segmento de vendas de carros usados. O lucro líquido no trimestre atingiu ~R$ 69 milhões, +143% A/A e em linha com o consenso;
  • O segmento de RAC reportou números mais fortes que o esperado, impulsionado por uma demanda saudável, mix de carros melhor e tarifas mais dinâmicas. A margem EBITDA do segmento atingiu 42,4% no 4T18. O segmento de aluguel de frotas também apresentou resultados saudáveis, apesar da maior pressão nas tarifas devido às taxas de juros mais baixas na comparação anual. A margem atingiu 64%. Por fim, o volume no segmento de Seminovos ficou ligeiramente abaixo da nossa estimativa. A margem bruta (-2,4 p.p. A/A) foi impactada negativamente pelo aumento da concorrência, resultando em menores aumentos de preços nas vendas de carros novos. A margem EBITDA no segmento foi de 2%, um nível com o qual a empresa está confortável;
  • Em resumo, os resultados foram fortes, com as operações de aluguel demonstrando mais um trimestre de crescimento sequencial. Margens mais baixas na venda de carros usados são uma tendência que vem ocorrendo nos últimos trimestres, e que será monitorada de perto ao longo de 2019. Continuamos construtivos com a tese, em função de uma boa execução na fusão Unidas-Locamérica e de crescimento forte nos próximos trimestres.

BR Malls (BRML3): Oficialização da Venda do Shopping Sete Lagoas (MG)

  • A BR Malls anunciou ontem a venda da sua participação (de 70%) no Shopping Sete Lagoas por R$ 46,2 milhões, a um cap rate de 11% (competência) ou 8,6% caixa. O indicador foi levemente superior ao que a companhia negocia e, portanto, representa uma venda a termos menos favoráveis;
  • No entanto, a representatividade do shopping no fluxo de caixa operacional é baixa (~0,4% do NOI de 2018, considerando a proporção de 70%). Além disso, a venda do ativo é positiva sob o ponto de vista estratégico e reforça o compromisso com a otimização do portfólio. 

Aéreas: Justiça mantém decisão favorável à ANAC (vs. Avianca Brasil)

  • De acordo com o Valor, o colegiado de desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo decidiu manter a liminar que permite à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) retirar a licença de aviões caso receba solicitação de algum credor da Avianca Brasil;
  • A Anac poderá cancelar o registro de aviões da companhia apenas se for procurada por uma empresa de leasing, e informou que não tem pedidos até o momento. De acordo com o Valor, pedidos das arrendadoras serão analisados no dia 11 de março.

Eletrobras: MME ainda não tem modelo definido para capitalização

  • Segundo o Valor Econômico, o Ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque afirmou que o governo ainda não concluiu a revisão do modelo de capitalização da Eletrobras, que na gestão anterior levaria à privatização da companhia por perda de controle societário;
  • O Ministro reiterou que a capitalização deve ocorrer quando houver todas as condições, e não descarta a ocorrência da mesma esse ano. O Ministério da Economia, a Casa Civil, a Advocacia Geral da União e o tribunal de Contas da União são partes envolvidas no processo;
  • Finalmente, Albuquerque reconheceu que no momento, as atenções do governo estão na aprovação da reforma da previdência, e que o Ministério continuará trabalhando na modelagem da capitalização nesse meio tempo.

COE News

Tesla: SEC segue com novo processo judicial contra Elon Musk

  • Investidores reagiram negativamente a notícia de que a SEC (CVM nos EUA) solicitará a um juiz federal que responsabilize Elon Musk, atual presidente-executivo da Tesla, por desobedecer as autoridades ao twittar informações internas de expectativa de resultados e volume de produção projetados para 2019 – “A Tesla fabricou 0 carros em 2011, mas entregará cerca de 500 mil unidades em 2019”;
  • Em um processo judicial, a SEC disse que Musk violou uma condição de seu acordo com o órgão regulador no ano passado, quando foi acusado de twittar especulações sobre fechar o capital da Tesla. O acordo de Musk com a SEC exigia que os funcionários da Tesla pré-aprovassem qualquer declaração de Musk que pudesse afetar o preço das ações da empresa;
  • A diretoria da empresa não deu declarações até o momento, e os dirigentes da SEC ainda não esclareceram os possíveis desdobramentos deste novo processo judicial.

GE: Avanço no plano de desinvestimento e venda de ativos

  • Investidores reagiram positivamente após a confirmação da venda da divisão de Biotecnologia da GE para a Danaher, conglomerado de ciências humanas que já fora presidido pelo atual CEO da GE, Larry Culp. A venda por US$ 21bi (17x lucro) representa importante avanço no plano de desinvestimento e venda de ativos, podendo melhorar a saúde financeira da empresa e focar em uma das principais linhas de negócios, geração de energia;
  • Desde que assumiu a diretoria executiva da empresa em Outubro de 2018, Culp já havia anunciado que pretenderia vender boa parte dos negócios da empresa relacionados ao setor de Saúde;
  • Dirigentes da GE informaram que pretendem finalizar o acordo até o quarto trimestre deste ano, acelerando seus esforços para reduzir a dívida de mais de US$ 100bi da empresa. Tal negociação responde por ~30% do plano de levantar US$ 30bi com venda de ativos ainda em 2019, em sequência da venda da divisão de transportes para a produtora de trens ferroviário, Wabtec, além da recente venda de sua participação na empresa de exploração de petróleo Baker Hughes.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.